Notícias

Banca de DEFESA: ANNA KLARA ALVES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANNA KLARA ALVES DA SILVA
DATA: 08/03/2019
HORA: 15:00
LOCAL: Sala do Conselho departamental-CCS/UFPI-Frei Serafim
TÍTULO: AVALIAÇÃO DAS DISFUNÇÕES SEXUAIS EM MULHERES COM A SÍNDROME DOS OVARIOS POLICISTICOS
PALAVRAS-CHAVES: Síndrome do Ovário Policístico. Sexualidade. Qualidade de vida. Obesidade.
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é a mais comum endocrinopatia ginecológica e pouco é conhecido sobre a função sexual nessas mulheres. Objetivo: Comparar as diferenças na função sexual entre mulheres com e sem Síndrome dos Ovários policísticos, de diferentes Índices de Massa Corporal (IMC). Metodologia: Estudo observacional analítico e transversal desenvolvido em mulheres de 18 a 40 anos que preencheram critérios de Rotherdam para o diagnóstico de SOP foram comparadas com mulheres saudáveis. A amostragem foi não probabilística e composta por 200 participantes, recrutadas a partir de demanda espontânea no ambulatório de Reprodução Humana e Endocrinologia ginecológica de um hospital de ensino da cidade de Teresina-PI. Foram distribuídas em quatro grupos: IA(SOP com excesso de peso -IMC≥25); 1B (SOP e peso normal – IMC<25); IIA (mulheres saudáveis e excesso de peso -IMC≥25) e IIB (mulheres saudáveis com IMC<25) . Formulário estruturado, prontuário de atendimento e questionário IFSF (Funcionamento Sexual Feminino) foram utilizados como instrumentos de coleta de dados.  Os dados foram analisados utilizando-se estatísticas uni e bivariadas com o software IBM® SPSS® 21.0. Resultados: A população estudada tinha idade média de 27,7 anos de mulheres em maioria casadas, autodeclaradas pardas e com nível de escolaridade até o Ensino Médio. Os hábitos de vida (atividade física, tabagismo e etilismo) quando comparados os dois grupos I e II, não houve diferença estatisticamente significante (p>0,05). Baseado no total de escore do IFSF, a disfunção sexual esteve presente em 34% das mulheres com SOP quando comparadas ao controle, 36%. Em relação ao IMC, não foi verificado diferença estatisticamente significante entre as médias dos escores total do Índice da Função Sexual nos grupos (p-0,479), embora o domínio “desejo”, isoladamente foi a disfunção mais comprometida em todos os grupos. As mulheres com SOP e peso normal tiveram menos “satisfação” sexual  (p=0,008) e “dores” na relação sexual (p=0,007) do que as mulheres com SOP e excesso de peso.  As pacientes com SOP tiveram escores significantemente maior de 27 quando comparada com mulheres do grupo controle (p<0,05). Conclusões: Mulheres com SOP com diferentes IMC têm escores de funcionamento sexual semelhantes em comparação com controles, exceto  nos domínios “satisfação e dor”.

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDREA CRONEMBERGER RUFINO - UESPI
Interno - 423488 - BENEDITO BORGES DA SILVA
Presidente - 423584 - IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
Interno - 3373256 - PEDRO VITOR LOPES COSTA
Notícia cadastrada em: 21/02/2019 16:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 26/06/2019 21:19