Notícias

Banca de DEFESA: DIONEIDE ARAUJO COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DIONEIDE ARAUJO COSTA
DATA: 22/06/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO: SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE NO PIAUÍ POR COVID-19: Perfil das Internações, Prevalência de Comorbidades e Mortalidade
PALAVRAS-CHAVES: COVID-19; Internação; Comorbidades; Mortalidade.
PÁGINAS: 51
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

Introdução: A Síndrome Respiratória Aguda Grave é uma das manifestações da COVID-19 que podem levar a internação hospitalar. O Brasil foi um epicentro da COVID-19, assim é importante conhecer a população que precisou ser internada e saber informações sobre fatores de risco e mortalidade dessa doença no Estado do Piauí. Objetivos: Descrever os pacientes hospitalizados por Síndrome Respiratória Aguda Grave por COVID-19 e verificar a relação entre presença de comorbidades e mortalidade. Métodos: Estudo ecológico, descritivo com dados do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe, do ano de 2021, de pacientes com diagnóstico de COVID-19 no Estado do Piauí. Foram coletados dados sociodemográficos, sinais e sintomas, comorbidades e desfechos. Aplicou-se Teste Qui-Quadrado de Wald para análise bivariada e regressão logística para identificar fatores relacionados ao óbito. Resultados: Foram analisadas 10.412 notificações, sendo 7.898 casos de COVID-19 confirmados. A média de idade foi de 55 anos, (57%) sexo masculino, (73,1%) eram pardos e (65,2% das internações foram na Capital. Os sinais e sintomas mais comuns foram dispneia (90,3%), tosse (87,3%) e saturação < 95% (87%). As doenças cardiovasculares (81,1%) e o diabetes (57,9,3%) foram as comorbidades mais comuns. A mortalidade hospitalar foi (36,7%).  A análise de regressão logística identificou associação das características: fatores de risco, doença cardiovascular, diabetes, imunodeficiência, doença renal crônica, internação em UTI e necessidade de ventilação mecânica (p< 0,05) com mortalidade. Conclusão: Ao término deste estudo observamos que a média de idade dos pacientes internados está na faixa etária da população economicamente ativa. Os mais velhos ainda são que mais precisaram ser internados. Os sinais e sintomas mais comuns foram dispneia, tosse e saturação < 95%. Apresentar comorbidades como: doenças cardiovasculares, diabetes mellitus, imunodeficiência e doença renal crônica; e precisar de internação em UTI e ventilação mecânica aumentam o risco de mortalidade. A mortalidade hospitalar geral assemelhou-se a mortalidade nacional, sendo discretamente maior na Capital do Estado comparado ao Interior.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2365867 - MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
Interno - 1151224 - BRUNO GUEDES ALCOFORADO AGUIAR
Interno - 1551620 - MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
Externo à Instituição - DAISY SATOMI YKEDA - UESPI
Notícia cadastrada em: 14/06/2022 10:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 11/08/2022 21:23