Notícias

Banca de DEFESA: ESMERALDA MARIA LUSTOSA BARROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ESMERALDA MARIA LUSTOSA BARROS
DATA: 16/07/2020
HORA: 11:00
LOCAL: meet.google.com/kww-kidz-kbh
TÍTULO: INVESTIGAÇÃO DO EFEITO DOS EXTRATOS ETANÓLICOS DE Dysharia ambrosioides (MASTRUZ) E Nasturtium officinale R.Br. (AGRIÃO) NA REPARAÇÃO ÓSSEA EM Rattus norvegicus
PALAVRAS-CHAVES: Dysphania ambrosioides, Nasturtium officinale R.Br. Teste Raman, Defeito ósseo, Inflamação
PÁGINAS: 99
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

Devido à natureza e composição fotoquímica do Dysphania ambrosioides (mastruz) e do Nasturtium officinale R.Br (agrião) e, considerando os efeitos biológicos das plantas o presente trabalho tem como objetivoinvestigar os efeitos dos extratos etanólicos da folha domastruz e do caule do agrião na atividade anti-inflamatória e osteocondutora na reparação óssea em  Rattus norvegicus. Os extratos etanólicos foram utilizados por via oral e tópica na concentração de 5mg/kg. Foram utilizados 72 Rattus norvegicus divididos em 6 grupos com 12 animais,ondecada grupo foi subdividido de acordo como o tempo de avaliação (15 e 30) dia. Os grupos foram divididos em: GI- Preenchido tópico com extrato de Mastruz, GII -tratamento oral com extrato  deMastruz, GIII-preenchido tópico com extrato do agrião, G IV- tratamento oral com extrato  agrião, G V- preenchido tópico com  de Bio oss®, G VI- preenchidoapenas com coagulo sanguíneo e solução salina ao final do experimento foram feitas as dosagens séricas de cálcio e fosfatase alcalina, análise histológica e espectroscopia Raman das tíbias. Os níveis séricos de cálcio no organismo após a administração do extrato etanólico de mastruz por tópica e oral durante 15 dias e por via tópica por 30 dias aumentaram significativamente em relação ao controle negativo. Quanto aos níveis séricos de fosfatase alcalina, o grupo tratado por 15 dias com extrato etanólico de mastruz por via oral apresentou uma resposta melhor comparada ao controle negativo. A análise microscópica o G-I apresentou inflamação leve com boa cicatrização 15 e 30 dias. Nos G-II e G-IV apresentaram melhor qualidade de osso neoformado aos 15 e 30 dias pós-cirúrgico, o G-III apresentou inflamação ativa e uma cicatrização imatura. A análise Raman demostrou que G-II, G-III e G-IV apresentou média das razões entre os picos 967 cm-1 significativamente maior quando comparado a média dos demais grupos. Contudo o G-II e o G-V foram semelhantes ao osso hígido. Na análise de espectroscopia Raman observa-se que os grupos III e IV são similares entre si, e há fechamento parcial da lesão. Quando comparamos os grupos III e IV com os demais grupos (I, II, V e VI), os resultados do grupo III e IV só não apresentam resultados mais significativos que dos grupos II e grupo V.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3373256 - PEDRO VITOR LOPES COSTA
Interno - 423488 - BENEDITO BORGES DA SILVA
Interno - 423584 - IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
Externo ao Programa - 2688308 - WALDILLENY RIBEIRO DE ARAUJO MOURA
Notícia cadastrada em: 09/07/2020 21:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 22/10/2020 03:29