Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANDRESSA VERAS DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDRESSA VERAS DE CARVALHO
DATA: 08/12/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Direção do Campus
TÍTULO: “Minha terra tem babaçus”: as mulheres quebradeiras de coco e seus movimentos de resistência
PALAVRAS-CHAVES: comunidades tradicionais; quebradeiras de coco; movimento social; ação política; produção de subjetividade
PÁGINAS: 118
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

O presente projeto de pesquisa versa sobre as mulheres quebradeiras de coco babaçu, reconhecidas enquanto comunidades tradicionais, e que se organizaram politicamente, constituindo o Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), presente em quatro estados: Maranhão, Pará, Piauí e Tocantins. O estudo parte da questão-problema: que processos de subjetivação têm constituído os modos de vida das mulheres piauienses do MIQCB, e como a experiência nesse movimento tem contribuído para produzir singularizações frente as suas lutas cotidianas? Nesse sentido, o objetivo geral é investigar os processos de subjetivação das quebradeiras de coco babaçu piauienses do MIQCB, por meio dos quais essas mulheres têm exercido ação política e produzido resistência, permitindo-as singularizar suas lutas. Os objetivos específicos são: a) conhecer a trajetória das mulheres quebradeiras de coco babaçu em território piauiense; b) conhecer as lutas cotidianas e cartografar os modos de participação e ação política que as quebradeiras de coco têm vivenciado, acompanhado dos seus modos de produzir resistência; c) compreender como essas mulheres vivenciam a experiência no MIQCB e suas implicações subjetivas, e d) compreender como o MIQCB contribui para (re)singularizar o reconhecimento dessas mulheres enquanto quebradeiras de coco babaçu. Trata-se, pois, de uma pesquisa descritiva de abordagem qualitativa, que segue o desenho teórico-metodológico da cartografia. O estudo será realizado na área de atuação do MIQCB no Piauí, no Território do Cocais, mais precisamente no município de Esperantina, onde está localizada a sede regional desse movimento, tendo como participantes as mulheres quebradeiras de coco que integram o MIQCB. A seleção da amostra inicialmente contará com 15 participantes (n=15), e será realizada através de duas técnicas metodológicas: a Bola de Neve, onde os participantes iniciais indicarão novos participantes, e a amostragem por saturação teórica, quando há a interrupção da coleta de dados quando se verifica que o campo de observação não oferece mais novos elementos para fundamentar a teorização. Como recursos metodológicos, serão utilizados a entrevista cartográfica, o ensaio fotográfico, que consiste em uma técnica de autofotografia, por meio da qual as próprias mulheres farão o registro das fotos, que, posteriormente, serão utilizadas enquanto objetos relacionais em uma exposição a ser realizada com o grupo de quebradeiras que participarão do estudo. Também será utilizado o diário de campo para as anotações pertinentes no decorrer do processo de pesquisa. Todo o material será analisado com base no referencial teórico-metodológico da cartografia. O estudo seguirá todos os princípios e normas éticas estabelecidos pela Resolução nº 466/2012 e Resolução nº 510/2016, por meio das quais a participação no estudo será voluntária e consentida mediante o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), onde constará todas as informações necessárias para o esclarecimento da pesquisa. Por fim, o projeto será submetido à aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí. A partir do aceite do órgão mencionado, a pesquisa será iniciada.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2231565 - ANTONIO VLADIMIR FELIX DA SILVA
Externo à Instituição - JOAO PAULO PEREIRA BARROS - UFC
Presidente - 1774313 - JOAO PAULO SALES MACEDO
Notícia cadastrada em: 07/12/2017 11:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 19:55