Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: WANESKA MARIA DE VASCONCELOS MEDEIROS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: WANESKA MARIA DE VASCONCELOS MEDEIROS
DATA: 20/07/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Tropen
TÍTULO:

 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO LONGÁ, ESTADO DO PIAUÍ/BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Qualidade da água. Bacia hidrográfica do rio Longá. IQA.


PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

O presente estudo consistiu na avaliação da qualidade de água da bacia hidrográfica do rio Longá, através do monitoramento das seguintes variáveis: temperatura da água, pH, turbidez, sólidos totais, fósforo total, nitrato, oxigênio dissolvido, demanda bioquímica de oxigênio e Escherichia coli. As amostras de água foram coletadas em sete pontos escolhidos levando em consideração a presença de estações meteorológicas, a acessibilidade e também visando obter uma melhor representatividade espacial e de ocupação da bacia. Para averiguar a conformidade do enquadramento dos rios da bacia hidrográfica do rio Longá, os resultados obtidos foram confrontados aos padrões brasileiros de qualidade para as águas doces (Classe 2), conforme a Resolução CONAMA n°357/2005. Fósforo total apresentou em todos os pontos monitorados concentrações médias em desacordo com a legislação ambiental. Os valores médios da concentração de turbidez ultrapassaram os limites permissíveis em P1 e P7. Observou-se nos pontos localizados em áreas urbanas (P2, P3 e P5) a influência da precipitação pluviométrica no aumento das concentrações das variáveis turbidez, DBO e E. coli a níveis críticos, nos meses correspondente ao período chuvoso, esse comportamento é atribuído à poluição difusa, característica de cidades onde não há sistema de saneamento, fato ocorrido na maioria das cidades do Estado do Piauí. Os resultados do IQA da bacia hidrográfica do rio Longá indicou que a qualidade da água é classificada como "Boa", P2 e P6 estiveram com maior frequência na categorização "ÓTIMA", com 50% e 58,3%, respectivamente. P1 e P6 foram os únicos que estiveram na categorização "Regular", com a frequência de 8,3%. A análise de componentes principais identificou que a DBO, E. coli e turbidez como sendo fatores determinantes na identificação de focos de contaminação e poluição, especialmente por esgotamento sanitário Qualidade da água. Bacia hidrográfica do rio Longá. IQA.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1306580 - CARLOS ERNANDO DA SILVA
Interno - 423426 - JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
Interno - 1167538 - JOSE MACHADO MOITA NETO
Externo à Instituição - LEONARDO MADEIRA MARTINS - UNINOVAFAPI
Externo à Instituição - MARIA GARDÊNIA SOUSA BATISTA - UFRJ
Notícia cadastrada em: 04/07/2016 16:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 25/01/2020 10:49