Notícias

Banca de DEFESA: MARIA GRACELIA PAIVA NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA GRACELIA PAIVA NASCIMENTO
DATA: 29/05/2014
HORA: 08:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO TROPEN/UFPI
TÍTULO:

 

ETNOBOTÂNICA E ETNOZOOLOGIA EM COMUNIDADES PESQUEIRAS DE PARNAÍBA E CAJUEIRO DA PRAIA, PIAUÍ


PALAVRAS-CHAVES:

 

 

 Etnobiologia, Litoral piauiense, pescadores, sustentabilidade.


PÁGINAS: 150
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:


O Piauí possui 66 km de extensão de litoral, a menor dentre os Estados litorâneos brasileiros. O conhecimento da diversidade vegetal, o potencial alimentício, caracterização biológica, germinação e manejo de algumas espécies são necessários para o uso sustentado destas, tanto através do extrativismo como no cultivo. Entretanto, estudos sobre as espécies animais e vegetais de uso tradicional do litoral piauiense ainda são escassos. O conhecimento acerca da etnobotânica e da etnozoologia deve ser considerado, visto à importância para a conservação e preservação dos recursos naturais e da cultura local, valorizando assim, a participação das comunidades nos planos de manejo, considerando que estes municípios estão inseridos na APA do Delta do rio Parnaíba. Objetivou-se comparar, identificar e diagnosticar as potencialidades etnobotânicas e etnozoológicas em comunidades pesqueiras nos municípios litorâneos piauienses, Cajueiro da Praia e Parnaíba, a fim de subsidiar meios e estratégias de conservação das espécies utilizadas, contribuir para o conhecimento da flora e fauna piauiense, bem como incentivar o resgate do conhecimento popular. O desenvolvimento da pesquisa para o projeto proposto foi realizado com pescadores arteaenais, através de entrvistas semiestruturadas, utilizando as técnicas de “bola-de-neve” e “turnê-guiada”  para coleta botânica e zoológica. Utilizou-se o Valor de Uso, e para o conhecimento etnobotânico por gênero e faixa etária, o índice de Shannon e o método de rarefação. Foram registradas 116 espécies pertencentes a 48 famílias sendo as mais  representativas em número de espécies: Fabaceae (13) e Lamiaceae (8), alocadas em seis categorias. A categoria de uso mais representativa foi medicinal, sendo a espécie Plectranthus barbatus Andrews (boldo) a que apresentou o maior valor de uso (0,27), seguido por Ximenia americana L., (ameixa) (0,24). O índice de Shannon mostrou que o conhecimento está melhor distribuído quanto ao gênero,  entre os homense e na faixa etária entre os  adultos. Quanto nivelado o conhecimento através da rarefação, verificou-se que não há diferença significativa quando equiparado o conhecimento por gênero. Quanto a Etnoictiologia, registrou-se 50 espécies, pertencentes a três categorias de uso, sendo a mais representativaalimentícia (98%). Mugil curema (Valenciennes, 1936) (saúna) e Conodon nobilies (Linnaeus, 1758) (coró) foram as mais citadas. Dasyatis guttata (Bloch & Schneider, 1801)  arraia) e Thichiurus lepturus Linnaeus, 1758 (espada) apresentaram  o maior VU (0,058) cada. Quanto ao conhecimento por genêro, as mulheres obtiveram (H'=3.20039), enquanto os homens (H'3.37892) mostrando que há diferença entre ambos. A faixa etária que demostrou ter maior conhecimento acerca da ictiofauna foram os adultos que apresentaram diversidade média esperada de H'=2,85104. Os resultados apontam para ainda fortalecem a importância de se preservar a biodiversidade da flora e ictiofauna do litoral piauiense. A divulgação dos resultados constituirá em uma alternativa para que os moradores das comunidades possam utilizar-se dos recursos naturais da melhor forma possível, incentivando o uso sustentável destes recursos tão importantes para todos os seres vivos.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FRANCISCO SOARES SANTOS FILHO - UESPI
Interno - 423426 - JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
Interno - 1167476 - JOSE LUIS LOPES ARAUJO
Presidente - 1167785 - ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
Notícia cadastrada em: 13/05/2014 18:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 19/01/2020 09:38