Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LORENNA LEAL PIRES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORENNA LEAL PIRES
DATA: 29/06/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Apresentação em Modo Remoto. Link a ser definido.
TÍTULO: ÓLEOS FIXOS NO CONTROLE IN VITRO DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS
PALAVRAS-CHAVES: Atividade antifúngica, fungicida natural, potencial fungitóxico.
PÁGINAS: 51
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

As doenças causadas por fungos fitopatogênicos ocasionam impactos significativos na agricultura mundial e problemas econômicos devido às perdas durante todas as etapas da produção. A busca por óleos vegetais a serem utilizados no controle fitossanitário vêm sendo expandida como tentative de encontrar novos produtos alternativos para o controle das doenças de plantas. Objetivou-se com o presente trabalho avaliar o efeito in vitro dos óleos fixos de Annona coriacea, Copaifera luetzelburgii, Lippia lasiocalycina e Croton zehntneri sobre o crescimento micelial e germinação de conídios de Colletotrichum siamense, Colletotrichum truncatum, Fusarium sacchari, Fusarium udum, Lasiodiplodia theobromae e Thielaviopsis ethacetica. O experimento foi conduzido em delineamento experimental inteiramente casualizado com esquema fatorial envolvendo 6 isolados fúngicos x 4 óleos x 4 doses, com cinco repetições e uma testemunha. Os óleos fixos foram incorporados ao meio de cultura BDA (Batata-Dextrose-Ágar) e vertidos em placas de Petri. Os tratamentos foram compostos por diferentes doses 0.5, 1.0, 2.0 e 3.0 µL mL-1 para o óleo de A. coriacea, e para os demais óleos foram usadas as doses 2, 20, 200 e 2000 µg mL-1. As placas foram inoculadas no centro com discos fúngicos de 5 mm e mantidas a 28 ± 2 °C com fotoperíodo de 12 h em estufa incubadora. Foram avaliadas, as seguintes variáveis: porcentagem de inibição do crescimento micelial (PICM), concentração de conídios e porcentagem de inibição de germinação (PIG). Os óleos de C. luetzelburgii, L. lasiocalycina e C. zehntneri na maior dose (2000 µg mL-1) reduziram o crescimento micelial de todos os fungos em uma faixa de 30 a 80%. Já o óleo de A. coriacea obteve menor redução, entre 8 e 40% na dose de 3.0 µL mL-1 em todos os fungos estudados. Diante do exposto, os quatro óleos demonstraram potencial no controle dos seis fungos, podendo assim serem utilizados posteriormente em estudos de controle alternativo de fungos fitopatogênicos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 748.046.263-87 - BEATRIZ MEIRELES BARGUIL - UESPI
Externo ao Programa - 011.191.643-70 - GERUSA RODRIGUES DOS SANTOS CAVALCANTE - UFPI
Presidente - 2058623 - JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
Notícia cadastrada em: 02/06/2020 14:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 18/06/2021 08:16