Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: AMANDA JULIA DIAS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMANDA JULIA DIAS SANTOS
DATA: 22/08/2022
HORA: 14:30
LOCAL: Sala Virtual Google Meet
TÍTULO: MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) EM POMAR COMERCIAL DE CAJÁ (Spondias mombin L.) NO MUNICÍPIO DE TERESINA-PI: BIODIVERSIDADE, CONTROLE BIOLÓGICO E ETNOECOLOGIA
PALAVRAS-CHAVES: Relação tritrófica; Controle biológico, Conhecimento ecológico local.
PÁGINAS: 131
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A fruticultura é uma das atividades de subsistência mais antigas da história da humanidade. O desenvolvimento dessa prática oportunizou que comunidades humanas transmitissem seus conhecimentos acerca da utilização dos recursos naturais entre as gerações. No estado do Piauí, trabalhadores rurais são contratados para trabalhar temporariamente na colheita de pomares. Com isto, se faz necessário identificar espécies de moscas-das-frutas que mais ocorrem na região, a fim de que sejam traçadas técnicas de manejo integrado de pragas, assim como registrar outras práticas que podem ser desenvolvidas por esses atores sociais, mas acabam tendo aplicação restrita, sem divulgação científica. Assim, objetivou-se com esta pesquisa, registrar as relações ecológicas e etnoecológicas estabelecidas no pomar comercial de cajá do sítio Cajueiro, localizado no Povoado Cacimba Velha, município de Teresina, Piauí, no que se refere às moscas-das-frutas. Para tanto, ocorreu levantamento entomológico de moscas-das-frutas, por meio de amostragem de frutos obtidos durante os meses de safra do cajá (fevereiro/2022 a abril/2022) e captura via armadilhas-pet com líquidos atrativos (agosto/2021 a julho/2022). A pesquisa qualitativa exploratória etnoeoecológica com os trabalhadores do pomar ocorreu por meio de observação direta, diário de campo e entrevistas com formulários semiestruturados. Ainda, como suporte metodológico, realizou-se levantamento bibliométrico de artigos que versassem sobre o enfoque etno de moscas-das-frutas associadas a frutos do gênero Spondias L. em três bases de dados. Foram utilizados os termos: Spondias AND ethno; Spondias AND “traditional knowledge”; Spondias AND folk; e Spondias AND “fruit fly” OR “fruit flies”. Os resultados parciais foram analisados e discutidos em três artigos. O artigo 1 indica que levantamentos entomológicos com enfoque etno, ainda são incipientes, uma vez que apenas o descritor Spondias AND “fruit fly” OR “fruit flies” gerou resultados. No artigo 2 observou-se que Anastrepha obliqua (Macquart) foi a espécie mais frequente no pomar comercial de cajá, nas armadilhas (81,84%) e em amostragem de frutos (96,14%). O artigo 3, evidencia o conhecimento ecológico local dos trabalhadores rurais, que denominam as espécies Anastrepha Schiner como “mosca-amarela”, única na localidade com potencial para infestar frutos. Além disso, apontaram a técnica de controle “armadilhas-pet com isca tóxica” como a mais eficaz.  O desenvolvimento de pesquisas com essa finalidade no país, especialmente no estado do Piauí poderá contribuir de forma significativa, no âmbito teórico e empírico, fornecendo outro olhar para a Etnoecologia, cultivos comerciais e técnicas de manejo integrado. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167867 - PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
Interno - 1291400 - DENIS BARROS DE CARVALHO
Interno - 2129289 - MARCIA LEILA DE CASTRO PEREIRA
Externo à Instituição - FÁBIO JOSÉ VIEIRA - UESPI
Externo à Instituição - JOSÉ RODRIGUES DE ALMEIDA NETO - Semar/PI
Notícia cadastrada em: 05/08/2022 15:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 09/12/2022 02:45