Notícias

Banca de DEFESA: SANTINA BARBOSA DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SANTINA BARBOSA DE SOUSA
DATA: 21/01/2016
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO TROPEN
TÍTULO:

USO, CLASSIFICAÇÃO E REPRESENTAÇÃO AMBIENTAL DE MACROFUNGOS EM UMA REGIÃO DE CAATINGA, NORDESTE DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Caatinga. Comunidade rural. Etnomicologia. Conservação


PÁGINAS: 115
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

 

RESUMO

 

A presente pesquisa objetivou registrar o conhecimento local e diversidade dos macrofungos conhecidos e/ou utilizados em uma região de Caatinga, no intuito de colaborar com a preservação e conservação da biodiversidade ali existente, bem como, contribuir com o resgate, a valorização e a manutenção da cultura tradicional local. Realizou-se 56 entrevistas (23 homens e 33 mulheres), com formulário semiestruturado acompanhado de cheklist-entrevista para coleta de dados etnomicológicos, com os remanescentes do antigo Zabelê. Procedeu-se a técnica “turnê-guiada” com informantes-chave para as coletas micológicas. O material biológico coletado foi identificado e incorporado no Laboratório de Micologia da Universidade Federal do Piauí e, todas as informações dos dados foram submetidas às análises qualitativas e quantitativas através do programa Freelist e Pilesorte Multidimencional Scaling do Antropac Software, programa Statistica 8.0 e Valor de Uso (VU). Foram reconhecidas 08 espécies distribuídas em 12 nomes vernaculares de macrofungos de ocorrência em plantas e solo, sendo mais citadas as “orelhas-de-pau” de ocorrência em plantas pertencente à família Ganodermataceae com citaçõesnas categorias que mata planta e uso medicinal. A maioria dos informantes os classificam como diferentes de plantas e animais. A diversidade observada está diretamente relacionada a variável climática, distribuída em substratos vegetais e solo. As atribuições ecológicas foram bem descritas quanto à decomposição da matéria orgânica. Retrataram memórias da infância onde os fungos eram utilizados como objeto lúdico nas brincadeiras. Registraram-se espécies de fungos de uso medicinal para os sistemas digestivo, reprodutor, tegumentar e anticancerígeno.  Pequena parcela da comunidade faz ou fez uso dos fungos, onde parte destes está apenas na memória. Não houve diferença significativa entre o conhecimento em idosos e adultos, porém acrescentou novas informações entre os jovens, quanto ao conhecimento detalhado, os idosos apresentam mais detalhes nas informações dadas do que adultos e jovens, destacando-se maior atribuição para a natureza, seguida de uso como medicamento. O conhecimento local acerca da biodiversidade pode contribuir no processo de conservação da Caatinga, visto que a comunidade apresenta algum tipo de conhecimento a respeito dos macrofungos, tal conhecimento é importe no auxílio para o entendimento do dinamismo das espécies em questão. Assim, destaca-se a importância da inserção dos mesmos nas ações que se destinem a este fim ou que envolvam mais em projetos desenvolvidos na área, sendo uma alternativa de conciliar a manutenção da biodiversidade e da cultura local, já que se trata de remanescentes de áreas protegidas, como o Parque Nacional Serra da Capivara, criadas para atender a necessidade de preservar a biodiversidade.

 






MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423426 - JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
Interno - 1291400 - DENIS BARROS DE CARVALHO
Interno - 423289 - JOAO BATISTA LOPES
Externo à Instituição - FÁBIO JOSÉ VIEIRA - UESPI
Externo à Instituição - LAISE HOLANDA CAVALCANTI - UFRPE
Notícia cadastrada em: 15/12/2015 09:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 27/09/2020 08:06