Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARISTELLA MOURA CALAÇO PESSOA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARISTELLA MOURA CALAÇO PESSOA
DATA: 19/04/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO:

Indicadores físicos e biológicos de qualidade do solo em diferentes monoculturas no Cerrado piauiense


PALAVRAS-CHAVES:

Cerrado, Indicadores, Sistema de manejo, Cobertura vegetal.


PÁGINAS: 59
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

A expansão da agricultura no Brasil é hoje uma necessidade e dessa forma, novas áreas têm sido incorporadas ao sistema de produção agrícola visando incrementar a produção de alimentos. No entanto, a substituição do Cerrado nativo por monocultivos anuais e, ou, perenes vem trazendo consequências drásticas para a qualidade do solo. Este trabalho teve como objetivo avaliar alterações nos indicadores físicos e biológicos de um Latossolo sob monocultivo de soja, eucalipto, pastagem e área com mata nativa. Dentre os atributos físicos foram avaliados a densidade do solo (Ds), a porosidade total (Pt), a granulometria, a densidade de partículas (Dp), resistência do solo à penetração (RSP),o diâmetro médio ponderado (DMP), índice de estabilidade de agregados (IEA) e porcentagem de agregados estáveis maiores que >2,0 mm (AGRI). Com relação aos atributos biológicos foram avaliados o carbono da biomassa microbiana (CBM), respiração basal do solo (RB), quociente microbiano (Qmic), quociente metabólico (qCO2) e a fauna edáfica. Os atributos físicos mostraram-se sensíveis ao manejo convencional e pisoteio de animais. Assim, os sistemas de pastagem e soja apresentaram valores indesejáveis quanto aos atributos físicos analisados que denota uma certa compactação dessas áreas. Os valores de CBM e QMIC foram mais elevados no solo sob vegetação natural, indicando a ocorrência de efeitos adversos de monoculturas sobre essas variáveis. maiores Ds e menor Pt. A queimada ocorrida no solo sob eucalipto contribuiu para uma diminuição dos indicadores biológicos no período seco. Houve diferença significativa na RB do solo e no QCO2 apenas no período seco. A riqueza de espécies da fauna foi maior na MN nas duas épocas. A época de coleta influenciou a variação nos indicadores biológicos de qualidade de solo. Os resultados demonstram que o sistema de manejo e o tipo de cobertura vegetal são fatores determinantes de mudanças no funcionamento biológico e físico dos solos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 073.808.013-68 - ADEODATO ARI CAVALCANTE SALVIANO - UFPI
Presidente - 1552372 - LUIS ALFREDO PINHEIRO LEAL NUNES
Externo à Instituição - VALDINAR BEZERRA DOS SANTOS - UESPI
Notícia cadastrada em: 07/04/2016 14:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 22/06/2021 07:19