Notícias

Banca de DEFESA: ÉMILLE CRISTHINE DE ALMEIDA PASSOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ÉMILLE CRISTHINE DE ALMEIDA PASSOS
DATA: 15/03/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Reunião do Departamento de Comunicação Social
TÍTULO: MODA E PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADES: ESTUDO DE CASO DA REVISTA VOGUE BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: Subjetividades; Mídia; Vogue Brasil; Cartografia; Moda.
PÁGINAS: 212
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
RESUMO:

A moda se faz presente em diferentes contextos da vida social, atravessando comportamentos, gostos, arte, roupas e modos de se comunicar, além de ser uma forma de expressão que vem sofrendo modificações ao longo dos anos. Ela se adequa ao modo de viver e pensar de cada período. Nos dias atuais as pessoas buscam constantemente acesso a informações de moda por meio das revistas, veículos que desde seu aparecimento mostram para as leitoras formas de se vestir, se comportar, modos de ser. Podemos afirmar então, que esses veículos são produtores de subjetividade na atual sociedade. Diante disso, temos como objetivo geral na pesquisa Cartografar que modos de subjetivação são produzidos nas imagens de moda da revista Vogue Brasil. E, por meio deste, como objetivos específicos buscamos identificar as imagens de moda que a revista Vogue Brasil põe em circulação; Compreender como as imagens de moda produzem perfis subjetivos; Conhecer quais são esses perfis subjetivos. Para pautar essa caminhada, elegemos a cartografia como estratégia de pesquisa, para mapear as produções de sentidos e agenciamentos produzidos nas imagens de moda em circulação na revista Vogue Brasil. Nos apoiamos nos aportes teóricos acerca do estudo de classes sociais, história da moda e das revistas femininas e produção de subjetividades com um direcionamento a partir de Guattari. A revista Vogue Brasil nasceu em maio de 1975 e se organiza em torno de informações sobre assuntos ligados a moda e tudo que envolve esse universo, fazendo circular sentidos que atuam como ofertas de modos de ser pret-à-port, como modelizações de subjetividades a serem seguidas, copiadas, consumidas. Temos aí protótipos de subjetividades que se constituem nos espaços de visibilidade, ou na exterioridade da exibição ao olhar do outro. A revista oferta diferentes estilos de vida para seus leitores, além da figura tradicional feminina, ao longo da nossa análise pudemos visualizar uma mudança e a inserção de assuntos pouco comentados no universo feminino, como também coloca a mulher como sujeito de livre escolha e independente.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167865 - GUSTAVO FORTES SAID
Externo à Instituição - MARIA DE FÁTIMA VIEIRA SEVERIANO - UFC
Presidente - 1751868 - MONALISA PONTES XAVIER
Notícia cadastrada em: 19/02/2019 16:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/11/2020 18:10