Notícias

Banca de DEFESA: ANNE CAROLINE GOMES MOURA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANNE CAROLINE GOMES MOURA
DATA: 26/11/2018
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de reuniões da Direção do Campos
TÍTULO: Medidas de sexting: evidencias de validade e precisão em contexto brasileiro
PALAVRAS-CHAVES: Sexting, Motivação, Atitude, Teoria de Resposta ao Item
PÁGINAS: 140
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A presente dissertação objetivou adaptar e avaliar as propriedades psicométricas, especificamente de validade e precisão das seguintes medidas de sexting: Sexting Motivations Questionnaire (SMQ) e Sexting Attitude Scale (SAS), além de avaliar o parâmetro de discriminação e dificuldade dos itens via Teoria de Resposta ao Item (TRI), a precisão pelo coeficiente alfa de Cronbach (a) com correlações policóricas e por fim reunir evidências adicionais acerca da validade mediante a verificação da validade convergente entre as medidas. Participaram da pesquisa 603 pessoas com idades de 18 a 66 anos, (M = 22,93, DP = 5,91). Para a análise dos dados utilizou-se os programas IBM SPSS e R (versão 21 e R versão 3.4.4), com o primeiro calculou-se as análises descritivas, que serviram para caracterizar os participantes, enquanto que o segundo fora empregado para efetuar as Análises Fatoriais Confirmatórias (AFC), além de se avaliar os parâmetros dos itens através da Teoria de Resposta ao Item (TRI), considerando o Modelo de Resposta Graduada utilizando-se, para tanto os pacotes Lavaan, Psych, SemTools e Mirt, respectivamente. Na Análise Fatorial Confirmatória, se atestou a estrutura trifatorial da SQM e da SAS. Os fatores da SQM apresentaram consistência interna (alfa de Cronbach) de 0,90, 0,91 e 0,94 (com correlações policóricas) e os fatores da SAS apresentaram o alfa de Cronbach de 0,81, 0,75 e 0,76, apresentando também indicadores satisfatórios, da SQM e da SAS, respectivamente: CFI = 0,99; TLI = 0,99 e RMSEA (IC90%) = 0,047 (0,037– 0,057) e CFI = 0,92; TLI = 0,91; χ²/gl = 116/54 e RMSEA (IC90%) = 0,074 (0,067 – 0,081). Portanto, as análises de TRI foram realizadas, verificando-se que os itens dos dois instrumentos discriminaram adequadamente os participantes, quanto ao parâmetro de dificuldade dos itens, em relação a SQM, o fator Propósito Sexual foram os que exigiram menor quantidade de theta para serem endossados, os itens do fator Reforço da Imagem Corporal exigiram dificuldade média de theta para ser a opção de representação dos respondentes, e por fim os itens referentes ao fator razões instrumentais/agravadas exigiram a maior quantidade de traço latente para serem endossados. Na SAS foi observado que os itens relativos ao fator Risco percebido foram os mais facilmente endossados, exigindo um valor mais baixo do traço latente para concordância total acerca do conteúdo do item. O fator Divertido e despreocupado exigiu dificuldade mediana de theta para ser a opção de representação dos respondentes e os itens referentes ao fator Expectativa relacional apresentou-se como o mais difícil, exigindo maior quantidade de traço latente para serem endossados. Foi observado também que alguns itens contribuíram muito pouco para os fatores, como item 15 (fator 1); item 16 (Fator 2) e os itens, 5 e 13 (Fator 3) da SAS.  Então, realizou-se nova (AFC) e a análise de TRI (modelos de respostas graduadas), excluindo os itens que não apresentaram informações psicométrica significativa. O modelo com quantidade menor de itens, apresentou indicadores que atestam sua adequação psicométrica: CFI = 0,95; TLI = 0,94, χ²/gl = 236/62 e RMSEA (IC90%) = 0,084 (0,075 – 0,093), os alfas de Cronbach referentes aos fatores apresentaram respectivamente (α = 0,83; α = 0,81; α = 0,82). Então, sugere-se uma versão reduzida da medida, apresentando 13 itens. No que tange a validade convergente, as evidências apontaram que maioria os fatores da SQM e SAS se correlacionaram, com exceção do fator Razões Instrumentais Agravadas da SQM com o fator Risco Percebido da SAS, que não apresentaram correlação. Estima-se que os objetivos do estudo foram alcançados, conhecendo evidências das medidas a partir da TRI, referendando seu uso em contexto brasileiro.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2730053 - EMERSON DIOGENES DE MEDEIROS
Externo ao Programa - 027.888.154-84 - JORGE ARTUR PEÇANHA DE MIRANDA COELHO - UFAL
Interno - 1867530 - SANDRA ELISA DE ASSIS FREIRE
Notícia cadastrada em: 06/11/2018 14:29
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 19:29