Notícias

Banca de DEFESA: CARINA DA COSTA BRAUNA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARINA DA COSTA BRAUNA
DATA: 03/06/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Curso de Farmácia
TÍTULO: USO DE TRIGGER TOOLS NA DETERMINAÇÃO DE REAÇÕES ADVERSAS A ANTIMICROBIANOS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
PALAVRAS-CHAVES: Dano ao paciente. Segurança do paciente. Reação adversa a medicamento. Trigger tools.
PÁGINAS: 106
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Estudos de base hospitalar têm mostrado que aproximadamente 50% dos pacientes admitidos recebem antimicrobianos em algum momento de sua internação. E apesar dos antimicrobianos serem considerados como terapêutica segura, quando usadas racionalmente, são responsáveis por causar reações adversas a medicamentos (RAM) em várias condições do paciente.Considerando este cenário, o presente trabalho tem por objetivo compreender a incidência de reações adversas a antimicrobianos em pacientes internados no Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí, por meio da aplicação da metodologia Global Trigger Tool. A pesquisa foi dividida em dois capítulos. OCapítulo 1 apresenta uma revisão integrativa da literatura que resultou em 14 artigos científicos que evidenciaram a importância da metodologia Global Trigger Tool como incremento na qualidade da atenção ao paciente, por meio da vigilância dos eventos adversos. Os artigos incluídos nessa revisão foram analisados e discutidos de forma descritiva em consonância com o objetivo, sendo evidenciado a necessidade de outros trabalhos que apliquem ferramentas de monitoramento visando a segurança do paciente quanto ao uso de medicamentos. Já no Capítulo 2 o objetivo foi analisar as RAMs a antibióticos aplicando rastreadores, ferramenta adaptada ao Global Trigger Tool e analisadas quanto a características e incidência. Trata-se de um estudo com delineamento transversal e analítico, com coleta de dados retrospectivos utilizando o Aplicativo para Gestão de Hospitais Universitários, para selecionar as prescrições dos pacientes. A população do estudo foi composta por pacientes internados no Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí, com pelo menos 18 anos de idade submetidos à terapia com antimicrobianos, exceto aqueles em antibioticoterapia profilática. Os prontuários foram analisados quanto à existência de no mínimo um dos medicamentos da lista de triggers. As variáveis do estudo foram: características sócio demográficas, diagnóstico da doença de base,classe de antimicrobianos responsável pelas RAMs detectadas, sendo considerado o tipo e a casualidade da reação. O desempenho dos rastreadores propostos também foi avaliado. Entre os tratamentos observados, 497 foram excluídos, por terem sido realizados para fins profiláticos e 1428 atendiam os critérios de inclusão do estudo. 655 (95% IC ± 2,82) foram considerados para análise, sendo encontrados 68 RAMs e 250 triggers. Teste Qui-quadrado mostrou associação significativamente estatística (95% IC p<0.005) na variável faixa etária entre os grupos com e sem reação, sendo que pacientes entre 20 e 59 anos tiveram 1,5 (OR=2,5) mais chance de apresentar reações adversas a antimicrobianos (95%IC p=0,001). Os glicopeptídeos foi a classe de antibióticos com maior número de reações adversas (32,35%), seguida de betalactâmicos (penicilinas + cefalosporinas + carbapenemicos) 18 (26,47%), sendo RAMs do tipo A em 82,35% dos tratamentos e do tipo B em 17,64%. Segundo algoritmo de Naranjo, 88,23% destas RAM foram classificadas como possíveis e 11.77% prováveis. Além disso, um alto valor preditivo positivo, de 0,8, foi obtido para o gatilho de loratadina. Conclui-se que um método ativo de farmacovigilância como o Global Trigger Tool adaptada neste trabalho, promove o conhecimento, a avaliação e a compreensão dos eventos adversos a antimicrobianos padronizados na instituição, contribuindo com o direcionamento das intervenções para reduzir os danos ao paciente, principalmente no que diz respeito à qualidade do cuidado e dos custos com a saúde.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1668358 - ANDRE LUIS MENEZES CARVALHO
Externo ao Programa - 4546016 - HILRIS ROCHA E SILVA
Presidente - 1350350 - MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
Externo à Instituição - MAYARA LADEIRA COÊLHO - FACID
Notícia cadastrada em: 17/05/2019 11:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb02.ufpi.br.instancia1 11/11/2019 22:47