Notícias

Banca de DEFESA: TOMAS MAGNO COSTA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TOMAS MAGNO COSTA SILVA
DATA: 16/12/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do Departamento de Química.
TÍTULO: Estudo da otimização dos métodos de digestão e extração para determinação dos teores de Fe, Zn e β-caroteno em amostras de pólen apícola
PALAVRAS-CHAVES: Pólen de abelha; Microelementos; Digestão assistida por micro-ondas; planejamento de misturas
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Analítica
ESPECIALIDADE: Métodos Óticos de Análise
RESUMO:

O pólen de abelha, ganhou espaço e atenção como alimento funcional para consumo humano, por dispor de compostos com efeitos que provem a saúde, como minerais e antioxidantes. Estes compostos, atuam nas mais diversas partes do organismo desempenhando funções regulatórias do metabolismo químico da célula. Dada a importância do produto, faz-se necessário desenvolvimentos de procedimentos otimizados para digestão e extração de nutrientes como Fe, Zn e β-caroteno presente no pólen apícola. Avaliou-se a eficiência da digestão ácida, empregando-se um planejamento de misturas, centroide simplex, utilizando 0,2 g de amostra, ácido nítrico, peróxido de hidrogênio e água em forno de micro-ondas. A determinação de Fe e Zn foi realizada por espectrometria de absorção atômica com chama (FAAS).  O procedimento empregando a mistura ácido nítrico:peróxido foi o mais eficaz para a digestão de todas as amostras de pólen. Os teores de Fe variaram entre 49,27 e 111,58 mg kg- 1 e de Zn, entre 32,32 mg kg −1 e 44,42 mg kg−1, estando acima do índice de recomendação diária indicada pela ANVISA. A precisão das medidas pelo FAAS foi avaliada pela adição de alíquotas dos elementos nos digeridos. As recuperações obtidas variaram de 98,51 a 100,51% e 100,78 a 104,83%; para Fe e Zn, respectivamente. Para avaliar a concentração de β-caroteno, realizou-se um planejamento de misturas centroide simplex, a fim de definir o melhor tipo de solvente (acetona, etanol, metanol e éter), utilizando 0,3 g de amostra com 5 mL de solução extratora, onde a mistura foi submetida a agitação de 290 rpm por 20 min, posteriormente foi centrifugada a 3500 rpm por 10 min e a quantificação do teor de β-caroteno foi realizada por UV-vis. A melhor condição de extração para o β-caroteno foi obtida com a utilização de etanol como solvente, através do modelo cúbico especial que apresentou melhor ajuste e descreve cerca de 89,00 % da variância dos dados, extraindo 56,72 ± 0,17 µg g-1, superior a diversas matrizes vegetais, que são conhecidas pela presença de carotenoides e por apresentar altos teores de vitamina A.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1635927 - EDIVAN CARVALHO VIEIRA
Interno - 2351542 - CICERO ALVES LOPES JUNIOR
Interno - 2146995 - SAMUEL ANDERSON ALVES DE SOUSA
Externo ao Programa - 912.269.453-68 - RAIMUNDO CLECIO DANTAS MUNIZ FILHO - UEMA
Notícia cadastrada em: 04/12/2019 09:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 14/08/2020 22:33