Notícias

Banca de DEFESA: MATHEUS BARBOSA DA ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MATHEUS BARBOSA DA ROCHA
DATA: 26/11/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Reunião da Direção do Campus
TÍTULO: Nos batuques dos quintais: as interfaces do cuidado em saúde entre religiões de terreiros e equipes de saúde da família
PALAVRAS-CHAVES: Religiões de terreiros; estratégia de saúde da família; interações; cuidado
PÁGINAS: 256
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A criação do Sistema Único de Saúde (SUS) levou a mudanças de perspectivas que resultaram em críticas ao modelo hospitalocêntrico e maior enfoque na Atenção Primária à Saúde (APS). Na realidade brasileira, esse nível é operacionalizado principalmente pela Estratégia de Saúde da Família (ESF). Às ESF’s é incumbido que os mesmos interajam com os espaços sociais da comunidade e promovam cuidados em saúde através de relações democráticas, equânimes e horizontais. Interações da ESF com as práticas de cuidado em saúde promovidas pelos terreiros mostram-se necessárias. O objetivo desse estudo consistiu em investigar os processos de interações entre religiões de terreiros e ESF’s nas ofertas de cuidado em saúde aos territórios em que estão inseridos e aos adeptos/consulentes das religiões afro-brasileiras. Para isso, utilizamos o referencial da Análise Institucional “no Papel”. Os sujeitos foram divididos em três grupos: no primeiro tivemos três líderes de centros religiosos afro-brasileiros; no segundo, praticantes/consulentes desses estabelecimentos religiosos; e no terceiro, os profissionais das três ESF que cobriam os respectivos
terreiros investigados. Como instrumentos, utilizamos entrevistas semi-estruturadas com os líderes religiosos; observação participante das cerimônias espirituais; conversas informais com os consulentes; e uma roda de conversa com cada ESF. Promover saúde nesses espaços expressa perspectivas de cuidado em saúde que se contrapõem às racionalidades biomédicas, positivistas e cartesianas, fazendo referência a terapêuticas como: uso de plantas com finalidades terapêuticas; recebimento de rezas e passes; consultas com cartomantes, com seus jogos de búzios e incorporações; atendimentos com as divindades por meio de jogos de búzios e incorporações; e desenvolvimento de projetos sociais e comunitários. As ESF’s terminam funcionando num viés curativo-preventivista, o que desemboca na premissa de que seriam os profissionais da saúde os detentores “oficiais” das práticas de cuidado. Dentre as possibilidades de dialogias, conseguimos identificar as seguintes: ausência de atividades conjuntas; reconhecimento mútuo sobre a eficácia e a importância do cuidado em saúde promovido tanto pelos terreiros como pelos serviços de saúde; desenvolvimento de ações conjuntas por iniciativa das ESF’s; e atividades promovidas pelos povos de terreiros em decorrência das suas articulações políticas, sendo esse último caminho deveras enriquecedor para se pensar as interfaces serviços-terreiros.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2231563 - ANA KALLINY DE SOUSA SEVERO
Externo à Instituição - JOAO PAULO PEREIRA BARROS - UFC
Interno - 1774313 - JOAO PAULO SALES MACEDO
Notícia cadastrada em: 06/11/2018 11:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 26/09/2022 00:15