Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JEFFERSON LUCAS MATIAS SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JEFFERSON LUCAS MATIAS SOUSA
DATA: 18/07/2019
HORA: 09:00
LOCAL: PRODEMA-UFPI
TÍTULO: DIVERSIDADE DA FLORA LENHOSA DAS RESTINGAS E DOS TABULEIROS DO NORDESTE: SEMELHANÇAS, USOS E AMEAÇAS
PALAVRAS-CHAVES: Cienciometria. Estudos Botânicos. Tabuleiros Litorâneos do Piauí. Sensoriamento Remoto. Estatística Multivariada
PÁGINAS: 81
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A Região Nordeste do Brasil corresponde a cerca de 18,27 % do território nacional. Todos os nove estados nordestinos possuem contato com o Oceano Atlântico, o que confere a essa Região a maior zona litorânea do país. Ao longo de toda a costa nordestina, é possível distinguir duas estreitas feições geomorfológicas distintas, junto ao litoral, ocorrem as planícies costeiras ou restingas, mais para o interior encontra-se o Grupo Barreiras e seus tabuleiros litorâneos, datado do Terciário. Além de usadas para identificar formações geomorfológicas, as palavras restinga e tabuleiro também denominam dois tipos de coberturas vegetais que ocorrem sobre o substrato originado dessas formações. As formações vegetais litorâneas são recentes, não tendo havido tempo suficiente para o mecanismo de especiação ter criado novas espécies, sendo que a hipótese mais aceita atualmente é de que flora que ocorre no local geralmente apresenta tipos vegetacionais de domínios fitogeográficos adjacentes, como Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica. Tendo em vista a notável escassez de estudos comparativos entre as floras das restingas e tabuleiros, a falta de conhecimento empírico sobre as semelhanças que essas duas vegetações podem ou não apresentar e a crescente pressão exercida sobre elas, o presente estudo tem os seguintes objetivos: i) Determinar a similaridade entre a flora lenhosa das restingas e de tabuleiros da Região Nordeste; ii) Caracterizar a distribuição fitogeográfica das espécies encontradas; iii) Identificar áreas de endemismo; iv) Examinar as publicações de trabalhos botânicos realizados nos tabuleiros litorâneos do Brasil nos últimos 20 anos; v) Analisar o uso dos solos no Perímetro Irrigado Tabuleiros Litorâneos do Piauí nas últimas duas décadas. Para atingir os objetivos, foram utilizados levantamentos bibliográficos, softwares de estatística e de sensoriamento remoto. Os resultados preliminares indicam que a produção bibliográfica de estudos ambientais na região dos tabuleiros em todo o Brasil não é satisfatória e também que houve expansão da área agricultável no DITALPI. Através de pesquisa bibliográfica, todos os levantamentos botânicos realizados em tabuleiros e restingas no Nordeste tiveram as listas de espécies tabuladas em uma planilha contendo apenas nomes aceitos, corretos e legítimos, totalizando 1316 espécies em 74 pontos de ocorrências em uma matriz ausência/presença que será submetida a métodos estatísticos a fim de se atingirem os objetivos propostos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Interno - 1046342 - ELAINE APARECIDA DA SILVA
Externo à Instituição - Eduardo Bezerra de Almeida Júnior - UFMA
Presidente - 302.181.523-53 - FRANCISCO SOARES SANTOS FILHO - UESPI
Externo à Instituição - JOSIANE SILVA ARAÚJO - UESPI
Notícia cadastrada em: 08/07/2019 14:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 20/10/2021 04:19