Notícias

Banca de DEFESA: DIOGO AUGUSTO FROTA DE CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DIOGO AUGUSTO FROTA DE CARVALHO
DATA: 30/03/2015
HORA: 15:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO TROPEN/UFPI
TÍTULO:

A AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NA ZONA URBANA DE CAMPO MAIOR-PI


PALAVRAS-CHAVES:

 

 Qualidade da água.  Consumo Humano. pORTARIA 214/2011


PÁGINAS: 56
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A zona urbana do município de Campo Maior – PI, localizado a 84 km de Teresina,

com uma população de 33.521 mil habitantes, é servida pelo Sistema de Abastecimento

de Água e Esgoto (SAAE), cuja fonte de suprimento d’água para consumo humano é o

manancial subterrâneo da bacia hidrográfica do Parnaíba, composto pelo aquífero Poti-
Piauí. Devido ao risco de alteração inerente à áreas urbanas, tal aquífero necessita de

avaliação e monitoramento contínuos, posto que existe o risco de contaminações que

pode comprometer a qualidade da água para o consumo humano, seja em decorrência da

própria composição pedológica da região e/ou problemas na captação, no

armazenamento e distribuição, deixando a população suscetível a doenças de veiculação

hídrica. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a qualidade da água para consumo humano

na zona urbana no município de Campo Maior – PI, com base no monitoramento

realizado nos meses de janeiro a junho de 2014, verificar a relação da qualidade com o

sistema de abastecimento utilizado, seu nível de manutenção, a situação higiênica dos

estabelecimentos e a existência de fontes pontuais e difusas de poluição e relacioná-las

com a educação ambiental na gestão dos recursos hídricos municipais. Em oito locais de

amostragem na zona urbana, foram avaliados nove parâmetros de qualidade, sendo dois

físicos (turbidez e condutividade), cinco químicos (nitrito, nitrato, amônia, pH e

alcalinidade) e dois biológicos (coliformes totais e E.coli). Os resultados das análises

foram comparados mediantes as especificações da Portaria 2914/2011 do Ministério da

Saúde, que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da

água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Para a interpretação dos

dados obtidos, realizaram-se estudos complementares de análise dos valores máximo e

mínimo, média, mediana, desvio-padrão e testes não-paramétricos de correlação entre as

variáveis obtidas (qui-quadrado, correlação de Spearman e teste de Wilcoxon) além de

levantamento geológico e populacional da região. Constatou-se que apenas o parâmetro

microbiológico apresentou não conformidade com as especificações da Portaria, sendo

que os coliformes termotolerantes indicaram presença em 47,9% das amostras e E.coli,

presente em 37,5% do total de amostras. Observou-se também correlação negativa entre

o pH e condutividade; e entre a turbidez e o nitrito, mas observou-se uma correlação

positiva entre a alcalinidade e nitrito; e entre E.coli e pH. Foi verificada associação entre

a presença de coliformes e E.coli com os casos de diarreia observados durante o período

monitorado. Constatou-se ainda que o sistema de captação, reservação e distribuição da

água são, na maioria dos pontos selecionados para a coleta, mal conservados e

desprovidos de higienização periódica. A captação ocorre por meio de bombas

submersas que frequentemente ficam inativas devido às oscilações de energia elétrica. A

distribuição da água para consumo humano dá-se, na maior parte da área estudada, por

meio de tubulação de cimento-amianto antigo e deteriorado, que provoca perdas de até

60% do volume produzido, além da possível ocorrência de eventos contaminantes pelo

consumo da água distribuída, devido à presença de coliformes fecais na água analisada.

Há necessidade de medidas preventivas e corretivas de educação ambiental mais

rigorosas nos sistemas de abastecimento de água de Campo Maior - PI, principalmente

na troca da tubulação de cimento-amianto por Policroreto de vinila e ações de educação

ambiental na reservação e consumo como possível fonte de contaminação.

Palavras-chave: Qualidade da água. Consumo Humano. Portaria 2914/2011.

 



 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 422881 - CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
Interno - 423289 - JOAO BATISTA LOPES
Externo à Instituição - MÁRCIO ANTÔNIO SOUSA DA ROCHA FREITAS - UESPI
Notícia cadastrada em: 16/03/2015 15:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 26/09/2020 02:27