Dissertações/Teses

2019
Descrição
  • ELAYNE DE SILVA FIGUEREDO
  • A Inserção de Capital Transnacional e Implantações de Agroestratégias de Commodities na Mesorregião Sudoeste Piauiense
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 11/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O recente remodelamento dos eixos estruturais das dinâmicas espacial, social e comercial na mesorregião sudoeste piauiense são ocasionados por ações antrópicas advindas da expansão agrícola financiada por políticas desenvolvimentistas de esferas federais e estaduais e pela adentrada de capital internacional junto a apropriação da terra e da natureza por entidades internacionais, vem ocasionando intensas transformações espaciais na mesorregião sudoeste piauiense, com um destaque maior dado neste trabalho para a Região Geográfica Imediata de Uruçuí (RGI de Uruçuí). Assim, baseado em uma metodologia de análise sistêmica e interdisciplinar, associando dados de revisão bibliográfica, dados oficiais e uma metodologia experimental para processamento de dados geoespaciais na plataforma Google Earth Engine. Neste trabalho, foram analisados o processo de inserção de capital transnacional e das agroestratégias para avanço e consolidação do agronegócio, como uma versão moderna de apropriação fundiária e de composição de grandes latifúndios na mesorregião sudoeste piauiense. Assim como também, o mapeamento de uso e cobertura na RGI de Uruçuí. Os resultados encontrados neste trabalho destacam o atual crescimento em número e área de estabelecimentos agropecuários na mesorregião sudoeste piauiense, e em especial sobre a região semiárida piauiense, que através do avanço tecnológico passou a ser considerada como nova área de possível expansão de processos produtivos agrícolas. Além disso, confrontando os dados de localização dos empreendimentos agropecuários ligadas a empresas estrangeiras ao mapeamento de uso e cobertura da terra realizado para a RGI de Uruçuí, observou-se também a espacialização dos empreendimentos agropecuários e o impacto da adentrada desses empreendimentos frente a evolução da quantidade de hectares destinados a atividades agropecuárias, como é o caso dos municípios Baixa Grande do Ribeira e Uruçuí que entre os Censos Agropecuários de 2006 e 2017 apresentaram um crescimento respectivo de 129,7% e 65,2% em suas áreas agrícolas ocasionados pela adentrada dos empreendimentos Bunge Alimentos S.A. e Cantagalo General Grains S.A.

  • LORENA MOURA SANTANA
  • Praças de Teresina, Piauí: Diagnóstico, Usos e Qualidade do Espaço Urbano
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 31/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • As praças, uma das tipologias de espaços livres públicos urbanos, são locus da vida cotidiana e palco das mais diversas manifestações sociais. Atuam nas cidades como elementos organizadores da forma urbana ao unirem destinos importantes e atraírem pessoas e atividades para o seu perímetro e entorno. Concentram as principais iniciativas de arborização das metrópoles brasileiras contribuindo diretamente para a qualidade do espaço urbano, pois valorizam estética e ambientalmente o lugar em que estão inseridas. Motivada então pela discussão do espaço público como elemento fundamental para o desenvolvimento sustentável das cidades, esta pesquisa analisa os aspectos morfológicos, culturais e ambientais de praças de Teresina, Piauí, com a finalidade de compreender qual o papel que estes espaços exercem atualmente no tecido urbano da capital. Fazem parte desta pesquisa, oito praças teresinenses, localizadas nos bairros que integram as quatro regiões administrativas da cidade, onde as Superintendências de Desenvolvimento Urbano – SDUs, as gerenciam e mantêm. A metodologia da pesquisa consiste na aplicação multimétodos, que nos estudos urbanos, é fundamental para estudar as cidades, já que estas apresentam territórios cada vez mais plurais. Portanto, a operacionalização desta pesquisa contou com abordagens: a) quantitativas, ao levantar o número oficial de praças existentes em Teresina e a infraestrutura presente nas oito praças que compõem este estudo b) descritiva, ao caracterizar a situação geral das praças do recorte, descrever as atividades, usos e apropriações percebidas através da observação direta nos espaços e apresentadas na forma de mapeamento comportamental e c) qualitativa, por apresentar as percepções da pesquisadora sobre o mobiliário existente nas praças e a discussão qualidade proporcionada por estes espaços livres públicos para a dimensão da vida coletiva em Teresina, relacionando aspectos populacionais e de renda dos bairros em que estão inseridas. Dentre os resultados, constatou-se que as praças perderam sua função primeira de local de encontro, permanência e conexão com os demais espaços da cidade, por estarem vazias por longos períodos de tempo durante o dia. O comércio formal e informal que se instala nestas e nas proximidades, faz com que estes sejam lembrados pela população como lugares de passagem ou com fins específicos relacionados ao comércio alimentício, principalmente. A Prefeitura Municipal não possui o número oficial de praças da cidade, mas mantém um documento público intitulado “Teresina GEO” que atualiza, ao passo que são levantadas, o quantitativo e localização das áreas verdes existentes na capital, categoria que engloba praças. Não há identificação em seis dos oito espaços estudados. Há praças descaracterizadas ou sem manutenção. Todas são arborizadas e as sombras proporcionadas, garantem permanência em curtos espaços de tempo. Medo, violência e segregação são elementos que surgiram ao longo da pesquisa e que revelam ser importante a reflexão destes aspectos no que tange o distanciamento dos teresinenses aos espaços públicos em questão. Por fim, contatou-se que as praças localizadas em bairros com menor faixa de renda apresentam usos mais diversificados por serem os únicos equipamentos existentes para atividades de lazer, reuniões, apresentações e manifestações religiosas.

  • FRANCISCA KAREN RODRIGUES FERREIRA
  • DIVERSIDADE DE FORMIGAS (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) NA FLORESTA NACIONAL DE PALMARES E REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE A MIRMECOFAUNA DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO NO MUNICÍPIO DE ALTOS – PI
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 15/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Unidades de conservação têm sido criadas em todo o mundo com o intuito de controlar a degradação ocasionada por atividades antrópicas. A exemplo tem-se a Floresta Nacional de Palmares em Altos – PI. Entretanto, somente a proteção por meio de legislação não é suficiente para conter tais mudanças, necessitando de outras estratégias que aliem o ambiente e a sociedade, como o monitoramento dessas áreas e medidas educativas. As formigas são consideradas um grupo relevante no monitoramento de áreas naturais, uma vez que são sensíveis às mudanças ambientais, tornando-se um grupo importante para a caracterização da qualidade do ambiente. Além disso, as formigas interagem com o homem instituindo-se então ideias e concepções que formas representações sociais oriundas do contexto social, educacional e culturação no qual se estabeleceram estas interações. Diante do exposto, objetivou-se caracterizar as representações sociais dos estudantes do Ensino Médio da Unidade Escolar Cazuza Barbosa, em relação às formigas presentes em áreas urbanas e rurais de Altos – PI, Brasil, bem como identificar a mirmecofauna edáfica e arborícola em duas áreas sob diferentes condições de conservação na Floresta Nacional de Palmares. Em relação a Representações Sociais, foram aplicados questionários semiestruturados a estudantes do Ensino Médio da Unidade Escolar Cazuza Barbosa, bem como realizou-se aula prática sobre importância, coleta, identificação de formigas em áreas urbanas e rurais. O estudo faunístico ocorreu através da coleta sazonal de formigas na Floresta Nacional de Palmares, por meio da utilização de três métodos amostrais. Os dados foram analisados através de técnicas qualitativas e quantitativas por meio de softwares estatísticos. Os resultados indicam que 37,2% dos estudantes atribuíram expressões negativas as formigas. Entretanto, há o reconhecimento de funções ambientais realizadas por estes insetos. Sentimento pelas formigas, raiva, nojo e medo foram mencionados. Os estudantes também souberam identificar com nomes populares formigas dos gêneros Pheidole sp., Solenopsis sp., Atta sp., Camponotus sp., Professores/escola, a mídia e a família são as principais fontes de conhecimento sobre os formicídeos. Com base no levantamento faunístico na Floresta Nacional de Palmares, foram coletados 3.763 espécimes de formicídeos, pertencentes a 9 subfamílias, 20 gêneros e 75 morfoespécies. Myrmicinae é a subfamília com o maior número de representantes. A trilha Cedro apresentou a maior diversidade de formicídeos, sendo que o gênero Pheidole sp. foi o mais frequente. Quanto à sazonalidade, 56,4% das formigas foram coletadas no período seco, nos meses de setembro de 2017 e junho de 2018 e o pitfall arborícola com atrativo, o carboidrato (doce de goiaba) representou 50, 6%. Esse estudo demonstrou que conhecer a relação que os estudantes com as formigas é uma alternativa para propostas de educação ambiental, pois estes insetos são importantes recursos didáticos para ampliar a relação do homem com a natureza, sendo também uma oportunidade de construir afetividade com o ambiente, propiciando o surgimento de hábitos ecológicos. Em relação a coleta faunística, pode-se considerar a importância desse estudo no Piauí, uma vez que permitiu o reconhecimento do impacto de atividades antrópicas em áreas de conservação, bem como a caracterização e valorização da mirmecofauna piauiense.

  • JUSSARA GONÇALVES SOUZA E SILVA
  • Efeitos da Assistência Técnica e Extensão Rural nas atividades socioprodutivas das mulheres do Território dos Cocais - PI
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 28/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa avaliativa tem como objeto de estudo o Projeto Semeando o saber feminino e agroecológico no Território dos Cocais/PI, desenvolvido nos anos de 2015 – 2017 pela Organização Não Governamental - ONG Centro de Educação e Assessoria Ambiental – CEAA, financiado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA e Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome – MDS, conforme a chamada pública 002/2014 (MDA/DPMRQ). O projeto inaugura, no estado do Piauí, a prestação de serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural específica para mulheres com ações direcionadas a organização socioprodutiva exclusivamente de grupos femininos. A pergunta que orienta o estudo é: Quais efeitos a política de ATER proporcionou quanto a organização socioprodutiva agroecológica das mulheres beneficiadas pelo projeto? Partindo da hipótese que a Assistência Técnica e Extensão Rural para mulheres contribuem com a organização produtiva e a construção de saberes socioambientais. Trata-se de uma investigação do tipo ex post fact que contempla critérios de eficiência, eficácia e efetividade da Política Nacional de ATER – PNATER, Lei 12.188/2010, materializada no projeto citado. Nesse sentido, a pesquisa objetivou avaliar a política de ATER para mulheres rurais no âmbito do Território dos Cocais. Especificamente, delinear perfil socioprodutivo das mulheres rurais participantes do projeto; analisar a eficiência da política no uso dos recursos do projeto; verificar a eficácia no cumprimento dos princípios da PNATER; analisar a efetividade do projeto na continuidade dos grupos produtivos. A estratégia metodológica passa pelos aspectos da implementação da política analisando elementos que construíram saberes com as mulheres, mas também considera a visão das beneficiárias em 2018 e 2019, para compreender a contribuição da política na permanência de saberes e práticas produtivas, sociais, políticas e ambientais entre as mulheres atendidas. Os resultados constatam que a política foi eficiente no uso dos recursos e na execução das atividades propostas; foi eficaz nos processos educativos das práticas agroecológicas, proporcionou acesso a mercados de ciclo curto e institucionais e inseriu mulheres em espaços políticos, foi efetiva na constituição de grupos produtivos agroecológicos.  Entretanto, a quantidade elevada de famílias por agente de campo; a descontinuidade das ações de ATER tem inibido o fortalecimento dos grupos para comercializar em diferentes mercados; e a morosidade burocrática do Sistema Informatizado de Avaliação de ATER – SIATER são aspectos que comprometem a política

  • LUIS HENRIQUE DOS SANTOS SILVA SOUSA
  • Rumo à Ecologia Industrial: um estudo da simbiose em indústrias de Teresina
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 27/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • A troca e venda de resíduos, o compartilhamento de instalações de utilidades e de tratamento de materiais, caracteriza a prática da simbiose industrial (SI). A SI pretende responder ao desafio do desenvolvimento sustentável como uma das ferramentas da ecologia industrial (EI), que propõe a analogia entre sistemas naturais e industriais. Este trabalho objetiva identificar as potencialidades e a ocorrência de SI em indústrias de Teresina. Para isso, foram realizadas visitas técnicas em 33 empresas, das quais foram analisados os processos produtivos, entrevistados gestores, funcionários e pontuados critérios relacionados à potencialidade de SI, com base na proposta metodológica de Trama e Magrini (2017). Também foi elaborado um estudo cienciométrico com a utilização do Portal de Periódicos da CAPES, da base Web Of Science e do software VOSviewer. Com o programa SAS, foi realizada uma análise estatística multivariada a partir dos dados coletados em campo. O estudo cienciométrico permitiu inferir que a temática vem ganhando espaço na literatura científica e é protagonizada por pesquisadores norte americanos. A Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) e Análise do Fluxo de Materiais (AFM) são as duas ferramentas mais utilizadas para estudo e análise da EI. A partir da pesquisa de campo e do cálculo do potencial de estabelecimento de SI, os setores estudados com melhor desempenho foram: o de fabricação de materiais elétricos (68,59%), pneumáticos (62,23%) e gráfico (61,08%). Partindo da análise de fluxo dos materiais e de casos da literatura, foram propostas mais de 40 relações de SI. O estabelecimento destas, deve levar em consideração aspectos os técnicos e de gestão das empresas que precisam ser adequados. Isto corrobora com valor de potencial de SI da amostra total (45,76%). A análise estatística multivariada, apontou no estudo de agrupamentos, a existência de quatro grupos de empresas, o maior deles comporta 18 unidades da amostra, sendo estas as que menos se adequam aos aspectos investigados. A análise de componentes principais indicou graficamente que a maior parte das empresas não vêm incorporando à suas operações as práticas de gestão ambiental estudadas pela pesquisa. Por fim, a análise de correlação das variáveis não apontou a existência de correlações fortes entre elas, mas indicou relação positiva entre a execução de atividades de troca/venda de subprodutos com a utilização de sistemas logísticos disponíveis e a existência de práticas ambientais. A pesquisa conclui que a SI não deve ser o passo seguinte para muitas empresas de Teresina, a priori, elas precisam incorporar a aspectos como: a Política Nacional de Resíduos Sólidos, logística reversa, produção mais limpa, entre outros.


  • MAYKON RODRIGUES DE BARROS MOURA
  • COMUNIDADE PIONEIRA DE HERBÁCEAS EM DUNAS NO LITORAL DO NORDESTE: COMPOSIÇÃO, ESTRUTURA, ANATOMIA ECOLÓGICA E PERCEPÇÃO AMBIENTAL
  • Data: 29/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os ambientes costeiros do Brasil têm sido fortemente impactados por conta das ações antrópicas, onde ocorre uma perda de sua biodiversidade de forma desenfreada. No estado do Piauí, mesmo possuindo a menor faixa litorânea do país, possuí por toda sua extensão, fisionomia de restingas, caracterizada por dunas móveis e fixas, campos herbáceos, campos alagados e campos frutícetos. Objetivou-se estudar a comunidade de herbáceas que colonizam dunas do litoral do Piauí, suas estruturas anatômicas que permitem seu estabelecimento e manutenção, assim como, a percepção ambiental da população local acerca das dunas móveis ao seu redor. Foram escolhidos dois pontos de coleta botânica, sendo o primeiro nas proximidades da Praia do Coqueiro, considerada como dunas em processos de antropização, e o segundo ponto na estrada que leva à praia do Macapá e Maramar, sendo estas dunas não antropizadas. A coleta do material seguiu metodologias especificas para cada objetivo, onde, para as análises fitossociológicas seguiu-se o método de parcelas, para as análises anatômicas o material foi coletado e fixado em FAA (formaldeído 50%, ácido acético, álcool etílico 50%). Para a coleta de dados sociais, utilizou-se de entrevistas semiestruturadas, tendo formulários como veículo de obtenção de dados, fotos e observação participante. O material botânico coletado foi armazenado no Herbário Graziela Barroso (TEBP), da UFPI e o material anatômico no Laboratório de Biologia Vegetal da UESPI, Campus Heróis do Jenipapo. Foi obtido um total de 27 espécies de plantas, distribuídas em 14 famílias, com destaque para as famílias Fabaceae e Poaceae, que obtiveram a maior quantidade de espécies. Das espécies que apresentaram alto valor de importância, Richardia grandiflora Britton, e Euploca polyphylla (Lehm) J.I.M. Melo & Semir, foram utilizadas em análises de anatomia foliar, onde foi identificado estruturas que permitem seu estabelecimento e adaptação nestes ambientes, como elevada quantidade de tricomas, estômatos com variações quanto ao tamanho e posição na lâmina foliar, bainha de Kranz, entre outros. Quanto aos dados sociais, foi identificado que a população possui conhecimentos de como ocorre a formação das dunas, assim como métodos para retardar o seu avanço adentro da comunidade. Concluiu-se que os ambientes de restinga do litoral do Piauí possui uma vegetação relativamente semelhante aos demais estados da região Nordeste, onde também é possível identificar que estas vegetações, de alguma forma, apresentam adaptações significativas para a sua sobrevivência e manutenção neste ambiente. A população que vive nesta região tem ciência de que a preservação da vegetação nas dunas é de suma importância para que as mesmas não avancem para dentro da comunidade, sensibilizando-os assim, para uma maior aproximação e contato com a natureza. Com a conclusão desta pesquisa, é gerado dados para subsidiar planos de manejo e conservação para esta região.


  • AIESKA NATASHA SUDARIO DE OLIVEIRA
  • A GESTÃO AMBIENTAL PÚBLICA E A EXPLORAÇÃO DE AGREGADOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE TERESINA, PI
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 28/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • A extração mineral é uma atividade relevante para a humanidade, pois, além de fornecer distintos insumos importantes, ainda auxilia na manutenção das relações comerciais. Dentre os diversos grupos de minérios explorados existe um grupo que é empregado diretamente na construção civil, alguns representantes desse grupo são: a areia, o cascalho e o seixo. Para que esses minerais sejam retirados da natureza são utilizados diferentes modelos extrativistas que, em geral, causam alterações negativas ao meio ambiente, dos quais, pode-se destacar a perda da vegetação nativa, o afugentamento da fauna local, a inserção de elementos contaminantes na natureza e a desestabilização do solo. Para que a mineração seja promovida de modo equilibrado faz-se necessário que os procedimentos de execução dessas atividades sejam efetuados em conformidade com as normas de licenciamento ambiental e também com os padrões técnicos estabelecidos. A fim de que a mineração possa produzir benefícios para toda a coletividade, em particular, para a população local, a gestão pública fica responsável por realizar ações de controle e planejamento para o setor. Ao considerar a interface entre o Homem, a mineração e o meio ambiente relevante para o desenvolvimento local, essa pesquisa objetivou: descrever a gestão institucional da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Teresina - SEMAM para realizar as ações de controle do setor minerário local; e identificar a inserção da atividade minerária no planejamento elaborado para o município. Para fundamentar os capítulos a pesquisa foi realizada no portal de periódicos Coordenação de Aperfeiçoamento Pessoal de Nível Superior-CAPES e também em websites de livre acesso, inclusive nos sites oficiais de órgãos públicos. O levantamento utilizou palavras-chaves específicas ligadas à execução das atividades de extração mineral. Como resultado, observouse que, mesmo após o surgimento da legislação ambiental, houve reduzido avanço direcionado à exploração minerária que prioriza a proteção ecossistêmica; para o estudo de caso, referente à gestão da SEMAM, foram utilizados os processos administrativos, relacionados à mineração, abrigados na instituição, e dados disponíveis nos sites da prefeitura, bem como os procedimentos fiscalizatórios contidos no Ministério Público do Estado do Piauí/MP-PI. O estudo demonstrou que a secretaria possui acentuada fragilidade institucional ocasionada por distintos fatores, dentre eles, destacam-se passar por constantes mudanças de gestores, apresentar ausência regimento interno, e possuir equipe técnica e instrumentos tecnológicos insuficientes; e, por fim, para descrever o planejamento municipal, elaborado para a atividade minerária, foram lidas as agendas de meio ambiente de Teresina, de 2015 e 2030, suas correspondentes revisões e atualizações. O artigo detectou que a exploração minerária, apesar de representar uma atividade de importância municipal, foi retratada de forma reduzida no planejamento de Teresina. De modo geral o estudo identificou que a mineração é uma atividade efetuada desde a época da colonização do Brasil e permanece como um setor econômico de importância para o país. Contudo as ações de gestão, controle e planejamento para promover o equilíbrio socioambiental, disponibilizadas pelo poder público, são tidas como insuficientes para a realidade do país que é representada por seus governos municipais como o de Teresina.

  • HILEANE BARBOSA SILVA
  • AVALIAÇÃO SOCIOAMBIENTAL DA MICROBACIA DO PARQUE AMBIENTAL LAGOAS DO NORTE, TERESINA, PI
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 25/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento de muitas cidades brasileiras não foi acompanhado por um planejamento e provisão de infraestruturas adequadas, o que acarretou em uma série de problemas sociais e ambientais. A região conhecida como Lagoas do Norte em Teresina-PI, é um exemplo de como esse fenômeno pode afetar a qualidade do ambiente urbano. Atualmente, a área é alvo de intervenção do Programa Lagoas do Norte (PLN) que busca requalificá-la quanto aos seus aspectos urbanos e ambientais. O Parque Ambiental Lagoas do Norte (PALN), ao qual abrange as lagoas do Cabrinha, do Lourival e Canal da Vila do Padre Eduardo, surgiu como um dos primeiros resultados deste programa. Este trabalho objetivou avaliar as condições socioambientais da microbacia onde está localizado o referido parque. A qualidade das águas das lagoas e canal foi determinada mensalmente a partir de seis pontos de coleta, no período de agosto de 2017 a julho de 2018. Interpretou-se os resultados frente ao Índice de Qualidade da Água e aos limites estabelecidos pela Resolução CONAMA 357/2005, considerando os aspectos de precipitação, de demografia, infraestrutura sanitária e de uso e ocupação do solo da microbacia. Os pontos de coleta foram agrupados por meio da análise hierárquica quanto à similaridade das variáveis de qualidade da água. A percepção dos moradores em torno da qualidade das águas das águas do parque foi investigada a partir de uma abordagem qualitativa, com uso de entrevistas semiestruturadas para coleta dos dados. A seleção dos participantes foi feita pelo método “bola de neve” e a análise das entrevistas por meio da técnica de Análise de Conteúdo. Os resultados indicam processo avançado de urbanização, baixa porcentagem de áreas verdes e ampla cobertura de rede esgoto. Os pontos monitorados atendem à legislação na maior parte das amostragens, sendo a menor conformidade apresentada pelo ponto a montante do canal que está próximo a uma área sem cobertura de rede de esgotamento sanitário. Neste ponto, também se verifica os menores valores de IQA, enquanto que as maiores médias foram associadas a Lagoa do Lourival, seguida da Lagoa do Cabrinha e ponto a jusante do canal, não sendo identificado variação significativa entre as estações seca e chuvosa. A análise hierárquica permitiu a associação dos pontos monitorados em três grupos distintos, consoante a interpretação da qualidade da água. A percepção dos moradores em relação as águas do parque se deu como resposta aos aspectos visuais, a exemplo das condições sanitárias da área, presença de vida aquática e nos usos atribuídos as lagoas, e percebem a Lagoa do Lourival como detentora de melhor qualidade das águas, indo de encontro com os resultados do monitoramento. O estabelecimento de um programa de monitoramento permanente da qualidade das águas se torna importante a fim de verificar a adequabilidade das lagoas para diversos usos, em especial para recreação de contato secundário, tendo em vista o potencial turístico da região.

  • OCIVANA ARAUJO PEREIRA
  • Influência da Usina Eólica Testa Branca I e III sobre a avifauna, Piauí, Brasil
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 25/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • A energia proveniente das usinas eólicas é uma energia renovável e limpa com danos ambientais relativamente baixos quando comparada a outras fontes de energia. Entretanto, como qualquer empreendimento humano, as usinas eólicas causam impactos na natureza, e os estudos ambientais que buscam compreender sua influência sobre a biodiversidade são necessários. O conhecimento da diversidade é importante para sua preservação, sendo a educação ambiental um instrumento para sua divulgação. Assim, o presente trabalho tem por objetivos caracterizar a dinâmica das espécies de aves presentes na área dos Parques Eólicos Testa Branca I e III, no município de Ilha Grande/PI e compreender como os docentes do Ensino Fundamental Maior das escolas do entorno dos parques eólicos trabalham a diversidade local da avifauna na Educação Ambiental. O estudo da composição da avifauna ocorreu entre fevereiro de 2017 e julho de 2018. Para o levantamento foi utilizado as metodologias de ponto de escuta e rede de neblina. Foram registrados 9136 contatos visuais e 74 capturas por rede de neblina, de aves pertencentes a 102 espécies. A região apresenta flutuação na diversidade de aves de acordo com a cobertura vegetacional e o ciclo sazonal; quatro colisões de indivíduos da família Cathartidae foram registradas, defendendo a ideia de que as aves de grande porte são mais suscetíveis a acidentes com aerogeradores e a presença de espécies bioindicadoras das condições ambientais reforçam a necessidade de planejamento na implantação e operação dos parques. Para levantar os dados da Educação Ambiental foram realizadas entrevistas com os docentes do ensino fundamental maior do Município de Ilha Grande/PI. Ao final das entrevistas percebeu-se que os professores têm pouco envolvimento com a Educação Ambiental, que ocorre dissociada das disciplinas da grade curricular. Mesmo com a grande diversidade de aves registrada na região, os professores apresentam pouco conhecimento sobre o grupo, o que se reflete na pouca utilização das aves nas atividades educacionais.

  • CLEITON OLIVEIRA CARDOSO
  • AVIFAUNA MIGRATÓRIA DO LITORAL PIAUIENSE: INFLUÊNCIA DOS FATORES ABIÓTICOS NO CICLO ANUAL DE MIGRAÇÃO E GUIA DE CAMPO ILUSTRADO
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 25/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil é referência mundial em biodiversidade de aves por apresentar grande diversidade de ambientes. Além de favorecer a diversidade de espécies residentes, tais características também tornam o Brasil uma importante rota de migração para muitas espécies. Aqui são reconhecidas 1919 espécies de aves, das quais 120 são visitantes e 66 têm ocorrência pontual ou mesmo acidental, sendo admitidas como vagantes. O objetivo geral foi levantar as espécies de aves migratórias ocorrentes no litoral piauiense e elaborar um material paradidático voltado para o público infantil. As coletas de dados foram realizadas em 10 pontos do litoral do Piauí, sendo um ponto situado no município de Ilha Grande, sete pontos no município de Parnaíba e dois em Luis Correia. Foram realizados levantamentos quali-quantitativos das aves migratórias de abril de 2009 a fevereiro de 2016 a partir da observação com binóculos e captura com redes de neblina. O guia ilustrado para crianças foi elaborado a partir de desenhos feitos manualmente das espécies de aves migratórias do litoral piauiense. Foram registradas 82 espécies de aves migratórias pertencentes a 13 ordens e 28 famílias, sendo 41 migrantes intracontinentais, 26 espécies visitantes do hemisfério Norte, 14 nômades e uma vagante. Observou-se diferença significativa entre os diferentes pontos amostrais. As espécies migrantes intracontinentais apresentaram maior ocorrência entre os meses de janeiro a julho, as visitantes do hemisfério Norte são mais abundantes no mês de novembro, diminuindo sua ocorrência a partir do mês de março. As espécies nômades foram constantes durante todos os meses do ano.

  • DAIHANA SOLEDAD ARGIBAY
  • REGIME DE FOGO NO MOSAICO CAPIVARA-CONFUSÕES (PI-BRASIL)
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 22/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os incêndios representam uma ameaça contra os ecossistemas ao redor do mundo e são um
    fenômeno recorrente em ecossistemas semiáridos sazonais. O estudo do regime de incêndios
    em áreas protegidas representa potencial conhecimento para o entendimento da dinâmica do
    fogo e ações estratégicas de manejo. Nesse sentido, avaliaram-se os padrões do fogo em áreas
    protegidas no ecótono semiárido de vegetações de Caatinga e Cerrado no nordeste do Brasil,
    caracterizando-se as dinâmicas espaço-temporais associadas com condições climáticas e
    ecológicas. O objetivo geral desta dissertação é analisar o regime de fogo no Mosaico
    Capivara-Confusões e entorno, no período 1999-2017, visando subsidiar políticas de controle
    e manejo de fogo para a Caatinga. Para a análise foi utilizada a série temporal das imagens
    Landsat (resolução 30 m) disponíveis nos últimos 19 anos, e teve por objetivos específicos: i)
    gerar um banco de dados dos incêndios identificando e delimitando as cicatrizes; ii) analisar
    os padrões espaciais, temporais, sazonais e anuais da ocorrência e recorrência dos incêndios;
    iii) analisar a evolução espectral da vegetação em áreas queimadas recorrentemente; iv) e
    propor ações de orientação dirigidas para o Manejo do Fogo em Unidades de Conservação da
    Caatinga. Os resultados mostraram que 47,74 % da área foi queimada durante o período, o
    Parque Nacional da Serra das Confusões teve 302.644 ha queimadas, o Parque Nacional da
    Serra da Capivara queimou 2.056 ha, e o corredor ecológico queimou 215.718 ha. 36,04% dos
    fogos registrados foram durante a estação seca média, quase nenhum fogo aconteceu na
    estação seca inicial, enquanto a estação seca tardia e a estação chuvosa tiveram dimensões
    queimadas similares. Os anos que mais área foi queimada estiveram relacionados com a
    acumulação de anos secos (2007) ou com ENSO (2010, 2012, 2015). Encontramos para o
    período de estudo um padrão de um ano úmido com pouca área queimada, seguido de um ano
    seco com grandes extensões de área queimada (1999-2001, 2008-2010, 2010-2012). Áreas de
    alta recorrência foram sempre perto de estradas, assentamentos ou cidades e os fogos foram
    muitas vezes limitados pela topografia. O intervalo de recorrência de fogo foi sempre maior
    que dois anos, o que significa que uma área que queimou um ano vai delimitar a área que irá
    queimar no ano seguinte. Os padrões que descrevemos aqui constituem o primeiro passo para
    o entendimento dos regimes do fogo na região para estabelecer direções com o fim de
    melhorar estratégias de manejo e orientar políticas de mitigação na área.

  • AMANDA REJALMA MORAES ANDRADE
  • PERCEPÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES EM RELAÇÃO À PERTURBAÇÃO AMBIENTAL NO AÇUDE GRANDE DO MUNICÍPIO DE CAMPO MAIOR/PI
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 18/03/2019
  • Mostrar Resumo
  •  

    O termo Percepção Ambiental pode ser definido como a compreensão do ambiente pelo homem, ou seja, o entendimento do meio em que está inserido. O estudo aprofundado desse tema torna-se fundamental para o entendimento das interrelações entre o homem e o ambiente em que vive, suas expectativas, satisfações e insatisfações, valores e condutas, como cada indivíduo percebe, reage e responde frente às ações sobre os sistemas ecológicos. Assim, o trabalho em questão teve como objetivo verificar a percepção que os moradores e comerciantes de Campo Maior - Piauí possuem em relação à perturbação ambiental sofrida pelo Açude Grande, localizado na zona urbana do município. Para tanto, realizou-se uma pesquisa descritiva de caráter qualitativo, em que os indivíduos que residem ou possuem comércio no entorno do açude foram submetidos à entrevistas guiadas por um formulário previamente estruturado. Na análise das entrevistas, observou-se que a maioria dos moradores consegue perceber a existência de impactos negativos gerados pela população local no manancial. No entanto, mesmo percebendo os impactos sofridos pela manancial, esses indivíduos não se vêm como agentes participantes no processo de perturbação, pois não identificam as ações realizadas por eles como sendo não ecológicas, e atribuem essa responsabilidade à outra parcela da população e aos governantes. Portanto, cabe aos gestores públicos, inicialmente, analisar a qualidade da água do açude, investigar como a comunidade relaciona-se com o meio ambiente, identificar os obstáculos existentes, para, assim, traçar um diagnóstico sócio-ambiental que possa fornecer subsídios para a criação de políticas públicas, ações e projetos de gestão ambiental e educação sanitária para a população deste município. população na execução desses projetos. 

  • PATRÍCIA DA SILVA SOUSA
  • FATORES QUE INFLUENCIAM O CONHECIMENTO DA FLORA NATIVA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DO PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A nova época vivida pela sociedade no mundo urbanizado e informatizado está levando a população a apresentar o que os pesquisadores conhecem como desconexão com a natureza, apontada como principal fator para problemas ambientais, tanto de cunho físico como social, fisicamente pela fragmentação de habitats, homogeneização e perda de diversidade de Fauna, mas principalmente de Flora nativa, e socialmente pela perda de conhecimento em relação às as espécies locais e sua importância para o meio ambiente, principalmente da população mais jovem. Logo, o objetivo deste estudo foi verificar se fatores socioeconômicos de Teresina, como também os diferentes níveis de urbanização em cinco cidades afetam o conhecimento sobre flora nativa de estudantes do Ensino Médio do Piauí. Os indivíduos participantes dessa pesquisa foram 409 estudantes do 3º ano do Ensino Médio de escolas públicas estaduais distribuídos nas cidades de Teresina, Demerval Lobão, Monsenhor Gil, Amarante e Floriano. Para a coleta de dados foram utilizados questionários semiestruturados e estímulos visuais, conjunto de fotografias de 20 plantas escolhidas pela pesquisadora, 12 espécies vegetais nativas e oito exóticas encontradas na região de estudo. Os dados foram analisados por dois métodos: estatística univariada não paramétrica (Teste U de Mann-Whitney) e estatística multivariada (Agrupamento, ACP, Análise de correspondência e GLM). Os dois métodos estatísticos foram executados no software R versão 3.5.1, com nível de significância 5% (p≤0,05). Como resultados pode-se observar que no município de Teresina os estudantes que convivem mais com o campo conhecem um maior número de espécies tanto nativas como exóticas. As aulas de Botânica não estão contribuindo para um maior aprendizado do conteúdo de plantas em um contexto geral, principalmente ao que se refere às espécies nativas.  Cinco plantas foram as mais conhecidas neste municípios: Anacardium ocidentale L., Psidium guajava L., Talisia esculenta (A.ST.-HIL.) RADLK., Mangifera indica L. e Malpighia emarginata DC, três exóticas e duas nativas. Espécies de importância estadual e municipal como a Carnaúba (Copernicia prinifera (Miller) H.E. Moore) e o Caneleiro (Cenostigma macrophyllum Tul.) apresentam pouco ou praticamente nenhum conhecimento por parte dos estudantes de Teresina. Na análise de agrupamento realizada para os cinco municípios obteve-se a divisão da área de estudo em dois grandes grupos (Teresina e Floriano/ Demerval Lobão, Monsenhor Gil e Amarante), devido os dados sócio demográficos (Densidade, PIB e IDHM), como demonstrado pela ACP. A análise de correspondência demonstrou que distribuição do conhecimento das espécies ocorreu de maneira distinta, conforme a distribuição dos municípios. Os testes de GLM evidenciaram um predomínio do gênero masculino no conhecimento de determinadas plantas, como também a probabilidade maior de estudantes que convivem com áreas rurais conhecerem espécies nativas, enquanto nas áreas urbanas a possibilidade aumenta para as exóticas. Esse estudo demonstrou que quanto maior for o processo de urbanização destas cinco cidades piauienses estudadas, maior será a perda de conhecimento para as espécies locais. Faz-se necessárias estratégias de priorização e divulgação das plantas nativas por meio da Educação Ambiental, no ambiente escolar, para que os jovens consigam entender a importância ímpar destas plantas para a biodiversidade regional. 

  • NATANAEL JOSE DA SILVA
  • PADRÕES DE DIVERSIDADE BETA EM ASSEMBLEIAS PLANCTÔNICAS (Cladocera, Copepoda, Rotifera e Oomycota) E PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA POLUIÇÃO EM DOIS RIOS URBANOS
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 27/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A eutrofização é um fenômeno associado ao enriquecimento de nutrientes em ambientes aquáticos decorrente, em grande parte, da ação antrópica. Esse processo causa vários efeitos sobre a biodiversidade aquática, estendendo-se até as populações humanas. Considerando-se este fenômeno  como uma interface entre o Homem e o meio ambiente, esta pesquisa objetivou: descrever os padrões de diversidade beta para assembleias de cladóceros, copépodes, rotíferos e oomicetos nos rios Parnaíba e Poti; testar as diferenças entre esses padrões; testar as relações da diversidade beta com as variáveis ambientais e o potencial bioindicador das espécies e verificar a percepção ambiental da poluição nos rios Parnaíba e Poti noticiada na mídia eletrônica. Para o estudo da diversidade beta foi empregada a abordagem SDR-Simplex, utilizando-se os índices de dissimilaridade de Jaccard e Sørensen (presença/ausência) para oomicetos e Ruzicka (abundância) para o zooplâncton. Em relação às assembleias de oomicetos, a diversidade beta espacial e temporal apresentou altas taxas, obtendo maior contribuição da substituição de espécies.  Apenas o padrão de diferença de riqueza diferiu entre os rios. A dbRDA mostrou relação significativa entre os componentes da diversidade beta e as variáveis ambientais. Para as assembleias de cladóceros, copépodes e rotíferos, houve alta diversidade beta, dominada pela diferença de abundância. Os padrões de substituição e diferença de abundância diferiram entre os rios e foi observada correlação significativa das variáveis ambientais com a diversidade beta e a diferença de abundância. O IndVal identificou 23 espécies como indicadoras, destacando-se as espécies Brachionus caudatus, Filinia terminalis e B. angularis. Para o estudo da percepção ambiental foi utilizada a técnica Análise de Conteúdo. Foram considerados quatro segmentos sociais: jornalistas, autoridades, especialistas e populares. Das notícias, 73% se referiram ao rio Poti, onde a eutrofização é acentuada. O segmento jornalístico teve maior participação (90%); o de populares, a menor (23%). A análise gerou três categorias – “percepção da eutrofização”, “impactos da eutrofização” e “saneamento”. As palavras-chave mais frequentes foram “aguapé” (31,8%), “poluição” (17%) e “esgoto” (14,3%). Dos impactos, a proliferação de aguapés e o surgimento de doenças se destacaram. Das soluções, foi destacada a ampliação da rede de esgotos, em todos os segmentos considerados.  A pesquisa revela que as condições ambientais em que se encontram os rios influenciam a distribuição e diversidade beta dos grupos de organismos estudados. As espécies indicadoras refletem os impactos da ação antrópica sobre estes ambientes. As formas de percepção da eutrofização nos rios restringem-se aos impactos visíveis, como a presença dos aguapés, cuja retirada é a principal solução apontada pelos grupos para o problema. Assim, tanto a diversidade beta como a percepção social são ferramentas importantes no estudo de ambientes impactados pela ação antrópica, fornecendo um entendimento ampliado do problema.

  • RAELSON FILIPY MARTINS SANTOS
  • MIRMECOFAUNA (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) DE PRAÇAS DE ALTOS/PI E SUA PERCEPÇÃO POR TRANSEUNTES
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 22/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Uma das principais consequências do processo de urbanização é a fragmentação dos habitats que causam impacto sobre a riqueza e a abundância de espécies, diminuindo também a possibilidade de que estas obtenham sucesso de dispersão. Formigas formam um grupo capaz de indicar a qualidade do ambiente, pois a grande riqueza de espécies e de táxons especializados, o fato de serem facilmente amostráveis e separados em morfoespécies e sua sensibilidade às mudanças ambientais, as tornam importantes para estudos sobre biodiversidade. Além disso, a interação homem e formiga agregam representações sociais resultantes de um contexto sociocultural. Objetivou-se realizar levantamento da mirmecofauna (Hymenoptera: Formicidae) de espaços livres no perímetro urbano do município de Altos/PI, e as percepções que os transeuntes da Praça Cônego Honório possuem em relação às formigas. Foram realizadas quatro coletas de formicídeos no período entre setembro de 2017 a maio de 2018, utilizando iscas de sardinha em quatro praças: Tunica Almeida, Santa Inês, Ferroviários e Cônego Honório. Após a triagem e identificação, contabilizou-se 38.533 espécimes distribuídos em quatro subfamílias (Myrmicinae, Dolichoderinae, Formicinae e Ectatominae) e onze gêneros (Solenopsis – Westwood, 1840; Pheidole – Westwood,1839; Crematogaster – Lund, 183;, Atta – Fabricius,1804; Cephalotes – Latreille, 1802; Linepithema – Mayr, 1866; Dorymyrmex – Mayr, 1866; Azteca – Forel, 1878; Paratrechina – Motschousky, 1863; Camponotus – Mayr, 1861 e Ectatoma – Smith, 1858). Myrmicinae foi a subfamília com maior quantidade de indivíduos coletados, com um total de 86% e o gênero Solenopsis foi o mais abundante (53,2%). Apenas Paratrechina longicornis (Latreille, 1802) foi a única espécie identificada, visto que o material encontra-se em processo de identificação na Universidade Federal de Uberlândia.  Utilizando a série de Hill, Diagrama de Whittaker, índice de Shannon-Wiener e equitatividade, comprovou-se que a Praça dos Ferroviários possui elevada riqueza e abundância e a Praça Cônego Honório tem maior probabilidade de ocorrência de espécies raras e equabilidade. Foram aplicados questionários semiestruturados com os transeuntes e a análise ocorreu pelo método da análise de conteúdo. Os transeuntes possuem percepções negativas sobre este grupo de insetos, e boa parte dos problemas com eles estão relacionados ao ambiente doméstico. Os voluntários também notam que no período chuvoso há um aumento do número de formigas, e as experiências cotidianas foram citadas como principal fonte de informações sobre o táxon. Trabalhos envolvendo a família Formicidae são escassos e há a necessidade de mais estudos relacionados ao levantamento da mirmecofauna e de trabalhos sobre percepção em relação a estes organismos no Piauí.

  • ANDRÉIA DE CARVALHO SANTOS
  • Efeito da conversão de ecossistemas naturais sobre assembleias de borboletas e a percepção de professores sobre educação ambiental em áreas naturais protegidas
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 21/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Áreas naturais protegidas são consideradas a principal ferramenta de proteção da diversidade biológica e têm se destacado como espaços apropriados para a promoção da Educação Ambiental (EA). Florestas secas tropicais estão entre os ecossistemas mais ameaçados do mundo, contudo, são raramente protegidas, e pouco se sabe sobre sua biodiversidade. Além disso, o uso de áreas naturais protegidas para a EA é ainda frequentemente ignorado. Assim, este estudo teve como objetivo verificar como a conversão de ecossistemas florestais afeta a estrutura de assembleias de borboletas e avaliar a percepção de professores sobre EA em áreas naturais protegidas. No estudo, a perturbação ambiental levou a um aumento da diversidade beta, formando comunidades altamente aninhadas, e afetando principalmente espécies especialistas. Além disso, foi demonstrado que sistemas agrícolas mantem comunidades relativamente similares ao longo do tempo, enquanto ecossistemas florestais apresentam alta substituição de espécies. A percepção dos professores sobre o uso de áreas naturais protegidas para EA foi, em geral, positiva. Contudo, demonstraram menor apoio à prática efetiva de EA nessas áreas. Os resultados sugerem que o nível de relacionamento dos professores com a natureza não foi forte o suficiente para promover atitudes ambientais significativas, o que pode estar refletindo na forma como os professores veem o uso de áreas naturais para o ensino. Assim, dado o valor de florestas secas para a conservação, é sugerido que mais e maiores reservas são necessárias para a proteção da biodiversidade. Além disso, diante da relevância da interação com a natureza, é imprescindível que as pessoas a vivenciem, a fim de criar laços emocionais e estilos de vida ambientalmente responsáveis.

  • FABRICIO NEVES DE SÁ
  • Análise interdisciplinar do sistema de energia solar fotovoltaica do Instituto Federal do Piauí – Campus Floriano
  • Orientador : FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
  • Data: 18/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • As fontes de energia renováveis, como a energia solar fotovoltaica (ESF), surgem como uma alternativa para amenizar a pressão sobre os recursos naturais. Sob o viés ambiental, a ESF apresenta baixos impactos durante sua operação e instalação, sendo importante ficar atento aos impactos na fabricação e no descarte dos módulos fotovoltaicos. A tendência é que os custos de implantação dessa forma de energia continuem diminuindo, apesar de ainda serem relativamente altos. O presente trabalho propõe-se a analisar o sistema fotovoltaico conectado à rede (SFCR) do Instituto Federal do Piauí, Campus Floriano, dentro dos aspectos ambientais e econômicos, bem como seus resultados no contexto educacional vinculado aos projetos de ensino, pesquisa e extensão. Para isso, foi realizado o monitoramento da produção e do consumo de energia do Campus, no primeiro ano, bem como o cálculo do CO2 evitado nesse período. Para a análise dos projetos, foram realizadas entrevistas com seus respectivos coordenadores, através de questionários, a fim de conhecer os resultados, assim como a influência da implantação do SFCR do Campus na criação desses projetos. Foi analisado, também, o conhecimento da comunidade acadêmica sobre a temática, também através de questionários. Verificou-se que no primeiro ano de operação (2016-2017), o SFCR produziu um total de 255.991 kWh, atendendo a 32,44% do consumo do Campus. A economia nesse período foi de R$ 84.047,09, gerando um Valor Presente Líquido de R$ 468.562,90 ao final da vida útil do sistema (25 anos) e payback estimado em 18 anos. Quanto ao benefício ambiental, o Campus deixou de emitir 123,44 toneladas de CO2 na atmosfera nesse primeiro ano de operação. No contexto do ensino, pesquisa e extensão, constatou-se que a implantação do SFCR do Campus influenciou a criação de diversos projetos. Quanto ao conhecimento da comunidade acadêmica acerca da temática da energia solar, observou-se que entre os cenários de professores e alunos, não houve tanta discrepância, exceto no quesito “funcionamento básico da ESF”, no qual os docentes apresentaram, em sua maioria, maior entendimento. Conclui-se que o investimento feito pela Instituição possui viabilidade econômica, apesar do alto tempo de retorno. É necessário que o IFPI continue com a política de fomento em pesquisa e extensão, o que pode trazer benefícios para a Instituição e a sociedade. É importante, também, que o Campus Floriano planeje o destino ambientalmente correto dos módulos fotovoltaicos ao final da sua vida útil.

2018
Descrição
  • ÉLISSA TAVARES DUARTE CAVALCANTE
  • A REALIZAÇÃO DE SIMBIOSE NO DISTRITO INDUSTRIAL DE TERESINA-PI
  • Orientador : FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
  • Data: 20/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Resíduos sólidos têm sido tema de debate em escala global por ser uma problemática crescente diante da finitude dos recursos naturais. A atual racionalidade predominante na ordem do fluxo de materiais provenientes do consumismo inconsciente corrobora para o aumento dos resíduos com o consumo exacerbado, a extração de recursos naturais sem pensar nas gerações futuras e uma produção focada no ganho econômico. As organizações, empresas públicas e privadas são responsáveis por mais de 50% dos resíduos gerados (BIN, 2015), por isso tem que reunir esforços para uma solução que não seja um descarte inapropriado. É preciso otimizar a utilização de materiais gerando ganhos econômicos, sociais e ambientais. O objetivo geral desta dissertação é analisar o processo de gestão dos resíduos sólidos do Distrito Industrial de Teresina, capital do Piauí a partir da institucionalização da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei 12.305/2010) e a adequação da responsabilidade empresarial. Os objetivos específicos são: analisar a gestão integrada de resíduos industriais; compreender o Distrito Industrial de Teresina-PI a luz da gestão de seus resíduos; caracterizar os mecanismos de gestão ambiental adotados pelas empresas; identificar a possibilidade de aplicação da simbiose industrial no Distrito Industrial de Teresina. Para isto, esta pesquisa utiliza como base os conceitos de ecologia industrial, com foco em uma de suas ferramentas, a simbiose industrial. Foi realizado um levantamento bibliográfico para base teórica e
    percepção da abordagem do tema pela comunidade científica tendo como principais autores desta pesquisa Barbieri (2007), Karkotli (2007), Oberlaender (2016).A pesquisa de campo foi realizada através de um levantamento de dados das empresas do Distrito e seus respectivos resíduos gerados, bem como a identificação das ferramentas para seu gerenciamento. Esta pesquisa avaliou a capacidade de realização de simbiose industrial, a partir de uma matriz de geração e recebimento de resíduos do DI de Teresina. Foram visitadas 20, das 82 empresas, de modo que se obteve uma amostra heterogênena que representasse cada ramo de atuação das empresas que compõem o Distrito Industrial. O Distrito Industrial tem 31 tipos diferentes de serviços e produtos, destacando-se a prestação de serviços de telemarketing, alimentos e construção civil. Foi aplicado questionário semi estruturado para levantamento dos tipos de resíduos gerados e a análise dos dados foi realizada utilizando planilhas para que se pudesse ter como resultado desta pesquisa um produto de uma matriz sistematiza que relaciona possíveis compradores com seus respectivos vendedores possibilitando a contemplação de futuras transações comerciais que venham a caracterizar uma simbiose industrial. Foi desenvolvido um ranking de sustentabilidade com as empresas participantes dentro de critérios sugeridos pela pesquisa. Observou-se grande potencial de se desenvolver simbiose industrial ao tempo que existe pouca preocupação dos gestores com as questões ambientais, e ainda as empresas que realizam ações de sustentabilidade não o fazem com objetivos
    estratégicos.

  • GABRIELA CAROLINE COELHO SILVA
  • POTENCIAL POLUIDOR DO EFLUENTE DA ALEVINAGEM DA TAMBATINGA (Colossoma macropomum x Piaractus brachypomus) E ALTERNATIVAS DE REUSO, EM NAZÁRIA-PI, BRASIL
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 29/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos, os estudos com foco ambiental têm se destacado em grandes centros de pesquisa do mundo, sobretudo, os referentes à água, que é um dos recursos essenciais à vida e que está sendo impactado pelo descarte indevido de efluentes domésticos e industriais, como os originados da aquicultura. Os setores de reprodução, alevinagem e engorda da aquicultura são responsáveis por lançar efluentes com cargas orgânicas, fósforos e compostos nitrogenados, que causam impactos nos ecossistemas aquáticos. A cadeia produtiva da aquicultura, no estado do Piauí, é completa e destaca-se o cultivo da espécie tambatinga (Colossoma macropomum x Piaractus brachypomus) pois adaptou-se de forma positiva ao manejo na região. O presente estudo teve como objetivo avaliar o potencial poluidor nos recursos hídricos dos efluentes da alevinagem e de seu reuso. Essa estação fornece alevinos de tambatinga subsidiado para os produtores aquícolas do estado do Piauí. Em 2017, operou, apenas, com 39% da sua capacidade produtiva, resultando em um total de 781.000 alevinos. Observou-se que os efluentes desse empreendimento público não recebem nenhum tipo de tratamento para seu descarte, sendo identificadas características físico-químicas e microbiológicas do efluente in natura. Foi analisada a variação da qualidade da água nas diversas etapas do manejo em 12 ciclos de produção da alevinagem, no período de janeiro a maio de 2017. Foram realizadas análises físico-químicas da água, tais como pH, fósforo total, demanda bioquímica de oxigênio (DBO), oxigênio dissolvido (OD), nitrato, temperatura, bem como análise microbiológica Escheria coli (E. coli). Observou-se que os efluentes da alevinagem de tambatinga são potencialmente poluidores quanto ao fósforo total, oxigênio dissolvido, nitrato, carga orgânica e o pH e, dependendo da capacidade assimilativa do corpo hídrico receptor, podem causar severos danos ambientais. Verificou-se na pesquisa que o reuso do efluentes da alevinagem de tambatinga na agricultura possui vantagem em oposição ao consumo da água do rio Parnaíba, na região de Nazária, principalmente quanto a presença dos nutrientes de fósforo e nitrato. Os resultados obtidos desse trabalho servem como um apoio para gestão dos usos múltiplos dos recursos hídricos pelos órgãos públicos.

  • JOANICE COSTA AMORIM
  • ETNOICTIOLOGIA E PLANTAS UTILIZADAS NA ATIVIDADE DE PESCA EM CASTELO DO PIAUÍ, PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
  • Data: 27/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • As comunidades tradicionais integram grupos de pessoas com culturas diferentes que possuem organização social própria, que se utilizam dos recursos naturais, bem como do meio cultural, social e religioso, realizando a transmissão de seus conhecimentos e práticas aos seus descendentes. Os pescadores artesanais fazem parte de uma dessas comunidades, fazendo uso do seu conhecimento para a prática da pesca, principalmente como meio de subsistência. O conhecimento da diversidade, preservação e conservação de peixes e plantas usadas por pescadores, e o registro e valorização do saber acumulado pelas populações, fornecem argumentos importantes à preservação destas comunidades e de seus habitats. Portanto, objetivou-se estudar o perfil socioeconômico dos pescadores associados à colônia de pescadores Z-9, levantar o conhecimento etnobotânico quanto à utilidade das plantas na atividade pesqueira e para os peixes do município de Castelo do Piauí e obter informações sobre as vivências, lendas contadas e a histórias de vida dos contos nos saberes locais. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas utilizando as técnicas de “turnê-guiada” para coleta do material botânico e zoológico. Os métodos quantitativos utilizados foram Valor de Uso, índice de Shannon e o método de rarefação para o conhecimento etnobotânico e etnozoológico. Além do Fator de Consenso do Informante (FCI), Importância relativa (IR), e a Frequência Relativa e Absoluta. Dos 55 informantes, 52,7% são do gênero masculino e 47,3% feminino, com idade média de 45 anos. A maioria é adultos e casados ambos com 81,8% dos entrevistados. Registrou-se 64 espécies pertencentes a 54 gêneros e 30 famílias.  Fabaceae foi a família mais citada em número de espécies (12). Foram registradas nove categorias de usos, tais como, alimentícias para os peixes (42 espécies), confecção de apetrechos de pesca (13), daninhas (10), berçário (9), construção de embarcações (8), abrigo para desova (8), refúgio (5), tóxicas (5) e atrativas (4). Quanto ao VU podem ser destacadas Hymenachne amplexicaulis, Megathyrsus maximus e Urochloa mutica, apresentando mesmo valor de uso (VUgeral = 2,00; VUatual =1,60 e VUpotencial = 0,40). Os pescadores do município de Castelo do Piauí possuem conhecimento sobre lendas como as do Cabeça-de-Cuia, Mãe-d’água e Lobisomem, além das visagens com objetos voadores e relatos pessoais de suas histórias de vida. Quanto às espécies de peixes foram encontradas 49 espécies, distribuídos em 33 gêneros e 20 famílias, distribuídas em três categorias de uso, alimentícia, comercial e medicinal. Quanto ao uso dos peixes pelos entrevistados foram citados espécies consideradas medicinais (Potamotrygon signata (Garman, 1913)) e reimosas (Pseudoplatystoma fasciatum (Linnaeus, 1766)). Dessa forma, pode-se dizer que estes pescadores possuem um vasto conhecimento etnoictiológico e sobre a flora utilizada pelos peixes, o qual poderá ser usado para ajudar na preservação destes recursos, e contribuir com a melhoria das condições de trabalho.

  • SUELY SILVA SANTOS
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DO PERÍMETRO IRRIGADO TABULEIROS LITORÂNEOS DO PIAUÍ SOBRE A AVIFAUNA
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 27/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A diminuição de ambientes preservados devido à intensificação da agricultura desenfreada ameaça alterar ainda mais os ecossistemas, afetando diretamente as aves. Os impactos causados por esse tipo de empreendimento sobre a avifauna é um dos temas ambientais pouco estudado. Nesse contexto, objetivou-se identificar os impactos ambientais sobre a avifauna da área do Perímetro Irrigado Tabuleiros Litorâneos do Piauí - DITALPI no município de Parnaíba, e registrar os saberes etnoornitológicos e ambientais na comunidade Quilômetro 16. O levantamento foi quali-quantitativo. Para o levantamento da avifauna, utilizou-se o método de transecto linear. Além dos registros visuais e auditivos da avifauna, houve também a captura e anilhamento de alguns indivíduos. Os dados junto à comunidade foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com residentes locais. Antes da execução, o trabalho foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE 66836217.3.0000.5214). Ao fim dos quatro períodos amostrais foram registradas 140 espécies. A área possui uma composição avifaunística rica e diversa, sendo maioria das espécies residente, insetívora e apresenta baixa sensibilidade a alterações ambientais. No entanto, foram registradas espécies dependentes de ambientes florestais, migratórias, e com algum nível de ameaça. Quanto aos aspectos etnoornitologicos, resultados consistiram 71 pessoas entrevistadas 42 (70%) do gênero masculino e 24 (48%) do gênero feminino com idades entre 18 e 83 anos. Segundo entrevistados, na área de estudo foram contatadas 1493 aves que corresponde a 21 ordens, 35 famílias, 80 espécies. Os homens conhecem mais espécies da avifauna local do que as mulheres. Um percentual bastante representativo (77%) dos entrevistados reportou que o desmatamento foi o principal fator apontado para explicar a redução das aves na região. Em relação a implantação e ampliação do projeto, os entrevistados apontaram que teve aspectos positivos como geração de renda, no entanto considerando os aspectos ambientais os moradores reconhecem a degradação que esse crescimento ocasiona, como o declínio na quantidade de algumas aves e ausência de outros animais na região. Os resultados apontam que a área está sofrendo impacto ocasionado principalmente pela degradação ambiental, devido ao intenso desmatamento e ação antrópica. A população local também apresentou forte conhecimento em relação ao uso destes animais como: recurso trófico, medicinal, sócio afetivo e econômico. E que mesmo os moradores reconhecendo a existência de declínio na quantidade de algumas aves, a prática de manter as aves como animais de estimação, caça e o comércio é presente na região, indicando a importância de medidas mitigatórias e realização de estratégias de conservação.

  • PAULO GUSTAVO DE ALENCAR
  • Cajucultura no Semiárido piauiense: sistemas agrários e dinâmica espacial
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 23/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A cajucultura é reconhecida como uma das principais atividades econômicas para o Estado do Piauí, principalmente pela geração de trabalho, renda e divisas em situações adversas. O cajueiro é considerado uma planta resistente e adaptada ao Semiárido, onde localiza-se a área de estudo da presente pesquisa. A cajucultura tem passado por diversas crises que resultaram na redução da área plantada no Piauí. A atividade foi incluída como prioritária em ações de desenvolvimento sustentável coordenadas pelos governos do Estado para o território Vale do rio Guaribas. As ações institucionais atualmente têm sido pontuais e desarticuladas, e dificultam a viabilização das estratégias de recuperação da cajucultura. A presente pesquisa tem como objetivo geral avaliar a dinâmica da atividade da cajucultura nos municípios interligados pelas rodovias BR-020 e BR-230/316, visando a compreensão da sua importância para o desenvolvimento sustentável do Semiárido piauiense. São objetivos específicos discutir o conceito de agricultura sustentável para o Semiárido, levantar o histórico de introdução da atividade na área de estudo, realizar um diagnóstico dos sistemas agrários da cajucultura e fazer o mapeamento e a análise espaço-temporal da cajucultura na área de estudo. A metodologia pautou-se em uma análise sistêmica e interdisciplinar onde foram associados dados de pesquisa qualitativa obtidos em entrevistas e observações de campo, dados de revisão bibliográfica, dados de instituições oficiais e análise de dados espaciais e de sensores remotos. As discussões sobre a convivência com o Semiárido delimitam princípios, estratégias, diretrizes e tecnologias para o desenvolvimento territorial sustentável. A expansão da cajucultura para o Semiárido piauiense ocorreu com adoção de estratégias diferenciadas, com subsídios para as empresas e estimulo dos pequenos produtores por meio da rede de assistência técnica e oferta de crédito. A expansão dos pequenos e médios plantios ocorreram em função da expectativa de geração de renda. A instalação de agroindústrias para o processamento do pedúnculo em municípios da área de estudo tem gerado trabalho e renda nos diversos segmentos da cadeia produtiva. Os produtos agroindustrializados ainda são pouco diversificados e o mercado da matéria prima continua controlado pela rede de atravessadores. A concentração fundiária e a pulverização das terras dos agricultores familiares são entraves para o desenvolvimento de uma cajucultura sustentável. A dinâmica da atividade tem sido marcada pelo impacto inicial das áreas extensivas sobre a Caatinga, seguido de redução das áreas extensivas empresariais e expansão da cajucultura familiar, a substituição do cajueiro comum pelo anão-precoce, a disseminação do uso de agrotóxicos e a mecanização excessiva. O desenvolvimento da cajucultura dentro da perspectiva de desenvolvimento sustentável exige mudanças estruturais, como a desconcentração fundiária, e adoção de medidas que permitam o fortalecimento da agricultura familiar, como a disseminação das pesquisas científicas consolidadas, adequação das estratégias de concessão de crédito ao planejamento de desenvolvimento da cajucultura estadual, disponibilização de assessoria técnica e capacitação para os processos de gestão e produção orgânica e a adoção de sistemas produtivos mais diversificados e estáveis.

  • ILANA MARTINS RIBEIRO DE CARVALHO
  • SUSTENTABILIDADE NAS HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL: ANÁLISE DO RESIDENCIAL JACINTA ANDRADE, EM TERESINA, PIAUÍ
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 23/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento populacional, associado ao intenso processo de urbanização, alterou de forma significativa a morfologia das cidades, tornando-as palco de graves problemas sociais, dentre eles o alto déficit por moradia. Diante deste quadro, foram elaboradas sucessivas políticas habitacionais que, apesar de contribuírem para a redução quantitativa do déficit por moradia, através de programas sociais como PAC e PMCMV, ainda se mostram incapazes de promover o acesso à adequado à habitação e à própria cidade. Diante do exposto, a presente pesquisa tem como objetivo analisar os efeitos gerados pela implantação de conjuntos habitacionais de interesse social, com enfoque no Residencial Jacinta Andrade, na cidade de Teresina. Buscou-se, inicialmente, reconhecer a relação entre as políticas habitacionais de interesse social e a produção do espaço urbano da capital, a partir de pesquisas bibliográfica e documental, utilizando-se também de imagens dos satélites Landsat 5 (1984-1993), Landsat 5 TM (1984-2002), Landsat 7 ETM+ (1999-2013) e Landsat 8 OLI (2013-2017), referentes ao período de 1984 a 2017. Em um segundo momento, buscou-se diagnosticar as necessidades e percepções dos moradores do Residencial Jacinta Andrade sobre as condições de moradia, infraestrutura e serviços urbanos locais, a partir da aplicação do formulário com 103 residentes. Constatou-se que, não obstante pequenas variações (em especial nas décadas de 1980 e 1990), grande parte dos conjuntos habitacionais construídos na cidade de Teresina foram locados na periferia urbana, onde o custo do solo é economicamente menor. As consequências são visualizadas no agravamento da segmentação e da desarticulação do espaço urbano, bem como na geração de gastos excessivos para o poder público, que precisa arcar com os altos custos da expansão da infraestrutura para atender à nova demanda. No caso do Residencial Jacinta Andrade, diagnosticou-se que, quanto ao aspecto “Moradia”, a avaliação dos residentes é positiva, ainda que tal resultado aparente estar relacionado à condição da propriedade como imóvel próprio, e não necessariamente quanto à sua capacidade de garantir conforto e qualidade de vida. Quanto à “Infraestrutura e Serviços urbanos” houve variações: questões como abastecimento de energia elétrica e serviços de coleta de lixo surpreenderam ao satisfazer a mais de 85% dos moradores, enquanto a segurança e disponibilidade de áreas de lazer foram avaliados negativamente por mais de 83% dos residentes. Assim, a análise do custo/benefício do empreendimento em solucionar, ou ao menos minimizar o déficit habitacional de Teresina, conforme apresentou-se na sua proposta de construção, envolve não apenas aspectos quantitativos relacionados à construção de grande quantidade de unidades de domicílio, mas também na capacidade do poder público de ofertar condições de moradia adequada e acesso às beneficies ofertadas pelas cidades.

  • VANESSA FERNANDA DA SILVA SOUSA
  • DIVERSIDADE TAXONÔMICA E FUNCIONAL DA VEGETAÇÃO LENHOSA DO JARDIM BOTÂNICO DE TERESINA E ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL
  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 16/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A caracterização da estrutura da vegetação de um local e também a diversidade funcional de uma espécie ou comunidade de um determinado ambiente, constituem importantes estratégias de conservação ambiental, pois permitem uma maior compreensão sobre a estrutura, dinâmica, padrão e diversidade funcional existente dentro e entre as comunidades vegetais. Em unidades de conservação, além do conhecimento sobre a vegetação, a percepção dos visitantes em relação a estes espaços também constitui uma estratégia conservacionista eficiente, pois permitem compreender a interação do homem com o meio ambiente. Desse modo, o presente trabalho teve como objetivo caracterizar a estrutura da vegetação arbustivo-arbórea do Jardim Botânico de Teresina e também analisar os traços funcionais das espécies mais dominantes da área, buscando relacionar diversidade taxonômica e diversidade funcional. Objetivou-se também verificar a percepção ambiental dos professores que frequentam o Jardim Botânico de Teresina, elencando seus principais atrativos, aspectos negativos e sugestões de melhoria. Para a etapa de percepção realizou-se entrevistas semiestruturadas com os docentes. Para o levantamento florístico e fitossociologia, utilizou-se o método de parcelas. Já para o estudo da diversidade funcional realizou-se a análise de traços morfológicos, reprodutivos e vegetativos das espécies por meio de pesquisa bibliográfica. Os resultados demonstraram que a área é bastante diversa, tanto taxonomicamente quanto funcionalmente. O levantamento taxonômico registrou 2.107 indivíduos, distribuídos em 32 famílias, 57 gêneros. Destes, 63 (66,3%) foram determinados ao nível de espécie, 8 (8,3%) ao nível de gênero, 12 (12,6%) até o nível de família e 13 (13,6%) ainda não foram determinados botanicamente. Fabaceae e Myrtaceae foram as famílias mais representativas em número de espécies e de indivíduos e Parkia platycephala foi a espécie com maior Valor de Importância (VI). Funcionalmente a área se mostrou bastante diversa, apresentando uma riqueza funcional de 9,57 (Friq). A parcela dez a que teve a maior equitabilidade (Feve= 0,74), a parcela sete teve a maior divergência (Fdiv= 0,77). A parcela mais rica taxonomicamente (3) também foi a que apresentou a maior diversidade funcional (Rao=3.53). Traços como área foliar e densidade da madeira demonstraram que taxa de atividade fotossintética é alta entre as espécies e que as mesmas encontram-se bem adaptadas àquele ambiente. Já o estudo da percepção evidenciou que o JBotT é a primeira escolha dos visitantes se comparados a outros parques da cidade. A vegetação foi considerada o maior atrativo do parque pelos visitantes docentes. O apego e o senso de responsabilidade pelo parque são os sentimentos mais citados pelos visitantes.

  • ANÁRYA TERESA DE FREITAS ROCHA
  • ANÁLISE ESPACIAL DA OCORRÊNCIA DE LEISHMANIOSE VISCERAL E AS CONDIÇÕES DE VULNERABILIDADE SOCIAL E URBANA EM TERESINA – PI
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 16/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral (LV) é causada pelo protozoário Leishmania infantum e transmitida
    pelo vetor Lutzomyia longipalpis. A doença está relacionada com uma rede complexa de fatores,
    dentre eles, ambientias, scioeconomicos e de infraestrututa urbana. Neste estudo, objetivou-se
    analisar a associação dos fatores socioeconômicos e de infraestrutura urbana e a distribuição de
    fatores espaço-temporal da leishmaniose visceral no período de 2007 a 2016 na cidade de
    Teresina, Piauí. Foram utilizados para a análise o número de casos notificados de leishmaniose
    visceral residentes em Teresina. Os mapas de distribuição espaço-temporal foram elaborados
    utilizando os valores dos casos normalizados pela área do bairro. Os indicadores normalizados
    foram calculados e utilizados na construção de indicadores de vulnerabilidade de estrutura
    social, de estrutura domiciliar e de infraestrutura urbana, e a partir deles foi construído um
    índice de vulnerabilidade composto. O índice de Moran Gloral Bivariado foi utilizado para
    verificar a existência de autocorrelação espacial entre a incidência da leishmaniose visceral e
    os indicadores sintéticos e índice de vulnerabilidade, e para identificar a existência de clusters
    espaciais empregou-se o índice Moran Local Bivariado. Durante o período de estudo 754 casos
    de LV foram notificados, sendo 695 na área urbana e 54 na área rural. Foi observado um padrão
    espacial de distribuição difusa, atingindo as áreas centrais e periféricas da cidade. As condições
    de vulnerabilidade também se mantiveram homogeneamente distribuídas na área urbana de
    Teresina, e foi observado uma correlação entre a incidência da doença e precárias condições de
    vida, e clusters estatisticamente significativos entre a incidência e os indicadores sintéticos e o
    índice de vulnerabilidade. As metodologias utilizadas para analisar a nível espacial as condições
    de vulnerabilidade e o padrão de distribuição da doença são importantes para identificar as áreas
    mais suscetíveis e planejar as ações e estratégias de controle. Além disso torna-se necessário a
    realização de inquéritos entomológicos e sorológicos que demonstrem a distribuição das
    populações de vetor e de reservatórios nas áreas de maior registro da doença, bem como,
    estudos de infecção natural por Leishmania infantum

  • NESTOR DE CASTRO BRITO JÚNIOR
  • MOBILIDADE URBANA NA PERSPECTIVA DA SUSTENTABILIDADE: ESTUDO NA CIDADE DE TERESINA, PIAUÍ
  • Data: 02/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A circulação é fator indispensável no contexto urbano, pois o deslocamento das pessoas antecede e sucede todas as atividades desenvolvidas numa cidade. Contudo, tendo que vencer distâncias cada vez maiores, a população vê prejudicadas suas condições de mobilidade. A lei federal nº 12.587 institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, definindo a mobilidade urbana como condição em que os deslocamentos de pessoas e cargas se realizam no espaço urbano. Na mobilidade sustentável são avaliados fatores ligados ao planejamento urbano que têm impacto direto na decisão do indivíduo sobre sua forma de deslocamento. Teresina apresenta população estimada de 847.430 habitantes e área aproximada de 1.391,98 km², organizada em 123 bairros. Atualmente as ruas da capital enfrentam superlotação de veículos, tanto de carros, como motos, ônibus e bicicletas, que disputam espaço entre si e com pedestres, carroças, e barracas de ambulantes em alguns pontos. Este trabalho tem como objetivo geral analisar as condições de mobilidade urbana em Teresina, e como objetivos específicos: discutir o conceito de mobilidade urbana sustentável; avaliar a disponibilidade de dados públicos em órgãos relacionados ao objeto deste trabalho; comparar os resultados obtidos em Teresina com os de outras cidades brasileiras; identificar os pontos fortes e pontos fracos da cidade no tocante à mobilidade urbana sustentável. A metodologia baseia-se na adaptação do Índice de Mobilidade Urbana Sustentável (IMUS), tomando como base o ano de 2015. Teresina obteve um índice global de 0,425 − numa escala que varia de 0,00 a 1,00. Isso revela que a cidade, que está em fase de implantação de seu sistema de integração do transporte público por ônibus, bem como revisando seu Plano Diretor, ainda tem muito a avançar no quesito mobilidade urbana sustentável. Os pontos fortes observados, segundo os critérios do IMUS, são os Domínios Aspectos Sociais e Aspectos Políticos. Os pontos fracos, os Domínios Aspectos Ambientais, Infraestrutura de Transportes e Modos Não Motorizados. A principal dificuldade enfrentada foi a indisponibilidade, e/ou baixa qualidade dos dados, tanto em canais de comunicação quanto diretamente junto às instituições públicas. Há um déficit de cidadania, que transparece nas relações horizontais (indivíduo-indivíduo) e verticais (indivíduo-Estado), o que dificulta a implementação da Política Nacional de mobilidade Urbana.

  • MURYLLO DOS SANTOS NASCIMENTO
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DA LINHA DE TRANSMISSÃO DELTA – TABULEIROS SOBRE A AVIFAUNA, PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 19/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Apesar dos benefícios que as linhas de transmissão proporcionam para as pessoas, elas afetam negativamente o meio ambiente, interferindo na vegetação, e consequentemente na fauna. As aves estão entre os vertebrados mais afetados por estes empreendimentos. Os objetivos desta pesquisa foram levantar e caracterizar a avifauna de áreas de influência direta de uma linha de transmissão (LT) e registrar a percepção dos moradores de comunidades rurais próximas à LT afim de identificar potenciais impactos causados pelo empreendimento sobre as aves. A área de estudo abrange pontos diretamente afetados pelo empreendimento, dentro do município de Parnaíba, no extremo norte do estado do Piauí. O levantamento foi quali-quantitativo. Para o levantamento da avifauna, utilizou-se o método de transecto linear. Além dos registros visuais e auditivos da avifauna, houve também a captura e anilhamento de alguns indivíduos. Os dados junto à comunidade foram coletados por meio de diálogos informais e formulários semiestruturados. Antes da execução, o trabalho foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE 66902117.1.0000.5214). Foram levantadas na linha de transmissão, ao fim dos quatro períodos amostrais, 224 espécies de aves distribuídas em 25 ordens e 53 famílias. Em relação ao status, a maioria das espécies registradas na linha de transmissão são residentes (N=125; 56%). Quando a Frequência de Ocorrência (FO), a maioria das espécies levantadas (N=170; 76%) são consideradas raras. Considerando a dieta, os insetívoros (INS) foram os mais representativos (N=74; 33%). Onze espécies apresentam alta sensibilidade às alterações ambientais e oito estão categorizadas em algum nível de ameaça. Os moradores das comunidades Alto do Batista e Alto da Cruz, localizadas próximas às torres da LT, citaram 113 espécies de aves que, segundo os mesmos, são comumente vistas na região. As espécies mencionadas pelos moradores pertencem a 38 famílias e 20 ordens. A maioria dos entrevistados (56,7%; N=21) relatou que a LT afetou de alguma forma a avifauna local. Houve muitos relatos sobre o impacto de aves nas estruturas do empreendimento. Os populares também apresentaram forte conhecimento em relação à aspectos de caça, ao uso de espécies para fins medicinais e ao simbolismo que gira em torno destes animais. Apesar do impacto causado pela implantação da linha de transmissão, observa-se que a avifauna das áreas amostrais é diversa e numerosa. 

  • MÁRCIO LUCIANO PEREIRA BATISTA
  • ETNOCONHECIMENTO SOBRE ABELHAS NATIVAS (ANTHOPHILA, APIDAE: MELIPONINI) E PLANTAS MELITÓFILAS APRESENTADO PELOS MORADORES DA COMUNIDADE JOSÉ GOMES, CABECEIRAS DO PIAUÍ
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 16/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O etnoconhecimento acerca da conservação da biodiversidade constitui um patrimônio das populações autóctones, uma vez que é transmitido pela oralidade, por meio de processos intergeracionais. A compreensão da ecologia básica dos meliponídeos é essencial para fundamentar o desenvolvimento e implementação de estratégias de conservação e técnicas de gestão que favoreçam os agricultores tradicionais. No planeta, a biodiversidade de abelhas é muito elevada, pois já foram descritas cerca de 20.000 espécies. O Brasil possui a maior diversidade de abelhas do mundo, sendo responsável por cerca de 10% do total existente no globo terrestre; dentre estas, aparecem as abelhas sem ferrão com 330 espécies, pertencentes à tribo Meliponini, dividida em 31 gêneros. Objetivou-se investigar os saberes, crenças, classificação e concepções sobre as abelhas nativas e as plantas melitófilas usadas e/ou conhecidas na comunidade José Gomes, Cabeceiras do Piauí/PI. Para isso, foram empregados os seguintes objetivos específicos: registrar o modo como a comunidade de José Gomes percebem as abelhas e constrói o domínio etnozológico “Inseto”; verificar os diferentes usos que os moradores de José Gomes fazem das abelhas nativas, apontando os benefícios que as espécies podem oferecer à comunidade local; identificar a sapiência dos residentes em relação à conservação das abelhas nativas; descrever como os indivíduos identificam e separam as espécies ocorrentes; e apontar o conhecimento dos residentes acerca dos tipos de plantas melitófilas existentes na comunidade. Foram entrevistados 43 moradores a respeito do conhecimento acerca das abelhas sem ferrão, por meio de formulário semiestruturado. Os meliponíneos foram capturados usando metodologia usual (rede entomológica e vasilhames distribuídos), sendo a coleta realizada no momento das turnês-guiadas com auxílio de 14 especialistas locais que se dispuseram a participar da captura. As abelhas foram observadas sobre as flores, em trilhas na mata, córregos e diretamente nos ninhos. Periodicamente, os vasilhames foram recolhidos e encaminhados ao Laboratório de Entomologia do Setor de Fitossanidade do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí, sendo os mesmos enviados para identificação na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Do total das espécies amostradas, as mais abundantes foram Scaptotrigona sp1 (n=25), Trigona sp1 (n=17), Tetragona sp1 (n = 14), Trigona spinipes (Fabricius, 1793) (n = 13) e Partamona ailyae (Camargo, 1980 (n = 10). Para estimar a diversidade de abelhas sem ferrão coletadas na comunidade foi utilizado o índice de Shannon-Wiener (H’), alcançando nesta pesquisa um índice de H’ = 1,02. Para obter os dados referentes ao conhecimento sobre as plantas melitófilas, foi utilizado o método de listagem livre como meio para obter o conhecimento sobre as plantas pelos entrevistados. Quantitativamente, utilizou-se o Índice de Saliência de Smith, por meio do software ANTHROPAC 4.0. Foram identificadas 19 famílias com destaque para Anacardiaceae e Fabacea (n=5) cada,  Euphorbiaceae (n=4), Bixaceae (n=3); 32 gêneros, onde Citrus (n=2) e Spondias (n=3) apareceram com maior frequência; e 35 espécies, formando cinco rupturas ou saliências quanto ao domínio cultural destas plantas. O cajueiro (Anacardium occidentale L.) foi a espécie citada com maior frequência e apresentou a primeira ruptura da lista livre com índice de Smith 0,411. Constatou-se que os moradores da comunidade conhecem e classificam as abelhas sem ferrão e as plantas melitófilas pela sua morfologia e vivência na comunidade, porém quanto à forma de conservar este ecossistema os atores deixam a desejar. Desta forma, necessário se faz que a educação ambiental seja difundida na comunidade como forma de despertar nesta um melhor  manejo dos recursos naturais.

  • ANDRÉ BASTOS DA SILVA
  • Conhecimento ecológico tradicional do manejo da ictiofauna na comunidade de pescadores artesanais de Amarante, Piauí, Brasil
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 16/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • As interações entre seres humanos e os recursos pesqueiros remontam milhares de anos e consistem em uma conexão básica nas comunidades pesqueiras para fins de subsistência, segurança alimentar, economia e cultura. No entanto, esta relação trouxe fortes pressões sobre os estoques de peixes. Neste contexto, ressalta-se a necessidade de envolvimento das comunidades pesqueiras no processo de manejo da pesca, a partir conhecimento ecológico local dos pescadores. O principal objetivo deste estudo foi avaliar quais fatores socioeconômicos influenciam no conhecimento de pescadores artesanais sobre a diversidade da ictiofauna conhecida e localmente manejada na comunidade pesqueira de Amarante, no médio Parnaíba, Nordeste brasileiro. Entrevistas semiestruturadas e técnicas de observação direta e participante foram empregadas para coleta de dados. Estes foram analisados por estimadores de riqueza, estatísticas multivariadas e não-paramétricas. Um total de 70 pescadores artesanais participou desta pesquisa (41 homens e 29 mulheres) com idades entre 25 e 65 anos (média ± DP: 43,4 ± 9,07 anos). Entre estes entrevistados foram reconhecidas 61 espécies, variando de cinco a 53 (31,28 ± 9,71 espécies) por pescador entrevistado, com esforço amostral de 95,37% (Sobs/Jack 2) para 99,20% (Sobs/Chao 2), considerado satisfatório dado que as curvas de acumulação de espécies Chao 2 e Jack 2 atingiram suas respectivas assíntotas. As informações obtidas ratificaram a importância das ordens Characiformes e Siluriformes para a pesca artesanal na região neotropical, especialmente para o Brasil. A disparidade encontrada entre os números mínimo e máximo de espécies registradas nas entrevistas indica que o conhecimento sobre peixes não está distribuído de forma igual entre os pescadores. No geral, estima-se que os peixes mais citados sejam também os mais pescados na região, pois estes tendem a atrair mais atenção dos pescadores por serem mais frequentes nas pescarias, em feiras públicas ou nas residências. Observou-se que o conhecimento dos pescadores sobre a riqueza de espécies variou significativamente em função das variáveis socioeconômicas gênero, quantidade de turnos empregados ao dia e número de instrumentos utilizados na pesca. Estes fatores, da variável tempo de vivência na pesca, também exerceram influência no conhecimento da composição de espécies. Essas variáveis podem ser consideradas preditoras importantes na seleção dos pescadores para estratégias participativas de manejo e conservação dos recursos pesqueiros, reforçando a importância das comunidades locais.
  • NATHALIE BARBOSA REIS MONTEIRO
  • Avaliação ambiental em indústrias de brita
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 15/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • A mineração de brita é uma das atividades mais importantes para a economia de qualquer país, pois gera os insumos que abastecem as indústrias da construção civil. O setor produz as matérias-primas utilizadas na construção de moradias, estradas, pontes, obras de saneamento básico, além da fabricação de cimento e concreto. No entanto, é, também, uma atividade potencialmente impactante para o meio ambiente. Nesse estudo foram analisadas três indústrias de brita localizadas na região de Monsenhor Gil – PI, a fim de conhecer e avaliar os impactos ambientais e sociais causados pelas mesmas. Inicialmente, realizou-se a caracterização do segmento através da literatura científica e de documentos técnicos de órgãos ligados ao setor de mineração. No Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), foram recuperados 354 artigos científicos relacionados à mineração de brita, dos quais, 75% foram selecionados para análise. Conforme observado, a preocupação com os impactos ambientais causados pela exploração mineral de brita tem avançado lentamente. Apenas 23% dos estudos analisados, abordam essa problemática de forma direta. A maioria dos trabalhos científicos está voltada à produção e utilização dos recursos minerais e seu melhor aproveitamento na indústria da construção civil. A produção brasileira de brita é equivalente à dos maiores produtores europeus, no entanto, em relação à produção científica, detém apenas 3% do total de artigos recuperados. Também, foram analisados os processos de licenciamento ambiental das três indústrias, a fim de verificar a sua efetividade em relação ao órgão ambiental licenciador, às indústrias e à sociedade. Desse modo, foram realizadas visitas in loco às indústrias, à Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMAR) e aoDepartamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), para a verificação dos estudos ambientais. Foi constatado que os relatórios ambientais possuem falhas na elaboração, como, a falta de uma equipe multidisciplinar e a presença de dados divergentes da realidade observada. Além disso, o custo com a reposição ambiental não é contabilizado no valor final do produto e as medidas mitigadoras propostas não começaram a ser implementadas em nenhuma das indústrias. Houve atraso, da SEMAR, na emissão das licenças dentro do prazo estabelecido pela lei e não há fiscalizações periódicas, tanto pelo órgão ambiental, quanto pelo DNPM. Destaca-se, ainda, que não foram requeridas audiências públicas e não há participação da comunidade nos projetos de educação ambiental, fatores que comprometem a efetividade do processo de licenciamento ambiental. Para avaliar ambientalmente a brita, e conhecer os impactos ambientais da produção desse mineral, foi utilizado o método Avaliação do Ciclo de Vida (ACV). Nesse estudo, foi feito o Inventário do Ciclo de Vida (ICV) da brita, a fim de contribuir com o Banco Nacional de Inventários do Ciclo de Vida (SICV Brasil), uma vez que não há banco de dados para o diabásio. Através da análise do ICV foi possível identificar que os maiores impactos estão relacionados a emissões atmosféricas, na fase de beneficiamento do produto, em função do uso de energia elétrica. Além disso, foi elaborada uma matriz de avaliação de impactos ambientais, baseada em Vásquez (2012), com o propósito de conhecer e mensurar os impactos causados pela atividade. Dessa análise, foi possível perceber que as etapas mais impactantes são a remoção da cobertura vegetal e as explosões de rocha, e os meios (físico/biótico/humano) mais afetados são: a qualidade do ar, o impacto visual e a saúde humana.

  • KAREN VELOSO RIBEIRO
  • Etnobotânica em quintais rurais de duas comunidades situadas no município de Amarante, Piauí, Brasil
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 15/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Estudos etnobotânicos realizados em quintais vem oferecendo subsídios para a preservação de recursos genéticos e culturais, visto que a manutenção desses espaços é efetuada a partir do conhecimento e da prática tradicional dos mantenedores. Diante disso, objetivou-se investigar os saberes e práticas sobre o uso das espécies vegetais, presentes em quintais rurais de comunidades situadas no interior do município de Amarante/Piauí, assim como as estórias conhecidas e contadas pelos moradores da localidade. As comunidades rurais estudadas foram Buritirana e Recanto, situadas a 5km e 10km, respectivamente, da sede municipal. A pesquisa teve aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), segundo o nº do Parecer 1.837.197, onde 100% dos atores foram entrevistados. A coleta dos dados foi realizada por meio de fotos, vídeos, áudios e das técnicas de “rapport”, observação participante, entrevistas semiestruturadas e turnê-guiada com os mantenedores dos quintais que apresentaram idade igual ou superior a 18 anos. Os materiais botânicos coletados, sob autorização dos mantenedores, seguiram o recomendado pela metodologia usual, sendo o voucher depositado no acervo do Herbário Graziela Barroso (TEPB) da UFPI. Os dados obtidos foram, inicialmente, inseridos em planilhas eletrônicas (Excel) e analisados qualitativamente, por meio de inferências percentuais descritivas, e quantitativamente pelos índices de Shannon-Wierner, Jaccard e Sorensen, além da construção de curvas de dispersão. Um número de 33 informantes participou voluntariamente da pesquisa (13 na comunidade Buritirana e 20 na comunidade Recanto), sendo 19 (57,6%) do gênero feminino e 14 (42,4%) do gênero masculino. Do total entrevistado, apenas seis (18,2%) são naturais da primeira comunidade; três (9,1%) da segunda comunidade e 10 (30,3%) da zona urbana do município de Amarante/Piauí. Os demais (42,4%) são oriundos de outros municípios do estado do Piauí e Maranhão morando em média a 16,7 anos nas localidades estudadas. Os quintais mostraram-se estruturalmente variados, multifuncionais e heterogêneos, nos quais não se constatou um padrão de organização e distribuição das espécies cultivadas. Foram amostradas 150 espécies de plantas, com destaque para a família botânica Fabaceae, que agrupou o maior número de espécies. A categoria de uso alimentícia foi a mais representativa. O índice de Shannon indicou alta diversidade (H’= 4,57), sendo a comunidade Buritirana mais diversa (H’= 4,45) em relação à comunidade Recanto (H’= 4,32). O índice de Jaccard mostrou alta similaridade entre as duas localidades estudadas. Não houve correlação entre área e número de espécies, entretanto, a idade do quintal com o número de espécies, se mostraram positivamente correlacionadas. As plantas aromáticas e condimentares somaram 13 espécies, incluídas em sete famílias botânicas, tendo Solanaceae e Lamiaceae como as mais representativas, constituindo-se predominantemente, em ervas (6). As espécies mais proeminentes foram Allium schoenoprasum L., Coriandrum sativum L. e Capsicum chinense Jacq. As plantas ocorrentes nos quintas das duas comunidades são equiparadas, demonstrando uma alta verossimilhança, dado este confirmado pelo índice de Sorensen (IS= 0,75). Geralmente são cultivadas em canteiros suspensos ou em utensílios. As partes das plantas hortícolas mais empregadas nos preparados caseiros são as folhas (46,1%), seguida de fruto (38,5%), casca (7,7%) e raiz (7,7%). São prontamente empregadas na culinária diária, podendo ainda ser utilizadas para fins medicinais. Obteve-se o relato de três lendas, sendo a do lobisomem a mais referenciada. Em relação aos mitos, o calendário lunar foi tido como um instrumento notadamente importante nas etapas de plantio e colheita de espécies vegetais como Coriandrum sativum L., Anacardium occidentale L., Vigna unguiculata (L.) Walp., entre outras. Superstições são utilizadas pelos moradores locais, como estratégia suplementar no manejo das plantas. Além disso, constatou-se que a população tem mantido a tradição dos rituais religiosos, apesar de ter detectado pouco envolvimento no empenho de sua realização. Conclui-se que os quintais rurais das comunidades asseguram a oferta e a disponibilidade de alimentos; que os quintais das duas comunidades são correlatos entre si e que a estruturação pode ser influenciada pela socioeconomia e uso potencial. O cultivo de especiarias é uma prática remota, notadamente marcada pela sua singularidade, tanto em produção quanto em manutenção. As hortaliças contribuem para o complemento nutricional das famílias, sendo igualmente usufruídas para acentuar o gosto e o aroma de diferentes pratos, além de atuar como fitoterápicos em virtude dos princípios ativos que as compõem. Na comunidade Buritirana há a crença em lendas, bem como saberes populares referentes a mitologias. Simpatias aprendidas com os mais velhos ainda estão sendo usadas na localidade estudada. A população tem mantido a tradição dos rituais religiosos. Contudo, os quintais estudados transpareceram-se dinâmicos, por se delinearem frente a aspectos estéticos, sociais, econômicos, simbólicos, culturais e ecológicos.

  • JOSÉ MARIA MARQUES DE MELO FILHO
  • Alterações sociais e ambientais decorrentes de projeto de intervenção urbana: uma análise sobre a implantação do rodoanel em Teresina – PI
  • Orientador : ANTONIO CARDOSO FACANHA
  • Data: 06/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O processo de urbanização brasileira teve seu apogeu com intensificação do processo de industrialização do país, influenciada, principalmente, pela política desenvolvimentista da década de 1950, durante o governo de Juscelino Kubitschek. Com a construção deste cenário econômico favorável, as indústrias difundiram-se pelo país, em consequência, houve uma maior demanda por infraestrutura urbana, visto que a grande maioria do contingente populacional passou a residir nas cidades. Muito embora, no início da década de 1990, o Brasil tenha apresentado uma nova realidade para tratar do planejamento urbano de forma mais democrática e participativa, temos ainda recorrentes deficiências. E quanto à questão ambiental frente ao planejamento da expansão urbana das cidades, os mecanismos de suporte e fiscalização, bem como as diretrizes para sua execução acabam sendo encarados, como simples cumprimento de ações burocráticas. Sendo assim, Partindo desses pressupostos, a presente pesquisa tem como questionamento orientador: Quais os desafios enfrentados na implantação de obras de infraestrutura viária, como é o caso do rodoanel de Teresina, buscando conciliar a expansão da cidade e a preservação ambiental? O objetivo geral desta pesquisa visa analisar as alterações sociais e ambientais decorrentes da implantação do rodoanel em Teresina, dando ênfase nas discussões sobre o processo, as ações na gestão da obra e os limites do planejamento urbano adotado pelo poder público. Sendo assim, a metodologia empregada para a realização dessa pesquisa consistiu nas seguintes etapas: 1) levantamento bibliográfico da literatura básica referente aos conteúdos de geografia urbana, o estudo das cidades, planejamento e gestão urbana, e o sobre a questão ambiental.  2) análise documental de registros oficias sobre o processo de expansão urbana da cidade de Teresina. 3) pesquisa de campo para caracterização e espacialização da área pesquisada. Por meio das análises realizadas percebeu-se que a implantação do rodoanel de Teresina foi realizada sem que houvesse, em muitos casos, uma maior atenção para as alterações ambientais decorrentes de sua instalação, e as medidas de planejamento e gestão apresentaram falhas na execução de suas ações. A partir dessa pesquisa constata-se que as deficiências apresentadas na elaboração e execução da obra rodoviária afetaram consideravelmente os assentados do entorno da intervenção urbana modificando o local onde vivem. Contatou-se também  que o estabelecido e regido na teoria, deixa de ser aplicado na prática. Quanto ao aspecto ambiental frente à expansão da cidade, as medidas tomadas para a sua mitigação revelam a fragilidade na adequação para a realidade e peculiaridades da obra em análise.

  • CRISTIANA DE SOUSA LEITE
  • ÍNDICE DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA SALAS DE AULA DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 01/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • A sustentabilidade deve ser buscada por todas as organizações, principalmente pelas Instituições de Ensino Superior (IES), em razão de seu grande alcance e influência sobre a sociedade e o mercado de trabalho, além da educação ser a principal ferramenta para o desenvolvimento sustentável. O Governo Federal determinou que as instituições vinculadas à administração pública federal, entre elas as IES, elaborem e executem Planos de Gestão de Logística Sustentável (PLS) que sirvam como guias para práticas sustentáveis em pelo menos sete eixos temáticos, dentre os quais está a energia elétrica. Este insumo é o que apresenta maior impacto socioambiental em IES multicampi, sendo necessário ações que visem minimizar seu consumo e indicadores que permitam seu melhor gerenciamento. Uma das medidas para a eficiência energética é a etiquetagem das edificações, obrigatória desde 2014 para os prédios construídos ou reformados com recursos da União e possível através do atendimento aos Regulamento Técnico da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviço e Públicas (RTQ-C), classificando-as do nível A (mais eficiente) ao E (menos eficiente). Estes requisitos focam na melhoria da infraestrutura das edificações, mas não consideram o uso dos ambientes. Este trabalho tem, assim, como objetivo geraldesenvolver um índice que considere o uso do ambiente na avaliação da eficiência energética de salas de aula de IES, utilizando a Universidade Federal do Piauí (UFPI) como objeto de estudo. Para tanto, levantou-se as legislações vigentes que exigem a aplicação de eficiência energética em instituições de ensino e os PLS publicados por IES Federais, a fim de verificar as boas práticas adotadas por elas. Elaborou-se a Taxa de Utilização das Salas de Aula (TUSA), ferramenta que permitiu comparar o tempo de uso com o de disponibilidade das salas. Desenvolveu-se o Indicador de Uso do Ambiente (IUA), baseado no RTQ-C, que avalia a ocupação das salas a partir da quantidade de usuários, e relacionou-o com a eficiência energética dos sistemas de iluminação e climatização dessas salas, criando-se o Índice de Consumo Médio Relativo de Energia (ICMRE), o qual permite que a IES classifique suas salas, permitindo a identificação de quais ambientes precisam mais de intervenção para que possa priorizar seus investimentos. Além disso, definiu-se uma amostra probabilística das salas de aula da UFPI com 95% de precisão e estratificada por Centro de Ensino, na qual foram coletados dados que permitiram validar os indicadores e índice criados por sala, Centro e para a IES como um todo. Na UFPI, identificou-se baixos índices de eficiência com o ICMRE, com grande influência do IUA, refletindo a necessidade de serem executadas ações que visem a melhoria do índice de eficiência energética da IES. Sugeriu-se então, intervenções nas salas de aula utilizando como base as que apresentaram o melhor e o pior ICMRE, as quais permitiriam uma redução estimada de até 17% na energia consumida pelos sistemas de iluminação e climatização das salas e de 718,86 kg na emissão de dióxido de carbono resultante da geração e consumo de eletricidade, além de uma redução de até 60% no consumo per capita. Propôs-se, então, que estes indicadores e índice sejam inseridos no PLS e no Sistema Acadêmico das IES, para que possam ser acompanhados pela comunidade acadêmica, visando melhorar os índices de sustentabilidade das instituições e minimizar os impactos socioambientais resultantes do uso da energia. Ademais, sugeriu-se que trabalhos futuros foquem na viabilidade econômica das melhorias apresentadas, na validação dos índice e indicadores a partir da medição de energia e em índices semelhantes para outras áreas das IES, bem como outras organizações, uma vez que a melhoria do desempenho ambiental deve ser objetivo de todos.

  • TONY CÉSAR DE SOUSA OLIVEIRA
  • DIVERSIDADE TAXONÔMICA, FUNCIONAL E USO DE ESPÉCIES VEGETAIS EM UMA ÁREA PRO-PRETÉRITA DE CERRADO RUPESTRE SOB INFLUÊNCIA DO CÂNION DO POTI, NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 12/01/2018
  • Mostrar Resumo
  • As pesquisas voltadas para a biodiversidade, têm analisado a diversidade
    biológica em todos os níveis e processos, buscando entender os fatores que
    levam a uma configuração, distribuição, quantificação e uso. No Brasil, um dos
    maiores centros de biodiversidade é o cerrado, presente em quatro das cinco
    regiões do país incluindo o Piauí, que apresenta uma rica diversidade. Uma das
    tipologias de cerrado presente no Piauí é o rupestre setentrional de baixa altitude
    do Nordeste. Parte dessa fitofisionomia, será afetada com a Construção da
    Barragem de Castelo, pois uma vez construída, não será possível observar as
    características originais dessa vegetação. Baseado nisso objetivou-se nesse
    estudo, analisar e comparar a composição, riqueza, diversidade, estrutura,
    funcionalidade ecológica e o uso de uma vegetação pro-pretérita de cerrado
    rupestre de baixa altitude no município de Castelo do Piauí. A amostragem da
    vegetação foi realizada através do Protocolo de Avaliação Fitossociológica
    Mínima (PAFM). Os parâmetros fitossociológicos da estrutura da comunidade
    foram obtidos através dos Softwares R e Mata Nativa, a comparação de
    diversidade taxonômica foi realizada através da série de Hill e o uso das espécies
    foi diagnosticado através de entrevistas com a comunidade local, sendo testado
    posteriormente a hipótese de aparência ecológica. Também foi analisada a
    percepção ambiental dos moradores em relação ao ambiente que será inundado,
    sendo estes dados analisados através do software Iramuteque. Para analisar a
    diversidade funcional, foram mensurados seis traços funcionais e aplicou-se o
    teste t para verificar se houve diferença entre valores das características
    funcionais entre ambientes. A diversidade de função entre as áreas foi calculada
    utilizando os índices: riqueza funcional, equitabilidade funcional e divergência
    funcional. A vegetação apresentou uma estrutura semelhante as outras áreas de
    cerrado rupestre de baixa altitude, porém diferenciou-se das áreas de cerrado
    rupestre de cotas altimétricas elevadas do Planalto Central. No levantamento
    fitossociológico apresentou 32 espécies com 29 gêneros pertencentes à 15
    famílias. A Qualea parvilflora, foi a espécie com maior densidade, dominância e
    frequência. Em relação aos usos econômicos das espécies, 73.7% das espécies
    encontradas no levantamento são uteis para a comunidade e a categoria
    madeireira foi a de maior destaque. A hipótese da aparência ecológica
    demonstrou uma relação negativa entre o uso e alguns parâmetros
    fitossociológicos. Observou que dentre as áreas estudadas o turnover vem
    atuando causando uma sobreposição de espécies. O estudo demonstrou ainda
    que a área que será inundada é uma das mais rica em número de indivíduos, a
    segunda mais rica taxonomicamente dentre os cerrados rupestres comparados,
    e possui características funcionais particulares, possuindo a maior diversidade
    funcional. Esse estudo demonstrou que essa fitofisionomia para o estado do
    Piauí é bastante importante devido a sua fragilidade, diversidade e
    funcionalidade, possuindo um grande número de espécies com potencial de uso
    atual e futuro. Além disso, observou-se que os atores sociais possuem um
    grande vínculo afetivo com essa comunidade, demonstrando um processo ativo
    de territorialização.

2017
Descrição
  • ANA CLÁUDIA SILVA CARVALHO
  • Qualidade de Vida: o acesso ao transporte público – ônibus – em Teresina-PI, como instrumento de autonomia para idosos
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 13/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • Discussões sobre qualidade de vida e terceira idade estão crescendo devido ao aumento do número da população idosa no mundo, e compreender o processo de envelhecimento em vários aspectos, inclusive o do meio ambiente físico em que os idosos vivem, torna-se relevante. Pensando na promoção da qualidade de vida dos idosos, muitos programas de saúde e educacionais estão voltando-se para acolher essa demanda, e nesse contexto, as Universidades Abertas à Terceira Idade se destacam. Surge novo perfil de idoso, o qual é ativo no processo de envelhecimento e tem capacidade para desempenhar suas funções e potencialidades. Nesse sentido, emerge o questionamento: qual a avaliação que os idosos fazem do transporte público - ônibus – utilizado para o deslocamento de suas casas até as Universidades Abertas à Terceira Idade? Partindo desse questionamento, esse trabalho tem como objetivo analisar como as condições de mobilidade urbana mediada pelo transporte público – ônibus -  interfere na qualidade de vida dos idosos quanto à sua autonomia de locomoção, que frequentam a UNATI-PI, com idade a partir de 60 anos. Buscou-se identificar os locais, frequência e percepção das condições de deslocamento dos idosos, com ênfase para a UNATI-PI; mapear os trechos das linhas de ônibus utilizados pelos idosos para o deslocamento até a UNATI-PI, segundo os indicadores do formulário de qualidade dos transportes públicos adaptado de Ferraz e Torres; e avaliar a percepção do risco e das consequências de queda por parte dos idosos frequentadores da UNATI-PI. Este trabalho foi desenvolvido em duas partes. A primeira é composta por Introdução, Revisão Bibliográfica, Metodologia Geral e Referências, e a segunda, em forma de artigos, onde estarão os resultados. Concluiu-se com esta pesquisa que os locais que os idosos que deslocam-se para a UNATI-PI de ônibus frequentam, além da UNATI-PI são:  em primeiro lugar, locais que oferecem serviços comerciais, como banco, centro e feiras; em segundo, locais destinados a lazer: shoppings, visitas a familiares e amigos, participação em grupos de atividades físicas, centros de convivência, atividades do Serviço Social do Comércio - SESC, festas e clube; e em terceiro lugar, também com expressiva frequência, são as Igrejas. Os demais locais, como, serviços médicos, de saúde mental e trabalho, também foram mencionados. Sobre a percepção dos idosos acerca dos indicadores de qualidade de transporte público mais importantes, o estado da vias foi o critério mencionado mais vezes como importante, com 18% da amostra, seguido do comportamento dos operadores, frequência dos atendimentos e tempo de viagem, ambos com 14%. O critério confiabilidade, que refere-se ao cumprimento dos horários pelas empresas de ônibus, de acordo com Ferraz e Torres (2004), e representou 11% da amostra. O transporte coletivo ônibus é muito utilizado por idosos, seja por questões financeiras ou por facilidade de locomoção. Porém, o mesmo deixa muito a desejar quanto a satisfação das necessidades pessoais do grupo etário, assim como também, nas necessidades básicas para que se adeque as necessidades impostas pela idade da amostra.

     

  • MARINA FREIRE MIRANDA
  • QUALIDADE AMBIENTAL DE ESPAÇOS LIVRES DE USO COMUM EM CONJUNTOS HABITACIONAIS DE INTERESSE SOCIAL
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 28/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • A partir da década de 1950, o Brasil sofreu um intenso um processo de urbanização, devido à migração da A partir da década de 1950, o Brasil sofreu um intenso processo de urbanização, devido à migração da população do campo para as cidades em busca de melhor qualidade de vida, aumentando a demanda por água, energia, alimentos, transporte e moradias. Contudo, esse crescimento se deu de forma desordenada, trazendo inúmeras consequências ambientais. Nesse contexto, os conjuntos habitacionais de interesse social são concebidos em locais afastados dos centros, carentes de infraestrutura para atender a essa população e, também, sem levar em conta as características ambientais de cada lugar. Apesar da obrigatoriedade da reserva de 10% da área total desses conjuntos para as áreas verdes, observa-se que, em geral, as áreas destinadas a esse fim não são concebidas de modo a oferecer conforto e lazer aos seus usuários, visando apenas atender às exigências legais. Devido à importância das áreas livres para a melhoria ambiental e para a prática de atividades recreativas e convívio social, o presente trabalho tem como objetivo analisar a qualidade ambiental dos espaços livres de conjuntos habitacionais de interesse social, sob a luz do projeto e da legislação urbana, verificando sua importância na promoção do bem-estar e integração social de seus usuários, tendo como enfoque a cidade de Teresina, Piauí. A metodologia adotada consiste de pesquisa bibliográfica, mapeamento dos conjuntos habitacionais de interesse social em Teresina, coleta de documentos e comparação com os registros pós-ocupação, pesquisa de campo, mapeamento e cálculo das áreas verdes nos conjuntos e levantamento quali-quantitativo dos equipamentos e estruturas existentes. Os resultados da pesquisa confirmam que os conjuntos habitacionais de interesse social em Teresina são implantados em locais periféricos, priorizando o baixo custo da terra, cujos espaços livres não possuem infraestrutura e equipamentos que favoreçam o uso, privando seus moradores de locais para convivência e lazer. Os resultados do estudo proposto constituem uma contribuição para a discussão da importância dos espaços livres de uso comum na qualidade de vida da população e fornecerão subsídios para a elaboração de projetos de espaços livres com mais qualidade, nos aspectos de funcionalidade, estética e conforto, bem como em obediência às legislações pertinentes.

  • DEIMES DO NASCIMENTO GOMES
  • REINTRODUÇÃO DE AVES SILVESTRES: ECOLOGIA E UMA ABORDAGEM ETNOORNITOLÓGICA NO MUNICÍPIO DE CAXINGÓ, PIAUÍ
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 17/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • Reintrodução de aves surge como uma ferramenta útil na manutenção de espécies, principalmente aquelas ameaçadas de extinção pelo comércio ilegal de animais silvestres.O objetivo geral foi realizar a reintrodução e monitoramento dos espécimes coletados pelo IBAMA e das espécies nativas presentes na área de estudo, assim definir metas e evitar perdas de espécies; quanto aos objetivosespecíficos, realizou-se o inventário da avifauna local,registro dos saberes etnoornitologicos e ambientais da comunidade e dos alunos do ensino fundamental do entorno das áreas de soltura, município de Caxingó/PI. O estudo foi conduzido no município de Caxingó/PI, situado na microrregião do Litoral Piauienseem duas áreas de fazenda destinadas à soltura de aves pelo IBAMA, sendo uma contando com 350 ha, Santo Antônio e Alto dos Borges com cerca de 750 ha. A vegetação é representada por transições vegetal caatinga/cerrado. O presentetrabalho foi submetido àapreciação do Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba. A técnica empregada para o levantamento das aves foi o ponto de escuta. O monitoramento foi realizado por meio das técnicas de transectos com inserção de ponto de escuta na área de estudo. O registro dos saberes etnoornitologicos e ambientais da comunidade e alunos, proseguiu com a aplicação na comunidade de formulários, que consiste em uma ferramenta de questões enunciadas como perguntas, em que o entrevistador estimula o entrevistado; aplicaçãode questionários semi-estruturados aos alunos, esta ferramenta difere do formulário, pois esta é respondida pelo entrevistado. A Amostra da comunidade consistiu em 51 indivíduos, já para o registro das atividades na escola utilizou-se de uma amostra de 74 alunos. Foram reintroduzidos 136 indivíduos pertencentes a 12 espécies. O levantamento registrou um total de 197 espécies de aves nas duas áreas. Os moradores relataram 95 etnoespécies pertencentes a 35 famílias. Os resultados permitiram através das percepções sobre o meio ambiente de alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, apontar na sua grande maioria para uma percepção naturalista, no entanto notou-se através de alguns dos indivíduos pesquisados que esta percepção naturalista não está tão desligada do contexto social, econômico, politico e cultural.

  • SANNY MARIA DOS MILAGRES GARCIA DO NASCIMENTO
  • Implementação das Diretrizes para o Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do Plano Diretor de Teresina no período de 2010 a 2016.
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 30/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • A elaboração de diretrizes que promovam o crescimento econômico e, ao mesmo tempo reduzam as pressões sobre o meio ambiente, tem sido o grande desafio para o planejamento de cidades no século XXI. O Plano Diretor (PD), definido como principal instrumento de planejamento urbano, pela Constituição Brasileira de 1988, e regulamentado pelo Estatuto da Cidade, em 2001, passou a atuar como orientador dos demais mecanismos de planejamento das cidades brasileiras. Esse estudo examinou as diretrizes de desenvolvimento econômico e meio ambiente do quinto PD do município de Teresina, capital do Estado do Piauí, o Plano Diretor Teresina Agenda 2015, no período de 2010 a 2016. Para tanto, foram selecionadas 30 diretrizes que recaem diretamente sobre o crescimento econômico e meio ambiente, sendo examinada a sua compatibilidade com o modelo de desenvolvimento sustentável e verificada a sua implementação, por meio de instrumentos regulatórios, econômicos e orçamentários. Para o cumprimento da análise, as diretrizes foram agrupadas em 12 blocos temáticos destinados à construção de um checklist quanto aos atendimentos desses temas pelos instrumentos selecionados. Os resultados mostraram que as diretrizes são compatíveis com o modelo de desenvolvimento sustentável, tendo sido identificado como fato determinante para essa articulação o fato de o PD ser oriundo de um plano de ação da Agenda 21 Local do município, elaborado em 2002. Quanto à execução, os resultados apontaram para o predomínio na legislação municipal de instrumentos do tipo regulatórios, quando comparados com a quantidade de instrumentos do tipo econômico, priorizando temáticas como a promoção de atividades e segmentos econômicos estratégicos para o município. Quanto a recursos, a verificação das peças orçamentárias dos exercícios 2014, 2015 e 2016 revelaram que se manteve no orçamento essa priorização, ao serem identificadas metas setoriais para todas os blocos temáticos que impulsionam o crescimento econômico e a ausência de metas setoriais para assuntos como esgotamento sanitário, poluição do ar e conservação dos rios. Em relação à execução do orçamento, os resultados indicaram que, em média, 20% do orçamento de ambas as dimensões foi executado no período analisado. No entanto, o poder público municipal destinou algum recurso para mais de 90% do programa de trabalho proposto para o meio ambiente nessa execução, utilizado em projetos/atividades como criação de parques ambientais, arborização da cidade e limpeza urbana (varrição e capinação), enquanto que para a dimensão econômica, 55% do plano de trabalho proposto não teve execução financeira. Concluiu-se que as diretrizes selecionadas foram implementadas parcialmente até o ano de 2016, com o atendimento de temáticas que versam sobre a promoção de atividades produtivas, fomento de pequenos negócios, arranjos produtivos locais, além de zoneamento ambiental, áreas verdes e gestão de resíduos sólidos do município. O diagnóstico dos resultados revelou que a articulação entre as diretrizes do PD promoveram a elaboração de instrumentos que possibilitaram planejar a cidade sob a perspectiva do estilo de desenvolvimento sustentável, embora não garantam a efetividade de construção de uma cidade sustentável.

  • FELIPE SOUSA QUEIROZ BARBOSA
  • CONHECIMENTO, DEPENDÊNCIA E POTENCIAL DE USO DE PLANTAS MEDICINAIS EM COMUNIDADE NO NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 22/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • Durante o desenvolvimento da civilização humana, a relação entre o homem e as plantas sempre assumiu um caráter de interdependência, além delas terem sido decisivas na formação das populações no mundo, que  convivem ou conviveram com uma grande diversidade de espécies vegetais, desenvolvendo maneiras particulares de explorá-las para distintas finalidades, usando-as como alternativa de sobrevivência. Em comunidades rurais, a literatura muitas vezes atribuià existência de uma gama de plantas,exóticas ou nativas, que assumem a função de produtos que suprem as necessidades terapêuticas primárias destas populações, sendo por muitas vezes a única alternativa encontrada pelas pessoas.Na presente pesquisa,objetivou-se compreender a dinâmica da utilização de plantas medicinais e a dependência terapêutica exercida junto aos moradores da comunidade Corredores, localizada no município de Campo Maior, Piauí, Brasil. Como ferramentas metodológicas foram realizadas entrevistas semiestruturadas, listagem livre e turnês-guiadas; quantitativamente foram usados o Fator de Consenso dos Informantes (FCI) e a Importância Relativa (IR). A coleta botânica seguiu o preconizado por metodologia usual e todo material botânico foi depositado no Herbário Graziela Barroso (TEPB) da Universidade Federal do Piauí (UFPI).Do total de 35 entrevistados, 76,5% eram do gênero feminino. Registraram-se 44 espécies, distribuídas em21 famílias, sendo 54,6%consideradas nativas no país.  As famílias mais representativas em número de espécies foram: Fabaceae (5) e Euphorbiaceae/Anacardiaceae (3 cada). A espécie vegetal de maior importância relativa foi o mastruz (Chenopodium ambrosioides L.), com IR=2. Neoplasias (C00-D48) foi o sistema corporal de maior consenso para os moradores da comunidade, com FCI = 1,0. A rápida propagação de Morinda citrifolia L., popularmente conhecida como none, pode ser atribuída a este resultado. As doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas (E00-E90) e as doenças do aparelho circulatório (I00-I99), apresentaram os dois menores consensos entre os informantes, 0,25 e nulo, respectivamente. Os resultados permitiram inferir que dependência terapêutica pode estar relacionada com a condição sócio-econômica e com a gravidade das doenças citadas pelas pessoas.
    Palavras-chave: etnobotânica, farmacopeia popular, etnomedicina, conhecimento tradicional
  • ERICA CECILIA DE SOUSA SOARES
  • Desenvolvimento urbano sustentável - uma visão do Programa Lagoas do Norte, Teresina, Piauí
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 12/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • As transformações espacial, social, econômica e ambiental, ocasionadas pela urbanização, tornaram-se objeto de preocupação e posteriormente geraram propostas de ações e intervenções, baseadas na compreensão do meio ambiente urbano, a partir de metodologias como o Desenvolvimento Urbano Sustentável. Teresina, capital do Piauí, assim como a maioria das cidades, apresenta altos preços da terra urbana servida de infraestrutura, dificultando, portanto, sua aquisição e resultando na ocupação de áreas irregulares e de risco, por parte da população mais pobre. Em atendimento ao Estatuto da Cidade, diversos programas passaram a ser desenvolvidos pela Prefeitura de Teresina, visando cumprir as diretrizes propostas na Teresina Agenda 2015. A criação do Programa Lagoas do Norte (PLN), propõe um conjunto de intervenções em 13 bairros da Zona Norte de Teresina, localizados na confluência dos rios Parnaíba e Poti, a partir de melhorias urbanas, da promoção do desenvolvimento socioeconômico e também ambiental. O PLN adquiriu uma abrangência para além da cidade de Teresina, entretanto, localmente, ainda existem muitas resistências e conflitos, entre moradores e prefeitura. A investigação do processo de implantação do PLN é importante para elucidar os motivos da contradição e, ao mesmo tempo, identificar os pontos positivos e negativos do PLN. Os questionamentos norteadores da pesquisa foram: O Programa Lagoas do Norte possui elementos do Desenvolvimento Urbano Sustentável? O Programa Lagoas do Norte apresentou transformações positivas para a cidade de Teresina? O objetivo geral da pesquisa foi analisar os sistemas, processos e produtos envolvidos na implantação da primeira fase do Programa Lagoas do Norte, à luz do Desenvolvimento Urbano Sustentável. A pesquisa realizada procurou compreender, como as cidades, os problemas urbanos, planejamento e gestão urbanos, e seus produtos se relacionam e se influenciam, a ponto de determinarem as diferentes configurações físicas e sociais que as cidades podem apresentar, a partir de intervenções urbanas implantadas. Utilizando como norteador, o Desenvolvimento Urbano Sustentável, e também, a proposta de análise de processos e produtos, analisou-se o processo de construção e execução do PLN, procurando encontrar elementos de planejamento urbano e sustentabilidade. A metodologia escolhida para realizar a pesquisa, abrangeu os princípios do Desenvolvimento Urbano Sustentável, contemplando na revisão bibliográfica, os temas – desenvolvimento espacial, estrutura urbana, urbanismo sustentável e habitação urbana, definindo-se assim as bases das análises. A partir de estudos referentes ao planejamento urbano e espacial de Teresina, as origens do PLN foram identificadas. A investigação sobre as regras urbanas, legislação, governança urbana e finanças urbanas, bem como a influência do maior órgão financiador do Programa, permitiu identificar e compreender as decisões tomadas pelo PLN e como essa relação influenciou os produtos. Analisando-se os requisitos ambientais, sociais, de governança e das habitações urbanas identificou-se os produtos do PLN e a relação destes com o Desenvolvimento Urbano Sustentável. Sobre o Desenvolvimento Urbano Sustentável, o PLN conseguiu contemplar alguns elementos, representados pelas melhorias no saneamento, nas condições habitacionais e ambientais, também, ao promover transformações na gestão pública, e de inserir a sustentabilidade na legislação, nas diretrizes, projetos e ações. Entretanto, outros elementos foram suprimidos ou ganharam um destaque menor, em especial os de cunho social, identificados pelos inúmeros conflitos entre moradores e Prefeitura, além de menores investimentos de recursos financeiros nessa área.

  • MARIELLY IBIAPINA MASCARENHAS
  • A ARQUITETURA DE TERRA NO CONTEXTO DA SUSTENTABILIDADE: análise de construções em Piracuruca-Piauí
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 28/04/2017
  • Mostrar Resumo
  • O contexto atual impõe que a preocupação ambiental seja assunto recorrente levando a questionamentos éticos e práticos sobre as responsabilidades de cada um em relação ao ambiente natural. Dentre estas responsabilidades, destaca-se a interferência causada pelas construções humanas no meio ambiente. A partir das décadas de 1960 e 1970, a preocupação com o meio ambiente aumentou e foi impulsionada pelas mudanças climáticas e pelos alertas feitos, a exemplo do Relatório Brundtland que abordou temas como sustentabilidade e desenvolvimento sustentável, inevitavelmente, estimulando a elaboração de novos conceitos inter-relacionados como o de arquitetura sustentável e arquitetura vernácula, ligados à edificações de baixo impacto no meio ambiente e adaptadas ao clima e realidade locais, trazendo ainda uma representação cultural e de valor das tradições de um povo. Um dos materiais mais antigos do mundo e que está ligado a estes conceitos é a terra, que pode ser encontrada no patrimônio cultural de Piracuruca, Piauí, reconhecido como Conjunto Histórico e Paisagístico, pelo IPHAN, em 2012. O estudo questiona a possibilidade da arquitetura de terra de Piracuruca possuir características sustentáveis e aponta como hipótese a sustentabilidade do patrimônio em terra existente no município. Nesse viés, objetivou-se a análise das características da arquitetura de terra de Piracuruca relacionadas à sustentabilidade e, especificamente, o estabelecimento de panorama da arquitetura de terra do município; a identificação de características do patrimônio relacionadas ao paradigma da sustentabilidade, identificação de patologias presentes e análise das dificuldades inerentes à manutenção do patrimônio cultural local. A metodologia aplicada no estudo quantitativo-qualitativo envolve procedimentos técnicos de pesquisa bibliográfica, consulta a dados do IPHAN, visitas a campo, registros fotográficos e elaboração de gráficos de compilação dos dados atuais. Foi observada a predominância da técnica do adobe, dentre as edificações em terra existentes e a predominância do uso residencial, bem como uma redução do patrimônio em terra entre os anos de 1997 e 2016, além de inúmeras patologias nos imóveis estudados, as quais relacionam-se à perda do “saber-fazer” em terra, à falta de preservação, manutenção e a dificuldades de relacionamento entre proprietários e órgãos de preservação. Tal situação deflagra fragilidades da face sustentável de preservação do patrimônio em terra de Piracuruca.

     

  • TASSIO MARCILIO FRANCISCO GOMES
  • USO TRADICIONAL DE PLANTAS MEDICINAIS EM COMUNIDADE RURAL DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 20/04/2017
  • Mostrar Resumo
  • Ao longo da história da humanidade, sempre existiu estreita relação entre o homem e as plantas, vinculada diretamente à sobrevivência, com papel decisivo na formação das populações no mundo. Nas comunidades tradicionais, assim como nas comunidades rurais, existe grande acervo de plantas nativas e cultivadas, que fornecem variados subprodutos que que açém de suprir as necessidades primárias dos habitantes dessas áreas, apresenta relevantes propriedades terapêuticas. O grande número de estudos ligados ao uso das plantas medicinais tornou a Etnobotânica, ramo de estudo da Etnobiologia, campo de interesse do meio científico, tanto pelo seu caráter holístico, interdisciplinar, como pela necessidade de compreender as nuances da inter-relação entre plantas e pessoas de culturas viventes. Objetivou-se levantar as espécies de uso terapêutico na comunidade rural Bezerro Morto, município de São João da Canabrava, região ecotonal do semiárido sul piauiense, Nordeste do Brasil, avaliando a sua importância, manipulação dos fitoterápicos, indicações de uso, versatilidade das plantas, bem como a existência de evidências de suporte da hipótese da Diversificação, além de identificar modelos de compartilhamento de conhecimentos tradicionais aplicados na comunidade. Realizaram-se entrevistas semiestruturadas com 24 informantes-chaves, maiores de 18 anos em 41 excursões a área de pesquisa, e paralelamente, efetuaram-se turnês-guiadas para coleta das plantas citadas, culminando na obtenção dos índices de Importância Relativa (IR), e do Valor de Uso (VU), com a distinção entre VUpotencial e VUatual. Identificaram-se 25 espécies, distribuídas em 23 gêneros, pertencentes a 18 famílias botânicas, nas quais foram descritas 34 indicações terapêuticas, em sua maioria, feitas por mulheres (62,5%) e agricultores. Quanto ao status, 52,8% foram de plantas exóticas. Com 10 citações a erva-cidreira (Lippia alba (Mill.) N. E. Br. ex P. Wilson) foi a espécie mais frequente nos relatos, assim como a família que mais se destacou foi Lamiaceae. Dentre as partes utilizadas a folha foi a mais citada 54,1%; plantas de hábito herbáceo foram mais usadas 34,8%, seguidas de subarbustos 25%, e árvores 19,4%. O chá (infuso) constitui-se a forma dominante de uso com 59,8%, e 97,2% destas utilizações representam recursos recém-coletados. A espécie que atingiu o maior valor de IR foi o quebra-pedra (Phyllanthus niruri L.) com IR=2,00, sendo que o maior VUatual=0,71 foi da erva-cidreira (Lippia alba (Mill.) N. E. Br. ex P. Wilson). Para o maior VUpotencial=0,08, a babosa (Aloe vera (L.) Burm. f.) e o quebra-pedra (Phyllanthus niruri L.) se sobressaíram. As maiores indicações de uso das plantas foram para gripe (15) e má digestão (12), e os sistemas corporais mais tratados foram o digestório (24) e respiratório (18). O compartilhamento do conhecimento no grupo familiar ocorre com base no modelo vertical (58,3%), apesar do intercâmbio intercultural, no entanto, a introdução de plantas não deve ser interpretada como a deterioração ou a aculturação do conhecimento tradicional, porém, representa o incremento do acervo ou das possibilidades terapêuticas do sistema médico tradicional. Observou-se pequena diversidade de espécies, porém, com o acúmulo do estoque de conhecimento das plantas, em que prevalecem as plantas exóticas, as quais possibilitam o incremento do espectro de saberes por serem utilizadas em doenças não ou pouco reativas às nativas, apoiando a hipótese da diversificação. As doenças mais tratadas com o uso de plantas medicinais são aquelas negligenciadas como comuns e causadas pela ineficiência das condições de saneamento básico e das práticas de higiene pessoal e da alimentação.

  • DEIMES DO NASCIMENTO GOMES
  • REINTRODUÇÃO MONITORADA DE AVES SILVESTRES APREENDIDAS PELO IBAMA
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 17/04/2017
  • Mostrar Resumo
  • Reintrodução de aves surge como uma ferramenta útil na manutenção de espécies, principalmente aqueles ameaçadas de extinção, devido a vários fatores externos, caso dos antrópicos como o tráfico de animais silvestres e a deterioração do meio ambiente. O objetivo geral foi realizar a reintrodução e monitoramento dos espécimes coletados pelo IBAMA e das espécies nativas presentes na área de estudo, assim definir metas e evitar perdas de espécies que não posteriormente poderá não se adaptar na área, e registrar os saberes etnoornitologicos e ambientais da comunidade e alunos de ensino fundamental do entorno das áreas de soltura, município de Caxingó/PI, como ferramenta de extração de dados para auxiliar futuros planos de manejo e educação ambiental. O estudo foi conduzido no município de Caxingó/PI, situado na microrregião do Litoral Piauiense. O estudo foi conduzido em duas áreas de fazenda destinadas à soltura de aves pelo IBAMA, sendo uma contando com 350 ha, Santo Antônio e Alto dos Borges cerca de 750 ha. A vegetação é representada por transições vegetais caatinga/cerrado caducifólio e floresta ciliar de carnaúba/caatinga de várzea. Além de caatinga hiperxerófila e cerrado subcaducifólio. Antes da execução do trabalho o mesmo foi submetido ao crivo do Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE: 48855115.9.0000.5669).  Para a reintrodução foram utilizadas em primeira instância as instalações do IBAMA/Teresina, após a soltura o monitoramento foi realizado por meio de caminhadas em transectos e foi implantada a técnica ponto-de-escuta na área de estudo, utilizando binóculos, lunetas, máquinas fotográficas e gravadores. O registro dos saberes etnoornitologicos e ambientais da comunidade e alunos, seguiu-se com a aplicação de formulários (adultos) e questionários semi-estruturados (alunos). Amostra da comunidade consistiu 51 indivíduos considerando uma população de 70 moradores, e para registro das atividades na escola utilizou-se de uma amostra de 74 alunos, considerando um universo de 120 aproximadamente, isto se levando em consideração regras estatísticas. As identificações das espécies reportadas por moradores e alunos, como os registros da avifauna nativa foram auxiliados com guia de campo. Foram reintroduzidos 136 indivíduos pertencentes a 12 espécies. O levantamento registrou um total de 197 espécies de aves, distribuídas em 48 famílias pertencentes a 23 ordens. Os moradores relataram 95 etnoespécies pertencentes a 35 famílias abrangendo 25 residentes e 5 residentes e endêmica . Os principais atributos para nomear as espécies foram: canto, comportamento, morfologia, habitat e antropogênico. Os resultados permitiram através das percepções sobre o meio ambiente de alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, apontar na sua grande maioria para uma percepção naturalista, no entanto notou-se através de alguns dos indivíduos pesquisados que esta percepção naturalista não está tão desligada do contexto social, econômico, politico e cultural, caso dos papagaios onde alguns alunos durante a entrevista apontaram como animal de estimação. Os resultados apresentados indicam uma elevada riqueza biológica quanto etnoornitologico com suas peculiaridades, sendo assim os dados contribuírão com futuros planos de manejo e conservação da área.

  • LILIAN DE CASTRO MORAES PINTO
  • Ecoeficiência na produção sucroalcooleira no Piauí
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 07/04/2017
  • Mostrar Resumo
  •  

    A procura por fontes alternativas de energia para substituir o uso de combustíveis fósseis evidenciou o etanol, biocombustível utilizado pelo Brasil desde 1975. Entretanto, a sustentabilidade da produção é questionada, devido aos impactos negativos causados pelo cultivo da cana de açúcar. O incentivo governamental para o crescimento do setor sucroenergético e a expansão do cultivo para regiões não exploradas do Nordeste despertaram para o estudo dos impactos ambiental e econômico dessa atividade no Piauí. Nesse sentido, questionou-se: a produção sucroalcooleira no Piauí se processa de forma ecoeficiente? Esta dissertação encerrou a hipótese de que a produção de açúcar e de álcool, por consumir grande quantidade de água e energia, emitir Gases de Efeito Estufa (GEE), gerar resíduos e requerer vastas dimensões de terra para o cultivo da matéria-prima, não se configura em uma gestão ecoeficiente. Com vistas a responder o problema e constatar ou não a hipótese, objetivou-se analisar elementos e indicadores de ecoeficiência na produção sucroalcooleira no estado do Piauí. Para tanto, especificamente, contextualizou-se historicamente o cultivo de cana de açúcar no Brasil, no Nordeste e no Piauí; circunstanciou-se a produção de álcool e de açúcar; examinaram-se indicadores de ecoeficiência de valor (lucro e quantidade do produto) e de influência ambiental (consumo de energia, emissões de GEE, geração de resíduos sólidos e uso do solo) para os processos de produção de açúcar e álcool no Piauí em 2015; e avaliou-se qualitativamente a produção sucroalcooleira no mesmo, a partir de análise interpretativa dos ecoindicadores. Como suporte teórico/metodológico deste estudo, empregou-se a norma ABNT NBR ISO 14045:2014, que envolveu Avaliação do Ciclo de Vida. Sendo assim, embasado no inventário do ciclo de vida do etanol e do açúcar no Piauí, a análise revelou que o sistema produtivo de açúcar apresentou maior ecoeficiência que o de álcool no tocante ao consumo de energia fóssil, emissões de GEE e geração de resíduos sólidos. Porém, detectou-se que o álcool foi mais ecoeficiente quanto ao uso do solo, em função do aproveitamento de resíduo do processamento da cana, o melaço, em parte do processo produtivo. Adicionalmente, evidenciou-se que todos os indicadores investigados revelaram baixo retorno financeiro, o que apontou que não obstante o reaproveitamento dos resíduos sólidos e líquidos, a produção de açúcar e de etanol no Piauí não foi ecoeficiente em 2015.

     

  • DARLANE FREITAS MORAIS DA SILVA
  • Diagnóstico florístico, fitossociológico e usos econômicos de uma área de cerrado ecotonal da planície litorânea do Piauí
  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 17/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • Os cerrados ecotonais da região setentrional do Piauí formam um complexo vegetacional heterogêneo, que apresenta uma significativa riqueza florística. Objetivou-se no presente estudo, contribuir com conhecimentos sobre a flora, a estrutura da vegetação e usos econômicos das espécies pelos moradores da comunidade do entorno, promovendo a consciência ambiental sobre a importância desse remanescente ecotonal. A pesquisa foi desenvolvida em uma área de cerrado ecotonal localizada na fazenda Mucambo Velho, adjacente a comunidade Pé-do-Morro, Município de Buriti dos Lopes, PI. O Protocolo de Avaliação Fitossociológica Mínima (PAFM) foi utilizado na amostragem da vegetação, sendo realizadas excursões ao campo para coleta de material botânico, que se encontra depositado nos acervos dos herbários TEPB da (UFPI) e UFP da (UFPE). Comparações de similaridades florísticas foram realizadas com outros levantamentos de áreas ecotonais da parte setentrional do Piauí, incorporados no banco de dados do FLORACENE, sendo realizadas também análises de solo e balanço hídrico climatológico. Entrevistas com a comunidade do entorno do cerrado ecotonal foram realizadas, com aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da UFPI, sendo diagnosticado os usos econômicos dos recursos vegetais e também a hipótese da aparência ecológica foi testada. Após essas etapas foi desenvolvido o retorno da pesquisa para a comunidade, através de um curso para promover a consciência ambiental. No levantamento florístico amostrou-se 98 espécies, distribuídas em 85 gêneros e 35 famílias. A estrutura fitossociológica apresentou-se composta por 32 espécies, 29 gêneros e 15 famílias. A diversidade de Shannon (H’) e a equabilidade de Pielou (J’) foram respectivamente 2,25 nats.ind-1 e 0,65. As relações de similaridade florística apresentaram semelhanças com os levantamentos realizados no Complexo Vegetacional de Campo Maior, PI. Em relação aos usos econômicos das espécies, a categoria madeireira foi a que mais se destacou, com a hipótese da aparência ecológica demonstrando uma relação positiva e significativa entre o uso e alguns parâmetros fitossociológicos. A vegetação dos cerrados ecotonais possuem uma flora diversificada, com padrão de manchas em mosaico, semelhante as outras áreas de tensão ecológica da parte setentrional do Piauí, sendo o conjunto de informações obtidas no presente estudo, importantes para o planejamento da conservação e uso sustentável desses remanescentes.

  • ARTHUR SEREJO NEVES RIBEIRO
  • Perigo Aviário no Aeroporto Internacional Prefeito Dr. João Silva Filho e a Percepção Deste Risco Pela Comunidade Chafariz Em Parnaíba/PI
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 06/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • Risco aviário é a presença de aves com potencial de causar danos à aeronave
    durante sua operação. As colisões entre aeronaves e aves aumentaram com o
    crescimento da indústria da aviação resultando em danos materiais significativos e
    risco às vidas humanas. O uso de etnociências é fundamental para a melhor
    compreensão da temporalidade e das influências desses empreendimentos na
    sociedade, pois o conhecimento popular tem a capacidade de complementar o
    conhecimento científico. Percepção ambiental é uma ferramenta de pesquisa
    utilizada em áreas educacionais, sociais e ambientais para ampliar a qualidade de
    vida. Objetivou-se com este trabalho identificar as espécies de aves com maior risco
    de colisão com aeronaves no Aeroporto Internacional Prefeito Dr. João Silva Filho e
    compreender a percepção da comunidade a respeito da avifauna local e do risco
    aviário. A área de estudo escolhida compreendeu: o aeroporto da cidade de
    Parnaíba/PI/Brasil e a comunidade Chafariz, localizada na área de entorno do
    aeródromo. Procedimentos de aproximação, pouso e decolagem de aeronaves
    foram monitorados de forma a observar quais espécies de aves podem causar
    algum tipo de risco. As observações ocorreram três vezes por semana de abril de
    2015 a fevereiro de 2016. Utilizaram-se binóculos para visualização e câmera digital
    para registro fotográfico além de um manual de campo para assegurar a correta
    identificação das aves. A nomenclatura e a classificação das aves seguiram a lista
    brasileira mais recente. A metodologia de análise do risco aviário se baseou na
    criação de um ranque das espécies, apontando aquelas que são mais perigosas à
    aviação com o ranque mais alto. As principais análises estatísticas foram: frequência
    de ocorrência; análise de correspondência canônica e curva do coletor, A percepção
    da população sobre as aves e dos riscos foi obtido através de formulário
    semiestruturado com participantes maiores de 18 anos e tempo de residência igual
    ou superior a dois anos na região. No aeroporto verificou-se a existência de 29
    espécies de aves que realizaram 3199 interações durante 104 voos. A atividade
    mais frequentemente observada foi o voo próximo à pista. As espécies com maior
    ocorrência foram Coragyps atratus e Vanellus chilensis enquanto as de maiores
    escores foram Athene cunicularia e Caracara plancus. As mesmas espécies também
    figuram na lista brasileira como de maior risco aviário. Os moradores da comunidade
    Chafariz identificaram 80 espécies de aves, das quais 24 foram relatadas em
    declínio populacional. Dos 52 entrevistados, 73% desconheciam atividades das aves
    que os pusessem em risco. A interação entre aves e aviões mais citada foi o voo
    próximo à pista. Além disso, há pouca visibilidade das medidas de segurança
    adotadas pela INFRAERO. A comunidade local apresenta elevado conhecimento
    sobre as aves da região, mas em sua maioria não percebe o risco que a presença
    dessas aves traz à segurança aeroportuária e, por consequência, aos moradores do
    entorno do aeroporto. Pode ser verificada a existência de espécies que representam
    risco à aviação no local, mas há possibilidade de diminuição deste risco através da
    aplicação de medidas que diminuam a atratividade do aeroporto para as aves.

  • FRANCISCO DAS CHAGAS VIEIRA SANTOS
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DO COMPLEXO EÓLICO DELTA DO PARNAÍBA SOBRE A AVIFAUNA E OS SABERES ETNOORNITOLÓGICOS NA COMUNIDADE LABINO, PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 06/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • A implantação de uma usina eólica pode gerar de forma direta e indireta, impactos sobre a fauna, em especial sobre as aves. No entanto, esse tipo de impacto é um dos temas ambientais menos estudados. O objetivo geral foi levantar as espécies de aves que ocorrem na área do complexo Eólico Delta do Parnaíba, e registrar os saberes etnoornitológicos e ambientais na comunidade Labino, município de Ilha Grande/PI, área no entorno do complexo eólico. A área amostral é composta pela área diretamente afetada pelo empreendimento (ADA), distribuída nos Municípios de Parnaíba e Ilha Grande, ambos localizados no extremo norte do Estado do Piauí. O levantamento foi quali-quantitativo, e a área de estudo teve sua extensão dividida em quatro transectos lineares de 2,5 Km, aproveitando trilhas pré-existentes. Buscou-se o aproveitamento das áreas na procura de espécies de aves consideradas menos conspícuas. Foram utilizados binóculos (10X50) e um gravador com microfone direcional. Aliado a isso, foram coletados dados por meio de entrevistas semiestruturadas com residentes locais. A amostra consistiu de 150 pessoas, 76 (51%) do sexo masculino e 74 (49%) do sexo feminino) com idades entre 18 e 87 anos. Antes da execução, o trabalho foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE 48477215.2.0000.5669). Espécies reportadas pelos entrevistados foram identificadas a nível específico, utilizando guia de campo e a lista de aves brasileiras do Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. A riqueza de espécies estimada para o complexo eólico foi de aproximadamente 218 espécies, segundo o estimador Jackknife de Primeira Ordem (Jack1), ao passo que a riqueza observada foi de 186, demonstrando que aproximadamente 55% das espécies presentes na área foram registradas empregando as técnicas descritas para este estudo, ou seja, apenas 15% das espécies de aves ainda não foi registrado pelos métodos aplicados. A maioria das espécies registrada é residente, insetívora, apresenta baixa sensibilidade a alterações ambientais e não são associadas a ambientes florestais. Segundo entrevistados, na área de estudo ocorrem 97 espécies de aves pertencentes a 21 ordens e 40 famílias. Homens conhecem mais espécies da avifauna local do que as mulheres. Um percentual bastante representativo (n=68;45%) dos entrevistados reportou o consumo de aves nativas. Aramides cajaneus, Columbina squammata e Zenaida auriculata foram as espécies mais importantes, caçadas para fins de alimento. Um total de 48 espécies foram percebidas como tendo suas populações reduzidas nos últimos anos, principalmente Aramides cajaneus, Cacicus cela, Icterus jamacaii, Mimus gilvus, Turdus rufiventris entre outras. A retirada da vegetação foi a atividade realizada pelo complexo eólico que ofereceu maior impacto para as aves da região (n=111;74%). Os resultados indicam um baixo impacto causado pelo empreendimento na área de estudo, considerando a riqueza de aves registrada, e poderão fornecer estratégias que permitam a conservação biológica e cultural da avifauna regional.

  • FRANCYNARA PONTES ROCHA
  • DIVERSIDADE DE OOMICETOS (OOMYCOTA) E PERCEPÇÃO SOCIOAMBIENTAL DE PESCADORES DA BARRAGEM DO BEZERRO, JOSÉ DE FREITAS – PIAUÍ
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 23/02/2017
  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta pesquisa objetivou relatar a diversidade e distribuição de oomicetos na Barragem do Bezerro, José de Freitas, Piauí, com enfoque nos táxons com potencial patogênico e analisar a percepção socioambiental de pescadores do entorno da Barragem. Coletou-se amostras de água e solo, trimestralmente de Novembro/2015 a Novembro/2016, e em laboratório aplicou-se a técnica de iscagem múltipla. Para avaliar a distribuição dos organismos, utilizou índices ecológicos. Entrevistas com pescadores do entorno da barragem, foram realizadas, com auxílio de formulário semiestruturado, devidamente aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFPI (CAAE: CAAE/ 581 293 16.1. 0000.5214), que serviu de base para a delimitação do perfil da percepção dos pescadores. Foram identificados 20 táxons distribuídos em sete famílias: Leptolegniaceae (Plectospira myriandra Drechsler, Plectospira agama Drechsler, Leptolegniella Keratinophila Huneycutt), Myzocytiopsidaceae (Myzocytiopsis zoophthora (Sparrow) M.W. Dick), Pythiaceae (Globisporangium ultimum Drechsler, Globisporangium echinulatum V. D. Matthews, Globisporangium mamillatum Meurs), Pythiogetonaceae (Pythiogeton ramosum Minden, Pythiogeton dichotomum Tokun, Pythiogeton uniforme, A. Lund, Pythiogeton utriforme Minden), Saprolegniaceae (Achlya flagellata Coker, Achlya proliferoides Coker, Achlya americana Humphrey, Dictyuchus sterilis Coker , Brevilegnia sp., Aphanomyces Keratinophylus M. Ôkubo & Kobayasi. R.L, Aphanomyces helicoides Minden, Aphanomyces raphani J.B. Kendr.), Peronosporaceae (Phytophthora sp.) e Leptolegniellaceae (Leptolegniella keratinophila Huneycutt). Nove gêneros possuem potencial patogênico relatados na literatura. A predominância de espécies foi relatada no solo, e em substratos celulósicos. Os táxons Plectospira agama e Myzocytiopsis zoophthora foram primeira ocorrência para o Brasil. Os índices Riqueza e Constância apresentaram-se mais elevados em Fevereiro/2016 (2° coleta). A percepção dos pescadores do entorno apontou que a maioria dos pescadores do entorno da Barragem tem vasto conhecimento empírico sobre aspectos ecológicos, e manejo dos recursos naturais.  A implementação de programas de Educação Ambiental seria bastante benéfica para todos os utilitários da Barragem e para contribuir com as boas condições ambientais do local. Os pescadores, se mostram bastante receptivos a novos programas e ações que visem a preservação ambiental da Barragem do Bezerro.

  • JOSEANE LUSTOSA MACHADO
  • A “INVISÍVEL” DIVERSIDADE DE OOMICETOS (OOMYCOTA), USOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO COMPLEXO AÇUDE JOANA EM PEDRO II, PIAUÍ
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 21/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou identificar a diversidade de oomicetos, destacando as espécies patogênicas, além de analisar a qualidade e o uso da água do Complexo Açude Joana, Pedro II, Piauí e sua relação com a população utilitária. Para o estudo da diversidade de oomicetos utilizou-se a Técnica de Iscagem Múltipla, com identificação no Laboratório de Micologia/Fungos Zoospóricos da Universidade Federal do Piauí e posterior levantamento bibliográfico do potencial patogênico na literatura. Para a definição dos usos da água foram realizados levantamento bibliográfico de documentos oficiais e observação in loco. As análises físico-químicas e microbiológicas da água foram realizadas no Laboratório de Saneamento da UFPI. Aliado a essas análises, foram realizadas entrevistas com formulário semiestruturado com 27 informantes, aprovado pelo Cômite de Ética em Pesquisa da UFPI (CAAE: 55837616.5.0000.5214). Registrou-se 96 ocorrências de 24 táxons, com destaque para Dictyuchus sterile, Myzocytiopsis zoopthora e Plectospira gemmifera primeiras citações para o Brasil e Achlya americana e Brevilegnia subclavata como primeiras para o Piauí. Entre os táxons relatados, existem espécies com potencial patogênico para culturas agrícolas e peixes, que em condições de desequilíbrio ambiental e presença de espécies suscetíveis, podem interferir nos usos da água para irrigação e atividade de pesca. A qualidade da água conforme o IQA/CETESB está classificado de “Razoável” a “Ótimo”, contudo algumas variáveis apresentam valores superiores ao limite estabelecido pela Resolução CONAMA nº357/2005, especialmente o fósforo, um indicativo do lançamento de efluentes in natura nos corpos d’água. Esta realidade é constatada nas entrevistas realizadas, pois segundo os informantes, as águas estão “sujas” devido ao lançamento de efluentes e resíduos sólidos, que tem como destino final o açude Joana. Em relação aos micro-organismos, o tamanho reduzido não inviabiliza sua percepção. Os entrevistados não apresentam um conhecimento que os distinguem, mas sabem da existência de organismos “invisíveis” aos olhos, que podem ser benéficos para o ambiente, mas também podem provocar doenças. Este estudo revela que os recursos hídricos estão sendo utilizados de forma insustentável, gerando riscos para a saúde e para o desenvolvimento regional, compromentendo a biodiversidade, em especial dos micro-organismos, pois não compreendemos as relações estabelecidas entre estes e a água contaminada. É essencial a implantação de um sistema de esgotamento sanitário no município, bem como a sensibilização da população local para a conservação dos recursos naturais.

     

     

  • VANESSA MENEZES COSTA
  • Avaliação da Genotoxicidade e Mutagenicidade em Esgotos Tratados por Lagoas de Estabilização em Teresina-Piauí
  • Orientador : CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
  • Data: 20/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Os esgotos domésticos e os efluentes industriais são as principais fontes de contaminação dos recursos hídricos, pois estes resíduos são frequentemente tóxicos e seu descarte inadequado pode degradar seriamente o ambiente. Os agentes poluidores podem causar danos aos organismos expostos, entre eles danos mutagênicos. Testes com plantas são frequentemente utilizados em monitoramento ambiental, e a espécie Allium cepa tem sido muito utilizada em avaliações do potencial tóxico de certos ambientes principalmente, os aquáticos. Os rios Poti e Parnaíba na cidade de Teresina-PI recebem expressivo volume de esgotos produzidos na zona urbana, além de serem receptores dos efluentes processados nas estações de tratamento de esgoto. A pesquisa tem como objetivo avaliar a toxicidade e o potencial genotóxico e mutagênico induzidas por efluentes de esgoto tratado por sistemas de lagoas de estabilização na cidade de Teresina – PI com a utilização do teste Allium cepa, bem como comparar os resultados obtidos da estação de tratamento de esgoto Leste que recebe além do esgoto domestico, o esgoto proveniente dos veículos Limpa Fossas, com os da estação de tratamento de esgoto do Pirajá que recebe apenas esgoto doméstico. Foram realizadas seis coletas, duas em 2015 e quatro em 2016, contemplando o período seco e chuvoso da região em quatro pontos: P1-Esgoto bruto; P2-Rio montante; P3-Efluente final e o P4-Rio jusante. Os resultados detectados pelas análises físico-químicas revelaram que as águas e efluentes coletados apresentaram elevadas concentrações de condutividade elétrica, detergentes e fósforo, principalmente nos pontos, P1 e P3, além dos altos teores de coliformes termotolerantes encontrados nas análises microbiológicas nas duas estações de tratamento de esgoto, os valores foram mais críticos no período seco. Todos os pontos do estudo apresentaram uma potencialidade genotóxica e mutagênica, pois foram capazes de induzir alterações no material genético do organismo-teste utilizado, além da diminuição do índice mitótico e inibição do crescimento das raízes, evidenciado principalmente nos pontos, P1 e P2 do período seco, com danos maiores identificados na estação de tratamento de esgoto Leste. Durante o período chuvoso o potencial genotóxico e mutagênico foi menor nas duas estações em relação ao período seco. Portanto, é possível que os resultados mais significativos encontrados na estação de tratamento de esgoto Leste podem ter sido induzidos em razão do lançamento de xenobióticos provenientes de outras fontes antropogênicas como as dos veículos Limpa Fossas, que descarregam os resíduos coletados nesta estação. Esses resíduos contém, possivelmente, uma mistura complexa de agentes causadores do efeito mutagênico, que possam estar comprometendo a eficiência do tratamento da estação de tratamento de esgoto Leste

  • MIRNA ANDRADE BEZERRA
  • CONTRIBUIÇÕES DO BIOMIMETISMO E ECODESIGN PARA A SUSTENTABILIDADE
  • Data: 14/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Os impactos ambientais negativos das atividades humanas tem gerado crescente demanda pelo desenvolvimento de produtos sustentáveis com a finalidade de atender a legislação ambiental, as demandas dos clientes e as tendências de mercado. Dessa forma, é notável a tendência à melhoria do desempenho ambiental dos produtos por meio da inovação e o envolvimento interdisciplinar para gerar processos produtivos mais eficientes. Esta pesquisa envolve dois conceitos distintos, biomimetismo e ecodesign, como alternativas para a sustentabilidade. Na prática, o primeiro é uma tentativa de usar a inteligência evolutiva presente na natureza para melhorar produtos e processos. Neste trabalho, a sua abordagem foi realizada no âmbito educacional a partir da análise de livros texto do PNLD conferindo se há aplicação deste conceito e indicação de formas de inclusão deste conhecimento nas aulas de biologia e nos próprios livros, atendendo o requisito demandado pelos documentos do MEC que é a interdisciplinaridade. O conceito de biomimética e exemplos da sua aplicação foram achados em quatro livros selecionados para avaliação. O segundo termo caracteriza-se pela inclusão de critérios ambientais desde a fase de projeto do produto, considerando os impactos gerados durante todo o seu ciclo de vida. Sendo assim, a partir da norma ABNT NBR ISO 14006:2011, foram elencados pontos de intervenção e orientações que permitem a implantação do ecodesign em uma indústria moveleira de Teresina – PI. A análise do processo produtivo de todos os móveis e mais especificamente três modelos de cadeiras escolares permitiu a identificação de problemas como a destinação de resíduos sólidos, alguns deles perigosos, encontrados nas etapas de fabricação, principalmente, pintura e montagem. Estes conceitos, embora tenham matrizes diferentes, possuem pontos de integração em que o primeiro se utiliza das formas da natureza para desenvolver produtos sustentáveis, e o segundo contempla já no projeto e desenvolvimento de produtos a inspiração na natureza, colocando em foco aspectos ambientais importantes para redução de impactos negativos na produção, havendo uma troca mútua e relevante no ponto em que eles se encontram.

2016
Descrição
  • WANESKA MARIA DE VASCONCELOS MEDEIROS
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO LONGÁ, ESTADO DO PIAUÍ/BRASIL
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 20/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo avaliar a qualidade das águas superficiais da bacia hidrográfica do rio Longá no Estado do Piauí, Brasil. Sete pontos foram monitorados com base na proximidade de estações meteorológicas e acessibilidade, para obter melhores caracterizações espaciais e de ocupação da bacia hidrográfica. As amostras de água foram coletadas mensalmente (01/2015-12/2015). Foram medidos Temperatura, pH, Turbidez, Condutividade Elétrica, Sólidos Totais, Fósforo Total, Nitrato, Oxigênio Dissolvido, Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) e Escherichia coli (E. coli). Os resultados foram avaliados individualmente e comparados aos padrões brasileiros para águas doces de classe 2, conforme Resolução nº 357/2005 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Os dados foram avaliados utilizando-se análises multivariadas (agrupamento e análise de componentes principais - ACP). As variáveis E. coli, pH, turbidez, nitrato, DBO e condutividade elétrica variaram entre os dois períodos analisados (seco e chuvoso). As varáveis DBO, E. coli estiveram em desacordo com os padrões do CONAMA nos pontos urbanos P2, P3 e P5, devido à poluição difusa observada no período chuvoso. O agrupamento mostrou uma tendência espacial, apresentando dois grupos distintos (rural e urbano). Os resultados para o IQA classificaram as águas como de qualidade “ÓTIMA” a “REGULAR”. Os pontos P2 e P6 estiveram com maior frequência na categorização "ÓTIMA", com 50% e 58,3%, respectivamente. O ponto P3 foi o único que esteve na categorização "Regular", com a frequência de 8,3%. A ACP identificou quatro componentes principais que explicaram uma variação de 58,64% nos dados. A Componente 1 (CP1) refletiu uma contribuição de poluentes relacionados à poluição difusa de áreas agrícolas e urbanas. A CP2 foi fortemente associada à poluição, especialmente por esgoto doméstico não tratado. As outros CPs também refletiram pressões de atividades antropogênicas nos corpos de água.

  • RAQUEL KAROLINE CARVALHO DE SOUSA
  • DIAGNÓSTICO DA GESTÃO AMBIENTAL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ COM ÊNFASE NO PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTAVÉL

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 09/08/2016
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    O desenvolvimento sustentável e a gestão ambiental têm sido discutidos em diversas esferas da sociedade, dentre as quais na gestão de organizações, e ganho cada vez mais espaço na gestão pública. O Governo Federal tem implantado e exigido de suas empresas várias práticas de gestão ambientalmente corretas, sendo que as universidades públicas necessitam, por força de sua complexidade administrativa e social, servir de exemplo às outras instituições neste aspecto. A problemática envolvida nesta pesquisa foi de Diagnosticar a Gestão Ambiental da Universidade Federal do Piauí com ênfase no Plano de Gestão de Logística Sustentável, que foi criado através da instrução IN 10 do MPOG de 12/11/2012 que normatizou o Decreto 7.746, sendo um regulamento criado e exigido pelo governo federal que tem o objetivo a inserção de ferramentas e cultura institucionais baseadas no desenvolvimento ambiental sustentável. Os objetivos específicos foram: 1). Verificar a existência de políticas de gestão ambiental na Universidade Federal do Piauí; 2) identificar as atitudes ambientais praticadas pela UFPI; 3) Mapear os Planos de Gestão de |Logística Sustentável das Universidades Federais do Nordeste; 4). Recomendar ações para implantação do PLS na UFPI. Este foi um estudo documental e descritivo. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa e a coleta de dados foi realizada em três etapas: A primeira constitui uma pesquisa documental e bibliográfica sobre o tema estudado, a segunda foi a Mapeamento dos Planos de Gestão de Logística Sustentável das Universidades Federais do Nordeste, com este estudo foi verificado diferenciações nas formatações, estruturações e nos modelos utilizados, nos PLS encontrados e falta de algumas estruturas obrigatórias. A terceira etapa foi o Diagnóstico da Gestão Ambiental na Universidade Federal do Piauí com ênfase no Plano de Gestão de Logística Sustentável, no qual foi possível confirmar que está IES não tem o PLS e que possui, pequenas ações de gestão ambiental, mas ainda muito incipientes como a coleta de lixo seletiva, redução de impressoras e consumo de toner e algumas atividades relacionadas a qualidade de vida no ambiente de trabalho com a realização de ginástica laboral para seus servidores e curso de capacitações.

     

     

  • LARA CARVALHO DE OLIVEIRA
  • PERCEPÇÃO E VULNERABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: ESTUDO NOS BAIRROS OLARIAS E SÃO JOAQUIM, TERESINA, PIAUÍ

  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 21/07/2016
  • Mostrar Resumo
  •  

    Partindo do pressuposto de que o homem, individual ou coletivamente, estabelece importantes relações com o ambiente sócio-físico no qual está inserido, e que estas relações são de extrema importância para a sua sobrevivência, esta pesquisa tem como objetivo analisar, por meio da percepção de seus habitantes, como os moradores da Avenida Boa Esperança, que corta os bairros São Joaquim e Olarias, se relacionam com o ambiente em que vivem. Os objetivos específicos são: discutir sob a ótica da educação ambiental o Programa Lagoas do Norte, implantado na região; caracterizar a área de estudo, quanto ao perfil socioeconômico dos moradores, aspectos físico-naturais e infraestrutura física existente; analisar aspectos afetivos, simbólicos e funcionais da relação entre moradores e o entorno; verificar as percepções dos moradores acerca de problemas socioambientais locais e riscos relacionados; e investigar como os moradores lidam com os problemas socioambientais e riscos do lugar. A pesquisa apresenta metodologia qualitativa, e engloba pesquisa documental, realização de entrevistas não estruturadas com os moradores, às quais são analisadas segundo a técnica de Análise de Conteúdo, e anotações em diário de campo referentes às visitas ao local. Os resultados parciais indicam a existência de forte vínculo entre os moradores e o entorno, assim como de um sentimento de comunidade. Percebe-se também um clima de insegurança decorrente das ameaças de remoção das famílias, que tem impactado diretamente na vida dos moradores e na dinâmica do lugar.


      

  • WESLLEY MAYCON NERIS BATISTA
  • ANÁLISE DA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE JOSÉ DE FREITAS – PI

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 03/06/2016
  • Mostrar Resumo
  • O desenvolvimento desordenado dos espaços urbanizados tem provocado ao longo do tempo o desencadeamento de diversas problemáticas ambientais. A gestão ineficiente dos resíduos sólidos se encaixa hoje nessas problemáticas em diversos municípios brasileiros, sobretudo aqueles de menor porte. O grande desafio se encontra nas melhorias desses sistemas de gestão e a busca por algo que englobe, se não a solução destes problemas, pelo menos a mitigação destes. A lei federal nº 12.305/2010, que intitula e dispõe sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) define limites temporais para algumas situações como: eliminação e/ou remediação de lixões, destinação ambientalmente adequada dos resíduos e representa uma mudança de paradigmas em diversos setores da sociedade brasileira. A lei da PNRS propõe ambiguamente a reformulação de alguns paradigmas sócio – ambientais, bem como a criação de outros novos, uma vez que, a mesma defini critérios e orientações a serem seguidas por diferentes entes da sociedade e atribui responsabilidades múltiplas quanto ao gerenciamento dos diversos resíduos, a chamada responsabilidade compartilhada. Foi definido como campo de estudo a gestão de resíduos sólidos urbanos no município de José de Freitas, em função das particularidades inerentes a gestão de resíduos no município, bem como em função deste participar da Região Integrada de Desenvolvimento (RIDE) Grande Teresina. O município possui uma estimativa de geração diária próxima à 13,7 T apresentando assim uma taxa de geração per capta em torno de 0,63kg/hab/dia. Seus resíduos são acondicionados em uma área de lixão apresentando limitações como falta de monitoramento, presença de animais, manejo inadequado, percolação de chorume em solo, entre outros fatores. Este trabalho tem como objetivo principal analisar a eficiência da gestão de resíduos sólidos urbanos implementada no município de José de Freitas e complementarmente analisar documentos e materiais que subsidiem o cumprimento do município quanto as suas obrigações ligadas à gestão de resíduos. Nos estudos observou - se a ineficiência das ações praticadas pelo sistema de gestão executado atualmente, revelando deficiências estruturais (falta de capacitação profissional, monitoramento de áreas de lixões, manejo inadequado e áreas inadequadas, ações mínimas de educação ambiental) no que tange a integração da temática nos diversos setores que compõem a prefeitura municipal. Observou – se também um quadro deficitário quanto ao número e nível de qualificação dos agentes que trabalham com a temática no município. Surge assim, a necessidade de reformulação do sistema e um diagnóstico preciso dos setores e dos agentes envolvidos, permitindo assim um prognóstico mais preciso do município frente as questões inerentes à gestão de resíduos, bem como as responsabilidades estabelecidas em normativas legais.

  • JANETE BARROS DA SILVA
  •  DIVERSIDADE DE OOMICETOS (Oomycota) E CONSERVAÇÃO NO PARQUE NATURAL MUNICIPAL LAGOA DO SAMBICO, TIMON - MA

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 24/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Os organismos zoospóricos podem ser encontrados com distribuição cosmopolita em diferentes tipos de substratos. Apresentam flagelos em suas estruturas de reprodução sexuada e/ou assexuadas. Eles podem ser parasitas de algas, peixes, plantas e crustáceos. A pesquisa teve como objetivos principais: caracterizar o Parque Natural Municipal Lagoa do Sambico, Timon, Maranhão no seu aspecto ecológico e ambiental, levantar a diversidade de Oomicetos presente na lagoa, destacando aqueles com potencial patogênico às plantas e animais e avaliar a percepção dos moradores do entorno. São poucos os relatos com estes organismos, sendo que neste local o estudo é pioneiro. A pesquisa é de natureza quantitativa, qualitativa e bibliográfica, com uma análise criteriosa da realidade que se apresenta. Como partes práticas e experimentais, foram realizadas cinco coletas, bimestrais, de Agosto/2014 a Maio/2015 em quatro pontos distintos da área e um formulário semiestruturado foi aplicado. A pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob o número: CAAE/435 893 15.5. 0000.5214, em observância a Resolução 466/2012, de pesquisa com humanos. A técnica utilizada para o isolamento e descrição dos Oomicetos consiste na iscagem dos fungos por meio de diferentes substratos. As frequências de ocorrências foram calculadas segundo escala de Braun-Blanquet e índice de similaridade de Sorensen. Fatores abióticos como a temperatura também foram avaliados além de abundancia e riqueza das espécies. Com o estudo foram identificados 16 espécies de Oomicetos pertencentes a cinco famílias: Olpidiopsidaceae, Pythiaceae, Pythiogetonaceae, Leptolegniaceae e Saprolegniaceae. As espécies Olpidiopsis aphanomyces Cornu, Saprolegnia luxurians Bhargava & G. C. Srivast e Aplanopsis terrestris Hohnk são descritas como primeiras citações para o Brasil. A análise da temperatura mostrou um indicativo para o aparecimento ou não dos Oomicetos, no período chuvoso houve maior ocorrência, no mês de fevereiro, com 13 isolamentos distintos, onde foi verificada maior riqueza. As análises estatísticas mostraram que o Índice de Similaridade de Sorensen foi significativo, sete táxons foram considerados similares aos períodos chuvosos e de estiagem. A abundância foi maior no período chuvoso, com 57 isolamentos. A percepção ambiental dos moradores do entorno é limitada, porém reconhecem que a água da lagoa não pode ser utilizada por causa da poluição. Segundo a literatura especializada nem todos os Ooomicetos encontrados apresentaram potencial patogênico, os gêneros Aphanomyces, Pythiogeton, Pythium, Achlya e Saprolegnia possuem representantes de importantes patógenos para plantas e animais. O parque precisa ser revitalizado para que os moradores do entorno não continuem sofrendo com o problemas ambientais existentes, como odor e acúmulo do lixo, provocando doenças e contaminação na água da lagoa.  É necessário incrementar esforços para informar e sensibilizar a população sobre as questões ambientais.

  • MARIA DO AMPARO DE MOURA MACÊDO
  •  

    DIVERSIADE DE OOMICETOS E A SUSTENTABILIDADE NO ASSENTAMENTO MUTUM

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 24/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Estudo realizado no assentamento Mutum, Demerval Lobão – Piauí que objetivou levantar os organismos zoospóricos do Filo Oomycota correlacionando-os com parâmetros ambientais e destacando aqueles com potencial fitopatógeno, bem como a percepção dos moradores sobre o uso dos agrotóxicos. Para a identificação e classificação dos oomicetos utilizou-se o método de isolamento múltiplo. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), sendo a coleta de dados sociodemográficos e de percepção obtidos pela aplicação de formulário semiestruturado com 25 informantes da comunidade, que concordaram em assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Quanto à diversidade de oomicetos foram identificados 20 taxas, pertencentes a cinco famílias: Leptolegniaceae, Leptolegniellaceae,Pythiogetonaceae, Pythiaceae e SaprolegniaceaeDuas espécies foram relatadas como primeira citação para o Brasil:Brevilegnia longicaulis Johnson e Saprolegnia luxurians Bhargava et Srivastava. A comunidade de oomicetos foi mais abundante no período de estiagem e com maior incidência no solo, sendo a abundancia favorecida pela diminuição da temperatura e aumento da precipitação. Os moradores que trabalham nas culturas irrigadas não usam adequadamente EPIs e não descartam corretamente as embalagens vazias de agrotóxicos, enumerando como benefícios a eliminação de pragas e ervas daninha que impedem o crescimento das culturas, além de reduzir a mão de obra. Contudo, compreendem os impactos à saúde, ao solo e aos recursos hídricos. Assim, as informações apresentados colaboram com o conhecimento da distribuição geográfica dos oomicetos e a influência de parâmetros ambientais na ecologia desses organismos, além de contribuir com os moradores do assentamento com informações quanto à existência dos oomicetos e os riscos com o uso de agrotóxicos, alertando sobre a importância da preservação e conservação dos recursos hídricos.

     

     

     

  • CONCEIÇÃO DE MARIA MARTINS FEITOSA
  • O TRABALHO DE FORMAÇÃO DE PESQUISADORES COMO CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL DE DOCENTES PESQUISADORES DE PÓS-GRADUAÇÃO: O CASO DO CORPO DOCENTE DO MESTRADO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ.

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 23/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação está dividida em três partes: introdução, artigos e considerações finais. Os artigos são dois: A formação de pesquisadores como produção do corpo docente de programas de pós-graduação: uma análise do MDMA/UFPI a partir do currículo Lattes e da Plataforma Sucupira, que, utilizando principalmente dados do Currículo Lattes, investiga o trabalho de formação de pesquisadores como indicador de produção do corpo docente do MDMA/UFPI e Meio Ambiente, solidariedade intergrupal e a inserção regional do Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal do Piauí: uma análise a partir da Plataforma Sucupira, no qual – a partir de questões sobre, a temática ambiental, a solidariedade intergrupal e a inserção regional, é feita uma análise do Relatório do MDMA/UFPI apresentado à CAPES em 2014 através da Plataforma Sucupira. Em síntese os principais resultados foram: a) O MDMA/UFPI tem como principal contribuição ao desenvolvimento regional a formação de docentes em todos os níveis de ensino, com predominância do nível superior. Isso esgota o seu envolvimento com o ensino básico, que não é direto como propugna o Documento da Área Ciências Ambientais; b) O corpo docente permanente do MDMA/UFPI é reduzido, com a presença de pouca diversidade de áreas de graduação; c) A trajetória dos professores pesquisadores do MDMA/UFPI é disciplinar, sendo que o interesse é a capacitação em práticas interdisciplinares resulta de iniciativa pessoal de cada docente;d) os mestres orientados pelo Corpo Docente do MDMA/UFPI estão em trajetória acadêmica dinâmica e se vinculando ao Ensino Superior, o que permite que eles possam desenvolver atividades de pesquisa e de docência.

  • ANDERSON FONTENELE VIEIRA
  • TURISMO E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA COMUNIDADE DE BARRA GRANDE, CAJUEIRO DA PRAIA, PIAUÍ (PI)

  • Orientador : JOSE LUIS LOPES ARAUJO
  • Data: 12/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • A comunidade de Barra Grande, destino turístico localizado no município de Cajueiro da Praia, Piauí, na Área de Proteção Ambiental (APA) do Delta do Parnaíba foi objeto de investigação deste estudo. O turismo nesta região cresceu nas últimas décadas gerando mudanças, como: a) a implementação de políticas desse setor em todas as esferas governamentais, que incidem diretamente na área; b) construção de empreendimentos hoteleiros; c) chegada de estrangeiros e brasileiros de outros estados interessados em empreender e residir na comunidade; d) aumento da especulação imobiliária; e, e) participação dos moradores em alguma atividade, que tenha relação com o turismo. Contudo, o processo de turistificação em Barra Grande potencializou problemas existentes e trouxe consigo impactos negativos transformando a região. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo geral - analisar os impactos ambientais do turismo em Barra Grande, considerando indicadores de sustentabilidade ambiental. E, como objetivos específicos: caracterizar o turismo desenvolvido no contexto da comunidade de Barra Grande; identificar os impactos do turismo ao meio ambiente gerados pelos meios de hospedagem, utilizando os indicadores ambientais de saneamento propostos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, em 2012; e, apresentar a realidade dos serviços de infraestrutura básica referentes à água, tratamento de dejetos, coleta e destinação do lixo local. A metodologia adotada constou de pesquisa bibliográfica e documental sobre os temas: turismo e meio ambiente, políticas públicas, desenvolvimento sustentável e indicadores de sustentabilidade. A coleta dos dados foi realizada, por meio, da aplicação de formulários de entrevistas semiestruturadas e específicas, com o Secretário de Turismo e Meio Ambiente e com os proprietários ou gestores de 21 pousadas, abordando os três indicadores ambientais propostos. Posteriormente, os resultados destes indicadores foram aplicados utilizando a metodologia PER (Pressão-Estado-Resposta), adotada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OECD, apresentando os agentes que geram pressão (impactos) ao meio natural, qualificando o estado desse meio e a existência de iniciativas de reposta da gestão local. Quanto aos resultados, constatou-se que, a realidade dos serviços de infraestrutura básica é bastante precária e que os impactos ambientais dos meios de hospedagem somado a de outras atividades, influenciam diretamente no desequilíbrio do sistema ambiental da região estudada. Por fim, espera-se que os dados possam contribuir no planejamento turístico, além de construir elementos para novas abordagens de pesquisa sobre a viabilidade e adesão de segmentos turísticos sustentáveis, no contexto do estado do Piauí ou de outras regiões do Brasil, permitindo reprodutibilidade desse estudo e de modelos de gestão, com foco para efetividade da sustentabilidade nos destinos.

  • EVADILSON DA SILVA COSTA
  • "Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida nas Escolas: desafio de Educação Ambiental como política educacional no município de Caxias – MA."

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 12/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho é uma investigação a respeito das Comissões de Meio

    Ambiente e Qualidade de Vida – COM- VIDA’s como política educacional no

    município de Caxias no Estado do Maranhão que procurou, analisar as contribuições

    e práticas que as mesmas dão para o fortalecimento da Educação Ambiental nas

    escolas. Na tentativa de responder tal pretensão, o trabalha apresentou duas

    questões norteadoras que são: de que forma é possível identificar as contribuições

    que as Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida – COM-VIDA’s dão a

    Educação Ambiental para tornar-se uma política educacional? Identificando as

    contribuições dessas comissões para a educação ambiental, é possível mensurar

    que as práticas desenvolvidas por elas, nas escolas, fortalecem a Educação

    Ambiental formal? Destaca-se ainda a utilização do método qualitativo, que norteou

    todo o processo investigativo, correlacionando com referenciais teóricos a fim de dar

    consistência ao trabalho. Justificado pela crescente implantação das COM-VIDA’s e

    algumas práticas desenvolvidas nas inúmeras instituições de ensino no Brasil,

    despertou o interesse pela a temática a qual submete o presente trabalho para

    qualificação no Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento e Meio Ambiente da

    Universidade Federal do Piauí.




  • CLARISSA FLÁVIA SANTOS ARAÚJO
  • ASSENTAMENTO RURAL CAMPESTRE NORTE FRENTE À EXPANSÃO DO AGRONEGÓCIO SUCROENERGÉTICO NO ESTADO DO PIAUÍ.

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 29/04/2016
  • Mostrar Resumo
  •  A expansão dos monocultivos de cana-de-açúcar, acentuado, sobretudo, em função da expansão da produção de etanol nos anos 2000, em virtude da busca por novas fontes de energias “limpas e renováveis” e da criação dos motores flex fuel, tem reconfigurado as formas de apropriação de terras em diversas regiões brasileiras. Em decorrência dessa expansão, os assentamentos rurais têm se inserido nos mercados a partir da instalação/ampliação de canaviais. Assim, faz-se imprescindível analisar as alternativas e rumos das experiências de reforma agrária, integradas ao agronegócio sucroenergético no Piauí. Em função desse contexto, questiona-se: Quais as consequências sociais, econômicas, político/institucionais e ambientais da produção de cana-de-açúcar no Assentamento Rural Campestre Norte e as interfaces da integração do assentamento com o agronegócio sucroenérgetico? Tendo em vista essa problemática, as hipóteses centram-se em que, a implantação e ampliação do plantio da cana-de-açúcar nos assentamentos rurais implica em: divisão interna entre os assentados que participam ou não da produção açucareira, dificultando as alternativas de participação, de inclusão e de organização social nos assentamentos; do ponto de vista econômico, os assentados se reproduzem através da renda advinda das parcerias com as usinas, conformando a submissão às lógicas e práticas produtivas engendradas pelo capital agroindustrial, além da redução da produção direcionada ao autoconsumo, acarretando numa reconfiguração territorial do agronegócio em detrimento da agricultura familiar, consequentemente gerando perda de autonomia econômica e política dos assentados; em relação a dimensão ambiental, o uso intensivo do solo tem ocasionado perda de produtividade, compactação e processos de degradação. Nesse sentido, objetivou-se investigar as consequências sociais, econômicas, político/institucionais e ambientais da produção de cana-de-açúcar no Assentamento Rural Campestre Norte, situado em Teresina-PI, a partir da parceria com o agronegócio sucroenergético. Como suporte teórico/metodológico deste estudo de natureza qualiquantitativa, utilizaram-se os métodos estatístico, experimental, além de entrevistas, questionários e análises de amostras de solo. Como resultados da pesquisa, verificou-se que os assentados se reproduzem, através da renda advinda da “parceria” com a Usina Comvap Açúcar e Álcool Ltda., e caracterizam-se como produtores de cana-de-açúcar, submetendo-se às lógicas e práticas produtivas engendradas pela empresa, que estabelece relações de poder, o que tem acarretado uma reconfiguração territorial do agronegócio em detrimento da agricultura familiar.

     

     

  • JORGE HENRIQUE E SILVA JÚNIOR
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DA CADEIA PRODUTIVA DO POLO CERÂMICO DO POTI VELHO EM TERESINA, PIAUÍ

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 20/04/2016
  • Mostrar Resumo
  • O Arranjo Produtivo Local (APL) caracteriza um grupamento de organizações situadas em determinada localidade, ligadas por meio de variáveis comuns como agentes econômicos, políticos e sociais. O Pólo Cerâmico do Poti Velho, localizado na Zona norte de Teresina, Piauí, apresenta características de arranjo produtivo local, pois comporta várias empresas e profissionais, que produzem e vendem peças artesanais em cerâmica. Neste sentido, este trabalho busca caracterizar a cadeia produtiva do Polo Cerâmico do Poti Velho e avaliar os indicativos de um Arranjo Produtivo Local (APL). A metodologia fundamentou-se em abordagem qualitativa, envolvendo entrevistas semiestruturadas e observações diretas. Foram entrevistados 36 funcionários, distribuídos em 34 lojas. As atividades realizadas pelos artesãos do Poti Velho na produção das peças de artesanato em cerâmica contemplam aspectos socioeconômicos e políticos, em que os artesãos atuam no mesmo setor, mantendo vínculos produtivos e institucionais, centrado em estratégias competitivas a fim de melhorar o desempenho do empreendimento. Este tipo de atuação vem proporcionando benefícios diretos ou indiretos aos produtores, na busca novas tecnologias e mercados, tanto interno como externo. O trabalho do Polo Cerâmico do bairro Poti Velho em Teresina, Piauí, mostrou importantes aspectos indicativos de um APL, que é fundamental para o desenvolvimento da região do Poti Velho. Diversas famílias, do próprio Poti Velho e de bairros adjacentes, dependem financeiramente da atividade. O processo produtivo necessita, ainda, de inovações, para o seu crescimento e desenvolvimento, cabendo ao poder público e órgãos de financiamento desenvolverem ações junto às empresas que compõe o Polo Cerâmico do Poti Velho, visando a melhoria da atividade.

  • LAÉRCIO DE SOUSA SARAIVA
  • Diversidade de oomicetos (oomycota), potencial patogênico e manejo na piscicultura em Teresina – PI

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 29/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos a piscicultura passou a ser uma atividade largamente executada em todo o mundo, no Brasil esta atividade tem se destacado e gerado resultados significativos em âmbito social e econômico. No entanto, a piscicultura manifesta problemas que podem interferir na sua sustentabilidade, dentre os quais se destacam as ictiopatologias ocasionadas por microrganismos do filo Oomycota. Esta pesquisa objetivou determinar as espécies de oomicetos em criatórios de peixes em Teresina, PI, relacionar sua ocorrência e diversidade com os fatores abióticos das fazendas de piscicultura e avaliar o potencial patogênico das espécies encontradas. Foram realizadas coletas bimestrais de solo e água em seis pontos nos taludes dos viveiros de criação de peixes, no período de julho de 2014 a maio de 2015 das quais obteve-se 301 isolamentos distribuídos em 19 táxons, sendo Aplanopisis terrestris Höhnk a primeira citação para o Brasil e Brevilegnia longicaulis Johnson, a segunda. Nesta pesquisa Pythiogeton ramosum e Aphanomyces Keratinophilus foram as espécies mais abundantes. Da análise dos fatores ambientais, observou-se que as fazendas de piscicultura atendem às normas ambientais preconizadas pelo CONAMA, no entanto, alguns fatores como a temperatura e o potencial hidrogeniônico podem estar relacionados à ocorrência e distribuição das populações de Oomicetos, sendo o monitoramento desses fatores importante para a manutenção do equilíbrio ecológico em viveiros de piscicultura. Quanto a investigação de espécies parasitas, não houve registro de parasitoses causadas por Oomicetos nos viveiros de piscicultura, porém foram encontradas espécies com potencial patogênico, o que deve servir de alerta para os piscicultores de Teresina, uma vez que muitos representantes desse grupo de microrganismos apresentam nicho diversificado e estão adaptados a vários ecossistemas. Esses dados serviram de base para a promoção da educação ambiental ligadas às técnicas de cultivo piscícola, e evidenciam a importância de serem mais estudos sobre a ecologia e diversidade de Oomicetos nos ecossistemas, com o intuito de investigar as alterações que podem ocasionar nas relações com outros seres vivos e no ambiente.

     

  • ANELIO IBIAPINO DA ROCHA
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA NO RIO PARNAÍBA NA ZONA URBANA DE TERESINA-PI USANDO OS MÉTODOS IQA CLÁSSICO E LÓGICA FUZZY

  • Orientador : CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
  • Data: 28/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A cidade de Teresina, capital do estado do Piauí, Brasil, possui o privilégio de está localizada entre dois rios (Parnaíba e Poti) com abundante oferta de água. A qualidade destas águas está diretamente ligada ao uso e ocupação do solo e principalmente ao nível de infraestrutura de esgotamento sanitário existente na cidade. Neste sentido, a compreensão e alcance do desenvolvimento sustentável passam pela gestão de recursos hídricos e o controle da qualidade da água faz parte deste processo. O presente estudo tem como objetivo avaliar a qualidade da água no Rio Parnaíba, na zona urbana do município de Teresina-PI, baseado na analise comparativa entre os procedimentos que utilizam os métodos do IQA clássico e da lógica Fuzzy. Esta pesquisa foi desenvolvida com dados coletados em seis pontos no Rio Parnaíba no trecho compreendido dentro do perímetro urbano de Teresina, entre julho de 2011 e dezembro de 2014. Verificou-se que o índice de qualidade da água (IQA) clássico da NSF ao longo do período pesquisado vem alternando o seu nível de qualidade entre as categorias “bom” e “regular” a depender da época do ano. Esta mudança é ocasionada, principalmente, pela alteração dos valores das variáveis Coliformes Termotolerantes, Fósforo Total e Turbidez que se encontram respectivamente com 30,20%, 34,29% e 22,04% do total de amostras analisadas (245 amostras) fora dos limites máximos preconizados pela Resolução CONAMA n° 357/2005. Também observou-se a influência da precipitação (chuva) e vazão do rio, em que no período de aumento desses dados o IQA clássico apresenta tendência em diminuir o seu valor, comprovados por meio da matriz de correlação de Pearson. Na comparação entre os métodos de IQA clássico da NSF e os obtidos pela lógica Fuzzy (IQATRITRAP e IQAGAUSS) percebeu-se que os dados oriundos do Fuzzy são mais restritivos, ou seja, rigorosos, apontando para um valor menor. Da aplicação da lógica Fuzzy, apenas o IQAGAUSS mostrou-se totalmente viável, seguro e sensível às mudanças dos valores que compõem o IQA clássico da NSF do Rio Parnaíba. A partir desse cenário, destaca-se a necessidade de que seja mantido o monitoramento da qualidade da água do Rio Parnaíba, como ferramenta de gestão, para verificar se os resultados e tendências encontrados nesta pesquisa se manterão no futuro, contribuindo para o desenvolvimento de políticas públicas de recursos hídricos direcionados à manutenção da qualidade de água por meio da indução e incentivo de ações de governo no referido manancial.

  • SANTINA BARBOSA DE SOUSA
  • USO, CLASSIFICAÇÃO E REPRESENTAÇÃO AMBIENTAL DE MACROFUNGOS EM UMA REGIÃO DE CAATINGA, NORDESTE DO BRASIL

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 21/01/2016
  • Mostrar Resumo
  •  

    RESUMO

     

    A presente pesquisa objetivou registrar o conhecimento local e diversidade dos macrofungos conhecidos e/ou utilizados em uma região de Caatinga, no intuito de colaborar com a preservação e conservação da biodiversidade ali existente, bem como, contribuir com o resgate, a valorização e a manutenção da cultura tradicional local. Realizou-se 56 entrevistas (23 homens e 33 mulheres), com formulário semiestruturado acompanhado de cheklist-entrevista para coleta de dados etnomicológicos, com os remanescentes do antigo Zabelê. Procedeu-se a técnica “turnê-guiada” com informantes-chave para as coletas micológicas. O material biológico coletado foi identificado e incorporado no Laboratório de Micologia da Universidade Federal do Piauí e, todas as informações dos dados foram submetidas às análises qualitativas e quantitativas através do programa Freelist e Pilesorte Multidimencional Scaling do Antropac Software, programa Statistica 8.0 e Valor de Uso (VU). Foram reconhecidas 08 espécies distribuídas em 12 nomes vernaculares de macrofungos de ocorrência em plantas e solo, sendo mais citadas as “orelhas-de-pau” de ocorrência em plantas pertencente à família Ganodermataceae com citaçõesnas categorias que mata planta e uso medicinal. A maioria dos informantes os classificam como diferentes de plantas e animais. A diversidade observada está diretamente relacionada a variável climática, distribuída em substratos vegetais e solo. As atribuições ecológicas foram bem descritas quanto à decomposição da matéria orgânica. Retrataram memórias da infância onde os fungos eram utilizados como objeto lúdico nas brincadeiras. Registraram-se espécies de fungos de uso medicinal para os sistemas digestivo, reprodutor, tegumentar e anticancerígeno.  Pequena parcela da comunidade faz ou fez uso dos fungos, onde parte destes está apenas na memória. Não houve diferença significativa entre o conhecimento em idosos e adultos, porém acrescentou novas informações entre os jovens, quanto ao conhecimento detalhado, os idosos apresentam mais detalhes nas informações dadas do que adultos e jovens, destacando-se maior atribuição para a natureza, seguida de uso como medicamento. O conhecimento local acerca da biodiversidade pode contribuir no processo de conservação da Caatinga, visto que a comunidade apresenta algum tipo de conhecimento a respeito dos macrofungos, tal conhecimento é importe no auxílio para o entendimento do dinamismo das espécies em questão. Assim, destaca-se a importância da inserção dos mesmos nas ações que se destinem a este fim ou que envolvam mais em projetos desenvolvidos na área, sendo uma alternativa de conciliar a manutenção da biodiversidade e da cultura local, já que se trata de remanescentes de áreas protegidas, como o Parque Nacional Serra da Capivara, criadas para atender a necessidade de preservar a biodiversidade.

     





  • JULIANA CARDOZO DE FARIAS
  • Etnozoologia e Etnobotânica na Comunidade Lagoa da Prata, no Município de Parnaíba, Piauí

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 15/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Etnobiologia investiga a relação existente entre as populações humanas e os recursos naturais. Esta etnociência tem vários ramos dentre eles a Etnozoologia e Etnobotânica. O presente estudo investigou o conhecimento sobre abelhas (Himenópteros) e espécies botânicas na comunidade Lagoa da Prata, no município de Parnaíba, Piauí. A metodologia qualitativa utilizada foi por meio da observação direta, entrevistas com formulários semiestruturados, “turnês-guiadas”, registros fotográficos, gravações e anotações no diário de campo. As metodologias quantitativas adotadas para as espécies vegetais foram o Valor de Uso (VU), Fator de Consenso do Informante (FCI), Importância relativa (IR) e o test Qui-quadrado. As abelhas foram coletadas de acordo com as normas etnoentomólogicas de conservação de museus e incorporados ao Laboratório de Fitossanidade do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) no Campus Ministro Petrônio Portela. Quanto às espécies botânicas foram coletadas, identificadas, herborizadas e incorporadas ao Herbário Graziela Barroso (TEPB) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Este projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Os dados foram coletados entre os meses de junho de 2014 a novembro de 2015, sendo entrevistados 174 moradores (48% homens e 52% mulheres), incluídos em 91 famílias, com idade entre 18 e 94 anos. Os entrevistados têm conhecimento da importância da apifauna para o meio ambiente e sua relação com as plantas com flores. Assim 98,44% disseram que as abelhas são importantes. Foram mencionadas 13 etnoespécies de abelhas. Em relação às espécies botânicas, registou-se 164 espécies vegetais, distribuídas em 12 categorias de uso. As categorias de uso medicinal (44,01%), alimentícia (40,15%) e repelente/inseticida (6,24%), apresentaram um maior percentual de citações. Anacardium occidentale L. obteve o maior Valor de Uso (VU=0,35). As espécies Cesalpinia ferrea Mart.  e  Plectranthus amboinicus (Lour.) Spreng. tiveram uma maior diversidade de uso medicinal  (IR=2), e através do fator de consenso informante (FCI) verificou-se um maior consenso entre os informantes para o conjunto de plantas usadas no tratamento de transtornos dos olhos e ouvidos (FCI= 1). Do total de espécimes botânicas, 17 foram mencionadas como inseticidas/repelentes, distribuídas em 17 gêneros e 15 famílias. A análise do teste Qui-quadrado mostrou que não houve diferença significativa observada no conhecimento de plantas repelentes associadas ao gênero (P= 0,9944), renda (P= 0,4876), e transmissão do conhecimento (P=0,6510), evidenciando dessa forma uma similaridade entre a distribuição do conhecimento e as variáveis testadas. A coleta de dados destacou o conhecimento local sobre as etnoespécies e a relação cultural da população com as plantas utilizadas na comunidade Lagoa da Prata, no município de Parnaíba, Piauí.

     

     

     

     

     

     






  • IRINEU CAMPELO DA FONSECA FILHO
  •  "CONHECIMENTO E USO DE RECURSOS MADEIREIROS EM COMUNIDADES RURAIS DO MUNICÍPIO DE ANGICAL DO PIAUÍ, NORDESTE DO BRASIL"

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 11/01/2016
  • Mostrar Resumo
  •  O estudo etnobotânico parte do princípio de que as populações rurais possuem  conhecimento sobre o uso de alta diversidade de recursos vegetais para diverso leque de propósitos. Esse conhecimento pode oferecer aos cientistas modelos de uso sustentável, baseados no argumento de que essas populações sabem usar e conservar os recursos biológicos. Dentre essa variedade de usos, nesse estudo destaca-se a extração de madeira para fins domésticos, utilizada para atender as necessidades das populações locais, tais como construções rurais e domésticas, confecção de ferramentas de trabalho e uso como fonte de energia. Objetivou-se avaliar, por meio do conhecimento tradicional, o uso dos recursos vegetais como fonte de recursos madeireiros no domínio cerrado pela população local em duas comunidades rurais no município de Angical do Piauí/PI, uma delas considerada com mais contato com a urbanização e outra com menos contato urbano, podendo contribuir na conservação e uso sustentável dos mesmos. As comunidades estudadas foram Chapada do Hamilton, com 11 famílias residentes, e Novo Horizonte, com 22 famílias residentes, sendo a última considerada com mais contato com a urbanização. O universo amostral da pesquisa foi constituído por todos os domicílios, que tinham morador no momento das visitas, totalizando 28 entrevistas (11 residentes no assentamento Chapada do Hamilton e 17 residentes na comunidade Novo Horizonte). Foi realizada uma visita em cada domicílio, dando-se cada domicílio, preferência para o responsável pela coleta da madeira e/ou  chefe de família residentes nas comunidades estudadas. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas para obtenção dos dados socioeconômicos dos moradores das comunidades e informações sobre o uso, conhecimento, preferências e coleta de plantas como fonte de recursos madeireiros da região e, para verificar as espécies que são efetivamente usadas no dia a dia, foi usada a técnica de inventário in situ. No total foram apontadas 62 espécies identificadas, distribuídas em 28 famílias,  utilizadas nas categorias de uso construção, tecnologia e fitocombustível. Com destaque para as famílias Mimosaceae (8 espécies), Fabaceae e Caesalpiniaceae (7), Anacardiaceae, Arecaceae, Bignoniaceae e Combretaceae (4 cada). A categoria construção apresentou maior número de espécies citadas no total, com 55 espécies, em comparação com as categorias tecnologia e fitocombustível, com 40 e 28 espécies citadas, respectivamente. Na comunidade Chapada de Hamilton, a espécie com maior valor de uso na categoria construção foi Terminalia fagifolia. Mart. (chapadeiro), na categoria tecnologia foi Handroanthus impetiginosus (Mart. ex DC.) Mattos (pau-d'arco roxo) e na categoria fitocombustível, Parkia platycephala Benth. (faveira). Na comunidade Novo Horizonte, a espécie que obteve maior valor de uso na categoria construção foi Mimosa caesalpiniifolia  Benth. (unha-de-gato), na categoria tecnologia Handroanthus impetiginosus (Mart. ex DC.) Mattos (pau-d'arco-roxo) e na categoria fitocombustível Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan (angico-preto). Foi verificado que as populações das duas comunidades conhecem ampla diversidade de espécies fornecedoras de madeira, porém, usam menor quantidade de espécies, e preferem quantidade menor ainda, não sendo detectado variações significativas no conhecimento, preferência e uso entre as comunidades estudadas.

     

     

     

     

  • MARIA BERNADETE DE CARVALHO BEZERRA
  •  

    PERCEPÇÃO SOCIOAMBIENTAL DA COMUNIDADE DA PEDRA DO SAL ACERCA DA IMPLANTAÇÃO DO COMPLEXO EÓLICO DELTA DO PARNAÍBA NA APA DELTA DO PARNAÍBA/PI

  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 11/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • Com a grave crise ambiental, a humanidade se dá conta da finitude dos recursos e ameaça de

    extinção da própria espécie. Muitos teóricos asseveram que o cerne da crise ambiental

    alicerça-se na crise da percepção. Com isso, verifica-se seu despertar para as causas da

    referida crise e necessidade da construção de uma sociedade sustentável e ambientalmente

    correta. Para tanto, é imprescindível o estudo da percepção socioambiental em busca do

    entendimento de como as pessoas se relacionam com a natureza. Nesse contexto, observa-se

    que a diversificação da matriz energética é essencial, pois se sabe que a energia eólica é uma

    fonte limpa. Assim, compreende-se a importância dos sistemas eólicos, uma vez que estes

    poderão reduzir a necessidade de se construir usinas baseadas em fontes poluentes, ao mesmo

    tempo em que contribui para a manutenção da diversificação da matriz elétrica brasileira.  No

    entanto, na sua fase de implantação não se deve esquecer as comunidades do entorno, uma

    vez que são diretamente afetadas na fase de implantação do complexo eólico, bem como dos

    impactos decorrentes deste. Os procedimentos metodológicos utilizados para evidenciar os

    impactos socioambientais, assim como a percepção da comunidade da Pedra do Sal, foram:

    aplicação de questionários com questões abertas e fechadas, confecção de banco de dados no

    programa Excel e composição de mapas, gráficos e quadros. O universo da pesquisa se

    constitui de 980 moradores da comunidade da Pedra do Sal, com uma amostra de 150

    pesquisados. Teve como objetivo geral descrever e analisar a percepção socioambiental da

    comunidade afetada pelos impactos socioambientais decorrentes da implantação do Complexo

    Eólico Delta do Parnaíba na cidade de Parnaíba/PI. E como objetivos específicos: Descrever e

    analisar a organização do espaço após a implantação do Complexo Eólico Delta do Parnaíba;

    Estudar os Estudos de Impacto Ambiental para a implantação do Complexo Eólico Delta do

    Parnaíba na cidade de Parnaíba/PI; Identificar quais os impactos socioambientais são

    percebidos pela comunidade afetada em decorrência da implantação dos parques eólicos;

    Investigar como a comunidade percebe a implantação dos parques eólicos em uma APA –

    Área de preservação ambiental; Verificar a percepção socioambiental por gênero, faixa etária,

    profissão e escolaridade. Descrever as possíveis mudanças na relação da comunidade com o

    lugar onde os parques eólicos foram instalados. O estado da arte mostra que são diversos os

    autores que aprovam e consideram a energia eólica como uma fonte alternativa e limpa para o

    país, mas que também afirmam e comungam da certeza que durante a fase de implantação e

    operação dos sistemas eólicos os impactos, sobretudo os negativos, são significativos, em que

    se pode citar: a supressão da vegetação, o aplainamento de dunas, o soterramento de lagoas,

    assim como a insatisfação e indignação da maior parcela da comunidade. Tais impactos

    comprometem a sustentabilidade dos ambientes, assim como o modo de vida das

    comunidades.


2015
Descrição
  • ELINARA SOARES BARROS DE SOUSA
  • AMBIENTALIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS DE  JORNALISMO DAS UNIVERSIDADES DO PIAUÍ.

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 22/12/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A pesquisa tem como objetivo geral apreender como é realizada a ambientalização curricular dos cursos de Jornalismo das duas universidades do Piauí: Estadual (campi Teresina e Picos) e Federal. Para tanto foi realizada uma pesquisa de campo como método e a análise documental e entrevista como técnica de pesquisa. Foram analisados os quatro eixos da universidade: ensino, pesquisa, extensão e gestão através da análise dos projetos de pesquisa e extensão produzidos pelos professores e os Trabalhos de Conclusão de Curso dos discentes das duas instituições e entrevistas com as três coordenadoras dos cursos. Além disso, foram realizadas 20 entrevistas com docentes das duas universidades, buscando perceber como os professores abordam a questão ambiental nas disciplinas da grade curricular, além de analisar a percepção dos mesmos sobre a competência e avaliação quanto ao conceito de desenvolvimento sustentável abordado nas Diretrizes Curriculares para o curso de Jornalismo. As hipóteses levantadas no início da pesquisa foram as seguintes: os professores que ministram disciplinas específicas dos cursos não abordam a questão ambiental em suas aulas; a ambientalização curricular dos cursos de Jornalismo ofertados pelas universidades no Piauí ocorre de modo incipiente; as novas diretrizes curriculares dos cursos de Jornalismo não apreenderam a importância das questões ambientais para a formação do profissional de jornalismo. Diante dos dados obtidos, percebe-se que ainda é insuficiente a abordagem da temática ambiental na formação dos profissionais de jornalismo nas duas universidades analisadas. Conclui-se que cursos de Comunicação Social/habilitação em Jornalismo não podem ser considerados ambientalizados e constatou-se que os docentes abordam a temática ambiental eventualmente em suas aulas, mas que não há preocupação de formar criticamente os alunos sobre o assunto. 

     

     

     





     


  • OSVALDO AUGUSTO VASCONCELOS DE OLIVEIRA LOPES DA SILVA
  • VIABILIDADE TECNICO-ECONÔMICA DE PROJETOS DE EFICIENCIA ENERGÉTICA NAS SALAS DE AULA DA UFPI

  • Orientador : FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
  • Data: 21/12/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética, no ano de 2023, o Brasil passará a ter 216 milhões de habitantes e consumirá 689 TWh no ano, o que representará, aproximadamente, 20% a mais da energia gerada no Brasil em 2013, causando impactos socioambientais. Porém, se utilizarmos mais eficientemente a energia que produzimos, estaremos protegendo o meio ambiente e usufruindo ainda de outros benefícios. Nas universidades, não é diferente. Esse trabalho tem como objetivo geral o fornecimento de ferramentas para os gestores da Universidade Federal do Piauí e instituições de ensino de forma geral analisarem a Viabilidade Técnico-econômica da implantação de Projetos de Eficiência Energética nas salas de aula, uma vez que as instituições de ensino devem ser exemplo de sustentabilidade para toda a comunidade e incentivar mudanças concretas na realidade social articulando três eixos: edificações, currículo e gestão. O método utilizado considera que a economia de energia somente é conseguida quando as mesmas atividades são realizadas ou os mesmos produtos ou serviços são fornecidos com menor consumo de energia, dividido em duas partes: Diagnóstico Energético da Universidade Federal do Piauí e o Diagnóstico Energético das salas de aula. Dessa forma, utilizou-se como objetos de estudo o Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, por ser o maior e mais antigo da instituição, e duas salas de aula do Centro de Tecnologia desse mesmo campus por já possuir estudos de Eficiência Energética. Ao término dos estudos, pôde-se fazer o levantamento das despesas com Energia Elétrica, identificar perdas que poderiam ser evitadas com a atuação de um Sistema de Gestão Energética e sugerir um modelo de Gestão do Uso de Energia para a universidade. Além disso pôde-se fazer o diagnóstico energético das salas de aula e sugerir Projetos de Eficiência Energética direcionados aos Sistemas de Climatização e Iluminação, com as intervenções propostas encaradas como Projetos de Investimento de Aderência Estratégica, cujas viabilidades foram avaliadas, destacando a necessidade da análise conjunta das intervenções e da adoção de critérios de sustentabilidade nos editais de licitação, uma vez que a fase inicial do Ciclo de Vida das edificações é decisiva para determinar o seu potencial de economia de energia, além da sensibilização da comunidade acadêmica e do gestores para as questões ambientais, atingindo os objetivos da pesquisa.

     

     

     

     
  • BRUNNA LARYELLE SILVA BOMFIM
  • INSETOS E PLANTAS INSETICIDAS: PERCEPÇÃO DA COMUNIDADE SUSSUAPARA, MUNICÍPIO DE NAZARÉ  DO PIAUÍ, PI, BRASIL

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 23/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • O estudo das relações do homem com a natureza é abordado na área conhecida como Etnobiologia e se subdivide em diversas áreas como: Etnobotânica, Etnoecologia, Etnotaxonomia, Etnozoologia e Etnoentomologia, dentre outras. o trabalho teve como objetivo apresentar a percepção sobre insetos e o conhecimento sobre plantas inseticidas na comunidade Sussuapara, Nazaré do Piauí, PI, bem como levantar outras formas naturais utilizadas pela comunidade no controle de insetos.A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), sob o número CAAE: 36813514.6.0000.5214, e solicitada assinatura  do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Para coleta de dados, foram realizadas entrevistas, com auxílio de formulários semiestruturados, contendo questões abertas e fechadas, com a população. Foram entrevistadas 48 famílias, totalizando 89 moradores, sendo escolhido até três membros de cada família (o pai, a mãe e um filho maior de 18 anos). Para análise dos dados de uso dos insetos pela população foi utilizado o Nível de Fidelidade (FL) e a Prioridade de Ordenamento (ROP). O Fator de importância e da espécie (IVs) foi utilizado para as espécies citadasna categoria de pragas .  Para as espécies citadas como bioinseticidas e repelentes calculou-se o Valor de Uso (VU). Os entrevistados citaram que os insetos são animais pequenos (81%) e voam (23%). 100% dos informantes afirmaram que alguns insetos são nocivos, 97% informaram espécies consideradas pragas, 68% citaram que os insetos são seres que causam nojo. Apenas 4% afirmaram que os insetos são importantes na natureza. Em relação ao uso de insetos ou produtos de insetos no tratamento de emfermidade, o mel de abelha aparece com 95,5% das citações (FL= 0,93, ROP = 0,9). Dentre as espécies consideradas pragas destacam-se a lagarta (Lepidoptera) (IVs = 0,9 e a formiga (Hymenoptera) (IVs = 0,7). Nenhuma entrevistado citou o uso de insetos na alimentação, porém de mel de abelha foi reportado 95% dos entrevistados. A maioria dos entrevistados (60%) disse não conhecer nenhuma planta para uso no combate a insetos. No entanto, 36% dos entrevistados apontaram ao menos uma espécie vegetal que conheciam ou utilizavam como repelente. No total foram citadas 14 espécies utilizadas como repelentes. A espécie mais citada (66%) foi o alecrim (Lippia origanoides Kunth), apresentando também maior Valor de Uso (VU= 0,4). A fumaça da folha foi a principal forma de utilização, sendo apontada em 93% dos casos. A fumaça de esterco bovino e água quente também foram citadas como outras formas naturais no comate a insetos. Independente do uso ou conhecimento acerca de plantas com efeitos inseticidas, 77% citaram o inseticida sintético como principal forma de combate a insetos em suas casas e 100% citaram uso de inseticida sintético em suas plantações. Notou-se que a comunidade Sussuapara percebe os insetos, porém a maioria não conhece ou utilizaplantas inseticidas e/ou outras formas naturais no combate a insetos, aderindo ao uso de inseticidas sintéticos, os quais podem trazer malefícios à população local, bem como ao meio ambiente.
     
  • GABRIELA SILVA NORONHA
  • GESTÃO AMBIENTAL DAS HOSPEDARIAS DOMICILIARES DE SANTO AMARO DO MARANHÃO – PARQUE NACIONAL DOS LENÇÓIS MARANHENSES

  • Data: 23/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • Santo Amaro do Maranhão tem grande potencial turístico em função das belezas naturais do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Dentro desse contexto, as hospedarias domiciliares de Santo Amaro do Maranhão surgiram da necessidade de acomodar, inicialmente, vendedores ambulantes, servidores públicos e pesquisadores. Com o início das filmagens de “Casa de Areia”, em 2004, não havia pousadas ou hotéis suficientes para atender à demanda da equipe de produção. Dessa forma, algumas famílias disponibilizaram suas casas para acomodar parte dos colaboradores do filme. Assim, o município começou a desencadear a atividade turística. O turismo evidencia a possibilidade do desenvolvimento socioeconômico para o município, porém é fundamental que exista um planejamento para a gestão ambiental, imprescindível dentro do espaço territorial onde estão inseridos esses empreendimentos, ou seja, em uma unidade de conservação. Por essa razão, a pesquisa teve como objetivo geral analisar a gestão ambiental das hospedarias domiciliares do município de Santo Amaro do Maranhão, e, como específicos: identificar as características geoambientais da área onde se inserem as hospedarias familiares; conhecer a percepção dos proprietários das residências e dos gestores municipais a respeito do turismo e da questão ambiental; identificar quais formas de gestão ambiental são utilizadas pelos proprietários das hospedarias familiares em relação ao consumo da água, de energia e à geração de resíduos sólidos. Foi realizada a revisão teórica relacionada aos temas de gestão ambiental, turismo e Parque Nacional, além de hospedagens domiciliares, tomando como a base a leitura encontrada em livros, artigos científicos, dissertações e teses que tinham a temática com a gestão ambiental. O método utilizado para pesquisa foi do tipo exploratório, envolvendo levantamento bibliográfico e pesquisa de campo, com amostra constituída pelos residentes nos 10 domicílios, que tornaram suas casas hospedarias. Foram aplicados formulários semiestruturados, junto às famílias, com questões abertas e fechadas, objetivando colher dados relativos à faixa etária e a condições econômicas sociais (escolaridade, experiências profissionais, renda, relação com o turismo, e outras). Os proprietários das hospedagens domiciliares percebem a problemática ambiental, destacando que o município não oferece nenhum tipo de ação comprometida para resolver problemas básicos como o destino lixo, saneamento básico, destino dos resíduos sólidos lançados nos principais recursos hídricos do município, o que pode inevitavelmente comprometer o patrimônio natural e consigo o desenvolvimento socioeconômico para a região. Por mais que queiram contribuir com a gestão ambiental nas suas hospedarias, são limitados pela ausência de políticas básicas ambientais. Percebem a importância da conservação dos recursos naturais para garantir o desenvolvimento do turismo no município, e a educação ambiental priorizada para todas as linhas de atuação da gestão municipal. Além disso, já poderiam ser estabelecidos projetos que evitasse impactos negativos, pois o turismo comunitário é incentivado como uma das principal alternativa de renda para o município. do turismo.

  • CAMILA MARQUES MATON
  •  

    A INSERÇÃO DA MULHER CAMPONESA NA ATIVIDADE APÍCOLA DA COMUNIDADE DE MOREIRA-PI

  • Orientador : MAY WADDINGTON TELLES RIBEIRO
  • Data: 18/09/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

     O objetivo desta dissertação é a busca por uma compreensão antropológica das relações de gênero na atividade apícola que vem sendo desenvolvida em uma comunidade do semiárido do Piauí. Tendo por base alguns conceitos de campesinato e sustentabilidade, buscaremos um diálogo entre o espaço geográfico apícola e as relações de gênero que lá se estabelecem. Com ênfase na Comunidade Moreira a 18 Km de Simplício Mendes-PI, será analisado  os diversos papéis exercidos por  mulheres e de que forma se dá a inserção destas na atividade apícola. A pesquisa está direcionada para a observação do dinâmica econômica local provocada pela atividade buscando saber se o envolvimento da mulher no trabalho apícola promove alterações no seu papel social. Busca-se, ainda, registrar as alterações na percepção ambiental destas mulheres a partir de seu envolvimento na atividade. Assim, tendo como referência metodológica a pesquisa de campo com seus fundamentos de observação, registros de imagens e entrevistas, buscar-se-á mapear as relações sociais locais e as alterações vividas, de forma a conferir como a mulher desenvolve seu papel de mulher diante dos mais variados  “afazeres”, seja ele na agricultura ou na apicultura. Pretendemos constatar de quais formas a atividade apícola contribui para o empoderamento das mulheres visto que as leva a ultrapassar o espaço que tradicionalmente lhes tem sido socialmente delimitado, permitindo que desenvolvam novas formas de se portar e enxergar o mundo que a elas se apresenta.
     




  • AMANNDA MENEZES DE OLIVEIRA
  •  

    Análise da gestão de resíduos no setor privado da construção civil: estudo na cidade de Teresina, Piauí

  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 14/08/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    O deslocamento populacional do campo para as cidades em um curto espaço de tempo, resultou em um dos mais preocupantes problemas atuais e ambientais, que é a geração de resíduos sólidos. A indústria da construção civil tem papel fundamental no desenvolvimento econômico e espacial das cidades, contudo, a ineficiência de alguns processos produtivos a fazem uma grande geradora de resíduos. A Resolução do CONAMA N° 307/02 alterada pela Resolução CONAMA N° 448/2012, dispõe sobre as diretrizes para a gestão de resíduos da construção civil, por motivos ambientais e econômicos, existe uma necessidade crescente de procedimentos para aproveitamento desses materiais, que são considerados potencialmente recicláveis. Na pesquisa foram abordados aspectos da gestão de resíduos da construção civil no setor privado em Teresina-PI, em que os objetivos foram caracterizar os resíduos de forma qualitativa, a fim de diagnosticar as classes mais presentes durante o processo construtivo, outro objetivo foi a quantificação dos resíduos Classe A gerados na cidade de Teresina. A metodologia utilizada baseou-se em visitas aos locais das obras, em um período de seis meses com frequência quinzenal, através de checklist previamente elaborado, foi possível obter dados relacionados à classificação dos resíduos gerados. Para a quantificação dos resíduos foram desenvolvidas duas etapas, na primeira foram levantadas informações acerca da coleta de resíduos Classe A, já a segunda etapa consistiu em estimar a quantidade dos resíduos coletados, tomou-se como referência o capacidade estimada da caçamba estacionária. As obras se encontravam em fases distintas do processo construtivo, o que foi permitido perceber a variabilidade de resíduos gerados nas obras entre si. Após toda coleta de dados e análise destes, constatou-se que os resíduos presentes nas obras tinham classes em comum, contudo, as obras não dispunham de equipamentos de coletas suficientes para uma efetiva segregação de resíduo na fonte, além de todo processo de gerenciamento funciona como medida corretiva e não preventiva. Após a conversão para uma única unidade de medida, e obtido o volume geral desses resíduos gerados por mês, foi realizada uma projeção, através de média aritmética, acerca do gerado anualmente e uma estimativa correspondente ao volume por habitante/ano, habitante/mês e habitante/dia. Por fim, o terceiro artigo analisou o entorno das áreas de disposição final de resíduos da construção no Município, considerando os aspectos ambientais e sociais, foi realizado levantamento com administração pública e empresas coletoras, identificação e mapeamento dos pontos de disposição, descrição e análise do entorno A falta de locais para disposição final pode ser considerada como um dos fatores para o surgimento de áreas de disposição irregulares, que ocorrem sem nenhum tipo de controle ou fiscalização. Com base nos resultados obtidos com a dissertação, conclui-se que, há ausência de iniciativa do Poder Público em oferecer condições para que a gestão de resíduos da construção civil ocorra de forma adequada, em contrapartida, percebe-se que no setor privado, as iniciativas que são tomadas voluntariamente acabam entrando no comodismo, e as empresas construtoras sem ter a obrigação de cumprir medidas básicas para que a gestão de resíduos, acabam mascarando as etapas de gerenciamento.

  • EULLER MARTINS PAIVA
  •  

    A EVOLUÇÃO DO LICENCIAMENTO DAS ATIVIDADES DE DRAGAGEM DE AREIA DO RIO POTI EMTERESINA

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 16/07/2015
  • Mostrar Resumo


  • O rio Poti atravessa extensa área da cidade de Teresina e vem sofrendo com os mais diversos tipos de degradação ambiental há considerável tempo, particularmente com a atividade de extração de areia no seu leito. Os impactos diretos mais perceptíveis causados pela extração são o desmatamento de vegetação ecotonal na área de preservação ambiental para instalação de bacias receptoras de areia, a compactação do solo pelo trânsito de veículos pesados (tratores e caminhões), o lançamento de poluentes oleosos oriundos dos motores das máquinas e alteração do ecossistema do leito do rio. O instrumento de gestão ambiental a disposição do poder público para mitigação desses impactos ambientais e otimização do uso dos recursos naturais é o Licenciamento Ambiental. Este trabalho visa estudar a gestão e o licenciamento ambiental da atividade minerária de extração de areia no leito do rio Poti em Teresina, Estado do Piauí, quanto a sua evolução e diagnóstico presente. Para tanto, foi feita uma pesquisa junto aos entes públicos partícipes do histórico do licenciamento dessa atividade e uma pesquisa de campo em cada uma das unidades de dragagem existentes no rio Poti. Discutiu-se sobre a repercussão das recentes alterações na legislação ambiental no licenciamento das atividades de dragagem, a partir da Lei Complementar n° 140/2011 e da Lei Federal n° 12.651/2012, o novo Código Florestal. Os resultados apontam que houve uma evolução nas ferramentas de gestão empregadas no licenciamento da dragagem, mas que existem atualmente diversas irregularidades nos empreendimentos que devem ser remediadas pelo órgão municipal através da gestão das licenças e das renovações. Existem recentes alterações normativas que ainda não estão sendo consideradas nesse processo.

  • DANIEL DE ARAÚJO MARÇAL
  •  

    IMPACTO DOS EFLUENTES TRATADOS NA  ETE-PIRAJÁ SOBRE A QUALIDADE DAS ÁGUAS DO RIO PARANAÍBA, TERESINA-PI

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 30/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • Resumo:


    Entre os usos múltiplos dos corpos hídricos o lançamento e diluição de efluentes merecem atenção e acompanhamento adequado por parte dos órgãos gestores, através do monitoramento dos efluentes e avaliação do impacto na qualidade da água do corpo receptor. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o impacto do lançamento do efluente da ETE-Pirajá sobre a qualidade da água do rio Parnaíba, contemplando a avaliação da eficiência do sistema de tratamento do esgoto; verificação do potencial de assimilação de cargas poluidoras pelo corpo receptor considerando as vazões mínimas e médias; avaliação da qualidade da água a montante e jusante do ponto de lançamento do efluente; avaliação da conformidade dos parâmetros de qualidade frente aos requisitos das resoluções CONAMA 357/05 e 430/11. A área de estudo abrangeu a ETE-Pirajá, localizada na zona norte de Teresina, e o trecho do rio Parnaíba ao montante e a jusante do lançamento dos efluentes da ETE. Como subsídios para avaliação da eficiência do sistema de tratamento e da qualidade da água realizou-se coletas de campo e análises laboratoriais de amostras do esgoto doméstico e da água do rio, durante um período de 12 meses. Foram determinadas as vazões médias e mínimas do rio Parnaíba através da elaboração da curva de permanência. Para avaliação do impacto do lançamento, foram quantificadas as cargas do efluente e do rio a montante e jusante do lançamento, em termos de DBO e Coliformes. A avaliação do tratamento na ETE-Pirajá demonstrou eficiência global adequada para remoção de matéria orgânica e limitada para coliformes. Para possibilitar uma maior eficiência do sistema fazem-se necessárias melhorias na operacionalização dos aeradores e retirada periódica do lodo acumulado no fundo das lagoas. O lançamento do efluente atendeu as condições estabelecidas pela Resolução CONAMA 430/1. As concentrações registradas para as variáveis de qualidade da água atenderam aos parâmetros estabelecidos pela CONAMA 357/05 para rios Classe II, com exceção dos coliformes que ultrapassaram os limites durante a metade do monitoramento em decorrência de poluição difusa. Através do cálculo do IQA e da quantificação das cargas do rio, constatou-se que o lançamento do efluente pela ETE-Pirajá não resulta em impacto significativo sobre a qualidade da água rio Parnaíba. A poluição difusa na zona urbana de Teresina, principalmente o lançamento de esgoto bruto, representam os maiores impactos ambientais para a redução da qualidade da água.

     

     

  • CARLA DLIJANNE FORTES SILVA MACÊDO
  •  

    ANÁLISE SOCIOECONÔMICA E AMBIENTAL DA CADEIA PRODUTIVA DO COCO BABAÇU (Orbignia phalerata, Mart.) EM ESPERANTINA - PI

  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 29/05/2015
  • Mostrar Resumo

  • Historicamente, o babaçu desempenha um papel fundamental na economia do Estado do Piauí e na reprodução sociocultural das famílias que exploram o coco consorciado à pequena produção de alimentos e criação DE ANIMAIS. No espaço rural, é marcante a presença da atividade de extração do babaçu, tendo o município de Esperantina uma grande extensão de babaçual e uma tradicional exploração do recurso, cujos produtos e subprodutos caracterizam-se como principal fonte de renda e subsistência para muitas família. Nesse cenário, questionou-se se a atividade produtiva do babaçu está promovendo a melhoria das condições de vida da população, na exploração, em especial das mulheres quebradeiras de coco, contribuindo para o desenvolvimento da cadeia produtiva, um melhor aproveitamento integral do produto e a preservação dos babaçuais no município. Nessa perspectiva, analisou-se o desenvolvimento da cadeia produtiva do coco babaçu do município de Esperantina, especificamente a quantidade e o valor da produção de babaçu no período de 2004 a 2013, modelar essa cadeia; identificar a existência de organização no âmbito das quebradeiras de coco e as atuações que ocorrem a apontar as tecnologias disponíveis para a exploração e comercialização. Os procedimentos metodológicos utilizados na pesquisa estão baseados em Castro et al (1998), consistindo em análise diagnóstica e em revisão de literatura sendo desenvolvidas pesquisas de campo e levantamentos das áreas com potencial produtivo do babaçu, para verificar os pontos de exploração no município de Esperantina, seus agentes produtores e os subprodutos extraídos do fruto. Também se fizeram coleta e interpretação de dados secundários sobre a produção, a exemplo de seu valor, obtidos em consultas a sítios oficiais de informação sobre a Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS) do Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) e do Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (CEPRO). Conclui-se que em Esperantina o conhecimento das organizações como MIQCB, dos órgãos estaduais e de produtores e comercializadores especializados tornou a cidade mais competitiva na produção e comercialização do babaçu, destacando-se em nível  regional. Os principais produtos comercializados em Esperantina são óleo, azeite, sabão, artesanato e farelo/torta com grande participação do MIQCB na produção e comercialização dos produtos do babaçu, apesar de, na exploração, ocorrerem diversos gargalos, como a baixa produtividade da amêndoa entre as quebradeiras e a ausência  de políticas públicas que viabilizem melhoramentos na atividade.

     

  • MARIA BEATRIZ DIAS COUTINHO
  •  

    O SABER AMBIENTAL E EPISTEMOLÓGICO NO ENSINO: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS NO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA

  • Orientador : GERSON ALBUQUERQUE DE ARAUJO NETO
  • Data: 19/05/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

     
     
    RESUMO
     
    A presente pesquisa buscou analisar como a questão ambiental vem sendo abordada nos livros didáticos, e neste constructo verificar a relevância social desse material de ensino para o meio ambiente. A investigação foi orientada por dimensões, que envolvem o saber ambiental, a interdisciplinaridade e a sustentabilidade. O objetivo geral da pesquisa foi analisar o saber ambiental existente nos livros didáticos de Biologia e a interdisciplinaridade frente ao compromisso com um saber ambiental complexo para a formação do sujeito ecológico. O caminho metodológico dessa pesquisa se iniciou com a escolha de cinco livros de Biologia de autores diferentes. Foram extraídos 26 capítulos para a análise. Neste contexto, o processo metodológico escolhido não foi linear e para chegar à decisão de como fazer análise do referido material seguiu-se trajetória da análise de conteúdo na perspectiva de Bardin.  Os capítulos escolhidos foram analisados inicialmente pela leitura crítica e em seguido feito recortes dos contextos analisados nos capítulos. O processo metodológico contou com a formação de unidades de registros e posterior formação de unidades temáticas. Essas unidades temáticas foram categorizadas em abrangente, representativas e inexpressivas, obedecendo a uma tabela de valores. A categoria abrangente mensurou a presença de um saber Ambiental e interdisciplinaridade existente no livro didático. Os resultados do livro A, apresenta-se como o livro que estar na categoria adequado dentro dos itens: saber ambiental, interdisciplinaridade e sustentabilidade. O livro C e E se configura como sendo possuidor de um saber ambiental e interdisciplinar, se enquadram dentro da categoria Plausível e a sustentabilidade  na categoria adequada, os livros B e D são simplistas, possuem uma interdisciplinaridade e um saber ambiental de forma mais silenciada. Para a dimensão sustentabilidade, o livro B é plausível e o livro D é simplista.
     
     
     
  • KELLY NAYARA CUNHA DOS SANTOS
  • PERCEPÇÃO DO VALOR AMBIENTAL DAS ABELHAS (Hymenoptera Apidae) DOS  APICULTORES DO SERTÃO PIAUIENSE

  • Orientador : MAY WADDINGTON TELLES RIBEIRO
  • Data: 14/05/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    PERCEPÇÃO DO VALOR AMBIENTAL DAS ABELHAS (Hymenoptera, Apidae) DOS APICULTORES DO SERTÃO PIAUIENSE.


    As abelhas são insetos com grande importância socioambiental, essenciais ao bem estar do meio ambiente por serem o mais importante grupo de polinizadores, prestadores, portanto, de serviços ecossistêmicos à população. No entanto, pesquisas indicam que estes insetos vêm sofrendo declínio no número de indivíduos em várias partes do mundo. Concomitantemente temos que a realização da atividade apícola possui relevância, no ponto de vista ambiental, por atender aos critérios ecológico, social e econômico, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável. No Brasil o Projeto de Lei nº 792/2007 surge com o intuito de regulamentar o uso dos serviços ambientais (ecossistêmicos), onde se enquadram os serviços prestados por abelhas, bem como definir e estabelecer o pagamento pelo uso desses serviços. A realização da apicultura possibilita o estreitamento da relação abelha-homem, contribuindo positivamente para a formulação das percepções sobre o meio ambiente. Então, a opinião de autoridades políticas, que vem sendo discutidas em altas instâncias, e de especialistas em torno do valor dos serviços ecossistêmicos impulsionaram a realização desta pesquisa, ao passo que a partir dela possa ser traçado um comparativo entre a percepção dos apicultores e a discussão especializada. Essa pesquisa trouxe como resultado a confecção de dois artigos, cujos objetivos foram analisar a percepção dos apicultores sobre a importância, bem-estar, satisfação e andamento das atividades apícolas e registrar a percepção desses apicultores quanto à importância e variedades de abelhas existentes na região estudada. A pesquisa foi desenvolvida com os apicultores da comunidade Moreira, Simplício Mendes-PI, região semiárida onde os apicultores encontram-se organizados em associativismo. Foram entrevistados todos os apicultores moradores de Moreira associados (25 indivíduos) a COMAPI – Cooperativa Mista dos Apicultores de Simplício Mendes-PI, além disso, durante as visitas foram realizadas anotações em diário de campo. Os resultados indicaram a grande satisfação dos apicultores com a atividade e associaram a importância das abelhas e apicultura no aumento da renda. Entretanto, quase todos os apicultores afirmaram não ter condições de sobreviver somente da apicultura, inclusive devido as grandes perdas de enxames que ocasionam a diminuição da produção de mel, atribuindo tal fato à seca. Os apicultores também mencionaram uma diminuição na quantidade de abelhas nativas, além da modificação/diminuição da flora apícola. Por fim, destaca-se o reconhecimento dos apicultores sobre o valor ecológico e social das abelhas, inclusive a realização da polinização, mesmo que algumas percepções ainda não estejam tecnicamente estabelecidas.

     

     

     

     

     
  • RITA DE CÁSSIA DE SANTANA TEIXEIRA
  • O TRABALHO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO PIAUÍ: CONTROLE  SOCIAL, DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 27/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • A merenda escolar no Brasil é regida pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE, um dos maiores programas de alimentação escolar do mundo, coordenado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE. Com intuito de complementar a alimentação diária dos alunos, e resguardar uma necessidade biopsicossocial, o programa conta com o Conselho de Alimentação Escolar – CAE, para acompanhar e fiscalizar seu funcionamento. Uma das exigências do programa é que 30% da merenda escolar seja fornecida pela agricultura familiar, indígena ou quilombola, medida que visa o fortalecimento da economia local, manutenção da cultura alimentar e preservação do meio ambiente. Além disso, acompanhada de uma oferta de alimentação saudável, ecológica e que desenvolve, tem-se a obrigatoriedade da Educação Alimentar e Nutricional, que deve reforçar os bons hábitos alimentares, para que estes sejam assimilados e transmitidos à sociedade, uma forma de garantir a saúde através da educação. Com isso, o presente trabalho buscou saber se o CAE está atuando de forma eficiente para permitir o sucesso do programa. O trabalho foi divido em 3 etapas: “estado da arte”, entrevista com os presidentes dos CAE’s municipal e estadual de Teresina e análise de documentos. O estado da arte mostrou que a maior parte dos trabalhos sobre alimentação escolar ainda enfocam os aspectos nutricionais. Apesar da crescente produção científica, em comparação com a produção mundial, o Brasil ainda pouco pesquisou sobre a merenda escolar, e essa diferença também é perceptível se feita uma comparação por regiões. Na pesquisa feita com os dois presidentes, percebeu-se uma diferença na execução do programa nas duas redes de ensino, pois no município, a compra é feita pela secretaria e distribuída para as escolas, o que permite mais facilmente a execução correta do PNAE, já no estado, como cada escola é autônoma, verificou-se a dificuldade de seguir a exigência dos 30%. Outros problemas foram detectados, como: falta de estrutura para o CAE do estado; falta de estrutura nas escolas; recurso insuficiente; fraudes; corrupção e má administração. Na 3ª etapa do trabalho, são poucos documentos disponibilizados para fiscalização por parte da população, esta que se faz necessária, uma vez que foi observada a presença de irregularidades em municípios do Piauí quando à documentação da merenda escolar.

     

  • MARIA DE FATIMA SOUSA SILVA
  • PERCEPÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO CONTEXTO DO RIO ITAPECURU EM CAXIAS-MARANHÃO

  • Orientador : GUSTAVO SOUZA VALLADARES
  • Data: 22/04/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    RESUMO

     

    Diante da crise civilizatória, a humanidade precisa compreender que o meio ambiente necessita de cuidados e de medidas para amenizar a problemática ambiental. A escassez dos recursos naturais encaminha cada vez mais à humanidade a crise planetária. O ensino de Educação Ambiental é compreendido hoje como aquele que desenvolve competências e atitudes em prol do meio ambiente e do indivíduo. Esta pesquisa foi realizada em Caxias – MA, cidade privilegiada pela presença do rio Itapecuru. Embora esse recurso hídrico tenha muita importância para a cidade e para todo o estado, a forma como ele vem se apresentando, em decorrência do desprezo do poder público e da população, denuncia cada dia sua extinção, caso não haja outra forma de intervenção. O estudo objetivou analisar a percepção dos alunos e professores sobre a problemática no contexto sócio-histórico e ambiental do rio Itapecuru em Caxias.  A investigação foi realizada em duas escolas públicas dessa cidade. Como estratégia metodológica, optou-se por uma escola próxima e outra distante do rio; a mostra totalizou 108 alunos do 6º ano e 20 professores das respectivas escolas. A pesquisa é de caráter quantiqualitativo; na metodologia, apropriou-se dos instrumentos para a construção dos dados dos alunos: produção de desenhos, representando o rio Itapecuru e aplicação de questionários fechados. Quanto aos professores, utilizamos questionários estruturados semiabertos. Na análise dos dados recorreu-se à técnica de análise de conteúdo.  Para identificar as concepções dos investigados sobre  meio ambiente, estabeleceu-se como parâmetro três categorias: naturalista, antropocêntrica e contemporânea. Ao final do trabalho, conclui-se que os alunos da escola distante do rio demonstraram ter maior percepção da problemática em relação aos alunos da escola próxima do rio; no entanto, em aspectos gerais, o nível de conhecimento dos alunos ainda é considerado baixo sobre a temática. Quanto aos professores, apresentaram apenas duas tendências de visões de meio ambiente: contemporânea e naturalista, com predomínio da última.

     

     

  • JOSELITO FELIX SILVA FILHO
  • GESTÃO DA ENERGIA ELÉTRICA BASEADA EM INDICADORES DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: CONSUMO SUSTENTÁVEL DE ENERGIA EM ESCOLAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DE TERESINA

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 14/04/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A pesquisa foi desenvolvida em escolas da rede pública municipal da cidade de Teresina - Piauí, para reduzir os desperdícios com energia elétrica e avaliar técnicas e indicadores de eficiência energética visando dar sustentabilidade a gestão da energia elétrica nestas escolas do ensino fundamental. Foram desenvolvidas atividades de levantamento do estado-da-arte sobre metodologias de gestão de indicadores de eficiência energética, estudos de técnicas de apoio à decisão multicritério (Multi Criteria Decision Aid – MCDA), definido os indicadores de eficiência energética para avaliar a aplicação da metodologia e determinar um ranking de escolas com potencial para eficiência energética. Por fim, com base num diagnóstico energético levantado em campo, foi realizado um desenho de plano de ações de eficientização energética para escolas públicas municipais selecionadas, concluindo sobre a viabilidade econômica do plano de ações de eficientização energética e seus impactos energéticos, ambientais e sociais, sob o ponto de vista de sustentabilidade. Para atingir estes objetivos, foi realizado levantamento das escolas públicas existentes na área urbana de Teresina, junto a Secretaria Municipal de Educação de Teresina, envolvendo localização, acesso e quantidade de escolas, num total de 103 escolas. Um questionário foi definido com vistas a levantar dados físicos da edificação, horários de funcionamento e operação, infraestrutura e equipamentos existentes, instalações elétricas e a quantidade de professores, funcionários e alunos, os quais foram utilizados na construção dos indicadores de eficiência energética. Foram levantados dados de consumo de energia elétrica, por escola para os últimos doze meses. Aplicado a metodologia de decisão multicritério com auxílio do software Macbeth e encontrado a função matemática geral que proporciona uma classificação ou ranking de escolas, considerando seu potencial de eficiência energética para cada uma delas. Testou-se a metodologia em 12 escolas com características diversas, inclusive em relação à posição no ranking, para aferir a aplicabilidade da metodologia Multi Criteria Decision Aid frente a metodologia da Agência Nacional de Energia Elétrica, cujos resultados positivos são apresentados na conclusão final. Assim, o gestor dos programas de eficiência energética da concessionária local, ou o gestor da educação municipal, ou mesmo o diretor de cada unidade de ensino fundamental terão subsídios para iniciar o desenvolvimento de planos de ações em eficiência energética.

     

     

     

     

     

  • NATALIA ALVES LIMA
  • EFICIÊNCIA E ÍNDICE DE ESTADO TRÓFICO DE LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO NO TRATAMENTO DE EFLUENTES DE MATADOURO BOVINO

  • Orientador : CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
  • Data: 31/03/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

       


    Objetivous-se avaliar a eficiência do sistema de tratamento adotado por um matadouro bovino por meio de análises físico-químicas e microbiológicas das águas residuárias do matadouro assim como, classificar as lagoas de estabilização presente no tratamento adotado de acordo com seu grau de trofia. A pesquisa foi realizada no município de Teresina-PI. As amostras foram coletadas nas saída das instalações e na saísda das três lagoas facultativas que copoem o sistema de tratamento. O sistema de lagoas de estabilização em série apresentou uma eficiência total de remoção de 99,12% da DBO e 94,95% para DQO. Para turbidez sólidos totais, fósforo total, nitrato, nitrito e coliformes termotolerantes a efiêcia de remoção foi de 93,44: 83,21: 18,07: 90,73: 91,02: e 97,89% respectivamente. O sistema de lagoas de estabilização em série mostrou uma eficiência satisfatória na remoção de matéria orgânica.



  • DIOGO AUGUSTO FROTA DE CARVALHO
  • A AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NA ZONA URBANA DE CAMPO MAIOR-PI

  • Orientador : CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
  • Data: 30/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • A zona urbana do município de Campo Maior – PI, localizado a 84 km de Teresina,

    com uma população de 33.521 mil habitantes, é servida pelo Sistema de Abastecimento

    de Água e Esgoto (SAAE), cuja fonte de suprimento d’água para consumo humano é o

    manancial subterrâneo da bacia hidrográfica do Parnaíba, composto pelo aquífero Poti-
    Piauí. Devido ao risco de alteração inerente à áreas urbanas, tal aquífero necessita de

    avaliação e monitoramento contínuos, posto que existe o risco de contaminações que

    pode comprometer a qualidade da água para o consumo humano, seja em decorrência da

    própria composição pedológica da região e/ou problemas na captação, no

    armazenamento e distribuição, deixando a população suscetível a doenças de veiculação

    hídrica. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a qualidade da água para consumo humano

    na zona urbana no município de Campo Maior – PI, com base no monitoramento

    realizado nos meses de janeiro a junho de 2014, verificar a relação da qualidade com o

    sistema de abastecimento utilizado, seu nível de manutenção, a situação higiênica dos

    estabelecimentos e a existência de fontes pontuais e difusas de poluição e relacioná-las

    com a educação ambiental na gestão dos recursos hídricos municipais. Em oito locais de

    amostragem na zona urbana, foram avaliados nove parâmetros de qualidade, sendo dois

    físicos (turbidez e condutividade), cinco químicos (nitrito, nitrato, amônia, pH e

    alcalinidade) e dois biológicos (coliformes totais e E.coli). Os resultados das análises

    foram comparados mediantes as especificações da Portaria 2914/2011 do Ministério da

    Saúde, que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da

    água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Para a interpretação dos

    dados obtidos, realizaram-se estudos complementares de análise dos valores máximo e

    mínimo, média, mediana, desvio-padrão e testes não-paramétricos de correlação entre as

    variáveis obtidas (qui-quadrado, correlação de Spearman e teste de Wilcoxon) além de

    levantamento geológico e populacional da região. Constatou-se que apenas o parâmetro

    microbiológico apresentou não conformidade com as especificações da Portaria, sendo

    que os coliformes termotolerantes indicaram presença em 47,9% das amostras e E.coli,

    presente em 37,5% do total de amostras. Observou-se também correlação negativa entre

    o pH e condutividade; e entre a turbidez e o nitrito, mas observou-se uma correlação

    positiva entre a alcalinidade e nitrito; e entre E.coli e pH. Foi verificada associação entre

    a presença de coliformes e E.coli com os casos de diarreia observados durante o período

    monitorado. Constatou-se ainda que o sistema de captação, reservação e distribuição da

    água são, na maioria dos pontos selecionados para a coleta, mal conservados e

    desprovidos de higienização periódica. A captação ocorre por meio de bombas

    submersas que frequentemente ficam inativas devido às oscilações de energia elétrica. A

    distribuição da água para consumo humano dá-se, na maior parte da área estudada, por

    meio de tubulação de cimento-amianto antigo e deteriorado, que provoca perdas de até

    60% do volume produzido, além da possível ocorrência de eventos contaminantes pelo

    consumo da água distribuída, devido à presença de coliformes fecais na água analisada.

    Há necessidade de medidas preventivas e corretivas de educação ambiental mais

    rigorosas nos sistemas de abastecimento de água de Campo Maior - PI, principalmente

    na troca da tubulação de cimento-amianto por Policroreto de vinila e ações de educação

    ambiental na reservação e consumo como possível fonte de contaminação.

    Palavras-chave: Qualidade da água. Consumo Humano. Portaria 2914/2011.

     



     

  • LEANDRO JOSE RIBEIRO BATISTA
  •  

    PNEUS (IN) SERVÍVEIS: AÇÕES E LIMITAÇÕES DO GERENCIAMENTO NA CIDADE DE TERESINA/PI

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 25/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os problemas relacionados aos resíduos sólidos se agravaram de maneira acentuada nas cidades, em virtude do crescimento da população e da economia. Dessa forma, a preocupação com a destinação de pneus aumenta em função de seu formato e durabilidade, uma vez que a maior parte dos pneus inservíveis descartados é relegada a locais ambientalmente inadequados. Nesse contexto, foi concebido o conceito de responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, gerando assim um ciclo de responsabilidades entre a sociedade e as instituições públicas e privadas, o que despertou para o estudo sobre o manejo do pneu inservível. Assentado nessa configuração questionou-se: como se desenvolve o manejo de pneu inservível em Teresina, com vistas à construção de uma cidade sustentável? Com base nessa problemática, a hipótese assenta-se em que o gerenciamento de pneus inservíveis implementado na cidade de Teresina não contribui para a sustentabilidade local. Diante do exposto, analisou-se como se processa o gerenciamento dos pneus inservíveis da cidade Teresina nos aspectos socioeconômicos e ambientais. Para tanto, especificaram-se os arranjos legais, institucionais e administrativos que estabelecem o manejo de pneu inservível; identificaram-se os agentes responsáveis pelo gerenciamento dos pneus inservíveis em Teresina; investigaram-se as ações dos gestores do município de Teresina para o manejo de pneus inservíveis e verificaram-se as ações dos agentes privados sobre o manejo de pneus inservíveis. Esta pesquisa caracteriza-se como qualitativa e descritiva analítica, com foco na observação e interpretação da realidade sob investigação. Dessa forma, escolheram-se os participantes de acordo com a posição que ocupam no processo de responsabilidade compartilhada instituída pela Resolução 416/09 e pela Lei 12.305/10. Nessa perspectiva, a definição da amostra foi por acessibilidade. A partir do contato com os participantes e suas instituições e as informações obtidas nas entrevistas, constatou-se que o gerenciamento de pneus inservíveis implementado na cidade de Teresina não contribuiu para a sustentabilidade local, constatando a ineficácia do processo de gerenciamento nos aspectos socioeconômicos e ambientais. Ressalta-se, ainda, que a prática do poder público estava pautada em uma visão reducionista e distante do real objetivo das propostas do planejamento urbano.

     

     

     





  • CARLOS VANGERRE DE ALMEIDA MAIA
  • DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA PREVALÊNCIA DE ENTEROPARASITÁRIA  E CONDIÇÕES SOCIOSSANITÁRIAS  EM LIMOEIRO DO NORTE-CE

  • Orientador : GUSTAVO SOUZA VALLADARES
  • Data: 17/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • As parasitoses intestinais se constituem como indicador socioeconômico de uma

    comunidade, sendo sua ocorrência agravada por carência de políticas públicas eficazes

    ao seu combate, subnotificações e/ou por aspectos sanitários e educacionais deficitários.

    Em Limoeiro do Norte – CE, buscou-se, através de dados secundários, oriundos do

    Hospital Regional Dr. Deoclécio Lima Verde (HRDLV) e do Sistema de Informação a

    Atenção Básica (SIAB), traçar a Prevalência de Parasitoses Intestinais (PPI) em

    usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) do município e relações com variáveis

    socioambientais que pudessem se constituir como fator de proteção a este evento, sendo

    utilizados os percentuais de atendimento por serviços de saneamento básico e os

    aspectos educacionais de famílias inseridas em territórios delimitados e adstritos a

    Unidades Básicas de Saúde (UBSs), cuja representação foi proporcionada pelo uso do

    geoprocessamentoo. Para esta pesquisa, delimitou-se uma série histórica compreendida

    entre os anos 2009 e 2013. Constatou-se prevalência de 20,9% dos usuários do SUS que

    realizaram exames parasitológico de fezes no período, maior ocorrência de

    monoparasitismo pelo teste de Qui-quadrado (X²) (p < 0,05), sendo os adultos e os

    homens os mais acometidos. A Zona Rural foi a região municipal onde o evento foi

    mais frequente pelo X² (p < 0,05), se configurando com como área de risco quando

    comparada a Zona Urbana (p < 0,05; Razão de Prevalência = 1,4). Observou-se

    diferença estatisticamente significativa entre a prevalência ao longo dos anos (p < 0,05),

    com redução de 2,6% ao ano (p <0,05), através de Regressão Linear Simples. A fim de

    averiguar se fatores sociossanitários intervêm no enteroparasitismo, através das

    variáveis que representem o acesso de famílias ao Serviço de Abastecimento de Água

    (SAA), Serviço de Esgotamento Sanitário (SES), Coleta de Resíduos Sólidos (CRS),

    indivíduos entre 7 e 14 anos na escola (ESC) e maiores de 15 anos alfabetizados

    (ALFA), foi gerado um indicador composto denominado Perfil Sociossanitário dos

    Territórios (PST), cuja pontuação advém da soma dos percentuais dessas variáveis

    contidas no Relatório dos Consolidados das Famílias Cadastradas, que alimentam o

    SIAB, podendo atingir, no máximo, 500 pontos. Constatou-se que em todos os anos, o

    indicador se comportou como fator de proteção, uma vez que o valor da correlação de

    Pearson foi negativo para todos. Em 2010, a correlação obteve seu maior valor, sendo

    inversamente proporcional e estatisticamente significativo (r = -0,69; p = 0,009).

    Através de Análise de Componentes Principais (ACP), aferiu se as variáveis eram

    adequadas ao modelo, o que foi confirmado pela medida Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e

    pelo Teste de esfericidade de Batlett (p < 0,01). Assim, pode-se aventar que o SIAB

    pode ser uma útil ferramenta em estudos que busquem relacionar condições

    socioambientais e prevalência enteroparasitária, tomando como base os territórios

    adstritos das UBSs.


  • SARA ZILANDA LIMA DA SILVA
  •  

    LABORATÓRIO CENTRAL DE SAÚDE PÚBLICA DR. COSTA ALVARENGA: UMA PROPOSTA DE APLICABILIDADE DA FERRAMENTA DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA.

     

  • Orientador : MARIA ALEXSANDRA DE SOUSA RIOS
  • Data: 16/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • A humanidade tem passado por profundas modificações desde suas primeiras

    organizações. Com o advento da Revolução Industrial (Século XIX) e a passagem do

    processo de produção para larga escala essas mudanças foram refletidas também no

    ambiente natural em que os seres estavam inseridos. Para tentar emitir um alerta, a

    natureza começa a reagir de maneira não muito positiva, a exemplo de chuvas ácidas,

    alagamentos, enchentes pontuais e o mais recente, escassez de água potável em algumas

    regiões. Tentando corrigir ou minimizar essas investidas, grupos isolados se

    organizaram em prol do meio ambiente e suas questões iniciam um processo de

    conscientização que atinge a todos, através dos meios de comunicação, conferências e

    encontros internacionais e o importante elo entre diversas nações. Um aclame em favor

    das questões ambientais é produzido e dá-se início a diversas ações com esse fim.

    Apesar disso, algumas instituições, a exemplo de empresas e prestadores de serviços,

    não conseguiram visualizar uma ponte entre a preservação dos recursos naturais e o

    progresso de seus empreendimentos e almejando alcançar essa esfera da sociedade, foi

    que em 1994, com uma iniciativa conjunta entre a Organização das Nações Unidas para

    o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), e o Programa das Nações Unidas para o Meio

    Ambiente (UNEP), lançaram o Programa dos Centros Nacionais de Produção mais

    limpa (National Cleaner Production Centres – NCPC), com o intuito de promover

    práticas de Produção mais limpa em países não desenvolvidos e em desenvolvimento,

    práticas estas que incluem a aplicação de uma estratégia técnica, econômica e ambiental

    integrada aos processos e produtos, a fim de aumentar a eficiência, minimizar resíduos e

    emissões, com vistas a benefícios ambientais, de saúde ocupacional e econômico. O

    Lacen-Piauí, é um laboratório de saúde pública que desempenha suas funções de

    maneira excelente, pois tem um foco na precisão dos resultados de seus exames e na

    transparência de suas atividades. E tentando contribuir para a eficiente realização das

    ações do referido laboratório frente às questões ambientais, que o presente trabalho foi

    proposto, com o objetivo de analisar as atividades do laboratório, a partir da ferramenta

    de Produção Mais Limpa (P+L), alcançando melhorias no desempenho ambiental na

    execução de suas atividades desenvolvidas. O modelo de P+L utilizado foi o proposto

    pelo Centro Nacional de Tecnologias Limpas-CNTL (2003). Para respaldar as

    interferências, fez-se uso da Educação Ambiental com o intuito de conscientizar os

    envolvidos e assim angariarem-se parceiros.

     

  • DAYANNE BATISTA SAMPAIO
  • "A CARNE É FRACA? " PERCEPÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DA PRODUÇÃO E CONSUMO ALIMENTAR

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 13/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os padrões de produção e consumo representam uma das temáticas necessárias para a

    reflexão acerca da relação entre sociedade e ambiente. Nesse contexto, insere-se o

    campo da alimentação porque constitui um campo de disputas específicas e apresenta

    dilemas relativos à produção e distribuição de alimentos nas sociedades

    contemporâneas. Atenta-se para a alimentação enquanto tomada de decisão que influi

    coletivamente, pois ultrapassa a esfera privada das preferências individuais,

    recomendações nutricionais e médicas, passando a atuar na esfera pública. Sendo

    também um cidadão, o consumidor torna-se agente ambiental nas suas práticas

    alimentares. Nesta pesquisa, essa relação com o consumo e com o exercício da

    cidadania ambiental e a prática alimentar foi aprofundada a partir da discussão sobre o

    consumo de carnes. Partiu-se do reconhecimento de que as carnes possuem grande

    representação no processo de alimentação humana. A perspectiva aqui proposta abarcou

    elementos socioculturais, religiosos, econômicos e éticos que possibilitaram um enfoque

    ambiental. Objetivou-se, pois, analisar a(s) percepção(ões) de consumidores sobre os

    impactos ambientais da produção e do consumo de carnes. Participaram desta pesquisa,

    consumidores que inserem carne na sua dieta alimentar. Todos foram esclarecidos a

    respeito da pesquisa e convidados a assinar o Termo de Consentimento Livre e

    Esclarecido (TCLE) de forma individual e em grupo. Optou-se pela técnica de grupo

    focal como ferramenta primeira e pela entrevista individual em profundidade como

    complemento na obtenção das informações, as quais passaram pela Análise de

    Conteúdo Temática. Verificou-se que os participantes não se posicionam como cidadãos

    nas suas práticas alimentares e no consumo de carnes e apontam o mercado como

    grande influenciador no processo perceptivo, dificultando o olhar reflexivo-sensível e a

    reação do consumidor perante as forças do mercado. Constatou-se uma visão

    egocêntrica em relação ao consumo de carnes, prevalecendo a preocupação com a saúde

    tanto para o consumo quanto para o não consumo ou sua redução. Observou-se que os

    consumidores não reconheciam a discussão sobre consumo sustentável e não percebiam

    o consumo de carnes como gerador de impactos ambientais. Em relação a propostas

    politizadoras como a “Segunda sem Carne”, apresentaram-se algumas contradições

    quanto à sua importância e algumas resistências à sua implementação, bem como a

    desconsideração da tríplice que fundamenta a campanha. Verificou-se ainda, uma visão

    egocêntrica em relação à questão ambiental e, portanto, uma percepção dissociada do

    ambiente. Por fim, espera-se que esta pesquisa possibilite uma reflexão sobre o

    exercício da cidadania no contexto das práticas alimentares e do consumo de carnes e

    que sejam realizadas ações voltadas à construção de uma percepção ambiental, pois, a

    partir do seu pensar no espaço e vivê-lo no tempo, das suas percepções sobre a 

    realidade, os sujeitos podem manifestar sua leitura sobre o mundo e reorientar-se nessa

    relação.

     

     

  • NAYARA DANNIELLE COSTA DE SOUSA
  • A PERCEPÇÃO DA POLUIÇÃO E O IMPACTO SOBRE OS ORGANISMOS

    ZOOSPÓRICOS NO RIO POTI, TERESINA – PI.

     

     

     

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 25/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A proteção à saúde pública é a exigência primordial para que se tenha uma boa qualidade de água. Portanto, o monitoramento e avaliação da qualidade da água é um dos principais instrumentos para execução da política de planejamento e gestão de recursos hídricos. A degradação dos ecossistemas aquáticos gera grande perda de biodiversidade. Então, para que a sociedade tenha uma maior compreensão da necessidade de uma boa qualidade da água o processo de participação social precisa estar afinado com as necessidades reais da população. O rio Poti tem grande influência na vivencia da população local e com isso, observa-se o impacto diante da qualidade das águas do rio dentro do perímetro urbano na cidade de Teresina – PI, afetando assim, a ecologia do rio e sua microbiota, e dentre elas as populações de organismos zoospóricos. Esta pesquisa objetivou contribuir para sociedade e comunidade científica, relacionando a qualidade da água do rio Poti no perímetro urbano de Teresina – PI com o conhecimento da diversidade das populações de organismos zoospóricos. Assim foram realizadas coletas bimestrais de solo e água em seis pontos a margem do rio Poti no período de Agosto/2013 a Agosto/2014. Para o isolamento dos organismos zoospóricos foi utilizada a técnica da iscagem múltipla. Obteve-se 185 isolamentos de organismos zoospóricos distribuídos em 36 táxons. O filo Blastocladiomycota apresentou 4 táxons e Chytridiomycota com 17 táxons, sendo que Cladochytrium setigerum Karling e Catenaria anguillulae Sorokīn, são as primeiras citações para o Piauí e Monoblepharella taylorii (Sparrow) Sparrow como a primera citação para o Brasil, ambos Reino Fungi e filo Oomycota (Reino Stramenopila) com 15 táxons registrados. Os resultados dos índices de Abundância (A) e Frequência (F%) dos organismos zoospóricos sugerem que a ocorrência e distribuição das populações podem ser independentes das condições abióticas, como a temperatura (ºC) e Índice de qualidade de água – IQA devido a um teste de comparação de médias (Teste de Shapiro-Wilk, Teste de Lavene, ANOVA, Teste de Tukey e Correlação de Pearson) que indicou uma correlação sem significância estatística. O processo de degradação ambiental observado no rio Poti, perímetro urbano de Teresina, na recepção de efluentes sem tratamento é preocupante tanto pela importância social que o rio representa quanto pela degradação ambiental e o desequilíbrio que vem sofrendo. Este trabalho também buscou tratar do tema poluição no rio Poti dentro do perímetro urbano de Teresina relacionado com a informação ambiental em sítios eletrônicos, podendo constatar representatividade na mídia eletrônica local com 79 publicações nos três sites locais pesquisados, e que o problema ambiental é colocado como noticia nestas publicações, mas ainda não apresentam soluções e com pouca fundamentação teórica sobre o tema. Ainda pode ser percebido que o aumento de número das reportagens coincide com o mesmo período de aumento dos problemas ambientais no rio. Então é necessário a promoção nos indivíduos a formação em Educação Ambiental. E assim, torna-se essencial a continuação das pesquisas que abordem o tema da percepção ambiental.

     

     


     

  • JOSÉ RODRIGUES DE ALMEIDA NETO
  •  

    ETNOBOTÂNICA E ETNOENTOMOLOGIA EM COMUNIDADES RURAIS DA SERRA DO PASSA-TEMPO, CAMPO MAIOR-PI

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 24/02/2015
  • Mostrar Resumo

  • O diverso uso das plantas é bastante difundido no Brasil, dadas as suas características

    culturais e riqueza vegetal, especialmente nos espaços rurais. A pesquisa foi realizada nas

    comunidades rurais Nova Vida e Passa-Tempo, situadas na Serra do Passa-Tempo, uma área

    de transição cerrado/caatinga no município de Campo Maior, estado do Piauí.  O proposito do

    estudo foi: levantar as plantas medicinais, suas partes e as formas de uso pelos moradores das

    comunidades; conhecer o domínio cultural de plantas inseticidas e repelentes e a existência de

    consenso desse conhecimento; verficar como são conhecidos e percebidos os insetos pelos

    entrevistados.  No período entre julho de 2013 a agosto de 2014, através do método de

    entrevistas por residência, formulários semiestruturados e listra livre foram aplicados em

    todas as casas (n=31) das duas comunidades, perfazendo 63 entrevistados, dos quais, quatro

    desses eram surdos-mudos, que para tal, foi necessário o auxilio de uma intérprete local.

    Realizaram-se turnês-guiadas para as coletas botânicas que foram depositadas no Herbário

    Graziela Barroso da Universidade Federal do Piauí. Coletas também foram procedidas para a

    captura dos insetos, e os espécimes identificados foram incorporados ao Laboratório de

    Fitossanidade da mesma instituição. Um total de 74 espécies de plantas medicinais foi citado,

    usadas por meio de 14 preparações como: azeite, banho, cataplasma, decocto, garrafada,

    inalação, infusão, in natura, lambedor, maceração, pó, suco, tintura e vinho-medicinal. A

    espécie Chenopodium ambrosioides L. apresentou uma maior diversidade de uso medicinal

    obtendo o valor máximo do índice de importância relativa (IR=2), e através do índice de fator

    de consenso informante (FCI) verificou-se um maior consenso entre os informantes para o

    conjunto de plantas usadas no tratamento de doenças da pele e do tecido subcutâneo (FCI=

    0,67).  Verificou-se também que os entrevistados definem o domínio cultural de plantas

    repelentes e inseticidas pelo critério de uso, plantas utilizadas para espantar ou matar insetos

    respectivamente. Ao todo, 18 espécies pertencentes ao domínio de plantas repelentes e

    inseticidas foram citadas, que através do índice de saliência de Smith (IS) e das obeservações

    feitas em campo como indicações e formas de uso, foi possível apontar cinco rupturas desse

    conhecimento. A espécie com maior saliência cultural foi Azadirachta indica A. Juss. , que

    juntamente com Croton campestres A. St. Hil foram definidas pela análide de consenso

    cultural (CC) como as espécies que definem o consenso desse domínio dentro das comunides.

    Na análise de escalonamento multidimensional (MDS) do grupo de entrevistados foi possível

    visualizar dois grupos bem definidos, um formado por 29 entrevistados e outro por apenas um

    definido a partir do seu conhecimento.  Na análise do grupo de plantas, visualizaram-se pelo

    MDS cinco agrupamentos definidos pelo critério de uso dessas espécies. Um total de 62

    animais foi citado na etnocategoria inseto, dos quais, 28 não pertencem à classe Insecta. Tal

    motivo repousa na forma como os entrevistados percebem esses animais, que em geral é de

    forma negativa, como organismos portadores de alguma nocividade, causadores de injúrias,

    ofensas, e perturbações, o que corrobora a hipótese da ambivalência entomoprojetiva. No

    entanto, os insetos também foram adjetivados como animais bons, pois em geral possuem

    alguma função ou valor atribuído. Na visão dos entrevistados, os insetos podem prever

    situaçãoes futuras, ou seja, entomoáugures. Viu-se também que aspectos relacionados a

    biologia desses animais são percebidos pelos informantes. Entende-se que as comunidades

    estudadas possuem um rico conhecimento etnobiológico, no que se refere a plantas

    medicinais, repelentes e inseticidas e o direcionado aos insetos. As plantas bioativas indicadas

    no estudo necessitam ser testadas fitoquimicamente para dar segurança a esses às

    comunidades rurais.


  • HERICA MARIA SARAIVA MELO
  • CONSUMO SUSTENTÁVEL: O AGIR AMBIENTALMENTE CONSCIENTE DOS PROFESSORES DO COLÉGIO TÉCNICO DE TERESINA/UFPI

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 05/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação versa sobre discursos, práticas e atuação dos professores acerca do consumo sustentável e foi elaborada sob a forma de três artigos científicos. A pesquisa utilizou entrevistas em profundidade com dezoito professores do Colégio Técnico de Teresina, escola técnica vinculada à Universidade Federal do Piauí. O primeiro artigo teve como objetivo identificar as preocupações ambientais e as percepções dos professores acerca das consequências adversas dos seus atos de consumo. O segundo artigo caracterizou as práticas de consumo dos professores, analisando convergências e divergências entre o discurso e a prática de consumo. Os resultados, interpretados por meio da análise qualitativa de conteúdo, indicaram que predomina a visão antropocêntrica na relação com o meio ambiente, sendo que este é percebido como recurso e como problema. Verifica-se que a intenção de agir nem sempre se reflete em ação e que as preocupações dos professores ainda são baseadas em eventos que afetam somente a si próprios e em curto prazo. Considera-se que a prática de consumo nem sempre é coerente com o discurso ambientalmente responsável, pela existência de elementos motivacionais (falta de interesse, comodidade) e contextuais (restrições de tempo, cultura, aspectos financeiros). O terceiro artigo ampliou essa discussão do consumo, analisando os discursos dos professores no modo operacional, na cotidianidade do espaço escolar. Tendo em vista os resultados dos dois artigos anteriores que apontaram, respectivamente: i) predominância da visão antropocêntrica na relação com o meio ambiente; ii) aspectos da racionalidade econômica em detrimento da ecológica; procurou-se, neste último artigo, apontar as práticas de educação ambiental e as possibilidades de inserção do tema “consumo” nas disciplinas ministradas pelos professores entrevistados. Por último, na conclusão, ressalta-se a importância da ampliação da percepção de si para o mundo e o fortalecimento da participação dos docentes na esfera pública como promotores para uma sustentabilidade global. Percebe-se a importância da conscientização e do incentivo à mudança de valores e de comportamentos de consumo e, ao mesmo tempo, a necessidade de políticas públicas que invistam na formação docente em prol do enfrentamento de uma realidade socioambiental que se evidencia em crise.

     

     

     
     
     

     

     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     

     
     
     
     
     
     
     
     

     

     
     
     
     
  • EVANGELINA DA SILVA SOUSA
  • CONTRATAÇÕES PÚBLICAS SUSTENTÁVEIS NA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL: UM ESTUDO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 05/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa se propôs a analisar a relação entre os instrumentos convocatórios e os relatórios de gestão da Universidade Federal do Piauí quanto à existência de critérios de sustentabilidade ambiental. A investigação possui abordagem qualitativa, e foi desenvolvida através de um estudo de caso. A coleta de dados foi realizada em três etapas. A primeira consistiu na pesquisa documental referente a 45 (quarenta e cinco) editais de licitação e relatórios de gestão referentes ao triênio 2011-2013. A segunda etapa compreendeu a aplicação de um questionário com perguntas abertas e fechadas com agentes requisitantes de compras, e na terceira foram realizadas entrevistas semiestruturadas com servidores de nível tático e estratégico da Instituição. Os dados foram analisados através das técnicas de análise de conteúdo e do discurso. Com a análise dos resultados, percebeu-se que apenas nas aquisições do Núcleo de Tecnologia da Informação são inseridos critérios ambientais nas especificações técnicas dos objetos licitados, além de exigidos certificados ambientais como ISO 14001 e certificados de uso racional de energia EPEAT e Energy Star, além de seguirem o padrão  RoHS (Restriction of Hazardous Substances) garantindo que os equipamentos não possuem metais pesados em sua composição, assegurando baixo impacto ambiental. Os demais editais analisados mostraram que as licitações realizadas não cumprem a finalidade legal de promover o desenvolvimento sustentável, nem a função social, pois o critério utilizado é apenas o econômico, posto que a proposta selecionada como mais vantajosa é aquela que detém o menor valor de aquisição, negligenciando, assim, os critérios ambientais. Conclui-se que a Universidade Federal do Piauí não possui um plano de ação que estimule a prática de contratações sustentáveis, e que a Instrução Normativa nº 01/2010 que legitima a inserção de critérios ambientais nas compras públicas nos editais de licitação não é aplicada efetivamente.

     

     

     

2014
Descrição
  • GILMAR DA SILVA COSTA FILHO
  •  

     

    REUSO DOS EFLUENTES DA PRODUÇÃO DE TILÁPIA (OREOCHROMIS NILOTICUS) NA PRODUÇÃO DE VEGETAIS EM AGRICULTURA FAMILIAR

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 05/09/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Reuso dos efluentes da produção de tilápia (Oreochromis niloticus) na produção de

    vegetais em agricultura familiar.

    Resumo - A produção sustentável de alimento vem sendo discutida com ênfase no volume de

    água necessária no cultivo de alimentos na agricultura. A região nordeste, apesar de potencial

    turístico tem convivido ciclicamente, com relatos de seca que tem preocupado a comunidade e

    despertado a academia na busca de novos mecanismos de produção sustentável de alimentos. O

    Piauí apesar da pequena faixa litorânea de 66 km vem mostrando o interesse na piscicultura, seja

    de forma extensiva ou por meio da aquicultura familiar. Assim, estudos recentes apontam o reuso

    da água e otimização dos resíduos da piscicultura e sua utilização como importante alternativa na

    agricultura, especialmente a familiar. No entanto, poucos experimentos foram realizados no

    Estado do Piauí com esta perspectiva, fato que fundamenta e justifica esta pesquisa,

    desenvolvida para avaliar o cultivo sustentável de alface, rúcula e tomate cereja a partir da água

    residual do cultivo de tilápias, com e sem o uso de compostagem. No cultivo dos peixes, foram

    utilizadas quatro densidades (0, 11, 14 e 26 peixes por tanque), sendo o nível zero (controle),

    proveniente de fonte de água não residual do sistema de piscicultura, associados com e sem o

    uso de compostagem no tratamento de solo. Os peixes foram amostrados nos dias de cultivo 0,

    30, 60 e 90 dias por meio da biometria (peso e tamanho) e a qualidade de água foi monitorada

    semanalmente. Para o cultivo de alface, retirou-se amostra de solo para analise antes e depois do

    cultivo com as diferentes fontes de água. As alfaces foram distribuídas em parcelas com vinte

    plantas. Como resultados, a densidade da água residuária não interferiu no peso das plantas nem

    na proporção de folhas mortas, enquanto o cultivo com o uso da compostagem, tanto para o peso

    das plantas como para a taxa de folhas mortas os valores foram superiores ao do cultivo sem o

    uso de compostagem. No cultivo consorciado de rúcula e de tomate em baldes para avaliar o

    desempenho produtivo cultivado em consórcio, irrigado com efluentes de piscicultura ou água

    clara, foi feito um experimento em delineamento inteiramente casualizado, com dois tratamentos e

    12 repetições. Os tratamentos foram representados pelas fontes de água utilizadas para a

    irrigação, ou seja, efluente de piscicultura e água clara. Foram determinadas as seguintes

    variáveis: massa fresca da raiz, massa fresca da planta, massa seca da parte aérea e a matéria

    seca da parte aérea do tomateiro; massa fresca e diâmetro do tomate; massa da planta, altura da

    maior folha, a massa seca das folhas e matéria seca das folhas de rúcula. Não houve diferença

    significativa no desempenho produtivo das plantas em função do tipo de água usada na irrigação.

    Nos estudos realizados, o uso de efluentes de piscicultura para irrigação de vegetais é

    recomendado, uma vez que não é necessário uso de fertilizantes químicos e o sistema de

    reciclagem de nutrientes é ambientalmente correto, atendendo às exigências atuais da agricultura

    moderna.

     

     

     

     

  • OTÁVIA CARACAS CÂMARA
  • aspectos DO PROCESSO DE EUTROFIZAÇÃO DO Rio POTI EM TERESINA- PIAUI

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 09/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa consiste emavaliar o nível de eutrofização que o rio Poti sofre em Teresina - PI, classificando o seu estado trófico, relatando os principais gêneros de microalgas presenteno processo de eutrofização do rio, correlacionando com o índice de precipitação. O estudo compreende a porção mais a jusante da bacia hidrográfica do rio Poti, no município de Teresina, PI. Com 6 pontos de monitoramento ao longo de 35 km do rio, sendo a parte mais a montante caracterizada por uma região com baixo índice de urbanização, adentrando-se à malha urbana até o encontro com o rio Parnaíba. O monitoramento aconteceu de setembro de 2012 a novembro de 2013 com periodicidade mensal, as coletas foram  realizadas na parte central do rio. As amostras coletadas são armazenadas e preservadas de acordo com as recomendações para cada variável de qualidade.   Os parâmetros  físico-químicos e biológicos foram pré-definidos para análise do grau de trofia e qualidade das águas, através do IET (Índice do Estado Trófico) e IQA (Índice de Qualidade de Água) . As técnicas analíticas utilizadas estão preconizadas no Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater, 19th ed (APHA; AWWA; WPCF, 1995).Os parâmetros analisados sofreram grandes alterações, isso se deu ao fato de se tratar de um ambiente aquático que sofre constantes modificações em seu percurso, provocadas pelas atividades antrópicas e naturais. Os resultados obtidos mostram que o índice de precipitação influenciou nos parâmetros estudados. Aanalise  do IET no trecho do rio Poti estudadoclassificoucomo hipereutrófico, os resultados indicaram que o maior índice ocorreu no ponto 5 no mês de novembro de 2012 (129,4) ; na avaliação da qualidade da água verificou-se uma tendência para os pontos 1, 2, 3, 4 e 5 um índice regular com exceção do ponto 0. As principais microalgas encontradas são do dos gêneros Chlorophyta Ankistrodesmus e Microspora e de Cyanobacteria Oscillatoria, produtoras de toxinas e clorofila - a.Conclui -se com isso que ao passar pela área urbana de Teresina o rio sofre maior degradação, isso pode ser explicado pela grande quantidade de efluentes lançados sem tratamento.

    .


  • POLYANA SOUZA PEREIRA
  • A CONTRIBUIÇÃO DAS MARISQUEIRAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO MUNICÍPIO DE LUÍS CORREIA/PIAUÍ

  • Orientador : JOSE LUIS LOPES ARAUJO
  • Data: 26/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • A grande maioria das comunidades litorâneas do Brasil tem como principal atividade socioeconômica a pesca artesanal que representa o modo de vida de pessoas que vivem nas áreas costeiras. A pesquisa foi realizada no município de Luís Correia, devido à forte presença das mulheres da comunidade Beira Mar, na atividade. As pescadoras fundaram a Associação de Marisqueiras e Filetadeiras de Luís Correia e se reúnem toda semana para a cata de mariscos no litoral do Piauí. Possuem uma maneira racional de coleta, que respeita o ciclo biológico dos mariscos, a conservação e renovação deste recurso na natureza. Utilizando apenas as mãos, escolhem os mariscos maiores e fazem ainda um rodízio das áreas de coleta. Receberam e recebem apóio de órgãos como a Prefeitura Municipal de Luís Correia, a Universidade Federal de Piauí, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, CODEVASF, MPA, entre outros. Alguns programas também colaboram para que possam desenvolver a mariscagem como (Pronaf) Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. Este auxiliou o fornecimento de crédito para que algumas mulheres pudessem comprar canoas. Esse estudo tem como objetivo fundamental analisar a importância da atividade marisqueira para o desenvolvimento sustentável do município de Luís Correia, a partir da catação realizada pelo grupo de mulheres que formam a Associação das Marisqueiras. Os procedimentos metodológicos utilizados para a coleta de dados foram, a aplicação de formulários com perguntas estruturadas e semi-estruturadas, observação direta e diário. Alguns aspectos socioeconômicos foram destacados, como o baixo nível de escolaridade que impede as mulheres de conseguirem uma atividade remunerada e resolvem se associar para pescar e receber os benefícios dos pescadores. Apresentaram idade variando entre 24 e 34 anos em 36,6% das entrevistadas, 53,4% afirmaram ser apenas donas de casa, as moradias em 90% dos casos são de alvenaria, todas cobertas por telha cerâmica e mais da metade dos domicílios tem disponível abastecimento de água e energia. Os resultados apresentados contribuirão para gerar subsídios teóricos voltados para a pesquisa sobre pescadoras no Estado. Dessa forma o estuda demonstra, a partir do conceito de desenvolvimento sustentável, que as pescadoras garantem com a coleta de mariscos uma simplória renda além de outros benefícios, que lhes garantem melhorias na qualidade de vida e por realizarem a atividade de maneira consciente, conseguem manter a diversidade biológica e a conservação do ecossistema em que trabalham. PÁGINAS: 69

  • ELIANE DE AQUINO LIMA BRANDÃO
  •  

    SUSTENTABILIDADE DE ÓLEOS LUBRIFICANTES AUTOMOTIVOS EM POSTOS DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS DE TERESINA-PI

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 26/06/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Os óleos lubrificantes, ao desempenharem a função de proteger as superfícies metálicas

    móveis dos motores, após o uso se degradam a ponto de não mais ser útil neste

    processo, pois acumulam resíduos da combustão dos hidrocarbonetos, dos aditivos de

    sua formulação, metais pesados extraídos das peças e blocos dos motores através dos

    atritos e substâncias formadas pela oxidação e degradação térmica. São essenciais para

    o desenvolvimento das atividades industriais e humanas, que dependem de motores para

    sua execução. No entanto, torna-se um resíduo contaminado e perigoso, que pode causar

    danos à saúde pública e ao meio ambiente. O óleo lubrificante usado e contaminado

    (OLUC), ao passar por um processo de rerrefino volta a ser fonte da matéria prima

    principal, o óleo lubrificante básico, podendo ser utilizado em nova formulação dos

    óleos lubrificantes. A Resolução No 362 de 2005 do CONAMA, estabelece que a

    categoria dos processos tecnológicos industriais, chamada genericamente de rerrefino,

    corresponde ao método ambientalmente mais seguro para a reciclagem do OLUC. Este

    trabalho teve como objetivo analisar a sustentabilidade e a percepção ambiental dos

    trabalhadores que desempenham a atividade de troca de óleos lubrificantes automotivos

    em postos de revenda de combustíveis (PRC) na cidade de Teresina. O Estado do Piauí

    ainda não conseguiu atingir a cota de coleta de OLUC para o rerrefino (ANP, 2014).

    A pesquisa revelou que dos estabelecimentos visitados e entrevistados, apenas 36,36%

    destinam o OLUC única e exclusivamente para o rerrefino, os resíduos provenientes

    das atividades de troca de óleo ainda estão com destinos ambiental e economicamente

    irregulares, ou seja, estão sendo encaminhados para o lixo comum. A saúde e a

    segurança do trabalhador ainda encontram uma série de riscos pela ausência de uso dos

    equipamentos de proteção individual - EPIs, pela estrutura inadequada do ambiente

    de trabalho e pela forma incorreta de gerenciamento do OLUC por parte destes

    estabelecimentos. Portanto, para a solução destes problemas, o estado do Piauí precisa

    urgentemente elaborar uma política eficaz contemplando o gerenciamento do OLUC

    e seus respectivos resíduos, melhorar as condições do processo de logística reversa e

    responsabilidade compartilhada de seus resíduos, colaborando assim com a preservação

    dos recursos naturais e melhor qualidade de vida das presentes e futuras gerações.

     

     

  • LUCAS OLIVEIRA BRAGA
  •  MONITORAMENTO DE MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA, TEPHRITIDAE) E PERCEPÇÃO ENTOMOLÓGICA EM UMA COMUNIDADE RURAL NO MUNICÍPIO DE UNIÃO (PI)

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 30/05/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    Os insetos por sua grande adaptabilidade, evidenciada por sua presença e abundância nos mais diferentes ecossistemas têm importância direta ou indireta para as sociedades humanas, sendo objeto de estudo dos mais variados campos da ciência. Na agricultura, dentre as pragas incidentes de interesse econômico destacam-se as moscas-das-frutas (Tephritidae) dentro da fruticultura brasileira, uma das principais atividades do país, onde estudos ecológicos são a base para o manejo ecológico eficiente. Do ponto de vista etnobiológico as moscas-das-frutas, bem como os demais insetos, interagem com o homem, participando dos aspectos cognitivos do mesmo. A interação do homem com a natureza durante atividades cotidianas como em populações rurais proporciona uma relação mais próxima com a fauna. A Etnoentomologia parte de uma visão interdisciplinar para desvendar a lógica existente por trás dos conhecimentos, crenças, taxonomia e sistemática desenvolvidos sobre a entomofauna. Diante da escassez de estudos ecológicos e etnobiológicos no estado do Piauí, objetivou-se em uma comunidade rural no município de União/PI: identificar as espécies de tefritídeos, frutíferas hospedeiras e parasitóides associados; realizar análise faunística dos tefritídeos; caracterizar a flutuação populacional relacionada aos elementos metereológicos; determinar a composição do etnodomínio “inseto”; levantar os usos relacionados aos insetos; registrar a classificação folk local; registrar o conhecimento tradicional entomológico existente. O estudo faunístico ocorreu através da coleta de frutos em pomares domésticos e mata de cocais, e da instalação de armadilhas-pet, na comunidade Novo Nilo durante o período de um ano. A partir das moscas-das-frutas e parasitóides emergidas dos frutos em laboratório calculou-se os índices de infestação e parasitismo. Já dos indivíduos coletados nas armadilhas foi realizada a análise faunística e a flutuação populacional dos tefritídeos, esta última foi estatisticamente comparada aos elementos metereológicos. No estudo etnoentomológico foram realizadas entrevistas com auxílio de formulários semiestruturados, com questões abertas e fechadas com os moradores locais, testes projetivos com fotografias e espécimes coletados, turnês-guiadas, registros fotográficos e conversas informais; foram também calculados índices de usos relacionados aos insetos na comunidade. Das 14 espécies de frutíferas coletadas, apenas cinco hospedeiras foram constatadas, observando-se a infestação predominante de A. obliqua sobre cajá (S. mombin L.) e umbú (S. tuberosa Arr. Cam.), e A. zenildae em goiaba (P. guajava L.). A cajazeira e o umbuzeiro foram considerados hospedeiros primários de A. obliqua Macquart, 1835 em função da elevada infestação obtida. Dos frutos emergiram três espécies de parasitóides: D. areolatus (Szépligeti, 1911), O. bellus Gahan 1930 e U. anastrephae (Viereck, 1913) com elevada incidência em frutos de Spondias. Seis espécies de moscas-das-frutas  foram capturadas: A. obliqua Macquart, 1835, A. zenildae Zucchi, 1979, A. fraterculus Wieldemann, 1830, A. serpentina Wieldemann, 1830, Anastrepha sp.1 e Anastrepha sp.2. A caracterização faunística apontou A. obliqua como espécie predominante, obtendo-se baixo índice de diversidade de Shannon (0,92), o que indica a existência de condições limitantes. A flutuação populacional mostrou-se associada à disponibilidade de frutos hospedeiros e, também, aos fatores climáticos: precipitação pluvial (mm), umidade relativa (%), temperatura média (ºC) e temperatura máxima (ºC). A partir das entrevistas etnobiológicas com moradores, constou-se um amplo etnodomínio “inseto” composto tanto de animais pertencentes como não pertencentes através de uma visão predominantemente negativa, mas também existindo contradições quanto à percepção positiva ou negativa, corroborando com a hipótese da ambivalência entomoprojetiva. Na percepção dos entrevistados, observou-se a associação das moscas à transmissão de doenças, e embora a forma adulta das moscas-das-frutas não tenham sido diferenciada das demais moscas, sua fase larval no interior dos frutos, de nome vernacular bicho-da-goiaba, foi objeto de repulsa, participando da cognição dos entrevistados na explicação de sua origem, sendo a geração espontânea a mais relatada.  O principal uso dos insetos é o medicinal e lúdico, do mel da abelha (Apis mellifera L., 1758) e das libélulas (Odonata). Destacou-se também o consumo de larvas de coleópteros (Pachymerus nucleorum Fabricius, 1792) presentes nos frutos de palmeiras e um novo registro de uso medicinal da barata (Periplaneta americana L., 1758). Na classificação folk desenvolvida são utilizados critérios morfológicos, comportamentais e ecológicos. Na descrição dos insetos pertencentes à categoria Insecta se destacou por uma maior riqueza de informações o grupo dos himenópteros (abelhas, marimbondos e cavalo-do-cão), responsáveis por artropodoses, sendo identificadas sete etnoespécies de abelhas e dez de marimbondos, e como pragas de lavouras locais: formiga saúva (Atta spp), lagarta-do-milho (Spodoptera frugiperda Smith, 1797) e pulgão (Aphididae). Portanto, observou-se na região a predominância ecológica de A. obliqua por sua especialização às frutíferas S. mombin e S. tuberosa, hospedeiros primários dos mesmos. Esses hospedeiros pelo elevado índice de parasitismo por D. areolatus e O. bellus obtido têm potencial como repositórios naturais no controle biológico. Constatou-se influência dos fatores climáticos na flutuação populacional dos tefritídeos, principalmente nos períodos de baixa umidade relativa e elevadas temperaturas. O conhecimento entomológico tradicional local se mostrou relevante, evidenciando a interação da população com a entomofauna local nas suas atividades cotidianas, destacando-se o uso medicinal e riqueza de informações biológicas e ecológicas.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • FRANCISCA MARIA COSME DE CARVALHO
  • PRODUÇÃO ARTESANAL DE PEÇAS EM ARGILA DA COMUNIDADE DOS POTES: IMPORTÂNCIA SOCIOECONÔMICA, CULTURAL E AMBIENTAL À LUZ DOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS.

  • Orientador : JOSE LUIS LOPES ARAUJO
  • Data: 30/05/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Analisar o papel da produção artesanal de peças em argila da Comunidade dos Potes no Município São João da Varjota/PI, a partir da discussão dos conhecimentos tradicionais como ingredientes para uma atividade econômica geradora de sustentabilidade, é o objetivo geral desta pesquisa. Os objetivos específicos são: 1) Medir as áreas de extração de argila e estimar o volume das reservas na comunidade e áreas adjacentes com vistas à elaboração de propostas de planejamento ambiental; 2) Caracterizar a argila quanto às suas propriedades física, química e térmica; 3) Diagnosticar o processo de produção considerando os aspectos socioeconômicos e ambientais e 4) Verificar se existem riscos para a preservação dos hábitos, costumes e tradições e para a continuidade da atividade pelas novas e futuras gerações. O quadro teórico para a estruturação conceitual que dá sustentação ao desenvolvimento da pesquisa inclui a conceituação e caracterização de artesanato em argila detalhando sua importância socioeconômica, ambiental e cultural; a análise das concepções de desenvolvimento local, sustentável e etnodesenvolvimento e a descrição de populações tradicionais, detalhando suas categorias, seu papel para a conservação ambiental a partir da perspectiva da etnoconservação. A metodologia inclui as abordagens qualitativa e quantitativa e como procedimentos metodológicos entrevista semiestruturada e narrativa, aplicação de formulários e questionários e trabalho de campo para coleta de dados primários com doze moradores da comunidade; pesquisa de dados secundários em instituições públicas, privadas e ONGs; coleta de amostras de argila com base nos métodos da pesquisa experimental; marcação dos pontos de extração de argila com uso de equipamento de GPS e coleta de amostras (quatro) para análises química, física e térmica. Os dados foram classificados, tabulados e organizados para permitir melhor interpretação. Os resultados parciais apontam no sentido de confirmar a hipótese de que a atividade artesanal da Comunidade dos Potes encontra-se em situação de pouca eficiência produtiva e econômica. Em relação à conservação ambiental, a comunidade usa os recursos naturais e seus conhecimentos tradicionais para a produção de peças em argila, mas de forma que não se caracteriza como superexploração e causadora de danos irreversíveis ao meio ambiente. Podemos afirmar que dadas certas condições estruturais, esta comunidade pode desempenhar um importante papel na conservação dos recursos naturais locais.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • VERA LUCIA DOS SANTOS COSTA
  • CONTRIBUIÇÃO DO CRÉDITO E DO SERVIÇO ECOSSISTÊMICO PARA A CONSERVAÇÃO DA CARNAÚBA (Copernicia prunifera (Mill.) H. E. Moore) NO NORDESTE BRASILEIRO" 

     
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 30/05/2014
  • Mostrar Resumo

  • A carnaúba (Copernicia prunifera (Mill.) H. E. Moore) tem prestado importante

    contribuição à economia nordestina e é uma palmeira que desempenha funções

    ambientais vitais ao equilíbrio ecológico. Este estudo analisou duas formas que, por

    meio das quais, pode-se incentivar a conservação da espécie: o crédito ofertado ao

    segmento e o seu estoque de carbono. O estudo foi dividido em dois artigos, o primeiro

    tem por objetivo geral analisar as operações de crédito contratadas pelo Banco do

    Nordeste do Brasil (BNB) e Banco do Brasil (BB) no período de 2007 a 2012,

    verificando sua contribuição para a conservação da espécie. Os objetivos específicos

    consistem em: analisar as operações e valores contratados por esses bancos nos Estados

    e municípios onde há extração de pó e produção de cera de carnaúba, estimar a taxa de

    crescimento do valor e do número operações e verificar a atuação do BNB no Piauí para

    a conservação da carnaúba. O BNB e o BB forneceram os dados secundários,

    realizaram-se visitas técnicas e entrevistas semiestruturadas, em municípios do Piauí a

    fim de se analisar a atuação do BNB nesse estado. Fez-se deflação dos valores de

    crédito pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) e calculou-se a

    taxa de crescimento. O crédito foi ofertado no Ceará, Piauí, Maranhão e Rio Grande do

    Norte, tendo como fontes de financiamento o Fundo Constitucional de Financiamento

    do Nordeste (FNE), a Caderneta de Poupança Rural, o Tesouro Nacional e Recursos

    Internos. Houve aumento dos valores e do número de operações ao longo do período.

    Verificou-se que BNB, atua no Piauí, de acordo com a legislação e que os extrativistas

    estão preocupados com a conservação da espécie. O segundo artigo teve por objetivo

    geral estimar o estoque de carbono presente na espécie, a fim de fornecer subsídios para

    o incentivo à sua conservação. Os objetivos específicos consistem em: estimar o

    estoque de carbono presente no estipe da através da quantificação da biomassa, verificar

    se existe diferença na média do estoque de carbono entre carnaúbas situadas em áreas

    distintas. O experimento foi realizado na fazenda Itans onde se fez a amostragem por

    parcelas em duas áreas distintas, uma onde a carnaúba não é predominante e está

    associada com outras espécies (área I) e outra com predomínio de carnaúbas (área II).

    Utilizou-se uma equação alométrica para calcular a biomassa, a partir da qual se

    estimou o estoque de carbono em cinquenta por cento desta, e realizou-se o teste-t para

    comparar as médias do estoque de carbono. Estimou-se o estoque de carbono em 14,71

    kg.ha-1, sendo que carnaúbas situadas em áreas distintas têm diferença significativa na

    média.



     

     

  • MARIA GRACELIA PAIVA NASCIMENTO
  •  

    ETNOBOTÂNICA E ETNOZOOLOGIA EM COMUNIDADES PESQUEIRAS DE PARNAÍBA E CAJUEIRO DA PRAIA, PIAUÍ

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 29/05/2014
  • Mostrar Resumo

  • O Piauí possui 66 km de extensão de litoral, a menor dentre os Estados litorâneos brasileiros. O conhecimento da diversidade vegetal, o potencial alimentício, caracterização biológica, germinação e manejo de algumas espécies são necessários para o uso sustentado destas, tanto através do extrativismo como no cultivo. Entretanto, estudos sobre as espécies animais e vegetais de uso tradicional do litoral piauiense ainda são escassos. O conhecimento acerca da etnobotânica e da etnozoologia deve ser considerado, visto à importância para a conservação e preservação dos recursos naturais e da cultura local, valorizando assim, a participação das comunidades nos planos de manejo, considerando que estes municípios estão inseridos na APA do Delta do rio Parnaíba. Objetivou-se comparar, identificar e diagnosticar as potencialidades etnobotânicas e etnozoológicas em comunidades pesqueiras nos municípios litorâneos piauienses, Cajueiro da Praia e Parnaíba, a fim de subsidiar meios e estratégias de conservação das espécies utilizadas, contribuir para o conhecimento da flora e fauna piauiense, bem como incentivar o resgate do conhecimento popular. O desenvolvimento da pesquisa para o projeto proposto foi realizado com pescadores arteaenais, através de entrvistas semiestruturadas, utilizando as técnicas de “bola-de-neve” e “turnê-guiada”  para coleta botânica e zoológica. Utilizou-se o Valor de Uso, e para o conhecimento etnobotânico por gênero e faixa etária, o índice de Shannon e o método de rarefação. Foram registradas 116 espécies pertencentes a 48 famílias sendo as mais  representativas em número de espécies: Fabaceae (13) e Lamiaceae (8), alocadas em seis categorias. A categoria de uso mais representativa foi medicinal, sendo a espécie Plectranthus barbatus Andrews (boldo) a que apresentou o maior valor de uso (0,27), seguido por Ximenia americana L., (ameixa) (0,24). O índice de Shannon mostrou que o conhecimento está melhor distribuído quanto ao gênero,  entre os homense e na faixa etária entre os  adultos. Quanto nivelado o conhecimento através da rarefação, verificou-se que não há diferença significativa quando equiparado o conhecimento por gênero. Quanto a Etnoictiologia, registrou-se 50 espécies, pertencentes a três categorias de uso, sendo a mais representativaalimentícia (98%). Mugil curema (Valenciennes, 1936) (saúna) e Conodon nobilies (Linnaeus, 1758) (coró) foram as mais citadas. Dasyatis guttata (Bloch & Schneider, 1801)  arraia) e Thichiurus lepturus Linnaeus, 1758 (espada) apresentaram  o maior VU (0,058) cada. Quanto ao conhecimento por genêro, as mulheres obtiveram (H'=3.20039), enquanto os homens (H'3.37892) mostrando que há diferença entre ambos. A faixa etária que demostrou ter maior conhecimento acerca da ictiofauna foram os adultos que apresentaram diversidade média esperada de H'=2,85104. Os resultados apontam para ainda fortalecem a importância de se preservar a biodiversidade da flora e ictiofauna do litoral piauiense. A divulgação dos resultados constituirá em uma alternativa para que os moradores das comunidades possam utilizar-se dos recursos naturais da melhor forma possível, incentivando o uso sustentável destes recursos tão importantes para todos os seres vivos.

     

     

  • OTÁVIA CARACAS CÂMARA
  • aspectos DO PROCESSO DE EUTROFIZAÇÃO DO Rio POTI EM TERESINA- PIAUI

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 27/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa consiste emavaliar o nível de eutrofização que o rio Poti sofre em Teresina - PI, classificando o seu estado trófico, relatando os principais gêneros de microalgas presenteno processo de eutrofização do rio, correlacionando com o índice de precipitação. O estudo compreende a porção mais a jusante da bacia hidrográfica do rio Poti, no município de Teresina, PI. Com 6 pontos de monitoramento ao longo de 35 km do rio, sendo a parte mais a montante caracterizada por uma região com baixo índice de urbanização, adentrando-se à malha urbana até o encontro com o rio Parnaíba. O monitoramento aconteceu de setembro de 2012 a novembro de 2013 com periodicidade mensal, as coletas foram  realizadas na parte central do rio. As amostras coletadas são armazenadas e preservadas de acordo com as recomendações para cada variável de qualidade.   Os parâmetros  físico-químicos e biológicos foram pré-definidos para análise do grau de trofia e qualidade das águas, através do IET (Índice do Estado Trófico) e IQA (Índice de Qualidade de Água) . As técnicas analíticas utilizadas estão preconizadas no Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater, 19th ed (APHA; AWWA; WPCF, 1995).Os parâmetros analisados sofreram grandes alterações, isso se deu ao fato de se tratar de um ambiente aquático que sofre constantes modificações em seu percurso, provocadas pelas atividades antrópicas e naturais. Os resultados obtidos mostram que o índice de precipitação influenciou nos parâmetros estudados. Aanalise  do IET no trecho do rio Poti estudadoclassificoucomo hipereutrófico, os resultados indicaram que o maior índice ocorreu no ponto 5 no mês de novembro de 2012 (129,4) ; na avaliação da qualidade da água verificou-se uma tendência para os pontos 1, 2, 3, 4 e 5 um índice regular com exceção do ponto 0. As principais microalgas encontradas são do dos gêneros Chlorophyta Ankistrodesmus e Microspora e de Cyanobacteria Oscillatoria, produtoras de toxinas e clorofila - a.Conclui -se com isso que ao passar pela área urbana de Teresina o rio sofre maior degradação, isso pode ser explicado pela grande quantidade de efluentes lançados sem tratamento.

    .


  • WALDILÉIA FERREIRA DE MELO BATISTA
  • SOCIOBIODIVERSIDADE E RESGATE DO SABER POPULAR DA COMUNIDADE RURAL NOVO NILO - UNIÃO - PIAUÍ/BRASIL.

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 16/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • Na comunidade Novo Nilo evidencia-se uma importância cultural de sobrevivência através do uso sustentável dos recursos naturais. Assim, propõe-se um estudo com a comunidade, visando conhecer e registrar o modo de uso e diversidade dos recursos vegetais locais e as práticas culturais e a realidade socioeconômica da comunidade. O projeto  foi submetido ao Comitê de Ética e Pesquisa da UFPI e foram coletados antes do início das entrevistas o aceite dos sujeitos envolvidos através da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Para seleção dos entrevistados foi utilizada a técnica da bola de neve. As turnês-guiadas foram realizadas visando obtenção das espécies citadas. A coleta do material botânico foi georeferenciada e após processamento, incorporado ao acervo do Herbário Graziela Barroso (TEPB) da Universidade Federal do Piauí. Os dados quantitativos foram definidos através dos cálculos do Valor de Uso e Fator de Consenso dos Informantes. As coletas de dados foram realizadas quinzenalmente entre os meses de março/12 e maio/13, com o auxílio de formulário padronizado a 202 pessoas, perfazendo 54,4% do universo amostral, distribuídas nas faixas etárias definidas pelo IBGE. Após estes registros os dados foram tabulados e analisadas por meio de estatística descritiva básica. As coletas referentes às práticas culturais e religiosas aconteceram por meio de observação, anotação e registro fotográfico. Catalogou-se 150 espécies, distribuídas nas seguintes categorias de uso: medicinal, alimentação humana, construção, produção de energia, forrageira, artesanal, místico-religiosa e ornamental. A categoria de uso com maior destaque em número de citações foi a medicinal, dentre estas, a espécie mais citada foi erva-cidreira (Lippia alba (Mill.) N. E. Br.) e a espécie que apresentou maior valor de uso foi o babaçu (Attalea speciosa Mart. ex Spreng.) com VU=3,63. As atividades econômicas distribuem-se principalmente em prática de agricultura de subsistência, a atividade de pesca e o extrativismo vegetal, com aproveitamento do babaçu (Attalea speciosa Mart. ex Spreng.) e da carnaúba (Copernicia prunifera (Mill.) H.E.Moore). Os resultados indicam que os moradores entrevistados apresentam baixos índices educacionais, com 31% deles sem escolaridade. Apresentam alta religiosidade, onde 81% declararam o catolicismo como sua religião. Apresentam ainda, sérios problemas de assistência médica e total ausência de saneamento básico. O saber popular deve ser valorizado e evidenciado na contribuição da construção do conhecimento científico.


  • ANAITES MARIA DE MORAES SILVA
  • A INFLUÊNCIA DO MARKETING VERDE OU ECOLÓGICO NOS COMPORTAMENTOS DE CONSUMO RESPONSÁVEL

  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 11/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral deste trabalho visou estudar a influência do Marketing Verde ou

    Ecológico nos comportamentos de consumo responsável, diante das estratégias atuantes

    e desenvolvidas para o município de Teresina, no estado do Piauí, enfocando servidores

    efetivos (docentes e técnico-administrativos) das três instituições públicas de ensino:

    Instituto Federal do Piauí (IFPI), Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Universidade

    Estadual do Piauí (UESPI). O estudo foi fundamentado em duas fases: pesquisa

    exploratória e pesquisa descritiva, com técnica de amostragem não-probabilística, por

    amostras intencionais e por julgamento, utilizando levantamentos bibliográficos, dados

    estatísticos e instrumento de pesquisa (questionário). A amostra foi composta por 124

    servidores: (43) IFPI, (40) UFPI e (41) UESPI, de ambos os sexos, com faixa etária

    acima de dezoito anos. Os objetivos específicos do trabalho contemplaram: identificar e

    analisar as percepções dos respondentes diante do marketing mix ecológico (produto/

    serviço, preço/custo, canais de distribuição e promoção/comunicação); avaliar a política

    de sustentabilidade das empresas ofertantes de produtos ou serviços, segundo a

    percepção do respondente; descrever as características dos perfis dos respondentes

    encontrados nas decisões de consumo responsável; classificar quais são as marcas e as

    empresas mais respeitadas por promoverem a responsabilidade socioambiental, que

    estão disponíveis aos respondentes no mercado local; relatar as ações de consumo

    responsáveis mais praticadas pelos respondentes. Este trabalho também ressaltou a

    importância de conceitos na área de comportamento do consumidor/cliente, marketing

    verde, sustentabilidade, sociologia ambiental e educação ambiental, como uma forma de

    disseminar a conscientização e a ética de responsabilidade para todos os envolvidos,

    pois pensar no futuro é buscar o bem coletivo, através de uma postura consciente, ética

    e sustentável. O papel do consumidor na hora do consumo é encarado como fator

    decisivo e principalmente, através da priorização de escolhas que incentivem e

    desenvolvam uma cultura ambiental efetiva e proativa. As organizações devem estar

    atentas ao princípio da responsabilidade e ao da educação sustentável, pois estas

    orientações são necessárias para atender ao novo comportamento de consumo, cada vez

    mais exigente e desejado, através da formalização de boas práticas de sustentabilidade,

    com exemplos e ações positivas na promoção de futuro melhor e ambientalmente

    seguro para todas as gerações. Nos principais resultados foram constatados que 61,29%

    sabem o que significa o marketing verde; 65,32% acreditam no compartilhamento de

    responsabilidade e 86,29% são favoráveis a pagar mais em defesa de práticas

    socioambientais. A pesquisa identificou que a amostra está exposta e é influenciada

    pelo marketing verde, através de comportamentos que buscam a economia/eficiência,

    evitam desperdícios, reaproveitam materiais, buscam planejar e refletir antes e durante o

    consumo, tendo ainda comportamentos de planejamento/reflexão, solidariedade e

    descarte adequado.

  • FELIPE SAVIO CARDOSO TELES MONTEIRO
  • COMPORTAMETOS ECOLÓGICOS RESPONSÁVEIS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA ANÁLISE PAUTADA NO ENSINO DA PSICOLOGIA AMBIENTAL

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 11/04/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    O objetivo desta dissertação foi avaliar o grau de comportamentos ecológicos responsáveis de alunos dos cursos de Psicologia do Piauí e o ensino da disciplina de Psicologia Ambiental, como instrumento de ambientalização curricular dos Cursos de Psicologia nas cidades de Teresina e Parnaíba-PI. Para isto se fez dois estudos: No primeiro buscou-se a caracterização de comportamentos ecológicos responsáveis por meio da Escala de Comportamento Ecológico (ECE), foram realizadas análises para caracterização das amostras, análise fatorial exploratória, alfa de Cronbach para verificação de validade e precisão e teste t - Student para amostras independentes e uma MANOVA, tendo como variáveis dependentes (critérios) as quatro dimensões previamente encontradas e descritas, e como variáveis de agrupamento as amostras de estudantes dos quatro cursos até então coletados. Participaram desta pesquisa um total de 316 participantes, distribuídos entre homens e mulheres (244 mulheres e 74 homens), com média de idade de 25,4 (dp= 7,5). Para verificar fatorabilidade da matriz de correlações entre os itens da escala de comportamento ecológico foram empregados os índices Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e Teste de Esfericidade de Bartlett. Os valores destas análises apoiaram a utilização da técnica da análise fatorial exploratória (AFE), tendo sido apresentado os seguintes valores: KMO = 0,86 e Teste de Esfericidade de Bartlett χ² (561) = 3.536,86; p< 0,001. Neste sentido, decidiu-se realizar uma análise fatorial exploratória com método PAF (Principal Axis Factoring), sem fixar número de fatores a serem extraídos, entretanto, fixando a rotação Promax por meio da análise PAF, foram então extraídos quatro fatores com valores próprios de 7,72, 2,89, 2,00 e 1,60 respectivamente, onde foram chamados de “Ativismo e Reciclagem; Comportamentos Ecológicos Diários; Conservação de Energia e Limpeza Urbana” apresentando índices de consistência interna satisfatórios, respectivamente 0,71, 0,81, 0,72 e 0,70. No segundo estudo, foram entrevistados por email os 6 professores responsáveis pela disciplina obrigatória de Psicologia Ambiental da Universidade Federal do Piauí. O roteiro da entrevista foi dividido em cinco seções: 1) Dados pessoais; 2) Relação prévia com a disciplina; 3) Prática/conteúdo de ensino; 4) Obrigatoriedade da disciplina e de um professor especializado; 5) Desafios para a consolidação da disciplina. Os principais resultados deste estudo foram: apenas dois professores tiveram contato prévio com a disciplina PA na graduação e somente 1 professor se identifica com a disciplina. Nas práticas de ensino predominam estratégias convencionais, com exceção do uso da pesquisa como instrumento didático por parte de um professor. Os conteúdos são os mais diversos, com maior ou menor aproximação dos conteúdos tradicionais relacionados à Psicologia Ambiental e variando em função do perfil de cada professor. A maior parte dos professores considera que a disciplina deva ser obrigatória, embora não necessariamente ministrada por um especialista na área. O principal desafio para a consolidação da disciplina de PA, segundo os professores entrevistados, é a reforma do projeto pedagógico do curso (PPC), o que inclui uma revisão das atuais ênfases do curso e uma redefinição do papel da PA na formação dos Psicólogos.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • LEANDRO GOMES REIS LOPES
  •  

    APROPRIAÇÃO  DO ESPAÇO E A QUESTÃO DA SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: ESTUDO DO ASSENTAMENTO RURAL VALE DA ESPERANÇA EM TERESINA- PI

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 26/03/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

     
     A apropriação do espaço é conceito da Psicologia Ambiental em estreita
    relação com a Psicologia Social que possibilita compreender os vínculos elaborados
    entre as pessoas e os espaços, como também a identidade relacionada ao lugar. O espaço
    apropriado, tornado lugar, promove comportamentos ecológicos responsáveis e de
    cuidado ambiental cuja proposta se aproxima da noção de participação e cidadania,
    sendo indispensável para a sustentabilidade socioambiental de uma comunidade. Uma
    das formas de apropriação do espaço ocorre por meio dos assentamentos rurais. A
    sustentabilidade dos assentamentos, por sua vez, é complexa, articulando várias
    dimensões. O ecossistema influencia diferenças entre assentamentos, podendo
    inviabilizar economicamente o empreendimento. Existe também uma diversidade
    cultural da população dentro dos assentamentos com diferentes experiências de
    enfretamentos históricos e projetos de vida. A desarticulação política e social, enquanto
    falta de objetivo superior comum, dificulta a participação na gestão e nos resultados
    comuns. Outra dimensão importante é a continuidade temporal dos assentamentos,
    enquanto garantia de permanência dos jovens no campo e a sucessão hereditária da
    agricultura camponesa. Nessa perspectiva, esta pesquisa tem o objetivo de compreender
    o desdobramento da apropriação do espaço realizada pelos moradores do Assentamento
    Vale da Esperança, organizado pelo MST, localizado na zona rural de Teresina, na
    questão da sustentabilidade socioambiental. Para tanto, nas visitas periódicas de campo,
    foram realizadas conversas informais, buscando conhecer o cotidiano do assentamento,
    com anotações em diário de campo. Além disso, foram realizadas entrevistas com duas
    estratégias distintas. As entrevistas individuais, feitas com dez moradores, tinham como
    perspectiva captar as demais dimensões da sustentabilidade socioambiental: política,
    socioeconômica e ambiental. Já as entrevistas com o grupo focal, realizadas
    coletivamente com os jovens, tinha-se como objetivo compreender a dimensão
    temporal. Todas as entrevistas foram gravadas e transcritas para uma Análise de
    Conteúdo Temática. Os resultados indicam que a história do grupo de inserção na terra
    ou de atividades no próprio assentamento, como também a agrovila em formato girassol
    foram importantes no tocante a sustentabilidade no que diz respeito às práticas
    sustentáveis, construção de identidade vinculada com a terra e permanência dos jovens
    no assentamento. Além disso, é relevante a participação de mediadores sociais, em
    especial do MST e das Escolas Famílias Agrícolas, relacionadas ao cuidado e
    implicação com seu ambiente de trabalho e moradia.

     

     

  • ALINE APARECIDA CARVALHO FRANÇA
  • ESTUDO DA APLICAÇÃO DO PROCESSO FOTO FENTON E FOTO FENTON SOLAR NA DEGRADAÇÃO DE EFLUENTE TÊXTIL

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 21/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • Quando lançados de forma incorreta no meio ambiente, os efluentes têxteis podem trazer sérios problemas de contaminação ambiental, pois apresentam elevada carga orgânica e intensa coloração. Desta forma podem trazer alterações significativas ao ecossistema, comprometendo a atividade fotossintética com a diminuição da transparência da água e dificultando a penetração da radiação solar. Diante da complexidade dos efluentes têxteis e sua grande resistência aos tratamentos convencionais, surge a necessidade de aplicar novas tecnologias que sejam capazes de degradar os poluentes. Os processos Oxidativos Avançados (POA’s) apresentam-se como uma alternativa para o tratamento de efluentes têxteis por possibilitar a conversão da maioria dos contaminantes orgânicos em dióxido de carbono, água e sais inorgânicos. Dentre os POA’s merece especial atenção o processo Foto-Fenton que utiliza radiação ultravioleta na geração mais eficiente de radicais hidroxila. Este processo apresenta a possibilidade de utilizar a luz solar como fonte de radiação. O uso da radiação solar torna o processo ambientalmente vantajoso, pois faz uso de energia renovável e não agressiva ao meio ambiente. Neste contexto, o presente trabalho teve por objetivo estudar a eficiência do Processo Foto-Fenton utilizando radiação artificial e solar na degradação do corante têxtil Preto Biozol. No processo com radiação artificial utilizou-se reator de bancada com capacidade de 1L e empregou-se lâmpada de vapor mercúrio de alta pressão 80W. Para o processo com radiação solar utilizou-se reator solar do tipo CPC, com capacidade para 6L, composto por quatro tubos de borossilicato conectados entre si e posicionados sobre canaletas refletoras revestidos em alumínio.Os resultados do presente trabalho indicaram que tanto o processo Foto-Fenton com radiação artificial como o solar podem degradar as substâncias aromáticas em elevada extensão e proporcionar significativa remoção de cor. Os experimentos utilizando radiação solar apresentaram melhores percentuais de remoção de cor nas condições operacionais estudadas com valores em torno de 96 % frente ao processo com radiação artificial com valores de 92%.

  • JUCIELY CARVALHO MAIA
  • AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE TRATAMENTO  E REUTILIZAÇÃO DE SÍLICA EM LABORATÓRIOS DE QUÍMICA

  • Orientador : MARIA ALEXSANDRA DE SOUSA RIOS
  • Data: 27/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A Química Verde envolve o desenvolvimento e aplicação de processos químicos para reduzir ou eliminar o uso e geração de substâncias nocivas ao meio ambiente. Assim, atenção deve ser dispensada à sílica gel, adsorvente bastante utilizado em laboratórios de desenvolvimento de novos produtos, química orgânica, produtos naturais e correlatos em procedimentos experimentais para separação e purificação de compostos orgânicos. A sílica residual proveniente dessas atividades torna-se um risco ao meio ambiente quando descartada com material orgânico adsorvido. Portanto, considerando a importância de métodos ambientalmente seguros, o presente trabalho apresenta metodologias de tratamento de resíduos de sílica utilizados em Cromatografia de Camada Delgada (CCD) e em Cromatografia em Coluna (CC). Para comprovação da eficiência dos métodos de tratamento, as amostras de sílica CC e CCD foram submetidas a análises químicas, como: FTIR, UV-Vis e TG-DTG. De acordo com os resultados obtidos as sílicas recuperadas apresentaram-se similares à sílica nova, além disso, os tratamentos aplicados não comprometeram o potencial de adsorção das mesmas, pois foram capazes de promover a purificação do fenol alquilado, bem como a separação dos constituintes majoritários do Líquido da Casca da Castanha de Caju (LCC), cardanol e cardol. Pode-se inferir ainda que os métodos propostos são economicamente viáveis, práticos e ambientalmente corretos, uma vez que contribuem para a redução da geração de resíduos sólidos contaminados.

     





     

  • ALESSANDRA RIBEIRO FREITAS
  •  

    PROCESSOS QUÍMICOS VERDES PARA A PRODUÇÃO DE AQUILFENÓIS

     


     

  • Orientador : MARIA ALEXSANDRA DE SOUSA RIOS
  • Data: 27/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A química verde surgiu como resposta aos problemas que a indústria química vinha sentindo de forma crescente, quanto à produção de resíduos químicos. Esta nova visão refere-se ao uso da química de forma sustentável por meio do emprego de materiais, processos e/ou práticas que reduzam ou eliminem a geração dos referidos resíduos (poluentes).

    O emprego de tais práticas sustentáveis, além dos benefícios ambientais, proporciona também um impacto econômico graças à redução de custos operacionais através do uso da química verde e benefícios sociais, já que a evolução da preocupação da sociedade sobre toxicidade e os efeitos ambientais dos resíduos industriais estão incorporados em seus princípios, que orientam a uma produção que emprega substâncias não tóxicas e que evite ou minimize a geração de resíduos, proporcionando um ambiente mais saudável e livre de contaminação tanto para o trabalhador quanto para a sociedade em geral.

    Inserido neste contexto, o presente trabalho propõe procedimentos reacionais mais verdes para a produção de alquilfenóis utilizando como matéria-prima o cardanol (constituinte majoritário do Líquido da Casca da Castanha de Caju- LCC técnico), buscando atender aos princípios da Química Verde e reduzir os impactos ambientais ocasionados por estes processos.

    De acordo com os resultados obtidos, constata-se que os processos químicos verdes desenvolvidos foram eficientes na obtenção dos alquilfenóis. O cardanol alquilado obtido apresentou significativa potencialidade antioxidante em termos de inibição do processo de oxidação do biodiesel de soja. Diante disso, pode-se inferir que as otimizações das etapas reacionais representaram procedimentos experimentais cruciais para a consolidação/fortalecimento de novos processos químicos verdes para a produção de alquilfenóis, via alquilação de Friedel-Crafts.

     

     

     

       
2013
Descrição
  • ANA KEULY LUZ BEZERRA
  •  

    JUSTIÇA AMBIENTAL: UMA ANÁLISE À LUZ DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E DE SUA OCORRÊNCIA NO MUNICÍPIO DE TERESINA-PI

  • Orientador : JOSÉ MACHADO MOITA NETO
  • Data: 16/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • As questões ambientais ainda são pouco valorizadas em nossa sociedade, isto é agravado pela falta de percepção da distribuição assimétrica dos impactos negativos sobre a população. A temática da justiça ambiental, dentro de uma perspectiva socioeconômica e à luz dos preceitos constitucionais, traz em cena a necessidade de tratamento igualitário no que diz respeito aos impactos ambientais negativos que atingem a população. Neste trabalho buscou-se conhecer a fundamentação dos votos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ao julgar as demandas ambientais que tenham por fundamento o artigo 225 da Constituição Federal. Utilizou-se de uma análise documental, tendo como foco as Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs) apreciadas com julgamento de mérito do período de outubro de 1988 a agosto de 2012. Também buscou-se investigar a ocorrência ou não da Injustiça Ambiental no município de Teresina, tomando como espaço de avaliação a região Santa Maria da Codipi na Zona Norte da Capital. Os principais resultados obtidos na pesquisa documental na qual analisou-se os acórdãos do STF envolvendo o julgamento das ADIs de natureza ambiental, foram a identificação das categorias de maior incidência dispensadas pelos julgadores em seus pronunciamentos e a não utilização explicita dos princípios de justiça ambiental na fundamentação das decisões analisadas. Acredita-se que este modo de agir dos ministros do STF é consequência de uma formação doutrinária pautada nos direitos individuais e ainda pela divergência de posicionamento no que tange às questões eminentes da sociedade quando comparadas às questões ambientais. O olhar progressista é ao mesmo tempo selecionador, pois naquilo que discutido amplamente nas mídias e na sociedade, os ministros apresentam soluções inovadoras e que muitas vezes extrapolam o texto legal, o que não foi observado com a mesma intensidade na análise das questões ambientais. Por meio da pesquisa de campo realizada na Santa Maria da Codipi, pode-se verificar às questões relacionadas à saúde pública, saneamento básico e serviço público de limpeza das ruas. A injustiça ambiental na região pesquisada apresentou-se sob alguns aspectos relevantes: o primeiro a disponibilidade de agentes comunitário de saúde diferente das outras regiões, especialmente com relação à equipe do Jacinta Andrade, que conta com apenas 04 agentes para atender uma população de 4.500 pessoas. Por conseguinte se não existem agentes de saúde suficientes, a cobertura do programa de Estratégia de Saúde da Família, fica comprometida, deixando parte da população suscetível às doenças presentes na região. Também se registrou a diferença na estrutura física dos postos, distribuição de profissionais e diversidade de atendimentos ofertados à população, quando comparado aos outros postos, isto identificado pelas entrevistadas. O saneamento básico é outro grave problema da região, tendo em vista que não há rede de esgoto pública. Esta carência reflete também na qualidade da saúde da população, que foi evidenciada pela pesquisa de campo, pois grande parte das doenças mais frequentes que acometem a população tem origem nas questões sanitárias e higiênicas. Observou-se ainda uma maior preocupação com as questões de natureza individual do que às de natureza coletiva, um desconhecimento da temática da justiça ambiental pelos operadores do direito e por fim que as desigualdades sociais e econômicas levam a hiperdesigualdades ambientais.

     

     

     

     

  • MELISE PESSOA ARAUJO MEIRELES
  • ETNOBIOLOGIA DA COMUNIDADE PESQUEIRA PASSARINHO, ILHA DAS CANÁRIAS, RESERVA EXTRATIVISTA MARINHA DO DELTA DO PARNAÍBA, ARAIOSES/MA/BRASIL

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 28/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo foi realizado na comunidade Passarinho, inserida na Ilha das Canárias, que faz parte da Resex Extrativista Marinha do Delta do Parnaíba. Diante da etnobiologia que estuda a relação das populações tradicionais com os recursos naturais, o objetivo geral deste estudo é investigar as relações existentes entre a comunidade Passarinho da Ilha das Canárias do município de Araioses/MA e o meio ambiente, dentro do contexto sócio-cultural e ambiental relacionados ao uso dos recursos vegetais e animais. Informações sobre o perfil socioeconômico dos pescadores entrevistados; atividade pesqueira; instrumento de pesca; captura ou coleta de peixes, crustáceos, moluscos e origem da comunidade foram conseguidas por meio de entrevistas com formulários semiestruturados. As análises quantitativas foram utilizadas como complemento da qualitativa. Os resultados mostraram que dos pescadores pesquisados a maioria é masculina (71,80%), mas também houve uma participação bastante expressiva de mulheres (28,20%). Todos apresentam parentes que também pescam, verificando que os conhecimentos sobre a prática e os recursos naturais são transmitidos ao longo de gerações, a maioria dos pescadores é adultos (79,48%), grande parte possui o ensino fundamental com 69,23% e 74,35% relataram ser da própria comunidade. Dos instrumentos de pesca utilizados foram citados: linha/anzol, puçá, tarrafa, landoá, manzuá, arpão, rede de tapagem, caçoeira, choque, sári, groseira e jiqui. A tarrafa foi o instrumento mais citado apresentando 28,57% e o puçá o menos citado com 0,75%. O bagre (Bagre sp) e o pacamão (Amphichthys cryptocentrus Valenciennes em Cuvier e Valenciennes, 1837) foram os peixes mais capturados por quase todos os instrumentos,  com exceção do landoá e o arpão. Dentre os crustáceos citados estão o siri (Callinectes bocourti A. Milne-Edwards, 1879), caranguejo (Ucides cordatus Linnaeus, 1763) e camarão (Litopenaeus schmitti Burkenroad, 1936) e entre os moluscos coletados estão o sururu (Mytella guyanensis Lamarck, 1819), o marisco (Anomalocardia brasiliana Gmelin, 1791) e a ostra (Crassostrea rhizophorae Guiding, 1828). Na flora foram identificadas 50 espécies distribuídas em 34 famílias botânicas, distribuídas em 12 categorias de uso. As famílias com maior número de espécies citadas são Lamiaceae com 6 (12%) citações, a família Myrtaceae, Leguminosae-Caesalpinioidea, Euphorbiaceae e Apocynaceae todas com 3 (6%) citações. A espécie mais versátil foi o mangue-vermelho (Rhizophora mangle L.). Na preparação do remédio a folha (38,4%) foi a parte da planta mais usada e a maceração (39, 07%) a forma de preparo  mais citada. Assim o trabalho buscou conhecer os recursos naturais utilizados pela comunidade e a forma como são manejados, buscando contribuir para entender o cotidiano da comunidade para servir de subsídio a elaboração do Plano de Manejo da Resex.

     

     

     

     


  • MARIA KEILA JERÔNIMO
  • PRINCÍPIO RESPONSABILIDADE COMO FUNDAMENTO ÉTICO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 27/06/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

    A natureza ao longo da história humana fora transformada nos seus vários aspectos pela técnica, a relação homem/natureza se construiu como forma de dominação.  Com o advento da tecnociência, a capacidade de intervenção modificou-se de forma assustadora, provocando grande destruição e degradação ao ethos. A associação entre tecnologia e economia contribui muito para a crise ambiental da atualidade. Isso se deve ao tipo de sociedade constituída, pois, vivemos numa sociedade que prega o aumento da produção constante, o consumismo a todo custo, a maioria das pessoas pensam mais em ter, do que ser. Neste sentido, pensamos que a educação ambiental é um importante meio de transformação das ações humanas. O que nos faz valer do Princípio Responsabilidade, proposto pelo pensador alemão Hans Jonas, como um novo agir para a civilização tecnológica. O Princípio Responsabilidade se apresenta como possibilidade de fundamentação para Educação Ambiental, pois vivemos em uma sociedade tecnológica, a qual põe em risco tanto a vida humana como de todos os seres vivos. Neste sentido, novos imperativos são necessários para que se contemple a relação homem/ natureza, com reconhecimento de que a natureza possui fins em si mesma, e não somente o que a racionalidade utilitarista atribui. Como também, vislumbra a afirmação ontológica do ser e negação ao não-ser, assegurando assim, a valorização da vida e a existência das gerações futuras. A partir da teoria jonasiana, buscou se analisar sua possível contribuição no âmbito da ética ambiental, para o desenvolvimento da Política Nacional de Educação Ambiental, (PNEA, LEI nº 9.795, de 27 de abril de 1999), como possibilidade de política pública voltada para o agir coletivo, prezando as ações de co-participação para o bem da sociedade. Neste sentido, pensar uma Educação Ambiental fundamentada pelo Princípio Responsabilidade é pensar uma educação que inclui um sentimento de cuidado para com aqueles mais frágeis, como também com a vida do futuro, pois nossas ações não podem colocar em risco a vida futura em detrimento dos nossos desejos atuais. Assim, despertar a sociedade para a cidadania responsável, com vistas para a sustentabilidade, é um grande desafio para Educação-ético Ambiental. E como ilustração no âmbito prático, apresentamos a análise crítica e qualitativa de entrevistas realizadas com professore(a)s mestres, formados pela Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente/ REDE PRODEMA/ UFPI/ TROPEN que nos mostra a visão sobre as várias temáticas abordadas de forma interdisciplinar, como a educação ambiental, ética ambiental, desenvolvimento sustentável, de forma a trazê-las para a compreensão de como elas são tratadas nas respectivas áreas de atuação pedagógica de cada sujeito envolvido.

     

     

     

     

  • HERBESSON SALES DE SOUSA
  • CERRADOS DO LITORAL: FLORÍSTICA, FITOSSOCIOLOGIA E POTENCIALIDADES DE USO, NORDESTE DO MARANHÃO, BRASIL

     

  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 25/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • CERRADOS DO LITORAL: FLORÍSTICA, FITOSSOCIOLOGIA E POTENCIALIDADES DE USO, NORDESTE DO MARANHÃO, BRASIL

     

     

    RESUMO

     

    Os Cerrados do Litoral estão associados à Formação Barreiras sendo sua vegetação adaptada a solos arenosos e às influencias marinhas, podendo aqueles agregar espécies de outras formações vegetacionais. A presente dissertação apresenta em três artigos o estudo realizado nos cerrados litorâneos presentes no nordeste do Maranhão. O primeiro deles averiguou a estrutura e a composição florística dos cerrados litorâneos presentes no município de Paulino Neves, tendo sido realizado por meio de levantamento florístico e fitossociológico em um intervalo de 12 meses e por análise de parâmetros fitossociológicos de sua vegetação lenhosa. Foram encontradas 35 espécies pertencentes a 31 gêneros de 22 famílias botânicas. As famílias mais representativas foram Fabaceae (sete espécies), Apocynaceae (três espécies), Vochysiaceae (três espécies). Verificou-se nestes cerrados uma concentração estrutural da comunidade em poucas espécies, onde apenas cinco delas concentram quase 65% dos indivíduos amostrados. Quanto aos parâmetros fitossociológicos o índice de Shannon foi de 2,53 nats/indivíduos com uma densidade 1.341,18 ind.ha-1 e a área basal total foi de 8,73 m2/ha. O cerrado litorâneo de Paulino Neves é composto de espécies de ampla distribuição, além de espécies bem distribuídas nos cerrados disjuntos da Amazônia, bem como de elementos característicos para província norte-nordeste. O segundo artigo, utilizando informações florísticas e fitossociológicas, apresentou a organização comunitária deste cerrado litorâneo e sua relação florística com os cerrados maranhenses e com outros Cerrados do Litoral. Montou-se uma matriz de presença/ausência para realizarem-se as análises de similaridade levando-se em consideração as listas de espécies lenhosas presentes nestes. O estudo da similaridade mostrou um distanciamento entre os cerrados litorâneos maranhenses e os outros Cerrados do Litoral, aproximando-o, apesar de apresentar-se diferenciado, dos cerrados maranhenses. O terceiro levantou as potencialidades locais (ambiente e flora) por meio de entrevista semiestruturada e bibliografia específica. Constatou-se que os cerrados litorâneos maranhenses possuem espécies de elevado valor econômico, bem como apresenta significativa importância conservacionista.

     

     

  • ADRIANA DE SOUSA LIMA
  • BIODIVERSIDADE, POTENCIAL DE USO ECONÔMICO E ASPECTOS SÓCIOAMBIENTAIS EM UMA ÁREA DE CERRADO SOB INFLUÊNCIA DE ATIVIDADE CARVOEIRA NO MUNICÍPIO DE JERUMENHA/PI, BRASIL

  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 24/06/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

     

     

     

     

    O cerrado é um dos Biomas mais diversos do mundo e também um dos mais ameaçados, sendo incluído como uma das 34 áreas prioritárias para a conservação. Dentre as ameaças sofridas por esse Bioma, está a perda da biodiversidade ocasionada pela silvicultura. Os cerrados possuem condições ambientais favoráveis para o plantio de eucalipto, entretanto, essa atividade vem sendo realizada de forma predatória e mal planejada, através da substituição da vegetação nativa por esta cultura. Com o aumento do desmatamento, ocorre a disponibilidade de material lenhoso, geralmente reaproveitado na forma de carvão vegetal. O objetivo deste estudo foi realizar o levantamento florístico e fitossociológico em uma área de cerradão de futura expansão para plantio de eucalipto, na Fazenda Campeira (07°02’ S e 43° 39’ W), município de Jerumenha-PI, bem como o levantamento das potencialidades de uso econômico,   síndrome de dispersão da vegetação encontrada, a forma na qual ocorre o aproveitamento da mesma através das carvoarias, e os processos socioambientais que envolvem a atividade, além da importância socioambiental destas para a população local. Para o levantamento qualitativo e quantitativo da vegetação foi utilizado o método de parcelas, através de 10 parcelas (20x50 m), com DNS ≥ 3 cm, na área de estudo. A análise da estrutura vegetacional foi obtida através dos parâmetros analíticos e sintéticos de abundância calculados pelo programa MATA NATIVA 3.09. Foram encontradas 56 espécies, destas, 43 foram amostradas no levantamento fitossociológico.  As espécies de maior VI foram Pouteria ramiflora (Mart.) Radlk.; Qualea parviflora Mart.; Byrsonima crassifolia (L.) Kunth.;  Plathymenia reticulata Benth.; Pterodon abruptus (Moric.) Benth.  A  maior parte das espécies e dos indivíduos esteve concentrada nas classes de menores diâmetros e altura. A posição sociológica revelou que poucas espécies foram presentes nos três estratos. O índice de diversidade de Shannon (H’) foi de 3,22 nats /ind.e a diversidade beta foi alta entre as parcelas, indicando que a vegetação está distribuída em forma de mosaico. No levantamento das potencialidades de uso econômico e síndrome de dispersão da área de cerradão, foram encontradas 54 espécies com uma gama de potenciais de uso na região. Os potenciais de usos que mais se destacaram foram: madeireiro, apícola e medicinal. Quanto à síndrome de dispersão, a zoocoria foi a predominante, seguida por anemocoria e autocoria. No que diz respeito aos aspectos socioambientais no processo de produção de carvão vegetal, observou-se que a maior parte dos trabalhadores era do sexo masculino, casado, com ensino fundamental incompleto, proveniente do Maranhão. Quanto à atividade de carvoejamento, esta se desenvolve a partir do aproveitamento lenhoso do desmatamento para o plantio de eucalipto, em fornos do tipo-rabo quente. Destaca-se a função do carbonizador como a de maior importância nas carvoarias, dependendo deste a qualidade do carvão. Com relação á saúde dos trabalhadores, a maior parte afirmou não ter tido nenhuma doença decorrente da atividade. Os carvoeiros vislumbram a produção de carvão vegetal como fonte de renda, bem como a conversão do cerrado em eucalipto como uma continuação desta fonte. Os proprietários das carvoarias analisadas alegam que o preconceito e a falta de conhecimento são os principais motivos que dificultam o desenvolvimento da atividade. A falta de conhecimento taxonômico da flora em áreas de cerrado ainda não inventariadas resulta em perdas irreversíveis uma vez que não há o conhecimento satisfatório destas áreas, bem como a simplificação das potencialidades de uso da vegetação por apenas um tipo de uso. O carvoejamento em Jerumenha é caracterizado como uma atividade secundária, envolvendo um grande número de trabalhadores com funções definidas e hierarquizadas. Estudos a fim de caracterizar a produção de carvão vegetal no Piauí fazem-se necessário considerando o Estado como um dos polos desta produção no Nordeste.

     

     

     

     

     

     

     


  • GESCYLA SILVA DO NASCIMENTO
  •  Diversidade de abelhas da tribo euglossini (hymenoptera, apoidea)  e a Percepção Ambiental das Comunidades  presentes no entorno  do Parque Nacional de Sete Cidades, Piauí, Brasil

     

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 24/06/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    RESUMO

    As abelhas Euglossini estão presentes na maior parte da região neotropical e constituem um importante grupo de abelhas polinizadoras relacionadas com algumas famílias de angiospermas, especialmente com as orquídeas, sendo os machos de Euglossini os únicos polinizadores de algumas orquídeas, por exemplo: Gongora(Ruiz; Pavón, 1794), Castasctum (Kunth, 1822)e Coryanthes(Hook, 1831). O interesse destas abelhas são as essências produzidas pelas plantas, as quais são armazenadas em estruturas morfológicas presentes nas tíbias posteriores. Muitos trabalhos com levantamento desses grupos de abelhas têm sido realizados através das capturas dessas abelhas com a utilização de armadilhas carregadas com essências contendo aromas similares ao das flores. Neste trabalho, o objetivo foi realizar um levantamento das abelhas Euglossini no Parque Nacional de Sete Cidades, Piauí, Brasil, coletando informações importantes sobre a composição deste grupo de abelhas numa área de cerrado, tais como, preferências de compostos aromáticos, maior incidências de indivíduos nas iscas odoríferas, tanto em relação a horários de preferência de captura de aromas, quanto aos meses de maior captura desses indivíduos. Foram realizadas coletas mensais de abelhas em duas fisionomias distintas do Parque Nacional de Sete Cidades, através de armadilhas. As excursões ao campo ocorreram de setembro de 2011 a agosto de 2012, com dois dias de coletas consecutivos em cada área e período de observação nas armadilhas instaladas por dez horas (7:00 h às 17:00 h), resultando em uma carga horária de 240 horas de esforço de campo. Na captura foi utilizado um modelo adaptado de armadilhas carregadas com as seguintes essências: eugenol, acetato de benzila, eucaliptol, salicilato de metila, utilizadas em todos os dias de coleta. Depois de coletadas as abelhas foram colocadas em frascos contendo acetato de etila e logo após foram acondicionadas em sacos etiquetados com horário, data e tipo de essência. Posteriormente, passaram por montagens entomológicas e foram enviadas à especialista para identificação. Para avaliar o conhecimento dos moradores resindentes no entorno do Parque Nacional de Sete Cidades sobre as abelhas foi utilizado um questionário aplicado em dez comunidades. Os resultados deste trabalho foram à captura de 132 indivíduos pertencentes à tribo Euglossini, distribuídos em quatro gêneros: Euglossa(Latreille, 1802); Eulaema (Lepeletier, 1841); Eufriesa(Cockerell, 1909) e Exaerete (Hoffmannsegg, 1817), nas duas fitofisionomias estudadas. Na avaliação da atratividade dos compostos aromáticos que foram utilizados, ficou evidenciado a preferência pelo composto eucaliptol, sendo responsável por 65, 15% da amostra total e quanto à percepção da população, foi considerada mediana, nem tão contrastante entre as localidades, nem tão homogênea. Apesar de baixa, estiveram diretamente influenciados pelo nível de instrução, renda familiar e vários problemas encarados por estas comunidades. Dentro dessas premissas, considera-se a área do Parque Nacional de Sete Cidades, de suma importância para o conhecimento e preservação dessas abelhas, sendo o Cerrado um bioma rico, porém pouco conhecido em relação às abelhas dessa família, sendo necessária a realização de pesquisas futuras no âmbito da ecologia do grupo na região, assim como se faz necessária ação junto às comunidades no sentido de melhorar a sua percepção sobre as abelhas e sua importância no contexto ambiental e econômico.

     

     

  • JOSÉ ALEX DA SILVA CUNHA
  •  

    MANEJO QUE FAVORECE A QUALIDADE DO SOLO E A PRESENÇA DE PREDADORES GENERALISTAS (ARACHNIDA; ARANEAE) EM CULTIVO DE MELANCIA (Citrullus lanatus (Thunb.) Matsum. & Nakai) NOS TABULEIROS LITORÂNEOS DO PIAUÍ

     

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 21/06/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

    A melancia é um fruto muito apreciado por seu aroma, cor, doçura e suculência e vem se destacando como um importante produto no distrito de irrigação dos tabuleiros do Piauí (DITALPI). Nessa região vários trabalhos vêm sendo desenvolvidos com o propósito de favorecer a produção orgânica dessa cultura, para tanto vários experimentos vem sendo realizados, dentre estes o uso de compostos no cultivo orgânico, estado nutricional das plantas, produtividade e qualidade dos frutos, cujos ensaios estão sendo desenvolvido em propriedades particulares do DITALPI e nas dependências da EMBRAPA MEIO-NORTE/UEP Parnaíba. Dentro deste contexto, esse trabalho tem como objetivo identificar o tipo de manejo que favoreça a qualidade do solo e potenciais predadores generalistas (Arachnida: Araneae) no cultivo de melancia, no distrito de irrigação dos tabuleiros litorâneos do Piauí. Para tanto, nas áreas experimentais implantadas na EMBRAPA e em propriedades particulares do DITALPI foram realizadas análises químicas e agroecológico de solo, aplicação de formulários de entrevistas com os produtores irrigantes do perímetro e a caracterização dos inimigos naturais (abundância e diversidade) com ênfase nas aranhas. Foram avaliadas as correlações entre: a) os diferentes manejos, convencional e de base ecológica com o estado nutricional dos solos; b) os diferentes manejos, convencional e de base ecológica com os padrões ecológicos de aranhas; c) o nível de percepção dos produtores irrigantes do perímetro. Os resultados apontam que a prática de manejo adotada no sistema agroecológico de produção favorece a manutenção da qualidade do solo e maior sinergismo entre os fatores aqui avaliados, podendo ainda priorizar intervenções agroecológicas necessárias para corrigir deficiências em sistemas desfavorecidos. A maioria dos produtores do perímetro exerce atividade orgânica de produção e possui maior percepção do ambiente em relação aos que adotam manejo convencional, considerando a manutenção da biodiversidade como essencial a sustentabilidade agrícola. Além disso, os resultados indicam como as assembleias de aranhas comportam-se de acordo com as práticas de manejo empregadas. Tal padrão se aplica pelas diferenças estruturais entre os sistemas e a reposta de espécies mais sensíveis ao tipo de manejo exercido, em detrimento de outras mais tolerantes as práticas utilizadas. Dessa forma, o presente trabalho sugere que o manejo praticado de forma sustentável, exercido no cultivo de melancia orgânica contribui para a redução da dependência de insumos externos bem como para uma reflexão e redirecionamento de ações que efetivamente busquem soluções de sustentabilidade ambiental, uma vez que os dados apontam impactos positivos tanto para a qualidade do solo como no favorecimento das comunidades de aranhas, ressaltando seus possíveis atributos funcionais.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     


     

  • AMANDO OLIVEIRA MATIAS
  • Caracterização de podridão radicular e identificação de genótipos resistentes na cultura da  mandioca (Manihot Crantz) , e no norte do Maranhão

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 28/05/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    As podridões radiculares estão entre as doenças que mais tem afetado a produtividade agrícola de mandioca na região Nordeste. Entretanto, ainda são poucos os estudos relacionados à identificação específica de seus agentes causais. Dessa forma, propôs-se através deste trabalho identificar agentes responsáveis por podridões radiculares de mandioca em Brejo, Maranhão, bem como fontes de resistência de genótipos oriundos deste município e do Banco de Germoplasma da Embrapa Meio Norte. Os genótipos de mandioca e o solo próximo às raízes afetadas foram coletados durante a estação chuvosa, em três pontos representados por P0, P1 e P2, localizados na Comunidade São João de Dentro e em São João dos Pilões, no município de Brejo, Maranhão. Para isolamento dos patógenos realizaram-se três ensaios: meio de cultura BDA/CMA, câmara úmida e câmara de solo com pepino. Na identificação de fonte de resistência, realizaram-se inoculações dos patógenos, em três repetições, para os seguintes genótipos: pretinha, branquinha, vermelhinha, tomazinha, BRS Caipira, BRS Verdinha, BRS Tapioqueira, BRS Dourada, BRS Gema de Ovo, 98148/02, 98143/01, 1167,1692, 1169, 1721, 1722. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias foram comparadas pelo teste de Scott-Knott, a 5% de probabilidade. Com base na similaridade do atributo avaliado, construiu-se dendrograma pelo método de agrupamento da distância média (UPGMA), conforme índice de Euclidean. Dentre todas as espécies isoladas (Pythium palingenes, P. aquatile, P. echinulatum e Fusarium oxysporum) apenas uma (P. echinulatum) não apresentou potencial fitopatológico na cultura de mandioca. Não houve genótipo totalmente imune aos patógenos isolados, mas existe resistência moderada no genótipo pretinha. Primeira citação para as espécies P. palingenes e P. aquatile em sistemas agrícolas de mandioca no Estado do Maranhão, bem como a primeira citação de fitopatogenicidade destas espécies na cultura de mandioca. 

     

     

     

     

  • KARLA COSTA BEZERRA FONTENELE OLIVEIRA
  • COMUNIDADE DE ANFÍBIOS DA APA DO INHAMUN, CAXIAS, MA: ABORDAGEM ECOLÓGICA. MOLECULAR E ETNOZOOLÓGICA COMO BASE PARA ESTATÍSTICA DE CONSERVAÇÃO

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 24/05/2013
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    Estudos de comunidades de anfíbios têm contribuído com importantes informações para a elaboração de modelos acerca da estruturação de comunidades em geral. São indicadores de qualidade ambiental de fácil observação por se encontrarem agregados na época reprodutiva. Apesar de sua importância, pesquisadores em todo o mundo vêm observando uma grande redução das populações destes animais, devido a processos naturais e antrópicos. O Cerrado, maior savana sul americana, vem sofrendo um acelerado processo de ocupação desordenada, e sua biodiversidade ainda não foi adequadamente estuda. Os dados de campo obtidos durante os estudos de inventários e monitoramentos têm importância especial para avaliar o estado de populações de anfíbios sobre grandes áreas, porém faz-se necessária a complementação desses dados com estudos de populações em mosaicos fitofisionômicos e outras ferramentas que auxiliem na correta identificação das espécies e de fatores de risco impulsionados pela população humana na sua área de ocorrência. No estado do Maranhão, o Cerrado ocorre ao lado de outras duas províncias florísticas: a Floresta Amazônica e a Caatinga, refletindo uma região extremamente heterogênea e com elevada diversidade de espécies. Este trabalho tem como objetivo inventariar a fauna de anfíbios em duas fitofisionomias de Cerrado na APA do Inhamum, mata de galeria e cerrado sensu strictu, levando em consideração análises moleculares, ecológicas e etnozoológicas-percepções ambientais e culturais da comunidade local visando à elaboração de estratégias de conservação mais efetivas e viáveis. Para descrever a comunidade de anfíbios da área foram realizadas amostragens com as armadilhas de interceptação e queda e amostragem em sítios reprodutivos; Extração de DNA pelo protocolo fenol-clorofórmio, PCR e sequenciamento de DNA. Entrevistas semi-estruturadas com auxílio de gravador e técnica de indução aos desenhos foram realizadas com os moradores do entorno.  Análises ecológicas revelaram divergências na estrutura das populações nas fitofisionomias, embora não tenha sido possível observar uma fauna característica em cada uma. As análises moleculares divergiram da identificação morfológica indicando a ocorrência de uma única espécie do gênero Phyllomedusa na APA, P. hypochondrialis. As percepções ambientais dos atores sociais do entorno da APA revelaram um conhecimento considerável acerca dos anfíbios, embora a classificação popular tenha diferido da classificação científica e a espécie Rhinella jimi é a mais ameaçada pelas atitudes da comunidade que em sua maioria mata estes animais. O uso do táxon restringe-se a alguns relatos nas categorias medicinal, lúdico e alimentar, não representando ameaça à conservação à diversidade de anfíbios na região. As representações por meio de desenhos revelaram um distanciamento das crianças e adolescentes em relação ao táxon, devido principalmente à conduta de seus pais de relacionarem os anfíbios a animais perigosos. As abordagens utilizadas podem contribuir para uma melhor forma de elaboração de estratégias de conservação da biodiversidade na área.

     

     

  • ELISÂNGELA GUIMARÃES MOURA FÉ
  • ORGANIZAÇÃO ESPACIAL E SOCIOBIODIVERSIDADE DO BURITI (Mauritia flexuosa L.f.) NA COMUNIDADE QUILOMBOLA OLHO D’ÁGUA DOS NEGROS ESPERANTINA –PI

  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 23/05/2013
  • Mostrar Resumo
  • O buriti enquanto produto da sociobiodiversidade foi priorizado por meio do Plano Nacional de Produtos da Sociobiodiversidade (PNPSB) para o desenvolvimento de arranjos produtivos locais no estado do Piauí.  O buritizal é uma palmeira de grande importância ecológica e econômica com larga utilização pelas populações tradicionais. Esta pesquisa apresenta algumas reflexões que subsidiam a compreensão da relação entre políticas públicas, os saberes locais e o manejo e uso dos recursos naturais, com foco no extrativismo vegetal do buriti, na organização do espaço produtivo de uma comunidade tradicional. Na diversidade de povos e comunidades tradicionais o recorte dado no universo da pesquisa foram comunidades quilombolas, delimitada espacialmente pela Comunidade Quilombola Olho D´Água dos Negros – Esperantina (PI). Esta pesquisa de caráter etnográfica e qualitativa utilizou-se de elementos antropológicos, econômicos, sociais, ambientais e geográficos para a compreensão do espaço produtivo desta Comunidade, a partir dos padrões de uso da terra e do uso e manejo do buriti neste lugar. Para tanto, utilizou-se em seu quadro conceitual concepções de território e territorialidades, realizou-se levantamento de políticas públicas, em esfera federal, voltadas para este grupo social. A metodologia somou a pesquisa documental, entrevistas não diretivas e observação não participante. Os dados secundários foram fundamentados em relatórios técnicos produzidos pelo INCRA e pelo INTERPI e imagem do satélite CBERS 2B referente à área de estudo. A coleta de dados primários foramobtidos em pesquisa de campo, complementados por entrevistas com moradores e observação in loco. Verificou-se que o espaço produtivo da Comunidade Olho D´Água dos Negros é limitado a produção de gêneros destinados ao autoconsumo, com reduzida atividade agrícola e a subutilização de produtos oriundos do extrativismo de espécies vegetais. Os cercados, espaços de uso misto localizados nos quintais das residências é o tipo de uso que mais se expande nesta Comunidade. O extrativismo do buriti ganha realce por ser praticado pelo Grupo de Mulheres Doceiras: Colhendo Frutos e Gerando vidas, que estão mostrando empoderamento social através da organização coletiva do trabalho em um pequeno projeto de desenvolvimento local. O buritizal cumpre sua função ecológica nesta Comunidade, protegendo o olho d’água e as veredas, entretanto no extrativismo este fruto é subutilizado aproveitando-se apenas o fruto in natura.

     

     

     

  • ANTONIA MOURA NUNES NETA
  • ANÁLISE DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS SOBRE CONSUMO AMBIENTALMENTE RESPONSÁVEL DOS PROFESSORES DO PROGRAMA ESCOLA SUSTENTÁVEL DO MUNICIPIO DE TERESINA/PI

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 17/05/2013
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    Os problemas ambientais têm crescido de forma assustadora, se fazendo necessário o desenvolvimento de ações e de políticas publicas voltadas para resolução desse problema. A crise ambiental contribui para o aumento das desigualdades sociais, gerando pobreza e degradação do meio ambiente. Uma das estratégias para o enfrentamento das problemáticas social e cultural é a educação ambiental, pois suas ações contribuem para a melhoria da qualidade de vida. No âmbito escolar, deve ser desenvolvida de forma multidisciplinar, através de ações e projetos que visam a formação da coletividade, formando assim cidadãos sensibilizados para a construção de meio ambiente saudável e equilibrado. A pesquisa analisou a relação entre a educação ambiental e as práticas pedagógicas desenvolvidas pelos professores sobre o consumo ambientalmente responsável, no ensino fundamental das escolas municipais de Teresina promotoras  do projeto de Educação Ambiental Sustentável, em Teresina, PI. As práticas pedagógicas desenvolvidas pelos professores apresentam uma grande deficiência em relação às abordagens sobre a temática do consumo e os problemas oriundos do mesmo. Foram detectados uma falta de ajuste entre os Projetos políticos e pedagógicos das escolas e a lei municipal de educação ambiental.

     

     

     

     

     

     


     

     

     

     

     

  • MARIA DE JESUS RODRIGUES ALVES
  • EXPLORAÇÃO DO CALCÁRIO E IMPACTOS SOCIOECONOMICOS E AMBIENTAIS  DO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 30/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • O solo do cerrado piauiense era predominantemente  latossolo amarelo, caracterizado por ser profundo e de boa drenagem, apesar das limitações, como baixa permeabilidade restrita e fertilidade, infiltração lenta, elevada acidez, alta saturação por alumínio e deficiência acentuada de micronutrientes Todavia, não obstante essa configuração, o solo é passível de correção com o uso do calcário e adubos químicos, para tornar-se apto para a agropecuária. Esse cenário revelou a importância da análise das jazidas e da extração do calcário no Piauí, em especial no cerrado piauiense, em Antônio Almeida e Santa Filomena. Alicerçado nesse contexto, questiona-se: como se desenvolve o processo de extração do calcário e quais as externalidades causadas por essa atividade em Antônio Almeida e Santa Filomena do ponto de vista socioeconômico e ambiental? Embasado nessa problemática, a hipótese da pesquisa centrou-se que a extração das jazidas de calcário, embora proporcione a elevação da produtividade da produção granífera dos empreendimentos agropecuários instalados no cerrado piauiense, causa externalidades negativas, como a degradação do solo, desmatamento nas jazidas e agressões a fauna. Nesse sentido, objetivou-se analisar o processo de extração do calcário nos âmbitos socioeconômico e ambiental em Antônio Almeida e Santa Filomena, a partir de 1990. Assim, estudou-se a história da mineração, os arranjos legais e a instituições norteadoras do setor mineral brasileiro; discorreu-se sobre sua relevância para a ocupação e uso do cerrado do Piauí, enfatizando a agropecuária e o calcário como fator dinamizador da atividade no Brasil e no Piauí. Para tanto, adotou-se como procedimento metodológico os levantamentos bibliográfico, documental e estatístico, e pesquisa de campo junto às mineradoras e aos representantes de instituições vinculadas diretamente à temática. Através da pesquisa, percebeu-se a crescente demanda por calcário para a correção da acidez do solo e, consequentemente, elevar produtividade do cultivo de grãos, particularmente, soja. Ademais, constatou-se o baixo nível de instrução dos trabalhadores dos municípios sob estudo, o que estimulou a busca pelas mineradoras de mão de obra qualificada em municípios e Estados vizinhos. Identificou-se, também, grandes crateras sem a devida correção do solo, que pode amenizar o dano derivado da escavação, as quais provocavam erosão; desmatamento no local da lavra; e estradas construídas em condições precárias entre as pedreiras e entre estas e as usinas, e entre estas e os empreendimentos agropecuários. Destarte, tendo em vista esta configuração, reconheceu-se que para uma racional extração, faz-se necessário a intervenção estatal, por ser o Estado o provedor das leis, e criação de entidades, como sindicato e/ou associações, com o intuito de garantir melhores condições de trabalho e de infraestrutura para a atividade mineira.

     

     

     

     

  • KELLY POLYANA PEREIRA DOS SANTOS
  • ETNOBOTÂNICA E ETNOZOOLOGIA DOS PESCADORES ARTESANAIS DO MUNICÍPIODE UNIÃO/ PI, BRASIL

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 29/04/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    A Etnobiologia trata das percepções, usos e classificação dos homens em relação ao meio ambiente. Nas comunidades tradicionais de pescadores artesanais evidencia-se uma importância cultural de sobrevivência através do uso sustentável dos recursos naturais. Assim, investigou-se o conhecimento etnobotânico e etnozoológico dos pescadores artesanais da colônia Z- 18 do município de União/PI, e registrou-se a realidade socioeconômica e cultural da mesma. A comunidade de pescadores artesanais de União/PI, localiza-se entre as coordenadas: “04º 35' 09" S e 42º 51' 51 W. Foram realizadas entrevistas semiestrururadas, observação direta, registro fotográfico, conversas informais registradas em diário de campo e tabulação e análise quantitativa dos dados. Entrevistou-se 150 pescadores e detectou-se que homens e mulheres participam diretamente da pesca, os quais utilizam oito artefatos de pesca: engancho, vara de pesca, tarrafa, currú, peneira, groseira, garrafa e jiqui que são fabricados artesanalmente por 13,3% dos pescadores da colônia. Foram apontadas 10 espécies de peixes raras: matrinchãn (Ageneiosus valenciennesi Bleeker, 1864) obteve o maior número de citações (20,70%). Como espécies comuns foram mencionadas 15, sendo  curimatá (Prochilodus lacustris Steindachner, 1907) o mais citado com 13,08%. Com relação à diversidade de citações entre gêneros foi observado valor semelhante entre homens e mulheres. Quanto à distribuição do conhecimento etnozoológico por faixa etária, adultos e idosos não diferiram entre si significativamente, porém os jovens apresentaram menos conhecimento quando comparado às outras duas classes. Quatro espécies vegetais são utilizadas na fabricação e reparo das canoas, com funções específicas na sua construção: pau-d`arco (Tabebuia spp), cedro (Cedrella odorata L.), imbiratanha (Pseudobombax marginatum A.St-Hil. A. Robin) e breu (Protium spp). Quanto ao perfil socioeconômico e cultural dos pescadores, observou-se que eles residem em média 31,27 anos na comunidade, 40% são casados, 52,67% possuem apenas o ensino fundamental incompleto, 78% residem em casa própria, a coleta de lixo é realizada em 62,67% das residências, a renda mensal dos pescadores é de R$300,00, a principal atividade secundária realizada na comunidade é a agricultura, 88% dos pescadores estão satisfeitos com a profissão, a maioria dos entrevistados são católicos (87%), a comunidade possui oito rezadores, sendo seis do sexo feminino e dois do sexo masculino, que utilizam plantas nos rituais de reza, sendo as principais: manjericão (Ocimum gratissimum L.), vassourinha (Scoparia dulcis L.) e peão-roxo (Jatropha gossypiifolia L.). Os pescadores artesanais demonstraram vasto conhecimento em relação à atividade pesqueira, devido provavelmente ser esta atividade exercida prioritariamente, sendo esta transmitida de geração a geração pela oralidade e prática diária. Os entrevistados possuem um conhecimento detalhado acerca da dinâmica dos peixes, bem como a relação artefato de pesca e produto pescado. Observa-se uma situação de fragilidade, quando se refere à estrutura orçamentária e educacional, o que exige providências imediatas a fim de que lhes sejam assegurados o mínimo de conforto e qualidade de vida. A cultura e a religiosidade da comunidade são valorizadas e seus princípios são transmitidos pelos pescadores mais experientes.

     

     

     

     


     

  • ARYANE HOLANDA BARROS
  • A GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ EM TERESINA

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 05/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    O presente trabalho aborda aspectos da gestão de resíduos sólidos em Instituições de Ensino Superior, locais onde são gerados resíduos em grande diversidade de características e composição. Consiste em um estudo de caso que teve como objetivo a análise da gestão dos resíduos sólidos na Universidade Federal do Piauí em Teresina. A pesquisa foi dividida em duas etapas de campo. A primeira consistiu na quantificação (mensuração da massa e cálculo da geração per capita), na análise quantitativa (composição gravimétrica) e na análise das diferentes etapas do seu fluxo. A caracterização descritiva do fluxo de resíduos foi realizada com base na observação direta e coleta de informações junto a funcionários e em órgãos ligados ao serviço de limpeza pública de Teresina. A segunda etapa da pesquisa consistiu na aplicação de questionários junto à comunidade universitária para análise da sua percepção ambiental no tocante aos seus resíduos sólidos. A análise do fluxo apontou algumas irregularidades como: mistura dos materiais recicláveis provenientes de caixas coletoras seletivas; queima de resíduos a céu aberto e acondicionamento, armazenamento e destinação final inadequados de resíduos perigosos. A média diária da massa dos resíduos dispostos à coleta pública no campus Ministro Petrônio Portela foi de 515,9 kg e a média de valores de geração per capita diária foi de 0,030 kg. A análise da composição gravimétrica apontou que o componente gerado em maior proporção é o papel, seguido do plástico e da matéria orgânica. Em relação à percepção ambiental a pesquisa mostrou que incômodos provocados pelos resíduos no campus são sentidos pela maioria dos participantes da pesquisa, mas grande parte desses não toma nenhum tipo de atitude para reduzir os impactos negativos dos resíduos no campus. Por outro lado, uma boa parcela dos respondentes se mostrou disposta a colaborar com a coleta seletiva (caso seja efetivada) e a participar de campanhas educativas voltadas à temática de resíduos sólidos. O estudo comprova que a falta de planejamento das ações e estratégias de gestão de resíduos sólidos leva a falhas no manejo, resultando em um fluxo incompatível com a sustentabilidade ambiental. Destarte, pesquisas que enfoquem o tema abordado configuram-se como de suma importância, uma vez que, servem de incentivo e fonte de informações para a criação de um plano de gerenciamento de resíduos em IES que possibilite a melhoria contínua na gestão de seus resíduos sólidos trazendo inúmeros benefícios do ponto de vista socioambiental.

     

     

     

     

     

             
     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • GAIA RÊGO CAVALCANTE FORTES
  • VALOR DA INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E AMBIENTAL NA REVISTA VEJA

  • Orientador : GERSON ALBUQUERQUE DE ARAUJO NETO
  • Data: 27/03/2013
  • Mostrar Resumo

  •  

    A pesquisa objetivou compreender os valores construídos na produção jornalística científica  e ambiental da revista Veja. Foram analisadas 31 edições desta revista de circulação nacional nos períodos de junho a dezembro de 2011, compreendendo as edições 2219 ao número 2249. O método de análise de conteúdo foi utilizado com aplicação quantitativa e qualitativa. Tal metodologia serviu para explicar com quais critérios editoriais a Veja produziu informações de relevância científica (com interface na produção de conhecimento ambiental) e ambiental num sentido que extravasa o campo científico. A metodologia de análise de conteúdo auxiliou no processo de inferência para obter-se uma descrição do conteúdo das mensagens e suas estratégias enunciativas. Os enfoques discursivos foram problematizados de modo a colocar em questão o contexto, a natureza social, científica, política, econômica, legal, histórica e ambiental das informações selecionadas nesta pesquisa. A análise das informações presentes tanto no gênero opinativo como informativo se adequaram a estilização de discursos da revista Veja. Problematizou-se os efeitos de sentidos dialogados entre redatores, editores, articulistas, fontes, leitores e anunciantes, ao construírem e descontruírem os valores significados nas informações selecionadas. Identificou-se que a produção de conhecimento científica e ambiental na revista Veja é assunto menor. O percentual das variáveis de pesquisa representou apenas 4,37% de uma amostra de 3253 informações produzidas pela revista de uma forma geral. O jornalismo ambiental foi quantitativamente mais expressivo com 151 observações. Os elementos discursivos do jornalismo científico somaram 38 observações com enfoque no conhecimento ambiental. O jornalismo científico em Veja construiu sentidos semeados numa perspectiva neoclássica. Neste caso, o desenvolvimento construído nos discursos perpassou por aparatos tecnológicos que por suposto garantiriam a sustentabilidade do capital natural em complementaridade ao capital construído, humano e social. A perspectiva sistêmica esteve inserida aos enfoques discursivos da revista no jornalismo ambiental. O debate entre os atores das questões ambientais, principalmente as fontes empresariais e especialistas, foi intercalado pela sociedade civil organizada, populações tradicionais, personalidade da vida pública e cidadãos comuns. Todavia, a revista construiu discursos ufanistas ao vangloriar-se da biodiversidade brasileira como justificativa para o silenciamento das externalidades ambientais nos sistemas produtivos. Os efeitos de sentidos gerados por ambos os discursos foram problematizados a partir de aportes teóricos interdisciplinares.

     

     

     

     

     

     

     

  • HELDER DE SENA BARBOZA
  • AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL DE OBRAS E PROJETOS DE ESTRADAS

  • Orientador : JOSÉ MACHADO MOITA NETO
  • Data: 28/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Paraminimizar os impactos negativos no meio ambiente causados pela forma atual deprojetar e construir obras rodoviárias é necessário avaliar o quanto novasalternativas de projeto e construção podem ser menos danosas. As ferramentas deavaliação de desempenho ambiental de rodovias são propostas para servir demétrica nesta comparação de alternativas. Este estudo pretende determinar se aferramenta Greenroads podeavaliar de maneira adequada as características ambientais de obras rodoviáriasexecutadas recentemente no Estado do Piauí. Para tanto uma amostra destas obrasfoi submetida aos critérios de avaliação da ferramenta. Foi feita umacomparação entre os impactos ambientais negativos observados nas obras e ositens preconizados por Greenroads.Nenhuma obra estudada poderia ser certificada na ferramenta porque não atendeusequer aos itens obrigatórios. As obras não seriam certificadas devido à baixapontuação obtida, mesmo que tais itens tivessem sido atendidos. Muitos impactosobservados poderiam ter sido evitados simplesmente cumprindo a atual normatizaçãosobre obras rodoviárias brasileiras. Isto demonstra que as obras foramprojetadas e construídas com um nível de preocupação ambiental aquém do exigidonas normas brasileiras e sem atender critérios mínimos internacionais. Aflexibilidade do Greenroadspermite adaptar as exigências legais mínimas das normas brasileiras e pontuaras características ambientais desejáveis para obras rodoviárias.

     


     

  • JULIANA RODRIGUES ROCHA
  • Impactos das atividades antrópicas na qualidade das águas do rio Parnaíba no meio urbano das cidades de Teresina-PI e Timon-Ma"

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 22/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • A água é essencial à vida de todos os seres vivos, um recurso com valor inestimável que precisa ser preservado. O Brasil é um país privilegiado em relação aos recursos hídricos e apresenta cidades em pleno desenvolvimento econômico que exigem uma maior demanda de água, garantida em sua qualidade e quantidade. A bacia hidrográfica do rio Parnaíba abrange três estados da federação (Piauí, Maranhão e Ceará). O objetivo da pesquisa foi avaliar a influência dos impactos e riscos eminentes à saúde da população decorrentes dos principais usos do rio Parnaíba. A área de estudo da pesquisa foi composta de (06) seis pontos no trecho do rio Parnaíba que divide as áreas urbanas das cidades de Teresina (PI) e Timon (MA). A metodologia utilizada foi dividida em: Levantamento de campo, identificação dos usos do rio e monitoramento da qualidade utilizando o Índice de Qualidade da Água IQA CETESB/2011. Os resultados foram interpretados segundo a resolução CONAMA n° 357/2005 e as classes de qualidade do IQA. Foi encontrada uma maior prevalência de impactos na margem direita do rio em Teresina, como à retirada da mata ciliar, lançamento de efluentes e acúmulo de lixo, impactos que comprometem a qualidade do rio e geram focos de contaminação de doenças de veiculação hídrica. Em relação ao IQA os resultados demonstraram uma qualidade boa para a água do rio, no entanto analisando os parâmetros individualmente obtiveram-se desconformidades para os coliformes fecais e o fósforo nos pontos monitorados. Essas alterações são resultantes da quantidade de impactos encontrados e da falta de saneamento das cidades analisadas. Assim observa-se a necessidade de intervenções na área analisada a fim de diminuir os impactos observados principalmente na área de preservação permanente (APP), para a garantia e preservação dos recursos hídricos da bacia hidrográfica do Parnaíba.

     

  • OSIEL CÉSAR DA TRINDADE JÚNIOR
  • RISCOS SOCIOAMBIENTAIS E DIVERSIDADE DE FUNGOS ZOOSPÓRICOS EM LAGOAS DE TERESINA, PIAUÍ

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 20/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Um estudo da diversidade de fungos zoospóricos foi realizado em lagoas da zona Norte de Teresina, Piauí. Procurou-se destacar quais fungos apresentam potencial patogênico a plantas e animais, bem como oferecer à comunidade científica e às populações interessadas informações precisas quanto à existência de riscos a saúde e ao meio ambiente, alertando sobre a importância da preservação e conservação do espaço habitado, além de contribuir para o conhecimento da percepção ambiental dos moradores nas redondezas das lagoas. Os métodos utilizados levaram em consideração a aplicação de questionários com os moradores dos bairros Matadouro, São Joaquim e Mocambinho, na zona Norte da capital, avaliando a percepção ambiental da população. O método de isolamento múltiplo foi utilizado para a identificação, classificação e purificação dos organismos zoospóricos. Ao serem questionados a respeito das poluições, os entrevistados afirmaram ser um grave problema nas cidades grandes, principalmente em relação ao lixo acumulado nas ruas e a rede de esgoto a céu aberto. Porém, com relação à qualidade de vida os moradores argumentaram viver bem, embora as condições de habitação, saneamento básico e infraestrutura ambiental sejam um problema para eles. Isso mostra que a percepção ambiental é vista de forma contraditória. Com o método de isolamento dos fungos zoospóricos foi possível identificar 34 táxons pertencentes aos filos Oomycota, Blastocladiomycota e Chytridiomycota, em oito coletas nas estações chuvosa e seca. Desses táxons, 20 pertenciam ao filo Oomycota e 14 aos filos Blastocladiomycota e Chytridiomycota, sendo que a predominância de fungos ocorreu na estação chuvosa. As análises estatísticas mostraram que o Índice de Similaridade de Sorensen, calculado para as duas estações, foi significativo (76%) e, ao comparar as lagoas entre si esse índice mostrou-se elevado (acima de 80%), representando alto grau de semelhança em relação aos táxons encontrados. Os valores da diversidade de Shannon e a Equitabilidade indicaram que as três lagoas são diversificadas, com uma uniformidade padrão entre os isolados das espécies das comunidades. Com isso, no sentido de melhorar o comportamento do homem em relação à percepção do meio ambiente, é necessário promover em Teresina um desenvolvimento sustentável adequado para a sobrevivência dos moradores em locais de riscos, levando a práticas de conservação, com reflexos positivos para a qualidade de vida nas cidades. Os estudos de fungos zoospóricos no Brasil e no Piauí, por serem de pouca frequência, devem ser ampliados devido o avanço da degradação dos ecossistemas aquáticos.

2012
Descrição
  • SHEILA OLIVEIRA DE FREITAS
  • O ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DA OPALA E SUAS REPERCUSSÕES NO AMBIENTE NATURAL E DO TRABALHO EM PEDRO II

  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 29/08/2012
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

    O presente trabalho propõe uma breve análise do setor mineral no Brasil por meio de
    aspectos como a empregabilidade, a participação no PIB, assim como as mudanças
    promovidas pela relação de governança entre os atores que compõe o Arranjo Produtivo
    Local da opala em Pedro II (Piauí). Até a implantação de ações do Projeto em rede de
    Arranjo Produtivo local da Opala, em 2005, predominava na região a informalidade do
    setor resultando como consequências: acidentes de trabalho e impactos ambientais nas
    áreas de exploração. O objetivo geral é verificar que mudanças foram promovidas no
    ambiente natural e do trabalho desde a implementação de ações do Projeto em Rede de
    Arranjo Produtivo Local da Opala nos garimpos Boi Morto, Roça e Mamoeiro,
    escolhidos a partir do direcionamento de investimentos do Projeto para regularização
    das áreas destinadas a Cooperativa de garimpeiros de Pedro II – COOGP, assim como o
    fortalecimento dessa organização. A pesquisa realizou-se com a coleta de dados
    secundários e primários. A coleta de dados secundários fundamentou-se através da
    ferramenta fonte de informações baseada em relatórios de parceiros institucionais do
    APL como DNPM, SEDET e CETEM. A coleta de dados primários, por sua vez,
    constituiu-se a partir de visitas técnicas aos garimpos explorados pela COOGP,
    enriquecida com entrevistas aos representantes das instituições parceiras que compõe o
    Arranjo no município de Pedro II. Observaram-se mudanças positivas quanto ao uso de
    ferramentas de trabalho manuais e maquinário no ambiente do trabalho, entretanto, a
    remuneração de trabalhadores continua baixa nesse elo da cadeia produtiva da opala.
    No ambiente natural observou-se o pouco empenho na recuperação da cobertura vegetal
    após o encerramento das atividades nos garimpos roça e mamoeiro. No garimpo Boi
    Morto, constatou-se que a ações como o levantamento topográfico da área, assim como
    a construção de bacia de contenção de rejeitos só funcionam na teoria, pois na prática
    constatou-se apenas o alcance de uma meta do projeto: a retirada do material em
    bancadas para evitar desmoronamento. Portanto, no ambiente natural, os impactos
    ambientais passíveis de resolução segundo o projeto continuam a existir, e no que se
    refere ao ambiente do trabalho, constatou-se que os garimpeiros cooperativados
    trabalham com o uso de ferramentas manuais adquiridas com os investimentos do
    projeto, entretanto, continuam a receber uma remuneração muito baixa.

    Palavras-chaves: Mineração, Arranjo Produtivo Local, Governança, Impacto
    Ambiental, Ambiente do trabalho.

    ABSTRACT

    This paper proposes a brief analysis of the mineral sector in Brazil through issues such
    as employability, participation in the GDP as well as the changes made by the
    governance relationship between the actors in the Local Productive Arrangement of
    opal in Pedro II (Piauí) Until the implementation of actions of the Project in Local
    Productive Arrangement network of Opal in 2005, dominated the region in the informal
    sector and resulting consequences: accidents and environmental impacts in the areas of
    exploration. The overall objective is to verify that changes were promoted in the natural
    environment and labor since the implementation of actions of the Project Network of
    Local Productive Arrangement of opal mining in Dead Ox, Roca and papaya, chosen
    from the direction of investments of the Project for regularization of areas for
    Cooperative miners Pedro II - COOGP, as well as the strengthening of this
    organization. The survey was conducted by collecting secondary and primary data. The
    secondary data collection was based through the tool source of information based on
    reports from institutional partners of APL as DNPM SEDET and CETEM. The primary
    data collection, in turn, was formed from technical visits to the mines operated by
    COOGP, enriched by interviews with representatives of partner institutions that make
    up the arrangement in the municipality of Pedro II. We observed positive changes in the
    use of work tools and machinery manuals environmentalist in the work, however, the
    remuneration of workers in the link in the chain of opal production remains low. In the
    natural environment there was little commitment to the recovery of vegetation after the
    closure of mining activities in the field and papaya. In mining Dead Ox, it was found
    that the actions as surveying the area, as well as the construction of tailings containment
    basin only work in theory, since in practice it was found only the scope of a project's
    goal: the withdrawal the material in countertops to prevent collapse. Therefore, the
    natural environment, the environmental impacts solvable according to the project
    continue to exist, and in relation to the work environment, it was found that the miners
    cooperative work using hand tools gained from the investment of the project however
    continue to receive very low pay.

    Keywords: Mining, Local Productive Arrangement, Governance, Environmental
    Impact, Work Environment.

  • INDIRA LOPES EMÉRITO
  • Fitossociologia e potencial alimentício de espécies de cerrado do Parque Nacional de Sete Cidades, Piauí, Brasil

  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 30/07/2012
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    O Cerrado, o maior bioma da América do Sul, caracteriza-se por acolher diversos ecossistemas, ser um domínio bastante antigo e surgir da união de heterogêneos climas, solos e topografias, sendo considerada a mais diversificada savana tropical do mundo. O estado do Piauí, na região Nordeste do país, possui uma vegetação resultante da influência direta de distintos biomas. Nele está situado o Parque Nacional de Sete Cidades (PN7C), em área de tensão ecológica abrigando uma rica variedade de recursos naturais, onde a potencialidade da flora para a categoria de uso alimentícia é ainda pouco explorada. Esta pesquisa teve como objetivos analisar a composição florística e fitossociológica de uma área de cerrado no PN7C, situado nos municípios de Piracuruca e Brasileira e identificar o recurso alimentício da flora, ao efetuar o perfil socioeconômico das comunidades residentes no entorno do Parque, de maneira a oferecer subsídios para o manejo sustentável local e contribuir para maior conhecimento botânico. O conhecimento da potencialidade da flora para a categoria de uso alimentícia é fundamental ao planejamento de ações de conservação da biodiversidade e extrativismo vegetal sustentável. A parte fitossociológica foi concretizada através da metodologia de "parcelas permanentes (PP)", onde 30 parcelas de 600 m2 (20x30 m) são alocadas sistematicamente amostrando-se todos os indivíduos com diâmetro do caule ao nível do solo (DNS)  3 cm. Encontrou-se 71 espécies, 54 gêneros e 28 famílias. Oito famílias representaram 56,32% das espécies da área, sendo Fabaceae a de maior riqueza, com oito espécies. Vochysiaceae foi a família com maior valor de importância (VI) na amostragem. A densidade absoluta foi de 2.976,67 ind. ha-1 e área basal de 36,38 m2 ha-1. O índice de diversidade de Shannon (H’) para as espécies foi de 3,17 nats/ind. A metodologia empregada para a coleta de dados socioeconômicos e identificação do potencial alimentício das espécies frutíferas nativas foi a de entrevistas semiestruturadas, com aplicação de formulários aos residentes. Foram realizadas 77 entrevistas nas comunidades Água de Abelha, Angico Branco, Bananeira, Brasileira Velha, Bom Sucesso, Cachoeira, Gameleira, Limão, Morada Nova, Oiticica, Palmeira da Emília e Vamos Vendo. A análise de variância paramétrica demonstrou diferenças significativas entre as variáveis quantitativas idade e tempo de moradia na comunidade, quando relacionadas ao número de citações de espécies nativas frutíferas. Os materiais testemunhos encontram-se depositados no Herbário Graziela Barroso (TEPB), da Universidade Federal do Piauí. As famílias mais representativas com base na frequência de citações feitas pelos entrevistados foram Caryocaceae, Annonaceae e Myrtaceae.

     

     

     

  • INDIRA LOPES EMÉRITO
  • Fitossociologia e potencial alimentício de espécies de cerrado do Parque Nacional de Sete Cidades, Piauí, Brasil

  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 30/07/2012
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    O Cerrado, o maior bioma da América do Sul, caracteriza-se por acolher diversos ecossistemas, ser um domínio bastante antigo e surgir da união de heterogêneos climas, solos e topografias, sendo considerada a mais diversificada savana tropical do mundo. O estado do Piauí, na região Nordeste do país, possui uma vegetação resultante da influência direta de distintos biomas. Nele está situado o Parque Nacional de Sete Cidades (PN7C), em área de tensão ecológica abrigando uma rica variedade de recursos naturais, onde a potencialidade da flora para a categoria de uso alimentícia é ainda pouco explorada. Esta pesquisa teve como objetivos analisar a composição florística e fitossociológica de uma área de cerrado no PN7C, situado nos municípios de Piracuruca e Brasileira e identificar o recurso alimentício da flora, ao efetuar o perfil socioeconômico das comunidades residentes no entorno do Parque, de maneira a oferecer subsídios para o manejo sustentável local e contribuir para maior conhecimento botânico. O conhecimento da potencialidade da flora para a categoria de uso alimentícia é fundamental ao planejamento de ações de conservação da biodiversidade e extrativismo vegetal sustentável. A parte fitossociológica foi concretizada através da metodologia de "parcelas permanentes (PP)", onde 30 parcelas de 600 m2 (20x30 m) são alocadas sistematicamente amostrando-se todos os indivíduos com diâmetro do caule ao nível do solo (DNS)  3 cm. Encontrou-se 71 espécies, 54 gêneros e 28 famílias. Oito famílias representaram 56,32% das espécies da área, sendo Fabaceae a de maior riqueza, com oito espécies. Vochysiaceae foi a família com maior valor de importância (VI) na amostragem. A densidade absoluta foi de 2.976,67 ind. ha-1 e área basal de 36,38 m2 ha-1. O índice de diversidade de Shannon (H’) para as espécies foi de 3,17 nats/ind. A metodologia empregada para a coleta de dados socioeconômicos e identificação do potencial alimentício das espécies frutíferas nativas foi a de entrevistas semiestruturadas, com aplicação de formulários aos residentes. Foram realizadas 77 entrevistas nas comunidades Água de Abelha, Angico Branco, Bananeira, Brasileira Velha, Bom Sucesso, Cachoeira, Gameleira, Limão, Morada Nova, Oiticica, Palmeira da Emília e Vamos Vendo. A análise de variância paramétrica demonstrou diferenças significativas entre as variáveis quantitativas idade e tempo de moradia na comunidade, quando relacionadas ao número de citações de espécies nativas frutíferas. Os materiais testemunhos encontram-se depositados no Herbário Graziela Barroso (TEPB), da Universidade Federal do Piauí. As famílias mais representativas com base na frequência de citações feitas pelos entrevistados foram Caryocaceae, Annonaceae e Myrtaceae.

     

     

     

  • MAURICIO EDUARDO CHAVES E SILVA
  • TÍTULO: ESTRUTURA POPULACIONAL E ETNOBOTÂNICA DA PALMEIRA BABAÇU (Attalea speciosa Mart. ex Spreng) COMO SUBSÍDIOS PARA EXTRATIVISMO SUSTENTÁVEL NO PIAUÍ, BRASIL

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 27/04/2012
  • Mostrar Resumo
  • O babaçu (Attalea speciosa Mart. ex Spreng) é uma palmeira nativa presente na “região dos cocais”, estados do Maranhão e Piauí, onde é tradicionalmente utilizada por pequenos produtores rurais. As densas populações naturais dessa espécie, os babaçuais como são reconhecidos regionalmente, possuem destaque pelo grande potencial de exploração econômica e pelo papel social que exerce, através do seu extrativismo que vai desde suas folhas até as sementes. O estímulo ao manejo de produtos florestais não madeireiros (PFNMs), entre os quais se incluem os produtos do babaçu, é uma alternativa promissora, mas que, no entanto, é necessário conhecimento amplo sobre a ecologia e saber tradicional das espécies. Este trabalho teve por objetivo descrever e analisar a estrutura populacional do babaçu, bem como documentar aspectos etnobotânicos relacionados ao conhecimento e uso da palmeira em comunidades rurais extrativistas do norte do Piauí. Os estudos populacionais da palmeira foram desenvolvidos em parcelas amostrais de 50x10m em quatro áreas, localizados nos municípios de Esperantina, José de Freitas e Teresina, onde a população estudada foi classificada em cinco estádios de desenvolvimento: Plântula, Jovem I, Jovem II, Adulto não-reprodutivo e Adulto reprodutivo. A investigação etnobotânica se deu em três comunidades rurais extrativistas mediante entrevistas semiestruturadas aplicadas a 43 informantes-chave. Foi amostrado nas áreas estudadas um total de 2.163 indivíduos, sendo na área I (508), área II (723), área III (631) e área IV (301). Os resultados indicam que, em geral nas quatro áreas, as populações de babaçu são abundantes, com formação de floresta oligárquica, apresentando potencial de regeneração, pois em todas as áreas estudadas a estrutura das populações apresentaram formato J invertido, o que evidencia a tolerância a distúrbios antrópicos, como queimadas, presença de gado e colheita de frutos, demonstrando a significativa capacidade de resiliência dos babaçuais. No entanto, em locais onde o extrativismo é intenso, verificou-se evidências iniciais de que a atividade extrativa poderia estar reduzindo o número de indivíduos presentes nas classes iniciais. Sugerindo, dessa forma que a prática atual contribui negativamente na sua demografia. Em relação às informações etnobotânicas verficamos que a palmeira pode apresentar múltiplos usos, tanto para a subsistência das famílias, como de maneira comercial, sendo que seus frutos e folhas são mais utiizados no cotidiano dessas comunidades. Os resultados das entrevistas indicam amplo conhecimento e uso da espécie, de modo que por meio da atividade da quebra do coco, muitas famílias complementam, ou até mesmo, constitui a única fonte de renda familiar. Porém, verificou-se que as novas gerações estão começando a se distanciar das tradições locais, sejam por meio do acesso as novas oportunidades ou mesmo por uma questão de melhoria econômica dessas famílias. Espera-se que os resultados deste trabalho possam contribuir na implementação de políticas públicas para a proteção e uso racional dos babaçuais; subsidiando a definição de um plano de manejo e conservação que levem em conta estudos com embasamento no conhecimento ecológico e saber tradicional da espécie. Pois o manejo sustentável pode favorecer a conservação das florestas e de seus serviços e se tornar uma alternativa produtiva que permita a associação entre geração de renda e manutenção dos meios de vida das comunidades locais.

  • RAIMUNDO NETO DE CARVALHO
  • O ICMS ECOLÓGICO NO ESTADO DO PIAUÍ

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 30/03/2012
  • Mostrar Resumo
  •  

    RESUMO: A PRESENTE DISSERTAÇÃO TEM COMO OBJETO DE ESTUDO O ICMS ECOLÓGICO NO ESTADO DO PIAUÍ, VISANDO PERCEBER AS POSSIBILIDADES E LIMITES DA UTILIZAÇÃO DESSE INSTRUMENTO ECONÔMICO DE GESTÃO AMBIENTAL, APRESENTANDO COMO PROBLEMA DE PESQUISA A SEGUINTE INDAGAÇÃO: COMO ADEQUAR O ONTEÚDO DA LEI DO ICMS-E DO PIAUÍ COM A FINALIDADE DE EFETIVAMENTE POSSIBILITAR A CRIAÇÃO E O FORTALECIMENTO DE AGENDAS AMBIENTAIS MUNICIPAIS, NO SENTIDO DE FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO POR MEIO DA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS NATURAIS? FUNDAMENTADA NA METODOLOGIA QUALITATIVA, FORAM DESENVOLVIDOS ESTUDOS BIBLIOGRÁFICO E DOCUMENTAL, COM O OBJETIVO DE ANALISAR O ICMS-E DO PIAUÍ, ENQUANTO INSTRUMENTO DE COMPENSAÇÃO FISCAL PARA PROTEÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS E PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS PIAUIENSES, PROPONDO ALTERNATIVAS. O ESTUDO BIBLIOGRÁFICO VOLTOU-SE PARA A ANÁLISE DOS FUNDAMENTOS E CONTEÚDOS DA ÁREA AMBIENTAL E AS AÇÕES ESTATAIS INTERVENTIVAS VISANDO FAVORECER AS CONDIÇÕES MÍNIMAS DE EQUILÍBRIO ENTRE O HOMEM E A NATUREZA. REALIZOU-SE TAMBÉM ESTUDO DOCUMENTAL, TENDO COMO BASE OS ASPECTOS CONCEITUAIS REFERENTES AO TEMA, BEM COMO LEIS, DECRETOS, CONVÊNIOS, PLANOS E RELATÓRIOS INSTITUCIONAIS, VISANDO COMPREENDER COMO O ICMS-E FOI IMPLEMENTADO NO ESTADO DO PIAUÍ. NESSA PERSPECTIVA, FEZ-SE LEVANTAMENTO EM LIVROS, LEGISLAÇÕES E EM ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS, COMO SECRETARIAS DE FAZENDA DO ESTADO DO PIAUÍ, CEARÁ E PERNAMBUCO, SECRETARIA ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS (SEMAR) E CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE, COM O OBJETIVO DE DESCREVER E SUBSIDIAR A ANÁLISE DA TEMÁTICA SOB INVESTIGAÇÃO. A PESQUISA MOSTROU QUE O MODELO OPERACIONAL DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTALMENTE SUSTENTÁVEL NO ESTADO DO PIAUÍ, BASEADO NO PRINCÍPIO DO PROTETOR RECEBEDOR, CONFIGURA-SE COMO RELEVANTE INSTRUMENTO A SER UTILIZADO PELOS GESTORES MUNICIPAIS, NO ENTANTO, PARA QUE O REPASSE DO ICMS-E POSSA EFETIVAMENTE INCENTIVAR A PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE E PROPORCIONAR MELHORIA NA QUALIDADE DE VIDA, A LEGISLAÇÃO DEVE PREVER UM CONJUNTO DE AÇÕES DE PLANEJAMENTO, EXECUÇÃO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA POLÍTICA AMBIENTAL INTEGRADOS ÀS DEMAIS POLÍTICAS PÚBLICAS, TAL COMO OCORREM NOS ESTADOS DO CEARÁ E DE PERNAMBUCO.

  • ETHYENNE MORAES BASTOS
  • CONHECIMENTO BOTÂNICO LOCAL NO ASSENTAMENTO SACO DO JUAZEIRO, SÃO MIGUEL DO TAPUIO, PIAUÍ

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 30/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • AS POPULAÇÕES HUMANAS FAZEM USO DA BIODIVERSIDADE PARA INÚMERAS FINALIDADES. NESSA PERSPECTIVA A ETNOBOTÂNICA SE TORNA INDISPENSÁVEL PARA O RESGATE, PERPETUAÇÃO DO CONHECIMENTO TRADICIONAL E CONSEQUENTE CONSERVAÇÃO DAS PLANTAS. EM GERAL, NO BRASIL, ASSENTAMENTOS RURAIS SÃO FORMADOS POR AGRICULTORES DE DIVERSAS ORIGENS, E TAMBÉM SÃO LOCAIS ONDE A AGRICULTURA É PARCIALMENTE VOLTADA PARA A SUBSISTÊNCIA. BUSCOU-SE INVESTIGAR O CONHECIMENTO BOTÂNICO DOS NÚCLEOS URBANOS JUAZEIRO E UMBURANA DO PROJETO DE ASSENTAMENTO (PA) SACO DO JUAZEIRO, MUNICÍPIO DE SÃO MIGUEL DO TAPUIO/PI. OS NÚCLEOS URBANOS SITUAM-SE A 40 KM DO MUNICÍPIO DE SÃO MIGUEL DO TAPUIO. A METODOLOGIA DEFINIU-SE EM ETAPAS DE OBSERVAÇÃO, RECONHECIMENTO DOS NÚCLEOS E SELEÇÃO DOS INFORMANTES. FORAM REALIZADAS ENTREVISTAS SEMIESTRUTURADAS, SEGUIDAS DE “TURNÊ-GUIADAS” E COLETA DE MATERIAL BOTÂNICO, ALÉM DE CONVERSAS INFORMAIS. OS EXEMPLARES BOTÂNICOS ENCONTRAM-SE DEPOSITADOS AO ACERVO DO HERBÁRIO GRAZIELA BARROSO (TEPB), DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ. ENTREVISTARAM-SE 57 MORADORES, SENDO 26 HOMENS E 31 MULHERES, DESTES 32 RESIDENTES DO NÚCLEO URBANO JUAZEIRO E 25 DO NÚCLEO URBANO UMBURANA. PROCUROU-SE ENTREVISTAR, O PAI, A MÃE E OS FILHOS MAIORES DE 18 ANOS NAS RESIDÊNCIAS. DADOS QUANTITATIVOS FORAM DEFINIDOS ATRAVÉS DOS CÁLCULOS DO VALOR DE USO, TESTE DE FRIEDMAN, TESTE DO QUI-QUADRADO E FREQUENCIA ABSOLUTA E RELATIVA. FORAM REPORTADAS 120 ESPÉCIES ÚTEIS PARA OS DOIS NÚCLEOS, DESTAS 55% SÃO NATIVAS E 45% EXÓTICAS. A REPRESENTATIVIDADE DAS FAMÍLIAS BOTÂNICAS FOI: FABACEAE (18), SOLANACEAE/ANACARDIACEAE/EUPHORBIACEAE (5), SEGUIDAS DE POACEAE/APOCYNACEAE/RUTACEAE (4), AMARYLLIDACEAE/APIACEAE/ARECACEAE/COMBRETACEAE/CUCURBITACEAE/LAMIACEAE (3). AS ESPÉCIES FORAM ALOCADAS EM DEZ CATEGORIAS DE USO: ALIMENTÍCIA, MEDICINAL, CONSTRUÇÃO, ORNAMENTAL, FORRAGEIRA, MÁGICO-RELIGIOSA, ARTESANAL, VETERINÁRIA, COSMÉTICO E PRODUÇÃO ENERGÉTICA. AS CATEGORIAS COM MAIOR DESTAQUE EM NÚMERO DE CITAÇÕES FORAM: MEDICINAL (512), ALIMENTÍCIA (331) E CONSTRUÇÃO (112). QUANTO AO VALOR DE USO, ALOE VERA (L.) BURM.F. SE APRESENTOU COMO  A ESPÉCIE  MAIS VERSÁTIL, REFERIDA PARA 16 USOS. NA ANÁLISE DO CONHECIMENTO POR GÊNERO, EXISTIU DIFERENÇA SIGNIFICATIVA; EM RELAÇÃO AO SABER POR FAIXA ETÁRIA, ADULTOS TÊM MAIOR CONHECIMENTO QUE IDOSOS E JOVENS EM ALGUMAS CATEGORIAS DE USO. AS MULHERES APRESENTARAM UM CONHECIMENTO MAIS AMPLO DAS PLANTAS, DO QUE OS HOMENS EM RELAÇÃO A DETERMINADOS USOS. A ORALIDADE SE APRESENTOU COMO A FORMA DE TRANSMISSÃO DOS RECURSOS CONHECIDOS E UTILIZADOS PELOS ASSENTADOS E AGREGADOS, SENDO REPASSADOS ATRAVÉS DAS GERAÇÕES. NOTOU-SE QUE O CONHECIMENTO DOS RECURSOS VEGETAIS SE CONCENTROU ENTRE OS ADULTOS, E O DESAPEGO ENTRE OS JOVENS, JÁ QUE AS TAREFAS DO CAMPO DEIXARAM DE SER OBRIGAÇÃO DELES, PASSARAM A TER MAIS ACESSO AOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, LIMITANDO OS ESPAÇOS DE CONSTRUÇÃO DOS SABERES LOCAL. O CONHECIMENTO FOI ADQUIRIDO ATRAVÉS DAS GERAÇÕES PASSADAS, PELA TRANSMISSÃO ORAL, CONSTITUINDO-SE UM IMPORTANTE ASPECTO DA CULTURAL LOCAL. OS ENTREVISTADOS POSSUEM CONSCIÊNCIA DE QUE AS PLANTAS UTILIZADAS POR ELES, A CADA DIA FICAM MAIS ESCASSAS. A COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA ESTABELECIDA NOS QUINTAIS ESTUDADOS CORRESPONDEU A 58 PLANTAS INDICADAS COMO UTÉIS.  A MAIORIA DOS ENTREVISTADOS SÃO MULHERES (75%), POIS SÃO ELAS AS RESPONSÁVEIS E MANTENEDORAS DOS QUINTAIS. OS QUINTAIS DOS MORADORES DO ASSENTAMENTO SÃO ESPAÇOS DESTINADOS PRINCIPALMENTE AO CULTIVO DOS RECURSOS VEGETAIS, EM SUA MAIORIA DE PLANTAS MEDICINAIS E ALIMENTÍCIAS. OS DADOS LEVANTADOS CONFIRMAM O POTENCIAL DE USO QUE POSSUI A FLORA DA REGIÃO, BEM COMO REFORÇAM A IMPORTÂNCIA QUE A BIODIVERSIDADE TEM NAS COMUNIDADES RURAIS.

  • MARCOS MACHADO DE ALBUQUERQUE
  • RELAÇÃO ENTRE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E VARIÁVEIS CLIMÁTICAS: ESTUDO EM BAIRROS DA CIDADE DE TERESINA, PIAUÍ.

  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 30/03/2012
  • Mostrar Resumo
  •  

    O INTENSO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO TEM INTERFERIDO DE FORMA MARCANTE NAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS, PROMOVENDO A SUBSTITUIÇÃO DE VALORES E ESTRUTURAS NATURAIS POR EQUIPAMENTOS URBANOS. COMO CONSEQUÊNCIAS IMPACTANTES TÊM SURGIDO AS MAIS VARIADAS FORMAS DE POLUIÇÃO, GERANDO CRISES AMBIENTAIS NOS MAIS DIFERENCIADOS ECOSSISTEMAS, ALTERANDO A QUALIDADE DE VIDA DO PLANETA. O CONFORTO TÉRMICO ESTÁ DIRETAMENTE RELACIONADO ÀS CONDIÇÕES AMBIENTAIS, TAIS COMO, A TEMPERATURA, A UMIDADE DO AR, A VELOCIDADE E DIREÇÃO PREDOMINANTE DOS VENTOS, A RADIAÇÃO SOLAR E A PLUVIOMETRIA, QUE SÃO MODIFICADAS, CONSIDERAVELMENTE, PELA IMPERMEABILIZAÇÃO DO SOLO E PELA AUSÊNCIA DE VEGETAÇÃO. CONSIDERA-SE COMO SENDO ÁREA VERDE URBANA, ÀQUELA DE SUPERFÍCIE PERMEÁVEL E EM QUE HÁ PREDOMÍNIO DE VEGETAÇÃO ARBÓREA, ENGLOBANDO AS PRAÇAS, OS JARDINS PÚBLICOS E OS PARQUES URBANOS. O ESTUDO TEVE COMO OBJETIVO DETERMINAR A INFLUÊNCIA DAS ÁREAS VERDES URBANAS NA TEMPERATURA DA CIDADE DE TERESINA-PI, COMPARANDO DADOS COLETADOS EM REGIÕES ARBORIZADAS COM DADOS COLETADOS EM OUTRAS REGIÕES DA CIDADE COM MENOR ÍNDICE DE VEGETAÇÃO, DESTACANDO A IMPORTÂNCIA DESSAS ÁREAS PARA A MELHORIA DA QUALIDADE AMBIENTAL DO ESPAÇO URBANO. A PESQUISA FOI DESENVOLVIDA NAS ZONAS LESTE E SUDESTE DA CIDADE DE TERESINA, PIAUÍ, ENFOCANDO OS BAIRROS PEDRA MOLE, JÓQUEI CLUBE E DIRCEU ARCOVERDE. EM CADA BAIRRO, NOS HORÁRIOS DE 9, 15 E 21 H, FORAM REALIZADAS MEDIÇÕES SIMULTÂNEAS DE VARIÁVEIS CLIMÁTICAS EM CINCO PONTOS SITUADOS EM LOCAIS COM ABUNDANTE VEGETAÇÃO E COM CARACTERÍSTICAS ÁRIDAS. OS DADOS CLIMÁTICOS FORAM COLETADOS DURANTE SETE DIAS CONSECUTIVOS NOS MESES DE OUTUBRO E MARÇO, ABRANGENDO OS PERÍODOS SECO E CHUVOSO. NOS TRÊS LOCAIS ESTUDADOS, AS TEMPERATURAS MAIS ELEVADAS FORAM REGISTRADAS EM PONTOS DESPROVIDOS DE VEGETAÇÃO. TAMBÉM SE PODE CONSTATAR QUE O BAIRRO COM A MENOR DENSIDADE POPULACIONAL E COM VASTAS ÁREAS VERDES FOI O QUE APRESENTOU OS MENORES VALORES DE TEMPERATURA SUGERINDO, PORTANTO A RELAÇÃO ENTRE A VEGETAÇÃO E A REDUÇÃO DA TEMPERATURA.

  • EDSON CHAVES FERREIRA
  • INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS PÚBLICAS E A OCUPAÇÃO E USO (IN)SUSTENTÁVEL DO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 23/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • A OCUPAÇÃO DO CERRADO PIAUIENSE INICIADA NA DÉCADA DE 1970, POSSIBILITADA POR ARRANJOS INSTITUCIONAIS, COMO O FINOR-AGROPECUÁRIO E O FISET, EFETIVOU-SE SOMENTE NA DÉCADA DE 1990, COM O PLANTIO DE SOJA PARA A EXPORTAÇÃO, DEVIDO À RENTABILIDADE PROPICIADA PELOS ELEVADOS PREÇOS INTERNACIONAIS DA OLEAGINOSA. DIANTE DESSE CENÁRIO, QUESTIONOU-SE: AS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS PÚBLICAS, ENQUANTO AGENTES DINAMIZADORES DA AGROPECUÁRIA EM URUÇUÍ E BOM JESUS, ESTÃO IMPLEMENTANDO, ADEQUADAMENTE, POLÍTICAS DE GESTÃO AMBIENTAL COM A FINALIDADE DE PROMOVER A SUSTENTABILIDADE SOCIOECONÔMICA E AMBIENTAL? EMBASADO NESSE PROBLEMA, A HIPÓTESE DA PESQUISA CENTROU-SE EM QUE TAIS INSTITUIÇÕES NÃO INTERNALIZARAM EFETIVAMENTE OS PRINCÍPIOS DE RESPONSABILIDADE CIVIL, NA MEDIDA EM QUE SE PRESENCIOU A OCORRÊNCIA DE EXTERNALIDADES AMBIENTAIS NEGATIVAS. NESSA PERSPECTIVA, ANALISOU-SE O PAPEL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS PÚBLICAS NOS ÂMBITOS SOCIOECONÔMICO E AMBIENTAL, COMO FOMENTADORAS DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA NO CERRADO PIAUIENSE, PARTICULARMENTE, EM URUÇUÍ E BOM JESUS, A PARTIR DE 1990. PARA TANTO, AVERIGUARAM-SE OS PRINCÍPIOS DE RESPONSABILIDADE CIVIL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL; EXAMINARAM-SE AS POLÍTICAS PÚBLICAS DIRECIONADAS PARA A MODERNIZAÇÃO DA AGROPECUÁRIA NOS CERRADOS BRASILEIRO E PIAUIENSE; DISCUTIRAM-SE OS IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS E AMBIENTAIS, DERIVADOS DA OCUPAÇÃO PRODUTIVA NA REGIÃO; E, AVALIOU-SE O PROTOCOLO VERDE. COMO PROCEDIMENTO METODOLÓGICO, REALIZOU-SE O LEVANTAMENTO DE DOCUMENTAÇÃO BIBLIOGRÁFICA E ESTATÍSTICA, E PESQUISA DE CAMPO, JUNTO AO BB E BNB, ÀS ENTIDADES LOCAIS E AOS EMPREENDIMENTOS AGROPECUÁRIOS DOS MUNICÍPIOS SOB INVESTIGAÇÃO. POR MEIO DA PESQUISA, PERCEBEU-SE QUE A BASE PRODUTIVA DOS MUNICÍPIOS, CONCENTRAVA-SE NO CULTIVO DE SOJA, EM FUNÇÃO DA FAVORABILIDADE DO SOLO E DO CLIMA, DO PREÇO DA SOJA NO MERCADO EXTERNO, DE SUBSÍDIOS E INCENTIVOS FISCAIS E, PRINCIPALMENTE, DAS LINHAS DE FINANCIAMENTO OFERTADAS PELO BB E BNB. ADEMAIS, CONSTATOU-SE QUE A DESPEITO DO AVANÇO DA INSERÇÃO DA TEMÁTICA AMBIENTAL NOS REFERIDOS BANCOS, ATRAVÉS DA EXIGÊNCIA DE CONDICIONANTES AMBIENTAIS PARA A CONCESSÃO DE CRÉDITO PARA A AGROPECUÁRIA, COMO LICENCIAMENTO AMBIENTAL E COMPROVAÇÃO DA AVERBAÇÃO DA ÁREA DE RESERVA LEGAL REGISTRADA EM CARTÓRIO, A MATERIALIDADE DO PROTOCOLO VERDE, AINDA APRESENTA-SE INEFICIENTE E INEFICAZ, DEVIDO VOLTAR-SE PREDOMINANTEMENTE PARA O ÂMBITO INTERNO DE AMBAS AS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS, MEDIANTE A PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DOS FUNCIONÁRIOS E A ADMINISTRAÇÃO ECOLÓGICA DOS MATERIAIS NECESSÁRIOS ÀS ATIVIDADES. VERIFICOU-SE, OUTROSSIM, O BAIXO NÍVEL DE CONHECIMENTO DA PNMA E DO PROTOCOLO, O QUE EXPLICITOU A FRÁGIL LEGITIMAÇÃO JUNTO AOS AGENTES PRODUTORES E FINANCIADORES. ALÉM DISSO, DESTACOU-SE QUE OS PRÉ-REQUISITOS AMBIENTAIS ESTABELECIDOS PELO BB E BNB, EMBORA REFERENCIADOS NO PROTOCOLO VERDE, ERAM NORMATIZADOS PELA PNMA, O QUE EXPRESSOU O CARÁTER REGULATÓRIO DO PROCESSO DA POLÍTICA SOB ESTUDO. DESSE MODO, PARA A CONCRETIZAÇÃO DO PROTOCOLO VERDE, RECOMENDOU-SE A INCORPORAÇÃO DE INSTRUMENTOS ECONÔMICOS E SOCIAIS DE POLÍTICA AMBIENTAL, PREPONDERANTEMENTE, NA GESTÃO DAS LINHAS DE FINANCIAMENTO DIRECIONADAS PARA A AGROPECUÁRIA.

  • VICTOR DE JESUS SILVA MEIRELES
  • ETNOBOTÂNICA E ETNOZOOLOGIA DA COMUNIDADE PESQUEIRA CANÁRIAS, RESERVA EXTRATIVISTA MARINHA DO DELTA DO PARNAÍBA, NORDESTE DO BRASIL”

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 27/01/2012
  • Mostrar Resumo
  • A RESEX Delta do Parnaíba, localizada no único delta em mar aberto nas Américas, é uma região rica em diversidade biológica, espécies endêmicas e cultura. As comunidades de pescadores artesanais da região possuem uma relação histórica com os recursos do ambiente insular. Diante deste fato, bem como ciente da íntima ligação existente entre conhecimento local e biodiversidade, investigou-se o conhecimento etnobotânico, os instrumentos e técnicas de pesca e a construção artesanal de embarcações na comunidade Canárias, com o intuito de colaborar com a preservação e conservação da biodiversidade ali existente, bem como, contribuir com o resgate, a valorização e a manutenção da cultura tradicional local. Foram aplicadas 100 entrevistas para coleta de dados etnobotânicos e a técnica “turnê-guiada” para as coletas botânicas. Os indivíduos coletados foram identificados e as informações sobre eles foram, juntamente com os dados das entrevistas, submetidas às análises qualitativa e quantitativa. Registrou-se 108 espécies, distribuídas em 49 famílias botânicas. As famílias com maior número de espécies foram: Euphorbiaceae, Anacardiaceae e Poaceae. As categorias de uso medicinal, construção e alimentícia, apresentaram um maior percentual de citações. A categoria forrageira se mostrou pouco expressiva e a categoria “outros” abrigou alguns usos que foram mencionados em menores proporções (artesanato, artefato de pesca e místico-religiosa). Os sistemas corporais com o maior número de espécies de uso medicinal e com os maiores valores de Fator de Consenso dos Informantes (FCI) foram: sintomas gerais, transtornos gastrointestinais e transtornos respiratórios. De acordo com o índice de importância relativa (IR) as espécies mais versáteis da comunidade foram: mangue vermelho (Rhizophora mangle L.), munguba (Pachyra aquática Aubl.), boldo-miúdo (Vernonia condensata Bamer), hortelã (Mentha x villosa Huds.), Capim-limão (Cymbopogon citratus (Dc.) Stapf) e Mastruz (Chenopodium ambrosioides L.). A comunidade faz uso da vegetação nativa e exótica. Foi citado pelos pescadores a utilização de dez artefatos: caçoeira, tarrafa, linha/anzol, landoá, puçá, curral , rabadela, manzuá, grosseira, jiquí e curralzinho. Os pescadores entrevistados produzem os instrumentos de pesca: caçoeira, tarrafa, alguns citaram “rede” não especificando o tipo que fabricavam, groseira, landoá, puçá, curral, curralzinho e jiquí. Apenas 4% se autodenominam carpinteiros navais, sendo a madeira utilizada: o pequi (Caryocar coriaceum Wittm.), pau-d’arco (Handroanthus impetiginosus (Mart. ex DC.) Mattos, cedro (Cedrella odorata L.), jatobá (Hymenaea courbaril L.) e massaramduba (Manilkara dardanoi Ducme). Não houve diferença significativa entre o conhecimento por gênero; no conhecimento por faixa-etária, houve diferença significativa entre jovens, idosos e adultos, apresentando os jovens maior conhecimento que adultos e idosos. Na relação entre adultos e idosos não houve diferença significativa. O conhecimento local acerca da biodiversidade pode contribuir grandemente no processo de conservação de uma área, deste modo, destaca-se a importância da inserção do mesmo em todas as ações que se destinem a este fim ou que envolvam de algum modo a área em que este está inserido, sendo uma forma de conciliar a manutenção da biodiversidade e da cultura local, principalmente quando se tratar de áreas protegidas, como a RESEX, criadas para atender este propósito.

  • MARIA DO SOCORRO MONTEIRO CARCARÁ
  • "As Queimadas na Cobertura da Midia Impressa do Piauí"

  • Orientador : JOSÉ MACHADO MOITA NETO
  • Data: 24/01/2012
  • Mostrar Resumo
  • Seja por necessidade ou por tradição cultural, o ato de queimar é nocivo à saúde, à fauna e à flora. Na zona urbana, a população continua a queimar lixo. Na zona rural, o agricultor piauiense ainda utiliza o fogo na lavoura. A presente pesquisa busca refletir sobre a relação entre o trabalho desenvolvido por órgãos como o Corpo de Bombeiros, Embrapa, Emater, Ibama, Semar e a ocorrência de queimadas no estado, bem como analisar criticamente o conteúdo das matérias divulgadas em três jornais impressos do Piauí durante os meses mais quentes de 2010. Os bambeiros atribuem o aumento de registros ao clima e à agricultura familiar. A Embrapa realiza e desenvolve tecnologias para uma agricultura sustentável, contudo a empresa se queixa que estas pesquisas não estão chegando ao agricultor. O Emater, órgão estadual responsável pela extensão rural, por sua vez, declara que estas novas investigações também não chegam aos extensionistas. Há um gargalo entre as duas instituições no Piauí e a falta de comunicação entre elas mantém o atraso das práticas agrícolas no estado e comprometem a sustentabilidade dos ecossistemas. O combate às queimadas requer ações efetivas na parte de prevenção, controle, combate e educação ambiental. No Estado, entre outros órgãos, a responsabilidade por estas ações é dividida. Em nível federal, é desenvolvida pelo Ibama que tem suas atividades voltadas para os municípios próximos às unidades de conservação federal. Em nível estadual, pela Semar, cujas ações são centralizadas no licenciamento, autorização de queima, previsão do tempo e educação ambiental. Esta pesquisa faz uma reflexão sobre o trabalho destes órgãos relacionando com a ocorrência de queimadas durante no ano de 2010 para, deste ponto, analisar as matérias divulgadas nos meses de julho, agosto setembro e outubro de 2010. Para conduzir os passos da pesquisa, foi apresentada uma proposta voltada para o jornalismo científico/ambiental. Neste sentido, foram enumerados os principais valores-notícia utilizados nos meios de produção da mídia e, também as especificidades dos critérios de noticiabilidade do jornalismo científico. Neste trabalho, são indicados ainda os passos para a avaliação de matérias classificadas na categoria de jornalismo científico/ambiental e apresentada a análise dos conteúdos de três jornais impressos do Piauí sobre o tema queimadas.

2011
Descrição
  • DANIEL DA SILVA GOMES
  • ASSENTAMENTOS RURAIS NO PIAUÍ: CARACTERIZAÇÃO ECONÔMICA E AMBIENTAL DO ASSENTAMENTO ANGICO BRANCO - CASTELO DO PIAUÍ

  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 22/09/2011
  • Mostrar Resumo
  • O problema da concentração de terras no Brasil tem origem ainda no período colonial. Por décadas, o acesso a terra no país foi privilégio apenas de uma minoria, que muitas vezes utiliza as propriedades para fins pouco produtivos, do ponto de vista agrícola. Somente na metade do século XX o tema reforma agrária ganha força no país e a partir dos anos 60 surgem os primeiros assentamento rurais. Entretanto, a simples posse da terra por parte dos assentados não é suficiente para que esses trabalhadores possam produzir e desenvolver a propriedade. O desenvolvimento de assentamentos passa, entre outros aspectos, pela assessoria técnica e apoio financeiro aos trabalhadores O assentamento Angico Branco, localizado no município de Castelo do Piauí, foi um dos primeiros projetos criados no centro-norte piauiense. Esse imóvel possui uma área de 2.014 ha e 57 famílias abrigadas em duas agrovilas. O objetivo geral dessa pesquisa foi caracterizar as condições econômicas e ambientais do assentamento Angico Branco. Os objetivos específicos foram a) descrever o histórico de criação do assentamento; b) comparar a situação econômica existente quando da criação do projeto com a encontrada atualmente; e c) identificar os problemas ambientais que ocorrem na propriedade. A metodologia utilizada na pesquisa foi o estudo de caso. Foram realizadas visitas ao assentamento pesquisado num período de dois anos, e consultados registros documentais da associação de pequenos produtores do assentamento e do Incra-PI. Os resultados obtidos apontam que o potencial produtivo do assentamento encontra-se subutilizado; que existe uma diminuição da população assentada e a ocorrência de problemas ambientais na região.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 07/12/2019 19:28