Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RONDINEY NUNES NASCIMENTO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RONDINEY NUNES NASCIMENTO
DATA: 31/05/2023
HORA: 09:00
LOCAL: Sala virtual Google meet
TÍTULO: A NATUREZA DOS LOTEAMENTOS RESIDENCIAIS NO TECIDO URBANO DE CIDADES PEQUENAS DO PIAUÍ LOCALIZADAS NO TERRITÓRIO DE DESENVOLVIMENTO DOS COCAIS, NO AGLOMERADO-3
PALAVRAS-CHAVES: urbanização; cidades pequenas; Território dos Cocais; Aglomerado-03; loteamentos residenciais.
PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
RESUMO:

Há na escrita termos que são utilizados para designar certos fenômenos com diferentes graus de precisão. Há, no entanto, fenômenos que são menos esclarecidos pelas palavras que lhes são atribuídas. A urbanização é, sem dúvida, um desses fenômenos cujo termo é insuficiente para que sua compreensão seja total. Inicialmente o urbano não é apenas concreto, mas também abstrato; não é apenas produção de objetos, mas também modo de vida. A urbanização e seu produto, o espaço urbano, representam a expressão material e imaterial da sociedade em seu estágio mais desenvolvido. A urbanização, desde a fundamentação do capitalismo como sistema mundial de produção e consumo, está ligada a esse sistema produtivo em suas diversas etapas a comercial, a industrial, a financeira. Desde as grandes metrópoles às cidades pequenas, o solo é transformado em mercadoria tendo encerrado um valor de troca. As pequenas cidades podem ser encontradas, sem dúvida, tanto em países do mundo desenvolvido quanto nos países subdesenvolvidos. No Brasil as cidades, como também os pequenos aglomerados, derivam historicamente do processo de ocupação do território por atividades econômicas distintas. Dessa forma, as pequenas cidades estão espalhadas por todo o território nacional e apresentam grande heterogeneidade entre si. Cumpre destacar que, independentemente do tamanho e da influência da cidade, há uma característica essencial que reside na cidade, tanto como no campo, da maior à menor, é o fato da cidade representar o espaço de moradia. Desde os anos 1970 os condomínios e loteamentos residenciais têm sido uma alternativa para a habitação, inicialmente nas grandes cidades, mas também nas médias e pequenas nas últimas décadas. A Lei n° 6.766 de 1979 passou a estabelecer os critérios e os procedimentos do parcelamento do solo para fins urbanos, normatizando a definição e instalação de loteamentos residenciais. Afim de analisar os empreendimentos do tipo loteamentos residenciais instalados nas cidades pequenas do Território de Desenvolvimento (TD) dos Cocais, no Aglomerado (AG) -3, a partir de aspectos urbanos e socioeconômicos, a presente pesquisa possui como objetivos específicos: a) caracterizar os empreendimentos do tipo loteamentos residenciais instalados nas cidades pequenas do TD dos Cocais AG-3, a partir de aspectos urbanos e socioeconômicos; b) discorrer sobre a contribuição dos loteamentos residenciais na expansão do tecido urbano dos municípios do TD dos Cocais AG-3; c) verificar a situação de instalação da infraestrutura básica oferecida pelos empreendimentos aos loteados do TD dos Cocais AG-3; d) fazer um levantamento do valor comercial do metro quadrado (m²) nos empreendimentos, em comparação a imóveis locais no conjunto dos TD dos Cocais AG-3. Dada a natureza espacial e socioeconômica do fenômeno urbano, a dialética é uma opção de método, já que prima pelas ligações entre os diversos elementos da realidade que interferem nos fenômenos humanos. Há também a opção por uma abordagem descritiva do fenômeno, o que garante a elucidação de suas características e a descrição de seus fenômenos. Com base nas investigações realizadas constatou-se, de forma preliminar, que os loteamentos residenciais são uma realidade das cidades pequenas atualmente. Os loteamentos são instalados a partir de projetos arquitetônicos regulamentados, o que deve garantir a disposição de infraestrutura básica, muitas vezes ausente em bairros mais antigos das cidades, contribuindo para uma expansão do tecido urbano minimamente organizada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2440142 - BARTIRA ARAUJO DA SILVA VIANA
Interno - 1671765 - ANDREA LOURDES MONTEIRO SCABELLO
Interno - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Externo à Instituição - SILVANA DE SOUSA SILVA - IFPA
Notícia cadastrada em: 12/05/2023 23:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 29/05/2024 08:36