Notícias

Banca de DEFESA: RAISSA SILVA BACELAR DE ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAISSA SILVA BACELAR DE ANDRADE
DATA: 29/11/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Reuniões/ CMRV
TÍTULO: A DIETA HIPERCALÓRICA PODE AGRAVAR A ESTEATOSE CAUSADA PELA PERIODONTITE EXPERIMENTAL EM RATOS?
PALAVRAS-CHAVES: fígado gorduroso, inflamação, doenças periodontais, dieta.
PÁGINAS: 59
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A periodontite trata-se de uma doença inflamatória, de origem predominantemente bacteriana, que acomete os tecidos periodontais de proteção e fixação e influencia em alterações sistêmicas, dentre elas, alterações hepáticas. Alguns fatores, como a migração de bactérias e seus subprodutos, a resposta imunológica e o estresse oxidativo, com a consequente peroxidação lipídica, podem estar relacionados à influência da periodontite  sobre outros sítios do corpo. No fígado, uma das alterações mais relacionadas à periodontite é a esteatose, definida como o acúmulo de lipídios no citoplasma dos hepatócitos. A esteatose, por sua vez, também está relacionada à ingestão de alimentos ricos em gordura e açúcares (hipercalórica). O objetivo deste estudo foi avaliar a extensão e a severidade da esteatose hepática induzida por periodontite de acordo com a ingestão de dieta hipercalórica. Foram utilizadas 21 ratas divididas em três grupos, com sete animais cada: Controle; Periodontite (foi realizada apenas a indução da doença periodontal) e Hipercalórico + Periodontite (recebeu dieta hipercalórica e indução da doença periodontal). As ratas foram submetidas à análise dos seguintes parâmetros periodontais:Índice de sangramento gengival, medida de profundidade de sondagem, mobilidade dentária e alturaóssea alveolar. No tecido hepático foram  dosados os níveis de malondialdeído, glutationa e a atividade de mieloperoxidase. As amostras de fígado também foram sujeitas à avaliação histopatológica. Por fim, foram dosados os níveis séricos de colesterol total, colesterol HDL, glicose, ácido úrico, alanina aminotransferase e aspartato aminotransferase. Os resultados dos parâmetros clínicos da doença periodontal demonstraram que o modelo de indução da doença foi eficaz. A avaliação histopatológica dos grupos com periodontite demonstrou a presença de esteatose hepática, diferentemente do observado no controle. Entretanto, o grupo Hipercalórico + Periodontite apresentou aumento no escore de esteatose com diferença estatisticamente significante em relação aos grupos Periodontite e Controle. Os níveis de malondialdeído, ácido úrico e alanina aminotransferase mostraram-se significativamente maiores no grupo Hipercalórico + Periodontite quando comparados aos demais grupos, enquanto glutationa e colesterol HDL mostraram-se diminuídos. Em conclusão, nossos resultados demonstraram que a dieta hipercalórica agrava a esteatose hepática induzida pela periodontite.

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1750086 - DANIEL FERNANDO PEREIRA VASCONCELOS
Externo ao Programa - 913.964.335-20 - JOILSON RAMOS DE JESUS - IESVAP
Externo ao Programa - 048.746.623-31 - MARCUS VINÍCIUS OLIVEIRA BARROS DE ALENCAR - UFPI
Notícia cadastrada em: 09/11/2018 09:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 06/03/2021 02:21