Notícias

Banca de DEFESA: LUIZ CARLOS DE MELO JUNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUIZ CARLOS DE MELO JUNIOR
DATA: 17/02/2017
HORA: 08:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS
TÍTULO: RESISTÊNCIA DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE FEIJÃO-FAVA AO PULGÃO PRETO (Aphis craccivora (Koch: 1854) Hemiptera: Aphididade)
PALAVRAS-CHAVES: Antibiose, Antixenose, Tabela de vida.
PÁGINAS: 43
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O feijão-fava (Phaseolus lunatus) é uma leguminosa importante para agricultura brasileira, em especial no Nordeste. Entre as pragas que atacam a cultura destaca-se o pulgão-preto cujo controle com uso de agroquímicos é dificultado pela não existência produtos fitossanitários registrados para tal. A resistência de plantas é o método de controle ideal por sua ação é cumulativa aos demais métodos de controle. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes genótipos de feijão-fava (UFPI-882, UFPI-883, UFPI-887, UFPI-888, UFPI-891, UFPI-908, UFPI-909, e UFPI-915), procedentes do Banco Ativo de Germoplasma de Feijão-Fava da Universidade Federal do Piauí – BAGF/UFPI, sobre a biologia de Aphis craccivora e identificar possíveis fontes de resistência ao afídeo, em condições de laboratório. Foram instalados dois ensaios, sem chance de escolha (antibiose) e com chance de escolha (antixenose). Para testar os efeitos de antibiose discos foliares dos diferentes genótipos de feijão-fava foram infestados com duas ninfas, com 24 horas de idade e acompanhado todo o ciclo biológico. Os parâmetros avaliados para construção da tabela de vida calculados foram: Taxa Líquida de Reprodução (Ro); intervalo de Tempo entre cada geração (T); Inata capacidade de aumentar em número (rm); Razão finita de aumento (λ) e Tempo para a população duplicar (TD). As avaliações foram realizadas diariamente. Os testes de antixenose foram realizados em duas etapas. Inicialmente arenas foram preparadas com discos foliares dos 8 acessos, dispostos em círculos equidistantes ligados a um disco central onde foram liberados 40 pulgões adultos ápteros com uma hora de jejum. O número de inseto em cada tratamento, foi contabilizado aos 30 minutos, 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 24 horas. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, com 8 tratamentos (genótipos) e 20 repetições. Na segunda etapa, foram realizados testes pareados (combinações dos genótipos 2 a 2), totalizando 28 testes com 5 repetições, onde no centro de cada arena foram liberados 10 adultos ápteros com uma hora de jejum. Não houve diferença significativa entre os genótipos para os testes de antibiose. Os parâmetros da tabela de vida calculados foram Ro=49,23; T=10,24; rm=0,38; (λ)=1,46 e TD=1,82. Os resultados dos testes de não preferência demonstraram que o genótipo UFPI-887 apresentou resistência do tipo antixenose quando comparado os genótipos UFPI-882 e o UFPI-881. Não houve correlação entre a densidade de tricomas nas folhas e a não preferência de A. craccivora por folhas de P. lunatus, sendo necessário mais estudos para indicar a causa da resistência.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DOUGLAS RAFAEL E SILVA BARBOSA - IFMA
Interno - 1188870 - LUCIA DA SILVA FONTES
Presidente - 1167867 - PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
Interno - 043.286.014-23 - SOLANGE MARIA DE FRANCA - UFPI
Notícia cadastrada em: 04/02/2017 16:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 18/06/2021 09:32