Notícias

Banca de DEFESA: THIANA MAGALHÃES VILAR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THIANA MAGALHÃES VILAR
DATA: 14/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO DA UFPI
TÍTULO: DISLIPIDEMIA E FATORES DE RISCO ASSOCIADOS: UM ESTUDO DE BASE POPULACIONAL-ISAD/PI
PALAVRAS-CHAVES: dislipidemias; adultos; idosos; fatores de risco; comportamental; antropometria.
PÁGINAS: 73
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:
Introdução: Dislipidemia é um transtorno metabólico caracterizado por concentrações
anormais de lipídios ou lipoproteínas no sangue e desempenha papel importante na ocorrência
das doenças cardiovasculares. Na maioria das vezes, sua causa é derivada de uma associação
de fatores genéticos e ambientais. Objetivo: Estimar a prevalência de dislipidemia e fatores
de risco associados em indivíduos adultos e idosos de Teresina-PI. Métodos: Estudo
transversal de base populacional domiciliar intitulado ISAD-PI, realizado em 2018 e 2019,
com amostra probabilística complexa, por conglomerados, constituída por 314 indivíduos a
partir de 20 anos, de ambos os sexos. Foram utilizados dados sociodemográficos (idade, sexo,
escolaridade e situação conjugal), comportamentais (tabagismo e consumo de álcool)
mediante aplicação de questionários adaptados de inquéritos utilizados em outros estudos
populacionais brasileiros, além de dados antropométricos (massa corporal, altura e
circunferência da cintura). Para análise de prevalência da dislipidemia foi realizada coleta de
sangue em jejum para determinação do perfil lipídico com dosagens de: Colesterol total,
Triglicerídeos, LDL-c e HDL-c. A análise estatística foi realizada por meio do programa Stata
versão 13.0 e o nível de significância dos testes adotados foram de p < 0,05. Resultados: A
prevalência de dislipidemias foi elevada na população geral (88,5%),sendo de 87,3% na
população adulta, e 92% na idosa. O HDL-c baixo foi à dislipidemia mais prevalente (72,1%)
em ambos os grupos. Os fatores de riscos que mais se associaram com algum tipo de
dislipidemia foi à circunferência da cintura elevada, excesso de peso e o tabagismo. Na
população adulta, a CC elevada e excesso de peso apresentou associação significativa com o
diagnóstico de HDL-c baixo (RP=1,30; IC95%=1,07-1,58; p<0,006) e (RP= 1,23;
IC95%=1,02-1,50 p<0,03), respectivamente. No idoso, o tabagismo foi o fator mais associado
com o desenvolvimento de hipertrigliceridemia isolada (RP=1,92; IC95%=1,05-3,52;
p<0,03). Conclusões: Os resultados evidenciam elevada prevalência de dislipidemias na
população adulta e idosa de Teresina e sua associação positiva com CC elevada, excesso de
peso e tabagismo o que apontam a necessidade de pensar em estratégias de saúde pública para
a prevenção e o manejo adequado no gerenciamento dessa condição clinica para alterar a
morbimortalidade cardiovascular.

MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1794569 - ADRIANA DE AZEVEDO PAIVA
Presidente - 1167579 - CECILIA MARIA RESENDE GONCALVES DE CARVALHO
Interno - 1642393 - KAROLINE DE MACEDO GONCALVES FROTA
Externo ao Programa - 474.194.153-15 - SUZANA MARIA REBELO SAMPAIO DA PAZ - USP
Notícia cadastrada em: 12/02/2020 08:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 03/06/2020 23:10