Notícias

Banca de DEFESA: SOANE KALINE MORAIS CHAVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SOANE KALINE MORAIS CHAVES
DATA: 10/10/2016
HORA: 09:30
LOCAL: Auditorio do curso de Farmácia
TÍTULO:

 

ATIVIDADES FARMACOLÓGICAS DO ALCALOIDE PALMATINA ISOLADO DE Guatteria friesiana NA TERAPIA DA DOENÇA DE ALZHEIMER

 


PALAVRAS-CHAVES:

Palmatina. Tratamento. Farmacologia. Doença de Alzheimer


PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
SUBÁREA: Análise e Controle de Medicamentos
RESUMO:

A busca por compostos com atividades farmacológicas promissoras torna os estudos acerca das plantas medicinais cada vez mais frequentes. Destaca-se nesse contexto a espécie Guatteria friesiana (W.A. Rodrigues) Erkens & Maas (Annonaceae), uma planta encontrada da bacia amazônica brasileira e colombiana e utilizada na medicina tradicional para várias finalidades. O alcaloide palmatina, isolado das folhas de G. friesiana vem demonstrando ações farmacológicas relevantes, no entanto, ainda existe um campo a ser pesquisado no que diz respeito à sua aplicação para a terapia de doenças neurodegenerativas, em especial a Doença de Alzheimer (DA). A DA é uma patologia multifatorial que acomete uma significativa parcela da população e vem crescendo ao longo dos anos devido ao aumento da proporção de idosos na população mundial. Fatores como formação de placas senis, emaranhados neurofibrilares, redução dos níveis de acetilcolina e fenômenos oxidativos estão relacionados ao desenvolvimento e/ou progressão da DA. O estudo objetivou avaliar as ações anticolinesterásica in vitro, antioxidante in vitro, frente a diversos radicais livres e in vivo da palmatina, bem como avaliar o modo de interação da molécula com a enzima acetilcolinesterase (AChE) através da análise computacional. O estudo iniciou com uma revisão bibliográfica sobre os alcaloides que apresentavam ações de interesse para o tratamento da DA (ações anticolinesterásica, antioxidante, antidepressiva, ansiolítica e anti-inflamatória), posteriormente realizou-se uma prospecção científica e tecnológica sobre as ações farmacológicas da palmatina. Os ensaios in vitro foram realizados para avaliar a atividade anticolinesterásica da palmatina, ácido ascórbico e trolox e da associação palmatina + trolox. Foram ainda executados ensaios antioxidantes in vitro e in vivo com os mesmos compostos de forma isolada e em associação. A palmatina, o trolox e a associação desses apresentaram um CI50 = 0,29 µg/mL; 2,256 µg/mL e 1,534 µg/mL, respectivamente, em relação à inibição da AChE. A palmatina, o trolox e o ácido ascórbico isolados e em associação também apresentaram atividade antioxidantes significativa em vários testes in vitro e foram capazes de modular a oxidação promovida pelo peróxido de hidrogênio em diferentes cepas de Saccharomyces cerevisiae. A análise computacional demonstrou que a ligação da palmatina com o sítio ativo da AChE apresenta semelhança espacial com a interação AChE e galantamina, um alcaloide extensamente utilizado na terapia da DA, corroborando com a atividade anticolinesterásica evidenciada nos estudos in vitro. Portanto, os resultados obtidos demonstram que a palmatina apresenta ações promissoras que possibilitam o desenvolvimento de uma nova alternativa terapêutica para a Doença de Alzheimer.

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 130.036.743-15 - ANA AMELIA DE CARVALHO MELO CAVALCANTE - UFPI
Presidente - 1551616 - CHISTIANE MENDES FEITOSA
Externo ao Programa - 3546016 - HILRIS ROCHA E SILVA
Externo ao Programa - 654.275.213-72 - LIDIANE DA SILVA ARAÚJO - USP
Notícia cadastrada em: 26/09/2016 15:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 21/09/2019 08:37