Notícias

Banca de DEFESA: DANIEL DE ARAÚJO MARÇAL

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIEL DE ARAÚJO MARÇAL
DATA: 30/06/2015
HORA: 08:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO TROPEN/UFPI
TÍTULO:

 

IMPACTO DOS EFLUENTES TRATADOS NA  ETE-PIRAJÁ SOBRE A QUALIDADE DAS ÁGUAS DO RIO PARANAÍBA, TERESINA-PI


PALAVRAS-CHAVES:

 

 Recursos hídricos, tratamento de efluentes e qualidade da água


PÁGINAS: 92
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Resumo:


Entre os usos múltiplos dos corpos hídricos o lançamento e diluição de efluentes merecem atenção e acompanhamento adequado por parte dos órgãos gestores, através do monitoramento dos efluentes e avaliação do impacto na qualidade da água do corpo receptor. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o impacto do lançamento do efluente da ETE-Pirajá sobre a qualidade da água do rio Parnaíba, contemplando a avaliação da eficiência do sistema de tratamento do esgoto; verificação do potencial de assimilação de cargas poluidoras pelo corpo receptor considerando as vazões mínimas e médias; avaliação da qualidade da água a montante e jusante do ponto de lançamento do efluente; avaliação da conformidade dos parâmetros de qualidade frente aos requisitos das resoluções CONAMA 357/05 e 430/11. A área de estudo abrangeu a ETE-Pirajá, localizada na zona norte de Teresina, e o trecho do rio Parnaíba ao montante e a jusante do lançamento dos efluentes da ETE. Como subsídios para avaliação da eficiência do sistema de tratamento e da qualidade da água realizou-se coletas de campo e análises laboratoriais de amostras do esgoto doméstico e da água do rio, durante um período de 12 meses. Foram determinadas as vazões médias e mínimas do rio Parnaíba através da elaboração da curva de permanência. Para avaliação do impacto do lançamento, foram quantificadas as cargas do efluente e do rio a montante e jusante do lançamento, em termos de DBO e Coliformes. A avaliação do tratamento na ETE-Pirajá demonstrou eficiência global adequada para remoção de matéria orgânica e limitada para coliformes. Para possibilitar uma maior eficiência do sistema fazem-se necessárias melhorias na operacionalização dos aeradores e retirada periódica do lodo acumulado no fundo das lagoas. O lançamento do efluente atendeu as condições estabelecidas pela Resolução CONAMA 430/1. As concentrações registradas para as variáveis de qualidade da água atenderam aos parâmetros estabelecidos pela CONAMA 357/05 para rios Classe II, com exceção dos coliformes que ultrapassaram os limites durante a metade do monitoramento em decorrência de poluição difusa. Através do cálculo do IQA e da quantificação das cargas do rio, constatou-se que o lançamento do efluente pela ETE-Pirajá não resulta em impacto significativo sobre a qualidade da água rio Parnaíba. A poluição difusa na zona urbana de Teresina, principalmente o lançamento de esgoto bruto, representam os maiores impactos ambientais para a redução da qualidade da água.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1306580 - CARLOS ERNANDO DA SILVA
Interno - 422881 - CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
Externo à Instituição - ANA BARBARA DE ARÁUJO NUNES - UFC
Externo à Instituição - ANA KELLY MOREIRA DA SILVA - IFCE
Notícia cadastrada em: 25/06/2015 08:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 27/01/2020 10:13