Notícias

Banca de DEFESA: LEILA MARIA DE SOUSA ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LEILA MARIA DE SOUSA ANDRADE
DATA: 26/02/2019
HORA: 15:00
LOCAL: PPG EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS/CCS
TÍTULO: ATIVIDADE ANTIMICROBIANA INTRÍNSECA DE Arrabidaea brachypoda E SUA AÇÃO MODULADORA DA RESISTÊNCIA AOS ANTIBIÓTICOS EM Staphylococcus aureus.
PALAVRAS-CHAVES: Arrabidaea brachypoda; Atividade Antimicrobiana; resistência microbiana; Norfloxacina.
PÁGINAS: 66
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Compostos vegetais são a principal fonte de descoberta de novos fármacos. A enorme biodiversidade brasileira justifica o crescimento significativo dos estudos em busca de novas moléculas biotivas. O gênero Arrabidaea pertence à família Bignoniaceae amplamente distribuída em regiões tropicais. Arrabidaea brachypoda popularmente conhecida no Brasil como “cipó-uma”, “tintureiro” ou “cervejinha do campo”, é um arbusto nativo do cerrado brasileiro, encontrado em vários estados, amplamente utilizada na medicina popular para doenças renais e dores articulares. Estudos comprovam atividades biológicas de suas folhas, raízes e caule. Este é um estudo pioneiro de avaliação das atividades biológicas da flor da A. brachypoda, tem como objetivos avaliar a atividade antimicrobiana intrínseca do extrato etanólico (FLAB-ET), da fração diclorometano (FLAB-DCM) e seus compostos isolados; as chalconas CH-1, CH-2, CH-3 e CH-4, e flavonóides diméricos Brachydina A (BR-A) e Brachydina B ( BR-B). Além disso, avaliar seus efeitos na atividade da Norfloxacina contra cepas de Staphylococcus aureus resistentes a fluoroquinolonas. Foram realizados ensaios de microdiluição para determinação da concentração inibitória mínima (CIM) contra diferentes microrganismos. Os resultados indicaram que FLAB-ET, FLAB-DCM, CH-1, CH-3, CH-4 e BR-A não apresentaram atividade antimicrobiana intrínseca significativa (CIM ≥ 1024 µg/mL) para nenhuma das cepas testadas. Somente CH-2 e BR-B demonstraram atividade antifúngica frente a Candida albicans. Além disso, foram avaliadas as concentrações inibitórias mínimas do antibiótico Norfloxacino, e do corante Brometo de Etídio contra a cepa S. aureus SA1199-B, que superespressa o gene norA que codifica a bomba de efluxo NorA, na ausência e na presença de concentrações subinibitórias de FLAB-ET, FLAB-DCM e dos compostos isolados. Os resultados evidenciaram que FLAB-ET, FLAB-DCM, CH-1, CH-2, CH-3, CH-4 e BR-B são capazes de reduzir a concentração inibitória mínima da Norfloxacina e do BrEt contra esta linhagem, indicando que estes compostos naturais são moduladores da resistência às fluoroquinolinas. Foram realizados também ensaios de efluxo com BrEt, demonstrando que BR-B inibiu o efluxo de EtBr na cepa SA1199-B, confirmando que é um inibidor de NorA. A BR-B isolada foi capaz de inibir um importante mecanismo de multirresistência muito prevalente em cepas de S. aureus, portanto seu uso em combinação com Norfloxacina pode ser considerado como uma alternativa para o tratamento de infecções causadas por cepas de S. aureus que expressam em excesso o efluxo de drogas bombas como NorA.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1313503 - HUMBERTO MEDEIROS BARRETO
Interno - 1167750 - FERNANDO AECIO DE AMORIM CARVALHO
Externo ao Programa - 2153906 - ERIKA DE ARAUJO ABI CHACRA
Notícia cadastrada em: 18/02/2019 15:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 19/10/2019 02:33