Notícias

Banca de DEFESA: MARIANA MARINHO DE ABREU

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIANA MARINHO DE ABREU
DATA: 21/03/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Google meet
TÍTULO: Mulheres de bairros populares em Caxias-MA: vidas que (re)existem
PALAVRAS-CHAVES: bairros populares; mulheres; resistência; psicologia social
PÁGINAS: 224
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Nossa proposta com o presente estudo é contribuir com a visibilidade da heterogeneidade de situações de opressão, lutas e resistências das mulheres. Porém, propomos fazer de um outro lugar: o das experiências das mulheres nos bairros populares de uma cidade do interior do Maranhão, município de Caxias. Objetivamos assim, investigar as formas como as mulheres que vivem em bairros populares de Caxias-MA vivenciam as estruturas sociais de opressão, seus modos de vida e resistência em suas vivencias diárias. Trata-se de uma pesquisa qualitativa apoiada na proposta teórico-metodológica de produção de sentido no cotidiano que tem como base o construcionismo a partir da Psicologia Social. Participaram cinco mulheres de quatro bairros populares do município de Caxias-MA. Foi utilizado as seguintes técnicas metodológicas: a observação no cotidiano, conversas no cotidiano e entrevista semi-estruturada. Para a análise foi utilizado o mapa dialógico que originou dois eixos analíticos que tratam sobre: a) a história de vida das mulheres, recuperando suas origens, memórias e ensinamentos, bem como as opressões e dificuldades que atravessam suas vidas e b) a trajetória dessas mulheres a partir de seus bairros, suas formas de resistência, forjadas por suas ações sociais criativas, lutas cotidianas e suas contribuições. Em síntese, observou-se que as mulheres atuam enquanto sujeitas ativas em seus bairros buscando por melhores condições de vida, em prol de educação, infraestrutura, a partir da formação de uma rede feminina de sociabilidade e solidariedade a frente de clube de mães, associação de moradores e grupo de dança enquanto formas de resistência. Logo, entende-se que esse estudo pode contribuir com a literatura e discussões sobre mulheres de contextos periféricos de regiões não metropolitanas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1750399 - CARLA FERNANDA DE LIMA
Externo à Instituição - CÂNDIDA MARIA BEZERRA DANTAS - UFRN
Presidente - 1774313 - JOAO PAULO SALES MACEDO
Notícia cadastrada em: 16/03/2022 19:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 26/09/2022 00:41