Notícias

Banca de DEFESA: MAIARA JAIANNE BEZERRA LEAL RIOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAIARA JAIANNE BEZERRA LEAL RIOS
DATA: 29/08/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditírio Profa. Francisca Elima Cavalcante Luz
TÍTULO:

Caracterização Fisico-Química e Avaliação Microbiológicade Farinhas de Feijão-Caupi Geneticamente Melhoradas


PALAVRAS-CHAVES:

vigna unguiculata; farinha de feijão; composição fisico-química;avaliação microbiológica.


PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
RESUMO:

Cultivares de feijão-caupi tem sido desenvolvidas por meio de melhoramento genético clássico, visando à predominância de caracteres agronômicos desejáveis e uma melhor qualidade nutritiva. No Brasil o feijão-caupi é considerado alimento de primeira necessidade na dieta da população nordestina, é cultivado predominantemente no sertão semiárido da região Nordeste e consumido, principalmente, na forma de grãos secos. A produção de farinha por meio da secagem é uma opção de processamento do feijão-caupi, na busca de um produto com maior valor nutritivo e de maior estabilidade durante o armazenamento. O objetivo desse estudo foi determinar a composição físico-química e microbiológica de farinhas de cinco cultivares geneticamente melhorados de feijão-caupi: BRS Cauamé, BRS Guariba, BRS Xiquexique, BRS Novaera e BRS Itaim.. De cada cultivar de feijão-caupi estudada foram obtidas 2 tipos de farinhas, uma a partir do processamento dos grãos integrais e outra obtida a partir de grão descorticados (sem tegumento). Analisaram-se a composição centesimal (umidade, cinzas, lipídios, carboidratos e proteínas), o Valor Energético Total, os parâmetros físicos (Índice de Absorção de Água, Índice de Solubilidade em Água, granulometria e diâmetro médio da partícula) o conteúdo mineral (ferro, zinco, cobre, manganês, cálcio, fósforo e magnésio) e as características microbiológicas (Salmonella sp, coliformes a 45ºC e Bacillus cereus). Os resultados mostraram que o teor de umidade das farinhas dos grãos descorticados foi inferior ao das farinhas de grãos integrais correspondentes. As farinhas, em geral, apresentaram baixo teor lipídico, variando de 1,53 a 4,70mg/100g. As farinhas apresentaram teor protéico concordante com a literatura e o teor de proteínas nas farinhas variou de 21,72 a 26,94mg/100g. As farinhas também se mostraram boas fontes de energia. A granulometria mostrou que as farinhas possuíam partículas pequenas (variando de 250,97 a 359,28µm) e eram uniformes.  O Índice de Absorção de Água foi baixo e o Índice de Solubilidade em Água foi elevado para todas as farinhas estudadas. Somente as farinhas de grãos integrais das cultivares BRS Cauamé e BRS Xiquexique conferem fonte do mineral cálcio. Com relação ao ferro, as farinhas de grãos descorticados das cultivares BRS Novaera e BRS Itaim são fontes deste mineral, enquanto que, as demais farinhas possuem elevado teor de ferro. Com relação aos demais minerais estudados (zinco, cobre, fósforo, magnésio e manganês) todas as farinhas analisadas revelaram-se com elevado teor dos mesmos. Com relação às análises microbiológicas as farinhas apresentaram-se inócuas. Concluiu-se que as farinhas estudadas tanto as de grãos integrais quanto de grãos descorticados são nutritivas e possuem qualidades físicas que permitem sua utilização na fabricação de produtos alimentícios, oferecendo assim à população alimentos com melhor valor nutritivo.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 844.774.313-68 - KAESEL JACKSON DAMASCENO E SILVA - EMBRAPA
Interno - 300.580.403-82 - MAURISRAEL DE MOURA ROCHA - EMBRAPA
Externo à Instituição - EVANIA ALTINA TEIXEIRA DE FIGUEIREDO - UFC
Externo à Instituição - JORGE MINORU HASHIMOTO - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 25/08/2014 15:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 13/08/2020 02:35