Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LIZETH MERCEDES MOLINA HERRERA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LIZETH MERCEDES MOLINA HERRERA
DATA: 28/06/2019
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de aula Mestrado
TÍTULO: Prospecção de atividades bioativas de bactérias de solo de manguezal e seus extratos cromogênicos
PALAVRAS-CHAVES: micro-organismos; atividade biotecnológica; pigmentos.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Atualmente, um grande interesse por fontes naturais que possam ser aplicadas para a conservação do meio mbiente e da saúde humana e animal foi despertado. Os microrganismos como fonte principal de recurso biotecnológico tornaram-se uma ótima alternativa para a produção de pigmentos bacterianos, os quais tem histórico de atividade bioativa. Temos como objetivo realizar uma prospecção de bactérias cromogênicas oriundas de solo de manguezal que sofra influência da radiação solar e que seja impactado com a presença de hidrocarbonetos para avaliar o potencial biotecnológico das cepas e seus extratos de pigmentos. As bactérias serão testadas para as atividades de resistência a radiação ultravioleta (UV), degradação de querosene, teste do colapso da gota, emulsificação e fitotoxicidade do líquido metabólico oriundo da degradação do querosene. Os extratos dos pigmentos serão caracterizados por meio da espectroscopia de UV-visível, FTIR e testados quanto à atividade de fotoproteção, degradação de querosene, atividade antimicrobiana e aglutinante. Um total de 90 cepas foi isolado de dois pontos de coleta do solo de manguezal no Porto dos Tatus (Ilha Grande-Piauí), denominados P1 e P2. A partir do crescimento bacteriano em ágar Plate Count Agar (PCA) foi realizada a contagem e observação da morfologia e pigmentação das colônias para isolamento da maior diversidade bacteriana produtora de pigmento. Em seguida os isolados foram caracterizados mediante a técnica coloração de Gram e estão sendo testados quanto aos potenciais de resistência à radiação UV e degradação de hidrocarbonetos. Aqueles isolados que apresentarem teste positivo para as características de resistência a radiação UV e degradação de hidrocarboneto terão seus pigmentos extraídos e testados para as mesmas atividades bioativas. A contagem bacteriana nos Pontos 1 e 2 foi de 4,6 x 10^4 UFC/g e 6,2 x 10^2 UFC/g de solo, respectivamente. Com relação à característica morfotintorial, todas as cepas se apresentaram como bastonetes Gram positivos. Para atividade de resistência a radiação UV, até o momento, foram testadas 30 cepas, das quais, 21 cepas do ponto um (P1) apresentaram resistência a 5 e 15 min. de exposição a UV e 8 cepas do ponto dois (P2) apresentaram resistência aos 5 e 15 min. de exposição. Para o teste de resistência ao querosene foram testadas 9 bactérias (5 do P1 e 4 do P2) que foram crescidas em caldo Bushnell-Hass salino (BH salino) acrescido de 2% de querosene. As cepas testadas até o presente o momento apresentaram potencial de crescimento na presença do querosene e os testes do colapso da gota e estabilidade de emulsificação negativos. Observamos o potencial de 10% das células bacterianas para uso biotecnológico de resistência a radiação UV e crescimento em querosene. Vislumbramos uma capacidade biotecnológica dos isolados e principalmente de seus pigmentos que possam ser utilizados nas indústrias como protetoras da radiação UV para humanos, animais e produtos industrializados de diversas naturezas, bem como para remediação do meio ambiente impactado por hidrocarbonetos. Além de se apresentarem como potencial para o combate da super-resistência de bactérias patogênicas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALYNE RODRIGUES DE ARAUJO - UFPI
Externo à Instituição - JESSICA LUCINDA SALDANHA DA SILVA - UFC
Presidente - 841.003.203-10 - LEIZ MARIA COSTA VERAS - UFPI
Notícia cadastrada em: 07/06/2019 09:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 02:22