Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: NATHALIE BARBOSA REIS MONTEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NATHALIE BARBOSA REIS MONTEIRO
DATA: 06/06/2017
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO TROPEN
TÍTULO: AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM INDÚSTRIAS DE BRITA
PALAVRAS-CHAVES: Indústrias de brita. Impactos ambientais. Mineração.
PÁGINAS: 127
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A mineração de brita é uma das atividades mais importantes para a economia de qualquer país, pois gera os insumos que abastecem as indústrias da construção civil. O setor produz as matérias-primas utilizadas na construção de moradias, estradas, pontes, postes de iluminação pública, obras de saneamento básico, além da fabricação de cimento e concreto. No entanto, é também uma atividade potencialmente impactante para o meio ambiente. Nesse estudo foram analisadas três indústrias de brita localizadas na região de Monsenhor Gil – PI, a fim de conhecer e avaliar os impactos ambientais e sociais causados pelas mesmas. Inicialmente, realizou-se a caracterização do setor através da literatura científica e de documentos técnicos de órgãos ligados ao setor de mineração. No Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), foram recuperados 370 artigos científicos relacionados à mineração de brita, dos quais, 266 foram selecionados para análise. Conforme observado, a preocupação com os impactos ambientais causados pela exploração mineral de brita tem avançado lentamente. Apenas 23% dos estudos analisados, abordam essa problemática de forma direta. A maioria dos trabalhos científicos está voltada à produção e utilização dos recursos minerais e seu melhor aproveitamento na indústria da construção civil. Não foi encontrado nenhum grupo de pesquisa, no Brasil, na área de ciências ambientais, que esteja relacionado à atividade mineral. A produção brasileira de brita é equivalente à dos maiores produtores europeus e o estado que apresenta a maior produção e consumo é São Paulo. Também, foram analisados os processos de licenciamento ambiental das três indústrias, a fim de verificar a sua efetividade em relação ao órgão ambiental licenciador, às indústrias e à sociedade. Desse modo, foram realizadas visitas in loco às indústrias e à Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMAR)nas quais pôde ser constatado que a as indústrias A e C possuem licença ambiental vigente e a indústria B está em processo de renovação. A falta de efetividade do processo de licenciamento foi verificada nas falhas na elaboração dos estudos ambientais das indústrias, além da falta de fiscalização periódica e cumprimento do prazo estabelecido por lei para realização do processo, pelos órgãos ambientais. Apenas a indústria C recebeu fiscalizações, tanto da SEMAR, quanto do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), sendo a indústria que apresentou o melhor desempenho ambiental, em relação ao processo de licenciamento. As próximas etapas do trabalho compreendem a aplicação de dois métodos de avaliação de impacto - Rapid Impact Assessment Matriz (RIAM) – a fim de avaliar ambientalmente a atividade e da Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) – a fim de avaliar o desempenho ambiental da brita.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Presidente - 1046342 - ELAINE APARECIDA DA SILVA
Externo à Instituição - HELANO DIOGENES PINHEIRO - UESPI
Interno - 423460 - MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
Externo à Instituição - RAQUEL FRANCO DE SOUZA - UFRN
Notícia cadastrada em: 12/05/2017 15:29
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 28/01/2020 00:35