Notícias

Banca de DEFESA: LAYANE RIBEIRO DE ARAÚJO LEAL

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAYANE RIBEIRO DE ARAÚJO LEAL
DATA: 03/08/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Auditorio Profa Francisca Elima Cavalcante Luz
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICAS SANITÁRIAS DE BEBEDOUROS E TORNEIRAS E DA QUALIDADE BACTERIOLÓGICA DA ÁGUA DE CONSUMO DE ESCOLAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE TERESINA, PIAUÍ.


PALAVRAS-CHAVES:

Água, Bebedouros, Torneiras, Escolas, Coliformes, Pseudomonas aeruginosa.


PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
ESPECIALIDADE: Microbiologia de Alimentos
RESUMO:

Neste estudo, foram avaliadas as condições higiênicas sanitárias de bebedouros e torneiras e a qualidade bacteriológica das águas de consumo, obtida destes pontos de consumo, em escolas públicas da rede municipal da cidade de Teresina-PI. O delineamento da pesquisa foi inteiramente casualizado com esquema fatorial 2 x 2 (dois locais de coleta: bebedouros e torneiras; dois tratamentos, antes e após serem feitas orientações relativas à higienização dos pontos de coleta) com 32 repetições caracterizadas por escolas. A coleta de dados compreendeu o período de maio a outubro de 2011. Os dados relativos às condições higiênicas sanitárias dos bebedouros e torneiras foram obtidos por meio da aplicação de um questionário aos administradores escolares, bem como da inspeção visual destes pontos de coleta. Para as análises microbiológicas da água foram efetuadas duas coletas dos mesmos pontos, com intervalo de três meses, totalizando 128 amostras de água. Estas foram coletadas de acordo com as normas recomendadas pelo Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater (1998) e analisadas pela técnica do Número Mais Provável (NMP/100 mL) para a ocorrência de Pseudomonas aeruginosa, Coliformes Totais, Coliformes Termotolerantes e presença de Escherichia coli. Os resultados quantitativos foram testados quanto a normalidade sendo em seguida utilizado o teste de Mann-Whitney, com nível de significância (P<0,05). Para os resultados qualitativos foi realizado o teste qui-quadrado, com nível de significância de 5%. Em relação à origem do abastecimento de água em cada escola, 15,6% era proveniente de poços e 84,4% da AGESPISA. Foi observada a presença de micro-organismos em 35,9% das amostras analisadas assim distribuídas: 12,5% para coliformes totais, 9,4% coliformes termotolerantes, 4,69% E. coli e 9,4% para Pseudomonas sp. Dentre as amostras positivas para Pseudomonas, 26 linhagens foram isoladas e identificadas, por meio de provas bioquímicas como Pseudomonas aeruginosa (68,0%). A avaliação da sensibilidade antibiótica para 13 antimicrobianos, pela técnica de difusão em disco, revelou três linhagens resistentes apenas ao aztreonam, sendo as demais sensíveis a todos os antibióticos testados. A presença de filtros, respectivamente, nos bebedouros e torneiras, foi constatada em 93,8% e 53,1% das escolas avaliadas. Apesar de alterações significativas nas condições de higienização dos bebedouros e torneiras avaliados, após as orientações informais prestadas aos administradores e pessoal de limpeza, estas não foram suficientes para reduzir ou eliminar os micro-organismos isolados das águas fornecidas por estes pontos de consumo. Treinamento de procedimentos operacionais padronizados (POP) deverão ser implantados para melhorar as condições higiênico-sanitárias destes pontos de consumo. A legislação brasileira não preconiza a obrigatoriedade da avaliação de Pseudomonas aeruginosa, na água de consumo, contudo este micro-organismo pode oferecer riscos à saúde de indivíduos imunocomprometidos que venham utilizar esta água, como por exemplo, das crianças das escolas avaliadas. Muitos países já reconhecem sua importância e já estão a determinar em suas legislações a pesquisa deste micro-organismo como forma de melhorar e assegurar mais qualidade à água disponibilizada às suas populações.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FRANCISCA LÚCIA DE LIMA - UESPI
Interno - 423411 - MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
Presidente - 423602 - MARIA JOSE DOS SANTOS SOARES
Externo à Instituição - TANIA MARIA DA SILVA LIMA - CEFET-MA
Notícia cadastrada em: 20/07/2012 16:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 03/06/2020 23:11