Notícias

Banca de DEFESA: RAYSSA GABRIELA COSTA LIMA PORTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAYSSA GABRIELA COSTA LIMA PORTO
DATA: 15/04/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório Profa. Francisca Elima Cavalcante Luz
TÍTULO:

Influencia do estádio de maturação no teor de compostos bioativos e atividade antioxidante no cajuí (Anacardium humile St. Jill) e castanhola (Terminalia catappa Linn).


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: cerrado; compostos bioativos; fenólicos; antioxidantes.


PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
RESUMO:

A flora do Cerrado possui diversas espécies frutíferas com grande potencial de utilização agrícola, que são tradicionalmente utilizadas pela população local por meio do consumo in natura ou processadas na forma de sucos, licores, sorvetes, geléias e doces, porém pouco comercializadas oficialmente. Objetivou-se com o presente estudo verificar a influência do estádio de maturação no teor de compostos bioativos e atividade antioxidante nos frutos cajuí (Anacardium humille St. Hill) e castanhola (Terminalia catappa Linn). Os frutos em três estádios de maturação foram colhidos na EMBRAPA - MEIO NORTE-PI e no campus da Universidade Federal do Piauí, em dois lotes. A seleção dos frutos foi realizada mediante seu estado de conservação e estádio de maturação. Determinou-se o conteúdo de fenólicos totais, antocianinas, proantocianidinas, carotenóides e atividade antioxidante pelos métodos ABTS, DPPH e FRAP nos três estádios de maturação. Para análise dos dados, foi criado um banco no Programa Statistical Package for the Social Sciences, version 17,0; e aplicado o teste t de Student. O nível de significância adotado foi de p < 0,05 (5%) para todos os testes. Os resultados demonstraram que o teor de fenólicos totais variou significativamente entre os estádios de maturação, destacando-se o estádio verde (1421,33 ± 28,62 mgGAE/100g para o cajuí e 12803,17 ± 1,10 mgGAE/100g para a castanhola). Verificou-se a presença de antocianinas na castanhola em maior quantidade no estádio maduro (4,94 ± 5,13 mg cy-3-glu.100g -1) e obteve-se no cajuí elevado teor de carotenóides com destaque para o estádio verde (180,53 ± 0,01 mg β-caroteno.kg -1). Em ambos os frutos foi detectado a presença de proantocianidinas (taninos condensados) em maior quantidade no estádio verde (37,41 ± 0,00; 60,04 ± 3,32 mgEC.100g -1 para o cajuí e castanhola, respectivamente)  Os frutos estudados apresentaram elevada atividade antioxidante confirmada pelos três métodos (ABTS, DPPH e FRAP). Concluiu-se que os frutos pesquisados apresentaram elevados teores expressivos de compostos bioativos e demonstraram elevada atividade antioxidante.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JOSE ALFREDO GOMES AREAS - USP
Interno - 300.580.403-82 - MAURISRAEL DE MOURA ROCHA - EMBRAPA
Externo à Instituição - RAIMUNDO WILANE DE FIGUEIREDO - UFC
Presidente - 1167746 - REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
Notícia cadastrada em: 04/04/2014 16:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 03/06/2020 23:19