Dissertações/Teses

2020
Descrição
  • LUIS ANDRES SALAZAR CARABALLO
  • Estudo de associação genômica ampla e análise de tendência genética aplicados à prolificidade na raça Santa Inês
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 28/08/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A inclusão de informação genômica pode auxiliar na identificação de regiões cromossômicas associadas à prolificidade, bem como na avaliação da tendência genética desta característica ao longo dos anos, de modo a auxiliar no entendimento da dinâmica reprodutiva de uma determinada raça. Portanto, objetivou-se realizar um estudo de associação genômica ampla (GWAS) para identificar regiões associadas à prolificidade na raça ovina Santa Inês, assim como uma análise para verificar a tendência genética desta característica na população avaliada. Foram utilizados 1.584 registros de prolificidade ocorridos entre os anos de 2000 e 2018, referentes a 715 fêmeas, em 18 fazendas. O número de animais na genealogia foi igual a 1.696. Destes, 389 indivíduos foram genotipados com o painel Ovine SNP50 BeadChip (Illumina, Inc.). No Capítulo I, foi utilizada a metodologia single-step GWAS (ssGWAS) para a identificação de regiões genômicas associadas à prolificidade. Foram identificadas 21 janelas de 10 SNPs adjacentes que explicaram pelos menos 0,5% da variância genética aditiva para a característica avaliada. Nessas regiões foram identificados genes que, possivelmente, estão envolvidos na secreção de hormônios que influenciam os distintos processos reprodutivos da fêmea, assim como genes envolvidos na manutenção do embrião desde a concepção até a etapa do nascimento. No Capítulo II, foram utilizadas as metodologias BLUP (best linear unbiased predictor) e ssGBLUP (single-step genomic best linear unbiased predictor) para predizer os valores genéticos e estimar a tendência genética para prolificidade na raça Santa Inês. Os resultados deste estudo mostraram que o progresso genético para a característica prolificidade na raça Santa Inês criada na sub-região Meio-Norte do Brasil foi praticamente zero, nas últimas duas décadas avaliadas. Os valores de tendência genética obtidos com uso dos métodos BLUP e ssGBLUP não mostraram diferença aparente. Além disso, foram observadas leves flutuações ao longo da maior parte dos anos avaliados, provavelmente devido ao acaso. Os resultados indicaram que a prolificidade apresenta natureza poligênica na população ovina avaliada, destacando genes associados à manutenção do embrião durante todo o ciclo gestacional. As baixas tendências genéticas podem significar que os esquemas de seleção para prolificidade na raça Santa Inês são inexistentes ou não têm sido efetivos para promover ganhos genéticos.

  • EXPEDITO HENRIQUE ULISSES PEREIRA
  • Métodos de seleção genômica ampla aplicados a dados com distribuição gama sob diferentes tamanhos amostrais e variância fenotípica
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 27/08/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A distribuição de algumas características de importância econômica em animais apresenta comportamento assimétrico; neste caso, os métodos usuais de seleção genômica, baseados em expectativas condicionais, além de impossibilitar a previsão de todas as distribuições de valores fenotípicos, podem sub ou superestimar os efeitos dos marcadores e, consequentemente, os valores genômicos, o que pode comprometer a eficácia do processo seletivo. Objetivou-se com esta pesquisa verificar a sensibilidade e a capacidade preditiva dos métodos genômicos RRBLUP, BLASSO e ssGBLUP, quando a pressuposição de normalidade da variável resposta não é atendida, associado com diferentes tamanhos amostrais, números de animais genotipados e diferentes níveis de variância fenotípica, para verificar o efeito dessa premissa sobre a predição de valores genético e sobre a acurácia preditiva. Dados genômicos foram simulados no software QMSIM sendo o genoma formado por 26 pares de cromossomos autossômicos com tamanho idêntico ao genoma real de Ovis Aires, totalizando 2657 cM. Foram distribuídos 12 mil marcadores bialélicos de forma equidistante considerando a presença de 2.014 QTLs bialélicos distribuídos através de pesos de acordo com o número de QTLs já conhecidos na literatura, com efeito sobre a característica área de olho de lombo (AOL), e supondo no mínimo um QTL por cromossomo, caso não tenha relação com essa característica descrita na literatura. A herdabilidade da característica simulada foi semelhante a AOL, igual a 0,30 e a herdabilidade do QTL foi igual a 0,18. Foram considerados três níveis de variação fenotípica: 5, 10 e 15. Além disso, três tamanhos populacionais foram considerados: 400, 1.000 e 5.000. A comparação dos métodos RR-BLUP e BLASSO nos diferentes cenários e quando os dados fenotípicos apresentavam distribuição gama foi através da análise de resíduos e da acurácia preditiva. As acurácias apresentaram  redução de 7,08% e 7,1%, respectivamente, para os métodos RR-BLUP e LASSO, quando aplicados a  dados fenotípicos com distribuição gama, porém analisados assumindo distribuição normal. Ao comparar os dois métodos, foi verificado uma leve superioridade na acurácia para o método RR-BLUP, quando comparado ao LASSO. No capítulo 2, foi verificada a sensibilidade do método ssGBLUP com diferentes número animais genotipados e com dados que apresentavam distribuição gama, porém analisados assumindo distribuição normal. Ao quebrar a pressuposição de normalidade, a capacidade preditiva do método diminuiu em até 8,4%, com 5.000 animais genotipados, e 14,7% quando apenas 1.000 animais genotipados foram utilizados. Os desvios padrão para os valores genéticos preditos aumentam em até 13 vezes quando a pressuposição de normalidade dos dados fenotípicos não foi atendida. Aumentando o número de animais genotipados, foi verificado o ganho de acurácia de até 9,2% conforme os diferentes cenários estudados para número de animais genotipados e variância fenotípica. Embora inúmeros métodos estatísticos lidem com vários desafios da implantação seleção genômica, o problema da assimetria na distribuição de valores fenotípicos não são comumente considerados. A pressuposição de normalidade para a variável resposta nos métodos de seleção genômica ampla, quando não atendida, diminuem a acurácia preditiva, o que sugere a necessidade de aperfeiçoamento dos métodos existentes. O não atendimento da pressuposição de normalidade associado a pequenos tamanhos amostrais e baixo número de animais genotipados aumentou a distância entre os valores genéticos genômicos preditos e verdadeiros.

  • LUCIANO SOUSA DE BRITO
  • COMPORTAMENTO ALIMENTAR E DESEMPENHO ZOOTÉCNICO DA TILÁPIA (Oreochromis niloticus) SUBMETIDA A DIFERENTES MANEJOS ALIMENTARES
  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 20/07/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o comportamento alimentar e desempenho zootécnico de juvenis de tilápia da espécie Oreochromis niloticus, submetidos a diferentes manejos alimentar. O experimento durou 63 dias, utilizando 200 tilápia com peso médio inicial de 16,56g (+/- 2,73).  Utilizou um delineamento inteiramente casualizado, em arranjo fatorial 2 x 2, com 5 repetições por unidade experimental, representada por 1 tanque de 1.000 L contendo 10 peixes. Os tratamentos tiveram como fatores principais 2 frequências alimentar (2R e 6R) diárias e 2 métodos de fornecimento de ração (AM e AA). Foi avaliado o consumo de ração (CR), ganho de peso (GPT), comprimento do animal (inícial e final), índice hepatossomático (IHS), índice viscerossomático (IVS), parâmetros da água, bem-estar e o comportamento peixes (o tempo de reação ao fornecimento da ração TRF e o tempo total para consumo da ração fornecida TCT). Observou-se que os diferentes manejos empregados interfere no comportamento alimentar sem ocasionar prejuízos ao desempenho zootécnico de tilápia do Nilo. Considerando um melhor manejo alimentar para ganho de peso e conversão alimentar de tilápias, recomenda-se a utilização de 6RAA.

  • DANIELA KUNKEL
  • ENALAPRILATO NA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES E GEL DE ENALAPRIL POR VIA INTRAVAGINAL EM BOVINOS
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 07/07/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A reprodução é vista como um dos principais pilares da cadeia produtiva da carne bovina, pois ela é responsável pela produção do bezerro, considerado a matéria prima dessa indústria. Entretanto, ainda persistem inúmeros pontos de estrangulamento no processo reprodutivo dos bovinos, que podem ser amenizados com a utilização das biotécnicas reprodutivas dentre estas a inseminação artificial em tempo fixo (IATF) e a produção in vitro de embriões (PIV).  Os protocolos de indução e sincronização da ovulação baseiam-se no conhecimento dos hormônios, parácrinos e autócrinos que interagem na função ovariana e dentre esses o Sistema Renina Angiotensina (SRA) ovariano. O enalapril, após administração por via oral, é rapidamente absorvido e, então, hidrolisado no fígado a enalaprilato, que é um inibidor específico da ECA, de longa ação, com meia vida efetiva de 11 horas.  Pesquisas realizadas pelo nosso grupo, com caprinos, têm demostrado que a adição do enalapril a protocolo IATF, aumentou as taxas de prenhez, parição e gemelaridade. Na forma de óvulos vaginais, o enalapril aumentou a percentagem de inseminações intrauterinas por facilitar o relaxamento cervical. Diante desses resultados, o objetivo do trabalho foi estudar alternativas complexação do enalapril com outras substâncias, visando sua aplicabilidade prática nos protocolos de biotecnologia da reprodução em animais, além de verificar os efeitos do enalaprilato na maturação oocitária, fertilização e cultivo de embriões in vitro. Os resultados para o experimento de avaliação da dosagem de enalapril para bovinos administrado por via intravaginal utilizando as concentrações 0,4 mg/kg, 0,6 mg/kg e 0,8 mg/kg não apresentaram diferença significativa (p>0,05) na avaliação da variável pressão arterial média, assim como não houve alteração nos níveis de ureia, creatinina, TGO, TGP e aldosterona. Em relação a utilização do enalaprilato nas concentrações 1 µM, 2 µM e 4 µM em todas as fases da produção in vitro de embriões os resultados demostram que não houve diferença significativa (p>0,05) entre os tratamentos para a taxa de clivagem e para a taxa de blastocisto. Para os tratamentos com A-779 a 2 µM Enalaprilato a 2 µM e Enalaprilato a 2 µM + A-779 a 2 µM não apresentaram diferença significativa (p>0,05) na taxa de clivagem e para a taxa de blastocisto. Com relação à qualidade avaliada por meio das massas celulares interna (MCI), total de células do trofoblasto (TE) e a proporção entre elas, verificou-se em relação ao número de células do trofoblasto (TE) e TC que os tratamentos com A-779, enalaprilato e associação entre eles apresentaram maior número de células em relação ao controle. Quando foi analisada a proporção entre MCI e TC observou-se que 100% dos embriões do tratamento Enal+A779, 65% dos ratados com Enal , 50% do tratados com A-779 e apenas 33,3% do grupo controle estavam dentro da faixa de 20 a 40% de células da MCI, considerada de melhor qualidade. Conclui-se que o enalaprilato não influenciou na produção de embriões bovinos in vitro, quando avaliados pelas técnicas convencianais, porém quando se avalia pelo número de células embrionárias e a proporção entre elas, os tratamentos com o enalaprilato, A-779 e enalaprilato associado com A-779 apresentaram efeito proliferativo para as células embrionárias, em especial para a massa celular interna, e efeito positivo para a qualidade embrionária avaliada pela proporção de células.

  • DÉBORA CRISTINA FURTADO DA SILVA
  • PRODUTIVIDADE, DESIDRATAÇÃO, CARACTERÍSTICAS MICOTOXICOLÓGICAS E VALOR NUTRITIVO DO FENO DE CAPIM-TIFTON 85 (Cynodon spp.) SOB CONDIÇÃO TROPICAL
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 26/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a produção da forragem, desidratação, contaminação por fungos no capim logo após o corte, após o armazenamento e o valor nutritivo do feno de capim-Tifton 85 em função do período seco e chuvoso do ano e altura da planta. Foi adotado o delineamento inteiramente casualizado em parcelas subdivididas 2 x 7 x 3, tendo nas parcelas alturas de (49,8/56,8 cm e 63,3/74,4 cm), nas subparcelas os tempo (0, 3, 5, 7, 8, 9 e 10h00 época seca e 0, 3, 5, 7, 8, 11 e 13h00 época chuvosa) e três repetições. O experimento foi realizado no Departamento de Zootecnia do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí. A forragem colhida com altura 49,8/56,8 cm e 63,3/74,4 cm, quando fenada sob condições de elevada temperatura ambiente e baixa umidade relativa do ar, atinge ponto de feno, com 85% de matéria seca, após 7,4 e 6,6 horas, com taxa de perda de água de 8,02 g/g de MS/h e de 7,3 g/g de MS/h, respectivamente e quando fenada sob condições de elevada temperatura ambiente e alta umidade umidade relativa do ar, atinge ponto de feno, com 80% de matéria seca, após 00h00 horas, com taxa de perda de água 8,02 g/g de MS/h e de 7,3 g/g de MS/h indicando grande efeito das condições meteorológicas na redução do tempo de fenação do capim-Tifton 85. O teor de umidade das amostras foi obtido, após análise do teor de matéria seca, onde foram pré-secas em estufa com circulação forçada de ar (55°C), por 72 horas, moídas em moinho Willey a partículas de até 1,0 mm, e posteriormente secas em estufa a 105°C por 24 horas. Para a verificação da presença de fungos e micotoxinas, foram coletadas 14 amostras compostas. Foram coletadas amostras para determinação da composição química quanto aos teores de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), cinzas, fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA) e com base no N total, Nitrogênio insolúvel em detergente neutro (NIDN) lignina (LIG) e Nitrogênio insolúvel em detergente ácido (NIDA) para o fracionamento de carboidratos e compostos nitrogenados desse material. Para a determinação da degradação in situ serão utilizados dois bovinos adultos, com peso vivo de 450 kg,  providos de cânulas para determinar MS, PB e FDN.

  • SELMA MARIA SANTOS MOURA
  • Morfologia e imunohistoquímica do intestino delgado de camundongos BALB/c experimentalmente infectados com Leishmania (L.) infantum chagasi
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 27/05/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral é uma doença infecto-parasitária causada por um protozoário do gênero Leishmania. Ocorre a partir da migração do parasita da pele para outros locais distantes da área de inoculação via disseminação linfática ou hematogênica e pode causar várias sequelas clínicas que dependem da espécie do parasita e das relações parasita-hospedeiro e constitui um problema de saúde pública no Brasil em função da alta morbidade e mortalidade. Conhecimentos sobre os efeitos da leishmaniose no trato gastrintestinal são escassos, por isso, se realizou este estudo para avaliar as alterações causadas pela Leishmania (L) infantum chagasi na morfologia do intestino delgado de camundongos BALB/c. Para esta pesquisa, foram utilizados trinta e seis (36) animais, divididos aleatoriamente, em três (3) grupos, sendo um controle, sem a inoculação da  Leishmania (GC) e dois Grupos Experimentais I e II (GEI/GEII): animais infectados por com 5x106 promastigotas purificadas de Leishmania (L) infantum chagasi na fase estacionária, em meio RPMI durante 7 e 50 dias, respectivamente. Em seguida, os animais após anestesia e confirmação da ausência dos parâmetros vitais foram eutanasiados para coleta das amostras biológicas. Estas foram imersas em solução de formaldeído 10% tamponado e realizado o processamento histológico de rotina com coloração por Hematoxilina e Eosina (HE). A análise histopatológica foi realizada com auxílio de um microscópio óptico comum e observou-se a desorganização das criptas e vilosidades intestinais com a presença de processo inflamatório com predominância de linfócitos e plamócitos, além de macrófagos e células em mitose.  Os dados foram tabulados em Microsoft Excel, analisados pelo programa PROC GLM (General Linear Models) do Software SAS (Statistical Anslysis System) for Windows versão 9.0. e os testes de Duncan e Tukey foram utilizados para análise estatística. Alterações histopatológicas no intestino delgado dos animais estudados com modificação na morfologia e quantidade de células encontradas foram na parede jejunal.

  • EMANUELA RIBEIRO MOURA
  • EFEITO DO β-CARIOFILENO E ÁCIDO ELÁGICO NA CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN OVINO
  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 25/05/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •         

    A criopreservação de sêmen oferece grandes vantagens para os programas de reprodução ovina, promovendo ganho genético. No entanto, a criopreservação causa crioinjúrias e reduz a qualidade espermática, devido principalmente ao excesso na produção de espécies reativas de oxigênio (ERO) promovendo uma diminuição da motilidade espermática observada após o processo de descongelação. Isso se reflete nos baixos índices de fertilidade das fêmeas inseminadas com sêmen pós-descongelado quando comparados ao sêmen fresco. Porém, isso pode ser melhorado a partir de avanços nas biotécnicas reprodutivas e, principalmente, com as melhorias dos diluidores de preservação de sêmen. Desse modo, é importante pesquisas para avaliar os efeitos de novas substâncias antioxidantes para serem adicionados no diluidor convencional de criopreservação de sêmen, a fim de proteger as células espermáticas desse desequilíbrio na produção de ERO. Sendo assim, pressupõe-se que o β-cariofileno (BC) e Ácido elágico (AE), ambos antioxidantes, podem contribuir para melhorar o desempenho reprodutivo de ovinos aumentando a viabilidade dos espermatozoides após o processo de criopreservação. Portanto, objetivou-se avaliar os efeitos dos antioxidantes (BC e AE) adicionados ao diluidor sobre a qualidade do sêmen de ovinos da raça Dorper após criopreservação. Foram utilizados seis carneiros da raça Dorper provenientes da fazenda Pampulha, José de Freitas, Piauí, Brasil. O sêmen dos animais foi coletado uma vez por semana, durante 16 semanas.  A coleta foi realizada com o auxílio de uma vagina artificial e uma fêmea em estro. As concentrações utilizadas neste estudo foram determinadas a partir da análise de viabilidade celular utilizando o teste de MTT. Foram formados os seguintes grupos experimentais: 1mM; 2mM e 3 mM de BC; e 0,5mM; 1,0mM; 2mM de AE 90 % de pureza e 0,5mM; 1,0mM; 2mM de AE 97% de pureza, adicionados ao diluidor Tris-Gema. O diluidor Tris-Gema, sem adição das substâncias-teste, foi considerado como o grupo controle. O sêmen diluído foi envasado em palhetas e congelado em maquina TK 3000® e armazenadas em nitrogênio líquido. Após no mínimo 15 dias de armazenamento, as amostras de sêmen foram descongeladas em banho-maria e foram feitos os testes in vitro. As amostras foram submetidas à análise espermática assistida por computador (Computer-assisted Sperm Analysis - CASA) para avaliar as características da cinética espermática pós-descongelação. A microscopia de epifluorescência foi utilizada para determinar a integridade acrossomal, integridade da membrana plasmática e potencial de membrana mitocondrial. Foi utilizada a microscopia de contraste de fase para avaliar a motilidade total e o vigor espermático no teste de termorresistência (TTR). Também, foi realizado o teste de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS) a fim de verificar a reação de peroxidação lipídica. Concluiu-se que o β-cariofileno não melhorou a qualidade dos espermatozoides de carneiro após a criopreservação, embora tenha melhorado o potencial mitocondrial, na concentração 1mM, e atenuado o estresse oxidativo, na concentração de 2mM. Ademais, o ácido elágico não melhorou a qualidade dos espermatozoides de carneiro após a criopreservação, conquanto tenha atenuado o estresse peroxidativo, nas concentrações de 0,5 e 1,0mM de AE 97% de pureza.

  • PEDRO EDUARDO BITENCOURT GOMES
  • VITAMINA C E CROMO ORGÂNICO EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE NO PERÍODO DE 22 A 42 DIAS DE IDADE
  • Orientador : AGUSTINHO VALENTE DE FIGUEIREDO
  • Data: 25/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • A temperatura ambiente pode interferir nos índices produtivos, fisiológicos e bioquímicos em frangos de corte. Dessa forma, em regiões de clima quente, torna-se importante o uso de alternativas nutricionais visando melhor produtividade. Objetivou-se avaliar os efeitos da suplementação de vitamina C e cromo orgânico em dietas para frangos de corte, mantidos em condições naturais de desconforto térmico. Utilizou-se 630 frangos de corte machos, para avaliar o desempenho produtivo: consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar, índice de eficiência produtiva e viabilidade criatória, no período 22 a 33 e 22 a 42 dias de idade. Adicionalmente, foi avaliado o rendimento de carcaça e de cortes, peso relativo dos órgãos digestivos e do coração, peso relativo dos órgãos linfoides, bioquímica sérica e parâmetros de qualidade de carne, aos 42 dias de idade, além da temperatura corporal dos animais durante todo experimento. Os tratamentos consistiram em dietas suplementadas com dois níveis de vitamina C:  150 e 300 mg de vitamina C/kg de ração, na forma de ácido ascórbico revestido, associada a três níveis cromo-levedura: 0,3 mg, 0,6 mg e 0,9 mg de cromo/kg de ração e uma dieta controle, sem suplementação de vitamina C e cromo, totalizando sete tratamentos e cinco repetições em cada tratamento. Durante todo o período experimental, os animais estiveram em desconforto pelo calor ambiente, com temperatura média de 26,84±1,68 ºC e ITGU de 78,49. Os níveis de cromo orgânico reduziram linearmente o peso de fígado e influenciou de forma quadrática no peso de bolsa cloacal. Os parâmetros de desempenho, rendimento de carcaça, gordura abdominal, parâmetros bioquímicos e de qualidade de carne não sofreram influência dos níveis suplementares de vitamina C e cromo orgânico, demonstrando que a síntese de vitamina C pelas aves e o cromo presente na dieta basal são suficientes para atender as exigências destes animais para as condições do estudo.

     

    .

  • JULLIET TEIXEIRA DE OLIVEIRA SANTOS
  • IDENTIFICAÇÃO POR BIOLOGIA MOLECULAR DAS LEVEDURAS ISOLADAS NO MICROBIOMA INTESTINAL DO CAMARÃO BRANCO DO PACÍFICO, E POTENCIAL DE APLICAÇÃO DELAS COMO PROBIÓTICO E ADSORVENTE DE AFLATOXINA B1 IN VITRO
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 20/05/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa de compostos naturais, que possam reduzir o dano econômico causado por micotoxinas, podendo atuar como agentes probióticos, é importante para o desenvolvimento tecnológico, econômico e para a sanidade em aquicultura. De um modo geral, as leveduras têm sido utilizadas como organismos modelo na pesquisa genética, molecular e biológica por produzirem substâncias com ação probiótica e adsorvente de micotoxinas. Pelo exposto, nesse trabalho objetivou-se isolar e identificar as leveduras presentes no microbioma intestinal de camarão (Litopenaeus vannamei) cultivados em estuário tropical e testar in vitro a capacidade probiótica e adsorvente de aflatoxina B1 (AFB1) por cepas de Saccharomyces cerevisae isoladas desse microbioma. Para tanto, foram adquiridos 40 L. vannamei com 12 g em uma fazenda carcinicultura piauiense. Foram removidos assepticamente os intestinos individualmente para isolamento as leveduras que forma identificadas por sistema de reação usando um par de primers complementares à sequência ITS (ITS1 e ITS4) par 5.8S rDNA, onde o segmento ITS é amplificado. As cepas isoladas foram enviadas para sequenciamento genético e caracterização das espécies. As cepas isoladas foram Candida spp., Candida tropicalis, Lodderomyces elongisporus, Rhodotorula sp. e Saccharomyces cerevisiae. Para avaliar o potencial probiótico in vitro das três cepas de S. cerevisiae isoladas foram utilizados os testes: da inibição homóloga, da auto-agregação, da co-agregação, da atividade antibacteriana, da viabilidade às condições gastrointestinais e de adsorção de AFB1. Constatou-se que as cepas de S. cerevisiae isoladas possuem potencial probiótico e adsorvente de AFB1 in vitro, apresentam atividade antibacteriana e são viáveis em condições de pH simulados do trato gastrointestinal de L. vannamei.

     

  • DÉBORA ARAÚJO DE CARVALHO
  • DIVERSIDADE GENÉTICA, ANCESTRALIDADE INDIVIDUAL E PADRÕES DE INTROGRESSÕES EM RAÇAS DE GALINHAS IBEROAMERICANAS
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 27/03/2020
  • Mostrar Resumo
  • As raças de galinhas nativas são importantes para o desenvolvimento da produção avícola mundial e de subsistência, contudo apenas 25% das raças de galinhas nativas (Gallus gallus) do mundo estão em algum tipo de programa de conservação. Informações moleculares poderão apoiar esses programas de conservação e utilização dessas raças, auxiliando no progresso de projetos e fornecendo informações importantes sobre esses valiosos recursos genéticos para produção avícola comercial e para o relato da história da humanidade. Dado o exposto, objetiva-se, avaliar através de marcadores microssatélites e DNA mitocondrial, os níveis da diversidade genética, a relação filogenética e os padrões de introgressões existentes entre raças nativas de galinhas brasileiras e de países da Península Ibérica, com o intuito de fornecer subsídios para programas de conservação e uso sustentável da diversidade genética da espécie. A pesquisa foi realizada pela UFPI em parceria com UEMA, UCO e INIAV. Foram utilizados dois tipos de marcadores moleculares (DNA mitocondrial e Microssatélites) para a realização do estudo genético. Foram avaliadas três raças nativas do Nordeste do Brasil, quatro raças de Portugal, nove raças da Espanha, uma do Chile e uma da Nigéria e como grupos controles três variedades comercias, totalizando 21 grupos genéticos. Fez-se uso de vários softwares estatísticos para estimar a nível de DNA nuclear e não nuclear os índices de diversidade nucleotídica, diversidade haplotípica, e as distâncias dentro, entre e para todas as populações incluídas nos grupos que foram formados. As análises filogenéticas mitocondriais apontam que as raças nativas de galinhas brasileiras apresentam múltiplas origens, principalmente de galinhas Europeias, indianas, africanas e chinesas. As três raças de galinhas do Brasil avaliadas pertencem a três grupos genéticos distintos. Sendo a raça Canela-Preta com características genéticas próprias e as Raças Caneluda do Catolé e Peloco compartilham combinações gênicas. Com base nos microssatélites as galinhas do Brasil são mais próximas geneticamente das aves de Portugal, Nigéria e Araucanas do Chile. As raças do Brasil, Portugal e Espanha, contém estruturas genéticas especificas de cada país, o que demonstra a riqueza genética da espécie Gallus gallus. Estes resultados contribuirá diretamente para conservação dessas raças e incentiva a promoção de novas pesquisas genéticas em outros estados do Brasil, bem como em outros países. Estes são os primeiros trabalhos nessa envergadura com raças nativas de galinhas do Brasil em conjunto com Península Ibérica, isto resulta em fortalecimento, valorização e reconhecimento dessas raças no meio científico, bem como na área rural com produtores. Os dados genéticos demonstram que as raças de galinhas nativas constituem um reservatório vasto e importante de diversidade genética para a produção e conservação da espécie Gallus gallus Estimular a produção, bem como a comercialização desses materiais genéticos se faz primordial, pois dessa forma estaria promovendo a conservação e utilização desses patrimônios genéticos, que também deve ser mais estudado a fim de elucidar o real potencial genético dessas aves que se mostram promissoras.

  • LETÍCIA TUANE SOUZA OLIVEIRA
  • Níveis de moringa (Moringa oleífera) em rações para alevinos de tilápias do Nilo: digestibilidade e desempenho
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 20/03/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo destinou-se avaliar a utilização de diferentes níveis da moringa (Moringa oleífera) sobre o desempenho, composição muscular de alevinos de tilápia do nilo, bem como, a qualidade da água dos tanques usados no experimento. Também, avaliou-se a digestibilidade dos principais nutrientes da moringa. No ensaio de desempenho, 300 alevinos de tilápias do nilo, com peso médio inicial de 15,41 ± 0,5 g foram distribuídos, em delineamento inteiramente ao acaso. Os tratamentos experimentais consistiram de quatro níveis de inclusão de folhas desidratadas de moringa (0,0; 5,0; 10,0 e 15,0%) em substituição ao farelo de soja e milho, com cinco repetições, sendo a unidade experimental representada por um tanque de 1000 L, contendo 15 peixes. O experimento teve a duração de 60 dias, em que os tanques eram abastecidos com água de poço e interligados em sistema de recirculação de água, o que permitiu a manutenção de igual qualidade de água, especificamente, para cada tratamento. Para avaliação dos parâmetros de desempenho, foram avaliados o consumo de ração e o peso dos peixes no início e no final do experimento. Aos 60 dias, dez alevinos de cada tratamento foram eutanasiados para análise química do músculo, gordura visceral e determinação do índice hepatossomático dos peixes. Para determinação dos coeficientes de digestibilidade aparente (CDA), os peixes foram distribuídos em dez tanques com capacidade de 300 L, em delineamento inteiramente ao acaso, sendo avaliados o consumo de ração e a quantidade das fezes excretadas, que foram coletadas pelo sistema modificado de Guelph, durante 14 dias. Após a coleta, as fezes foram, devidamente, armazenadas em freezer e congeladas, para posteriores análises. Os parâmetros de qualidade da água (temperatura, oxigênio dissolvido, pH, amônia e nitrito) não foram influenciados pelos níveis de inclusão do farelo da folhas de moringa (P>0,05). Com relação aos parâmetros peso final, ganho em peso, consumo de ração, taxa de crescimento específico e comprimento do intestino de alevinos de tilápias do nilo alimentados com rações contendo diferentes níveis de inclusão de farelo de folhas de moringa, constatou-se que houve diferença significativa (P<0,05) entre os tratamentos. Porém, não foi observada diferença para conversão alimentar aparente, taxa de eficiência proteica, percentual de sobrevivência dos peixes, peso corporal, peso do fígado e da gordura visceral e o índice hepatossomático (P>0,05). Observou-se efeito significativo (P<0,05) na composição muscular dos peixes, para os parâmetros de matéria seca, proteína bruta, extrato etéreo e matéria mineral, em função do incremento de farelo de folhas de moringa nas rações. Os valores dos coeficientes de digestibilidade aparente do farelo de folhas de moringa foram de 65,28; 50,15; 72,50 e 46,59% para matéria seca, proteína bruta, extrato etéreo e matéria mineral, respectivamente. Concluiu-se que o farelo de folhas de moringa pode ser incluído em até 15% nas rações de alevinos de tilápias do nilo sem interferir no desempenho produtivo, além de proporcionar melhor retenção de proteína e minerais no músculo dos peixes.

  • FRANCELINO NEIVA RODRIGUES
  • PASTAGEM NATIVA EM ÁREA DE CAATINGA PARA A PRODUÇÃO DE OVINOS
  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 16/03/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A

    A pastagem nativa da Caatinga é a principal fonte alimentar do rebanho ovino no semiárido piauiense, contudo informações sobre espécies forrageiras, disponibilidade de forragem ao longo do ano e o desempenho de animais são escassas o que pode comprometer a conservação deste ecossistema pastoril. Buscando produzir informações para o manejo racional da Caatinga na produção de ovinos, objetivou-se realizar um estudo sobre pastagem nativa, quanto a dieta dos animais, a dinâmica das plantas forrageiras, disponibilidade de forragem, desempenho animal e custos de produção. O estudo foi realizado em propriedade, localizada no município de Paulistana, território de desenvolvimento da Chapada Vale do Itaim, região sudeste do Estado do Piauí, nos períodos: chuvoso e seco.  A dieta de ovinos foi identificada por meio de estudo Etnobotânico e em seguida foi realizado levantamento fitossociológico em sítios de pastejo. A disponibilidade e oferta de forragem, a variação de peso e escore corporal de matrizes, os índices reprodutivos, peso ao nascer e ao desmame, desenvolvimento de borregas, e custos de produção foram avaliados nos períodos chuvoso e seco. Foram identificadas 20 plantas forrageiras que participam da dieta dos animais, sendo a favela e aroeira as plantas com maior participação. A fitossociologia revelou que a vegetação está em desequilibro com dominância de espécies de sucessão, como o marmeleiro e pereiro. O menor peso das matrizes foi registrado nos meses de maio a julho, período de amamentação das crias e menor oferta de forragem. A taxa de parto observado foi de 95,1% e prolificidade de 1,3, o peso das crias ao nascer foi de 2,6 Kg, e ao desmame foi de 16,7 kg para fêmeas e 19,8 para machos. O melhor desempenho das borregas foi no período seco, com o aporte da serrapilheira, visto que no período chuvoso a oferta de forragem foi menor. Os custos de produção calculados foram elevados, considerado inviável para a sustentabilidade econômica da atividade. A pastagem nativa da Caatinga tem condições para alimentação do rebanho na fase de cria com desempenho zootécnico satisfatório, em situação de baixa taxa de lotação, deste modo grandes áreas de pastagens são necessárias para o manejo dos rebanhos.

  • ANNA MONALLYSA SILVA DE OLIVEIRA
  • EFEITO DA ANGIOTENSINA-(1-7) NA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 09/03/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A produção in vitro (PIV) de embriões é uma técnica que vem se estabelecendo com o objetivo de obter embriões viáveis de fêmeas de alto valor genético. A biotécnica permite o contato entre o espermatozoide e o oócito fora do trato reprodutivo da fêmea, com a formação de um novo indivíduo. No entanto, apesar de ser uma biotécnica versátil e dos esforços realizados, as taxas de sucesso são inferiores àquelas obtidas com embriões produzidos in vivo. Dessa forma, a adição de Angiotensina - (1-7) nos meios de produção in vitro de embriões bovinos foi testada com a finalidade de melhorar a quantidade e qualidade dos embriões produzidos. Foram utilizados o total de 960 oócitos, aspirados de ovários obtidos de fêmeas bovinas abatidas pela Marchantaria Santa Rita e transportados ao Laboratório de Biotecnologia da Reprodução Animal. Sendo que, 480 oócitos foram distribuídos entre quatro tratamentos e seis repetições, cultivados em diferentes concentrações de Ang – (1-7) (Experimento I), sendo elas: G1) Controle; G2) Ang-(1-7) à 1µM; G3) Ang-(1-7) à 2µM e G4) Ang-(1-7) à 4µM. Após o Experimento I, realizou-se o Experimento II, avaliando a influência do antagonista específico da Ang-(1-7), A-779, nos meios de produção, sendo os grupos divididos em: G1) Controle; G2) Ang-(1-7) à 2µM; G3) Ang-(1-7) à 2µM + A-779 à 2µM; G4) A-779 à 2µM. A avaliação da taxa de clivagem foi realizada após 48 horas do início do cultivo e a formação de blastocisto após 168 horas. Para análise dos dados paramétricos foi realizado ANOVA e para os dados não paramétricos, o teste utilizado foi o de Kruskal-Wallys ao nível de 5% de probabilidade. Os resultados foram expressos como média porcentagem. Os dados foram avaliados pelo programa SigmaStat versão 3.5 (Systat Software, Inc). Para avaliação de taxa de clivagem e taxa de blastocisto dos Experimentos I e II, as concentrações testadas de Ang-(1-7) e A-779 não apresentaram resultado significativo quanto a formação de embriões quando comparadas ao grupo controle. Entretanto, quando avaliados individualmente, os grupos apresentam embriões de qualidades diferentes. Conclui-se que a adição de Angiotensina-(1-7) nas concentrações de 1µM, 2µM e 4µM não influenciam na qualidade e nas taxas de clivagem e formação de blastocisto, quando utilizada nos protocolos de Produção in vitro de Embriões Bovinos.

  • JANDSON VIEIRA COSTA
  • MANEJO INTEGRADO DE GRAMÍNEA, LEGUMINOSA E ÁRVORES NA PRODUÇÃO DE FORRAGENS E OVINOS
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 05/03/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A utilização de leguminosas herbáceas é um desafio para a implantação de sistemas consorciados, visto sua baixa persistência nos pastos quando comparadas às gramíneas. Nesse contexto a cunhã (Clitoria ternatea L.) tem se destacado por suas características morfológicas e nutritivas. O estudo foi realizado com o objetivo de avaliar o capim-Massai associado a cunhã ou não para a produção de fêmeas ovinas adultas. foram realizados dois experimentos, no primeiro foi avaliado o capim-Massai associado a cunhã em banco de proteína e o segundo, consórcio entre cunhã e o capim-Massai em sistema silvipastoril com cajueiros. Os experimentos foram realizados no campo experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina- PI. Foram utilizadas fêmeas adultas Santa Inês, com peso médio de 37,5 kg, em método de lotação rotacionada com 28 e 04 dias de descanso e ocupação, respectivamente. O delineamento adotado foi de blocos ao acaso com 2 tratamentos, 2 blocos e 5 piquetes experimentais. Realizou-se a análise de variância dos dados e quando detectadas significâncias, as médias foram submetidas ao teste de SNK a 5% de probabilidade. Foram coletadas/ alturas dos pastos no pré e pós-pastejo por ovinos, ainda no pré-pastejo, foram realizados cortes a 15 cm de altura do solo, para a determinação da massa de forragem, composição morfológica e botânica. A composição química e digestibilidade da MS e MO foram determinados em amostras por meio de pastejo simulado. Para o comportamento ingestivo e consumo foi adotada a metodologia de observação direta, no primeiro e quarto dia de pastejo. O desempenho foi estimado a partir das pesagens realizadas no início, a cada 15 dias e ao final do período experimental. No primeiro experimento foi observado que a altura do pasto de capim-Massai no pré-pastejo foi em média 53 cm, enquanto que no pós-pastejo, o pasto de capim-Massai associado ao banco de proteína foi 5cm mais alto que sem associação (P<0,05). A associação com leguminosa, elevou em, aproximadamente, 50% a produção de forragem (P<0,05). A presença da leguminosa eleva a qualidade da forragem ingerida. Durante 9 horas de avaliação, os animais passaram mais tempo (P<0,05) em pastejo, 4,8h, seguida por ócio, deslocamento e ruminação. Os animais com acesso ao banco de proteína reduziram o número de bocados na gramínea. O consumo da forragem é influenciado pela associação ao banco de proteína, sendo a ingestão da cunhã 56% maior. A associação com banco de proteína resultou em maior variação de peso dos ovinos. E no segundo experimento foi contatado que o consórcio apresentou massa de forragem superior à monocultura (P<0,05). O pasto de capim-Massai exclusivo, apresentou mais plantas invasoras que o consórcio (P<0,05). Embora o sombreamento reduza a temperatura ambiental, não inibe o estresse por calor em ovinos. O consórcio proporcionou maior tempo de pastejo e menor tempo de ruminação (P<0,05). Maior taxa de bocados/min foram observadas na monocultura (P<0,05). A presença da leguminosa influenciou o consumo de forragem (P<0,05) e variação de peso animal (P<0,05), com 54% de aumento no ganho de peso. Dessa forma os resultados levam a afirmar que a associação de cunhã ao pasto de capim-Massai, seja como banco de proteína ou em consorcio, é uma alternativa viável para produção animal por proporciona uma maior massa de forragem com melhor valor nutritivo o que acarreta em maior variação de peso nos animais.

  • EYNER RICARDO ARIAS ZAMBRANO
  • CARACTERIZAÇÃO DE PASTO DE CAPIM-ANDROPOGON E CONSUMO POR CAPRINOS EM UM SISTEMA SILVIPASTORIL
  • Orientador : RICARDO LOIOLA EDVAN
  • Data: 05/03/2020
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a persistência do capim-Andropogon em um sistema silvipastoril (SSP) após oito anos de utilização em comparação ao seu monocultivo. Para a estimativa da massa seca de forragem, composição morfológica do pasto, comportamento em pastejo e consumo da forragem, adotou-se o delineamento de blocos ao acaso (dois) com parcelas subdivididas. A composição química do pasto foi avaliada utilizando um delineamento inteiramente casualizado com parcelas subdivididas, os tratamentos (sistema silvipastoril e monocultura), foram alojados nas parcelas principais e nas subparcelas os meses (março, abril, maio e junho). Não houve interação (P>0,05) entre o sistema de cultivo da pastagem (SSP e monocultura) e os anos de avaliação (2011 e 2019). Para o sistema de cultivo da pastagem a massa seca de forragem total (MSFT) foi maior (P<0,01) para o SSP independente do ano de avaliação. Observou-se interação (P<0,05) entre os sistemas de cultivo e os períodos de pastejo (meses) para as vareáveis altura do dossel e produção de material morto, as outras características estruturais não tiveram interação, no entanto houve efeito (P<0,05), para a produção de MSFT, massa seca das folhas e relação folha/colmo, sendo influenciadas pelos sistemas de cultivo, e os períodos de pastejo. Houve interação para o conteúdo de proteína bruta (P<0,01), os demais componentes nutricionais avaliados, não tiveram interação, embora observou-se efeito para o conteúdo de FDN (P<0,05). O sistema silvipastoril registrou um tempo de pastejo superior (P<0,05), com uma média de 386,7 minuto, no mês de março foram registrados os menores tempos para essa variável (P=0,03), coincidindo com a elevada concentração de fibras na monocultura, para as demais variáveis comportamentais não foram observadas diferenças entre sistemas de cultivo e períodos de avaliação. Não houve diferença significativa (P>0,05) para as variáveis de consumo entre os tratamentos, e os períodos de pastejo, com exceção de g MS minuto-1, sendo superior no mês de marco, coincidindo com o período de maior oferta de forragem de ótima qualidade. Não foram observadas diferenças (P>0,05) para os tipos de bocados, com uma taxa média de 17,8 bocados/minuto-1. O capim-Andropogon cultivado em SSP apresenta persistência ao logo dos anos quando pastejado por caprinos, apresentando elevada produção de massa de forragem com valor químico adequado para a nutrição de caprinos, quando comparado com o seu monocultivo.

  • ALZIRA REGINA SILVA DE DEUS
  • MARCADORES MOLECULARES PARA CARACTERIZAÇÃO DA ESTRUTURA POPULACIONAL, DIVERSIDADE GENÉTICA E RELAÇÕES DE PARENTESCO EM OVINOS SANTA INÊS
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 04/03/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com esse estudo caracterizar a estrutura populacional, a diversidade genética e estimar as relações de parentesco em rebanhos de ovino Santa Inês criados no Meio-Norte brasileiro, através da utilização de marcadores moleculares. Para tanto, coletou-se sangue de 257 ovinos Santa Inês de seis diferentes populações nos estados do Piauí e Maranhão. O DNA extraído do sangue foi qualificado por eletroforese em gel de agarose. Para análises com microssatélite, foram realizadas PCRs a partir de 20 loci recomendados pela FAO. As amostras amplificadas foram genotipadas por eletroforese em gel de poliacrilamida e revelação em nitrato de prata. As análises foram realizadas em diversos programas estatísticos para caracterização populacional, diversidade genética e estimar as relações de parentesco. Para as analises com SNP, o painel Ovine SNP50 BeadChip foi utilizado para genotipagem dos indivíduos, sendo utilizado 47.069 SNPs para gerar a matriz de parentesco. As análises de controle de qualidade foram realizadas através do programa PREGSF90 da família de programas BLUPF90. No Capitulo 1, foram estimados parâmetros populacionais para análise da estrutura populacional e diversidade genética. Todos os loci apresentaram-se altamente polimórficos e com alto poder de descriminação, mostrando-se importantes para esse estudo. Os marcadores demonstraram alto potencial para inferir parentesco, apresentando probabilidade de exclusão maior que 0,74. Cinco dos seis rebanhos apresentaram desvio do equilíbrio de Hardy-Weinberg. O nível de diversidade genética apresentou uma média de 0,89 ± 0,2, mostrando que os rebanhos possuem alta variabilidade genética. Foram detectados indícios de gargalo e erosão genética, sugerindo que as populações estudadas apresentavam moderada diferenciação genética, com ocorrência de migração entre as fazendas. No Capitulo 2, estimou-se as relações de parentesco utilizando marcadores microssatélite e SNP. Para tanto, foram geradas matrizes de parentesco genômico que indicou diferentes graus de parentesco entre pares de indivíduos, sendo as principais relaçções apontadas como irmão completo, meio irmão, pai-filho e não relacionados. Os dados de genótipos dos microssatélite indicaram o estimador DyadML como melhor para analise de parentesco. Os 257 indivíduos estudados apresentarem valores de parentesco médio de 0,3478, onde indivíduos não aparentados e pai-filho mostraram valores próximo ao esperado. A análise com as seis populações separadas apresentaram resultados que seguiu o mesmo padrão da análise com todos os indivíduos. A matriz de parentesco gerada com o marcador SNP apresentou valores de parentesco variando de 0,0919 a 0,6644, corroborando com os valores encontrados com os microssatélites. Nas populações estudadas as relações de parentesco mais frequentes  foram as condizentes com meio irmão ou não relacionados, com o uso de ambos os marcadores. Os resultados encontrados indicam que rebanhos Santa Inês presentes na região Meio-Norte do Brasil apresentam alta variabilidade genética com moderada estruturação populacional. As estimativas de parentesco realizadas através de marcadores microssatélites foram capazes de estimar as relações entre indivíduos com confiança de 95%, indicando a aplicabilidade desse marcador para análise de parentesco. Assim, metodologias como essas podem ser inseridas em programas de melhoramento e conservação de recursos genéticos, oferecendo ganhos tanto para a espécie como para os produtores.

  • EMANUELLE KARINE FROTA BATISTA
  • Toxicidade in vitro e in vivo do extrato etanólico das vagens de Enterolobium contortisiliquum em roedores
  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 28/02/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi investigar os componentes fitoquímicos dos extratos etanólico das vagens de E. contortisiliquum (EEtOH-Ec) coletados nos municípios de Monsenhor Gil, Parnaíba e Teresina/Piauí-Brasil, bem como avaliar atividade citotóxica desses extratos frente a Artemia salina, sua atividade hemolítica, toxicidade aguda e subaguda, ação sobre o ciclo estral e possível ação estrogênica e/ou antiestrogênica em ratas, bem como sua toxicidade sobre o período gestacional e desenvolvimento fetal de ratos. Os frutos coletados foram dessecados, triturados, macerados com etanol PA, filtrados, concentrado em evaporador rotativo e liofilizados. Realizou-se testes fitoquimicos para detecção dos metabolitos secundários. Para avaliação da toxicidade in vitro do EEtOH-Ec das três localidades, foi realizado o bioensaio frente Artemia salina nas doses 1, 10, 100 e 1000 μg/mL e analise da atividade hemolítica em placas de agar-sangue e sangue de carneiro nas doses de 1000 μg/mL e 1000, 500, 250 e 125 μg/mL de EEtOH-Ec, respectivamente. Para avaliação da toxicidade aguda foram utilizados 42 ratos tratados por via oral com EEtOH-Ec das três localidades, nas doses de 300 e 2000 mg/Kg e agua destilada. Para a toxicidade subaguda, ciclo estral, ensaio uterotrófico e gestacional, utilizou-se o EEtOH-Ec de Monsenhor Gil, nas doses de 1000, 500 e 250 mg/Kg. Foram utilizadas 24 ratas Wistar tratadas via oral por 45 dias, para avaliação da toxicidade subaguda e ciclo estral. No teste uterotrófico foram utilizadas 54 ratas imaturas, divididas em nove grupos e tratadas por via oral com EEtOH-Ec e estradiol do 21º ao 25º dia pós-natal. Para a avaliação da toxicidade gestacional e fetal foram utilizadas 24 ratas e 12 ratos, em cada teste. Na toxicidade gestacional avaliou-se o tempo de prenhez, sexo dos filhotes, número de filhotes vivos e natimortos, peso da ninhada e desenvolvimento da prole. Na toxicidade fetal as ratas foram anestesiadas no 21º dia de gestação e submetidas a cesariana. Realizou-se a contagem do número de fetos e sítios de implantação, pesagem do útero gravídico, dos fetos e placenta. Examinou-se os fetos quanto à presença de anomalias, depois foram processados para analise esquelética. Os resultados foram submetidos a Analise de variância seguido pelo Teste de Student-Newman-Keuls (p˂0,05). Na análise fitoquímica detectou-se fenóis, taninos catequicos, flavonas, flavovóis, flavanonas, flavanonóis, triterpenos e saponinas. Os EEtOH-Ec das três localidades apresentaram toxicidade frente a A. salina e hemólise em ambos os testes analisados. Nos ensaios de toxicidade aguda e subaguda, os animais apresentaram mortalidade, diminuição no consumo de ração e no ganho de peso, além de alteração nos parâmetros bioquímicos. Não observou-se alterações sobre o ciclo estral nem ação estrogênica ou antiestrogênica em ratas. Na toxicidade gestacional, na dose de 500 e 1000 mg/kg houve natimortos. Na toxicidade embriofetal não observou-se alteração no numero de fetos e sítios de implantação. Quanto a análise esquelética dos fetos, observou-se um aumento de anomalias nos grupos tratados. Concluiu-se que o EEtOH-Ec revelou a presença de fenóis, taninos catequicos, flavonas, flavovóis, flavanonas, flavanonóis, triterpenos e saponinas. Apresentou toxicidade no bioensaio com A. salina e atividade hemolítica, além de toxicidade aguda e subaguda sobre ratos wistar, pois promoveu morte dos animais e alterações nos parâmetros bioquímicos. Não interferiu sobre o ciclo estral e não apresentou ação estrogênica ou antiestrogênica. Entretanto, causou fetotoxicidade com morte fetal e alterações esqueléticas.

     

  • JULIANA DE ABREU COSTA
  • DESENVOLVIMENTO DE BEBIDA LÁCTEA FERMENTADA ADICIONADA DE CHIA E ACEROLA
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 28/02/2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O reaproveitamento de subprodutos lácteos no preparo de alimentos para consumo humano, reduz o impacto ambiental e favorece economicamente às indústrias. O objetivo desta pesquisa foi desenvolver e caracterizar uma bebida láctea fermentada, utilizando o soro de leite como componente base, acrescida de semente de chia (Salvia hispanica L.) e saborizada com xarope de acerola (Malpighia emarginata). As bebidas lácteas fermentadas foram formuladas no Laboratório do Setor de Laticínios, do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Processamento de Alimentos (NUEPPA) no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí. Foram realizadas análises microbiológicas de Salmonella sp e coliformes; de viabilidade probiótica de Lactobacillus acidophilus e Bifidobacterium; físico-químicas de pH, atividade de água, sólidos solúveis totais, acidez titular total e sinérese; análise sensorial; centesimais de proteínas, umidade, gordura, cinzas, cálculo de carboidratos e valor energético, análise de ácido ascórbico e β-caroteno. Os resultados de acidez titular total variaram de 1% a 1,27%; os de pH variaram de 3,86 a 4,11; os sólidos solúveis totais variaram entre 15,67 a 21,6; os resultados de atividade de água variaram de 0,93 a 0,99; os resultados de sinérese variaram de 46,67 a 68,08. A presença de Salmonela sp não foi detectada, e análise para coliformes, mostrou-se negativa. A viabilidade celular do L. acidophilus na bebida mostrou-se eficiente, e não houve viabilidade celular do Bifidobacterium. Na análise sensorial, as avaliações dos parâmetros cor, sabor, textura e aceitação global, receberam nota mediana 7, e intenção de compra recebeu nota mediana 4. As formulações apresentaram valores de umidade de 74,21% e 74,34%; cinzas de 0,42% e 0,55%; proteínas de 2,93% e 2,99%, matéria gorda láctea de 0,93% e 1,47 %, carboidratos de 20,9% e 21,2% e valor energético de 108,8 e 105,0 Kcal. Os valores para ácido ascórbico variaram entre 222,23 e 418,10 (mg/100g). Os valores para β-caroteno foram de 12,33 μg/g e 8,19 μg/g. As bebidas lácteas fermentadas preparada com base láctea de soro de leite enriquecida com semente de chia e saborizada com xarope de acerola, apresentaram estabilidade físico-química e qualidade higiênico-sanitária satisfatórias, viabilidade celular de L. Acidophilus e não apresentaram viabilidade de Bifidobacterium durante o período de 21 dias de estocagem; não são consideradas probióticas; apresentam boa aceitabilidade sensorial e intenção de compra; apresentaram composição centesimal satisfatórias e pode ser considerada fonte de ácido ascórbico e β-caroteno.

  • LAECIO DA SILVA MOURA
  • AVALIAÇÃO MORFOLÓGICA POR ECOCARDIOGRAFIA CONVENCIONAL EM CATETOS (Tayassu tajacu, Linnaeus, 1758) E OBTENÇÃO DE MEDIDAS AVANÇADAS DE STRAIN POR SPEACKLE TRAKING DE MACACOS-PREGO (Cebus apella, Linnaeus, 1758) CONTIDOS QUIMICAMENTE.
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 28/01/2020
  • Mostrar Resumo
  • Os catetos (Tayassu tajacu, Linnaeus, 1758) são suiformes selvagens pertencentes o gênero Tayassu que apresenta ampla distribuição geográfica. O macaco-prego (Cebus apela, Linnaeus, 1758) é um animal tipicamente encontrado na região Nordeste do Brasil. Rotineiramente, animais desta espécie dão entrada em Centros de Triagem de Animais Silvestres - CETAS, necessitando intervenções clínicas e/ou cirúrgicas. O ecocardiograma é uma ferramenta de imagem não-invasiva de diagnóstico em cardiologia veterinária e humana, amplamente utilizada e útil para a avaliação de uma série de parâmetros cardiovasculares. Neste exame, a avaliação do strain pelo speckle tracking foi incorporado recentemente na medicina veterinária como auxílio ao diagnóstico definitivo assim como na determinação do prognóstico das alterações cardíacas. Esta técnica permite a avaliação quantitativa direta das funções miocárdicas regionais sistólicas e diastólicas. No entanto, poucos trabalhos relataram a utilização deste exame na avaliação cardiovascular de animais silvestres, sendo este o estudo pioneiro a utilizar os modelos animais de catetos e macacos-prego. Este trabalho teve por objetivo descrever dados sobre a função cardiovascular de catetos (Tayassu tajacu Linnaeus, 1758) e de macacos-prego (Cebus apella, Linnaeus, 1758) contidos quimicamente, mantidos em cativeiro, por meio da realização de exames ecocardiográficos em modos B, M e Doppler. Utilizaram-se 12 exemplares de catetos (6 machos e 6 fêmeas). Para os macacos-prego, foram utilizados dezesseis (8 machos e 8 fêmeas), adultos, saudáveis. Para obtenção das mensurações padrões, foram realizadas imagens em modos B, M e Doppler. Nos macacos, realizou-se a análise da deformação miocárdica radial e longitudinal do ventrículo esquerdo pela técnica de strain por speackle traking. Foram analisados um total de 18 segmentos do miocárdio para cada espécime e a média de valores foi utilizada para compor a análise estatística. O presente estudo demonstrou os primeiros valores de referência para medidas ecocardiográficas em modos B, M e Doppler para macacos-prego e catetos contidos quimicamente. Os valores de strain strain rate obtidos mostraram semelhanças com a espécie humana, sugerindo que esta ferramenta pode ser explorada em estudos pré-clínicos utilizando o modelo animal do macaco-prego.

2019
Descrição
  • SHIRLIANE DE ARAUJO SOUSA
  • Identificação de genes candidatos e processos biológicos relacionados a características de carcaça em Ovis aries por meio da genômica comparativa e enriquecimento gênico
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 20/12/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Informações de sequências de genomas de animais juntamente com a utilização dos princípios da genômica comparativa podem trazer novas perspectivas para os programas de melhoramento genético animal. A genômica comparativa aplicada à pecuária envolve o estudo de genes ou regiões de ação biológica conhecida e que estão relacionados com o desenvolvimento ou a fisiologia de características de interesse econômico; isso permite a comparação entre materiais genéticos de diferentes espécies e a extrapolação de informações entre estas. Portanto, objetivou-se com esta pesquisa identificar genes candidatos a características de carcaça em ovinos, por meio da comparação de regiões específicas de DNA da espécie Ovis aries com genes descritos nos genomas de seis espécies referência, além de identificar termos de ontologia e vias metabólicas que incluam os genes descritos na espécie ovina. As sequências do genoma ovino utilizadas neste estudo tiveram como ponto de partida um estudo de associação genômica ampla, no qual foram identificadas 18 e 20 janelas de 10 SNPs adjacentes que explicaram pelo menos 1,00% da variância genética aditiva, respectivamente, para as características área de olho de lombo (AOL) e espessura de gordura subcutânea (EGS). Para o presente estudo, cada janela identificada previamente foi aumentada, com base na maior distância entre 10 SNPs adjacentes. A partir destas janelas, foi realizado um estudo de genética comparativa para identificar genes ou regiões candidatas às características em estudo, com base na comparação com as espécies Capra hircusBos taurusSus scrofaMus musculus, Gallus gallus Homo sapiens. Para a comparação, as sequências de nucleotídeos de todas as espécies foram submetidas à ferramenta BLAST. Após filtragem com base nos parâmetros e-value, identidade e RAG, restaram 2.164 alinhamentos significativos, que tiveram suas funções biológicas analisadas e selecionadas com base nas características associadas à musculosidade e deposição de gordura. Para a identificação de termos de ontologia gênica e vias metabólicas, os conjuntos de genes identificados nas regiões do genoma ovinos foram submetidos a análises de anotação funcional, com uso da ferramenta DAVID. Após as análises de genômica comparativa, foram encontrados quatro genes e duas regiões no genoma ovino que podem ser possíveis candidatos para as características analisadas. Entre os genes já descritos no genoma ovino, presentes nas regiões genômicas avaliadas, 26 e 12 genes foram identificados como prováveis candidatos para AOL e EGS, respectivamente. Os genes presentes nas regiões do genoma ovino possibilitaram a identificação de importantes termos de ontologia e vias metabólicas relacionados com musculosidade e deposição de gordura. O uso da genômica comparativa se mostrou eficiente para a obtenção de predições sobre quais genes e/ou regiões são candidatas às característica de carcaça, o que poderá auxiliar no conhecimento acerca da arquitetura genética dessas características e contribuir para a seleção de ovinos para a melhoria de carcaça. As análises de anotação funcional mostraram que genes relacionados a diferentes características contribuem para a explicação de importantes funções biológicas.

  • WANDERSON FIARES DE CARVALHO
  • EFEITO DA SUPLEMENTAÇÃO COM CONCENTRADO NA QUALIDADE DA DIETA E DESEMPENHO DE OVELHAS NA CAATINGA
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 02/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com esse estudo avaliar a disponibilidade, qualidade da forragem selecionada, comportamento, desempenho, consumo e digestibilidade dos nutrientes por ovelhas, em vegetação nativa da Caatinga, recebendo diferentes quantidades de concentrado (0; 200; 350 e 500 g de concentrado por dia) em diferentes períodos do ano (águas, transição água-seca e seca). O experimento foi realizado de fevereiro do de 2015 a agosto de 2017 e foi conduzido na Fazenda Lagoa Seca, em Cariré, Ceará. Foram utilizadas 40 fêmeas multíparas sem padrão racial definido (SPRD) com peso médio de 34,84±1,75 que tiveram à disposição quatro piquetes de áreas de Caatinga. Os tratamentos foram os três períodos fisiológicos das fêmeas (terço final de gestação; início de lactação e desmame das ovelhas), que coincidirão com a período chuvoso, transição chuvoso-seco e seco (março, maio e agosto) e os níveis crescentes de fornecimento de concentrado (0, 200, 350 e 500 g/animal-1/dia-1, respectivamente). Para verificar a existência de diferenças na composição das plantas selecionadas pelas ovelhas, foi realizada análise multivariada por meio da análise de componentes principais. O delineamento adotado para o comportamento, consumo e digestibilidade foi o inteiramente casualizado, em parcelas subdivididas, tendo nas parcelas os tratamentos (0, 200, 350 e 500 g cab-1 dia-1), e nas subparcelas, os três períodos do ano (chuvoso, transição chuvoso-seco e seco), para os dados relativos ao desempenho das ovelhas e dos cordeiros, foi adotado o delineamento inteiramente casualizado. Não foi observado efeito da suplementação e nem efeito de interação (p>0,05) entre a suplementação e os períodos do ano para a composição química da forragem selecionada pelas ovelhas. O período do ano foi o fator que mais influenciou na composição química da dieta das ovelhas. Baseado na composição química, principalmente dos teores proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e ácido (FDA), nutrientes digestíveis totais (NDT) e digestibilidade in vitro (DIVMS), as ovelhas selecionaram dieta de melhor qualidade no período chuvoso do ano. As ovelhas selecionaram no total 22 espécies de plantas diferentes, sendo que tiveram preferência em selecionar 12 espécies diferentes. Ao se agrupar todas as espécies foi observado que a composição química, o fracionamento dos carboidratos, compostos nitrogenados e disponibilidade energética variou conforme o estrato pastejado, período do ano e família das plantas pastejadas. As plantas dicotiledôneas no período chuvoso promoveram maior aporte energético para a dieta selecionada pelas ovelhas. Por meio da análise dos componentes principais verificou-se que, com base na composição química das plantas preferencialmente selecionadas, foi possível formar grupos homogêneos e que as principais variáveis que influenciaram foram FDA, FDN e PB e as frações A+B1 e C dos carboidratos e C dos compostos nitrogenados, sendo essas variáveis apresentam os maiores escores para qualificar as plantas selecionadas por ovelhas na Caatinga. Foram observadas interações entre as quantidades de concentrado fornecida e os períodos produtivos para o consumo de matéria seca, consumo de matéria orgânica (CMO), proteína bruta (CPB), fibra em detergente neutro (CFDN), fibra em detergente ácido (CFDA), nutrientes digestíveis totais (CNDT), o maior nível de suplementação (500 g cab-1 dia-1) no período chuvoso proporcionou maiores consumos e foi observado efeito linear ascendente da suplementação para os consumos de CMS, CMO, CPB, CFDN, CFDA, CNDT . Não foi observada interação para o consumo de carboidratos não fibrosos (CCNF), consumo de proteína digestível (CPDig) e consumo de energia metabolizável (CEM), sendo que o consumo de CNF sofreu efeito linear ascendente da suplementação em todos os períodos do ano. Não foram observadas interações entre as quantidades de concentrado fornecida e os períodos produtivos para a digestibilidade da MS, PB, FDN e FDA. A digestibilidade da MS, MO e PB foram superiores quando os animais receberam o maior nível de concentrado. A digestibilidade da MS, PB, FDN e FDA foram superiores no período da gestação (chuvoso). A suplementação melhorou o desempenho das ovelhas, mas não teve efeito sobre o desempenho das ovelhas e cordeiros. Não foi observado efeito de interação entre a suplementação das ovelhas e os períodos produtivos para o comportamento e gasto energético das ovelhas em período produtivo. O período do ano em associação com o estágio fisiológico foi o fator que mais influenciou o comportamento das ovelhas. As ovelhas passaram mais tempo em pastejo e ócio no período da gestação (chuvoso). E percorreram maiores distâncias, gastando mais tempo com deslocamento e consequentemente mais energia no período do desmame (seco). A suplementação aumento o tempo de ócio das ovelhas. O estágio fisiológico das ovelhas em associação com o período do ano modifica a seleção dos nutrientes do pasto, o comportamento das ovelhas, o consumo e a digestibilidade dos nutrientes de nutrientes. A suplementação proporcionou maior consumo de nutrientes no período chuvoso e terço-final de gestação no chuvoso e melhorou a digestibilidade dos nutrientes, mas teve pouco efeito sobre o desempenho das ovelhas e das crias, apesar da notável melhor recuperação pós-parto nos animais que receberam mais suplemento.

  • ICARO OLIVEIRA TORRES DE SOUZA
  • AVALIAÇÃO DE OÓCITOS RECUPERADOS POR LOPU EM OVARIOS DE CABRAS INFUNDIDOS COM CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 09/08/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na procura por melhores resultados na PIV em pequenos ruminantes, objetivou-se avaliar o efeito da infusão de células-tronco mesenquimais (CTM) em ovários caprinos na morfologia ovariana, na quantidade, qualidade, maturação, morfológica e morfométrica de oócitos orinundos de aspirações foliculares por laparoscopia (LOPU). Foram utilizadas cabras (n=10) sem padrão racial definido (SPRD), não lactantes, com idade média de três anos e escore da condição corporal (ECC) variando de 3,0 a 4,0. As cabras foram sincronizadas com o uso de esponjas intravaginais com acetato de medroxiprogesterona e aplicações de d-cloprostenol e a estimulação ovariana constituiu-se na administração de FSHp e eCG, em aplicações únicas, feita 36 horas anterior às LOPU’s, e posteriormente as fêmeas foram submetidas a 5 sessões/animal de LOPU com intervalos de 12 dias. As cabras foram divididas em dois tratamentos: T1-CTR (Controle – 5 animais); T2 - CTM (ovários tratados com células tronco mesenquimais – 5 animais). As infusão ovariana com células tronco – CTM, na concentração de 1 x 106 cel/mL, nanomarcadas com Qtracker® e diluídas em 0,2 mL de solução fisiológica (NacL a 0,9%) foram realizada durante todos os 5 procedimentos de LOPU. Os folículos visualizados e aspirados foram contabilizados e os oócitos aspirados classificados de acordo com a qualidade morfológica em Graus I, II, III e IV. Na maturação foram considerados os oócitos com graus I, II e III e submetidos à maturação in vitro em meio TCM-199 acrescido de 2,4 mM de NaHCO3; 2,2 mg/mL de piruvato de sódio; 5 µg/mL de LH; 5 µg/mL de FSH; 100 ng/µl de eGF; 1 µg/mL de estradiol; 50 µM de cisteína; 10% de SFB e 1% de gentamicina, por 24 horas, em estufa incubadora à 38,5°C com 5% de CO2 e 95% de umidade. Para a avaliação dos oócitos cultivados no período de 24h, prosseguiu-se com a coloração de Hoechst e avaliados em microscópio equipado com epifluorescência. Para avaliação morfológica e morfométrica os oócitos desnudos foram filmados e fotografados e as imagens armazenadas no software Image Measurement TRIAL 9.0. Foram realizadas duas medidas do diâmetro do oócito em planos diferentes, para a zona pelúcida e espaço perivitelínico, foram realizadas três medidas obtidas em planos aleatórios da zona pelúcida, para o diâmetro do corpúsculo polar foram usadas duas medidas aleatórias e todas as medias foram usadas para o cauculo estatístico. As características morfológicas do oócito (presente ou ausente) foram avaliadas de acordo com: granulações citoplasmáticas, fragmentação do corpúsculo polar, inclusões citoplasmáticas e vacúolos. As avaliações quanto à morfologia ovariana foi realizada 30 dias posterior à ultima LOPU e infusão de CTM através da avaliação histológica partir do abate dos animais e coleta dos ovários. Todas as análises foram executadas através do programa Statistical Analysis System (SAS Institute Inc., 2002). A avaliação histopatológica dos ovários demonstrou tecido ovariano das amostras dos grupos T1 e T2 com córtex evidenciando folículos ovarianos de primordiais à antrais, corpos lúteos, corpos albicans e região medular com vasos sanguíneos e linfáticos. As alterações observadas foram discretas e focais, caracterizadas por: vasodilatação na região medular, evidente em 25% das amostras do T1 e em 50% do T2, áreas de hemorragia intersticial em 37,5% das amostras do T1, variando de intensidade leve à intensa, e em 25% do T2 em intensidade leve a média, pigmentos de hemossiderina no interstício ovariano em 87,5% no T1 e 62,5% do T2, em ambos de forma leve à moderada. Infiltrado inflamatório mononuclear leve focal, predominantemente linfocítico foi observado em 87,5% no T1 e 62,5% do T2. Não havia corpo lúteo em 37,5% do T1 e 25% do T2 e todas as amostras haviam folículos primordiais degenerados, atrésia folicular e cistos foliculares, ambos em maior quantidade no grupo controle.

  • MARINA REBECA SOARES CARNEIRO DE SOUSA
  • Efeito da suplementação de antioxidantes ao tris-gema sobre a viabilidade espermática do sêmen caprino pós criopreservação
  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 02/07/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Biotecnicas da reprodução como o congelamento de sêmen podem agregar melhoramento genético.  Entretanto, reações de oxidação acabam baixando a taxa de viabilidade espermática pós descongelação. O β-cariofileno é um sesquiterpeno com atividades biológicas, destacando-se a atividade anti-inflamatória e antioxidante. O ácido elágico (AE) é um dímero do ácido gálico apresentando quatro anéis fundidos com quatro hidroxilas, de forte atividade antioxidante. Objetivou-se analisar efeitos antioxidantes e viabilidade espermática do sêmen caprino criopreservado em tris-gema suplementado com diferentes concentrações de β-cariofileno e diferentes concentrações e purezas de AE. Foram realizadas coletas semanais durante sete semanas, totalizando sete ejaculados de bodes da raça anglonubiana por coleta. Após avaliação e formação do pool, este foi divido em quatro alíquotas para avaliação da atividade do β-cariofileno, correspondentes ao grupo tratamento respectivo: controle-0mM, B1-1,0 mM, B2-2,0 mM e B3-3,0 mM; e em sete alíquotas para avaliação da atividade do AE 90% de pureza: controle-0Mm, A1-0,5 mM, A2-1,0mM, A3-2,0mM e AE 95% de pureza: D1-0,5mM, D2-1,0mM e D3-2,0mM. Avaliaram-se a integridade da membrana plasmática, integridade acrossomal, potencial de membrana mitocondrial, cinética espermática (CASA), Teste de Termo Resistência (TTR) e detecção de espécies reativas ao oxigênio (ROS). Os resultados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e ao teste Kruskal Wallis para os resultados não paramétricos. Não houve diferença significativa (p<0,05) em relação ao controle, entre os resultados obtidos para as variáveis e tratamentos estudados pós descongelação β-cariofileno. Entretanto, observou-se redução significativa (p>0,05) dos parâmetros motilidade e vigor no TTR e cinética CASA nas concentrações A3 e D3 e, redução no potencial de membrana mitocondrial na concentração A3 e concentrações D2 e D3, quando comparados ao controle. Ambos os antioxidantes estudados não reduziram significativamente a produção de ROS.  A suplementação das concentrações de β-cariofileno adotadas neste estudo ao diluidor tris-gema não provocaram efeitos na qualidade espermática do sêmen caprino anglonubiano, enquanto, em maiores concentrações do AE (1,0mM e 2mM) causa a diminuição da viabilidade espermática.

  • TAMARA RODRIGUES PEREIRA
  • Análise da resposta ao estresse por calor em caprinos com dados longitudinais e modelo misto com ajustes de variância residual
  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 26/06/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A produção animal pode ser limitada pelas condições climáticas, principalmente em decorrência do impacto de estresse térmico, que pode variar em função da condição fisiológica dos animais. Objetivou-se com essa pesquisa avaliar a resposta de adaptação de caprinos a ambiente quente, com base em parâmetros fisiológicos Temperatura retal, Frequências cardíaca e respiratória, como medidas repetidas em fêmeas. Analisou-se individualmente as características com modelo mistos (modelo de repetibilidade) considerando-se como fixos os efeitos de ano e estação de coleta, o estado fisiológico (gestante ou não gestante), tamanho corporal (Frame) e de idade e, como aleatório o efeito de animal. Analisou-se tambem modelando-se o resíduo considerando ou não classes de idade do animal. Estimou-se a contribuição de cada efeito fixo significativo sobre a média do parâmetro e também do efeito de animal. Considerou-se como positivo usar a modelagem do resíduo e constatou-se efeito mais pronunciado da condição gestação, com ênfase na maior sensibilidade durante o período mais quente do ano. Não houve efeito de idade. A amplitude da variação dos três parâmetros fisiológicos não excede a faixa apresentada por caprinos em ambiente quente, indicando animal adaptado às condições de ambiente avaliado. O efeito da condição fisiológica foi importante, com a gestação relacionada a mais sensibilidade a ambiente quente. Portanto, mostrou ser uma fase da vida do animal que pode ser usada para indicar desconforto térmico em ambiente quente.

  • JOÃO LOPES ANASTÁCIO FILHO
  • Parâmetros genéticos para peso e ganhos de peso diário na fase pré-desmama em caprinos de corte
  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 24/06/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A eficiência da seleção dos melhores animais depende da existência de variabilidade genéticas no rebanho, que é quantificada como parâmetros populacional e usados na avaliação genética dos animais visando ganho genético. Objetivou-se com este estudo, estimar por meio da inferência bayesiana os parâmetros genéticos de características de desempenho, produção e reprodução, em caprinos e assim, predizer o valor genético dos animais destinados para reposição no rebanho. Foram utilizados dados de pesos (Peso ao nascer, Peso ao desmame e Ganho de Peso), idade ao primeiro parto, intervalo deste para o segundo parto, intervalo médio entre partos e prolificidade, mensurados no período de 2001 a 2018. Os modelos animal comparados se diferenciaram pela inclusão ou exclusão do efeito materno, com e sem covariância entre efeitos genéticos diretos e ambiente permanente materno e ainda com e sem efeito comum de ninhada. Utilizou-se o aplicativo THRGIBBS1f90b para estimar os parâmetros genéticos. Foram realizadas as análises de inferência bayesiana, por meio de amostragem de Gibbs, com cadeias de 1.000.000 de ciclos, considerando-se burn-in dos 100.000 valores iniciais, tomados a cada 300 ciclos. A inclusão do efeito comum de ninhada no modelo interfere no particionamento da variância fenotípica. Com o modelo de melhor ajuste foram obtidas as estimativas de herdabilidade direta, ambiente materno. As estimativas de correlação genética fenotípica e ambiental entre as caraterísticas foram com análise bicaraterística.. As estimativas da herdabilidade foram de baixa a moderada amplitude, respectivamente para caracteres de reprodução e pesos, bem como as correlações, que foram mais baixas entre as características de pesos e reprodutivas e mais altas entre as do mesmo grupo funcional

  • ALINE DA SILVA GOMES
  • PARÂMETROS FISIOLÓGICOS DE FÊMEAS BOVINAS NO SEMIÁRIDO PIAUIENSE
  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 19/06/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa será avaliar a tolerância ao calor de bovinos dos diferentes grupos genéticos nas condições climáticas de Campo Maior, Piauí. O trabalho será realizado na Fazenda Sol Posto, pertencente à Embrapa Meio-Norte, em Campo Maior, PI, região de Mimoso, localizado no Nordeste do Brasil. Será adotado delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 4x2x2, no qual serão avaliados quatro grupos genéticos em período seco e chuvoso nos horárias da manhã e tarde. Serão utilizados 40 bovinos machos inteiros (10 de cada grupo genético) de 6 a 12 meses de idade, com os seguintes grupos genéticos: Curraleiro Pé-duro, Nelore, F1 (½ Nelore x ½ Curraleiro Pé-duro), e F2 (¼ Curraleiro Pé-duro x ¼ Nelore x ½ Senepol). Será coletado em cada período durante três dias consecutivos em dois horários, dados de frequência respiratória (FR) contagem dos movimentos do flanco dos bovinos por minuto (mov/min); a frequência cardíaca (FC) e temperatura corporal dos animais e do chão, ainda a temperatura testicular. As variáveis climáticas que serão coletadas durante as coletas de dados fisiológicos: temperatura do ar (TA), umidade relativa do ar (UA) e temperatura de ponto de orvalho (TPO), Temperatura de globo negro (TGN) na instalação no qual será realizado o experimento.

  • CARLOS SYLLAS MONTEIRO LUZ
  • PARÂMETROS FISIOLÓGICOS E COMPORTAMENTAIS DE BOVINOS INFECTADOS COM OOCISTOS DE Cryptosporidium EM PERÍODO SECO E CHUVOSO
  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 18/06/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A ação de parasitas afeta a produção de bovinos provocando redução da produtividade e resultando em enormes perdas econômicas, with this, genetic evaluation of cattle groups to cut and resistance to gastrointestinal parasites in fecal samples and examine correlations between parasitic infection, genetic group, morphometric variables, weight gain and climatic adaptability in the dry season and rainy. O experimento será realizado na Fazenda Santa Luzia, localizada no município de São Raimundo das Mangabeiras – MA, será conduzido adotando-se delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 6x2, no qual serão avaliados seis grupos genéticos em período seco e chuvoso, sendo utilizado 60 bovinos machos de 12 a 24 meses de idade, pertencentes a Embrapa Meio-Norte, com os seguintes grupos genéticos: Curraleiro Pé-duro, Nelore, F1 (½ Nelore x ½ Curraleiro Pé-duro), F1 (½ Nelore x ½ Angus) e F2 (¼ Curraleiro Pé-duro x ¼ Nelore x ½ Senepol) e F2 (¼ Curraleiro Pé-duro x ¼ Nelore x ½ Angus). Serão coletados dados referentes aos parâmetros fisiológicos: frequência respiratória (FR), temperatura retal (TR), frequência cardíaca (FC), termografia infravermelha e volume globular (VG). Variáveis morfométricas: altura da cernelha (AC), altura da garupa (AG), comprimento do corpo (CC) e circunferência torácica (CT); ganho de peso. Análise parasitológica das fezes: identificação de animais positivos para Cryptosporidium spp., contagem de ovos por grama de fezes (OPG) e coprocultura. Variáveis ambientais: temperatura do ar (TA), umidade do ar (UA) e índice de temperatura globo e umidade (ITGU), todas as variáveis serão coletadas em estação seca e chuvosa.

  • RAPHAEL BRISENO FROTA
  • EFEITO DA SUPLEMENTAÇÃO DO DILUIDOR TRIS-GEMA, COM SECREÇÕES GLANDULARES (HOSPEDEIRAS E INFUNDIBULARES) DE GALINHAS SOBRE A VIABILIDADE ESPERMÁTICA EM SÊMEN CAPRINO
  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 18/06/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O estudo teve como objetivo avaliar o efeito da inclusão de secreções de glândulas hospedeiras de espermatozoides e glândulas infundibulares de galinhas domésticas no diluidor para conservação de sêmen caprino. Foram
    utilizados quatro machos reprodutores da raça Pardo Albina, idade em reprodutiva, média de 4 anos, criados em sistema semi-intensivo. Coletas
    de sêmen foram realizadas pelo método de vagina
    artificial, utilizando-se uma fêmea em estro como manequim. Os ejaculados
    foram avaliados quantos aos aspectos físicos e morfológicos para formação de
    um “pool”, sendo fracionados em cinco tratamentos: CG (sêmen in natura),
    G1 (sêmen + TRIS), G2 (sêmen + TRIS + secreção macerada), G3 (sêmen + TRIS + secreção raspado) e G4 (sêmen + TRIS + secreção lavado). O sêmen foi
    resfriado a 5ºc e avaliados às (0h, 2h, 4h, 8h, 12h e 24h). Foram realizadas
    avaliações do sêmen a temperatura de 37ºC (teste termoresistência - TTR), com avaliações a cada hora, de motilidade, vigor, pH, HOST e defeitos morfológicos por 8 horas. A motilidade e outros parâmetros foram superiores nos grupos tratados com secreções de glândulas hospedeiras de espermatozoides e glândulas infundibulares de galinhas domésticas, tanto no teste de termorresistência, quanto na avaliação após descongelamento p<0,05). Desta forma, as secreções do oviduto de galinhas mostram-se promissoras como fonte de substâncias a serem usadas como como aditivos para os diluidores de sêmen.

     


  • ROSANA MARTINS CARNEIRO
  • Barras alimentícias desenvolvidas e otimizadas com pasta de soro de leite e bagaço de caju
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 18/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os objetivos principais da pesquisa foram: desenvolver barras alimentícias a partir de nove formulações – as quais são objeto de depósito de patente – elaboradas pela variação controlada das quantidades dos seguintes ingredientes: pasta constituída de soro de leite e do bagaço do caju (X1), semente de gergelim (X2), farinha de mesocarpo de babaçu (X3) e amêndoa da castanha de caju triturada (X4); investigar o efeito das diferentes proporções dos ingredientes pelo método estatístico de triagem (screening design), consistindo de um Delineamento Fatorial Fracionado (DFF) 24-1, com a adição de três repetições no ponto central, totalizando 11 formulações em três repetições de processamento (n=33), tendo como variáveis dependentes as seguintes características tecnológicas: atividade de água (aW), potencial hidrogeniônico (pH), acidez titulável, sólidos solúveis totais (em ºBrix), relação °Brix/acidez, textura instrumental (dureza e cisalhamento); e utilizar o Delineamento Composto Central Rotacional (DCCR) para otimizar os produtos e encontrar as formulações que obtiverem as melhores características tecnológicas desejadas para os parâmetros supracitados, além dos itens de textura instrumental (fraturabilidade, elasticidade, coesão, mastigabilidade e resiliência) e cor instrumental, com resultados no espaço de cor CIE L*a*b*. A partir do DFF, observou-se que o gergelim e a pasta constituída de soro de leite e do bagaço do caju foram os ingredientes que mais influenciaram (p<0,05) na aW, acidez titulável, °Brix, relação °Brix/acidez e cisalhamento. A otimização das formulações foi feita por DCCR com quatro fatoriais, quatro pontos axiais e três repetições no ponto central. Os pontos axiais (-α e +α) foram calculados pela equação: α = (2N)1/4, e obteve α = 1,41, com duas variáveis independentes (pasta com soro de leite e bagaço do caju – X1 e o gergelim – X2), o que totalizou, novamente, 11 formulações, analisadas em três repetições de processamento (n=33). Pelas análises de ANOVA da regressão, verificou-se que o Fcal em relação aos resíduos foi superior ao Ftab, indicando que os modelos foram válidos e os coeficientes de correlação foram bons (R² > 75%), com os modelos explicando 80,1%, 77,8%, 78,8%, 77,7%, 81,5%, 79,0% e 95,6%, dos resultados de: aW, acidez, °Brix, mastigabilidade, resiliência, L* e b*, respectivamente. Em relação aos objetivos determinados para o DCCR, a formulação 5 proporcionou a melhor opção dentro dos resultados de otimização das características tecnológicas, indicando que a interação entre os menores teores de pasta de soro de leite e do bagaço do caju com os teores no ponto central de gergelim, resulta num produto com 0,52 de aW, 1,82 de acidez total, 32,8 de °Brix, 90,0 de mastigabilidade, 0,02 de resiliência, 52,5 de L* e 25,3 de cor b*, além de ser um produto seguro do ponto de vista microbiológico. Foi possível desenvolver barras alimentícias com características tecnológicas satisfatórias com o uso de resíduos agroindustriais, tendo sido possível maximizar a eficiência do processo e a qualidade das características tecnológicas desejáveis, por meio de planejamento experimental.

    Os objetivos principais da pesquisa foram: desenvolver barras alimentícias a partir de nove formulações – as quais são objeto de depósito de patente – elaboradas pela variação controlada das quantidades dos seguintes ingredientes: pasta constituída de soro de leite e do bagaço do caju (X1), semente de gergelim (X2), farinha de mesocarpo de babaçu (X3) e amêndoa da castanha de caju triturada (X4); investigar o efeito das diferentes proporções dos ingredientes pelo método estatístico de triagem (screening design), consistindo de um Delineamento Fatorial Fracionado (DFF) 24-1, com a adição de três repetições no ponto central, totalizando 11 formulações em três repetições de processamento (n=33), tendo como variáveis dependentes as seguintes características tecnológicas: atividade de água (aW), potencial hidrogeniônico (pH), acidez titulável, sólidos solúveis totais (em ºBrix), relação °Brix/acidez, textura instrumental (dureza e cisalhamento); e utilizar o Delineamento Composto Central Rotacional (DCCR) para otimizar os produtos e encontrar as formulações que obtiverem as melhores características tecnológicas desejadas para os parâmetros supracitados, além dos itens de textura instrumental (fraturabilidade, elasticidade, coesão, mastigabilidade e resiliência) e cor instrumental, com resultados no espaço de cor CIE L*a*b*. A partir do DFF, observou-se que o gergelim e a pasta constituída de soro de leite e do bagaço do caju foram os ingredientes que mais influenciaram (p<0,05) na aW, acidez titulável, °Brix, relação °Brix/acidez e cisalhamento. A otimização das formulações foi feita por DCCR com quatro fatoriais, quatro pontos axiais e três repetições no ponto central. Os pontos axiais (-α e +α) foram calculados pela equação: α = (2N)1/4, e obteve α = 1,41, com duas variáveis independentes (pasta com soro de leite e bagaço do caju – X1 e o gergelim – X2), o que totalizou, novamente, 11 formulações, analisadas em três repetições de processamento (n=33). Pelas análises de ANOVA da regressão, verificou-se que o Fcal em relação aos resíduos foi superior ao Ftab, indicando que os modelos foram válidos e os coeficientes de correlação foram bons (R² > 75%), com os modelos explicando 80,1%, 77,8%, 78,8%, 77,7%, 81,5%, 79,0% e 95,6%, dos resultados de: aW, acidez, °Brix, mastigabilidade, resiliência, L* e b*, respectivamente. Em relação aos objetivos determinados para o DCCR, a formulação 5 proporcionou a melhor opção dentro dos resultados de otimização das características tecnológicas, indicando que a interação entre os menores teores de pasta de soro de leite e do bagaço do caju com os teores no ponto central de gergelim, resulta num produto com 0,52 de aW, 1,82 de acidez total, 32,8 de °Brix, 90,0 de mastigabilidade, 0,02 de resiliência, 52,5 de L* e 25,3 de cor b*, além de ser um produto seguro do ponto de vista microbiológico. Foi possível desenvolver barras alimentícias com características tecnológicas satisfatórias com o uso de resíduos agroindustriais, tendo sido possível maximizar a eficiência do processo e a qualidade das características tecnológicas desejáveis, por meio de planejamento experimental.

  • MARCELO RICHELLY ALVES DE OLIVEIRA
  • ASSOCIAÇÃO DE VERMINOSE COM INFECÇÃO POR PROTOZOÁRIOS DO GÊNERO Cryptosporidium spp. EM CABRAS ANGLONUBIANA CRIADAS NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 17/06/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com o estudo identificar a presença de oocistos de protozoários do gênero Cryptosporidium spp. em amostras fecais de caprinos criados no estado do Piauí e verificar se há relação da infecção com a verminose por avaliação de alterações em parâmetros sanitários e produtivos. A Criptosporidiose é uma zoonose parasitária de distribuição cosmopolita. O Cryptosporidium spp., agente etiológico da doença, tem localização intracelular, completa seu ciclo biológico na superfície de células epiteliais dos tratos respiratório e gastrintestinal e são responsáveis pela síndrome da diarreia aquosa, desidratação, perda de peso, retardo no crescimento e morte dos indivíduos infectados. A Criptosporidiose ocorre com maior gravidade em animais neonatos e imunocomprometidos, causando grandes prejuízos econômicos. Contudo, tal doença é importante por causar prejuízos na produção de caprinos, o que conduz ao objetivo desta revisão, que é discorrer sobre a infecção de caprinos por protozoários do gênero Cryptosporidium spp. no comprometimento da sanidade e por consequência, dos índices produtivos do rebanho. Os protozoários do gênero Cryptosporidium spp., apresentam ciclo de vida monoxeno, ou seja, o realizam em um único hospedeiro. Em caprinos jovens, menores de 30 dias de vida, o sinal clínico habitualmente observado é o de diarreia severa que pode durar de 5 a 20 dias, comprometendo o crescimento destes indivíduos e podendo levá-los à óbito. Existem diversas formas de diagnóstico da Criptosporidiose em caprinos, como o uso de técnicas de coloração em esfregaço fecal e Centrífugo-flutuação, de fácil execução e baixo custo, além de técnicas mais modernas e precisas como a PCR. Pelo conteúdo exposto nesta revisão, é possível concluir que apesar da Criptosporidiose ser uma enfermidade crônica e ainda não ter tratamento efetivo para o combate do seu agente etiológico, tem na prevenção a principal forma de evitar a disseminação da doença no rebanho caprino.

  • RONIELLE PEREIRA RIBEIRO DE SOUSA
  • Isolamento e Caracterização de Células-Tronco Mesenquimais Adipoderivadas de Suínos
  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 17/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • O tecido adiposo é uma importante fonte de células-tronco mesenquimais. As células-tronco  adipoderivadas (CTMA) são de fácil isolamento, processo realizado por procedimento simples de lipossucção, o que favorece à maior quantidade de células em comparação com outras fontes. A utilização das CTMA em medicina regenerativa e engenharia tecidual é promissora principalmente devido ao seu potencial plástico, sua capacidade parácrina na secreção de citocinas, quimiocinas e fatores de crescimento, além da atividade anti-apoptótica, anti-inflamatória, proangiogênica, imunomodulatória e efeitos anticicatrizantes. Este trabalho tem por objetivo caracterizar uma população de CTMA suína, por meio de ensaio de plasticidade, clonogenicidade, cinética celular e imunofenotipagem. A coleta de tecido adiposo foi realizada em dois porcos sadios, com idade entre 70-90 dias, oriundos do criatório de suínos do setor de Zootecnia da Universidade Federal do Piauí. O material foi dissociado mecanicamente em uma placa de petri, sendo adicionado colagenase do tipo I para digestão enzimática, incubado em estufa úmida a 37ºC com 5% de CO2 e 95% de umidade durante 30 minutos. A reação enzimática foi neutralizada pela adição de meio de cultura basal completo alpha-MEM a 37ºC, suplementado. As culturas foram expandidas em garrafas de 25cm2 até a 3 passagem, fotografadas em microscópio invertido. Após o estabelecimento da cultura, foi realizada a avaliação da morfologia celular, ensaio de unidade formadora de colônia, cinética celular utilizando azul de Trypan e MTT, plasticidade e caracterização imunofenotípica. O processo de isolamento das CTMA demonstrou em todas as amostras adesão à superfície plástica e morfologia celular de fusiforme a fibroblastoíde, núcleos esféricos e proliferação em monocamada, comprimento médio de 46,34 ± 13,50µm e largura média de 7,61 ± 1,23µm. No ensaio de UFC foi possível observar a formação de 187 colônias bem definidas. Na curva de crescimento com Trypan as células apresentaram concentração média de 1,69 ± 1 x 105 células por poço cultivado e viabilidade média de 90,94 ± 0,05%, exibindo as fases LAG, LOG, PLATEAU e DECLÍNIO. Quanto ao MTT demonstraram absorbância média de 2,39 ± 0,72, apresentando as fases LAG, LOG e DECLÍNIO, não sendo observada fase PLATEAU. As CTMA apresentaram diferenciação nas três linhagens, adipogênica, osteogênica e condrogênica. Quanto à caracterização por citometria de fluxo expressaram CD14-/CD90+/CD105+. Conclui-se que, o tecido adiposo de suíno apresenta uma população distinta de células-tronco mesenquimais capaz de manter-se em expansão contínua, em cultivo, originando três linhagens celulares mesodermais distintas e expressando os marcadores específicos, o que demonstra a eficácia do método.

  • ELÍS ROSÉLIA DUTRA FREITAS SIQUEIRA SILVA
  • ESTRESSE OXIDATIVO E INTEGRIDADE GENÔMICA IN SITU E IN VITRO DE CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS E PROGENITORAS RENAIS NA REGENERAÇÃO DA ISQUEMIA/REPERFUSÃO EM RIM SUÍNO
  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 10/06/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A terapia com células-tronco mesenquimais (CTM) e células progenitoras renais tem demonstrado interesse nas pesquisas devido a sua possível capacidade regenerativa e imunossupressora em diversas nefropatias, incluindo a lesão de isquemia-reperfusão renal (IRR). Contudo, para a aplicação clínica dessas células deve haver uma extensa segurança com estudos direcionados a manutenção das condições de cultivo durante sua expansão e com observância em ensaios clínicos experimentais. O objetivo deste estudo foi avaliar o estresse oxidativo e os danos de DNA in situ e in vitro, a proliferação e apoptose celular, e a angiogênese, no tratamento da lesão renal em suínos. Foram utilizadas células-tronco mesenquimais (CTM) da medula óssea e células progenitoras (CPR) do córtex renal de suínos utilizando passagens precoce, terapêutica e tardia para análise do cultivo durante a expansão. Para avaliação in situ 15 suínos foram submetidos à IRR por indução cirúrgica e receberam a terapia celular, os quais foram divididos em três grupos: Controle (GC), tratamento com CTM (GE1) e com CPR (GE2). Foram coletados fragmentos de tecido renal mediante biópsias seriadas para análise da proliferação celular, apoptose e a angiogênese por imuno-histoquímica, avaliação do dano de DNA pelo ensaio de cometa, e o estresse oxidativo pela mensuração dos níveis de peroxidação lipídica (TBARS), nitrito e atividade de enzimas antioxidantes (glutadiona reduzida-GSH e catalase). A estatística dos dados obtidos foi realizada por meio da Análise de Variância (ANOVA) seguida do teste de Tuckey e Neuman-Keuls. Na caracterização imunofenotípica de CTM observou-se marcação CD14-, CD24-, CD133-, CD105+, CD90+, CD106+ e CD140b+ e para CPR obteve-se marcação CD14-, CD24-, CD133+, CD155+, CD90+, CD106+ e CD140b+. A curva por MTT demonstrou viabilidade celular até o dia 15 para CTM e dia 21 para CPR. As duas linhagens apresentaram a passagem inicial com alto nível de apoptose e baixo de necrose, bons resultados na instabilidade genômica. As passagens de CPR demonstraram melhores resultados na análise de TBARS e nitrito, quando comparadas às CTM com atividade de enzimas antioxidantes preservadas durante o cultivo para as duas linhagens. No ensaio in situ, foi verificado que animais do GC, GE1 e GE2 apresentaram marcação semelhante para proliferação celular nos túbulos renais, diferindo, apenas em relação às células glomerulares no dia 4 e intersticiais (p<0,05) no GE1. Já, quanto à mensuração de células apoptóticas o GC obteve maiores níveis que o GE1 e o GE2, exceto no dia 8 do GE1. A expressão da angiogênese não demonstrou diferença estatística significativa entre os grupos, no interstício e túbulos renais, no entanto, nos glomérulos e nos vasos peritubulares, a expressão do marcador, prevaleceu no GE2. Na análise do estresse oxidativo, o G1 se destacou, com altos níveis de TBARS e nitrito com baixa atividade das enzimas antioxidantes (p<0,05). Ainda, quanto aos danos de DNA, nos animais do GE1 apresentaram maior frequência e índice comparados aos do GC negativo e GE2, com uma redução durante os dias no GE2. Com base nos achados dessa pesquisa, as células-tronco mesequimais e progenitoras renais apresentaram-se satisfatórias na passagem precoce in vitro e com melhores resultados na regeneração renal in situ quando comparadas aos suínos não tratados. Ademais, referentemente, ao estresse oxidativo e ao dano de DNA, os ensaios com células progenitoras renais, demonstraram maior eficácia.

     

  • FRANCISCO DAS CHAGAS RIBEIRO MAGALHÃES NETO
  • Carga parasitária por qPCR de Leishmania infantum de gatos (Feliscatus) naturalmente infectados em área endêmica para Leishmaniose visceral.
  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 22/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • Foram examinados 307 gatos domésticos, os quais foram submetidos a anamnese para verificar a ocorrência de sinais clínicos relacionados à leishmaniose, aspirado de linfonodo poplíteo e medula óssea (MO) e raspado de pele quando havia lesão para confirmar a infecção pela pesquisa direta de Leishmania.  Os animais são provenientes de estudo paralelo randomizado que iniciou previamente e executou-se conjuntamente a este, foram encontrados em todas as zonas demográficas das áreas urbanas da cidade de Teresina. As amostras de medula óssea dos gatos infectados foram submetidas ao método molecular de PCR para quantificação da carga parasitária absoluta nos animais e ainda foram submetidos a xenodiagnóstico para verificar a infecção do vetor. Os resultados deste estudo mostram que a maioria dos felinos naturalmente infectados por L. infantum apresentam uma carga parasitária alta na MO, foi observada a prevalência de 6,51% no exame parasitológico e 5,53% no qPCR em amostras de MO. Ademais, os sinais clínicos observados nos animais com LVF na maioria dos gatos positivos variaram em quantidade de (0-7), os quais predominavam em ordem decrescente de frequência: linfonodo aumentado, emagrecimento, alopecia na orelha, alopecia generalizada, lesões perioculares, lesões de pele e nódulos na pele, lesões na orelha, uveíte, cegueira, blefarite, secreção ocular. Dentre as comorbidades presentes foram identificadas Anaplasmose, Malasseziose, sarna demodécica, sarna sarcóptica e otite. Foram estudados 20 animais infectados, amostras 18 destes foram quantificadas para L. infantum pelaqPCR, 12 foram submetidos ao xenodiagnóstico e 8 infectaram o vetor (67%). A frequência de insetos alimentados por animal variou de 87% a 100% e de insetos infectados variou de 22% a 94%. Este estudo destaca o comportamento da carga parasitária em gatos infectados com Leishmania infantum em região endêmica para LV e sua correlação com os aspectos clínicos da leishmaniose visceral (LV) em felinos no Nordeste brasileiro, onde foi detectada carga parasitária por qPCR elevada na MO da maior parte dos gatos infectados. Observou-se ainda correlação negativa entre a carga parasitária e os sinais clínicos presentes nos gatos infectados, correlação negativa entre carga parasitária de L. infantum e a infectividade do vetor biológico (Lu. Longipalpis), porém foi aferido correlação positiva entre os sinais clínicos presentes nos gatos infectados e o grau de infectividade do vetor.

  • MARIA DULCEYELENA CALIXTO DE SOUSA
  • Massa de forragem e valor nutritivo do capim-tifton 85,sob diferentes alturas de corte, consorciado com leucena
  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 17/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho objetivou-se avaliar a produção de forragem e o valor nutritivo do capim-tifton 85 e da leucena cultivados em consorcio O trabalho foi conduzido na Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina - PI, durante o período de maio de 2018 a janeiro de 2019. A área experimental utilizada foi 257.4 m², formada por leucena cultivada em linhas e entre estas o capim tifton – 85. A leucena foi cortada em idades de rebrotação entre 42 e 51 dias e o capim nas seguintes alturas: 25; 35;45 e 55 cm. Foram avaliados a produtividade da gramínea e da leguminosa, a interceptação luminosa (IL) do capim, e o s teores de proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), lignina (LIG), cinza (CZ), digestibilidade in vitro da materia seca (DIVMS) e orgânica (DIVMO). O delineamento experimental adotado foi em blocos casualizados, sendo distribuídos em cinco blocos com quatro tratamentos. O crescimento do capim foi linear, com massa de forragem de 1750,99 kg aos 25 cm de altura e 3737,90 kg MS háˉ¹ aos 55 cm. O maior valor de IL foi 92,64% com o capim aos 55 cm de altura. Para a leucena a  massa de forragem média foi1000 kg de MS háˉ¹. Entre as alturas de 25 e 55 cm o teor de PB do capim caiu de 12% para 10% e o teor de FDN aumentou de 78 para 82%, A DIVMS foi 47% na menor altura do capim com valores médios de 35% nas alturas de 45 e 55 cm. A leucena além de contribui com o aumento da massa de forragem para os cortes a partir de 35 cm, também melhorou a qualidade da foragem no sistema, uma vez que PB variou de 21 a 30%, o teor de FDN foi 51% e a DIVMS entre 61 e 70%. A altura entre 35 e 45 cm é indicada para o corte do capim tifton -85 em consorcio com leucena.  

  • JOÃO RODRIGUES DE AZEVEDO NETO
  • Terminação de ovinos em pastagem de capim- marandu suplementados com farelo de estilosantes Campo Grande
  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 16/04/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o potencial nutricional do farelo de estilosantes Campo Grande na suplementação de ovinos em terminação na pastagem de capim-braquiária cv. Marandu. Ovinos foram manejados na pastagem e submetidos aos seguintes tratamentos t1 – pastejo em capim marandu com suplemento controle (farelo de soja e milho) ; t2 – pastejo em capim marandu com suplemento com 25% de farelo de estilosantes (FE); t3 – pastejo em capim marandu com suplemento  com 50% de FE e t4 – pastejo em capim marandu com suplemento com 75% de FE. Os tratamentos foram alocados de acordo com delineamento fatorial em blocos casualizados, oito tratamentos e seis repetições (animais), com as dietas nas parcelas principais (quatro dietas) e o ciclo de pastejo (dois) nas sub parcelas. Avaliou-se o consumo de suplemento, o ganho de peso diário (GPD), qualidade de carcaça, comportamento ingestivo em pastejo e viabilidade econômica. Não houve interação entre ciclos de pastejo e nenhuma das variáveis, a massa de forragem do pasto foi 3.223,12 kg de matéria seca (MS) /ha. As dietas contendo farelo de estilosantes, não influenciaram (P<0,05) o comportamento ingestivo dos ovinos quanto ao tempo de pastejo, ócio e deslocamento. O consumo de nutrientes do suplemento foi similar ao controle até o nível de 50% de farelo (0,268kg/dia), enquanto os animais que receberam suplemento com 75% FE, consumo foi menor (P<0,05) (0,179 kg/dia). Não houve diferença (P>0,05) no ganho de peso diário (86,63 g/dia), área do olho de lombo (AOL) e profundidade (PROF). Os custos dos suplementos foram crescentes com o aumento do FE devido ao incremento do óleo na composição destes para equilibrar o nível energético com o suplemento controle. A suplementação a base de farelo de estilosantes é uma alternativa para compor suplementos para  de ovinos em pastagem de capim-Marandu. É necessária a realização de pesquisa para identificar fontes de energia para compor suplementos com estilosantes.

  • DANILO RODRIGO SILVA E SILVA
  • Balanço eletrolítico dietético para frangos de corte: perfil hematológico
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 16/04/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de diferentes níveis de balanço eletrolítico dietético (BED) sobre os parâmetros hematológicos, hemograma e perfil bioquímico de frangos de corte em estresse por calor cíclico. Foram utilizados 1050 frangos de corte machos da linhagem Ross, para duas fases experimentais: fase 1 (frangos de 1 a 21 dias de idade) e fase 2 (frangos de 22 a 42 dias de idade). As aves foram distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, constituído por cinco tratamentos (110; 175; 240; 305; 370 mEq de BED/kg) e sete repetições, sendo que para as análises hematológicas foram utilizadas duas aves de cada repetição, uma para avaliação do hemograma e outra para avaliação bioquímica, coletados no final de cada fase experimental. Para a fase de 1-21 dias de idade,  as variáveis número de hemácias (Hem), volume corpuscular médio (VCM) e Cloro sérico (Cl) apresentaram efeito linear (P<0,05) dos níveis de BED. Não houve efeito (p>0,05) sobre as variáveis volume globular (VG), proteína plasmática total (PPT), número de leucócitos (Leu), heterófilos (Het), linfócitos (Lin), eosinófilos (Eos), basófilos (Bas), monócitos (Mon), cálcio (Ca), fósforo (P), ácido úrico (AU) e uréia (U). Para a fase de 22 – 42 dias de idade,  houve efeito (p<0,05) quadrático para as variáveis número de leucócitos (Leu) e heterófilos (Het), e efeito linear para a variável fósforo sérico(P) e diferença significativa (p<0,05) entre as médias variável ácido úrico (AU).  Não houve efeito (p>0,05) sobre as variáveis volume globular (VG), número de hemácias (Hem), volume corpuscular médio (VCM), proteína plasmática total (PPT), número de linfócitos (Lin), eosinófilos (Eos), basófilos (Bas), monócitos (Mon), Cloro (Cl), Cálcio (Ca) e uréia (U).  A suplementação dos níveis de 110, 175 e 240 mEq de BED/Kg de ração, para a fase de 1 a 21 dias apresentaram os melhores resultados na avaliação hematológica e bioquímica, pois proporcionaram aumento da sobrevida das hémacias, sem promover desequilibrio metabólico. Para a fase de 22 a 42 dias os níveis de 268 a 280 mEq de BED/kg de ração apresentaram melhor resposta do sistema imunológico dos frangos nesta fase.

  • KALLIANY KELLZER DA SILVA
  • ZINCO E VITAMINA C PARA FRANGOS DE CORTE NO PERÍODO DE 22 A 42 DIAS EM CONDIÇÕES DE ALTAS TEMPERATURAS
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 08/04/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa foi desenvolvida para avaliar o efeito da suplementação de zinco orgânico associados a vitamina C em dieta de frangos de corte, no período de 22 a 42 dias de idade, estressados por condições naturais de calor sobre os parâmetros de desempenho, características de carcaça e de órgãos digestivos e metabolicamente ativos. Foram utilizados 700 pintos machos da linhagem Ross, com peso médio inicial de 974,86 g ± 8,46. As aves foram distribuídas em delineamento de blocos ao acaso, em esquema fatorial 3x2+1, com sete tratamentos e cinco repetições de 20 aves por parcela experimental, totalizando 35 boxes, sendo avaliados três níveis de zinco na forma orgânica (40, 80 e 120 ppm) associados a dois níveis de vitamina C (200 e 400 ppm) e uma dieta controle. Os parâmetros de desempenho foram avaliados dos 22 aos 42 dias de idade, enquanto os inerentes às características de carcaça, órgãos digestivos e metabolicamente ativos aos 42 dias de idade das aves. A suplementação de 400 mg de vitamina C/kg de ração, independentemente do nível de zinco, promove aumento do ganho de peso, consumo de ração, índice de eficiência produtiva e do peso da Bursa de frangos de corte, no período de 22 a 42 dias de vida, em condições de estresse por calor, sem interferir no rendimento da carcaça e dos principais cortes. Os níveis de zinco, a partir 79,4 mg, associados a 400 mg de vitamina C/kg de ração interferem, positivamente, no peso do timo na fase de 22 a 42 dias de vida de frangos de corte, enquanto o peso da carcaça e do peito, a partir do nível 95 mg de zinco/kg de ração, em condições de estresse por calor, na fase de 22 a 42 dias de idade, enquanto o peso do intestino decresce.

  • LENIZA LUIZA OLIVEIRA NASCIMENTO
  • APROVEITAMENTO DE SORO DE QUEIJO COALHO PARA DESENVOLVIMENTO DE BEBIDA LÁCTEA SABORIZADA COM BURITI E COENTRO
  • Orientador : MARIA MARLUCIA GOMES PEREIRA NOBREGA
  • Data: 29/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O soro do leite é resultante da coagulação do leite no processo de obtenção de queijos e é considerado um produto de importante valor nutricional. O aproveitamento do soro ainda ocorre de forma reduzida, tendo em vista, os vários fatores, que tornam os custos elevados, bem como, no tocante ao seu descarte que também representa custos e pode torna-se um sério problema ambiental, quando não tratado corretamente. Por outro lado, estudos têm sido realizados com a perspectiva de aproveitamento do soro na sua quase totalidade de forma simples e acessível. Neste contexto o objetivo do trabalho foi desenvolver cinco formulações de bebida láctea pasteurizada que variavam na concentração do soro e do leite, sendo o aproveitamento do soro do leite resultante da produção de queijo coalho. Como aditivos foram utilizados a polpa de buriti (Mauritia flexuosa L.) e coentro (Coriandrum sativum L.).  As formulações foram submetidas analise sensorial, microbiológicas, físico-quimicos e compostos bioativos. Para analises microbiológica foram feitas contagem de aeróbios mesófilos, coliformes a 35ºC e 45ºC,

     

     

     

  • YAGO GABRIEL DA SILVA BARBOSA
  • Análise estereológica e ultramicroscópica da pele saudável de cutias (Dasyprocta primnolopha) adultas criadas em cativeiro
  • Orientador : NAPOLEAO MARTINS ARGOLO NETO
  • Data: 29/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na dermatologia, persiste a tradição morfológica de obtenção de dados essencialmente qualitativos. A estereologia é um conjunto de técnicas que combinam estatística com observações bidimensionais, para obter informações quantitativas sobre características tridimensionais. Desta forma, permite a obtenção de dados matemáticos, os quais são mais fidedignos que hipóteses baseadas exclusivamente em evidências morfológicas qualitativas. Ao contrário de outros roedores, na espécie cutia (Dasyprocta prymnolopha), pouco se conhece sobre estratos epidérmicos e anexos cutâneos, perdurando significativas incertezas sobre a caracterização da pele saudável. O objetivo deste projeto foi Investigar as possíveis variações estereológicas e ultraestruturais no volume absoluto dos estratos epidérmicos e anexos cutâneos da pele saudável de cutias. Foi adotado um delineamento casualizado, composto de 10 cutias saudáveis, divididas em dois grupos, nomeados conforme o sexo do animal, machos (GM) e fêmeas (GF). Foram avaliadas três amostras de pele saudável, de cada animal, obtidas de quatro pontos anatômicos: região dorsal tóraco-lombar, região plantar do coxim do membro pélvico, região ventral mesogástrica e região lateral da articulação do joelho. As amostras cutâneas foram processadas histologicamente para análise em microscopia óptica e de força atômica. Foram avaliadas 120 amostras, 60 para cada sexo. As variáveis mensuradas foram volume absoluto dos estratos basal (VEB), espinhoso (VEE), granuloso (VEG), lúcido (VEL), córneo (VEC), folículo piloso (VFP), glândulas sebáceas (VGS), glândulas sudoríparas (VGU), fibroblastos (VFB) e colágeno (VCO). Identificaram-se relevantes diferenças morfológicas quantitativas e qualitativas nas amostras de biopsia avaliadas, referentes a pele fina e pele espessa. A pele fina de cutias apresenta aumento do volume de glândulas sebáceas, quando comparado a outras espécies. A organização destas glândulas, visualizadas por microscopia de força atômica, sugerem uma apresentação como extrato independente. Tal característica é particular na pele fina da espécie estudada e não foram identificadas similaridades com outras espécies. Analogamente, o extrato espinhoso é mais desenvolvido na espécie cutia que outros roedores tomados em comparação, com os corneodesmossomos identificados em microscopia de força atômica apresentando projeções cruzadas evidentes. Ao contrário de outros roedores, o extrato mais desenvolvido na espécie cutia é o extrato basal, denotando relevante atividade mitótica para reposição celular. A região de joelho não se mostrou espesso como acontece nas demais espécies e região de coxins foi a mais espessa dentre analisadas. Na região de pele espessa não foi evidenciado extrato lúcido na microscopia de força atômica como comumente é verificado em inúmeras outras espécies. Desta forma, a pele de cutias apresenta relevantes diferenças em relação a outros roedores, apresentando aumento do volume de fibras sebáceas e do extrato basal em pele final e predominância do extrato espinhoso, como projeções manométricas cruzadas múltiplas evidenciando corneodesmossomos mais desenvolvidos que em outros roedores.

  • RAMON RÊGO MERVAL
  • Vitamina C e selênio para frangos de corte estressados naturalmente por calor
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 28/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Dois experimentos foram realizados objetivando-se avaliar os efeitos da suplementação de vitamina C e selênio em dietas para frangos de corte, mantidos em condições naturais de temperatura. No primeiro experimento, foram utilizados 700 frangos de corte machos, para avaliação do desempenho produtivo (consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar, eficiência produtiva e viabilidade criatória) no período 22 a 33 e 22 a 42 dias de idade. Adicionalmente, foram avaliados o peso relativo dos órgãos digestivos e do coração, peso absoluto e relativo dos órgãos linfoides, rendimento de carcaça e de cortes, bioquímica sérica, composição química e deposição de nutrientes de frangos ao completarem 42 dias de idade, e durante o intervalo de 22 a 42 dias de idade, bem como a temperatura corporal dos animais. No segundo experimento, 140 frangos de corte machos, no período de 22 a 29 dias de idade foram utilizados para a avaliação do coeficiente de metabolizabilidade dos nutrientes, balanço e eficiência de utilização do nitrogênio. Nos dois experimentos, os tratamentos consistiram em dietas suplementadas com vitamina C, na forma de ácido ascórbico revestido, em dois níveis: 150 e 300 mg de vitamina C/kg de ração, em associação a três níveis de selênio: 0,2, 0,4 e 0,6 mg de selênio/kg de ração, na forma de selênio levedura, e uma dieta controle (sem suplementação de vitamina C e selênio, mas com níveis basais de 0,3 mg selênio, conforme estabelecido pelo fabricante do premix, totalizando sete tratamentos e cinco repetições. Os níveis de vitamina C e selênio suplementares não interferem positivamente nos parâmetros de desempenho, rendimento de carcaça, principais cortes e gordura abdominal, peso dos órgãos digestivos e coração, e peso absoluto e relativo dos órgãos linfoides em relação ao grupo controle. No entanto, a dieta basal sem suplementação de vitamina C e de selênio é economicamente mais rentável, indicando que esta dieta atende às exigências dos frangos de corte no período de 22 a 42 dias de idade, nas condições ambientes registradas. A suplementação de 300 mg de vitamina C associada a 0,6 mg selênio por quilograma em dietas para frangos sob condições ambientais acima da termoneutralidade para a fase avaliada, melhora a disponibilidade de energia metabolizável aparente quando corrigida pelo balanço do nitrogênio, e não apresenta efeito positivo para as demais variáveis estudadas em relação ao grupo controle

  • MARCIELLY BATISTA DA SILVA
  • DESEMPENHO DE PROTEÍNAS RECOMBINANTES NO DIAGNÓSTICO DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 26/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Proteínas recombinantes de Leishmania infatun quando utilizadas como antígenos em teste ELISA demonstram excelentes desempenhos de sensibilidade e especificidade no diagnóstico da leishmaniose visceral canina e apresentam uma boa capacidade de reconhecimento de anticorpos em amostras de soros cães e de humanos. Buscar novos antígenos e aperfeiçoar os métodos de diagnóstico dos possíveis reservatórios garante um controle eficiente da enfermidade. O objetivo do presente estudo foi avaliar a eficácia da combinação de  diferentes proteínas recombinantes já descritas como a KMP-11, HSP83, LiP0, no diagnóstico sorológico da leishmaniose visceral canina pelo método de ELISA. Foram utilizadas para neste estudo 220 amostras de soro presentes no banco de dados do grupo de pesquisa. A técnica de ELISA utilizou mix de proteínas recombinantes de Leishmania infantum chagasi já descritas KMP11+Lip0 ; LiP0+HSP83; KMP11+HHSP83 e comparou o desempenho destas, com o antígeno solúvel bruto de  Leishmania (SLA) de L. infantum .A leitura das placas foi realizada em espectofotômetro com comprimento de onda de 490 nm, em software SolftMax Pro 5.0.  Na análise estatística foi utilizados os testes de ANOVA, Kruskal Wallis e Dunn’s com múltiplas comparações de média e significância de 5%. O ponto de corte de cada antígeno foi estabelecido utilizando-se a curva ROC-AUC, baseado na maior sensibilidade e especificidade. Concluímos que a combinação de diferentes proteínas recombinantes resulta em desempenhos satisfatórios para o diagnóstico sorológico da leishmaniose visceral canina pelo método ELISA, o mix que apresentou melhores desempenhos de sensibilidade e especificidade foi KMP11+HSP83 compondo uma  ferramenta promissora aperfeiçoando o sorodiagnóstico  da leishmaniose visceral canina.

  • LEOPOLDO FABRÍCIO MARÇAL DO NASCIMENTO
  • Imunoquimioterapia na leishmaniose visceral canina
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 26/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A leishmaniose é uma doença de curso crônico, causada por protozoários do gênero Leishmania e que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é uma das sete doenças tropicais mais importantes do mundo. O cão é considerado o principal reservatório urbano da enfermidade e os programas de controle da leishmaniose do Brasil, recomendam a eutanásia de animais soropositivos. Recentemente foi aprovado o uso do Miltefosine (MilteforanTM, Virbac)para o tratamento de cães com LVC, sem entanto, avaliar a sua eficácia e a resistência do parasita. Devido à falta de tratamentos eficazes e de baixo custo, esforços consideráveis foram dedicados ao desenvolvimento de vacinas e, embora estudos iniciais tenham sofrido com efeitos colaterais desagradáveis, resultando em complicações clínicas, vários antígenos de leishmania foram explorados como candidatos promissores para a vacina. Nesse contexto, considerando que a LV é uma doença fatal e que atualmente não existe uma cura para a doença no cão, o presente trabalho avaliou o uso de duas vacinas de proteína recombinante de segunda geração associada com dois adjuvantes de receptores do tipo Toll, sendo uma um agonista TLR4 e outra com os agonista TRL4 e TRL7, associadas ao alopurinol no tratamento de cães naturalmente infectados por L. infantum,afim de avaliar sua eficácia quanto a uma cura parasitológica ou melhoria dos sinais clínicos da doença. 30 cães naturalmente infectados por L. infantumforma incluídos no estudo e divididos em 4 grupos experimentais.Grupo I: composto de 7 cães que não receberam medicação; Grupo II: composto de 8 cães que receberam o alopurinol em monoterapia por via oral na dose 20 mg/Kg, 1x ao dia, durante 90 dias; Grupo III: composto de 9 cães que foram imunizados por injeções subcutâneas com a formulação Leish-F2 + SLA-SE (20 µg cada), 6 doses, com intervalo de 3 semanas mais o alopurinol na dose de 20 mg/Kg, 1x ao dia, durante 90 dias e o Grupo IV: composto de 6 cães que foram imunizados por injeções subcutâneas da proteína recombinante Leish-F2 + SLA-IMQ-SE (20 µg cada), 6 doses, com intervalo de 3 semanas mais o alopurinol na dose de 20 mg/Kg, 1x ao dia, durante 90 dias. Esses cães foram acompanhados durante 1 ano e submetidos a avaliações clinica e quantificação de carga parasitária de medula óssea em tempos determinados: antes do inicio do tratamento, 63, 180 e 360 dias.Os animais que receberam os tratamentos com o alopurinol em monoterapia ou em combinação com as formulações vacinas Leish-F2 + SLA-SE ou Leish-F2 + SLA-IMQ-SE, tiveram uma melhora clínica, mesmo após a suspensão do tratamento, mantendo um baixo escore durante todo o acompanhamento clinico. O alopurinol em monoterpia mostrou-se eficiente em reduzir a carga parasitária durante o tratamento, mas após a suspensão do mesmo a carga parasitária dos animais voltou a subir. Já os animais submetidos as formulações vacinas Leish-F2 + SLA-SE e Leish-F2 + SLA-IMQ-SE conseguiram reduzir a carga parasitárias com apenas 63 dias de tratamento e manter essa carga em níveis indetectáveis mesmo após a suspensão do tratamento e durante todo o tempo de acompanhamento. Em conclusão, o presente estudo apresenta resultados promissores, e a combinação do alopurinol com a proteina recombinante Leish-F2 + SLA-SE no tratamento de cães naturalmente infectados por L. infantum representa um grande avanço para terapeutica da doença, por conseguir manter em níveis indetectaveis a carga parasitária nesses animais mesmo após a suspensão da terapia. Estudos posteriores devem ser realizados para elucidar os mecanismos da resposta imune responsável pelo sucesso desse estudo.

  • RAISSA PAULA ARAÚJO ALVES
  • SOROCONVERSÃO E CONTROLE DE INFECÇÃO DO LENTIVIRUS CAPRINO
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 21/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Artrite Encefalite Caprina é causada por um Lentivirus, chamado Vírus da Artrite Encefalite Caprina, pertencente a família Retroviridae. Essa afecção é capaz de se disseminar em um rebanho sem sintomas aparentes por um longo período após a infecção. Os Lentivirus são RNA-vírus, pertencentes a um gênero muito particular de entidades virológicas, compondo um grupo taxonômico de patógenos que compartilham entre si similaridade genética, mecanismos moleculares de replicação, morfologia e interações biológicas entre seus hospedeiros. Nesta categoria estão incluídos os vírus da Artrite Encefalite Caprina e a Maedi – Visna (MVV) que formam os Lentivírus de Pequenos Ruminantes. Neste estudo objetivou-se acompanhar a soroconversão da Artrite Encefalite Caprina, utilizando o teste de WB, em amostras de um banco de soros de cabritos positivos no teste de PCR nested imediatamente após o nascimento, durante 24 meses, além da realização de PCR nested em todas as amostras testadas, pelo mesmo período. Para cada um dos testes foram realizados 624 exames, totalizando 1.248 exames. No teste de PCR nested, dos 624 exames, 360 foram positivos. Já no WB apenas 9 exames, de um total de 624 exames, foram positivos. A técnica de PCR nested superou a capacidade diagnóstica do WB durante todo o experimento, com 57,7% de positividade nas amostras testadas, contra apenas 1,4% de resultados positivos no WB. Das amostras positivas no WB, quatro foram detectadas aos 15 dias, duas aos 20 dias e apenas uma aos 240, 600 e 690 dias. Em conclusão, observou-se que ocorreu a transmissão intrauterina de CAEV para a prole, a partir de progenitores positivos. A associação de diferentes técnicas diagnósticas se mostrou importante para a detecção de infecção pelo vírus, melhorando o desempenho do diagnóstico, mas no caso deste estudo a PCR nested demonstrou-se mais eficientes na detecção dos animais infectados. Espera-se que com esses resultados, seja possível compreender e adotar medidas de monitoramento, controle e erradicação da AEC em rebanho caprinos, associando-se técnicas diagnósticas, molecular e sorológica, com a realização de inquéritos de forma periódica e contínua.

  • MICHEL MUÁLEM DE MORAES ALVES
  • ANFOTERICINA B CONVENCIONAL ASSOCIADA AO ÁCIDO GÁLICO E AO ÁCIDO ELÁGICO EM FORMULAÇÃO TÓPICA PARA TERAPIA ANTILEISHMANIA
  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 18/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As leishmanioses são zoonoses parasitárias causadas por protozoários do gênero Leishmania, pertencentes ao grupo de doenças tropicais negligenciadas. É de difícil controle, não há vacina eficaz e o seu tratamento é baseado em um número limitado de drogas que apresentam uma gama de efeitos indesejáveis, além de já existirem relatos de resistência à essas drogas. O desenvolvimento de novos medicamentos demanda tempo e grandes investimentos financeiros, tendo em vista essa limitação, a associação farmacológica de drogas convencionais e a introdução de novas moléculas e tecnologias no desenvolvimento de novas formulações tem despertado interesse de pesquisadores. Neste estudo demonstramos o efeito sinérgico da combinação de anfotericina B convencional e moléculas naturais, o ácido gálico e o ácido elágico em formulação tópica de Gel de Polaxamer 407®. O AG e o AE são dois imunomoduladores naturais anteriormente estudados por nosso grupo e já reportamos sua ação antileishmania e potencial em atuar em sinergismo com a resposta imune. Foram realizados testes de estabilidade preliminar e de liberação in vitro dos fármacos nas formulações de Anf B, AG, Anf B + AG, AE e Anf B + AE na composição e tratamento in vivo de camundongos BALB/c infectados por L. major. Passados 40 dias da infecção, os animais foram divididos em 6 grupos, tratados 2x/dia, durante 21 dias com os géis de Anf B, AG, Anf B + AG, AE e Anf B + AE e o grupo controle negativo tratado com o veículo (polaxamer 407®). Os animais foram avaliados clinicamente mensurando-se o tamanho das lesões 1x/semana. Ao termino do tratamento e 14 dias após, os animais foram eutanasiados para avaliação dos ensaios ex vivo quanto à redução da carga parasitária no local da lesão e ativação de resposta imune celular, como a retirada de macrófagos peritoneais para avaliar sua ativação por capacidade fagocítica, atividade lisossomal, quantificação de nitrito e cálcio intracelular. Também foi realizado a infecção in vitro dos macrófagos peritoneais para avaliar o número de amastigotas sobreviventes e o percentual de macrófagos infectados. Todas as formulações apresentaram-se estáveis no tempo T0 dos testes de estabilidade preliminar, sendo a formulação de AG a que houve maior liberação in vitro, seguido de AE e das formulações combinadas de Anf B + AG e de Anf B + AE. Houve sinergismo entre Anf B e AG e Anf B e AE em todos os ensaios realizados. Nos animais que receberam tratamento houve redução do tamanho da lesão e redução da carga parasitária. As formulações contendo AG e AE ativaram macrófagos em todos os parâmetros avaliados, bem como reduziram a quantidade de macrófagos infectados e o número de amastigotas por macrófago, resultando, portanto, em ativação da resposta imune o que pode gerar cura e proteção. O AG e AE produziram efeito sinérgico com a Anf B, o que os torna promissores adjuvantes em associação com Anf B convencional no tratamento da leishmaniose.

  • ANTONIA LEIDIANA MOREIRA
  • Feno de leucena como fonte de fibra em dietas à base de palma forrageira para ovinos.
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 15/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Avaliou-se o valor nutritivo de dietas contendo feno de leucena como fonte de fibra efetiva e palma forrageira para ovinos em terminação. Foram utilizados 21 ovinos machos, castrados, mestiços da raça Dorper, aos oito meses de idade, em delineamento experimental em blocos ao acaso, com três tratamentos, representados pelas dietas contendo feno de leucena e a palma forrageira in natura nas proporções (35%PF:65%FL, 45%PF:55%FL, 55%PF:45%FL) e sete repetições, para avaliação do consumo, digestibilidade in vivo e balanço de compostos nitrogenados. Para avaliação do pH e nitrogênio amoniacal (N-NH3) no líquido ruminal e ureia no soro sanguíneo as parcelas foram subdivididas nos tempos 0 (antes da alimentação); 2,5 e 5,0 h após a primeira refeição. O consumo médio de MS (1057,01±273,9 g/dia), PB (152,98±38,19 g/dia) e NDT (567,08±166,24 g/dia) foi suficiente para atendimento às exigências nutricionais dos ovinos. A digestibilidade da MS e nutrientes não foram influenciados pela associação de 35 a 55% de feno de leucena com 45 a 65% de palma forrageira em dietas totais, exceto a digestibilidade da FDN, EB e NDT, que diminuiu com o aumento nas proporções de feno de leucena nas dietas. Não houve influência (P>0,05) de diferentes dietas contendo feno de leucena como fonte de fibra efetiva em dietas à base de palma forrageira para nitrogênio ingerido (Ni), excretado nas fezes (Nf) e urina (Nu), absorvido e retido, bem como para as relações Nu/Ni e Nf/Nu. O balanço de nitrogênio foi positivo para todas as dietas. O pH e o N-NH3 mostraram-se adequados à fermentação no rúmen e a ureia no sangue manteve-se no intervalo fisiológico para ovinos. O comportamento ingestivo foi avaliado quanto ao tempo despendido com alimentação, ruminação, ócio e outras atividades (ingestão de água e sal mineral, defecação e micção). Quantificou-se o número e o tempo de mastigações merícicas por bolo ruminal (MMnb) com cronômetro digital e observação visual dos ovinos nos intervalos das 10 às 12; 14 às 16 e 18 às 20 horas. O tempo despendido com alimentação, ruminação, ócio, outras atividades e mastigação total, bem como a eficiência de alimentação da MS e FDN e o consumo de água pelos ovinos não foram influenciados (P>0,05) pelas dietas contendo feno de leucena como fonte de fibra em dietas à base de palma forrageira. Os números de bolos ruminais e de mastigação merícicas por bolo ruminal foram menores para as dietas com maiores proporções de feno de leucena. A associação de 35 a 55% de feno de leucena com 45 a 65% de palma forrageira em dietas totais contendo 60% de volumoso para terminação de ovinos possibilita consumo de matéria seca e fibra para atender às exigências nutricionais, com equivalência no comportamento ingestivo quanto aos tempos dispendidos em alimentação, ruminação e mastigação.

  • TATIANA SARAIVA TORRES
  • Métodos tradicionais e genômicos aplicados ao melhoramento genético de ovinos para resistência a verminose
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 15/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A identificação de marcadores genéticos associados à resistência à verminose pode aumentar a resposta genética para esta característica por meio da seleção assistida por marcadores. Além disso, a identificação de regiões genômicas que influenciam a resistência a parasitas gastrintestinais podem ser importantes para melhorar a resistência de ovinos de corte à verminose. Portanto, objetivou-se com esta pesquisa estimar parâmetros genéticos para a resistência à verminose em ovinos Santa Inês selecionados para a produção de carne, realizar a predição do valor genético genômico para as características em estudo e identificar polimorfismos de base única (SNPs) relacionados a essas características, por meio de estudos de associação genômica ampla (GWAS). Foram utilizadas informações de 1.637 indivíduos incluídos na matriz de parentesco, dos quais 388 também dispuseram de informações oriundas de genotipagem com uso do painel OvineSNP50 BeadChip da Illumina. Após o controle de qualidade dos dados genômicos, foram utilizadas informações de 42.748 SNPs para estimação de componentes de variância e predição genômica e 45.465 marcadores para as análises de associação genômica ampla. As características avaliadas foram resistência à verminose (RV) e tamanho corporal. No Capítulo 1, foi realizada a estimação de componentes de variância e parâmetros genéticos com uso de modelo animal por meio de análises uni e multicaracterísticas, com uso de informação genômica e com uso apenas de informações de pedigree, adotando inferência Bayesiana e avaliação genética para as características em estudo. As estimativas de herdabilidade obtidas com uso de ambos os modelos variaram de 0,11 a 0,37, nas análises unicaracterísticas, e de 0,17 a 0,46, nas análises multicaracterísticas. Foi realizada a avaliação genética dos animais para as características em estudo, com uso dos métodos de Melhor Estimador Linear Não Viesado (BLUP) e BLUP genômico em passo único (ssGBLUP), em análises unicaracterísticas, e comparada a eficiência do uso de informações genômicas na acurácia preditiva dos valores genéticos genômicos (GEBVs). Os ganhos em acurácia variaram entre 6,34 e 40,34% com a inclusão da informação genômica. No Capítulo 2, foi utilizada a metodologia de associação genômica ampla em passo único ponderada (WssGWAS) para identificar regiões cromossômicas associadas às características em estudo, considerando a proporção de variância genética aditiva explicada por janelas de 10 SNPs adjacentes. Um total de 14, 18 e 18 janelas que explicaram pelo menos 1% da variância aditiva foram identificadas, respectivamente, para RV, PT e AG. O método genômico (ssGBLUP) foi mais acurado na predição dos valores genéticos em relação ao método tradicional (BLUP) para as características em estudo. Vários genes candidatos relacionados ao desenvolvimento e ativação do sistema imune foram encontrados. Esses genes podem ajudar no melhor entendimento dos mecanismos de resistência de ovinos aos parasitas gastrointestinais e, consequentemente, na seleção de ovinos com maior resistência.

  • MAX BRANDÃO DE OLIVEIRA
  • Bayes t e Bayes DE: modelos bayesianos robustos para seleção genômica ampla
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 15/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O melhoramento genético animal utiliza métodos de predição que envolvem análises estatísticas complexas com o propósito de estimar o mérito genético dos animais para selecionar aqueles geneticamente superiores. Com a evolução das técnicas de genotipagem, permitiu-se acrescentar a informação genômica aos modelos através dos marcadores SNPs (Single NucleotidePolymorphism). Foram desenvolvidas diversas metodologias baseadas em inferência Bayesiana capazes de estimar o valor genômico do animal e estimar o efeito e a significância do SNP para características de interesse. Os modelos, distinguem-se por assumir diferentes distribuições para o efeito dos marcadores, como a normal, t e dupla-exponencial, no entanto utilizam apenas a distribuição normal para a variável resposta. A distribuição t apresenta uma simetria equivalente à normal, mas possui o fenômeno chamado de caudas pesadas, que confere menor sensibilidade a outliers, melhor adaptabilidade e maior variabilidade. Essas características podem favorecer o ajuste de um modelo mais robusto, assim como a dupla-exponencial, sendo que esta última ainda tem uma maior concentração em torno da média. Portanto, o objetivo com esta pesquisa é desenvolver modelos de seleção genômica ampla usando a distribuição t (Bayes t) e a Laplace (Bayes L) para a variável resposta. Para isso, foi proposto e desenvolvido um modelo Bayesiano no software R que foi comparado por meio do DIC, acurácia preditiva e análise residual, para quantificar a diferença entre os ajustes dos modelos propostos com o RRBLUP, já consolidado no meio acadêmico. Para validação dos modelos, foram simulados dados genômicos de 2.000 animais no software QMSim em 1.000 gerações. Os dados foram gerados com 3 níveis de variância: 5, 10 e 15. Além disso, os ajustes foram aplicados em amostras com tamanhos 300, 1.000 e 2.000 animais. Resultados apontam que, quando existem outliers na amostra, os modelos com distribuições t e Laplace são mais robustos. Os 3 modelos avaliados foram centrados em 0, mas a dispersão residual dos ajustes propostos foi inferior, porém em todos os cenários testados, os modelos propostos foram mais acurados do que o RRBLUP. Entre eles, o Bayes t foi ainda mais acurado e com menor variabilidade residual do que o Bayes L, principalmente para tamanhos amostrais menores. Os modelos também foram aplicados em uma amostra de 389 ovinos da raça Santa Inês, com a variável resposta área de olho de lombo. Os resíduos dos 3 concentraram-se em torno de 0, sendo o Bayes t o mais próximo de 0, bem como foi o de menor dispersão residual e o de menor DIC entre os 3. A correlação entre os valores preditos e observados no Bayes t foi 0,8006, enquanto no RRBLUP e no Bayes L, foram 0,6835 e 0,6901, respectivamente. Portanto, os métodos propostos surgem como alternativas de modelos robustos para dados com presença de outliers e para tamanhos de amostras pequenos, em especial o Bayes t, que apresentou melhores resultados.

  • MARIA DE FÁTIMA ALVES DE MELO
  • VALOR NUTRITIVO DA SILAGEM DE SORGO COM ADIÇÃO DE VAGENS DE ALGAROBA
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 14/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa foi realizada com o objetivo de se avaliar o efeito da adição da vagem de algaroba (VA) à silagem de sorgo quanto à composição química, fracionamento de carboidratos e compostos nitrogenados e degradação in situ da matéria seca (MS) proteína bruta (PB) e fibra em detergente neutro (FDN). Foi adotado o delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro tratamentos (níveis de VA 0%, 10%, 20% e 30%) e seis repetições (silos). A adição de VA aumentou linearmente (P<0,05) a concentração de nitrogênio amoniacal (N-NH3) na silagem e o teor dos constituintes da matéria seca (MS), proteína brutas (PB) e nutrientes digestíveis totais (NDT), enquanto houve decréscimo linear (P<0,05) dos teores de fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), nitrogênio insolúvel em detergente neutro (NIDN) e nitrogênio insolúvel em detergente ácido (NIDA). Quanto ao fracionamento de carboidratos, a adição de VA resultou em aumento linear (P<0,05) das frações A+B1, redução linear (P<0,05) da fração B2, sem alteração significativa (P<0,05) na fração C. Quanto ao fracionamento dos compostos nitrogenados, a adição de VA resultou em aumento linear (P<0,05) da fração A e redução linear (P<0,05) das frações B2, B3 e C. A degradação in situ da matéria seca (MS), proteína bruta (PB) e fibra em detergente neutro (FDN) no rúmen aumentou em função da adição de VA à silagem de sorgo. A adição de 20% VA é suficiente para melhorar o valor nutritivo da silagem de sorgo.

  • LUCIANO SILVA SENA
  • Estudo genômico aplicado ao melhoramento genético de ovinos Santa Inês para características de carcaça
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 12/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A seleção de animais geneticamente superiores com o objetivo de melhorar a qualidade de carcaça é de grande importância para maior aceitação dos produtos oriundos da ovinocultura de corte pelo mercado consumidor. Neste sentido, a inclusão de informação genômica em programas de melhoramento genético tradicionais proporciona aumento da resposta à seleção e possibilita redução de custos. Objetivou-se com esta pesquisa estimar parâmetros genéticos, realizar a predição do valor genético genômico e identificar polimorfismos de base única (SNPs), por meio de estudos de associação genômica ampla (GWAS), para características de carcaça mensuradas por ultrassonografia in vivo, em ovinos da raça Santa Inês. Foram utilizadas informações de 1.637 indivíduos incluídos na matriz de parentesco, dos quais 388 também dispuseram de informações oriundas de genotipagem com uso do painel OvineSNP50 BeadChip da Illumina. Após o controle de qualidade dos dados genômicos, foram utilizadas informações de 42.748 SNPs para estimação de parâmetros genéticos e predição genômica e 45.465 marcadores para as análises de associação genômica ampla. As características avaliadas foram área de olho de lombo (AOL), marmoreio do olho de lombo (MOL), espessura de gordura subcutânea (EGS) e perímetro da perna (PER). No Capítulo 1, foi realizada a estimação de componentes de variância e parâmetros genéticos com uso de modelo animal por meio de análises uni e multicaracterísticas, com uso de informação genômica e com uso apenas de informações de pedigree, adotando inferência Bayesiana. As estimativas de herdabilidade obtidas com uso de ambos os modelos variaram de 0,11 a 0,29, nas análises unicaracterísticas, e de 0,17 a 0,31, nas análises multicaracterísticas. No capítulo 2, foi realizada a avaliação genética dos animais para as características em estudo, com uso dos métodos BLUP Genômico em passo único (ssGBLUP) e BLUP tradicional, em análises unicaracterísticas, e comparada a eficiência do uso de informações genômicas na acurácia de predição dos valores genéticos genômicos (GEBVs). Houve ganho em acurácia com a utilização de informação genômica na predição dos valores genéticos para todas as características em estudo. No capítulo 3, foi utilizada a metodologia de associação genômica ampla em passo único ponderada (WssGWAS) para identificar regiões cromossômicas associadas às características em estudo, considerando a proporção de variância genética aditiva explicada por janelas de 10 SNPs adjacentes. Um total de 18, 20, 20 e 16 janelas para que explicaram pelo menos 1% da variância aditiva foram identificadas para AOL, MOL, EGS e PER, respectivamente. As estimativas de herdabilidade sugerem que há potencial para a melhoria da carcaça de ovinos Santa Inês por meio da seleção para as características em estudo. O uso de informação genômica favoreceu a obtenção de predições mais acuradas dos valores genéticos. As regiões candidatas encontradas neste estudo poderão auxiliar no entendimento da arquitetura genética das características estudadas, o que poderá contribuir na seleção de ovinos Santa Inês com melhores características de carcaça e, consequentemente, favorecer a oferta de carne de maior qualidade.

  • PATRÍCIA MIRANDA LOPES
  • Farinha de insetos como fonte proteica em dietas para frangos de corte
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 11/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho foi desenvolvido para avaliar farinhas de insetos como fontes proteicas alternativas, nas dietas de frangos de corte, foram realizados dois experimentos. O experimento 1, foi realizado para determinar a digestibilidade das farinhas de insetos: larvas de tenébrio e ninfas de grilo preto. Foram utilizadas 63 aves, da linhagem Ross, distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado. Composto por três dietas, sete repetições. Os tratamentos foram obtidos pela substituição de 20% de cada farinha a dieta referência. Foi utilizado o método de coleta total de excretas. O conhecimento da composição química e digestibilidade da farinha de tenébrio e de ninfas de grilo preto, indicam que as mesmas podem ser substituídas como fonte de energia e proteína em dietas para frangos de corte. O segundo experimento foi realizado com a farinha de larvas de Hermetia illucens (FLHI). Foram utilizados frangos de corte machos, da linhagem Ross. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado, com 4 tratamentos, 5 repetições. O qual foi conduzido para as determinações do desempenho, digestibilidade, bem como a morfometria intestinal das aves, as rações continham 5%, 10 % e 15% da farinha de larvas de Hermetia illucens em substituição ao farelo de soja. A substituição de até 15% farinha de larvas de Hermetia illucens por farelo de soja em rações para frangos de corte na fase de 1 a 21 dias não prejudica o desempenho dos animais

     
  • FRANCISCA LUANA DE ARAÚJO CARVALHO
  • Óleo de buriti como alternativa aos antibióticos melhoradores de desempenho em dietas para frangos de corte
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 11/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com esta pesquisa, avaliar dieta para frangos de corte com antibiótico e dietas sem antibiótico contendo níveis crescentes de óleo de buriti, sobre o desempenho, rendimento de carcaça, peso relativo de órgãos, parâmetros sanguíneos e digestibilidade de nutrientes, no período de 1 a 42 dias. Foram utilizados 432 pintos machos de um dia de idade, da linhagem comercial Ross AP95 distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com seis tratamentos e seis repetições de 12 aves cada. Os tratamentos consistiram de dieta com antibiótico sem óleo de buriti, outra sem antibiótico (DSA) sem óleo de buriti e as demais dietas sem antibiótico com inclusão de níveis crescentes de óleo de buriti (0; 0,2; 0,4; 0,6; 0,8%). Para o ensaio de digestibilidade, 144 frangos de corte machos com 22 dias de idade foram distribuídos em gaiolas de metabolismo, seguindo os mesmos tratamentos do ensaio de desempenho. Foram determinados a digestibilidade da matéria seca, proteína bruta, extrato etéreo e energia metabolizável das dietas. Aos 35 dias de idade não foram encontrados efeitos dos níveis de óleo de buriti no desempenho e leucograma dos animais e digestibilidade dos nutrientes da dieta. Foram observados efeito linear para o total de eosinófilo, indicando que a adição de óeo de buriti melhora a resposta imunolágica. Aos 42 dias de idade o peso médio e ganho de peso das aves que receberam dietas com óleo de buriti não diferiu do tratamento controle.  Houve um efeito linear para o peso relativo  pâncreas e efeito quadrático para o PM, GP e CA das aves que receberam dietas com óleo de buriti. A remoção de antibiótico da dieta prejudica o desempenho de frangos de corte de 1 a 42 dias de idade, porém inclusão de 0,45% de óleo de buriti em dietas sem antibióticos é suficiente para recuperar o desempenho semelhante aos das aves que consumiram dietas com antibiótico, podendo se tornar uma alternativa viável.

     

  • CAMILA ERNANDA SOUSA DE CARVALHO
  • CARACTERIZAÇÃO E BIOCOMPATIBILIDADE DE SCAFFOLD DE ÓLEO DE BURITI (Mauritia flexuosa) PARA CO-CULTIVO DE CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS ASSOCIADAS A FOLÍCULOS PRÉ-ANTRAIS CAPRINOS
  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 08/03/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os folículos ovarianos pré-antrais são estruturas celulares de elevada exigência metabólica, que se desenvolvem mediante interação com radicais oxidativos e peptídeos bioativos, tornando seu cultivo in vitro complexo e oneroso. O desenvolvimento de sistemas de co-cultivo e a utilização de agentes antioxidantes, podem favorecer a formação de secretomas como fonte de fatores de crescimento e quimiocinas, além de reduzir o estresse oxidativo, favorecendo o desenvolvimento folicular. O óleo do buriti, palmeira típica da região norte-nordeste, apresenta baixo custo de extração e relevantes propriedades antioxidantes, denotando potencial para a utilização em cultivo celular. Este trabalho tem como objetivo caracterizar física e quimicamente scaffold de buriti com polietilenoglicol (SB), avaliar a bioincorporação com células-tronco mesenquimais e o efeito em sistema de co-cultivo com folículos ovarianos pré-antrais (FOPA) caprinos. Para caracterização da SB foram realizadas a espectroscopia na região do Infravermelho (FTIR) e Análise Termogravimétrica (TG e DTG). Analisadas a morfologia e adesão celular por meio da microscopia eletrônica de varredura (MEV) e técnicas histológicas. Para avaliar a biocompatibilidade foram empregados os testes de MTT e atividade hemolítica. A capacidade de ativação de células do sistema imune foi mensurada pelos testes de capacidade fagocítica e síntese de oxido nítrico. Os FOPA caprinos foram cultivados a partir de fragmentos do córtex ovariano, dos quais um deles foi imediatamente fixado em Carnoy (controle). Os demais fragmentos, foram cultivados por 1 e 7 dias em placas de cultura na presença ou ausência da poliuretana do buriti com células-tronco da geleia de Wharton (SB-CTMGW). Após esse período de cultura em cada tratamento, os demais fragmentos foram fixados em Carnoy para exame histológico. Quanto à caracterização, a SB apresentou composição amorfa, alta estabilidade térmica e alta capacidade de expansão em água. Em relação à morfologia, demonstrou superfície com micro e macroporos e boa adesão de células-tronco mesenquimais da geleia de Wharton (CTMGW). Foi observada a ausência de citotoxicidade e atividade hemolítica, e o SB não estimulou a ativação de macrófagos. Os folículos pré-antrais foram morfologicamente classificados em primordiais ou folículos em desenvolvimento. O grupo cultivado tratamento apresentou a maior redução das porcentagens de folículos primordiais (p <0,05), e as porcentagens de folículos em desenvolvimento, aumentaram (p <0,05), comparando-os, ao grupo controle. Em conclusão, o co-cultivo de células-tronco da Geléia de Wharton sob o scafflod de buriti/PEG mantém a estrutura e promove a ativação e o crescimento in vitro de folículos ovarianos pré-antrais caprinos, apesar de reduzir a viabilidade folicular. Infere-se, portanto, o efeito do tratamento sobre o recrutamento de folículos primordiais, para o pool de folículos em crescimento.

  • JOÃO FARIAS DE SOUSA JUNIOR
  • EFEITO DOS PROCESSOS DE MICROENCAPSULAÇÃO POR SPRAY DRYING E POR EXTRUSÃO SOBRE Saccharomyces cerevisiae RELATIVO À VIABILIDADE, CAPACIDADE PROBIÓTICA E POTENCIAL ADSORVENTE IN VITRO DE AFLATOXINA B1 E OCRATOXINA A
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 28/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A utilização de probióticos, a base de leveduras, como a Saccharomyces cerevisiae, que quando acrescentadas a alimentos contaminados apresentem potencial de adsorção de micotoxinas, apresenta-se como alternativa para minimizar o impacto negativo destes contaminantes na sanidade animal. A grande utilização de meios artificiais de cultivo de micro-organismos fez crescer a preocupação com a manutenção de culturas viáveis, visto que culturas microbiológicas são sensíveis às condições ambientais, podendo haver perda de sua viabilidade. A implementação de métodos eficientes de preservação de espécies microbianas, como a microencapsulação, busca manter essa viabilidade e a estabilidade a longo prazo, promovendo proteção contra condições adversas. Dessa forma, este trabalho teve como objetivo testar a interferência dos processos de microencapsulação por spray drying e por extrusão sobre a viabilidade da S. cerevisiae A8L2, isolada de viveiros de piscicultura, armazenada sob diferentes temperaturas (4,0°C, ambiente [entre 18 e 30°C] e 35°C), referente a capacidade probiótica e potencial adsorvente, in vitro, de Aflatoxina B1 (AFB1) e Ocratoxina A (OTA). Após 60 dias, a levedura microencapsulada por ambos os métodos, apresentou contagem de células viáveis acima do mínimo recomendado para o emprego como agente probiótico em alimentos, de 106 UFC/g, nas três temperaturas de armazenamento, propiciando subsídios para a realização dos testes probióticos e adsorventes. Na temperatura de 35°C observou-se que as contagens de células sofreram maiores reduções e apresentaram menores valores ao final de 60 dias, indicando ser uma condição de armazenamento mais agressiva à levedura, sendo a menos indicada entre as três condições analisadas. As leveduras microencapsuladas foram submetidas aos seguintes testes para avaliação da capacidade probiótica: inibição de micro-organismos patogênicos, auto-agregação e capacidade de co-agregação, bem como ao testes de adsorção in vitro de AFB1 e OTA. Constatou-se que a Saccharomyces cerevisiae A8L2 microencapsulada através dos métodos spray drying e extrusão, utilizando como agentes encapsulantes a maltodextrina e o alginato de sódio, respctivamente, apresentou resultados satisfatórios para capacidade probiótica e adsorção in vitro de AFB1 e OTA, nas condições de armazenamento especificadas, mantendo as propriedades após os processamentos tecnológicos, fornecendo subsídios para que as duas técnicas e possam ser utilizadas na conservação de micro-organismos, potencializando o uso da levedura como agente probiótico e adsorvente de micotoxinas em testes in vivo, mesmo quando armazenadas em diferentes condições de temperatura.

  • MARCOS ANTÔNIO CELESTINO DE SOUSA FILHO
  • Efeito da adição do ácido palmítico e da vitamina E na criopreservação de sêmen canino
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 28/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o efeito da adição dos antioxidantes ácido palmítico e vitamina E na qualidade seminal canina pós-descongelação. Cada amostra seminal coletada foi diluída em Tris-Gema na concentração de 100x106 sptz/ml e dividida em alíquotas de 3ml formando três grupos experimentais: G1) Tris-Gema (Grupo controle); G2) Tris-Gema + 100 μM de ácido palmítico; G3) Tris-Gema + 15µL de vitamina E. Após a descongelação, realizou-se o teste de termorresistência (TTR) em 0, 30, 60 e 90 minutos, análise estrutural dos espermatozoides usando sondas fluorescentes e análise da cinética espermática por meio do CASA. No TTR, G2 e G3 não apresentaram resultados significativos para a motilidade e vigor espermáticos quando comparados ao grupo controle. Ácido palmítico e vitamina E também não tiveram efeitos significativos nos parâmetros de integridade acrossomal e atividade mitocondrial, porém espermatozoides criopreservados com ácido palmítico apresentaram resultados significativos para a integridade da membrana plasmática e o G3 apresentou-se mais eficiente na motilidade total pela técnica do CASA. Conclui-se que os antioxidantes testados apresentaram resultados satisfatórios em alguns dos parâmetros seminais de cães avaliados após criopreservação, contudo mais estudos devem ser realizados com outras concentrações destes antioxidantes adicionados ao diluidor seminal canino.

  • LEIDIANE SOUSA SANTOS
  • QUALIDADE DA ÁGUA DE POÇO UTILIZADA PARA CONSUMO HUMANO EM ASSENTAMENTOS RURAIS DE TERESINA, PIAUÍ
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 27/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Em decorrência da precária estruturação sanitária em assentamentos rurais como: ausência de abastecimento de água tratada pela rede pública, coleta de lixo e saneamento, assentados buscam resolver estes problemas com soluções possíveis. Para a obtenção de água, famílias assentadas utilizam poços tubulares profundos, que podem tornar-se contaminados em função da falta de saneamento básico. Diante disto, objetivou-se neste trabalho avaliar a potabilidade da água de poço utilizada para consumo humano em assentamentos rurais de Teresina-PI, com relação aos parâmetros físico-químicos, microbiológicos e parasitológicos. Foram coletadas cinco amostras de água nos três períodos: chuvoso (fevereiro a abril); intermediário (junho a agosto) e seco (setembro a novembro), nos nove assentamentos, totalizando 135 amostras de água. Foram constatados problemas de ordem sanitária envolvendo os nove assentamentos rurais, como coleta inadequada de lixo e ausência de abastecimento de água potável. Quanto aos parâmetros físico-químicos analisados de: pH, cloro, ferro, amônia, turbidez, cor, oxigênio consumido, cloreto, dureza e alcalinidade, apresentaram-se em conformidade quanto aos limites exigidos pela Legislação. Entretanto, a análise de coliformes totais evidenciou alta frequência destes micro-organismos nos nove assentamentos e em todos os períodos avaliados. Para Escherichia coli, esta frequência ocorreu em 77% dos assentamentos, destacando o período chuvoso e intermediário. Por fim, na avaliação parasitológica, observou-se frequência em 44% dos assentamentos, dos períodos chuvoso e intermediário, com observação de cistos de Giardia sp. e Entamoeba histolytica. Desta forma, a água de poços utilizada para consumo humano nos assentamentos rurais pesquisados em Teresina-PI não é potável por estar em desconformidade com os parâmetros microbiológicos e parasitológicos. Tendo em vista os resultados desta pesquisa, consideram-se urgentes ações que viabilizem um fornecimento de água tratada e condições de saneamento básico para estes assentados.

     

  • JOILSON FERREIRA BATISTA
  • Leishmaniose visceral em gatos domésticos (Felis catus) em área endêmica no Brasil
  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 27/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    Foram examinados 307 animais, os quais foram submetidos a anamnese para verificar a ocorrência de sinais clínicos relacionados à leishmaniose, coleta de sangue para exame hematológico, quantificações bioquímicas, sorologia para retrovírus e sorologia para leishmaniose, aspirado de linfonodo poplíteo e medula óssea e raspado de pele com lesão para confirmar a infecção através da pesquisa direta de Leishmania.  As Leishmania isoladas dos gatos foram submetidas a estudos moleculares (PCR-RFLP e sequenciamento) para identificação das espécies e 12 dos animais infectados, foram submetidos a xenodiagnóstico para verificar a capacidade de infectar o vetor. Um dos gatos com leishmaniose visceral (LV) e um cão saudável foi utilizado para testar a possibilidade de transmissão da doença do gato para o cão. Os resultados deste estudo revela que os gatos se infectam por L. infantum e foi observada uma prevalência de 6,5% no exame parasitológico, 5,5% no ELISA e 9,1% no TR DPP®. Também foi observado que os gatos infectados estavam amplamente disseminados na cidade de Teresina, estando presente em todas as zonas demográficas da cidade. Quanto às alterações clínicas nos animais com LV, linfonodo aumentado, alopecia, emagrecimento, lesão de pele e nódulos na pele foram as mais frequentes. No hemograma, observou-se que os gatos com L. infantum apresentaram valores de hemácias e hematócrito significativamente inferior quando comparados aos animais não infectados. Na identificação das espécies de Leishmania dos 20 gatos infectados observou-se que as características moleculares dos parasitos foram compatíveis com a espécie L. infantum. Além disso, o sequenciamento apontou não haver diferença entre os parasitos isolados de gatos com os de cães publicados no GenBank. Dos 12 animais, com L. infantum, submetidos ao xenodiagnóstico oito infectaram o vetor (67%) e a transmissçao da LV do gato para o cão foi confirmada. Este é o primeiro estudo sobre os aspectos epidemiológicos da LV em gatos no Nordeste brasileiro, onde encontramos elevada prevalência da doença nos gatos de Teresina-PI. Além disso, demonstramos que estes animais infectados por L. infantum são capazes de infectar o vetor biológico Lutzomyia longipalpis e transmite a infecção para outro indivíduo susceptível, tornando a doença um problema de saúde pública, visto que, a LV é uma zoonose e a Leishmania encontrada nos gatos apresenta características genéticas semelhantes às Leishmania isoladas de cães e humanos.

     

  • DIANA SOUSA ALCÂNTARA
  • POTENCIAL DE TRANSMISSÃO, RESPOSTA INFLAMATÓRIA DA PELE E PARASITISMO DE GATOS COM LEISHMANIOSE VISCERAL
  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 27/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Em estudos mais recentes infecções por Leishmania sp. em gatos domésticos têm sido reportadas em vários países da bacia mediterrânica e no Brasil, onde essa parasitose é endêmica. Em áreas endêmicas de leishmaniose, os gatos, tal como os cães, são susceptíveis à infecção por Leishmania sp., no entanto ainda pouco se conhece sobre o papel dessa espécie dentro da cadeia epidemiológica e como a doença evolui em felinos. O objetivo desse trabalho foi identificar o potencial de transmissão, resposta inflamatória da pele e parasitismo de gatos com leishmaniose visceral domiciliados na cidade de Teresina, Piauí, Brasil. Foram utilizados doze animais, seis para o grupo controle e seis com leishmaniose. Os animais diagnosticados com a doença foram submetidos ao xenodiagnóstico e depois realizada sedação para análise citológica e histopatológica, retirando-se fragmentos de pele da face externa da orelha, região periocular, focinho, dorso e nódulos subcutâneos nos animais que apresentaram essa alteração. No xenodiagnóstico, apenas os animais um e dois não foram capazes de infectar o vetor, os animais três, quatro, cinco e seis, infectaram 49,31%, 31,25%, 51,35% e 73,8% respectivamente. No imprint, 100% (6/6) das lâminas da orelha foram observadas formas amastigotas de Leishmania sp. sendo o fragmento de pele que apresentou maior número de ULD (Unidade de Leishmania Donovani). No exame histopatológico 61% dos animais apresentaram dermatite histiocitária de moderada a discreta e não houve correlação significativa entre a intensidade de infiltrados inflamatórios e a carga parasitária e nem entre o número de insetos infectados e a intensidade de infiltrados inflamatórios. Tendo em conta os dados obtidos, verifica-se que é necessário alertar os médicos veterinários de que a leishmaniose felina é um diagnóstico diferencial em áreas endêmicas, principalmente em gatos apresentando sinais dermatológicos e que é essencial a aplicação de medidas profiláticas para salvaguardar a saúde animal e a saúde pública.

  • GEANDRO CARVALHO CASTRO
  • Modelos de regressão aleatória para avaliação do crescimento de caprinos da raça Anglonubiana
  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 27/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os caprinos criados em sistema extensivo tem a variação na sensibilidade a verminose um componente genético capaz de provocar alternância de ganho e perda de peso durante a fase de crescimento em animais contemporâneos e o padrão de crescimento pode diferir entre machos e fêmeas, em razão do dimorfismo sexual no tamanho. Assim, conhecer as particularidades das fases do crescimento dos animais é importante para equacionar os interesses do produtor, por exemplo, identificar o melhor momento de seleção para reposição de fêmeas do rebanho, que é possível com a utilização de modelos de regressão aleatória na avaliação da curva de crescimento com informações de pesagens dos indivíduos Com essa pesquisa objetivou-se por meio de comparação de modelos de regressão aleatória determinar os mais adequados para descrever mudanças nos parâmetros genéticos ao longo da curva de descrição do crescimento de caprinos da raça Anglonubiana e obter valor genético para seleção em idades específicas. Foram realizadas análises em dois arquivos de dados: A1 (peso de fêmeas e machos até 130 dias de idade) e A2 (peso de fêmeas até a idade de um ano e meio), totalizando 4379 e 2459 registros de 391 e 261 animais, respectivamente, referentes ao período de 2001 a 2018. Os pesos foram avaliados com modelos de regressão aleatória, contemplando efeitos fixos de grupo de contemporâneo e efeitos aleatórios, genéticos aditivos (direto e materno) e os ambientais permanentes (direto e materno). O modelo de melhor ajuste de variância residual heterogênea para ambos arquivos foi o que considerou os efeitos: genético direto, de ambiente permanente direto, genético materno, e o de ambiente permanente materno ajustado por polinômios de quinta, terceira, terceira e terceira ordens respectivamente (leg5333), diferindo em relação ao número de classes de idade utilizadas na modelagem, A1 com 6 classes e A2 com 4 classes, com 39 e 37 parâmetros, respectivamente, conforme os critérios AIC e BIC.

  • LILIAN ROSALINA GOMES SILVA
  • Genômica comparativa para identificação de genes candidatos à resistência a endoparasitas gastrintestinais na espécie Ovis aries
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 26/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os ovinos fazem parte do grupo de pequenos ruminantes suscetíveis à infecções parasitárias gastrintestinais causadas por nematelmintos, sendo isso um entrave para a eficiência dos sistemas de produção de carne ovina. Devido ao uso indiscriminado de anti-helmínticos, cada vez mais os parasitas têm sofrido seleção para resistência aos princípios ativos, o que vem colaborando para a ineficácia das drogas disponíveis para o tratamento químico das infecções parasitárias. Além disso, a administração inadequada de fármacos pode provocar problemas ambientais e de segurança alimentar. Uma alternativa ao controle químico da verminose consiste na identificação de possíveis genes que participam do controle da resistência a endoparasitas em ovinos para ajudar na identificação de animais geneticamente resistentes aos parasitas gastrintestinais. Objetivou-se com esta pesquisa identificar e propor genes candidatos à resistência a endoparasitas gastrintestinais em ovinos. Para tanto foi proposta uma analise comparativa de genomas, onde é possível identificar a similaridade entre trechos genômicos que se mantiveram conservados em diferentes espécies ao longo dos tempos. A ferramenta de busca e alinhamento local, BLASTn, foi utilizada a fim de comparar seis janelas do genoma da espécie Ovis aries que possuem SNPs associados com resistência a endoparasitas gastrintestinais, e alinhá-las com o genoma das espécies Capra hircus, Bos taurus, Sus scrofa, Mus musculus e Homo sapiens, na busca por similaridades. O BLASTn gerou um total de 346.099 alinhamentos, e que após passar por filtragem de e-value, identidade e razão entre o tamanho do alinhamento e o tamanho do gene, restaram apenas 281 alinhamentos significativos.  A análise dos alinhamentos apontou que 12 genes das demais espécies alinharam com as janelas do genoma ovino, permitindo assim a confirmação e extrapolação de informações entre os mapas das diferentes espécies. Em relação aos genes candidatos, encontrou-se um total de 5 genes envolvidos com processos imunológicos nas demais espécies, onde um deles alinhou por completo com um gene ovino, e os outros 4 não alinharam com nenhum gene, possibilitando assim, que estes genes sejam propostos como candidatos para a espécie ovina, mas que ainda não são caracterizados. Conclui-se então, que o uso da Bioinformática juntamente com informações de marcadores moleculares pode contribuir para que novos genes possam ser propostos como candidatos para a característica resistência a endoparasitas gastrintestinais para a espécie ovina.

  • MARLENE SIPAUBA DE OLIVEIRA
  • Biotecnologia da reprodução: Uso do ACP®- 407 na criopreservação e do ACP®- 414 na maturação de oócitos durante o processo de produção in vitro de embriões partenogenéticos caprinos
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 26/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As Biotecnologias da reprodução são ferramentas capazes de aumentar a eficiência reprodutiva e produtiva do animal, assim como, superar alguns obstáculos envolvidos na reprodução animal. A proposta adotada neste presente trabalho foi avaliar o Uso do ACP®- 407 na criopreservação e do ACP®- 414 na maturação de oócitos durante o processo de produção in vitro de embriões partenogenéticos caprinos. Para este fim, os complexos cumulus-oócitos aspirados de  folículos ovárianos de cabras púberes foram classificados morfologicamente e divididos em três (3) grupos. O grupo1- oócitos submetidos ao método de vitrificação (Cryotech®), grupo 2 - congelação lenta (1,5 M de EG (Etilenoglicol) /ACP®- 407) e o grupo 3 - oócitos frescos. Após descongelação e reaquecimento dos oócitos cripreservados, os classificados como viáveis foram maturados em meio de maturação in vitro convencional com e sem ACP®- 414 (10%) de acordo com fabricante a 38˚ C e 5% CO2 por 24 h e então ativados com exposição a Ionomicina (5 µM) por 5 minutos e incubados com  6-Dimethylaminopurina (6-DMAP) e Cicloheximida por 4h. Estas células ativadas foram cultivadas em meio para cultivo de embriões G1 e G2 (Vitrolife) por oito dias e então aferidos os blastócitos e corados com Hoechst 33342 (5µ/mL). Na avalição dos métodos de criopreservação o número de oócitos degenerados foi maior nos oócitos criopreservado em congelação lenta quando comparado com os vitrificados (p < 0,05). Baixas taxas de maturação indicando diferença significativa entre  os métodos de vitrificação e congelação lenta com controle. Não houve clivagens e formação de blastocistos, demonstrando diferença significativa da incompetência meiótica quando comparado com o controle.  No estudo do grupo de oócitos frescos não houve diferença significativa nas taxas de maturação dos oóctitos com e sem ACP (66,2% e 69,2%), respectivamente. Houve melhores taxas de clivagens no grupo de maturado sem ACP quando comparado com o grupo de maturados com ACP (p < 0,05).  Ocorreu diferença significativa nas taxas de blastocistos no grupo de maturados sem ACP (10,8%) com relação ao grupo de maturados com ACP (0%). O uso do ACP®- 407/414 não apresentou resultados efetivos na competência oocitária dos oócitos criopreservados, mas no grupo dos oócitos frescos apresentaram resultados similares nas taxas de maturação dos  oócitos frescos sem ACP, indicando ser uma boa opção de substituição de algum componente presente no meio de maturação para espécie caprina.

  • LETÍCIA SOARES DE ARAÚJO TEIXEIRA
  • CRIOPRESERVAÇÃO LENTA E VITRIFICAÇÃO DE OÓCITOS OVINOS NA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 25/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a viabilidade de oócitos imaturos de ovinos submetidos à congelação lenta e vitrificação na produção in vitro de embriões partenogenéticos. Para tanto, foram colhidos 394 ovários oriundos de 197 ovelhas púberes, provenientes de abatedouros localizados no município de Teresina, PI. Os ovários foram transportados para o laboratório em garrafa térmica, contendo solução salina fisiológica a 37 °C acrescida de 40mg/mL de sulfato de gentamicina. Os ovários foram aspirados utilizando-se um aspirador cirúrgico adaptado, contendo na extremidade de aspiração uma agulha 21G. Foram recuperados 373 CCO‘s, obtendo-se uma taxa de recuperação de 1,89 CCO’s por par de ovários. Após seleção e classificação, os CCO’s foram divididos aleatoriamente em dois grupos experimentais, oócitos destinado a congelação lenta e oócitos destinado a vitrificação. Em seguida os CCO’s foram desnudados e, então, submetidos à congelação lenta e vitrificação. Após o período mínimo de 30 dias, os oócitos da congelação lenta e vitrificação foram descongelados. Um grupo aleatório de oócitos oriundos da congelação lenta foi submetido ao teste do Azul Cresil Brilhante (ACB). 10% dos oócitos de ambos os grupos experimentais foram submetidos à análise através da associação de sondas fluorescentes (iodeto de propídio e diacetato de carboxifluresceína). Ulteriormente, os oócitos oriundos da vitrificação e da congelação lenta, inclusive os que haviam sido avaliados no teste do ACB, foram submetidos à maturação in vitro (MIV). Após 24 horas de MIV, procedeu-se a avaliação da maturação nuclear. Seguidamente, às 28 horas após MIV, os oócitos foram submetidos à ativação partenogenética. Ao término da ativação, com 32 horas, os oócitos foram submetidos ao cultivo in vitro (CIV) durante oito dias. As estruturas em CIV foram avaliadas no D2, D7 e D8. No último dia de CIV, realizou-se a coloração das estruturas com Hoechts 33342. Os oócitos frescos (grupo controle) apresentaram diferença estatística (P < 0,001) em relação aos grupos experimentais, oócitos da congelação lenta e vitrificação, quanto ao número de oócitos viáveis, maturados, ativados por partenogênese, clivados em D2 e com presença de mórula em D7 e D8 (0,008). Não havendo diferença significativa (P < 0,001) entre oócitos da congelação lenta e vitrificação quanto aos mesmos parâmetros supracitados. Houve diferença significativa (P < 0,001) entre os oócitos frescos, oócitos da congelação lenta e vitrificação, quanto ao número de maturados, evidenciando que o número de oócitos frescos maturados foi superior. Na análise de sondas fluorescentes houve igualdade estatística (P = 0,280) entre os oócitos da congelação lenta e vitrificação. No teste ACB houve diferença estatisticamente significativa (P = 0,001) entre os oócitos frescos e oócitos da congelação lenta. No grupo de oócitos frescos submetidos ao teste ACB, não houve diferença estatística (P = 0,400). Conclui-se que os oócitos imaturos de ovinos apresentaram viabilidade após congelação lenta e vitrificação. Porém, nas etapas de produção in vitro de embriões, os oócitos progrediram até a fase de maturação in vitro, não evoluindo no desenvolvimento embrionário após ativação partenogenética. Dessa forma, sendo relevante a realização de mais pesquisas relativas às técnicas de congelação lenta para oócitos ovinos e vitrificação, a fim de produzir embriões in vitro.

     

  • ANA PAULA BARROS FONSECA
  • DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR DOS FELINOS: ESTUDO CLÍNICO E LABORATORIAL
  • Orientador : ANA MARIA QUESSADA
  • Data: 22/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A doença do trato urinário inferior dos felinos (DTUIF) é uma das enfermidades mais comuns na medicina felina e abrange várias condições com diferentes etiologias que afetam o trato urinário inferior do gato doméstico.Conhecer o perfil epidemiológico da população animal em uma dada localidade geográfica e em relação a uma determinada doença facilita no auxílio do monitoramento do quadro dos pacientes, por isso é importante a realização de estudos retrospectivos que fornecem ao profissional informações relativas a uma afecção, auxiliando no diagnóstico e na melhor conduta.O objetivo deste trabalho foi estudar a casuística da DTUIF em gatos atendidos no Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí, campus de Teresina, durante o período de julho de 2015 a outubro de 2018. Foram registrados dados epidemiológicos, exames e seus resultados, ocorrência de procedimento cirúrgico e óbitos.Os dados obtidos foram dispostos em tabelas utilizando-se análise por métodos percentuais. A amostra do estudo foi composta por 303 prontuários. Observou-se que 92,4% dos animais eram machos (280/303) e 84,9% não tinham raça definida (257/303). A faixa etária mais comum variou de um a quatro anos (69,6%; 211/303) e a principal queixa registrada foi obstrução urinária (68,6%; 208/303). Identificou-se que 38,3% eram castrados (116/303) e 36,3% (110/303) não tinha acesso à rua. Em relação às alterações ultrassonográficas, as principais foram presença de sedimentos (30%; 137/456), cistite (18%; 82/456) e cristais (16%; 73/456). Na bioquímica sérica, a média dos valores de ureia (179,39), creatinina (5,01) e fósforo (8,59) encontraram-se acima dos valores de referência. No hemograma havia apenas neutrofilia. Na urinálise, 39% (62/159) apresentaram urina avermelhada, 59,1% (94/159) com aspecto turvo, 73% (116/159) com pH entre 5,5 a 7,5 e 78,6% (125/159) com densidade superior a 1.060e a Relação Proteína Creatinina Urinária estava > 0,4 em 51,9% dos animais (28/54) indicando proteinúria. Cerca de 80,5% (244/303) dos animais não foram submetidos a procedimentos cirúrgicos,13,2% (40/303) apresentaram recidiva da enfermidade e a ocorrência de óbito representou 13,5% (41/303) dos casos.Concluiu-se que a enfermidade é mais comum nos machos jovens, com idade entre um e quatro anos, sem raça definida, castrados e sem acesso à rua. As alterações hematológicas foram mínimas provavelmente devido ao quadro agudo da DTUIF. As alterações ultrassonográficas e os achados de urinálise foram compatíveis com cistite, o que é comum na doença. A maioria dos gatos estavam azotêmicos devido ao envolvimento do sistema renal. O índice de óbito foi elevado.

  • WELLSON ANDRADE DE OLIVEIRA
  • Detecção de lesão renal em cães por meio da dosagem da enzima gamaglutamiltransferase e da relação gamaglutamiltransferase/creatinina na urina
  • Orientador : ANA MARIA QUESSADA
  • Data: 22/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os rins são órgãos responsáveis pela homeostase orgânica e, ao mesmo tempo, são susceptíveis às lesões provocadas por agentes tóxicos ou isquêmicos. Na atualidade, os níveis séricos de ureia e creatinina são empregados para avaliar a função renal em cães. No entanto, são considerados marcadores tardios. Desta maneira, há uma busca por biomarcadores mais sensíveis com o fim de facilitar o diagnóstico da função renal de forma mais precoce. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência da enzima Gamaglutamil transferase urinária (GGTu) e da relação Gamaglutamil transferase/Creatinina urinárias (GGTu/CU) para detecção da lesão renal precoce em cães, frente às dosagens séricas de ureia e creatinina. Foram utilizados 50 cães diagnosticados com leishmaniose visceral. Todos os animais foram selecionados por apresentarem níveis séricos de ureia e creatinina normais, portanto, sem azotemia. Todos os cães foram submetidos à coleta de sangue. Após tal coleta foram submetidos à eutanásia. Imediatamente após este procedimento foi colhido urina e tecido renal. Foi realizado exame histopatológico dos fragmentos renais. Após o resultado de tais exames, os animais foram divididos em dois grupos. Um grupo, composto de 13 cães não apresentaram lesão renal ao exame histopatológico e foram denominados GSLR (grupo sem lesão renal). Outro grupo, composto de 37 cães, apresentou lesão renal ao exame histopatológico e foram denominados GCLR (grupos com lesão renal). As alterações morfológicas renais foram constatadas em 67,6% dos cães do grupo GCLR (25/37; 67,6%). As mais evidenciadas foram tubulointersticiais com 72,0% (18/25) e glomerulares com 32,0% (8/28). Nos animais do GCLR constatou-se que 73,0% (27/37) tiveram lesão renal bilateral e 27,0% (10/37) tiveram lesão renal unilateral. O aumento dos níveis urinários de GGTu e da relação GGTu/CU foram evidenciados em 54,0% (20/37) dos cães com lesão renal. Os valores médios da GGTu e da relação GGTu/CU urinárias dos animais do GSLR foram, respectivamente, 67,8 ± 33,3 e 0,51 ± 0,26, com variação de 29,8 – 149,0 e 0,1 – 0,89. Nos cães do GCLR foram 131,0 ± 132,4 e 0,87 ± 0,9, com variação de 11,0 – 678,6 e 0,07 – 4,29. Houve diferença estatística (p<0,05) significativa entre os grupos tanto para a GGT urinária quanto para a relação GGTu/CU. Os achados evidenciaram que tanto a GGT urinária quanto a relação GGTu/CU foram eficientes para a detecção de lesão renal precoce em cães não azotêmicos (ureia e creatinina séricas normais)

  • JEAN SAMEL ROCHA
  • SUPLEMENTAÇÃO ALIMENTAR DE ABELHAS AFRICANIZADAS NO PERÍODO SECO UTILIZANDO PÓLEN APÍCOLA IN NATURA COMO INGREDIENTE PROTEICO
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 21/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Com esta pesquisa se buscou conhecer a quantidade e a qualidade nutricional do pólen coletado pelas colônias durante o período chuvoso e verificar a eficácia na formulação de rações para manutenção de enxames no período seco. Assim coletou-se o pólen apícola de colônias durante o período de floradas e o utilizou como fonte de proteínas na suplementação das abelhas no período de ausência de floradas. Nos 44 dias de coletas de pólen obteve-se o total de 10,86 kg, com média de 1,2 kg por colônia. O pólen coletado foi quantificado e analisando para matéria seca, carboidratos totais, cinza, extrato etéreo, fibra bruta e proteína bruta. Foram formuladas três dietas com diferentes percentuais de pólen fresco (0, 16 e 32), que foram utilizados na alimentação de 21 colônias de abelhas africanizadas. As colônias foram avaliadas a cada 21 dias por três períodos, sendo o desenvolvimento delas aferido pelo consumo de alimento, ganho de peso, área de ovo, larva e cria operculada e quadros cobertos com abelhas. Com os dados foram realizadas análises de regressão e correlação. Houve diferenças significativas (P<0,01) no consumo das dietas e na área de pólen, no tempo e na interação tempo/tratamento. Verificaram-se correlações entre o peso da colmeia e área de mel operculado, entre área de cria operculada e área de larva, entre cria operculada e consumo de alimento. Não se observou diferença significativa (P>0,01) na quantidade de quadros com abelhas entre os tratamentos. Durante o experimento todas as colônias alimentadas com as dietas foram mantidas. Conclui-se que é possível a utilização do pólen coletado no período chuvoso para suplementação alimentar das colônias no período seco.

  • RENAN PARAGUASSU DE SÁ RODRIGUES
  • Avaliação ecocardiográfica em modos B, M e Doppler e padronização do strain e strain rate por speckle tracking bidimensional em cutias (Dasyprocta prymnolopha, Wagler, 1831) contidas quimicamente com cetamina e xilazina
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 08/02/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As cutias (Dasyprocta prymnolopha, Wagler, 1831) são roedores silvestres amplamente encontrados em toda a América e tem se destacado como bons modelos animais para investigações científicas. No entanto, assim como na maioria das espécies silvestres, o manuseio destes animais com fins científicos só é possibilitado por meio da contenção química ou até mesmo de anestesia geral. Este trabalho teve por objetivo estudar a função cardiovascular de cutias contidas quimicamente, pela realização de exames ecocardiográficos e mensuração do strain e strain rate por speckle tracking para obtenção de valores de referência para a espécie e verificar a aplicabilidade destes animais como modelos para o estudo de alterações cardiovasculares em seres humanos. Foram utilizados 16 exemplares, contidos pela associação de cloridrato de cetamina e xilazina e submetidas ao exame ecocardiográfico transtorácico. Para obtenção das mensurações padrões, foram realizadas imagens em modos B, M e Doppler. Realizou-se a análise da deformação miocárdica radial e longitudinal do ventrículo esquerdo. A janela paraesternal direita foi utilizada para acesso ao eixo curto cardíaco e a esquerda para acesso ao eixo longo. Seis perfis radiais de valores de strain (ST) e strain rate (SR) foram obtidos, correspondendo à média dos valores para cada segmento. Foram analisados um total de 18 segmentos do miocárdio para cada espécime e a média de valores foi utilizada para compor a análise estatística. A comparação das médias entre os gêneros não demonstrou diferença estatística, sendo os demais tratamentos estatísticos baseados na amostra total de 16 animais. As variáveis que demonstraram coeficiente de correlação estatisticamente significantes em relação ao peso foram: AE, AE/AO, FC, AVmax, onda E’, E/TRIV (p>0,05). A FC apresentou correlação positiva com o SIVd (r = 0,51), EPSS (r = 0,55) e onda E’ (r = 0,68); negativa com o TRIV (r = -0,41), onda A (r = -0.54), AVmax (r = -0,53) e Pmax (r = -0,65). A presente pesquisa permitiu a obtenção dos valores presumidamente normais das dimensões de câmaras e paredes cardíacas, strain e strain rate por speckle tracking bidimensional de cutias contidas quimicamente com cetamina e xilazina. As semelhanças observadas com a espécie humana para os valores de função cardíaca, obtidos pela técnica de strain por speackle tracking em cutias, sugerem que esta espécie apresente potencial para ser explorada como modelo animal em estudos pré-clínicos em cardiologia.

  • FRANCISCO DE ASSIS DINIZ SOBRINHO
  • Varredura genômica em Capra hircus sob seleção natural no semiárido
  • Data: 16/01/2019
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  

     O objetivo do presente trabalho foi buscar loci sob seleção natural (outliers) através de três diferentes abordagens e associar estas regiões do genoma do caprino Marota com possíveis efeitos do processo de adaptação evolutiva, possibilitando a identificação de assinaturas de seleção natural. Foram usadas amostras de 86 caprinos do grupo genético designado Marota, em duas populações. A genotipagem foi realizada utilizando o Chip 50K SNP da Illumina. O estudo identificou um FST global de 0.160 e uma lista de 1761 marcadores outliers que apresentam uma razão FST e Heterozigosidade Esperada Total (HET) acima da zona de neutralidade, com uma média de 0.294625. A análise fdist2 (p-value<0,01) permitiu refinar as distribuições individuais e identificar 14 loci outliers, que indica estarem os mesmos sob efeito de seleção. O pcadapt com FDR<0,01 detectou 14 loci outliers, sendo três com sobreposição nas três abordagens, o que permite caracteriza-los como sob seleção natural. Nessa perspectiva, percebe-se que a determinação da localização e caracterização dos outliers no genoma caprino é fundamental para compreender a função e o envolvimento dessas regiões no processo evolutivo dos grupos genéticos locais ou naturalizados. Conclui-se que os SNPs permitem criar uma robusta fundamentação conceitual e mapas de seleção natural de alta resolubilidade, que facilitarão identificar genes sob seleção e ajuda a elucidar a história evolutiva da Capra hircus no nordeste brasileiro.


     

2018
Descrição
  • MARCUS VALÉRIUS DE MATOS FREITAS
  • CAPACIDADE REGENERATIVA DE CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS NAS LESÕES ULCERATIVAS PROFUNDAS DE CÓRNEA EM COELHOS
  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 24/09/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A oftalmologia veterinária e humana depara-se com a necessidade de buscar tratamentos cada vez mais eficazes seguros, menos onerosos, e com aplicabilidade para as diversas oftalmopatias, sobretudo nas úlceras de córnea, importantes causas de opacidades da córnea, e conseqüentes déficits visuais.  Assim, objetivou-se com esta pesquisa, avaliar os efeitos da utilização de células-tronco mesenquimais de medula óssea de coelho (CTMMO), aplicadas pela via subconjuntival, no tratamento da úlcera de córnea profunda induzida em coelhos, comparadas com técnica cirúrgica de enxerto corneoconjuntival. Foram utilizadas CTMMOs previamente isoladas e caracterizadas no Núcleo Integrado de Morfologia e Pesquisas com Células-Tronco NUPCelt/UFPI (ALENCAR, 2017). Utilizou-se 24 coelhas da raça Nova Zelândia, adultas, hígidas, divididas em 6 grupos com 4 animais cada: GC-7, GC-15, GC-30, que receberam aplicação de CTMMO via subconjuntival na concentração de 1x106/0,2ml de PBS, e avaliados por um período de 7, 15 e 30 dias, respectivamente; e os grupos GE-7, GE-15 e GE-30, que foram submetidos à técnica cirúrgica de enxerto corneoconjuntival, e avaliados por 7, 15 e 30 dias. As CTMMO utilizadas foram previamente marcadas com nanocristais fluorescentes (Q-tracker®) inclusos no citoplasma. Foi realizada avaliação dos sinais clínicos diariamente, durante os períodos estabelecidos, e ao final de cada tempo de avaliação, as coelhas foram eutanasiadas e submetidas à coleta de córneas para avaliação histopatológica e imunohistoquímica. Nos animais dos grupos tratados com CTMMO, macroscopicamente não foram evidenciadas opacidade da córnea e vascularização. Já nos grupos submetidos à cirurgia com enxerto córneoconjuntival a opacidade da córnea variou de ausente a leve e severa entre os animais, com diferença significativa entre os grupos (p<0,05), exceto entre GC-7 e GE-7.  Sinais de blefarospasmo, dor, fotofobia, secreção ocular e hiperemia conjuntival nas coelhas dos grupos GC-7, GC-15 e GC-30, foram mais discretas que nos GE-7, GE-15 e GE-30, apresentando diferença estatística (p<0,05). A reepitelização evidenciada pela ausência de tingimento da córnea pela fluoresceína, embora sem apresentar diferença estatística, ocorreu precocemente nos animais dos grupos tratados com CTMMO, em média aos 6 dias, enquanto nas coelhas submetidas à cirurgia por enxerto corneoconjuntival a média foi de 10 dias pós-operatório. Quemose foi um sinal clínico com discreta variação entre os grupos de tratamento, no entanto, sem diferença significativa. Opacidade lesão/enxerto diferiu estatísticamente (p < 0,05) apenas entre GC-15 e GE-15, sendo mais evidente no segundo grupo. Na análise histopatológica das córneas, vascularização e infiltrado inflamatório diferiram significativamente entre os tratamentos (p<0,05), uma vez que nos grupos tratados com CTMMO não foi observado vascularização e o infiltrado inflamatório foi discreto e apenas no GC-7. Por outro lado, nos animais submetidos à cirurgia com enxerto corneoconjuntival essas alterações variaram de médias à severas, sendo o infiltrado inflamatório caracterizado por polimorfonucleares, sobretudo eosinófilos. Quanto ao espessamento da córnea, foi mais evidente nas coelhas dos grupos GE-7, GE-15 e GE-30 diferindo significativamente entre os tratamentos (p<0,05) em relação aos grupos GC-7, GC-15 e GC-30. Outras alterações como: hiperplasia, hipertrofia e degeneração hidrópica do epitélio corneal, além de fibroplasia foram evidenciadas, no entanto, não diferiram estatisticamente entre os grupos. Na avaliação imunoistoquímica, a imunomarcação com o Fator de crescimento do endotélio vascular (VEGF) foi mais evidente nos animais submetidos à cirurgia com enxerto corneoconjuntival. Conclui-se que a terapia com aplicação subconjuntival de CTMMO, além de menos invasiva e de fácil realização, apresentou melhores resultados em relação à técnica cirúrgica de enxerto corneoconjuntival, no que se refere as variáveis úlcera de córnea, vascularização, dor e fotofobia, bem como, pelos achados histopatológicos. Assim, podemos inferir que o uso de células-tronco mesenquimais da medula óssea por via subconjuntival é viável para o tratamento de úlcera de córnea profunda em coelhos, podendo ser realizado em ambiente ambulatorial, por técnico devidamente treinado.

  • MOEMA SOUSA DE OLIVEIRA
  • Toxicidade reprodutiva do óleo essencial de jaborandi (Pilocarpus microphyllus Stapf ex Wardleworth) no macho adulto e no desenvolvimento da prole em ratos
  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 31/08/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Pilocarpus microphyllus Stapf ex Wardleworth (jaborandi, Rutaceae) é uma das mais importantes espécies medicinais brasileiras devido ao seu conteúdo de pilocarpina (PIL), um alcalóide usado no tratamento de glaucoma e xerostomia. Muito utilizada na medicina popular para diversos tratamentos, mas não se sabe ao certo seus efeitos no sistema reprodutor. O objetivo deste estudo foi investigar os possíveis efeitos da administração oral do óleo essencial de Pilocarpus microphyllus (OE-Pm) sobre o desenvolvimento da prole e sobre o sistema reprodutor de ratos machos. Para a avaliação de toxicidade nas progênies, as fêmeas prenhes (n=28) foram divididas em quatro grupos, sendo um grupo controle com Tween-80 a 1% e três grupos tratados com OE-Pm nas doses de 25, 50 e 100mg/kg por via oral, do oitavo dia de prenhez até o desmame. As progênies foram avaliadas diariamente quanto a quantidade de filhotes, peso ao nascer(g), deslocamento dos pavilhões auriculares, surgimento de pelos, abertura palpebral bilateral, abertura do canal vaginal, descida dos testículos e separação prepucial. A avaliação com os machos foram utilizados 28 ratos Wistar divididos em 4 grupos: grupo controle (Tween 80 a 1%) e três grupos de tratamento com OE-Pm nas doses de 25, 50 e 100mg/kg, por via oral por 60 dias. Foram realizados os seguintes testes: coleta dos órgãos e pesagem, análise de motilidade, vigor e concentração espermática.  Os dados paramétricos foram avaliados por análise de variância seguida pelo teste de Bonferroni (p<0,05) e os não paramétricos pelo teste de Kruskal Walis seguido pelo teste de Tukey (p<0,05) para comparações múltiplas. Os resultados do protocolo das progênies indicam que os parâmetros quantidade de filhotes, peso ao nascer (g), deslocamento dos pavilhões auriculares e surgimento de pelos não foram alterados de forma significativa. Contudo, as análises de abertura palpebral, abertura do canal vaginal, descida dos testículos e separação prepucial, analisados em dias, indicaram um retardo significativo nas progênies de ratas tratadas com o óleo. Os resultados para a avaliação  nos machos demonstraram que o peso da próstata de ratos tratados com óleo na dose de 100mg/kg diminuiu significativamente com relação ao controle, assim como a concentração espermática nas doses de 50 e 100mg/kg com relação ao controle e a dose de 25mg/kg de OE-Pm. Na análise vigor e motilidade não foram alteradas de forma significativa. Os animais não apresentaram sinais comportamentais de toxicidade. Assim, conclui-se que o óleo essencial de Pilocarpus microphyllus apresenta efeitos tóxicos no desenvolvimento inicial da prole assim como no sistema reprodutor do macho adulto.

  • MELINA DA CONCEIÇÃO MACÊDO DA SILVA
  • Estimativa da excreção de nitrogênio e fósforo de diferentes linhagens de frango de corte
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 06/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • O estudo desenvolvido objetivou levantar informações para estimar dois nutrientes importantes excretados pelas aves, que quando em excesso podem causar danos ao meio ambiente. Foram realizadas duas pesquisas, a primeira para quantificar a ingestão, excreção e aproveitamento (digestibilidade) da matéria seca, nitrogênio e fósforo das linhagens Cobb 500, Ross 308 e Hubbard Flex em diferentes idades nas condições ambientais do Sudoeste Piauiense. Foram utilizados 1200 frangos de ambos os sexos, distribuídos em delineamento experimental inteiramente casualizado em esquema fatorial 3x2 (3 linhagens x 2 sexos) com 5 repetições, totalizando 30 unidades experimentais. O período experimental foi de seis semanas, respeitando os períodos de adaptação (3 dias), coleta das excretas e controle do consumo de ração (4 dias) em cada semana, com posterior avaliação da quantidade do nitrogênio e do fósforo das excretas coletadas. Nas amostras de ração e excretas, foram determinados os teores percentuais da matéria seca, do nitrogênio e do fósforo. A partir dos resultados foram calculados o consumo da matéria seca (CMS), do fósforo (CP), do nitrogênio (CN), da matéria seca excretada (MSE), do fósforo excretado (PE), do nitrogênio excretado (NE) e os coeficientes de digestibilidade da matéria seca (CDMS), do fósforo (CDP) e do nitrogênio (CDN) de diferentes linhagens de frangos de corte de ambos os sexos, para então determinar os coeficientes de digestibilidade. Houve interação entre sexo e linhagem para algumas variáveis, após 25 dias de idade. Houve efeito do sexo apenas para o fósforo excretado, sendo que os machos apresentaram excreção de fósforo 10,21% maior que as fêmeas (2,05 x 1,86 g de P excretado/ave). Na fase de 25 a 28 e 32 a 35 dias de idade houve efeito da linhagem principalmente para fósforo excretado, observando que a linhagem Hubbard Flex apresentou menor excreção de fosforo em relação às demais linhagens na fase de 32 a 35 dias, porém foi semelhante à linhagem Ross na fase de 25 a 28 dias. A linhagem Cobb apresentou maiores excreções de fósforo nas duas fases citadas. Em relação ao sexo, as linhagens apresentaram variações para cada idade.  A segunda pesquisa foi utilizar modelos não lineares para descrever a excreção de matéria seca, nitrogênio e fósforo para três linhagens de frango de corte.  Os seguintes modelos não lineares, Brody e Von Bertalanffy, foram ajustados aos dados coletados de excretas das linhagens Cobb 500, Ross 308, Hubbard Flex e de ambos os sexos, cujas soluções foram obtidas mediante do programa estatístico SAS (SAS, 2002). Foram definidos os parâmetros a, b e k inerentes aos modelos.  Os parâmetros a representa o peso assintótico relacionado aos dados pesquisados da matéria seca excretada (MSE), fósforo excretado (PE) e nitrogênio excretado (NE), e b não tendo valor biológico, e o k a taxa de crescimento. Foram utilizados três avaliadores da qualidade de ajuste: coeficiente de determinação (R2), desvio médio absoluto (DMA), quadrado médio do resíduo (QMR) para avaliar o melhor modelo. O modelo Brody apresentou melhor ajuste na descrição das curvas de excreção para a variável MSE para Ross 308 fêmea, assim como Hubbard Flex fêmea. Enquanto que o modelo de Von Bertalanffy foi melhor ajustado para as linhagens Ross 308 macho e fêmea. Entre os dois modelos, Brody foi melhor ajustado. Para a variável PE, os melhores ajustes dos modelos foram observados para os frangos das linhagens Ross 308 macho e fêmea para o modelo de Von Bertalanffy. Enquanto que Cobb 500 fêmea foi melhor ajustada somente para o modelo de Brody. Na variável NE, ambos os modelos as linhagens que melhor se ajustaram foram Ross 308 macho e Cobb 500 fêmea, o que permite afirmar que o modelo de Von Bertalanffy foi o melhor ajustado para as linhagens por apresentarem os melhores valores nos parâmetros avaliados.

  • GEICE RIBEIRO DA SILVA
  • Genômica e genética populacional da abelha-sem-ferrão Melipona (Melikerriae) fasciculata no Brasil
  • Data: 06/08/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A abelha-sem-ferrão Melipona (Melikerriae) fasciculata, Smith (Tiuba, Uruçu cinzenta) apresenta-se distribuída no Norte e Nordeste do Brasil, aonde sua exploração vem tendo destaque pela importância econômica e ecológica. Porém, com a degradação ambiental ocorrida nos últimos anos, a espécie corre o risco de sofrer sérios problemas com a diminuição dos estoques populacionais, sendo necessárias estratégias eficientes que ajudem na sua manutenção. Para auxiliar nesse processo, a disponibilidade de marcadores moleculares para estudos populacionais com a espécie M. fasciculata torna-se essencial, principalmente no que se refere ao uso de marcadores de origem mitocondrial e microssatélites. Dessa forma, com o presente estudo de tese objetivou-se, caracterizar o mitogenoma da abelha M. fasciculata, desenvolver e validar marcadores microssatélites específicos para a espécie, e avaliar a variabilidade e estruturação genética das populações de abelhas da espécie Melipona fasciculata originárias dos meliponários oriundos de localidades do Piauí, Pará e Maranhão. Para isso por meio de sequenciamento de baixa cobertura (Next-Generation) gerou-se plataforma composta de sequências fragmentadas, os quais foram submetidos a softwares específicos para a montagem e avaliação do mitogenoma, bem como a identificação e seleção de regiões microssatélites, potenciais para estudos populacionais. No geral, gerou-se mitogenoma de 14.753 bp, obtendo-se 13 genes PCGs, 21 genes de tRNAs e dois genes de RNA ribossomal, com total de 86,6 % de AT. Todos os PCGs mostraram-se aptos para estudos filogenéticos, inclusive quando se concatenou todos eles em uma única sequência. De um total de 47.081 contigs obtidos na plataforma geral, 9.954 deles apresentavam regiões microssatélites (nuclear), com 11.869 microssatélites. Das seis unidades repetitivas básicas, as três mais frequentes foram os mono- (54,29%),  di- (27,17%), e trinucleotídeos (6,18%). Do tri- e tetranucleotideos obtidos, os motifs mais abundantes foram, AG (86,38 bp/Mb)  e AAGA (64,15 bp/Mb), respectivamente. Dentre todos os microssatélites tri- e tetranucleotideos identificados, desenhou-se 37 pares de primers específicos, sendo que desses obtivemos 17 pares que amplificaram loci polimórficos, os quais demonstraram ser úteis para estudos populacionais. Ao selecionarmos cinco marcadores específicos e sete heteroespecíficos mais polimórficos para os estudos populacionais, verificou-se uma moderada estruturação (FST=0,07) entre as populações amostradas, sendo que as que demonstraram maior grau de diversidade genética foram as oriundas do estado do Maranhão. Com esse estudo obteve-se um conjunto de novas ferramentas para estudos populacionais com abelhas-sem-ferrão, tanto a nível nuclear como mitocondrial, sendo que realizando um estudo mais detalhado detectou-se que as populações de abelhas M. fasciculata, presente no Norte e Nordeste tem uma estreita relação genética, com as populações do Maranhão se destacando pelo alto nível de variabilidade genética.

  • CRISTIAN FRANCISCO DE CARVALHO PEREIRA
  • HISTOMORFOMETRIA DAS GLÂNDULAS SALIVARES DE HAMSTERS SUBMETIDOS A DIETA HIPERLIPÍDICA E SOB EFEITO DO TRATAMENTO COM FEIJÃO-MUNGO (Vignaradiata L.)
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 25/07/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A dieta é um dos fatores determinantes para a elevação do risco de varias doenças na população mundial, dentre estas, a dislipidemia que leva à sindrome metabólica e suas consequentes complicações. Intervenções alimentares com leguminosas têm sido destacadas por auxiliarem na prevenção da dislipidemia, devido ao seu efeito modulador do perfil lipídico. O feijão - mungo (Vigna radiata L.) é uma leguminosa de origem asiática cujo consumo vem se estendendo no Brasil, na forma de grão normal e germinado.o broto de feijão, ou feijão germinado, promove um incremento no teor de nutrientes e compostos bioativos quando comparado ao grão normal. Esta pesquisa avaliou histomorfometricamente o estroma e o parenquima das glândulas submandibulares e sublinguais, direito e esquerdo de Hamster Syrio ( Mesocricetu auratus ) frente as alterações do efeito da dieta hiperlipídica e com intervenção dietética alimentar utilizando o feijão – Mungo na forma cozida e na forma de grãoes germinados. Após as devidas aprovações éticas, utilizaram-se 24 animais distribuídos aleatoriamente em 4 grupos sendo: controle , dislipidêmico , tratamento com feijão – mungo cozido e tratamento com feijão - Mungo – germinado. A indução a hipercolesterolêmica durou 49 dias , tendo sua composição 20% de caseína , 13,5% de gordura de coco, 0,1% de colesterol . Parte do feijão-mungo, cultivar MGS-Esmeralda foi cozida em autoclave (120°C) e outra parte germinada por 72 horas. O Mungo –verde cozido e o germinado foram secos em estufa ventilada a temperatura 50º C por 72h originando duas farinhas, Farinha de Feijão Integral (FFC) e Farinha de Feijão Germinado (FFG), sendo usadas como fonte protéica na produção das dietas experimentais de intervenção por 28 dias. Foram realizadas análises morfometricas de altura, largura , área e perímetro dos acinos mucoserosos, ductos granulares e estriados das glândulas submandibulares e acinos mucosos com ductos estriados nas sublinguais . Foi usado para a analise histomorfométrica shapiro - wilk para normalidade man – whtney para dados não paramétricos e a comparação entre tratamntos realizado o teste Kruskall – wallis , a nível de 5 % de significância . O feijão-mungo é uma leguminosa com propriedades funcionais e pode ser utilizado em nutrição clínica para melhorar os padrões histomorfometricos de acinos, ductos estriados e ductos granulosos de glândula submandibular sendo que a forma germinadatem melhor efeito morfoprotetor. Porém quando se avalia especificamente a glândula salivar sublingual nenhum efeito significante, entre grupos tratados e controle, em relação a dietoterapia a base de feijão – mungo é observado.

     

  • HIDALIANA PAUMERIK AGUIAR BASTOS
  • Complexo enzimático e farelo de arroz integral em dietas para frangos de corte
  • Orientador : AGUSTINHO VALENTE DE FIGUEIREDO
  • Data: 13/06/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O uso de complexo enzimático e farelo de arroz integral em dietas para frangos de corte foi avaliado por meio de dois experimentos. No primeiro experimento, foram utilizados 576 pintos, distribuídos em delineamento em blocos ao acaso, para estimação do desempenho produtivo, rendimento de carcaça, cortes e gordura abdominal, peso dos órgãos digestivos e coração, viabilidade econômica das dietas, composição e deposição de nutrientes e energia na carcaça de 1 a 21 dias de idade. No segundo, 144 pintos, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, para avaliação da metabolizabilidade dos nutrientes e energia, balanço de nitrogênio e a eficiência de utilização do nitrogênio nas dietas no período de 12 a 19 dias de idade. Em ambos os ensaios os tratamentos consistiram de três níveis de inclusão de farelo de arroz integral (0, 5 e 10%) associados com e sem complexo enzimático, em esquema fatorial. No período 1 a 21 dias de idade, à medida de se aumentou os níveis de farelo integral de arroz ocorreu efeito linear crescente para o ganho de peso e índice de eficiência produtiva e decrescente para a conversão alimentar. A suplementação enzimática agrega matéria mineral à carcaça. No período de 12 a 19 dias de idade, a suplementação de complexo enzimático reduz a excreção de matéria seca e proteína bruta, aumenta o consumo de energia bruta, coeficiente de metabolizabilidade da proteína bruta e energia bruta, o balanço de nitrogênio e eficiência do nitrogênio. A inclusão de até 10% de farelo de arroz integral sem suplementação enzimática melhora o ganho de peso, conversão alimentar e índice de eficiência produtiva de frangos de corte de 1 a 21 dias de idade. A utilização do complexo enzimático em dietas com farelo de arroz integral melhora a energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio.  

     

  • FÁBIO COÊLHO GOMES NÓBREGA
  • Queijo coalho enriquecido com coentro e manjericão desidratados
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 30/05/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O queijo coalho é um produto cuja origem considera-se do Nordeste do Brasil. Com este projeto, objetivou-se desenvolver a aceitação dos consumidores para formulações para queijo coalho adicionado das ervas: coentro (Coriandrum sativum) e manjericão (Ocimum basilicum). Para tanto, foram testadas nove formulações de queijo coalho processados conforme metodologia tradicional nordestina acrescida de ácido láctico diretamente ao leite. A massa resultante foi dividida em nove partes iguais para preparo dos tratamentos. Uma das partes não foi acrescida de ervas e foi considerada como controle (F1: 0,0% de coentro- CO e 0,0% de manjericão - MA). As demais partes foram adicionadas proporções de coentro e manjericão conforme o tratamento estabelecido: F2 (CO: 0,0% e MA: 0,1%); F3 (CO: 0,0% e MA: 0,2%); F4 (CO: 0,1% e MA: 0,0%); F5 (CO: 0,2% e MA: 0,0%); F6 (CO: 0,1% e MA: 0,1%); F7 (CO: 0,2% e MA: 0,1%); F8 (CO: 0,1% e MA: 0,2%); F9 (CO: 0,2% e MA: 0,2%). Todas as formulações foram analisadas quanto as características físico químicas, microbiológicas e sensoriais. As formulações não apresentaram diferenças significativas relativas as características físico químicas. Houve aumento na contagem de bactérias mesófilas após 30 dias de preparo quando comprado os resultados iniciais obtidos aos dez dias de maturação. Quanto às análises sensoriais foi observado que a F1 obteve melhor resultado em relação as demais. No entanto, as formulações F2 e F4 não apresentaram diferença significativa no que que se refere ao aroma, sabor e textura quando comparada com a F1. Essa diferença pode ter sido associada a cor verde nas diversas formulações acrescidas de ervas. Os resultados iniciais estão indicando que a adição de ervas aos queijos coalho podem agregar valor e caracterizam-se como produto promissor.

  • MICHERLENE DA SILVA CARNEIRO LUSTOSA
  • Eficiência dos ésteres de pequi (Caryocar coriaceum) como antioxidante na criopreservação espermática de touros curraleiro pé duro
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 30/05/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Avaliou-se a eficiência do óleo de pequi (Caryocar brasiliense) como antioxidante ao diluidor tris-gema, na qualidade seminal de touros curraleiros pé duro. Foram coletados o sêmen de 6 touros, provenientes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA Meio Norte, localizada na cidade de Campo Maior, Piauí, Brasil. Foram aferidas as características biométricas de desenvolvimento testicular dos animais como circunferência escrotal, comprimento e largura testicular, para o cálculo do volume testicular. Os ejaculados de cada animal foram divididos em quatro tratamentos, um controle (tris-gema), outro com tris-gema + 0,5 ml/L de óleo de pequi, tris-gema + 1,0 ml/L de óleo de pequi e tris-gema+1,5 ml/L de oléo de pequi. Adotou-se o delineamento inteiramente casualisado -DIC em esquema fatorial 4 x 6, com quatro tratamentos, seis animais e seis medidas repetidas no tempo. As coletas de sêmen foram realizadas duas vezes por semana, por três semanas, totalizando 36 ejaculados, com o auxílio de um eletro estimulador controlado automaticamente (Biocon ® Soluções para Biotecnologia, Uberaba, Minas Gerais, 150 Brasil). O teste de termorresistência rápido, avaliação da integridade da membrana plasmática, avaliação da integridade do acrossoma e a avaliação de danos na morfologia espermática foram realizadas no Laboratório de Biotecnologia da Reprodução Animal (UFPI). A cinética espermática foi avaliada por meio de um sistema analisador de espermatozoide auxiliado por computador (CASA) no Laboratório de Reprodução Animal (UECE) cujos dados de motilidade progressiva não apresentaram diferença estatística entre os tratamentos.

  • VICENTE IBIAPINA NETO
  • Variabilidade fenotípica e crescimento corporal de grupos genéticos de galinhas
  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 30/05/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As aves domésticas naturalizadas da região Nordeste são importantes por apresentarem características peculiares adquiridas em respostas às condições do ambiente e devem ser conservadas. Dentre os animais com potencial para causar erosão genética nessas aves estão os galos combatentes, que são agressivos e geralmente inseridos nos criatórios familiar. Com base no exposto, objetivou-se com essa pesquisa caracterizar a variabilidade fenotípica em galos naturalizados e de criação familiar da micro-região de Teresina – PI e caracterizar o padrão de crescimento de aves em rebanhos de conservação. Na caracterização da variabilidade fenotípica recorreu-se a metodologia de agrupamento de Ward e análise de componentes principais, utilizando-se informações da morfologia e morfometria corporal de galos amostrados aleatoriamente em criatórios familiar (municípios de Teresina e de Campo Maior – PI), de quatro ecótipos mantidos em Núcleo de conservação pela Universidade Estadual do Piauí e de animais de combate recolhidos de criatórios de Teresina, cujas medidas estão em banco de dados dessa Instituição. As características de natureza qualitativa submetidas a análises descritivas mostram os ecótipos Graúna Dourada, Teresina, Nordestina e o grupo sintético Sertaneja com prevalência de crista serra. Já no ecótipo Brejeira, Galos combate e nos galos dos criatórios familiar foi a crista do tipo ervilha, que pode ser vista como indício da participação do galo de combate nos cruzamentos com populações da região. O galo de combate inserido na avicultura familiar pode provocar erosão genética difícil de ser visualizada por avaliação visual. As características quantitativas submetidas a Análises multivariadas por critérios de agrupamento colocaram os quatro ecótipos em um grupo e os galos de combate com os animais dos criatórios familiar em outro, o que se assemelhou com a análise por componentes principais, que apresentou o comprimento corporal e o peso vivo com a maior variabilidade. Para avaliar o padrão de crescimento de animais dos ecótipos em rebanhos de conservação utilizou-se modelos não lineares.  Os dados de peso/idade das aves foram submetidos aos procedimentos NLIN e NLMIXED do SAS para obtenção das estimativas dos parâmetros a, b, k, c e d dos modelos Brody, Von Bertalanffy, Gompertz, Logístico e Quadrático Logarítmico. No ajuste aos dados longitudinais de peso por idade utilizou-se o método de Gauss-Newton. Os ecótipos de galinhas Naturalizadas apresentam crescimento lento quando comparados com outros grupos genético presentes na literatura, como o Caboclo, Carijó, Colorpak, Gigante Negro, Pesadão Vermelho, Pescoço Pelado e Tricolor. O modelo logístico é o mais adequado para descrever o crescimento de galinhas naturalizadas e o ecótipo Teresina apresenta maior potencial de crescimento.

  • YNDYRA NAYAN TEIXEIRA CARVALHO CASTELO BRANCO
  • Efeito da suplementação dos ácidos, oléico e palmítico, e do eugenol na criopreservação de sêmen bovino
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 29/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • A identificação de tecnologias que venham a reduzir os danos e melhorar as condições de criopreservação se torna relevante do ponto de vista biotecnológico, neste contexto surge o papel dos antioxidantes no diluidor de sêmen. Os danos peroxidativos induzem à formação de espécies reativas ao oxigênio (ROS), uma das principais causas da redução da viabilidade e da fertilidade dos espermatozoides. Diante deste contexto surge a necessidade de aperfeiçoar os processos de tecnologia de sêmen, principalmente quanto ao uso de diluentes, assim como avaliar as alterações espermáticas após a diluição e a criopreservação. Por conseguinte, o objetivo dessa pesquisa será avaliar os efeitos dos antioxidantes (ácido oleico, ácido palmítico e eugenol) na viabilidade de espermatozoides bovinos criopreservados. Foram coletados o sêmen de 4 touros, provenientes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA Meio Norte, localizada na cidade de Campo Maior, Piauí, Brasil. Foram aferidas as características biométricas de desenvolvimento testicular dos animais como circunferência escrotal, comprimento e largura testicular, para o cálculo do volume testicular. As coletas de sêmen foram realizadas duas vezes por semana, por três semanas, totalizando 24 ejaculados, com o auxílio de um eletro estimulador controlado automaticamente (Biocon ® Soluções para Biotecnologia, Uberaba, Minas Gerais, 150 Brasil). O sêmen foi diluído em meio Tris-Gema de acordo com a concentração espermática e o ejaculado de cada animal foi dividido em sete tratamentos, controle (tris-gema), 50µM e 100 µM (ácido oleico); 50µM e 100 µM (ácido palmítico); 10µM e 50 µM (eugenol). Posteriormente o sêmen foi congelado em máquina TK 3000 em curva específica para a espécie, e posteriormente armazenado em botijão criogênico a -196ºC. Após a descongelação em banho maria a 37ºC por 30 segundos, foi avaliado a longevidade espermática através do teste de termorresistência (TTR), mensurando a motilidade e vigor espermáticos em 0, 60, 120 e 180 minutos pós-descongelação. O sêmen descongelado foi submetido ao teste de funcionalidade da membrana plasmática pelo HOST. Para análise estrutural dos espermatozoides foram utilizadas sondas fluorescentes, determinando a integridade de membrana plasmática, integridade acrossomal das células espermáticas. A análise morfológica dos defeitos espermáticos foi feita pela contagem de 200 células em preparação úmida, quantificando-se os defeitos de cabeça, defeitos de peça intermediária, defeitos de cauda, defeitos maiores e defeitos totais. Adotou-se O delineamento experimental foi em bloco ao acaso – DBC, com sete tratamentos, quatro animais e cinco medidas repetidas no tempo. No TTR, ocorreu maior porcentagem de motilidade e maior vigor na EC. O tratamento P100 apresentou menor motilidade e vigor espermático. Na análise estrutural observou-se maior integridade acrossomal no tratamento E10.

  • DAYSEANNY DE OLIVEIRA BEZERRA
  • USO TERAPÊUTICO DE CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS E CÉLULAS PROGENITORAS RENAIS NA SÍNDROME DE ISQUEMIA/REPERFUSÃO RENAL EM SUÍNOS
  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 29/05/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A síndrome de isquemia/reperfusão renal (IRR) representa cerca de 70% das causas de morbimortalidade relacionadas à lesão renal aguda. Ocorre em diversas doenças, a exemplo da embolia da artéria renal, além de ser característica em transplantes renais. A IRR durante a agressão isquêmica leva à necrose tubular aguda e na reoxigenação celular é caracterizada pelo aumento na peroxidação lipídica, no dano celular e na redução da função de filtração e excreção renal. O objetivo deste estudo foi analisar o comportamento in vitro das células progenitoras renais de suínos (CPR-su) comparando às células-tronco mesenquimais da medula óssea de suínos (CTMMO-su), e avaliar seu potencial terapêutico na síndrome de isquemia/reperfusão renal. Foram utilizados amostras de medula óssea e fragmentos renais de suínos, para isolamento de CTMMO-su e CPR-su. Após estabelecimento da cultura, foram realizados ensaios de cinética celular, unidade formadora de colônia fibroblastoide (UFC-F), citometria de fluxo, diferenciação celular em três linhagens e avaliação da morfologia celular. Para avaliação da terapia celular, foram utilizados 15 suínos machos, sadios, com idade entre 60 a 70 dias, divididos em três grupos de cinco animais (GC – Controle, G1- tratamento com CTMMO-su e G2 - tratamento com CPR-su), os quais foram submetidos à nefropatia por modelo de isquemia total bilateral durante uma hora, seguido de reperfusão sanguínea. As CTMMO-su e CPR-su, foram marcadas com nanocristais fluorescentes (Q-tracker®). Nos animais do GC, foi infundido 1mL de solução fisiológica, via local; nos suínos do G1, a infusão de CTMMO-su (1x106/animal); e no G2, CPR-su (1x106/animal). Os animais foram avaliados por meio de ultrassonografia renal e urinálise, antes e após infusão celular e realizada análise histopatológica após quatro e oito dias do tratamento. Os resultados foram submetidos à análise estatística com dados paramétricos em parcela subdividida e comparação de médias por teste F e dados não paramétricos por teste Kruskal-Walis a 5% de significância. As CPR-su e CTMMO-su apresentaram comportamento semelhante, aderência ao plástico, morfologia fibroblastoide, positivas ao ensaio de UFC-F, diferenciação em linhagens condrogênica, adipogênica e osteogênica. Na caracterização imunofenotípica, as CTMMO-su apresentaram-se CD14-/CD133-/CD105+/CD90+/CD140b+; as CPR-su em segunda passagem (P2), CD14-/CD105-/CD90+/CD140b+/CD133+; e em P4, CD14-/CD105-/CD90+/CD133-/CD140b-. As análises histopatológicas demonstraram diferenças estatísticas significativas, para as variáveis de degeneração tubular, necrose/apoptose tubular e ectasia tubular, com menor média para G2, comparado ao GC e G1, entretanto estes, não diferiram entre si (p<0,05). Dessa forma, foi comprovado com relativa segurança, que as progenitoras isoladas do córtex renal suíno são multipotentes, com expressão similar às tronco mesenquimais medulares. É salutar destacar a importância de estudos posteriores que determinem a genômica desta população multipotente, para corroborar ou questionar os resultados ora apresentados. Infere-se que o nicho cortical renal em suínos representa importante fonte de células progenitoras multipotentes com potencial para ensaios pré-clínicos, conforme demonstrado nos achados teciduais e laboratoriais desta pesquisa. Portanto, podemos concluir que os animais tratados com células progenitoras renais apresentaram melhores resultados teciduais, comparados aos dos grupos controle e tratamento de células tronco mesenquimais da medula óssea.

  • ROSIANNE MENDES DE ANDRADE DA SILVA MOURA
  • Caprinos em área de caatinga do semiárido piauiense: forragem disponível, valor nutritivo da dieta, comportamento e desempenho
  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 27/04/2018
  • Mostrar Resumo
  • CARACTERIZAÇÃO ETNOBOTÂNICA, COMPORTAMENTO E VARIAÇÃO DE PESO DE CAPRINOS EM SÍTIOS DE PASTEJO DE VEGETAÇÃO DE CAATINGA NO SEMIÁRIDO PIAUIENSE

     

    Pastagens nativas em áreas de Caatinga no Piauí constituem a principal fonte de alimentação de ruminantes domésticos. Nesse cenário, conhecimentos acerca de características físicas e biológicas são essenciais para a definição de manejos destes ecossistemas. Neste trabalho, realizado no Assentamento Lisboa, município de São João do Piauí, no período de outubro de 2015 a outubro de 2016, foram avaliados: a dieta de caprinos, a fitossociologia e a forragem disponível, valor nutritivo da dieta, comportamento e variação no peso de caprinos em dois sítios ecológicos. A dieta foi identificada através de levantamento etnobotânico, e posteriormente, levantamento fitossociológico; quantificou-se a massa de forragem e avaliou-se o valor nutritivo de espécies forrageiras nativas. A distância percorrida e o tempo de pastejo foi estimado com uso de GPS, foram avaliados o peso de 18 cabras adultas no período de um ano com pesagens a cada 14 dias. No levantamento etnobotânico, foram citadas 31 espécies de plantas forrageiras como presentes na dieta de caprinos, porém, somente 16 espécies foram encontradas nos sítios, correspondendo a 47% das citações. Com o estudo fitossociológico, foram inventariados 923 indivíduos, sendo 436 contabilizados na Caatinga arbustiva, e 487 indivíduos na, Caatinga arbórea, nesta ocorreu maior diversidade florística com o H’ de 2,16 nats.ind-1; o H’ na área arbustiva foi 1,02 nats.ind-1. O coeficiente de Jaccard indicou baixa homogeneidade florística entre as áreas, com J igual a 0,13. A fitomassa total variou de 338,32 a 41,13 kg MS.ha-1 (Caatinga arbustiva) e 917,28 a 21,64 kg MS.ha-1 (Caatinga arbórea), nos meses de março e julho, respectivamente. Em outubro a produção de serapilheira foi de 1.785,96 na caatinga arbustiva e 1.587,28 kg MS ha-1 na arbórea. O maior peso das matrizes foi registrado no mês de maio, 33,1 kg.PV-1, época de transição entre a chuva e a seca, e o menor peso médio, 26,93 kg.PV-1, no final do período seco. Os animais tinham acesso a uma área de cerca de 2.880 ha, contudo o ponto de água foi um fator que definiu as áreas de pastejo e o deslocamento. No período chuvoso percorreram ao longo do dia uma média de 6,43 km dia-1, sendo que na época seca, essa distância percorrida foi 7,36 km dia-1. Com relação as atividades desenvolvidas pelos animas durante o dia, estimantiva a partir de dados de distância percorrida, a maior parte do tempo foi investida em deslocamento, 62,7%, em pastejo foi 36,5%. Os arbustos e árvores são as principais fontes de forragem para caprinos na caatinga, com destaque para a família Fabaceae A caatinga arbustiva tem menor diversidade que a arbórea, entre estes sítios ocorre uma baixa similaridade. A variação de peso de cabras ao longo do ano reflete a disponibilidade e o acesso a forragem na caatinga.

  • JAMILLY ERICA SOUSA CAMPELO
  • AVALIAÇÃO DA TOXICIDADE REPRODUTIVA E SISTÊMICA DO ÁCIDO ELÁGICO EM RATOS WISTAR
  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 18/04/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi investigar os possíveis efeitos da administração oral do ácido elágico (AE) sobre os parâmetros reprodutivos e sistêmicos de ratos Wistar, machos e fêmeas contribuindo com conhecimentos sobre a utilização do mesmo, de forma a indicar o grau de segurança como agente terapêutico. Para os protocolos experimentais de toxicidade nos machos foram utilizados 40 ratos Wistar e 40 ratas Wistar para acasalamento, os machos foram divididos em 4 grupos de acordo com as doses do AE: grupo controle (água destilada) / (GC) e os grupos tratamento de 3,10 e 30 mg/kg do AE, nos quais se realizaram os seguintes testes: consumo de água e ração, massa corpórea, alterações comportamentais, coleta dos órgãos e pesagem e avaliação da fertilidade. Para os protocolos experimentais nas fêmeas foram utilizadas 32 ratas Wistar e 16 ratos Wistar para acasalamento, as fêmeas foram divididas em 4 grupos de acordo com as doses do AE: grupo controle (água destilada) / (GC) e os grupo tratamentos de 3,10 e 30 mg/kg do AE.  Nos quais se realizaram os seguintes testes: avaliação do ciclo estral, toxicidade gestacional, avaliação da ninhada, consumo de água e ração, massa corpórea, alterações comportamentais, coleta dos órgãos e pesagem. Os dados foram avaliados por análise de variância seguida pelo teste Student Newman-Keuls (p<0,05). Os resultados para o protocolo nos machos demonstraram que o AE não alterou o ganho de peso dos animais tratados. Houve uma diminuição na massa relativa dos órgãos, baço e rins no grupo de 30 mg/kg quando comparado ao GC, porém os animais não apresentaram sinais comportamentais de toxicidade. Não houve diferença significativa na morfologia espermática. A concentração espermática teve redução significativa nos grupos de 10 e 30 mg/ kg quando comparado ao GC. A análise histopatológica dos órgãos reprodutivos não apresentou alterações quando comparado ao GC. Para o protocolo nas fêmeas, os resultados demonstraram que o AE reduziu o consumo de ração e água na dose de 10 mg/kg, porém não alterou o ganho de peso nem a massa relativa dos órgãos dos animais tratados quando comparado ao GC. Na análise histopatológica dos órgãos reprodutores não houve alterações quando comparados ao GC. Os animais não apresentaram sinais comportamentais de toxicidade. Não houve diferença significativa nas variáveis: ciclo estral e toxicidade gestacional. Os filhotes apresentaram um aumento significativo no ganho de peso no grupo de 3 mg/kg no dia 4. Conclui-se que o ácido elágico não provocou toxicidade reprodutiva e sistêmica relevantes nas fêmeas, dentro do intervalo de doses e no período de tempo utilizado. No macho, provocou pequena redução na concentração espermática, sem prejudicar a capacidade de fecundação.

  • ALINE MARIA DOURADO RODRIGUES
  • CAPACIDADE PROBIÓTICA E ADSORÇÃO DE AFLATOXINA B1 POR LEVEDURAS ISOLADAS DE VIVEIROS DE PISCICULTURA
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 12/04/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As micotoxinas são metabólitos secundários produzidos por fungos dos gêneros Aspergillus, Penicillium e Fusarium que contaminam alimentos e rações animais. As aflatoxinas são micotoxinas produzidos pelos fungos do gênero Aspergilllus, tendo destaque as espécies A. flavus e A. parasiticus, que apresentam propriedades tóxicas à saúde humana e animal. Deste modo, a utilização de adsorventes naturais, como a levedura Sacharomyces cerevisiae, para remoção de micotoxinas apresenta-se como alternativa para minimizar o impacto negativo destes contaminantes. Dessa forma, objetivou-se isolar e identificar leveduras da água e substrato de viveiros de piscicultura que cultivam tilápia-do-Nilo (Oreochromis niloticus) e tambaqui (Colossoma macropomum); avaliar in vitro a capacidade probiótica e adsorvente de aflatoxina B1 por cepas Saccharomyces cerevisiae; encapsular S. cerevisiae por spray drying e comprovar a manutenção da sua capacidade descontaminante de aflatoxina B1; demonstrar in vivo o desempenho e a sanidade de alevinos de tilápia-do-Nilo alimentados com rações contaminadas por aflatoxina B1 e adicionadas de S. cerevisiae encapsulada. A identificação molecular das leveduras procedeu primeiramente através da técnica PCR fingerprinting, para agrupamento das cepas de mesmo perfil genético, posteriormente seguiu-se a amplificação da região ITS e sequenciamento do DNA para confirmação das espécies. Somente seis das 30 cepas isoladas foram identificadas como Saccharomyces cerevisiae, assim as cepas A8L1, A8L2, A8L3, S11L2, S12L1 e S12L2 seguiram para os testes in vitro de capacidade de adsorção de Aflatoxina B1 e de avaliação do potencial probiótico pelos testes: autoagregação, co-agregação e atividade antimicrobiana contra bactérias patogénicas, inibição homóloga, resistência a antibióticos e sobrevivência às condições gastrointestinais. Todas as seis cepas apresentaram capacidade probiótica, no entanto apenas as cepas A8L2 e A8L3 tiveram habilidade de adsorver AFB1. Dessa forma, a cepa A8L3 foi escolhida para o encapsulamento por spray drying, no qual os agentes encapsulantes testados foram o amido e a maltodextrina, posteriormente a levedura encapsulada foi armazenada em refrigeração a 4ºC e avaliada a sua viabilidade durante 60 dias. Pode-se comprovar que a S. cerevisiae encapsulada com maltodextrina apresentou-se viável durante o período de armazenamento e também se manteve a propriedade de adsorção de AFB1. A próxima etapa será o ensaio in vivo para avaliação do efeito da S. cerevisiae encapsulada incluída na alimentação de tilápia-do-Nilo com ração contaminada por AFB1.

  • CYNARA CRISTHINA ARAGÃO PEREIRA
  • DOENÇA DE CHAGAS AGUDA NO PIAUÍ
  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 27/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Esta Tese faz uma revisão sobre o histórico da Doença de Chagas Aguda (DCA), bem como o agente etiológico, hospedeiros, formas de transmissão e manifestações clínicas da enfermidade; além do ciclo biológico do Trypanosoma cruzi. A revisão perpassa pela epidemiologia da DCA no mundo, Brasil, Nordeste e Piauí, em seus aspectos sociodemográficos, ecológico, ambientais e climáticos; bem como a cerca da Vigilância Entomológica dos vetores no Brasil. A Tese tem como objetivo analisar a Doença de Chagas Aguda no estado do Piauí; considerando os aspectos epidemiológicos, sociodemográficos, climáticos e entomológicos. O Capítulo 1 refere-se ao perfil epidemiológico da DCA no Piauí. Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo e transversal, de abordagem quantitativa. Teve como cenário o estado do Piauí, o qual possui 224 municípios. Os dados da DCA foram coletados no SINAN, no período de 2001 a 2014, com as variáveis de municípios, sexo, faixa etária, raça, escolaridade, zona de residência, modo de infecção, local de infecção, critério de confirmação e evolução do caso. Os dados demográficos, de população residente foram coletados no DataSUS, e de Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), no IBGE. Foram notificados, de 2001 a 2014, 164 casos de doença de Chagas aguda no Piauí. A maioria dos casos concentra-se nos anos de 2001 a 2006 (98,2%). Nos anos de 2007, 2008 e 2011 tiveram apenas três casos notificados, um em cada ano, em todo o estado. Nos anos de 2009, 2010 e de 2012 a 2014 não tiveram notificações de DCA. Os municípios de maiores notificações foram: Colônia do Piauí, Santa Cruz do Piauí, Coronel José Dias, São João do Piauí, Hugo Napoleão e Teresina. Em relação às variáveis sociodemográficas, entre os indivíduos notificados com DCA no Piauí, houve predominância de mulheres, entre 40 e 59 anos de idade, raça parda, com Ensino Fundamental menor concluído e residente na zona rural. Quanto aos aspectos clínicos das pessoas com diagnóstico de DCA no Piauí, houve predominância de transmissão vetorial, cujo local provável de infecção foi o domicílio, com critério laboratorial, com evolução de remissão das manifestações clínicas. Em toda a série, tiveram apenas dois óbitos, nas cidades de Picos e Pio IX. Utilizando as variáveis sociodemográficas para agrupar os municípios, originando grupos de padrões de cidades piauienses, verificou-se, pela observação das dissimilaridades entre as cidades até o ponto médio, a formação de sete grupos ou sete padrões ou, ainda, sete perfis epidemiológicos de casos de DCA no estado do Piauí. O Capítulo 2 refere-se à relação entre doença de Chagas aguda e o clima no Piauí. Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo e transversal, de abordagem quantitativa. Teve como cenário o estado do Piauí, o qual possui 224 municípios. Os dados da DCA foram coletados no SINAN, no período de 2001 a 2014. As variáveis obtidas foram: municípios e meses do ano. Os dados climáticos foram extraídos das análises dos mapas das Normais Climáticas do estado do Piauí (ANDRADE JÚNIOR et al., 2004). Os casos de DCA ocorreram, em todo o período analisado, mais nos meses de janeiro, maio, junho e setembro; demonstrando uma tendência de casos de DCA no Piauí no mês de janeiro. A temperatura média anual não parece ter influenciado na quantidades de casos de DCA. O Capítulo 3 refere-se à Vigilância Entomológica dos triatomíneos vetores da doença de Chagas no Piauí. Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo e transversal, de abordagem quantitativa. Teve como cenário o estado do Piauí, o qual possui 224 municípios. Os dados entomológicos foram coletados dos Relatórios do Sistema de Informações das Operações de Campo – Chagas / Piauí (SIOC-Chagas/PI), no período de 2014 a 2017. Os dados referem-se às atividades de captura, análise e detecção de infecção por T. cruzi (ativa e passiva) nos municípios piauienses. Nos relatórios do SIOC-Chagas/PI, na captura de triatomíneos peri e intradomicílio, dos 224 municípios piauienses, somente 16 tiveram notificação de forma passiva no estado. Foram capturado 131 triatomíneos, sendo a maioria em peridomicílio. Já os relatórios do SIOC-Chagas/PI relativos à busca ativa verificou-se uma alternância entre crescimento e decréscimo na quantidade de triatomíneos capturados, bem como de triatomíneos infectados pelo T. cruzi. A espécie Eratyrus mucronatus ocorreu nas cidades de Alagoinha, Queimada Nova e Domingos Mourão.

     

  • JEFFERSON RODRIGUES ARAÚJO
  • Estudo anatômico de crânios de catetos (Tayassu tajacu, Linnaeus, 1758) por meio de tomografia computadorizada
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 26/03/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho teve como objetivo avaliar e descrever as estruturas anatômicas do crânio de catetos adultos (Tayassu tajacu)através do uso de Tomografia Computadorizada, a fim de insertar informações na comunidade científica que possam contribuir como bases para uso clínico, zootécnico ou de pesquisa. Para a realização desta pesquisa foram ultilizados 10 crânios de catetos adultos com ausência de sexagem dos espécimes por não existir estruturas ósseas do crânio que permitam dimorfismo sexual para a espécie. O estudo tomográfico foi realizado utilizando um equipamento tomógrafo helicoidal (GE Hi-Speed FXI) com 120kVp e auto-mA, na velocidade de uma rotação s-1. Cortes transversais de 2mm de espessura foram realizados, obtidos desde os dentes incisivos até os condilos dos occiptais, com intervalos entre cortes de 1mm. As imagens da tomografia computadorizada mostraram definição espacial das estruturas ósseas de toda a área cranial avaliada, mostrando-se útil para revelar detalhes anatômicos de tecidos mineralizados. Dentre os aspectos avaliados, definiu-se as espessuras de ossos que compõem o crânio (Nasal, Incisivo, Maxilar, Lacrimal, Zigomático/Arco Zigomático, Frontal, Temporal, Parietal, Occipital, forames Infra-orbitárioe supra-orbitários),a circuferência das órbitas oculares, avaliação das conchas nasaisdorsais médias e ventrais,lâmina perpendicular do etoide, seios nasais e frontais e cavidade craniana, determinação da fórmula dentaria da arcada superior[C1]  e reconstrução tridimensional de estruturas como forames infra e supraorbitários, crista facial e crista sargital. As imagens multiplanares em conjunto da reconstrução 3D apresentaram eficácia na realização da descrição antômica.

  • JACKELLINE CRISTINA OST LOPES
  • Vitamina C e Zinco em Dietas para Frangos de Corte
  • Orientador : AGUSTINHO VALENTE DE FIGUEIREDO
  • Data: 13/03/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

     

    Os efeitos da suplementação de vitamina C e zinco em dietas para frangos de corte foram avaliados por meio de dois experimentos. No primeiro experimento, foram utilizados 700 pintos de corte, machos da linhagem Ross 308, distribuídos em delineamento em blocos ao acaso, para avaliação do desempenho produtivo, no período 1 a 7 e 1 a 21 dias de idade, rendimento de carcaça, cortes e gordura abdominal, tamanho do baço, peso dos órgãos linfoides, digestivos e coração, composição química e deposição de nutrientes e energia na carcaça aos 21 dias de idade. No segundo experimento, 175 frangos de corte, machos da linhagem Ross 308, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, no período de 11 a 18 dias de idade foram utilizados para a avaliação da metabolizabilidade dos nutrientes e energia, balanço de nitrogênio e a eficiência de utilização do nitrogênio das dietas das aves. Nos dois experimentos, os tratamentos consistiram em uma dieta controle e em dietas suplementadas com dois níveis de vitamina C (150 e 300 mg de vitamina C/kg de ração), na forma de ácido ascórbico revestido, em associação a três níveis de zinco (40, 80 e 120 mg de zinco/kg de ração), na forma quelatada, em esquema fatorial, totalizando sete tratamentos com cinco repetições cada um. No período de 1 a 7 dias, houve interação entre os níveis de vitamina C e zinco para os parâmetros consumo de ração, ganho de peso e índice de eficiência produtiva. No período de 1 a 21 dias de idade, o consumo de ração e o ganho de peso foram influenciados pela suplementação de 300 mg de vitamina C/kg de ração, ocorreu efeito linear com a suplementação de zinco para rendimento de peito, coxa e coxinha da asa, peso absoluto da bolsa cloacal, peso relativo do pâncreas e intestino, efeito quadrático para peso relativo do fígado e peso absoluto e relativo do coração. Em relação a metabolizabilidade dos nutrientes, verificou-se efeito isolado do zinco sobre a proteína bruta consumida. Para energia bruta consumida houve interação entre os níveis de vitamina C e zinco e efeito isolado do zinco em relação ao nível 150 mg de vitamina C. Na energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio houve interação entre os níveis avaliados e o zinco isoladamente promoveu efeito quadrático sobre o nitrogênio ingerido. Em relação a composição química da carcaça, a associação de 300 mg de vitamina C e 120 mg de zinco conferiram maior teor de proteína bruta. Na deposição de nutrientes na carcaça, houve efeito isolado da vitamina C sobre a proteína bruta, matéria mineral e energia bruta, e efeito isolado do zinco sobre a umidade e energia bruta. A suplementação associada de vitamina C e zinco aumenta o consumo de ração, ganho de peso e índice de eficiência produtiva das aves no período de 1 a 7 dias de idade. No período de 1 a 21 dias de idade das aves, a suplementação isolada de vitamina C confere maior consumo de ração e ganho de peso, e o zinco, de forma independente, proporciona maior rendimento de peito e peso da bolsa cloacal, entretanto, reduz o rendimento de coxa, coxinha da asa, peso do pâncreas e intestino. A suplementação associada de vitamina C e zinco aumenta a energia metabolizável aparente corrigida para o balanço de nitrogênio das dietas das aves e conferem maior composição proteica da carcaça. De forma isolada, a vitamina C aumenta a deposição de proteína, matéria mineral e energia, e o zinco proporciona maior teor de umidade e energia.

     

     

     

  • DAYANE FRANCISCA HIGINO MIRANDA
  • Alterações na medula óssea de cães com leishmaniose visceral: um estudo clínico-patológico
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 12/03/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A medula óssea é considerada um dos órgãos alvos para a detecção de Leishmania spp. Estudos mostram que a presença do parasita causa alterações relevantes no seu funcionamento comprometendo a hematopoiese, e por conseguinte, levando a citopenias periféricas comumente observadas em pacientes com leishmaniose visceral (LV). Diante disto, o presente estudo teve como objetivo caracterizar as alterações histopatológicas na medula óssea de cães naturalmente infectados por Leishmania infantum classificados conforme estadiamento clínico. Quarenta e seis cães foram incluídos nesse estudo. Os cães com LV foram estadiados com base nas alterações clínico-patológicas em: Estágio I - 10 cães; Estágio II – 20 cães; Estágio III – 9 cães.  Sete cães negativos para LV (controles) constituíram o grupo IV. Cinco cães com LV foram acompanhados por um período de 120 dias após o diagnóstico. Em todos os animais foram coletadas amostras (sangue e medula óssea) para realização de exames laboratoriais (bioquímico e hematológico), carga parasitária, exame histopatológico e citometria de fluxo.  Dos cães com LV, as principais alterações clínicas e laboratoriais observadas foram: 89% apresentaram linfadenomegalia (35/39), 41% caquexia (16/39), 41% onicogrifose (16/39), 51% despigmentação do focinho (20/39), 36% conjuntivite (14/39), anemia 82% (32/39), trombocitopenia 59% (23/39), hipergamaglobulinemia 56% (22/39) e hipoalbunemia em 43% (17/39), sendo que as alterações clínico-laboratoriais eram mais severas nos animais no Estágio III. No exame histopatológico da medula óssea, os cães infectados apresentaram aumento da celularidade, hiperplasia da série mieloide e hipoplasia da série eritróide, e presença de áreas de necrose quando comparados aos animais controles. Além disso, foi observado um aumento significativo de fibras de reticulina nos cães com LV, sendo em maior intensidade no grupo no Estágio III. A análise do estoque de ferro na medula óssea revelou uma associação entre a anemia e a redução ou ausência dos estoques de ferro (P= 0,0091; X2=9,408). Na medula óssea dos cães com LV, também foi observado um aumento significante de histiócitos correlacionados positivamente com a carga parasitária (P=0,0006). Pela citometria de fluxo, a porcentagem de células CD14+CD11b+ foi maior nos animais infectados no Estágio II. Para avaliar a progressão das alterações na medula óssea dos cães infectados, fizemos uma análise comparativa dos parâmetros clínico-patológicos de cinco cães com LV no momento do diagnóstico e após 120 dias pós-diagnóstico. Surpreendentemente, nesse período, apenas um animal com LV evoluiu para um quadro clínico-patológico mais grave caraterizado por perda de peso progressiva, mucosas hipocoradas e linfadenopatia acentuada, anemia mais severa, aumento do parasitismo e lesões histopatológicas na medula óssea como expansão de histiócitos, aumento no depósito de ferro e de fibras de reticulina. Em conclusão, a hipoplasia eritróide, expansão de histiócitos e fibrose são alterações importantes na fase mais avançada da doença e que podem contribuir para uma disfunção na medula óssea.

  • SABRINA THABLA PEREIRA LOPES
  • Eficiência de duas técnicas de recuperação de espermatozoides epididimários de cães e avaliação seminal in vitro utilizando o diluidor Tris-gema
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 12/03/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A coleta de espermatozoides epididimários é utilizada, experimentalmente, em diversas espécies animais, sendo um recurso importante em casos de animais de alto valor genético ou de grande estima. O presente trabalho objetivou avaliar a taxa de recuperação de espermatozoides da cauda do epidídimo de cães, utilizando as técnicas de flutuação (FL) e fluxo retrógrado (FR), imediatamente após a orquiectomia, avaliando a qualidade destes espermatozoides em meio diluidor Tris-gema, a fresco e após a criopreservação. Foram utilizados 30 complexos testículo-epididímos (CTE) de cães provenientes de castrações eletivas. O material coletado foi levado para o Laboratório de Biotecnologia da Reprodução - UFPI para a realização das técnicas de recuperação epididimária. Em cada técnica foram testadas quinze amostras de CTE diluídos em Tris-gema. Na técnica de flutuação, os epidídimos e os ductos deferentes foram dissecados até o isolamento da cauda do epidídimo e ducto, posicionados sobre uma placa de Petri e fatiados em cortes seriados, adicionados de 3ml do diluidor Tris-gema. Na técnica de fluxo retrógrado, após a dissecação do epidídimo, foi aplicada uma pressão nos vasos deferentes por meio de uma lâmina até que o conteúdo da cauda do epidídimo saísse por meio de um corte realizado na junção com o corpo do epidídimo. Posteriormente, foram avaliadas as características seminais de motilidade, vigor, concentração e morfologia espermática, além do teste de termorresistência rápida (TTR) nos tempos T0, T30, T60 e T90 minutos após a criopreservação. Foi avaliada a integridade da membrana espermática e do acrossoma com o uso de sondas fluorescentes. Também foi realizada a análise computadorizada do sêmen (CASA) para avaliação dos parâmetros seminais, individuais para cada espermatozoide analisado. Para a estatística dos dados foram obtidas as médias e desvio-padrão das taxas de recuperação dos espermatozoides epididimários, utilizando a Análise de Variância, através do Programa Statistical Analysis System for Windows (SAS), empregando o teste de Ducan no caso de diferenças significativas entre os grupos testados, sendo considerados significativos quando P<0,05. Dos resultados analisados observou-se que não houve diferença significativa entre os métodos de flutuação e fluxo retrógrado no sêmen fresco e pós-criopreservado em relação aos parâmetros de motilidade e vigor. No TTR a partir do T30 houve influência negativa nestes parâmetros em ambas as técnicas. Para a integridade do acrossoma observou-se que o tempo afetou a integridade destas células, também a partir do T30. Já na porcentagem de células com membrana plasmática íntegra do sêmen pós-criopreservado, o tempo não interferiu nas técnicas testadas, mesmo decorridos 90 minutos pós-cripreservação. Com relação à análise do CASA houve diferença estatística no parâmetro seminal de motilidade progressiva entre as técnicas analisadas. Diante do presente experimento conclui-se que as técnicas de recuperação espermática epididimária podem ser utilizadas para a criopreservação de sêmen de cães recentemente castrados, porém mais estudos devem ser realizados para confirmação destes e de novos resultados.

  • JOÃO PAULO BARBOSA CARDOSO
  • Caracterização fenotípica de caprinos do Vale do Sambito
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 09/03/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A diversidade fenotípica entre caprinos pode indicar diferenças adaptativas entre os animais criados localmente ou indícios de introdução de raças exóticas com objetivo de melhoria da produção dos animais. O objetivo com esta pesquisa foi determinar a diversidade fenotípica e caracterizar os caprinos criados no território do Vale do Sambito no estado do Piauí com base em descritores quantitativos e qualitativos. Utilizaram-se medidas morfométricas e morfológicas de caprinos machos e fêmeas de dezesseis rebanhos pertencentes aos municípios de Francinópolis, Aroazes, Barra D’Alcântara, Lagoa do Sítio e Pimenteiras localizados no Vale do Sambito no estado do Piauí. Para auxiliar na comparação do perfil dos animais da região utilizou-se informações de três rebanhos exóticos (Savana, Boer e Anglonubiano) e seis rebanhos nativos (Canindé, Moxotó, Azul, Repartido, Graúna e Marota). Foi realizada análise estatística descritiva e testes de médias para as características quantitativas e análise de frequência para características qualitativas, além de calcular as frequências gênicas para características de herança simples, como presença de cornos (EL+), ausência de brincos (Wa+) e ausência de barba (Bb).  Para o estudo de diversidade foi realizada análise de agrupamento (AA) por quatro métodos (Ward, Average, Simples e Completo), adotando a distância Euclidiana média como medida de dissimilaridade a partir da média padronizada das características quantitativas e médias das frequências das características qualitativas, Para definir o método de agrupamento mais eficiente para os dados em análise calculou-se o coeficiente de correlação cofenética. Para definir o número mais provável de grupos a serem formados a partir das informações coletadas nos dezesseis rebanhos foi utilizado o índice de Dunn. As variáveis foram submetidas à análise de  fatores, análise de componentes principais e análise da correspondência. A análise de agrupamentos para os animais criados no Vale do Sambito sugeriu a formação de oito grupos distintos; já ao inclui na análise as informações das raças exóticas e nativas um novo cenário foi observado, com a formação de apenas dois grupos, sendo um deles formados por rebanhos com maior similaridade fenotípica com a raça Anglonubiana, e o outro grupo formado pelos animais das raças Savana e Boer, que se distanciaram fenotipicamente dos demais rebanhos. Os caprinos criados na região do Vale do Sambito, em sua grande maioria, apresentam presença de chifres e ausência de brincos, sendo que a presença de barba e o tipo de chanfro semiconvexo apresentaram baixa frequência. Alguns rebanhos estudados apresentaram maior similaridade com animais nativos e outro com animais da raça Anglonubiano. Esses resultados permitiram inferir o perfil dos diferentes rebanhos e propor estratégias de melhoria genética com perfil de adaptação a realidade local e, ao mesmo tempo, manter a variabilidade genética dos rebanhos.

  • GLEYSON VIEIRA DOS SANTOS
  • Estudo genômico aplicado ao melhoramento genético de ovinos tropicais para resistência à endoparasitas
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 02/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com essa pesquisa predizer valores genéticos genômicos para a característica resistência a verminose em ovinos Santa Inês por meio do método BLUP genônico em passo único (ssGBLUP) e comparar com o método BLUP tradicional para avaliar acurácia de predição e a ordenação dos animais pelos valores genéticos preditos por ambas as metodologias, em modelos animais em análises unicaracterística e tricaracterística. Além disso, realizou-se estudos de associação genômica ampla por meio da metodologia associação genômica em passo único (ssGWAS) para identificar  regiões cromossômicas associadas com a característica resistência a verminose. As características consideradas na pesquisa foram resistência à verminose (RV), contagem de ovos por grama de fezes (OPG) e coloração da mucosa conjuntiva (FAMACHA). Os componentes de (co)variâncias e parâmetros genéticos foram estimados por modelos animais linear para OPG e de limiar para FAMACHA® e RV, mediante análises Bayesiana uni e tricaracterística. Os componentes de variâncias genéticas aditivas e residuais apresentaram comportamentos diferentes quanto à utilização dos modelos em análises unicaracterística e tricaracterística, com e sem informação genômica. Com a inclusão das informações genômicas, a herdabilidade para RV diminui e para OPG e FAMAHCA aumentaram. Para RV a herdabilidade diminuiu de 0,38, com o modelo animal tradicional, para 0,25, adotando a informação genômca. Para OPG o aumento foi de 0,06, com o modelo animal tradicional, para 0,10 adotando a informação genômica. Os ganhos em acurácias ao utilizar o método ssGBLUP foram de 45%, 80% e 99%, respectivamente, para as características RV, OPG e FAMACHA. O ganho médio em acurácia com o uso do método ssGBLUP foi de 57,52% em relação ao BLUP tradicional. Ao considerar todos os animais avaliados, as correlações de ranque com base nos valores genéticos e genômicos foram, no geral, baixas, variando de -0,13 a 0,17, o que sugere alteração na ordenação dos animais avaliados por ambas as metodologias. Foram verificadas diferentes regiões genômicas em diferentes cromossomos associados com as características em estudo. Verificou-se associações de regiões do cromossomo 1 ovino na qual estão presentes os genes CD80 e CD86, cujas funções estão relacionadas com a ativação das células T, eosinófilos e mastócitos. Outro gene que atua como coestimulador das células T é o CD28, descrito no cromossomo 2, na qual foi verificada associação tanto para RV quanto para OPG. No cromossomo 13, foi verificada associação com a característica FAMAHCA em uma região que está descrito o gene GATA3, que pode atuar em mecanismos de defesa quanto à presença de corpo estranho ou à ocorrência de lesão, prevenindo e atuando na recuperação da infecção causada pela presença de corpo estranho. Foi possível identificar regiões cromossômicas associadas às características RV, OPG e FAMACHA. As regiões identificadas neste estudo poderão auxiliar no processo de seleção assistida por marcadores em programas de melhoramento genético da raça santa Inês. O método ssGBLUP proporcionou ganho em acurácia em comparação ao método BLUP tradicional. O uso de diferentes métodos de predição proporcionam diferentes valores genéticos, consequentemente alteração no ranqueamento dos animais e na seleção.

  • VÂNIA DE SOUSA LIMA AGUIAR
  • Vitamina c e cromo orgânico em dietas para frangos de corte
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 01/03/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Dois ensaios foram desenvolvidos para avaliar o efeito da suplementação de vitamina C e cromo orgânico em dietas para frangos de corte mantidos em condições naturais de temperatura ambiente, sobre o desempenho de 1 a 7 e de 1 a 21 dias de idade, viabilidade econômica das rações, rendimento de carcaça, peso dos órgãos digestivos e coração, peso dos órgãos linfoides, composição química da carcaça, deposição nutricional na carcaça de frangos de corte aos 21 dias de idade (experimento 1) e na metabolizabilidade dos nutrientes das dietas (experimento 2). No experimento 1 foram utilizados 700 frangos de corte, machos, da linhagem Ross, distribuídos em delineamento em bloco ao acaso, em esquema fatorial 2 x 3 + 1. No experimento 2, foram utilizados 280 frangos de corte, machos, da linhagem Ross, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 3 + 1. Em ambos experimentos, foram avaliados dois níveis de suplementação de vitamina C: 150 mg e 300 mg de vitamina C/kg de ração associados a três níveis de suplementação de cromo-levedura: 0,3 mg, 0,6 mg e 0,9 mg de cromo/ kg de ração e uma dieta controle, sem suplementação de vitamina C e cromo, totalizando sete tratamentos e cinco repetições. Não foram observados efeitos da suplementação com vitamina C e cromo sobre os parâmetros de desempenho aos 7 e aos 21 dias de idade, rendimento de carcaça e peso dos órgãos de frangos de corte, no entanto, 300 mg/ kg de vitamina C isolada reduz o rendimento de coxa e aumenta o peso relativo do pâncreas. Os níveis de cromo combinados com 300 mg de vitamina C/kg de ração reduzem linearmente o percentual de gordura abdominal nas aves e, quando combinado 150 mg de vitamina C/kg com 0,3 mg/kg de cromo, proporciona menor teor de gordura abdominal em frangos de corte aos 21 dias de idade. A suplementação das dietas com vitamina C e cromo orgânico reduz a lucratividade na criação de frangos de corte na fase de 1 a 21 dias de idade. No nível 0,3 mg e 0,9 mg de cromo/kg de ração, a adição de 300 mg de vitamina C nas dietas proporcionou maiores valores de energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio. O nível de 0,470 mg de cromo suplementar associado à suplementação de150 mg de vitamina C/kg de ração promoveu maior energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio e no nível de 300 mg de vitamina C/ kg de ração, o cromo reduziu linearmente a energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio. As dietas suplementadas com 0,3 mg de cromo e 300 mg de vitamina C/ kg de ração proporcionaram maior energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio quando comparada à dieta controle. A energia bruta ingerida e o coeficiente de metabolizabilidade da energia bruta apresentaram resposta linear decrescente mediante o acréscimo de cromo na dieta. Conclui-se que a suplementação de vitamina C e cromo orgânico na ração para frangos de corte na fase de 1 a 21 dias de idade, nos níveis avaliados, não melhora os parâmetros de desempenho, características de carcaça, imunidade e a metabolizabilidade dos nutrientes da dieta, demonstrando que oscilações térmicas ocorridas não representaram estresse significativo nas aves para que pudessem ser beneficiadas com a suplementação nesta fase de criação, além disso, a produção endógena de vitamina C e o cromo presente na dieta basal são suficientes para atender a demanda destes nutrientes nas aves.

  • SÁVIO RUAN SAMPAIO DE SOUSA
  • Indução da puberdade em novilhas da raça nelore com diferentes fontes de progesterona
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 28/02/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A indução de puberdade com dispositivo intravaginal de progesterona (P4) associado ao tratamento com estradiol (E2) melhora os índices reprodutivos de novilhas submetidas à inseminação artificial em tempo fixo, porém existem poucos dados na literatura acerca da substituição da fonte de P4 via intravaginal pela via intramuscular (P4 injetável de longa ação). Portanto, objetivou-se comparar a eficiência do protocolo de indução de puberdade utilizando P4 injetável com a indução utilizando dispositivo intravaginal de P4 previamente utilizado (3º uso). O experimento foi realizado em uma fazenda localizada na região Norte do Estado do Maranhão. Foi utilizado um total de 258 novilhas da raça Nelore com escore de condição coporal (ECC) 3, com idade variando de 22 a 28 meses e sem corpo lúteo no D24, sendo então distribuídas, aleatoriamente em 2 grupos experimentais: CIDR (n=129) e Injetável (n=129). No D24, fêmeas do grupo CIDR receberam um dispositivo intravaginal de P4 (CIDR®, Zoetis Brazil) previamente utilizado por 18 dias (3º uso) e o grupo Injetável recebeu 150 mg IM de P4 de longa ação (Sincrogest® injetável, Ourofino). No D12, os dispositivos foram removidos e todas as fêmeas receberam 0,5 mg IM de cipionato de estradiol (CE) (ECP®, Zoetis, Brasil). Após 12 dias (D0) da retirada, todas as novilhas receberam o mesmo protocolo de sincronização da ovulação para IATF [D0 = aplicação de 2 mg IM de benzoato de estradiol (Gonadiol®, Zoetis, Brasil) e inserção de um dispositivo de P4 de 3º uso (CIDR®, Zoetis, Brasil); D7 = aplicação de 12,5 mg de dinoprost trometamina IM (Lutalyse®, Zoetis, Brasil), via I.M; D9 = remoção do dispositivo, 0,5 mg de cipionato de estradiol (CE) (ECP®, Zoetis, Brasil) e 200 UI (IM) de gonadotrofina coriônica equina (Novormon®, Zoetis, Argentina)]. Todas as fêmeas foram inseminadas em tempo fixo, 48 horas após a retirada do dispositivo de P4. Exames ultrassonográficos transretais foram realizados no D24, D12 do protocolo de indução e no D0, para avaliação da presença de corpo lúteo (CL), e aos 30 e 80 dias após a IATF para diagnóstico de gestação utilizando ultrassom modelo Sonoscape A5 vet. A variável contínua (diâmetro folicular) foi analisada pelo Proc ANOVA do SAS® 9.3 e as variáveis taxa de ciclicidade, taxa de prenhez e taxa de detecção de estro foram comparadas pela análise do qui-quadrado. Houve diferença entre os grupos experimentais (P>0,05) à presença de CL no D0 [CIDR = 54,26,8% (70/129) e P4 Injetável = 39,53% (51/129)]. No entanto, a taxa de prenhez 30 dias após a IATF foi semelhante entre os grupos [CIDR = 48,83% (63/129) vs. P4 Injetável = 46,51% (60/129)], bem como a taxa de prenhez ao final da estação [CIDR = 75,96% (98/129) vs. Injetável = 79,84% (103/129)] (P<0,05). Não houve diferença estatística (P<0,05) também na taxa de detecção de cio [CIDR = 62,01% (80/129) vs. Injetável = 56,58% (73/129)], diâmetro folicular no D9 [CIDR = 8,64 ± 1,9 mm vs. Injetável = 8,54 ± 2,9 mm] e D11 [CIDR = 10,03 ± 2,4 mm vs.  Injetável = 9,85 ± 2,7 mm] do protocolo de IATF. Dessa forma, conclui-se que o protocolo de indução de puberdade utilizando progesterona injetável mostrou eficiência semelhante ao dispositivo intravaginal de P4 previamente utilizado (3º uso), podendo ser uma estratégia a ser adotada nos programas de inseminação de novilhas.

  • JAQUELINE LUSTOSA RODRIGUES CAMAPUM
  • Morfometria corporal, capacidade volumétrica do estômago e mortalidade em felinos neonatos.
  • Orientador : ANA MARIA QUESSADA
  • Data: 26/02/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A neonatologia tem despertado o interesse de diversos médicos veterinários, por ser a fase mais crítica e a mortalidade neonatal alcançar altos percentuais. No entanto, tal área é carente de informações, especialmente para a espécie felina. O objetivo do trabalho foi determinar à mortalidade, morfometria corporal, a capacidade volumétrica dos estômagos de felinos neonatos e a relação entre o peso dos neonatos com o peso das mães. Para tanto, foram utilizados 69 felinos neonatos (44 eram natimortos), oriundos de partos de 20 gatas. Deste total de partos, somente um foi parto normal. Todos os outros foram distócicos sendo que a abordagem foi cesariana, seguida de ovariosalpingohisterectomia, como recomenda a literatura. Registrou-se uma mortalidade neonatal maior do que 60%, portanto mais do que o dobro do que se observa em outros estudos. Foram mensurados diversos parâmetros corporais. Foi possível, por meio do estudo morfométrico, desenvolver um modelo matemático através do método de regressão, para se estimar a capacidade máxima individual dos estômagos dos neonatos, sendo o peso e o comprimento abdominal as melhores varáveis. Desta maneira, a oferta da alimentação pode ser realizada com mais segurança, principalmente em casos onde a mãe não pode amamentar os filhotes.

  • MABELL NERY RIBEIRO
  • Vitamina C e selênio em dietas para frangos de corte no período de 1 a 21 dias de idade
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 16/02/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Dois experimentos foram conduzidos para avaliar os efeitos da suplementação de vitamina C e selênio em dietas para frangos de corte, mantidos em condições naturais de temperatura ambiente elevada. No primeiro experimento, foram utilizados 700 pintos de corte machos, para avaliação do desempenho produtivo e viabilidade econômica das dietas, no período 1 a 7 e 1 a 21 dias de idade; do peso relativo de órgãos digestivos e do coração; dos pesos absoluto e relativo de órgãos linfoides; do rendimento de carcaça e de cortes; da composição química e deposição de nutrientes na carcaça e da bioquímica sérica das aves aos 21 dias. No segundo experimento, 175 frangos de corte machos, no período de 11 a 18 dias de idade foram utilizados para a avaliação da metabolizabilidade dos nutrientes, do balanço de nitrogênio e da eficiência de utilização do nitrogênio das dietas. Nos dois experimentos, os tratamentos consistiram em uma dieta controle e em dietas suplementadas com vitamina C, na forma de ácido ascórbico revestido, em dois níveis: 150 mg e 300 mg de vitamina C/kg de ração, em associação a três níveis de selênio: 0,2, 0,4 e 0,6 mg de selênio/kg de ração, na forma de selênio levedura. As dietas suplementadas com 150 e 300 mg de vitamina C combinados com níveis variando entre 0,2, 0,4 e 0,6 mg de selênio orgânico/kg de ração, não melhoram o consumo de ração, o ganho de peso e o índice de eficiência produtiva de frangos de corte, no período de 1 a 7 e 1 a 21 dias de idade. Porém, os níveis de selênio suplementar, de forma independente, reduzem a conversão alimentar na fase pré-inicial. O nível de inclusão de 300 mg de vitamina C/kg de ração melhora a viabilidade criatória na fase total de 1 a 21 dias, comparados à adição de 150 mg da vitamina nas dietas. O rendimento de peito foi aumentado com a associação de 300 mg de vitamina C e 0,4 mg de selênio/kg de ração. Na fase inicial de criação, o peso de órgãos linfoides, digestivos e coração de frangos de corte estressados naturalmente por calor, não é influenciado pela inclusão de vitamina C e selênio às rações, com exceção da bolsa cloacal, que aumenta com o incremento dessa vitamina. A adição de selênio nas dietas aumentou a proteína bruta das carcaças, mas não alterou a deposição de nutrientes. A dieta controle (sem adição de vitamina C e selênio) mostrou-se mais econômica para frangos de corte na fase de 1 a 21 dias de idade. O nível de 0,376 mg de selênio/kg de ração proporcionou maior coeficiente de metabolizabilidade da matéria seca. A adição de selênio nas dietas reduziu linearmente a proteína bruta consumida, o coeficiente de metabolizabilidade da proteína bruta, o nitrogênio ingerido, o balanço de nitrogênio e a eficiência de utilização de nitrogênio e, no nível de 300 mg de vitamina C, a adição de selênio reduziu a energia metabolizável aparente corrigida para o balanço de nitrogênio das dietas. A suplementação de vitamina C e selênio em dietas para frangos de corte, no período de 1 a 7 e de 1 a 21 dias de idade, nas condições ambientais em que foi executada a pesquisa, não melhora o desempenho produtivo, a imunidade e a metabolizabilidade dos nutrientes, indicando que os níveis de vitamina C e selênio nas dietas basais atendem às exigências nutricionais dos animais, com níveis suficientes para atuar na defesa antioxidante e promover o crescimento adequado das aves nas fases estudadas.

     

  • JAILSON HONORATO PINTO JÚNIOR
  • AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DA UROSPERMIA NA FERTILIDADE DO GARANHÃO
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 30/01/2018
  • Mostrar Resumo
  • Urospermia é a contaminação do sêmen com urina e uma condição que pode reduzir a fertilidade do garanhão. A contaminação de ejaculados com urina nos garanhões podem ocorrer esporádica ou consistentemente. Os efeitos deletérios da urina sobre os espermatozóides são devidos a alterações no pH e aos efeitos tóxicos da uréia. O objetivo foi avaliar a viabilidade do sêmen contaminado com urina através da avaliação quanto à motilidade e à função espermáticas. No primeiro experimento, foram realizadas 5 coletas de sêmen de 8 garanhões, totalizando 40 ejaculados. No segundo experimento, foram realizadas 5 coletas de sêmen de 5 garanhões, totalizando 25 ejaculados. Imediatamente após a coleta do sêmen, foi mensurado o pH, os níveis de uréia, creatinina e determinada a concentração espermática. O sêmen foi então alocado em frascos cônicos de 50 mL. Adicionou-se 10 ml de sêmen fresco ao frasco “controle” (CON), 8 ml de sêmen fresco ao frasco de "baixa contaminação" (LOW) e 5 ml de sêmen fresco ao frasco de "alta contaminação" (HIGH). Foram adicionados 2 ml de urina a cada frasco de "baixa contaminação" LOW, e 5 ml de urina foram adicionados a cada frasco de "alta contaminação" HIGH. Uma vez que o sêmen foi exposto à urina por 2 minutos, cada um dos frascos foi estendido para 40 ml com um extensor de sêmen. Em seguida, adicionou-se 1 ml de solução de cushion no fundo de cada frasco cônico. Todos os tubos foram então centrifugados. Após a centrifugação, o sobrenadante e a solução de cushion foram aspirados e descartados; para o segundo experimento, foi preparado um gradiente de densidade em cada frasco e o gradiente centrifugado, após o que o sobrenadante foi descartado. O sedimento de esperma remanescente foi ressuspenso para uma concentração final de 200 milhões de espermatozóides / mL. O sêmen foi então carregado manualmente em palhetas de 0,5 mL e depois arrefecido a 5 ° C durante 20 minutos. Para congelamento, o sêmen foi então colocado a 4 cm acima do nitrogênio líquido durante 15 minutos antes de ser mergulhado em nitrogênio líquido. Em ambos os experimentos, houve uma redução significativa na motilidade total e progressiva do sêmen com aumento da contaminação da urina pré-congelamento, mas não houve uma redução significativa nos resultados para VCL (Velocidade curvilínea) e VAP (Velocidade trajetória). No primeiro experimento, a viabilidade do sêmen pós-descongelamento foi significativamente menor no grupo HIGH do que nos grupos CON ou LOW, enquanto que no segundo experimento, a viabilidade do sêmen pós-descongelamento foi semelhante nos grupos CON, LOW e HIGH. No segundo experimento, foi verificado uma maior seleção de células espermáticas morfologicamente normais após a centrifugação com o gradiente de densidade. Conclui-se que a centrifugação com gradiente de densidade pode melhorar a qualidade do sêmen contaminado com urina.

2017
Descrição
  • MARLUCIA DA SILVA BEZERRA LACERDA
  • Feno de Folhas de Pindoba de Babaçu Amonizado em Dietas para Caprinos em Terminação
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 15/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • As espécies forrageiras nativas podem consistir fonte de fibra para os ruminantes, com destaque para o potencial das palmáceas em áreas de mata de cocais. Objetivou-se com este estudo avaliar a inclusão do feno de folhas de pindoba de babaçu amonizado com 4% de ureia como alimento volumoso em substituição ao feno de capim-massai (Panicum maximum cv. Massai) em dietas para caprinos em terminação, quanto ao consumo, digestibilidade in vivo, balanço energético e de compostos nitrogenados, metabolismo do nitrogênio e quanto ao comportamento ingestivo. Foram utilizados 20 caprinos machos, não castrados, da raça Anglonubiana, em delineamento experimental em blocos ao acaso com 4 tratamentos (dietas com 0, 20, 40 e 60% de feno de folhas de pindoba amonizado com 4% de ureia) e cinco repetições (animais). Para avaliação do pH e nitrogênio amoniacal (N-NH3) no líquido ruminal e ureia no soro sanguíneo, as parcelas foram subdivididas nos tempos 0 (antes da alimentação); 2,5; 5,0 e 7,5 h, após a primeira refeição. Foram coletadas amostras das rações, sobras, fezes e urina para determinação dos parâmetros de valor nutritivo. Para avaliaçao do comportamento ingestivo foi realizada a mensuração dos tempos despendidos com ingestão, ruminação, ócio e outras atividades (defecação, micção, consumo de água e mistura mineral). As observações foram realizadas durante 24 horas, a intervalos de 5 minutos entre cada observação. Para avaliação dos parâmetros nictemerais, adotando-se a observação visual dos animais nos horários de 10 às 12 horas, 14 às 16 horas e 18 às 20 horas, com auxílio de um cronômetro digital para cada animal. Os dados foram analisados em delineamento em blocos completos ao acaso (animais) utilizando modelos mistos, sendo os tratamentos (dietas) considerados como efeito fixo (3 graus de liberdade, GL) e o grupo (animais, 4 GL) e o resíduo como efeito aleatório, utilizando-se o procedimento MIXED do SAS (2002). Quando significativas, as médias entre tratamentos foram comparadas pela diferença mínima significativa de Fisher (Fisher’s Protected Least-Significant Difference-LSD), utilizando-se o procedimento LSMEANS do SAS (2002), ao nível de probabilidade P<0,05. A inclusão do feno de folhas de pindoba de babaçu amonizado com 4% de ureia não influenciou (P>0,05) o consumo de matéria seca (MS) e de nutrientes de rações para caprinos em terminação. Não houve efeito (P>0,05) do teor de fibra em detergente neutro da dieta sobre o consumo de MS, em média 901,53±31,8 gMS/dia. O consumo de proteína bruta (PB) e nutrientes digestíveis totais (NDT) foram, em média, 141,55±4,8 e 638,2±19,5 g/dia, respectivamente. A inclusão do feno de folhas de pindoba de babaçu amonizado com 4% de ureia em substituição a até 40% do volumoso feno de capim-massai possibilitou atendimento às exigências nutricionais de caprinos em terminação. O comportamento ingestivo quanto ao tempo de alimentação, ruminação, ócio e outras atividades, e ao consumo de água por caprinos em terminação não foram influenciadas pela inclusão de feno de folhas de pindoba de babaçu amonizado com 4% de ureia em substituição a até 60% do feno de capim-massai, consistindo em fonte alternativa de alimento fibroso.

  • ROBSON DOS ANJOS HONORATO
  • OBLITERAÇÃO SANGUÍNEA RENAL TRANSITÓRIA COMO ALTERNATIVA AO ESTUDO DA SÍNDROME DE ISQUEMIA-REPERFUSÃO RENAL EM MODELO ANIMAL
  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 26/10/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • HONORATO, R. A. OBLITERAÇÃO SANGUÍNEA RENAL TRANSITÓRIA COMO ALTERNATIVA AO ESTUDO DA SÍNDROME DE ISQUEMIA-REPERFUSÃO RENAL EM MODELO ANIMAL. 2017. 42f. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) - Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2017.

    As doenças renais isquêmicas apresentam alta mortalidade e morbidade, caracterizando-se como um dos mais importantes mecanismos ligados à perda irreversível da função renal. Atualmente, diversos modelos cirúrgicos são estudados com a finalidade de mimetizar os danos ocasionados pelas lesões isquêmicas e, assim, se obter maiores informações a respeito de suas características fisiopatológicas. Nesse contexto, a utilização de modelos animais que possuam semelhanças biológicas e anatomo-fisiológicas com a espécie humana, capazes de subsidiar pesquisas de interesse biológico e médico, vêm ganhando cada vez mais força. Com isso, o objetivo deste trabalho foi avaliar a viabilidade do método de obliteração sanguínea renal transitória como alternativa ao estudo da SIR renal em catetos (Tayassu tajacu), tendo em vista a provável similaridade morfofisiológica desta espécie com os humanos, uma vez que a mesma apresenta proximidade filogenética com o suíno doméstico. Foram utilizados oito animais, os quais foram submetidos a procedimento cirúrgico para indução de nefropatia isquêmica mediante clampeamento dos vasos renais com pinça vascular por 60 minutos. Foram colhidas amostras para mensuração sérica de ureia, creatinina e relação proteína / creatinina urinária – UPC, além de avaliação ultrassonográfica renal, ambos antes da indução e no 10º e 20º dias pós-indução, e coleta de material para exames histopatológicos. A análise estatística procede-se mediante os testes de Shapiro-Wilk, análise de variância (Teste F), Tukey HSD e Kruskal Wallis, com nível de significância de 5,0%. Os resultados demonstraram diferença nos níveis de resistividade renal entre os momentos avaliados, aumento de ecogenicidade renal com perda da relação córtico-medular e presença de discretas alterações glomerulares e várias alterações túbulointersticiais na análise histopatológica. Concluiu-se que o cateto caracteriza-se como um bom modelo experimental para estudos de nefropatias isquêmicas induzidas, contudo faz-se necessário a padronização de seus parâmetros bioquímicos renais, sorológicos e urinários em regime nutricional idêntico, haja visto a grande variabilidade de tais dados dentro da espécie.

  • CAMILA ARRIVABENE NEVES
  • Avaliação do desenvolvimento de folículos pré-antrais caprinos in situ co-cultivados com células-tronco mesenquimais da medula óssea
  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 16/10/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As biotécnicas da reprodução animal constituem ferramentas importantes para o desenvolvimento e avanço tecnológico do setor agropecuário, possibilitando, principalmente, a expansão e seleção de material genético de qualidade para o melhoramento animal. Dentre as biotécnicas mais recentes, que visam otimizar o potencial reprodutivo de fêmeas, destaca-se a Manipulação de Oócitos Inclusos em Folículos Ovarianos Pré-antrais (MOIFOPA). Este estudo tem como objetivo desenvolver um sistema de co-cultivo in vitro de FOPA caprinos com Células-Tronco Mesenquimais da medula óssea (CTMMO), avaliando a influência dessas células no crescimento folicular, taxa de ativação e sobrevivência de folículos morfologicamente normais. As CTMMO foram isoladas e co-cutlivadas com fragmentos do córtex ovariano onde estão inclusos os FOPA’s por um e sete dias, com meio de cultivo básico. Os cortes histológicos dos fragmentos foram analisados, e dados  referentes à classificação morfológica, taxa de sobrevivência de folículos morfologicamente normais e taxa de ativação folicular foram obtidos. Os meios de cultivo no dia um e sete também foram colhidos para dosagem de nitrito e glutationa reduzida. Verificou-se  que a taxa de sobrevivência de folículos morfologicamente normais foi similar (P>0,05) à taxa do grupo controle no co-cultivo durante os sete dias, diferindo do encontrado nos fragmentos cultivados apenas com meio de cultivo, onde houve uma diminuição significativa (P<0,05) de FOPA’s normais. O crescimento oocitário foi significativamente diferente (P<0,05) entre os tratamentos apenas no primeiro dia de cultivo. Não houve diferenças estatísticas na taxa de ativação, tampouco na concentração de nitrito (P>0,05). A concentração de glutationa reduzida foi significativamente inferior no sétimo dia do co-cultivo. As CTMMO apresentaram-se competentes para manter de maneira segura e eficaz a sobrevivência dos folículos morfologicamente normais, entretanto não foi possível a ativação e o desenvolvimento da maturação oocitária,  assim, há necessidade de novos estudos.

  • FELIPE PEREIRA DA SILVA BARÇANTE
  • ENSAIO CLÍNICO COM CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS (CTM) NA RECUPERAÇÃO DE OVÁRIOS DE CABRAS SUBMETIDAS A MÚLTIPLAS ASPIRAÇÕES FOLICULARES POR LAPAROSCOPIA (LOPU)
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 25/08/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os problemas ligados à diminuição do potencial produtivo dos ovários estão entre os principais fatores limitantes à reprodução. Objetivou-se avaliar o potencial terapêutico das células-tronco mesenquimais em cabras submetidas a múltiplas aspirações foliculares por laparoscopia (LOPU). Foram utilizadas 12 cabras SPRD, não lactantes, com idade média de 3 anos e escore da condição corporal (ECC) variando de 3,0 a 4,0. O presente estudo foi delineado em dois experimentos. No experimento 1 as fêmeas foram submetidas aos mesmos tratamentos. No experimento 2 as cabras foram divididas em dois tratamentos: T1-CTR (Controle – 3 animais); T2 - CTM (ovários tratados com células tronco mesenquimais – 4 animais). Em ambos os experimentos as cabras foram sincronizadas com o uso de esponjas intravaginais com acetato de medroxiprogesterona e aplicações de d-cloprostenol e a estimulação ovariana constituiu-se na administração de FSHp e eCG, em aplicações únicas, feita 36 horas anterior às LOPU’s. No 1º experimento as fêmeas foram submetidas a 5 sessões/animal de LOPU com intervalos de 12 dias. No 2º experimento as cabras foram submetidas às mesmas condições, incluindo a terapia celular através de infusão ovariana com células tronco – CTM de cordão umbilical caprino, na concentração de 1 x 106 cel/mL, nanomarcadas com Qtracker® e diluídas em 0,2 mL de solução fisiológica (NacL a 0,9%) em duas aplicações: na última LOPU e 70 dias após. A avaliação quanto a funcionalidade ovariana/oocitária foi realizada 45 dias posterior a quinta LOPU. Foram realizadas coletas de sangue para dosagens hormonais (estradiol e progesterona), e biopsias aspirativas no córtex ovariano antes da primeira LOPU, e após a quinta LOPU. A avaliação histológica foi realizada após 115 dias da primeira infusão de CTM, a partir do abate dos animais e coleta dos ovários. Todas as análises foram executadas através do programa Statistical Analysis System (SAS Institute Inc., 2002). Com isso, obteve-se como resultados no 1º experimento, 30,7 % de complexo cumulus oophorus (CCO) recuperados, sendo 3,89 % grau I, 16,11 % grau II, 46,11 % grau III e 33,89 % grau IV, como média das primeiras 5 LOPU’s. Observou-se uma diminuição no número de folículos aspirados na terceira LOPU (P<0,05) e um decréscimo gradativo da taxa de recuperação (P<0,05) da primeira à quarta LOPU (39,4; 22,1; 28,1 e 19,8%) e um aumento na 5º LOPU (44,1%). A infusão de CTM não exerceu influência (P>0,05) entre o número de folículos aspirados, número de oócitos recuperados e taxa de recuperação oocitária em ovários de cabras submetidas a sucessivas LOPU’s. Também não houve influência (P>0,05) na infusão das CTM na qualidade dos oócitos recuperados. Quanto aos achados das biopsias, as alterações observadas foram discretas no parênquima ovariano, observando-se uma área focal de infiltrado inflamatório mononuclear com predominância de linfócitos, em outro, porém, as alterações encontradas não são suficientes ao ponto de comprometer a função ovariana. Assim, conclui-se que, sucessivas LOPU’s com intervalo de 12 dias influenciam negativamente na qualidade de oócitos recuperados, porém não influencia na taxa de recuperação e no número de folículos aspirados. A utilização de CTM não melhorou os parâmetros qualitativos e quantitativos de oócitos recuperados por LOPU.

  • HUANNA WALESKA SOARES RODRIGUES
  • EFEITO DO TRATAMENTO COM CÉLULAS- TRONCO MESENQUIMAIS SOBRE A FORMACÃO DE FIBRAS ELÁSTICAS E COLÁGENAS NO PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO CUTÂNEA DE CAMUNDONGOS DIABÉTICOS
  • Orientador : NAPOLEAO MARTINS ARGOLO NETO
  • Data: 24/08/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução. Fatores exógenos, endógenos e patológicos podem interferir no processo cicatricial em humanos e animais por alterarem o equilíbrio entre a síntese, degradação e remodelamento de colágeno e fibras elásticas. O diabetes mellitus é uma doença metabólica progressiva que altera a elastogênese e colagênese, induzindo retardo no processo cicatricial. Evidências científicas sugerem que células-tronco mesenquimais modulem a resposta cicatricial. Dessa forma o objetivo deste trabalho foi verificar o efeito das células-tronco mesenquimais sobre a formação de fibras dérmicas no modelo murinho de diabetes mellitus. Material e Métodos. Para tanto, secções histológicas de pele de camundongos diabéticos tratados com células-tronco mesenquimais autógenas foram processados em técnica colorimétricas específicas para fibras colágenas tipo 1 e 3 e fibras elásticas utilizando Picrosirius Red e Weigert, respectivamente. As imagens obtidas foram processadas e avaliadas pelo método de Estereologia (ETL) e o Princípio de Cavalieri para obtenção de dados quantitativos em três dimensões (3D), representados pelo volume de fibras dérmicas e pelo método de segmentação de cores (SC). Foi utilizado o plugin k- Means Clustering e o software Image J., para quantificação da área de fibras dérmicas em feridas cutâneas após tratamento dermatológico com células-tronco mesenquimais em camundongos diabéticos. Resultados. Foram obtidas e analisadas 90 imagens. Não foram observadas diferenças estatisticamente significativas (p>0,01) entre o volume e área de fibras colágenas tipo 1, entre os animais tratados, sendo identificadas diferenças significativas (p<0.01) apenas para os volumes e áreas do colágeno tipo 3. Contrariamente, os animais tratados apresentaram médias inferiores (p<0.01) para o volume e área de fibras elásticas, quando comparados ao grupo controle. Discussão. A preponderância de colágeno imaturo tipo 3 nas feridas cutâneas dos animais tratados com células-tronco, em comparação aos demais tratamentos, indica colagênese ativa e, consequentemente, maior atividade fibroblástica, provavelmente induzida pelas células-tronco. Diametralmente, a menor identificação de fibras elásticas nos fragmentos de pele tratados com células-tronco, comparado aos demais tratamentos, sugere que a terapia celular não contribuiu satisfatoriamente para a elastogênese. Relatos anteriores (Sivaraman et al., 2012) já sugeriram que células-tronco mesenquimais podem induzir diminuição da síntese de elastina e acredita-se que talvez tal situação possa ter ocorrido no presente estudo. Conclusão. As células-tronco mesenquimais autógenas induziram aumento da formação de fibras colágenas em camundongos diabéticos, em detrimento da formação de fibras elásticas, sugerindo colagênese precoce ativa nas primeiras duas semanas do processo cicatricial.

  • ANDRÉ BRAGA DE SOUZA
  • Parâmetros eletrocardiográficos de macacos-prego (Cebus apella, Linnaeus, 1758) e catetos (Tayassu tajacu, Linnaeus, 1758), contidos quimicamente
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 10/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • Em função da importância ecológica e do potencial para exploração zootécnica apresentada por diversas espécies animais, inclusive as silvestres, estudos com a fauna brasileira têm sido cada vez mais acentuados. Tendo em vista que a contensão química, bem como, a anestesia geral são procedimentos com frequência necessários para o manejo de animais silvestres, o presente estudo teve como objetivos definir os padrões eletrocardiográficos para macacos-prego (Cebus apela, Linnaeus, 1758) e catetos (Tayassu tajacu, Linnaeus, 1758) contidos quimicamente pela associação anestésica cetamina e midazolan e cetamina e xilazina, respectivamente, a fim de que esses dados possam ser utilizados futuramente no monitoramento e preservação desta espécie. Foram avaliados 13 catetos e 13 macacos clinicamente saudáveis, entre machos e fêmeas, provenientes do Núcleo de Estudos e Preservação de Animais Silvestres – NEPAS (Registro IBAMA N° 02/08-618) do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), e do Centro de Triagem de Animais Sivestres (CETAS), do parque Zoobotânico de Teresina, Piauí, Brasil, respectivamente. Os animais foram submetidos a exame eletrocardiográfico pelo método computadorizado, com o eletrocardiógrafo veterinário (Módulo de Aquisição de ECG Para Computador (ECG - PC versão Windows 95) - (TEB). O padrão eletrocardiográfico de macaco-prego e catetos contidos com Cetamina e Xilazina foi descrito neste experimento devido a uma das maiores dificuldades encontradas no manejo de animais silvestres em cativeiro, que são os métodos de contenção. Nestas espécies, como em outros animais silvestres, a sedação por vezes é necessária, porém, leva a alterações no funcionamento do sistema cardiovascular e nesse contexto é importante conhecer o padrão eletrocardiográfico para que os indivíduos possam ser monitorados durante todo procedimento. O protocolo de contensão química utilizado neste experimento foi bem tolerado pelos animais e os efeitos dos fármacos ficaram dentro do esperado, por isso, os dados aqui descritos podem ser utilizados para monitorização destes, contidos quimicamente pela ação dos protocolos utilizados, além de poderem ser extrapolados para demais espécies semelhantes.

  • ELVANIA MARIA DA SILVA COSTA
  • Protease e levedura em dietas para frangos de corte
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 29/06/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a inclusão de protease e levedura da cana-de-açúcar em dietas para aves quanto ao desempenho, peso de órgãos, biometria intestinal, composição química e deposição de nutrientes corporais na fase de 1 a 7 dias de idade (experimento I); quanto ao desempenho produtivo, peso de órgãos, comprimento de intestino, rendimentos de carcaça e dos cortes nobres, qualidade da cama e viabilidade econômica das rações no período de 22 a 42 dias de idade (experimento II). Em cada um dos experimentos, foram utilizados 700 frangos de corte machos da linhagem Ross. O delineamento adotado foi em blocos ao acaso, em esquema fatorial 2 (sem e com enzima protease) x 3 (níveis de levedura: 0, 6 e 12%) + 1 (dieta controle positivo), totalizando sete tratamentos com cinco repetições, sendo 20 aves por unidade experimental. Os tratamentos com ou sem inclusão da enzima protease não influenciaram o desempenho, peso de órgãos, biometria intestinal e deposição de nutrientes corporais, entretanto, quanto à composição química, aves alimentadas com enzima protease, apresentaram os menores teores de proteína bruta e cinzas. Os níveis de levedura da cana-de-açúcar apresentaram efeitos para as variáveis ganho de peso, conversão alimentar, umidade e proteína bruta corporal na deposição de nutrientes. A inclusão de protease em dietas para pintos de corte não consegue recuperar o baixo desempenho proporcionado pela utilização de levedura da cana-de-açúcar, além de apresentar menores teores de deposição de nutrientes corporais (experimento I). Na fase de 22 a 33 dias de idade das aves, os tratamentos com ou sem inclusão da enzima protease e os níveis de levedura da cana-de-açúcar influenciaram o desempenho. Na fase de 22 a 42 dias de idade das aves, os níveis de levedura da cana-de-açúcar apresentaram efeitos para o desempenho. Aos 42 dias de idade dos frangos, houve interação entre a inclusão ou não da enzima protease e os níveis de levedura da cana-de-açúcar para o peso de órgãos, porém apenas os níveis de levedura da cana-de-açúcar influenciaram o comprimento total do intestino. Aves alimentadas com a dieta controle positivo apresentaram menor valor de nitrogênio total na cama. A inclusão da enzima protease em dietas para frangos de corte na fase de 22 a 42 dias de idade não consegue recuperar o baixo desempenho proporcionado pela utilização de levedura da cana-de-açúcar, além de promover alterações no peso dos órgãos, aumenta a excreção de nitrogênio na cama e mostra-se menos viável economicamente (experimento II).

     

     

     

  • THAÍS MARIA VALÉRIO SANTOS
  • Interação in vitro dos meios de cultivo glutamina aditivado e folicular ovariano sobre a cinética e plasticidade de células-tronco mesenquimais caprinas
  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 29/06/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As células-tronco mesenquimais (CTM) apresentam maior plasticidade, dentre as linhagens de células-tronco adultas (CTA) pesquisadas, originando tecidos mesodermais e não mesodermais, sendo a medula óssea um dos principais sítios para sua obtenção. Em decorrência da multipotencialidade das CTM, estas células vêm apresentando alto potencial para uso em terapia celular e gênica, assim, tem sido propostos inúmeros co-cultivos com outros grupos celulares. Para obter êxito em cultivos in vitro é necessário fornecer às células um meio de desenvolvimento que simule as condições encontradas in vivo. Os meios de cultivo devem ser ricos em nutrientes para sustentar o crescimento e proliferação celular. O objetivo deste trabalho foi avaliar a interação entre os meios de cultivo celular e folicular ovariano, baseado na resposta celular quanto à cinética e plasticidade de células-tronco caprinas. Para tanto, foi utilizado um caprino, macho, com idade de um ano, higido como doador. Após cinco minutos da realização da medicação pré-anestésica, o animal foi induzido à anestesia por via intravenosa e mantido por via inalatória. A medula óssea foi coletada através do fêmur. O aspirado medular foi imediatamente encaminhado ao Laboratório de cultivo de células-tronco (LABCelt), para realização dos protocolos de isolamento e cultivo. As CTM foram expandidas até a terceira passagem e criopreservadas. O experimento foi realizado em delineamento em blocos casualizados, compostos por quatro tratamentos e três repetições, possuindo como variáveis dependentes, cinética, plasticidade e agrupamento celular. Após seis meses, as células foram descongeladas, expandidas, divididas em quatro grupos cultivados com diferentes meios e submetidas aos ensaios de unidade formadora de colônia fibroblastóide, diferenciação (osteogênica, adipogênica e condrogênica) e cinética celular por curva de crescimento por saturação. Em todos os tratamento utilizados foi observada a capacidade de formar colônias. As diferenciações foram certificadas pela observação de alterações morfológicas semelhantes aos fenótipos de osteoblastos, adipócitos e condrócitos em todos os grupos. O desempenho das células em curva de crescimento, observado nos quatro grupos, revelou uma fase lag curta, seguida de um crescimento exponencial na fase log e finalizado pela fase de declínio ou morte. Onde os grupos 1, 2, 3 e 4 apresentaram curva de crescimento com média de 83,1x103±13,5; 98,2x103±13,1; 72,4x103±14,1 e 48,2x103±13,0 células/mL por poço, respectivamente, ao longo de 21 dias de cultivo. A associação de 70% de meio de cultivo de CTM a 30% de meio folicular proporciona crescimento celular significativamente similar ao encontrado no cultivo com 100% de meio de CTM. As diferentes associações de meio de cultivo de CTM com meio folicular foram capazes de manter a clonogenicidade das células, assim como a plasticidade celular. Pode-se inferir que o tratamento utilizado no grupo 3 apresentou o melhor resultado quanto à cinética e os demais tratamentos não interferiram na plasticidade de CTMMO caprinas.

  • EDNA TELES DOS SANTOS
  • Levedura de Cana-de-Açucar e Enzimas em Dietas para Frangos de Corte
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 27/06/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Resumo: O uso de enzimas exógenas na alimentação de frangos de corte tem melhorado a digestibilidade de ingredientes com presenças significativas de polissacarídeos não amiláceos como os encontrados na parede celular da levedura de cana-de-açúcar bem como os presentes nos grão como no milho e soja. Dois experimentos foram conduzidos com os objetivos de avaliar o efeito da inclusão de diferentes dosagens de enzima mananase em dietas com e sem leveduras (experimento 1) e avaliar o efeito da inclusão de mistura enzimática (α-galactosidase, amilase, ß-mananase, α-glucanase, protease e xilanase) em dietas à base de milho e farelo de soja (experimento 2), sobre o desempenho zootécnico, histomorfometria intestinal,  rendimento de carcaça,  custo de produção e, energia metabolizável e produção de calor de frangos de corte em diferentes idades. Experimento 1: O delineamento foi o inteiramente casualizado com seis tratamentos (T1 Dieta Basal sem levedura e sem enzima (DB); T2-DB + 100g/ton de Mananase; T3 - Dieta com inclusão de 7% de levedura (DL); T4, T5 e T6 - DL + 80g/ton, 100g/ton e 120g/ton de Mananase, respectivamente), seis repetições de 20 aves cada. As variáveis de desempenho foram avaliadas aos 7, 21, 33 e 42 dias. Aos 21 e 33 dias eutanasiou uma ave de cada parcela experimental para avaliação histológica. Aos 42 dias foi  avaliado o rendimento de carcaça, cortes e gordura abdominal. Nos períodos de 7, 21, 33 e 42 dias, não foram observados efeitos (p>0,05) dos tratamentos sobre o consumo de ração, bem como para PM e GP aos 7 dias. Foi observado que as aves alimentadas com dieta sem levedura e sem enzima apresentaram melhor desempenho e as alimentadas com levedura e sem enzimas o pior desempenho. Adição de mananase às dietas com leveduras promoveu melhoria no desempenho, em função da idade das aves. Não houve efeito significativo para rendimento de cortes. Houve efeito (p<0,05) do rendimento de carcaça. Dietas com levedura piora o rendimento de carcaça. Aves alimentadas com DB tiveram menor deposição de gordura abdominal. O uso de enzima mananase proporciona aumento e redução da espessura de parede no duodeno em dietas à base de milho e soja, e, com inclusão de leveduras aos 21 dias, respectivamente. A dosagem de enzimas associadas à inclusão de leveduras ocasionaram efeitos (p<0,10) na espessura de parede do jejuno, bem como alterações na largura de vilo do íleo. A altura de cripta e espessura de parede foi reduzida com a enzima mananase no íleo aos 21 dias. Não houve efeitos (p>0,10) das demais variáveis morfometicas de duodeno, jejuno e íleo aos 21 dias. Aos 33 dias observou efeitos (p<0,0476) de redução da largura de criptas no duodeno com a inclusão da enzima mananase. Não houve efeitos para as demais variáveis morfométicas de duodeno, jejuno e íleo aos 33 dias. A enzima mananase melhora o desempenho zootécnico e rendimento de carcaça em dietas com levedura em frangos de corte. E, recupera o rendimento de carcaça e aumenta a gordura abdominal de frangos de corte aos 42 dias. A inclusão de levedura encarece as rações nos períodos de 1 a 21, 22 a 42 e 1 a 42 dias. Experimento 2: Foi realizado ensaio de metabolismo e desempenho. O delineamento foi o inteiramente casualizado, com 4 tratamentos (T1- controle positivo (CP), T2-CP com 200g/t de Tecnase, T3-Controle Negativo (CN) e T4-CN com 200g/t de Tecnase), 8 repetições, 15 (desempenho) e 4 (metabolismo)  aves cada. Utilizou o método de coleta total de excretas para determinar a energia metabolizável. Aos 33 dias aves foram eutanasiadas para coleta histomorfologica e determinação da Produção de calor. As variáveis de desempenho foram avaliadas aos 33 e 42 dias.  Aos 42 dias aves foram abatidas para avaliação do rendimento de carcaça, cortes e gordura abdominal. Não foi observado efeito (p>0,05) dos tratamentos sobre as variáveis de desempenho, rendimento de carcaça, corte e gordura abdominal aos 33 e 42 dias, respectivamente. O uso de misturas enzimáticas ocasionou aumento da largura de cripta no duodeno aos 33 dias. As demais variáveis histomorfométricas de duodeno, jejuno e íleo não foram influenciadas estatisticamente pelo uso da mistura enzimática. Não foram observados efeitos (p>0,05) para os valores de energias metabolizáveis e produção de calor ao incluir enzimas às dietas no período de 21 a 33 dias de idade. O uso de enzimas em dietas sem redução energética não é economicamente viável no período de 21 a 42 dias de idade.

  • TUANNY CREUSA MEDEIROS DAMASCENO
  • Análise da viabilidade de oócitos ovinos após criopreservação em meio alternativo contendo ACP-408®
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 30/05/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a qualidade de oócitos ovinos submetidos a criopreservação lenta em meio alternativo contendo ACP-408® após descongelação. Foram coletados 188 ovários de 94 ovelhas púberes de abatedouros  da microrregião de Teresina-PI. Os ovários foram transportados ao laboratório em garrafa térmica contendo solução fisiológica a 37ºC e 30 ­µg/mL de sulfato de gentamicina. Posteriormente, os folículos foram puncionados para obtenção dos Complexos Cumulus Oócitos (CCOs),com agulha de calibre 21G acoplada a seringa de 5mL.Logo, o aspirado foi depositado em tubos tipo Falcon de 15 mL, por um período de 15 minutos para que houvesse decantação dos CCOs. O sedimento foi aspirado através de pipeta e colocadas em placas de Petri, onde foram avaliados e classificados por meio de um estereomicroscópio. Após a classificação, os CCOs foram separados em três grupos: Grupo I (Glicerol/Controle), Grupo II (Etilenoglicol), Grupo III (Etilenoglicol + ACP-408®) e envasados em palhetas de 0,25 mL. Seguidamente foram submetidos a criopreservação lenta, em curva de criopreservação específica para embriões em aparelho TK-3000®. Os oócitos foram descongelados e avaliados através das sondas  de iodeto de propídeo e diacetato de carboxifluresceína.Foram recuperados­ 190 COCs com taxa de recuperação de 2,02 COCs por par de ovários. Na análise de viabilidade  com sondas fluorescentes, o grupo contendo etilenoglicol e ACP-408® obteve resultado de 18,51% ,enquanto os grupos contendo etilenoglicol e glicerol obtiveram taxas de viabilidade de 12,5% e 9,09%, respectivamente. Portanto, o grupo contendo ACP-408® e etilenoglicol demonstrou uma taxa de viabilidade de oócitos ovinos semelhante aos crioprotetores padrões comerciais, pós descongelação.

  • TATIELE PEREIRA ARAÚJO
  • Suplementação de cromo e vitamina E em dietas para frango de corte
  • Orientador : AGUSTINHO VALENTE DE FIGUEIREDO
  • Data: 17/05/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • MIRIAN LIMA FERNANDES
  • COMPLEXO ENZIMÁTICO COM DIFERENTES TIPOS DE ÓLEO DE SOJA EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE CRIADOS EM REGIÃO DE CLIMA QUENTE
  • Orientador : AGUSTINHO VALENTE DE FIGUEIREDO
  • Data: 09/05/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • RESUMO

     Objetivou-se avaliar dietas para frangos de corte contendo complexo enzimático (CE) com óleo de soja refinado (OSR), óleo de soja semi-refinado (OSSR) e óleo de soja degomado (OSD), sobre os parâmetros de desempenho, viabilidade criatória, índice de eficiência produtiva, rendimento de carcaça, cortes e gordura abdominal, pesos absolutos e relativos dos órgãos digestivos e coração, e pesos absolutos e relativos dos órgãos linfóides, no período de 1 a 21 dias de idade, mantidos em ambiente de estresse por calor. Foram utilizados 648 pintos machos da linhagem Ross, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com seis tratamentos e seis repetições de 18 aves por unidade experimental, em esquema fatorial 3x2, representado por três tipos de óleo de soja, suplementados ou não com CE. Os tratamentos utilizados foram: Dieta controle (OSR) e dietas contendo OSR+CE, OSSR, OSSR+CE, OSD, OSD+CE, visando atender as exigências nutricionais de cada fase. Não houve interação entre a adição do CE e os diferentes tipos de óleo de soja para os parâmetros de desempenho e viabilidade criatória na fase de 1 a 7 dias, da mesma forma não houve interação para esses mesmos parâmetros e rendimento de carcaça, cortes e gordura abdominal, pesos dos órgãos digestivos e linfóides das aves na fase de 1 a 21 dias de idade. O índice de eficiência produtiva foi influenciado pelos tipos de óleos de soja nas fases de 1 a 7 e de 1 a 21 dias  de idade, em que os tratamentos contendo OSR obtiveram maiores valores (197,623; 305,780%) respectivamente, quando comparado com o OSSR e o OSD. O tratamento com OSR apresentou menor consumo de ração e melhor conversão alimentar na fase de 1 a 21 dias de idade. A adição do CE resultou menores valores de pesos absolutos e relativos do fígado e coração. Conclui-se que a utilização do óleo de soja refinado resultou menor consumo de ração e melhorou a conversão alimentar na fase de 1 a 21 dias de idade, no entanto, a associação do complexo enzimático com os diferentes tipos de óleos de soja não melhorou o desempenho de frangos de corte mantidos em ambiente de estresse por calor.

     

     

  • MARIA DO CARMO DA SILVA VEIGA
  • VITAMINA D3 EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE ESTRESSADOS POR CALOR NO PERÍODO 22 A 42 DIAS DE IDADE
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 05/05/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa foi desenvolvida para avaliar o efeito da suplementação de vitamina D na dieta sobre os parâmetros de desempenho, características de carcaça e peso absoluto e relativo de órgãos linfoides e digestivos de frangos de corte, em condições de estresse por calor, no período de 22 a 42 dias de idade. Foram utilizados 612 pintos de lote misto, distribuídos em delineamento em blocos ao acaso, com seis tratamentos e seis repetições, sendo dezessete aves por unidade experimental. As rações basais foram suplementadas com (0; 600; 1.200; 1.800; 2.400; 3.000 UI de vitamina D3/kg de ração). O experimento foi dividido em duas fases, 22 a 33 e 22 a 42 dias de idade. As aves e as rações foram pesadas no início e no final de cada fase para obtenção dos parâmetros de desempenho. Aos 42 dias de idade o experimento foi finalizado e duas aves por unidade experimental, foram abatidas para avaliação do rendimento de carcaça, cortes e peso de órgãos. No período de 22 a 33 dias de idade a suplementação de vitamina D3 nas dietas de frangos de corte mantidos em ambiente de estresse por calor cíclico não interfere no consumo de ração e viabilidade criatória, por outro lado, na fase de 22 a 33 dias de idade, os tratamentos influenciaram o ganho de peso, conversão alimentar e índice de eficiência produtiva de forma linear. Entretanto, no período de 22 a 42 dias, a suplementação dessa vitamina apresentou melhorou a conversão alimentar e o índice de eficiência produtiva, bem como o rendimento de asa aos 42 dias de idade, porém sem influenciar o peso absoluto e relativo de órgãos linfoides e digestivos.

  • SNAYLLA NATYELLE DE OLIVEIRA ALMENDRA
  • ZINCO E ARGININA EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE MANTIDOS EM AMBIENTE DE ESTRESSE POR CALOR
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 10/04/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O manejo nutricional, de dietas de frangos de corte, por meio do uso de minerais antioxidantes e aminoácidos funcionais, tem se mostrado como uma excelente alternativa para amenizar os efeitos deletérios das altas temperaturas sobre os frangos de corte. Entretanto, pesquisas com a associação desses nutrientes, em dietas para aves mantidas em condições naturais de estresse por calor, não foram realizadas. Portanto, objetivou-se avaliar o efeito da suplementação de dietas com zinco, na forma orgânica, associado à L-arginina, sobre parâmetros de desempenho produtivo e fisiológicos; a metabolizabilidade e a deposição de nutrientes na carcaça; e o sistema imune de frangos de corte, no período de 1 a 21 dias de idade, mantidos em ambiente de estresse por calor. Foram realizados dois ensaios experimentais, um de desempenho produtivo, na fase de 1 a 7 e 1 a 21 dias de idade, e outro de metabolizabilidade de nutrientes na fase de 11 a 17 dias de vida das aves. No ensaio de desempenho produtivo foram utilizados 700 pintos machos da linhagem Ross® 308, com um dia de idade. No ensaio de metabolizabilidade dos nutrientes foram alojadas 175 aves em gaiolas metabólicas. O delineamento experimental adotado, no ensaio de desempenho, foi o em blocos casualizados, e, no ensaio de metabolizabilidade de nutrientes, o inteiramente casualizado; em esquema fatorial 3 x 2 + 1, sendo três níveis de zinco, associados a dois níveis de arginina, uma dieta controle e cinco repetições. Os galpões (ensaios de desempenho) constituíram os blocos. Os níveis de zinco testados foram: 0, 60 e 120 mg/kg de complexo zinco aminoácido e os de L-arginina, 1 e 2%, adicionados em substituição ao material caulim. A associação de 1% de arginina a 120 mg/kg de zinco piorou a conversão alimentar das aves na fase pré-inicial, assim como a associação de 2% de arginina a 60 mg/kg de zinco em frangos de corte na fase inicial. A viabilidade criatória das aves, nas duas fases, foi prejudicada com a suplementação de zinco na forma orgânica e de L-arginina nas dietas. Os rendimentos de carcaça e peito permaneceram inalterados, entretanto, os rendimentos de coxa e sobrecoxa aumentaram com a suplementação de arginina. Os pesos do fígado, do intestino e das penas pioraram com a adição do complexo zinco aminoácido. Na avaliação da metabolizabilidade dos nutrientes observou-se que o zinco piorou os coeficientes de metabolizabilidade da matéria seca, da proteína bruta, do extrato etéreo e da energia bruta das dietas. Houve interação entre o zinco e a arginina para a energia metabolizável aparente corrigida para o balanço de nitrogênio das dietas experimentais e para a deposição de zinco na carcaça das aves. A suplementação de 2% de arginina piora a deposição de matéria seca e matéria mineral e reduz o valor da energia bruta nas carcaças de frangos de corte. Os níveis de zinco testados aumentaram de forma linear os níveis de alanina transaminase, no sangue; o número de células em necrose, no fígado; e a largura do vilo, a altura do enterócito e a espessura da parede do íleo das aves aos 21 dias de idade. A espessura da derme foi aumentada com a adição de 2% de arginina nas dietas das aves. Quando suplementados acima das exigências nutricionais, o zinco orgânico e a L-arginina promovem respostas negativas sobre o desempenho produtivo, o empenamento, a metabolizabilidade e a deposição de nutrientes na carcaça de frangos de corte. Não há melhora nos parâmetros de imunidade das aves, na fase inicial, com a suplementação de zinco e arginina nas dietas.

  • MARCIO LEONARDO DE MORAIS NOBRE
  • Caracterização fenotípica, genotípica e perfil de resistência antibiótica de Staphylococcus aureus isolados de suínos
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 04/04/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Staphylococcus aureus tem emergido como um patógeno zoonótico, cuja evolução de sua virulência e resistência antibiótica tem sido associada à suinocultura. Este trabalho avaliou, em suínos criados em granjas de Teresina, a presença desta bactéria, seu perfil de resistência antibiótica e a capacidade de produção de biofilme. Espécimes clínicos, totalizando 164 amostras, foram obtidos de 82 suínos, para o isolamento de Staphylococcus spp. As estirpes de S. aureus foram identificas por meio de provas bioquímicas, e confirmação pela presença dos genes 16S rRNA e nuc. A susceptibilidade antibiótica e a resistência à meticilina foram, respectivamente, avaliadas por difusão em disco e triagem em ágar contendo meticilina, enquanto a produção de biofilme pelas técnicas de Ágar Vermelho Congo e Aderência em Microplaca. Foram testadas 551 colônias de Staphylococcus spp e destas 29 (5,3%) confirmadas como S. aureus, sendo isoladas de 17 (20,7%) animais. Nenhuma das estirpes possuía o gene mecA, contudo apresentavam multirresistência e fraca produção de biofilme. Um fato inusitado foi a presença de S. sciuri, portador do gene mecA e de elevada multirresistência, associado a uma das estirpes de S. aureus, formando populações mistas, sendo ambas isoladas de uma única colônia. Esta associação compromete a terapia antibiótica, mas pode favorecer transferência do gene mecA entre as espécies, e a evolução de S. aureus.

  • JEFFERSON DOUGLAS MARTINS FERREIRA
  • VITAMINA D3 EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE ESTRESSADOS POR CALOR NO PERÍODO DE 1 A 21 DIAS DE IDADE
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 31/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa foi desenvolvida para avaliar o efeito da suplementação de seis níveis de vitamina D na dieta (0; 600; 1.200; 1.800; 2.400 e 3.000 UI de vitamina D3/kg de ração), sobre os parâmetros de desempenho de frangos de corte de 1 a 7 e de 1 a 21 dias de idade, bem como sobre as características de carcaça e peso absoluto e relativo de órgãos linfoides e digestivos de frangos de corte aos 21 dias de idade, em condições de estresse por calor. Foram utilizados 720 pintos machos de um dia, distribuídos em um delineamento inteiramente ao acaso, com seis tratamentos e seis repetições, sendo vinte aves por unidade experimental. A suplementação de vitamina D3 nas dietas de frangos de corte, criados em ambiente de estresse por calor, no período de 1 a 7 dias, influencia negativamente o índice de eficiência produtiva, sem interferir no consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar e na viabilidade criatória. Já no período de 1 a 21 dias, a suplementação dessa vitamina melhora o consumo de ração até o nível de suplementação de 1.646,67 UI de vitamina D3/kg de ração e interfere negativamente a conversão alimentar até o nível suplementação de 1.696,06 de UI de vitamina D3/kg na ração, sem afetar o ganho de peso, viabilidade criatória e o índice de eficiência produtiva.   Os níveis de suplementação de vitamina D3 testados influenciam negativamente o rendimento de sobrecoxa e de forma positiva o peso absoluto do coração aos 21 dias de idade das aves, sem influenciar no rendimentos e pesos absolutos de carcaça, cortes e órgãos digestivos, e no rendimento e peso absoluto de órgãos linfoides.

  • FLÁVIO CARVALHO DE AQUINO
  • Produção, características morfogênicas e estruturais de clones de capim-elefante sob disponibilidade variável de água em sistema agroflorestal
  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 30/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O capim-elefante (Pennisentum purpureum Schum) é uma espécie forrageira com grande importância no setor agropecuário, devido sua adaptação adiferentes condições edafoclimaticas. A disponibilidade de híbridos, variedades e clones multiplica o seu potencial como planta forrageira. Sendo assim objetivou-se com essa pesquisa avaliar as características morfogênicas, estruturais, a produtividade e perfilhamento de clones do capim-elefante (94F43.2, 94F09.1, 94F07.2, 94F31.1) cultivados com diferentes lâminas de irrigação (246,07mm e 352,58 mm)  em sistema agroflorestal. O trabalho foi conduzido em Parnaíba, no campo experimental da Embrapa Maio Norte; os clones de capim-elefante foram cultivados sob coqueiros (Cocos nucifera) no período de junho a setembro de 2016 com a realização de dois cortes com intervalo de 56 dias de rebrotação. Adotou-se o delineamento em blocos ao acaso no esquema de parcela subdividida, com oito tratamentos e quatro repetições. Nas parcelas as lâminas de reposição hídrica e subparcelas os clones. Não se constatou interação entre clones e lâminas de água para as características morfogênicas e estruturais. Para os clones o número de folhas totais foi em média 18,23, a duração média de vida das folhas foi de 32 dias com altura do dossel de 90,31 cm, a lâmina de irrigação não alterou nenhuma destas variáveis. As características morfogênicas também não diferiram entre os clones nem foram influenciadas pelas lâminas de irrigação. As taxas de aparecimento de folhas foi 0,23 folhas/perfilho.dia as de  alongamento de folhas e colmo foi 20 e 1,08cm/perfilho.dia, a taxa de senescência foi 3,62 cm/perfilho.dia. Houve interação significativa entre clones e lâminas de água para produtividade de matéria seca e densidade de perfilhos, Na menor lâmina de irrigação ocorreu maior produtividade de matéria seca para o clone 94F31.1, 5,64 t.MS.ha, este valor foi mais que o dobro do observado para os outros clones. Na maior lâmina de irrigação a produção de matéria seca deste clone foi 4,97 t e não diferiu do clone 94F07.2, contudo este clone diferiu dos 94F43.2 e 94F09.1. A maior densidade de perfilhos foi registrada para o clone 94F31.1 nas duas lâminas de irrigação, na menor lâmina este valor foi de 448.750 e na maior lâmina de 491.250 perfilhos, nas duas situações este aumento em relação aos outros clones foi mais que o dobro. Para dinâmica de perfilhamento não houve interação entre lâminas de irrigação e clones. Os clones não diferiram para a taxa de aparecimento e sobrevivência de perfilhos, os valores médios foram respectivamente 16,79% e 94,48%. A menor lâmina de água promoveu maior taxa de aparecimento de perfilhos, 21,76% enquanto que na maior lâmina de irrigação este valor foi de 11,38%. O IAF entre 30 e 56 dias aumentou de forma linear positiva, considerando o valor médio para os clones o maior valor 2,1 foi observado aos 50 dias para os materiais que receberam uma lâmina de 352 mm de irrigação. Desse modo clone 94F31.1 é indicado para cultivo sob coqueiros com lâmina de irrigação de 246,07 mm.

  • CICERO SOARES DOS SANTOS
  • Avaliação reprodutiva de búfalas (Bubalus bubalis) por ultrassonografia bidimensional e power Doppler
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 28/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A baixa eficiência reprodutiva é o principal fator limitante da rentabilidade de quaisquer sistema de produção, logo, objetivou-se estudar as estruturas ovarianas e a hemodinâmica útero-ovariana em fêmeas bubalinas (Bubalus bubalis) através de exames ultrassonográficos nas modalidades Bidimensional e Doppler. Com base na distribuição histórica retrospectiva dos nascimentos de bubalinos na região, caracterizou-se a estacionalidade reprodutiva em duas estações, desfavorável e favorável à reprodução. Foram selecionadas 20 fêmeas bubalinas, da raça Murrah, multíparas, cíclicas e/ou Folículo Dominante (FD) com capacidade ovulatória e não lactantes, criadas extensivamente em pastagem nativa, com água e sal mineral ad libitum. Os critérios de seleção forma escore de condição corporal (ECC) e escore de condição ovariana (ECO), os animais selecionados apresentaram ECC entre 3,0 e 3,5, presença de corpo lúteo ou FD (≥ 8,5 milímetros). O experimento 1 quanto o experimento 2 foram realizados em janeiro e julho/2016, períodos que caracterizam as estações reprodutivas desfavorável e favorável, respectivamente. Neste período foi realizado o monitoramento ultrassonográfico (modo B e Power Doppler) e também coletada amostras sanguíneas a cada 96 horas para dosagem de progesterona, a pesagem dos animais ocorreram semanalmente. À Análise dos dados foram realizadas com auxílio do software SAS®2001. No experimento 1, houve diferenças significativas (P<0,05) de peso e ECC entre as duas estações reprodutivas. Foi observado também diferença significativa no diâmetro máximo do folículo dominante, folículo anovulatório, diâmetro máximo do corpo lúteo e na taxa de ovulação. No experimento 2, Houve diferença significativa (P<0,05) na vascularização do útero no dia zero (D0), dia doze (D12) e dia 20 (D20). Em todos os dias de investigações ultrassonográficas foram observadas diferença estatística (P<0,05) na vascularização do ovário. Foi verificado também diferença significativa (P<0,05) nas concentrações séricas de progesterona entre as duas estações. Em resumo, os parâmetros útero-ovariano diferente entre as estações reprodutivas desfavorável e favorável para a espécie bubalina. Esses parâmetros pode tornar-se alternativa para otimizar os resultados nas biotecnologias da reprodução aplicada a espécie.

  • DÉRICK GUSTAVO SILVA OLIVEIRA
  • INTEFERÊNCIA DA MANIPULAÇÃO NA QUALIDADE CAMARÃO CONGELADO
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 27/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O camarão é um dos crustáceos mais consumidos no mundo inteiro, por ser de fácil cultivo e de alto valor nutricional, protéico e lipídico. Pode ser adquirido tanto in natura ou como congelado, podendo ser servido cru, marinado, cozido. Dentre todas essas possibilidades, o camarão sofre processamentos, sendo manipulado antes de ser servido. A manipulação é um dos fatores que mais agregam contaminação aos alimentos, podendo ser originada dos próprios manipuladores ou utensílios. Algumas bactérias são capazes de descarboxilar aminoácidos, causando além de infecção, uma intoxicação alimentar por aminas biogênicas, sendo a mais comum a intoxicação escombróide, quando há altos níveis de histamina. Nesse contexto o objetivo do trabalho foi analisar a interferência da manipulação na qualidade microbiológica de 6 amostras de camarão congelado, que foram submetidas a 5 tipos de cortes, inteiro, filé, butterfly, marinado e frito, que foram analisados microbiologicamente. Foram feitas contagem de aeróbios mesófilos, Staphylococcus coagulase positiva, enumeração de coliformes a 45° e determinação de presença de Salmonella. As bactérias isoladas foram identificadas e submetidas a testes de descarborxilação de aminoácidos. Não houve diferença significativa (p<0,05) entre os cortes Inteiro, Filé e Buterfly, nem entre Marinado e Frito. Das bactérias isoladas 43,54% foram positivas para histamina, 8,06% para tirosina, 38,7% para lisina.

  • MARIA IVAMARA SOARES MACÊDO
  • Expressão diferencial de genes associados ao metabolismo muscular e de deposição de gordura intramuscular em grupos genéticos de suínos divergentes
  • Data: 27/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os fatores genéticos, em particular a raça ou a linhagem, estão entre os que mais influenciam o desenvolvimento muscular de suínos. A dinâmica de crescimento muscular de suínos é de grande interesse científico e agropecuário, pois está associada à características de carcaça em suínos de corte, que são influenciadas diretamente por genes, uma vez que alterações na expressão gênica podem indicar possíveis alterações fisiológicas.

    Por esses ascpectos, é importante entender as consequências metabólicas de alterações na síntese de RNAm e proteínas. Nesse sentido, se faz necessário o conhecer melhor o perfil de transcrição do tecido muscular, devido alterações no padrão de expressão gênica poderem direcionar a composição do RNAm entre os vários tipos de células presentes nesse tecido.

    Para comparação dos níveis de mRNA e confirmação de padrões de expressão gênica, ferramentas de genética molecular têm contribuído substancialmente para o entendimento da dinâmica dos processos metabólicos ligados à transição do músculo em carne. Dessas ferramentas, menciona-se a técnica RT-qPCR que possibilita analisar genes diferencialmente expressos com alta confiabilidade.

    As características fisiológicas e metabólicas e a quantidade final de tecido muscular dependem, principalmente, da proporção dos tipos de fibras. Há relação entre propriedades do metabolismo oxidativo e teor de gordura no músculo esquelético. O número e o tipo de fibras que compõem o músculo estão relacionados com as características de qualidade da carne. Animais com maior número de fibras musculares apresentam menor teor de gordura intramuscular e apresentam carne com maior luminosidade e com menor capacidade de retenção de água.

    Para as funções biológicas da atividade mitocondrial e deposição de gordura em suínos ainda não há estudos de expressão gênica em suínos distintos geneticamente. Justifica-se o interesse do conhecimento do perfil de expressão de genes selecionados associados a alterações do metabolismo mitocondrial ao crescimento muscular e ao processo biológico responsável pela deposição de gordura em diferentes grupos de suínos. Diante da existência de genes responsáveis por respostas fisiológicas e metabólicas, espera-se constatar diferenças entre metabolismo oxidativo e glicolítico, por meio dos genes selecionados, de acordo com a idade e potencial de deposição de gordura nos suínos fenotipicamente distintos.

    Pressupõe-se que o estudo de expressão gênica utilizando genes atuantes na capacidade oxidativa-glicolítica da atividade mitocondrial e com mecanismos de deposição de gordura intramuscular possa preencher lacunas na compreensão dos mecanismos envolvidos com o metabolismo anaeróbio e utilização de ATP em músculo pos mortem. Além disso, relacionar alterações de metabolismos glicolítico e oxidativo com diferenças de idades em suínos fenotipicamente contrastantes.

    Dessa forma, esta pesquisa esclarece padrões regulatórios que governam a dinâmica do crescimento muscular de suínos e suas variações. Considerando a importância do mercado da carne suína e a necessidade de melhoria da qualidade de carne, com este estudo objetiva-se analisar a diferenciação gênica da função mitocondrial e deposição de gordura em suínos, distintos em idade e genética, em termos de crescimento muscular bem como associar os diferentes perfis de expressão dos genes selecionados aos fenótipos estudados por meio da técnica RT - qPCR.

  • LUANA DIAS DE MOURA
  • PROTEÍNAS RECOMBINANTES E SEU USO NO DIAGNÓSTICO DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 23/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A suspeita diagnostica da LVC é baseada em dados epidemiológicos e nos achados clínicos e laboratoriais, apesar de ser um diagnóstico complexo, visto que algumas doenças compartilham sintomatologia similar. Diferentes técnicas podem ser utilizadas como testes sorológicos, pesquisa do parasita por exames parasitológicos e/ou por ensaios moleculares. Em busca de se obter um método mais específico de diagnóstico sorológico da LV, vem se realizando pesquisas com a utilização de antígenos recombinantes de Leishmania sp., uma vez que o problema na utilização de proteínas totais para o diagnóstico da doença é a existência de reações cruzadas entre soros de animais infectados com outros patógenos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia de diferentes proteínas recombinantes de Leishmania infantum chagasi no diagnóstico sorológico da leishmaniose visceral canina pelo método de ELISA. O perfil clínico dos animais foi avaliado de acordo com (SILVA et al., 2017) atribuindo escores que foram catalogados em uma ficha de avaliação. A técnica de ELISA foi realizada utilizando antígeno total de Leishmania (SLA) e sete (07) antígenos recombinantes (LiP2a, LiP2b, LiP0, HSP70, HSP83, KMP-11 e H2A). A leitura das placas foi realizada em Espectofotômetro com comprimento de onda de 490 nm, utilizando o software SolftMax Pro 5.0.  A análise estatística foi realizada utilizando o software GraphPad Prism 5.0 (GraphPad Prism Inc., San Diego, CA). Para comparação entre os grupos foi utilizado o teste de ANOVA, teste de Kruskal Wallis e de Dunn’s com múltiplas comparações de mediana adquiridas a partir da densidade ótica-OD dos soros de cada grupo, utilizando um nível de significância de p<0,05 e IC- 95%. O ponto de corte de cada antígeno foi estabelecido utilizando a curva ROC, baseado na maior sensibilidade e especificidade, onde o desempenho e acurácia de cada teste foram estabelecidos a partir da área sobre a curva – AUC. Dentre todas as proteínas testadas, a que apresentou melhor resultado em sensibilidade e especificidade foi a LiP2a, a qual conseguiu discriminar bem soros de cães positivos (sintomaticos e assintomaticos) de cães negativos e distinguiu os animais positivos dos demais gurpos de cães avaliados (erliquiose canina e vacinados contra a doença), apresentando diferença significativa entre os grupos (p < 0,05), além de demostrar melhor desempenho frente ao SLA (p < 0,05). Assim, a proteína recombinante LiP2a apresenta-se bastante promissora para ser utilizada com um antígenos alternativo para diagnóstico, com uma boa sensibilidade e especificidade nos teste de ELISA.

  • DIEGO HELCIAS CAVALCANTE
  • FUNÇÕES DE COVARIÂNCIAS NA MODELAGEM DE CRESCIMENTO DE BOVINOS NELORE MOCHO CRIADOS NA REGIÃO NORTE DO BRASIL
  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 23/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nos modelos de regressão aleatória é possível decompor a trajetória da curva de crescimento por meio das mudanças nas covariâncias dos efeitos aleatórios. O tipo e a ordem de ajuste dos polinômios utilizados para modelagem do crescimento podem influenciar os resultados das avaliações genéticas, portanto, é necessário avaliar diferentes modelos para se auferir o mais harmônico. Nesse contexto, o uso de polinômios segmentados do tipo B (Funções B-spline) tem sido proposto como alternativa aos polinômios de Legendre, no ajuste das funções de covariância. Atualmente, alguns autores concluíram que o uso de polinômios B-splines nos modelos de regressão aleatória apresentou vantagens em relação aos demais, porém, ainda não está claro alguns aspectos quanto à quantidade, ordem e posição dos nós para modelagem da curva. O presente projeto de pesquisa tem objetivo de avaliar diferentes tipos de polinômios utilizados em funções de covariância por meio de modelos de regressão aleatória com a finalidade de predizer o potencial genético dos animais em estudo.

  • LAÍS MEIRELES COSTA SILVA
  • Efeito do xenotransplante de células tronco mesenquimais e plasma rico em plaquetas em falhas osteocondrais caprinas
  • Orientador : NAPOLEAO MARTINS ARGOLO NETO
  • Data: 21/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os defeitos osteocondrais do joelho decorrem de uma lesão onde se estende até o osso subcondral, acometendo toda a espessura da cartilagem e de ocorrência comum em seres humanos e animais.   Esta enfermidade está entre as causas mais comuns de incapacidade entre a população de meia-idade e idosos. A terapia celular xenogênica torna-se uma opção terapêutica inovadora, por tratar-se da utilização de células-tronco de um indivíduo para outro de espécies diferentes, e pode ser utilizada de diversas fontes e situações, como regenerações osteocondrais. Objetivo: Avaliar o efeito da terapia celular xenogênica com a utilização de CTM de polpa dentária de cutia, plasma rico em plaquetas xenogênico equino e esponja hemostática de colágeno hidrolisado na regeneração de lesões osteocondrais em joelho de caprinos. Cinco animais foram submetidos à lesões osteocondrais na região da tróclea femoral, onde foi feito o preenchimento de cada lesão cirúrgica uma única vez, no trans-cirúrgico, com os três tratamentos. Todos os animais receberam os tratamento da mesma forma. As lesões osteocondrais de todos os animais foram avaliadas macroscopicamente e histologicamente com 60 dias de pós-cirúrgico. Verificou-se que a esponja hemostática estéril de colágeno hidrolisado apresentou biocompatibilidade favorável com as células-tronco mesenquimais xenogênicas, permitindo a adesão das mesmas e preservando sua viabilidade. Além disso, a terapia celular xenogência obteve resultados mais satisfatórios com relação à reparação cartilagínea, com todos os animais apresentando cartilagem hialina na superfície do defeito. No entanto, o tratamento com PRP obteve maior presença da formação de superfície cartilagínea fibrocartilaginosa. Macroscopicamente, evidenciou-se falta de preenchimento da lesão com coloração diferente da cor da cartilagem normal.

  • CAMILA MARIA COUTINHO MOURA
  • Qualidade microbiológica do filé de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) conservada em gelo escama
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 17/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os peixes são considerados como alimentos muito perecíveis devido a fatores como: pH próximo a neutralidade, elevados níveis de atividade de água, composição nutricional e fragilidade do tecido conjuntivo. Para inibir o desenvolvimento da microbiota acompanhante em todas as etapas da cadeia produtiva, os peixes devem ser acondicionados em gelo e armazenados em temperaturas baixas. Desta forma, este trabalho objetivou avaliar as condições microbiológicas de filés de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) armazenados em refrigeração acondicionados em gelo. Para realização deste trabalho foram realizadas três coletas de peixes e de gelo em quatro barracas do Mercado do Peixe em Teresina, PI. Em cada barraca coletava-se duas tilápias com peso médio de 800 g, perfazendo um total de 24 amostras de peixes. Após as coletas, as tilápias foram transportadas em caixas isotérmicas para o Setor de Processamento de Pescado onde foram filetados. O filé do lado esquerdo era dividido em duas partes iguais. Em uma delas as seguintes análises microbiológicas eram realizads imediatamente: enumeração de coliformes termotolerantes e totais, contagem de bactérias heterotróficas mesófilas e psicrófilas. A outra parte foi acondicionada em caixa isotérmica acondicionada com a amostra de gelo para estocagem sob refrigeração doméstica por oito horas. Decorrido esse tempo também eram realizadas as mesmas análises microbiológicas da outa parte. As amostras de gelo inicialmente não apresentavam contaminação microbiológica. As amostras de filé apresentavam os mesmos índices de contaminação microbiana antes e após estocagem. Pode-se verificar que o gelo que foi utilizado para acondicionamento de filé apresentou a mesma quantidade de bactérias que os filés, caracterizando que a contaminação do gelo era proveniente do contato com os filés. As amostras, tanto de gelo quanto de file de tilapia não apresentaram coliformes totais nem termotolerantes.

  • MÁRCIO DOS SANTOS ROCHA
  • DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DE COMPLEXOS DE ÓLEOS ESSENCIAIS COM β-CICLODEXTRINAS E AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIFÚNGICA FRENTE A LINHAGENS TOXIGÊNICAS DE Aspergillus parasiticus
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 17/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • Os óleos essenciais, em geral, possuem componentes com atividade antimicrobiana que inibem o crescimento de fungos fitopatogênicos e toxigênicos, mostrando ser uma alternativa aos antifúngicos sintéticos na prevenção da deterioração dos alimentos. Entretanto, sua instabilidade térmica e sua baixa solubilidade aquosa limitam sua aplicação. No presente trabalho extraímos e caracterizamos os óleos essenciais de Origanum majorana, Mentha arvensis, Lippia alba, Ocimum basilicum e Cymbopogon citratus cultivados no horto de plantas medicinais e aromáticas da Universidade Federal do Piauí. Preparamos complexos de inclusão destes óleos com β-ciclodextrina, pelo método de coprecipitação e os caracterizamos por métodos cromatográficos e espectroscópicos. Determinamos a influência da β-ciclodextrina na estabilidade térmica dos óleos pelo método de headspace e, avaliamos sua atividade antifúngica contra Aspergillus parasiticus. Os constituintes majoritários identificados para os óleos essenciais de Origanum majorana foram o limoneno, linalol e estragol; Mentha arvensis, p-mentona, isomentona e mentol; Lippia alba, L-limoneno e L-carvona; Ocimum basilicum, linalol e estragol e Cymbopogon citratus, Z-citral e geranial. A formação do complexo de inclusão com todos os óleos essenciais aumentou a estabilidade térmica a 45°C de todos os componentes dos óleos durante 120 minutos e, os óleos essenciais de Origanum majorana, Mentha arvensis, Lippia alba, Ocimum basilicum e Cymbopogon citratus inibiram o crescimento fúngico, entretanto seus complexos de inclusão apresentaram baixo potencial antifúngico no modelo experimental utilizado frente a linhagem de Aspergillus parasiticus.

  • ANDRÉIA DA SILVA COSTA
  • EFEITO DA ANGIOTENSINA-(1-7) EM OVELHAS SUBMETIDAS A PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO E NA MATURAÇÃO IN VITRO DE OÓCITOS OVINOS
  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 16/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com essa pesquisa avaliar o efeito da administração de angiotensina-(1-7), por via subcutânea, em ovelhas submetidas a protocolo de IATF, bem como seus efeitos na MIV de oócitos ovinos. Para tanto, utilizou-se 82 cabras, que foram divididas aleatoriamente em dois grupos experimentais: controle (n=40), angiotensina-(1-7) (n=42). Todos os animais foram submetidos ao protocolo de sincronização do estro e ovulação, que consta da aplicação de esponjas vaginais impregnadas com 60 mg de acetato de medroxiprogesterona durante 10 dias. No 10º dia foram aplicados, via intramuscular, 300 UI de Gonadotrofina Coriônica Equina (eCG) e 125 µg de cloprostenol. Nos dias 10, 11 e 12 os animais receberam os tratamentos duas vezes ao dia (a cada 12 horas) de acordo com os grupos experimentais: o grupo controle recebeu 30 µg/kg de ciclodextrina em 2 ml de água destilada por animal, via subcutânea e o grupo angiotensina recebeu solução de Angiotensina-(1-7) + ciclodextrina  diluída em 2 ml de água destilada na concentração de 20 μg/kg. Durante as aplicações eram também realizadas coletas de sangue, utilizando tubos à vácuo, em 7 animais por grupo para posterior dosagem de estradiol (E2) pelo teste de Elisa. A inseminação artificial (IA) foi realizada 50 a 55 horas após a retirada das esponjas com sêmen fresco oriundo de reprodutores com fertilidade comprovada. No ato das inseminações foi mensurado o grau de relaxamento da cérvix levando em consideração a facilidade de passagem da pipeta de inseminação pelos anéis cervicais e local de deposição do sêmen. Foi adotada a seguinte classificação: 1-relaxada (R) quando a penetração total da cérvix era alcançada, atingindo o lúmen uterino e 2-contraída (C) quando a penetração da cérvix era apenas parcial. Sete dias após a IA, nova coleta de sangue era realizada para a realização da dosagem de progesterona (P4) também pelo teste de Elisa para verificação da taxa de ovulação. As análises estatísticas foram realizadas pelo teste do Qui-Quadrado de aderência a 5% (P<0,05) para avaliação das taxas de prenhez e para percentagem de relaxamento cervical. Para as análises hormonais foram utilizados análise de variância seguida do teste de Dunnett’s a 5% de significância (P<0,05) para a análise de estradiol (E2) e teste de Fischer a 5% de significância para taxa de ovulação (P4). Para avaliar o efeito da Angiotensina-(1-7) na maturação oocitária, foram utilizados no primeiro experimento 74 oócitos, cultivados na ausência ou presença de Ang-(1-7), G-1 e G-2, respectivamente. Para confirmação do efeito da Ang-(1-7), o grupo 3 (G-3) recebeu  ang-(1-7) adicionado ao seu antagonista específico A-779 (D-ala-779) na mesma concentração. No segundo experimento, foram utilizados 87 oócitos, cultivados na ausência de Ang-(1-7)-G1-Grupo controle (n=25) e na presença de Ang-(1-7) em diferentes concentrações, G-2- Ang-(1-7) a 0,5 µM (n=32) e G-3- Ang-(1-7) a 0,25 µM (n=30). As análises estatísticas foram realizadas pelo teste do Qui-quadrado de aderência com nível de confiança de 95% (p<0.05). Os resultados mostraram que o grupo angiotensina apresentou um aumento na taxa de prenhez, ovulação, níveis de estradiol e maior grau de relaxamento de cérvix em relação ao grupo controle. Em relação à taxa de maturação oócitária, angiotensina-(1-7) na concentração de 1 µM bem como a sua adição a 1 µM acrescida de seu antagonista específico A-779 diminuem a taxa de maturação in vitro de oócitos ovinos. Além disso, o aumento da concentração de ang-(1-7) diminui a taxa de maturação in vitro de oócitos ovinos. Conclui-se que a aplicação de angiotensina-(1-7) na concentração de 20μg/kg durante o período pré-ovulatório, aumenta a taxa de prenhez, provoca um maior grau de relaxamento de cérvix, eleva os níveis de estradiol próximo à ovulação bem como a taxa de ovulação de ovelhas submetidas à IATF e que a adição de angiotensina-(1-7) a 1 µM, bem como a adição de angiotensina-(1-7) a 1 µM juntamente com o seu antagonista específico A-779 na mesma concentração, diminuem a taxa de maturação in vitro de oócitos ovinos e que o aumento da concentração de angiotensina-(1-7) é inversamente proporcional à maturação in vitro de oóccitos ovinos. 

  • AURINO DE ARAUJO REGO NETO
  • Estrutura genética e associação genômica ampla para características de tamanho corporal em ovinos da raça Santa Inês
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 10/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O conhecimento da arquitetura genética de uma população permite identificar fatores que podem interferir na eficiência do progresso genético pela seleção. Objetivou-se com este estudo avaliar a arquitetura genética por meio de analise tradicional e genômica, bem como a detecção de polimorfismos únicos de DNA associados a características de tamanho corporal de animais da raça Santa Inês.  Para tanto, foram utilizados informações de 428 animais criados nos estados do Piauí e Maranhão com registro na Associação Brasileira de Criadores de Ovinos, dos quais foram genotipados 271, utilizando-se SNPs Chip de alta densidade Ovine 50K da Illumina. Após o controle de qualidade, foram utilizados 51.874 SNPs. No Capitulo 1,  foram utilizados dois métodos diferentes para calcular o parentesco entre os animais, matriz de relacionamento genético tradicional (A), baseado na informação de pedigree , e a matriz de relacionamento genético genômico (G), baseada nos marcadores SNP's. Quatro critérios foram utilizados e comparados para estimar a endogamia, informações pedigree (FPED); corrida de homozigose (FROH), frequência de homosigose observada e esperada (FHOM) e a matriz de relacinamento genômico (FGRM). Com a estatística r2 estimou-se a extensão do desequilíbrio de ligação entre pares de SNPs adjacentes presentes nos cromossomos autossômicos. A identificação dos segmentos de homozigose (ROH) nos cromossomos autossômicos foi realizada considerando pelo menos 50 SNPs homozigotos em um  segmento mínimo de 1.000 Kb por animal. O desequilíbrio de ligação (LD) r² foi de 0,4443. Os coeficientes de endogamia médios estimados FPED, FROH, FHOM, FGRM, foram 0,0004 0,035, 0,025, e 0,552 respectivamente. As estimativas de parentesco médio baseados em A e G foram, respectivamente, 0,02 e 0,255. Foram identificados 4.022 seguimentos de homozigose no genoma, dos quais se destacam três regiões no cromossomo 16 que foram compartilhadas por mais de 50% da população, o que pode indicar a ocorrência de seleção intensa para características cuja a expressão estão reguladas por genens localizados neste cromossomo. No Capitulo 2, para verificar a associação marcadores SNP’s com características de tamanho corporal realizou-se uma análise de associação genômica ampla (GWAS) por meio da metodologia GWAS passo único (ssGBLUP) para estimar os efeitos de marcadores e associá-los às características peso a idade adulta (PA), comprimento corporal (CC), altura da cernelha (AC),  circunferência torácica (CT), comprimento da perna (CP) e perímetro da perna(PP). Observaram-se associações com PA, CP e PP no cromossomo 6, com CT nos cromossomos 4, 7 e 13 e com AC e CC no cromossomo 4. As regiões identificadas neste estudo apresentam vários genes com conhecimento biológico descrito que poderão auxiliar na melhor compreensão da expressão destas características, assim como, poderão auxiliar nas tomadas de decisões em programas de seleção da raça Santa Inês.

  • FERNANDO YÚRI BRANDÃO FERNANDES
  • Fracionamento de compostos nitrogenados e carboidratos de folhas de pindoba de babaçu desidratadas ou emurchecidas e amonizadas com ureia
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 09/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Avaliou-se o efeito de doses de ureia e tempo de amonização sobre o valor nutritivo do feno e pré-secado de folhas de pindoba de babaçu. Esta pesquisa foi realizada no Departamento de Zootecnia na Universidade Federal do Piauí. O delineamento adotado foi o inteiramente casualizado, em arranjo fatorial 2 x (3 x 3 +1), sendo folhas fenadas e pré-secadas submetidas a 3 (três) tratamentos de amonização (2, 4 e 6 % de ureia com base na MS) durante 3 (três) tempos de reação da amônia (15, 25, 35 dias) e a testemunha, com e repetições por tratamento. Foram considerados os constituintes químicos matéria seca (MS), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), nitrogênio insolúvel em detergente neutro (NIDN), nitrogênio insolúvel em detergente ácido (NIDA), hemicelulose (HEM), lignina, e cinza. Foram avaliados os parâmetros de degradação no rúmen, degradação potencial (DP) e degradabilidade efetiva (DE). O feno de folhas de pindoba de babaçu apresentou maior teor de PB quando amonizado com 6% de ureia, inclusive com teor proteico superior às folhas pré-secadas e amonizadas. Quando do fracionamento proteico do feno, houve aumento da fração solúvel (fração A) com a elevação na proporção de ureia no tratamento por amonização, o que não ocorreu ao pré-secado. Os constituintes químicos fibrosos FDN e FDA não se alteraram em função dos tratamentos.

  • FLORA SUZANE PARENTE MAIA
  • Polimorfismo genético no gene da β-defensina I em caprinos
  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 08/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A caprinocultura no Nordeste tem importância sócio-econômico, porém é afetada por uma grande variedade de agentes patogênicos que causam perdas econômicas relevantes. As defensinas são peptídeos antimicrobianos que atuam na resposta imune inata, agindo contra diferentes microrganismos. O objetivo com este estudo foi identificar polimorfismos em parte do íntron 1, todo éxon 2 e na região terminal 3’ do gene Goat β-Defensin-1 em um rebanho da raça Anglonubiana localizado na região Nordeste Brasil. O gene foi amplificado por PCR a partir do DNA extraído de amostras de sangue de 187 animais. Os produtos foram sequenciados, alinhados e analisados. Foram encontrados doze polimorfismos, sendo oito na região do éxon 2 e dois em cada uma das demais regiões analisadas. As alterações foram em sua maioria do tipo transição (67%). Os SNPs do éxon 2 foram responsáveis por mudanças de aminoácidos em seis códigos genéticos. No 40º códon, o selvagem (ACC) que codifica o aminoácido treonina, foi encontrado sob variadas formas que codificam três diferentes aminoácidos (aspartato, alanina e asparagina). Dos 6 códigos genéticos alterados, as mudanças nos códons 25 e 33 afetaram a função proteica. A presença de famílias de meias-irnãs paterna contribuiu para os valores de Fis alto e positivo (entre 0,152 e 0,867) e 16,6% das possibilidades de pareamento entre os SNPs apresentaram desequilíbrio de ligação significativo (p<0,05). O escore corporal e a quantidade de oocistos de protozoários eliminado nas fezes diferiram significativamente entre animais com SNPs em duas posições no gene da defensina em caprinos. Os resultados deste estudo sugerem que SNPs são marcadores relevantes e podem contribuir para novos trabalhos sobre a influência da β-defensina I no sistema imunológico de caprinos.

  • ISAK SAMIR DE SOUSA LIMA
  • VALOR NUTRITIVO DA PALMA FORRAGEIRA SUBMETIDA À ADUBAÇÃO NITROGENADA
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 07/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o valor nutritivo da palma forrageira adubada com diferentes doses de nitrogênio. Verificou-se a composição química, as frações de compostos nitrogenados e carboidratos, e a degradabilidade ruminal da matéria seca e proteína da palma forrageira, sob diferentes doses de N (0, 100, 200, 300, 400, 500 e 600 kg/ha/ano), na forma de (NH4)2SO4, a cada 90 dias, durante 12 meses. Houve efeito significativo na composição química, com acréscimo linear (P<0,05) no teor de proteína bruta, fibra em detergente ácido, celulose e lignina, e efeito linear decrescente (P<0,05) no teor de matéria seca, hemicelulose, nitrogênio insolúvel em detergente neutro (NIDN) e ácido (NIDA). As frações protéicas A e B2 foram influenciadas de forma quadrática (P<0,05) e a fração C dos carboidratos decresceu de forma linear (P<0,05). Houve aumento na degradação da proteína bruta em função dos tratamentos. A dose 200 kg de N/ha melhora o valor nutritivo da palma forrageira.

  • SAMY EMANUELLE ALMEIDA SOUSA CAVALCANTE
  • FONTE DE MICRORGANISMOS ALTERNATIVA AO INÓCULO RUMINAL NA AVALIAÇÃO IN VITRO DE ALIMENTOS PARA RUMINANTES
  • Orientador : VANIA RODRIGUES VASCONCELOS
  • Data: 07/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • As pesquisas foram conduzidas no Laboratório de Nutrição Animal do CENA/USP, Piracicaba-SP e no Departamento de Produção Animal da Universidad de León, Espanha. O presente trabalho teve como objetivo utilizar fontes microbianas alternativas ao inóculo ruminal de animais fistulados na estimativa da degradação e da cinética de fermentação ruminal por procedimentos in vitro de avaliação de alimentos para animais ruminantes. Estruturalmente este trabalho foi dividido em duas partes. A Parte I é constituída da Introdução e do Referencial Teórico, e a Parte II é referente a três capítulos, ambos apresentados na forma de artigo científico, redigidos obedecendo às normas do Periódico Animal Production Science, ao qual serão submetidos a publicação. O capítulo I objetivou avaliar o efeito concentração de fezes no inóculo fecal sobre a estimativa da degradabilidade ruminal e os parâmetros de fermentação pela técnica in vitro de produção de gases. Os níveis testados de concentrações de fezes não foram suficientes para estimar os parâmetros de produção de gases in vitro do capim-Aruana e feno de capim-Tifton-85. O capítulo II objetivou avaliar a fonte microbiana do conteúdo ruminal e das fezes de ovinos abatidos em ensaios in vitro de avaliação de alimentos para animais ruminantes. O inóculo fecal de ovinos abatidos é eficiente na avaliação das características de degradação ruminal de nutrientes, porém quando se trata dos parâmetros de fermentação ele pode super e subestimar algumas variáveis.

  • VANESSA DOS SANTOS NERI
  • Caracterização fenotípica e genética para conservação sustentável de caprinos naturalizados
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 06/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os caprinos nativos são patrimônio cultural e biológico único, por isso se justificam ações para a sua conservação. A caracterização fenotípica associada à caracterização genética utilizando-se marcadores microssatélites possibilita definir a diversidade genética entre animais e raças, o que pode promover maior eficiência dos programas de acasalamentos, otimizando o sistema de criação e auxiliando os criadores nas tomadas de decisam no que diz respeito a manutenção das raças e adequação do  sistema de produção. O objetivo dessa pesquisa foi de caracterizar fenotipica e geneticamente raças de caprinos nativos criadas no município de Elesbão Veloso, Piauí, a fim de auxiliar na manutenção da máxima variabilidade possível dentro de suas populações e disponibilizar estes recursos genéticos visando à conservação sustentável. Foram utilizados 197 animais das raças Azul, Canindé, Moxotó, Anglo Nubiana, Boer, Graúna, Repartida, Marota e Parda Alpina. Para a caracterização fenotípica, foram coletados medidas morfométricas, para analise de resistência a endoparasitas foi coletado amostras de fezes para contagem de OPG e verificação da mucosa ocular pelo método FAMACHA©. Para avaliar a carcaça dos animais coletou-se as medidas de área de olho de lombo, profundidade de olho de lombo e espessura de gordura esternal por ultrassonografia, além do escore da condição corporal e peso. Para caracterização genética foram coletados amostras de sangue para extração de DNA e uso na reação de PCR (Reação em cadeia da polimerase) com um painel de 7 marcadores microssatélites recomendados para estudos de diversidade genética de animais. Os produtos amplificados foram visualizadosapós eletroforese em gel de poliacrilamida a 7%, fotografados e genotipados manualmente. As analises estatísticas foram executadas com auxilio do software R versão 3.2.1 com estatísticas descritivas simples, analise de componentes principais e analise de agrupamento. A presença de alelos nulos foi estimada pelo programa MicroChecker – versão 2.2.3. As estimativas F de Wright (FIS, FCT, FIT), bem como a variância genética global entre as raças, estimadas por análise de variância molecular, a matriz de dissimilaridade pela distancia de Nei, com auxilio do programa GenAlEx 6.5. O conteúdo de informação polimórfica (PIC) foi calculado pelo programa CERVUS v.3.0.7. A condição do equilíbrio de Hardy-Weinberg (HWE) em cada locus, foi verificada pelo programa GENEPOP v.4.0.10 e o programa Structure, versão 2.3.4, foi utilizado para definir o número de grupos (K) mais provável nas amostras coletadas e avaliar indícios de introgressão na composição genética das raças estudadas, por meio de métodos Bayesianos. A raça Repartida foi a que mais se destacou entre as nativas em relação à morfometria. Na avaliação de carcaça, as maiores médias de área de olho de lombo, profundidade de olho de lombo e ECC foram obtidas para a raça Boer, e das raças nativas, a Moxotó. Em relação a contagem de OPG, todas as raças apresentaram baixa contagem. Para as características morfométricas e as medidas de carcaça, o método UPGMA foi o mais indicado para resumir a estrutura dos agrupamentos. Foram encontrados um número médio efetivo de alelos por locus de 10,11 entre as 9 populações. Todos os marcadores apresentaram elevado grau de heterozigosidade média observada, um valor PIC elevado e valor de FIS negativo, mostrando que as populações não são endogâmicas. As raças que apresentaram o menor numero de locus em desequilíbrio foram Anglo Nubiana, Graúna e Boer. O maior valor do ∆K encontrado foi K=9, indicando informações representativas das relações genéticas existentes entre as 9 raças, sugerindo a existência de 9 grupos genéticos com indivíduos similares devido a cruzamentos desordenados entre as diferentes populações. Os resultados obtidos forneceram subsídios para diversas investigações em que foi possível verificar a existência de variabilidade genética e a indicação de animais cruzados, o que sugere a necessidade de adequação do manejo reprodutivo e controle de acasalamentos para não colocar em risco a conservação do patrimônio genético e perpetuação das raças no estado do Piauí.

  • LORRANE RIBEIRO DE MESQUITA
  • Avaliação Físico-Quimica E Sensorial De Carne De Frangos De Corte Submetidos À Dietas Com Inclusão De Óleo De Buriti (Mauritia Flexuosa L.)
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 06/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo com esta pesquisa foi avaliar a influencia da inclusão de diferentes níveis de óleo de buriti em dietas para frangos de corte de 14 a 28 de idade sobre a qualidade da carne, analisando características físicas, composição centesimal, aspectos sensoriais e aceitabilidade do consumidor. Foram utilizados frangos de corte, machos, da linhagem Ross, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com três tratamentos (0; 0,75 e 1,5% de óleo de buriti na dieta), dez repetições e 10 aves por repetição. Aos 28 dias as aves, após um período de jejum, foram abatidas e separados os corte de peito e sobre coxa para análise. Em geral, as variáveis físicas de pH, perda de peso por cozimento (PPC), forca de cisalhamento (FC), L* (luminosidade), a* (intensidade de vermelho), b* (intensidade de amarelo) do peito e sobrecoxa de frango não foram influenciados pela inclusão de óleo de buriti na dieta. Na composição centesimal a umidade da sobrecoxa foi influenciada pela inclusão de 1,5% de óleo de buriti e para as demais variáveis analisadas não foram observadas efeito dos tratamentos. Para a análise sensorial os aspectos cor e aroma apresentaram, de acordo com escala hedônica, resposta gostei ligeiramente em todos os tratamentos.Já para sabor, textura e aceitação global, corresponderam a resposta gostei moderadamente. O parâmetro aceitabilidade do consumidor em termos hedônicos foi proporcional a tenho dúvidas se compraria, caracterizando uma aceitação intermediaria. A inclusão de óleo de buriti em rações balanceadas para frangos de corte não influencia nas características indicativas da qualidade para composição física, sensorial, aceitabilidade do consumidor, porém a inclusão de 1,5% influenciou a composição centesimal da umidade para sobrecoxa. A inclusão de óleo de buriti na dieta não prejudica a qualidade da carne e pode ser utilizado em dietas para frangos de corte.

     

  • BRUNO SPINDOLA GARCEZ
  • VALOR NUTRITIVO DE DIETAS CONTENDO FRUTOS DE CARNAÚBA (Copernicia prunifera) E TUCUM (Bactris setosa) PARA CAPRINOS
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 03/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com essa pesquisa avaliar o valor nutritivo de dietas contendo frutos de carnaúba (Copernicia prunifera (Miller) H. E. Moore) e tucum (Bactris setosa Mart) para caprinos em crescimento. Foram realizados dois experimentos, o primeiro para avaliar o consumo e metabolismo de nutrientes de dietas contendo 40% dos frutos em substituição ao ingrediente energético (milho) e o comportamento ingestivo dos animais, e o segundo para avaliar o desempenho e o comportamento em pastejo de caprinos em pasto de capim-Tânzania suplementados com dietas contendo 40% dos frutos ao nível de 1,5% do PV. O experimento de metabolismo teve duração de 17 dias, com as coletas realizadas durante 5 dias e o comportamento ingestivo em dois. Houve redução no consumo de matéria seca (CMS) de 0,223 e 0,183kg/dia para as rações contendo frutos de carnaúba e tucum, respectivamente. O consumo de proteína digestível (CPD) (78,04 gPD/dia) e energia metabolizável (CEM) (2,51 McalEM/dia) para as rações com frutos de tucum atenderam as exigências nutricionais dos caprinos. A inclusão de frutos de tucum resultou em menor consumo, absorção e retenção de Nitrogênio (15,32 gN, 12,52 g/dia e 10,53 g/dia, respectivamente), com  balanço de N (%Ni) próximo dos 70%. A inclusão de frutos de tucum resultou em aumento da ED (+0,57 McalED/kgMS). Quanto ao comportamento ingestivo se observou maior tempo de ruminação (453,65 min/dia) para a dieta com frutos de carnaúba. No ensaio de desempenho e comportamento em pastejo foram utilizados 21 caprinos, machos, com peso semelhante e separados em 3 grupos, um mantido exclusivamente a pasto e outros dois a pasto e suplementação ao nível de 1,5% do PV. O consumo de suplemento foi obtido pela diferença entre o fornecido e as sobras e o de pasto com o uso do indicador Dióxido de Titânio, com as pesagens realizadas a cada sete dias e comportamento durante 3 dias. Houve maior consumo de fibra em detergente neutro (FDN) para rações contendo frutos de carnaúba (0,137 kgFDN/dia). A suplementação reduziu em 10,2% o consumo de MS do pasto (P<0,05). Associada ao consumo de nutrientes do pasto, a ração contendo frutos de tucum atendeu as exigências proteicas (0,103 kgPB/dia) e energéticas (0,547 kgNDT/dia) dos caprinos com consumo de 0,137 kgPB/dia e 0,574kgNDT/dia, o que proporcionou maior ganho de peso (0,111 kg/dia). Houve redução no tempo de pastejo (P<0,05) para os caprinos suplementados, com aumento de 1 hora no tempo em ócio. A inclusão 40% de frutos de carnaúba e tucum em substituição ao milho em rações para caprinos reduz o consumo e a digestibilidade da matéria seca devido a maior proporção de fibra nas dietas, no entanto, rações contendo frutos de tucum atendem as exigências dos caprinos quanto à proteína digestível e energia metabolizável. A suplementação de caprinos em crescimento em pastagem de capim-Tânzania com rações contendo 40% de frutos de tucum ao nível de 1,5% do PV para ganho de 150g/dia atende as exigências nutricionais da categoria, proporcionando maior ganho de peso que a ração contendo frutos de carnaúba. A suplementação energética reduz o consumo de pasto, devendo-se ter cuidado quanto à formulação das dietas concentradas, no entanto, há a possibilidade de aumento na taxa de lotação evitando sobras de forragem e aumentando o ganho animal por área.

  • WÉVERTON JOSÉ LIMA FONSECA
  • Estimação de parâmetros genéticos em bovinos da raça Tabapuã utilizando modelos de regressão aleatória
  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 03/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa foi estimar os parâmetros genéticos e componentes de covariância para características de crescimento em bovinos da raça Tabapuã oriundos do Estado da Bahia por meio de modelos de regressão aleatória. Utilizou-se 82.578 registros de peso dos animais do nascimento aos (P660) dias de idade de 16.359 animais da raça Tabapuã nascidos entre os anos de 1994 a 2014. O modelo de melhor ajuste de variância residual heterogênea foi o que considerou os efeitos: genético direto, genético materno, de ambiente permanente direto e o de ambiente permanente materno ajustado por polinômios de sexta, terceira, terceira e terceira ordens respectivamente (M6333), com 17 classes de variância residual heterogênea e 56 parâmetros conforme o critério (BIC), que penalizam modelos sobre-parametrizados e mais rigoroso como função do número de parâmetros estimados. O modelo de melhor ajuste para o critério (AIC), foi o que considerou os efeitos: genético direto, genético materno, de ambiente permanente direto e o de ambiente permanente materno ajustado por polinômios de sexta, terceira, quarta e terceira ordens respectivamente (M6343), composto por 17 classes de variância residual heterogênea e 60 parâmetros foi suficiente para ajustar (co)variâncias ao longo da trajetória de crescimento para este estudo. As estimativas de herdabilidade para o efeito genético direto se apresentaram variando de moderada a alta magnitudes e sugerem a possibilidade de ganhos genéticos por meio de seleção, considerando pesos até a idade adulta como critério de seleção para manutenção do tamanho adulto das fêmeas. As estimativas de herdabilidades maternas foram de baixas magnitudes de redução durante todo o intervalo, sugerindo que a seleção para este componente implicará em menor resposta do que a seleção para o efeito direto.

  • DELANO DE SOUSA OLIVEIRA
  • AVALIAÇÃO DE DIETAS FORMULADAS CONFORME O NRC (2007), COM OU SEM RESTRIÇÃO DE NUTRIENTES, PARA CORDEIROS TERMINADOS EM CONFINAMENTO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO
  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 03/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • O estabelecimento de dietas deve contemplar o potencial genético dos animais, as condições ambientais e a velocidade de ganho em ambiente de desafio nutricional, com influência na precocidade do acabamento, do que decorre a busca por adoção e ajustes nos sistemas de exigências, sendo o NRC (2007) o mais adotado para ovinos, e passível de validação e análise, considerando-se as características dos fatores que definem a produção de ovinos no semiárido do Brasil. Objetivou-se avaliar dietas formuladas conforme o NRC (2007), com ou sem restrição de nutrientes, para cordeiros de dois grupos genéticos naturalizados ao semiárido brasileiro, prevendo-se maturidade precoce e tardia. Avaliou-se o consumo (g/UTM), a digestibilidade, o comportamento ingestivo, o desempenho e características da carcaça e da carne dos cordeiros; procedendo-se ainda análise econômico-financeira das dietas. Foram utilizados 20 cordeiros Santa Inês e 20 Morada Nova. Adotou-se o delineamento experimental inteiramente ao acaso, em esquema fatorial 2 x 2, com dois tipos de formulações (para maturidades precoce e tardia) e dois níveis de restrição de proteína (PB) e energia (NDT) (0 e 15%), com cinco repetições por tratamento para cada grupo genético. A dieta prevendo-se maturidade precoce, independentemente da restrição de PB e NDT, proporcionou os melhores consumos, digestibilidade, parâmetros comportamentais e desempenho ponderal de cordeiros Santa Inês e Morada Nova. Com exceção do consumo e digestibilidade da PB, no qual foi maior para dieta prevendo-se maturidade tardia. A dieta prevendo-se maturidade precoce proporcionou maiores pesos e rendimentos de carcaça, cortes comerciais, assim também como os componentes não-carcaça e medidas morfométricas da carcaça fria para ambos os grupos genéticos. Quando aplicada restrição de 15% de PB e NDT na dieta para maturidade precoce, verificou-se menor área de olho de lombo para os cordeiros Santa Inês. Em relação à composição físico-química da carne, em si considerando os cordeiros Santa Inês, a dieta para maturidade precoce proporcionou maior perda de água por cocção e lipídios. Já a dieta para maturidade tardia maior valor de cinzas. Para os cordeiros Morada Nova, a dieta formulada para maturidade precoce com restrição de 15% de PB e NDT proporcionou menor umidade e maior teor de lipídios. A restrição de 15% de PB e NDT propiciou menor valor de capacidade de retenção de água para ambos os grupos genéticos. Os indicadores econômicos e de investimentos foram positivos para todas as dietas avaliadas em ambos os grupos genéticos. Contudo, a dieta formulada para maturidade precoce com 15% de restrição de PB e NDT apresentou indicadores mais rentáveis. A formulação de dietas com redução de 15% nos teores de PB e NDT indicados pelo NRC (2007) para a maturidade precoce é a mais indicada para a terminação em confinamento de cordeiros do grupamento genético Santa Inês e Morada Nova no semiárido nordestino.

  • CÍCERO PEREIRA BARROS JUNIOR
  • Avaliação de parâmetros fisiológicos de caprinos da raça Anglonubiana em Teresina, Piauí
  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 02/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os caprinos da raça Anglonubiana, mesmo tendo sacrificado potencial produtivo no processo de adaptação ao semi-árido, se destacam como recurso genético adaptado às condições adversas desse ambiente e podem ser útil na seleção genética e identificação de genes envolvidos em respostas fisiológicas ao estresse de calor. Além disso, mudanças climáticas recentes tendem afetar mais áreas tropicais, razão pela qual ganha importância à rusticidade dos animais em relação ao estresse térmico. Diante do exposto, foi utilizado dado de fenótipos de 32 animais do rebanho oficial da Universidade Federal do Piauí-Teresina/CCA, que foram observados o potencial de estresse térmico do ambiente. Foi estimado por Índice de temperatura e umidade com informações de temperatura ambiente e umidade relativa do ar registrada a partir das 14h do dia, os fenótipos (temperatura retal, superficial, úbere, pelame e frequência respiratória, cardíaca, em dias alternados no período chuvoso e seco do ano).  Pode-se obter resultados referente à Temperatura do Ar (T. Ar) e Umidade Relativa do Ar (Ur.Ar) com diferença estatística (<.0001) nos períodos seco e chuvoso do ano com valores para o Coeficiente de Variação (Cv) em torno de 3.38 e 8.68% nessa ordem, em relação as variáveis Temperatura da veia (T.Veia), Temperatura de Uberi (T.Uberi), Temperatura da Pelame (T.Pelame), Temperatura da Pele (T.Pele), Peso, Escore Corporal (E.Corporal),Temperatura Retal (T.Retal), Frequência Cardíaca (F.Cardíaca) essas diferiram estatisticamente (P< Período) nos períodos seco e chuvoso. Já para os tratamentos (Cabras marras x lactantes) a única variável que não apresentou diferença estatística foi a T.Veia e a T.Retal com valores (P>Trat = 0.29 e 0.39) respectivamente, e uma correlação positiva entre a T.Veia com T. Pelame = 0.39 e T. Pele = 0.47%. Levando em conta os animais machos (castrados x inteiros) no período, pode-se obter diferença significativa (P< Período) para as variáveis (T. Pele; T. Pelame; T. Testículo; Peso; E. Corporal e F. Cardíaca), com exceções da F. Respiratória e T. Retal.

  • AMAURÍ FELIPE EVANGELISTA
  • Avaliação de características de crescimento de bovino Nelore no Norte do Brasil
  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 02/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • RESUMO: O presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de estimar os parâmetros genéticos e componentes de co variância para as características peso ao nascer (PN), a desmama (P205), ao ano (P365) e sobreano (P550) dias de idade, utilizando modelos unicaracteristicas e multicarasteristicas, com banco de dados de 44.106 animais da raça Nelore, criados a pasto, nascidos entre 1997 e 2007 na região Norte do Brasil. As estimativas dos componentes de (co) variâncias e os parâmetros genéticos foram obtidos pelo método da máxima verossimilhança restrita (REML), usando o aplicativo WOMBAT, com modelos que incluíram o efeito genético aditivo direto e materno, todos como aleatórios, e do efeito fixo, o grupo de contemporâneo. Os coeficientes de herdabilidade direta estimados para as características PN, P205, P365 e P550 com o modelo multicaracterística (respectivamente, 0.48, 0.34, 0,44 e 0.45) foram superiores que as estimativas obtidas com os modelos unicaracterística (0.32, 0.47, 0.43 e 0.44). As herdabilidades maternas foram estimadas no PN e P205 (respectivamente, 0.16 e 0.08), efeito materno diminuiu ao longo da trajetória de crescimento, à medida que a idade dos bovinos aumentava. As correlações genéticas entre as características foram altas, positivas e superiores a 0.73. Esses coeficientes das herdabilidades direta são de média magnitude, indicando que o rebanho apresenta variabilidade genética aditiva relativa e, portanto, espera-se progresso genético considerável utilizando a seleção

  • LAYLSON DA SILVA BORGES
  • CAPRIOVI - SOFTWARE PARA CONTROLE ZOOTÉCNICO, GENÉTICO E ORIENTAÇÃO DE ACASALAMENTOS EM CAPRINOS E OVINOS: ATUALIZAÇÃO E APRIMORAMENTO
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 17/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A criação de caprinos e ovinos tem se expandido em todos os estados brasileiros e independentemente do objetivo da exploração tem muito a contribuir para o desenvolvimento socioeconômico do País. Entretanto, esses setores enfrentam constantes desafios, como a falta de informações e acesso a tecnologias. Dessa forma, antevendo as necessidades do mercado por inovações tecnológicas voltadas para a criação de caprinos e ovinos, objetivou-se com esta pesquisa desenvolver uma nova versão do software CAPRIOVI, com a implantação do método índice de seleção para identificar caprinos e ovinos de corte de maior potencial genético para características de interesse econômico e indicar a melhor combinação de acasalamentos tendo em vista a maximização dos ganhos genéticos e minimização da endogamia média do rebanho por meio de algoritmos de busca otimizada. A programação do software ocorreu no Laboratório de Engenharia de Software do Departamento de Informática da UFPI. O software foi desenvolvido para operação em rede via internet, construído em linguagem Java e Fortran. Para testar as rotinas desenvolvidas no software foram cadastrados 40 animais da raça Anglo nubiana (35 fêmeas e 5 machos). O método de seleção implementado foi o índice de seleção usando ganhos genéticos desejados, a partir das características Peso aos 120 dias de idade (P120), Idade ao Primeiro Parto (IPP), Peso Total das Crias ao Nascer (PTCN) e Peso Total das Crias ao Desmame (PTCD). A abordagem desenvolvida para solucionar o problema da orientação dos acasalamentos, consistiu do uso do algoritmo genético NSGA-II com função multiobjectivo, responsável por orientar as melhores combinações de acasalamentos. As ponderações estimadas para cada característica foram -0,91, 0,04, 11,67 e 0,59, respectivamente, para P120, IPP, PTCN e PTCD. Os maiores valores dos índices calculados foram para as fêmeas 11810, 94009, 91009 e para o macho 32212, encontrado valores de 22,68, 19,66, 18,41 e 12,77 nessa mesma ordem. Para se obter um maior agregado genotípico para as futuras progênies, é recomendado o acasalamento do macho 32212 e as fêmeas 94009 e 91009. As progênies resultantes dessas combinações de acasalamentos terão índice médio de 15,90 e zero de endogamia em relação ao rebanho analisado. O software mostrou-se adequado a resolução do problema proposto.

  • WELLHINGTON PAULO DA SILVA OLIVEIRA
  • Características com correlação e complementação funcional na composição de Índice de seleção para reposição de fêmeas em caprinos
  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 17/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  O objetivo com esta pesquisa foi estimar correlação entre características considerada de sanidade, desempenho, reprodução e de morfologia corporal, para explorar associação e funcionalidade na forma de índice de seleção, para reposição de fêmeas com animais do rebanho. Analisou-se o Banco de dados (2002 a 2016) do rebanho caprino da UFPI, para Identificar o potencial de resposta à seleção (marcador ou ser marcada) e o enquadramento funcional  Estimou-se a amplitude e natureza da associação com a correlação de Pearson entre 20 características. Com análise Uni e bivariada e modelo animal, utilizou-se o Wombat para calcular herdabilidade, valor genético, correlações genética, fenotípica e ambiental do Frame size, Log10OPG, IPP, PCD e PCN. Definiu-se um Índice de seleção multivariado (ISM=∑aiXi,) com ai ponderadores relativos a seguir ISM = 0,30(Frame) - 0,25(Log10OPG) - 0,15(IPP) + 0,20(PCD) + 0,10(PCN). Utilizou-se esse índice para ordenar 180 matrizes do rebanho, pelos valores genéticos e pelos valores fenotípicos dessas características. Repetiu-se o ordenamento dos mesmos animais com cada característica individualmente (índice univariado) tambem pelos valores genéticos e fenotípicos Calculou-se correlações de ordem de Spearman, entre todos os pares de ordenamentos das cabras pelos índices univariados e multivariados. O ordenamento pelo valor genético das características em índice multivariado foi utilizado como referencia para aferir a eficiência dos índices.  Em todos ordenamentos calculou-se o ganho genético direto nas características (Intensidade de seleção de 20% e Diferencial de seleção como desvio da média) e tambem a resposta correlacionada (X,Y)  e sua eficiência da praticada (DSind/DSdir) e a teórica, nos índices univariados (genético e fenotípico). Constatou-se que 61% (116/190) das correlações entre as 20 características avaliadas apresentaram valor negativo, porem inferiores a 0,32. Já 27% das correlações positivas (20/74), apresentaram valores superiores a 0,5, se destacando as características relacionadas a mesma função, a exemplo do tamanho do animal. Esse resultado reforça a importância da montagem de índice de seleção incluindo uma característica marcadora das demais da mesma função. Pelas correlações, simples constatou-se que: o peso ao nascer, escore corporal e o perímetro torácico da cabra não se apresentaram como bons marcadores para seleção; as características de reprodução tenderam se mostrar negativamente relacionadas com peso ou tamanho do animal. A eficiência da resposta correlacionada teórica foi inferior à estimada pela razão dos Diferenciais de seleção fenotípico, independente da função da característica. A baixa correlação leva a pequeno ganho genético por resposta correlacionada com a seleção. A baixa correlação fenotípica implicou em baixa eficiência de resposta correlacionada no rebanho. O ganho genético previsto com o Índice de seleção fenotípico múltiplo parece priorizar animal com perfil intermediário. Assim, parece conveniente usá-lo simultaneamente a aplicação de índice simples com a característica principal da especialidade de interesse. 

  • JEFFERSON HALLISSON LUSTOSA DA SILVA
  • Caracterização física e morfológica do sêmen de caprinos Azul, Canindé e Moxotó nas estações seca e chuvosa.
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 16/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O espermograma assume grande importância na avaliação da aptidão reprodutiva de um macho destinado à reprodução, pois permite a predição da qualidade do reprodutor, visto que ele demonstra sua potentia generandi. A criopreservação de sêmen é uma importante biotécnica reprodutiva, tendo em vista que promove a conservação de germoplasma por tempo indeterminado. Através da criopreservação de sêmen será possível resgatar populações que, por algum motivo, possam ter se extinguido e que tenham importantes características para a pecuária nacional. Dessa forma, o presente trabalho visa analisar o efeito da época do ano sobre as características físicas e morfológicas do sêmen de caprinos localmente adaptados visando à conservação do material genético dessas raças. Foram utilizados 18 reprodutores caprinos adultos, com idade entre 2 e 5 anos, das raças Azul (AZ), Canindé (CD) e Moxotó (MX). Todos os animais foram submetidos a uma avaliação clínica e andrológica preliminar. As coletas de sêmen foram realizadas no turno da manhã, pelo método da vagina artificial, com auxílio de fêmea estrogenizada. Após a coleta, um pool dos ejaculados foram formados para análise, onde uma alíquota de cada amostra foi avaliada quanto aos parâmetros seminais físicos. Outra alíquota foi diluída em solução de formol salino para mensuração da concentração espermática e análise morfológica posterior. O sêmen foi diluído em meio Tris-Gema de acordo com a concentração espermática e congelado em máquina TK 3000 em curva específica para a espécie, e posteriormente armazenado em botijão criogênico a -196ºC. Após a descongelação em banho maria a 37ºC por 30 segundos, foi avaliado a longevidade espermática através do teste de termorresistência (TTR), mensurando a motilidade e vigor espermáticos em 0, 60, 120 e 180 minutos pós-descongelação. O sêmen descongelado foi submetido ao teste de funcionalidade da membrana plasmática pelo HOST. Para análise estrutural dos espermatozoides foram utilizadas sondas fluorescentes, determinando a integridade de membrana plasmática, integridade acrossomal e atividade mitocondrial das células espermáticas. A cinética espermática pós-descongelação foi mensurada pelo sistema computadorizado de análise seminal (CASA). A análise morfológica dos defeitos espermáticos foi feita pela contagem de 200 células em preparação úmida, quantificando-se os defeitos de cabeça, defeitos de peça intermediária, defeitos de cauda, defeitos maiores e defeitos totais. Relativo aos parâmetros físicos do sêmen, as raças AZ e MX apresentaram médias de volume seminal maiores que a raça CD na média dos dois períodos (seco e chuvoso), todavia as raças CD e MX apresentaram médias de vigor espermático superiores à raça AZ. Sobre a morfologia espermática, na época chuvosa (EC) ocorreu menor proporção de espermatozoides com defeitos de cabeça, na média de todas as raças, todavia foi nesse período que ocorreu maior proporção de células com defeitos totais. Referente ao TTR, na EC ocorreu maior porcentagem de espermatozoides móveis e maior vigor espermático. A raça AZ apresentou menor motilidade e vigor espermático na média dos dois períodos. Na análise estrutural observou-se maior atividade mitocondrial espermática durante a época seca (ES), sendo as raças CD e MX com maior proporção de células com atividade mitocondrial. Houve maior número de células com integridade acrossomal durante o período seco e maior proporção de espermatozoides com funcionalidade de membrana durante a EC. Pela análise computadorizada houve maior percentagem de espermatozoides com motilidade não progressiva (MNP) durante a EC e maior frequência de batimentos de cauda (BCF).

  • OSMAR FERREIRA DA SILVA FILHO
  • Parâmetros cardiológicos obtidos a partir de duas espécies silvestres do Nordeste do Brasil: Catetos (Tayassu tajacu, Linnaeus, 1758) e Cutias (Dasyprocta prymnolopha, Wagler, 1831)
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 13/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Espécies silvestres têm sido cada vez mais exploradas, como forma de obter informações que favoreçam sua conservação, especialmente aquelas ameaçadas de extinção. Este trabalho teve por objetivo a padronização dos valores de VHS (Vertebral Heart Scale) e Índice Cardiotorácico (ICT) de catetos (Tayassu tajacu, Linnaeus, 1758) mensurados em radiografias torácicas computadorizadas. Foram avaliados 14 catetos clinicamente saudáveis, com faixa etária de 2 anos e variação média de peso entre 15 a 22Kg, provenientes do Núcleo de Estudos e Preservação de Animais Silvestres – NEPAS (Registro IBAMA N° 02/08-618) do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina, Piauí, Brasil. Os animais foram submetidos a radiografia digital de tórax em projeções látero-laterais e dorsoventrais para o cálculo do Vertebral Heart Scale (VHS) e Índice Cardiotorácico (ICT). O VHS evidenciou valores médios entre machos e fêmeas de 8,88±0,51v para decúbito direito e 8,84±0,39v para decúbito esquerdo, não ocorrendo diferença estatística entre os decúbitos (p>0,05). O ICT revelou valores médios de 0,50±0,05 (machos) e de 0,45±0,04 (fêmeas), não sendo verificada diferença estatística entre os sexos (p>0,05). Verificou-se correlação positiva entre VHS e o ICT (r=0,98, decúbito direito, r= 0,96, decúbito esquerdo). O estabelecimento dos valores de referência para mensurações cardíacas em catetos (Tayassu tajacu), a partir de radiografias computadorizadas de tórax, permitiu a padronização do VHS e ICT para esta espécie silvestre. Além disso, foi possível demonstrar que o ICT, quando comparado ao VHS, evidenciou correlação positiva e precisão clínica em sua aplicação. No modelo animal silvestre estudado, os índices de avaliação cardíaca VHS e ICT mostraram-se como uma ferramenta diagnóstica imprescindível para investigações sobre as alterações do tamanho da silhueta cardíaca. 

  • FLORA SUZANE PARENTE MAIA
  • Características com correlação e complementação funcional em Índice de seleção para reposição de fêmeas em caprinos
  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 09/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • No manejo reprodutivo de animais domésticos a reposição de fêmeas deve ser realizada com animais do próprio rebanho e com base em índices de seleção, cuja eficiência dependerá da capacidade de combinar complementaridade e explorar a natureza da relação entre características. Nessa perspectiva, objetivou-se estimar correlação entre características de sanidade, desempenho, reprodução e de morfologia corporal, para explorar associação e funcionalidade na forma de índice de seleção. Analisou-se o Banco de dados (2002 a 2016) do rebanho caprino da UFPI, Identificando-se as características quanto a resposta à seleção e se função de desempenho, reprodução, sanidade ou morfometria. A amplitude e natureza da associação foram estimadas com correlação de Pearson entre todas. Com análise bivariada calculou-se as correlações genética, fenotípica e ambiental do Frame, OPG, IPP, PD e PCN, tambem o valor genético dos animais com o Wombat. Definiu-se um Índice de seleção multivariado (ISM=∑aiXi, sendo ai ponderadores relativos). ISM = 0,30(Frame) - 0,25(Log10OPG) - 0,15(IPP) + 0,20(PD) + 0,10(PCN), que foi utilizado para ordenar 180 matrizes do rebanho, com os valores genéticos e os fenotípicos delas nessas características. Ordenou-se tambem com base em cada característica individualmente. Para aferir a eficiência dos índices considerou-se como referencia o ordenamento com o ISM Vg, utilizando-se correlações de ordem de Spearman. A predição de ganho genético em cada característica com a utilização dos índices para a reposição de fêmeas no rebanho foi avaliada aplicando-se pressão de seleção de 20% nas 180 cabras utilizadas nos ordenamentos com os índices de seleção (valor de h2 da literatura). Calculou-se o ganho genético nas características submetidas a seleção direta e tambem a resposta correlacionada obtida e a teórica, nas demais. Constatou-se que 61% das correlações entre as 20 características apresentaram valor negativo, porem inferiores a 0,32. Já 27% das correlações positivas apresentaram valores superiores a 0,5, se destacando as relacionadas a mesma função, a exemplo do tamanho do animal. Esse resultado reforça a importância de índice de seleção com uma característica marcadora das demais da mesma função. Com base apenas nas correlações, o peso ao nascer, o escore e o perímetro torácico da cabra não se apresentaram como bons marcadores para seleção e que as caraterísticas de reprodução tenderam se mostrar negativamente relacionadas com o peso ou tamanho do animal. A eficiência da resposta correlacionada teórica foi inferior à estimada pela razão dos Diferenciais de seleção fenotípico indireto / direto. A baixa correlação entre as características leva a pequeno ganho genético por resposta correlacionada e levou a baixa eficiência de resposta correlacionada no rebanho. O ganho genético previsto com o Índice de seleção fenotípico múltiplo parece priorizar animal com perfil intermediário. Os índices fenotípicos mostraram consistência para reposição de fêmeas com animais do rebanho..

  • FERNANDA SAMARA BARBOSA ROCHA
  • ESTUDO MORFOLÓGICO DE MICROPARASITA EM Platydoras brachylecisPiorski, Garavello, Arce H. & Sabaj Pérez, 2008 (Siluriformes: Doradidae)
  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 08/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O conhecimento sobre parasitos que acometem os peixes têm sua importância direta quanto a sanidade do produto, onde os aspectos biológicos tem relevância para o esclarecimento quanto as formas de contaminação e prevenção dessas parasitoses. Com o objetivo de descrever morfologicamente esporos mixosporídeos encontradas em peixes provenientes do Rio Poti, foram capturados 25 peixes da espécie Platydorasbrachylecis (Siluriformes: Doradidae), que foram necropsiados e os órgãos analisados quanto a presença de parasitos. Cistos esféricos a elipsoidais de até 165 μm de comprimento,localizados nos filamentos branquiais do hospedeiro, continham esporos imaturos e maduros de Henneguya sp.Os esporos diferiram daqueles de espécies previamente descritas nas medições, posição da cápsula polar, arranjo e número de espiras de filamentos polares e especificidade de hospedeiro / órgão

  • KENNEY DE PAIVA PORFÍRIO
  • QUALIDADE DE OÓCITOS CAPRINOS APÓS CRIOPRESERVAÇÃO EM MEIO ALTERNATIVO CONTENDO ACP407®
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 03/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a viabilidade de oócitos caprinos submetidos ao processo de criopreservação lenta em meio alternativo contendo ACP® após descongelação. Foram coletados 160 ovários, provenientes de 80 cabras púberes oriundas de abatedouros localizados na microrregião homogênea de Teresina. Após o abate os ovários foram imediatamente transportados para o laboratório em garrafa térmica com solução salina fisiológica a 35°C adicionada de 30ug/mL de sulfato de gentamicina. Em seguida os oócitos foram aspirados com agulha 21G acoplada a seringa de 5 mL, posteriormente o aspirado foi colocado em tubos tipo falcon de 15 mL, onde permaneceram durante 15 minutos para que ocorresse a decantação dos Complexos Cumulus Oócitos (CCOs). O sedimento foi aspirado com o auxílio de uma pipeta de 100µL e colocados em placa de petri onde foram avaliados e classificados utilizando um estereomicroscópio. Após a classificação os CCOs foram separados em três grupos, Grupo I (Glicerol), Grupo II (Etilenoglicol) e Grupo III (Etilenoglicol + ACP®), e envasados em palhetas de 0,25 mL no qual foram submetidos ao processo de criopreservação lenta, curva de criopreservação especifica para embriões, em aparelho TK 3000®. Após o período mínimo de 10 dias os oócitos foram descongelados e avaliados através da associação de sondas Fluorescentes (Iodeto de Propídeo e Diacetato de Carboxifluresceina). Foram recuperados 139 CCOs, onde obteve-se uma taxa de recuperação de 1,73 CCOs por par de ovário. Em relação a análise de viabilidade com a utilização de sondas fluorescentes o grupo contendo ACP® e Etilenoglicol apresentou melhores resultados quando comparados ao grupo Etilenoglicol ou Glicerol, representado uma taxa de viabilidade de 16,6%, 7,4% e 6%, respectivamente. Portanto, a adição de ACP® ao crioprotetor Etilenoglicol, foi mais eficiente para manter a viabilidade dos oócitos caprinos pós-descongelação.

  • RAFAEL GOMES ABREU BACELAR
  • METABÓLICOS FÚNGICOS EM RAÇÕES PARA EQUINOS ADULTOS
  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 27/01/2017
  • Mostrar Resumo
  • As amostras de ração peletizada para equinos adultos foram colhidas de três propriedades criadoras de equinos, sorteadas de forma aleatória na cidade de Teresina, PI. Em cada propriedade selecionada, as amostras foram coletadas de sacos de ração abertos no momento da primeira coleta (Dia 0), armazenadas nos criatórios, com novas coletas sendo feitas deste mesmo saco a cada dois dias (Dia 3 e Dia 6) com três repetições no total. Foram isolados Aspergillus spp., Penicillium spp. e Fusarium spp. e cromatografia de camada fina nas cepas do gênero Aspergillus potencialmente produtoras de Aflatoxinas. Nos resultados, não houve diferença significativa (p<0,05) para contagem de unidades formadoras de colônias (UFC/g) de fungos filamentosos e leveduras das amostras, porém, os valores se encontraram acima do recomendado. Foram isoladas espécies dos Aspergillus spp. (A. japonicus, A. awamori, A. fumigatus, A. flavus e A. ostianus), Penicillium spp (P. citrinum, P. funiculosum e P. decumbens) e Fusarium spp. (Fusarium verticilioides e Fusarium semitectum) com potencial micotoxigênico. A espécie Aspergillus flavus foi positiva para potencial produção de Aflatoxinas. Foram evidenciados os seguintes metabólitos fúngicos: ergometrina ou ergometrinina, griseofulvina, festuclavina, ergina e lisergol ou eimoclavina. Os metabólitos encontrados quando consumidos em longo prazo podem conferir alterações reprodutivas e metabólicas nos equídeos, causando problemas relativos à sanidade e produção destes animais.

  • GARDENIA ALVES DA SILVA
  • EFEITO DA COMPETIÇÃO DE VAQUEJADA E DO TRANSPORTE NO PERFIL BIOQUÍMICO DE EQUINOS
  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 25/01/2017
  • Mostrar Resumo
  • A relação entre o homem e o cavalo existe há séculos, dentre as suas múltiplas funções ao longo tempo tem se destacado a prática esportiva, uma das mais populares e difundidas no Nordeste é a vaquejada, com poucos estudos sobre os seus efeitos sobre os equinos atletas. Desta forma, o objetivo do trabalho foi avaliar o efeito do transporte e da competição de vaquejada no perfil bioquímico de equinos que sofreram deslocamentos em curtas e longas distâncias. Foram utilizados 20 equinos da raça Quarto de Milha, 15 machos e 5 fêmeas, com idade média de 9,7 anos, que participaram de competições de vaquejada em Estados da Região Nordeste. Os animais foram divididos em dois grupos cada um com 10 animais, que participaram em competições no mesmo local de origem, grupo local (GL) e o outro grupo de animais que se deslocavam para competições com mais de 400 km, grupo transportado (GT). As coletas foram realizadas 24 horas antes do transporte e exercício (M0), 12 a 24 horas (M1), 36 a 48 após (M2) e 5 dias (M3) após o transporte e competição de vaquejada. Foram aferidas as frequências respiratória e cardíaca e a temperatura retal. Determinouse as concentrações de AST, LDH, CK, glicose, ácido úrico, lactato, magnésio, proteínas totais, albumina, ferro sérico, Capacidade Total (CTLF) e latente (CLLF) de ligação do ferro, índice de saturação da transferrina (IST) e transferrina estimada, por métodos cinéticos e colorimétricos. O teste de Wilcoxon foi utilizado para avaliar o efeito dos grupos, o teste de Friedman para avaliar o efeito dos momentos e foi avaliada a correlação de Spearman , todos com nível de significância de 5%. Houve efeito da vaquejada e do transporte entre momentos para a variável glicose, que reduziu no GT no M1 (p-valor=0,002) e elevou-se no M3 (p-valor=0,016) do GL, em relação ao M0. No GT a AST aumentou no M1 (p=0,018). Diferença estatística entre grupos foi observada para a LDH (p-valor=0.027) no M2 e no M3 para transferrina (p-valor=0.022), glicose (p-valor=0.007) e CTLF (p-valor=0.022). Todas as alterações estiveram dentro dos limites de variação fisiológica da espécie. Concluindo-se que o exercício e o transporte promovem interferência no perfil bioquímico dos equinos participantes de provas de vaquejada que apesar de discretas podem se manifestar por até 5 dias após a competição e que o transporte mostra-se como um fator agravante do desgaste promovido pela participação nas vaquejadas.

  • RICHARD ATILA DE SOUSA
  • Efeito do exercício de vaquejada no perfil bioquímico de equinos de puxada
  • Orientador : LUCIANA PEREIRA MACHADO
  • Data: 24/01/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Medicina Veterinária na modalidade esportiva equina vem ganhando grande espaço devido a maior utilização destes animais em diversos dos esportes equestres. A vaquejada é um esporte muito popular e difundida no Nordeste do país, sendo raros os estudos sobre os efeitos das provas de vaquejada nos equinos. O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito do exercício de um ciclo de prova de vaquejada, composta por um conjunto de três corridas, no perfil bioquímico de equinos de puxada. Foram utilizados 14 equinos, da raça Quarto de Milha, 11 machos e 3 fêmeas. Os animais foram divididos em dois grupos, o grupo local (GL) e o outro grupo transportado (GT), formado por animais competidores profissionais originados de localidades situadas a mais de 400 km de distância. Foi realizada a avaliação dos parâmetros fisiológicos como frequência cardíaca (FC), frequência respiratória (FR) e temperatura retal (TR) e coletas de sangue para análises laboratoriais nos momentos: M0: basal, com o animal em repouso; M1: logo após um ciclo de três corridas; M2: 30 minutos, M3: 120 minutos após o ciclo de três corridas.  As análises bioquímicas incluíram a dosagem sérica de: ácido úrico, proteína total, albumina, creatina quinase, lactato desidrogenase, ferro e capacidade latente de ligação do ferro (CLLF) e plasmática de: lactato, glicose, magnésio e aspartato aminotransferase. Foram calculados a capacidade total de ligação do ferro (CTLF), o índice de saturação da transferrina (IST) e concentração estimada de transferrina. Foi realizando o teste de Wilcoxon – Mann Whitney para verificar diferenças entre os animais do GL e GT, e o teste de Friedman com comparação múltipla de Kruskal Wallis para verificar diferenças entre os momentos, com nível de significância de 5%. Houve aumento significativo (p<0,05) no M1 em relação ao M0 para a FC e FR no GT e TR no GL, sem diferença estatística entre grupos. O exercício promoveu alterações na maior parte dos parâmetros bioquímicos, verificadas pela comparação dos momentos pós-exercício com o M0, que foi significativa (p<0,05) apenas para o ácido úrico (M1), albumina (M2) e lactato (M2) ambos do GT. O efeito metabólico do exercício de vaquejada se mostrou diferente entre os grupos (p<0,05), no M0 para as variáveis: ácido úrico, albumina, CLLF, IST e proteína total, no M1 para a CLLF, IST e glicose, no M2 apenas para IST e no M3 para glicose. Conclui-se que as alterações dos parâmetros fisiológicos e bioquímicos induzidas pelo exercício de um ciclo de três corridas da vaquejada são discretas, transitórias e ocorrem dentro do intervalo de normalidade para a espécie. Equinos competidores profissionais que se deslocam por mais de 400 km para participarem das competições apresentam alterações mais expressivas que equinos competidores esporádicos que participam de vaquejadas na sua região.

  • ROSVALDO DUARTE BARBOSA
  • PERFIS HEMATOLÓGICO E PROTÉICO DE FÊMEAS ADULTAS DA RAÇA SANTA INÊS E AVALIAÇÃO DO EFEITO DA SUPLEMENTAÇÃO COM AS VITAMINAS “A, D e E” SOBRE ESSES PERFIS
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE SOUZA BATISTA
  • Data: 20/01/2017
  • Mostrar Resumo
  • A ovinocultura no Brasil vem alcançando grande desenvolvimento, principalmente devido ao aumento da demanda de produção de carne. A expansão de raças, como a Santa Inês, é uma alternativa para melhoria da eficiência dos sistemas de produção de carne ovina e melhoramento genético de matrizes e reprodutores. No contexto do manejo sanitário, a suplementação de vitaminas é apontada como estratégia para contribuir com produção precoce de cordeiros, devido elevada habilidade materna, prolificidade, não estacionalidade reprodutiva, menor susceptibilidade a endo e ectoparasitoses e adaptação às pastagens tropicais. Entretanto, inexistem trabalhos na literatura que confirmem essas suposições. Este trabalho teve como objetivo caracterizar os perfis hematológico e protéico de fêmeas adultas, hígidas, da raça Santa Inês e avaliar o efeito da suplementação com vitaminas A, D e E sobre esses perfis. Foram utilizadas 50 fêmeas clinicamente sadias, divididas em cinco grupos, nas quais foram realizadas três colheitas sucessivas de sangue antes dos tratamentos para avaliação dos perfis individuais, seguindo-se da administração de vitaminas A (6.000 UI/Kg), D (1.500 UI/Kg) e E (1,8 UI/Kg), via intramuscular, semanalmente no toral de três aplicações. Sete dias depois precedeu-se mais três colheitas sucessivas de sangue, para análises hematológicas e proteinogramas. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente por meio da análise de variância e comparação de médias pelo Teste de Tukey em nível de significância de p<0,05. Os resultados mostraram os seguintes valores médios para os parâmetros estudados: eritrócitos (x106ųL): 7,37±0,31 a 8,73±0,21; hematócrito (%): 23,71±0,60 a 30,7±0,81; hemoglobina (g/dL): 11,40±1,18 a 14,22±2,04; VCM: 34,00±0,34 a 44,92±10,01; CHGM: 37,32±0,69 a 40,62±1,58; plaquetas: 493,9±46,77 a 624,3±78,82; leucócitos (ųL): 4,48x103±0,38x103 a 5,71 x103±1,1x103. As proteínas totais (g/dL) variaram de 6,71±0,13 a 7,09±0,23. Os valores de albumina variaram de 2,65±0,08 a 2,94±0,08. Os valores de globulinas variaram de 3,77±0,13 a 4,23±0,26. A relação albumina/globulina foi da ordem de 0,700±0,08. O tratamento com as vitaminas A, D e E desencadeou uma modificação no hemograma caracterizada por aumento dos leucócitos totais, acompanhada de elevação de neutrófilos totais, monócitos e plaquetas, bem como elevação da fração globulínica do proteinograma, com redução da relação albumina/globulina. Ocorreu também um decréscimo dos valores de hemoglobina em todos os grupos, fato este que se acredita não estar relacionado ao tratamento visto que os animais controle também apresentaram. Concluiu-se que a suplementação com vitaminas A, D e E produz efeito benéfico na criação de ovinos.

2016
Descrição
  • JEANE DE OLIVEIRA MOURA
  • Genômica populacional, diversidade genética e introgressão gênica em rebanhos de conservação de caprino naturalmente adaptado no Brasil
  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 13/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com o Chip de SNP caprino 50K, avaliar a estrutura genômica populacional de caprinos Marota no Piauí, num rebanho oficial de conservação in situ e em outro particular, com a análise de potencial erosão genética causada pela raça Anglonubiana e do uso de informações gênomicas aplicadas no manejo genético em rebanho de conservação in situ.  Foram genotipados 76 animais do rebanho oficial, 10 do rebanho particular e 10 da raça Anglonubiana. Os dados foram editados no programa PLINK v.1.9, considerando-se “call rate” para eliminar 5 % de SNPs e 5% das amostras que falharam. A diversidade genética foi analisada com os alelos de menor frequência (AMF) e pelo índice de fixação (FST). Na estratificação dos rebanhos e detecção de introgressão gênica utilizou-se componentes principais e o modelo de ancestralidade por metodologia bayesiana aplicado no programa STRUCTURE, sendo o valor do K estimado pela estatística DK. Discutiu-se uma opção de manejo para estação de monta com base em dados do rebanho de conservação, cnsiderand—se reprodutores selecionados pela maior distância em dendograma, dentre os de menor consangüinidade, em relação a escolher por sorteio. Valores de Ho e He, respectivamente, iguais a 0,372 e 0,405 e FIS 0,08, indicam baixo risco de perda/fixação de genes no rebanho oficial de conservação, porem o coeficiente de endogamia médio igual a 0,063, recomenda precaução em relação a consanguinidade. Diferenciação genética alta (FST=0,16) foi observada entre Marota e o Anglonubiano, mostrando-os como fonte de diversidade genética para a caprinocultura da região. A análise da estratificação indicou duas populações (k=2), confirmado pela análise de Componentes Principais, que complementou os resultados do Structure, em relação a presença de genes Anglonubiano nos rebanhos Marota. A constatação de número de SNPs fixados e exclusivos no rebanho particular (3.817) maior que no de conservação in situ (1.811) pode ser em parte atribuído à diferença de tamanho das amostras, bem como os compartilhados com Anglonubiano, respectivamente 1.024 e 741. Conclui-se que: O microchip SNP caprino 50K da Illumina mostra eficiência para análise de estrutura populacional em caprinos Marota. O modelo de ancestralidade com critérios bayesiano no software STRUCTURE e a Análise de componentes principais se complementam para detecção de introgressão gênica com SNPs; Na população de caprinos Marota há indícios consistentes da presença de genes da raça Anglonubiana. Informações genômicas são opção para auxiliar o manejo dos animais em rebanho de conservação in situ com pequeno tamanho efetivo. Como escolher ao acaso os animais para reprodução em rebanho com esse perfil pouco influi para reduzir a consanguinidade quando a reposição é feita com animais do rebanho, a utilização de critério genético com base em SNP para orientar o manejo reprodutivo, é uma opção para contornar essa limitação.

  • ELZIVÂNIA GOMES DA SILVA
  • ULTRASSONOGRAFIA OCULAR EM MODO B E DOPPLER DE CÃES (Canis familiaris, LINNAEUS, 1758) HÍGIDOS E PORTADORES DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 12/12/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O exame ultrassonográfico modo-B vem sendo utilizado na avaliação qualitativa e quantitativa de lesões intraoculares e orbitais, indicando o local, a magnitude e a severidade da lesão, e, associado ao modo Doppler, fornece dados sobre fluxo vascular anatômico e dinâmico, permitindo avaliações sobre a resistência vascular periférica. A Leishmaniose Visceral Canina é uma zoonose de grande importância, que tem o cão como principal reservatório no ciclo urbano de transmissão. Essa patologia leva a inúmeras alterações no funcionamento do sistema orgânico desses animais, e, pesquisas recentes revelaram a ocorrência de inúmeras oftalmopatias associadas aos sinais clínicos clássicos da doença. Este trabalho teve como objetivo caracterizar por meio do exame ultrassonográfico em modo-B e Doppler a anatomia, biometria e índices hemodinâmicos de cães normais e portadores de Leishmaniose Visceral Canina. Foram avaliados 140 bulbos oculares de cães portadores de Leishmaniose Visceral Canina e 60 bulbos oculares de cães hígidos para posteriores correlações. No exame ultrassonográfico em modo-B foram avaliados os componentes do bulbo ocular (córnea, câmara anterior, lente, íris, corpo ciliar, retina, coroide, esclera, câmara vítrea, humor aquoso e vítreo) quanto à ecogenicidade, ecotextura, topografia, e realizada biometria dos segmentos. Para o exame modo Doppler foi identificado e aferido o fluxo da artéria oftálmica e mensurados as velocidades e índices de fluxo sanguíneo (resistividade e pulsatilidade). As avaliações ultrassonográficas em modo-B e Doppler permitiram descrever as principais alterações oftálmicas nos animais portadores de Leishmaniose Visceral canina, e identificar as alterações hemodinâmicas presentes, podendo desta forma sugerir valores para pesquisas iniciais a serem utilizados nesta espécie, e, desta forma, agregar informações valiosas na rotina clínica oftálmica de pequenos animais.

  • ADRIANE CAMILA BATISTA DE SOUSA
  • Líquido da castanha de caju (Anacardium ocidentalle L.) e seu efeito sobre diferentes fases de desenvolvimento de Lutzomyia longipalpis.


  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 29/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • Resumo: A busca por novos compostos à base de extratos vegetais para o controle vetorialvem se destacando nas pesquisas pois, aresistência químicadestes, frente aos inseticidas preconizadospelo Ministério da Saúde tem sido observada. A Leishmaniose Visceral encontra-se classificada no grupo das “Doenças Negligenciadas” e tem o Lutzomyialongipalpis como principal vetor. Diante disso, objetivou-seavaliar o efeito do extrato do Líquido da Castanha de Caju (LCC) sobre as diferentes fases de desenvolvimento do L.longipalpis. A obtenção do LCC ocorreu a partir da extração de castanhas do caju, as quais, foram levadas ao aparelho Soxlhet, acrescidosolvente n-hexano e esperou-se por 3 h. Decorrido o tempo, o aparelho rota-evaporador foi utilizado para retirar o excesso de solvente proveniente da etapa anterior citada, obtendo-se apenas o LCC.Em seguida,concentrações de 50 mg/ml, 75 mg/ml,100 mg/ml e o controle (água + DMSO) foram preparadas e aproximadamente 1,5 mL de cada amostra era espalhada nas regiões desprovidas de pelo em hamsters previamente anestesiados. Logo após, cada animal foi disposto em uma gaiola, de acordo com o tratamento estabelecido, contendo 20 fêmeas de L. longipalpis por 60 min, ao final do tempo estabelecido, fêmeas ingurgitadas foram contabilizadas e transferidas para potes de plásticos afim de que realizassem a ovipostura e o acompanhamento das fases de desenvolvimento do vetor. Os índices: repasto alimentar, postura, eclosão das larvas, larvas de instar IV e adultos consistiram nos parâmetros avaliados. Os resultados comprovaram que não houve diferença significativa entre os tratamentos utilizados para os parâmetros observados, concluindo-se que, nas condições testadas do presente estudo, o extrato do LCC não apresentou efeito sobre as fases de desenvolvimento do Lutzomyia longipalpis.



  • MARIÁ ANDRADE DE CARVALHO ROCHA
  • Avaliação do tratamento de falhas ósseas corticais com células-tronco mesenquimais autólogas associadas ou não ao plasma rico em plaquetas em coelhas com hipercotisolismo iatrogênico

  • Orientador : NAPOLEAO MARTINS ARGOLO NETO
  • Data: 29/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • A osteoporose é uma doença esquelética que acomete humanos e animais caracterizada por baixa densidade óssea e deterioração da microarquitetura do tecido, a qual pode ser induzida por hipercotisolismo. Em seres humanos, fraturas decorrentes de osteoporose representam aproximadamente 42% dos casos clínicos em mulheres em menopausa e custam ao SUS cerca de R$908,18 por paciente. As células-tronco mesenquimais representam relevante alternativa ao tratamento de doenças crônicas e degenerativas em humanos e animais e estima-se que possa contribuir com a reparação óssea e redução do tempo de internamento em pacientes com osteoporose. Objetivos: Avaliação do efeito do tratamento de falhas ósseas corticais com células-tronco mesenquimais associadas ou não ao plasma rico em plaquetas em modelo animal de osteoporose. Material e métodos: Autorizado pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal da Universidade Federal do Piauí sob número 097/14. Oito coelhas foram previamente submetidas à avaliação de cálcio ionizável sérico e densidade óssea das tíbias por densitometria óptica radiográfica. Posteriormente foram submetidas a ovariosalpinge histerectomia e administração de succinato de metilprednisolona para indução de hipercotisolismo, sendo reavaliados os níveis séricos de cálcio e densidade óssea. Induziu-se quatro falhas críticas corticias nas tibias dos animais, sendo tratadas com esponja hemostática de colágeno hidrolisado, células-tronco mesenquimais autólogas e plasma rico em plaquetas autólogo, associados ou não. Avaliou-se radiografica e histologicamente a evolução das falhas ósseas para predição indireta da contribuição dos tratamentos. Resultados: Identificou-se redução acentuada da densidade óssea em todos os animais com hipercotisolismo e osteoporose induzida, acompanhada de aumento dos valores séricos de cálcio ionizável, demonstrando eficácia do modelo. Os animais tratados com a associação entre células-tronco mesenquimais e plasma rico em plaquetas exibiram reparação óssea completa da lesão, com formação de tecido ósseo compacto em 60 dias, de forma estatisticamente superior aos demais tratamentos. Conclusão: O modelo demonstrou-se eficaz em induzir osteoporose, sem mortalidade, e a densitometria óptica radiográfica com uso de penetômetro, sensível em detectar redução da densidade óssea em tíbias de coelhas. O tratamento com a associação entre células-tronco mesenquimais e plasma rico em plaquetas autólogos obteve sucesso em remissão completa da lesão cortical, com evidência histológica de neoformação de osso compacto.

  • UMEKO SOEIRO TAKESHITA
  • Estudo morfométrico de populações de abelhas africanizadas na bacia do Rio Gurgueia

  • Orientador : DARCET COSTA SOUZA
  • Data: 29/08/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As Apis mellifera encontram-se amplamente distribuídas por todo o planeta, devido a sua excelente capacidade de adaptação a diversificadas condições ambientais. No Brasil, após a introdução das abelhas Apis mellifera scutellata, em 1956, surgiram populações polihíbridas conhecidas como africanizadas devido ao predomínio de caracteres de origem africana. Dentre as características deste polihíbrido, destaca-se o comportamento enxameatório, que em função de perturbações nas condições de normalidade do ninho, pode ser mais intenso. Poucas informações técnicas a respeito da organização populacional das abelhas africanizadas são conhecidas no Estado do Piauí. Diante disso, objetivou-se com esse trabalho avaliar a distribuição e dinâmica das populações de abelhas africanizadas de municípios pertencentes à bacia do rio Gurgueia, localizada ao Sul do estado, através da morfometria geométrica. Foram coletadas operárias em seis municípios piauienses e em um município da Bahia, sendo amostradas 10 operárias por colônia. Foi realizada a marcação de 19 marcos anatômicos homólogos na asa anterior direita, utilizando o software TPSDig. As análises morfométricas foram realizadas através de técnicas multivariada, com o auxílio do programa MorphoJ. A ANOVA de Procrustes mostrou que existem diferenças significativas (P<0,0001) entre as formas das asas nos municípios amostrados. Os resultados demonstram a tendência de proximidade nas populações que se encontram mais próximas ao vale do rio Gurgueia. As populações apresentam fluxo gênico, não existindo estruturação populacional definida entre as mesmas.

  • ESTEVAM DA SILVA NETO
  • Disponibilidade e qualidade da dieta de ovinos em pastagem nativa de Caatinga no Piauí

  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 29/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo neste trabalho foi identificar e avaliar a qualidade de plantas forrageiras que compõem a dieta de ovinos e, a variação de peso de ovelhas adultas, no período chuvoso em área de Caatinga do Piauí. O estudo foi conduzido entre janeiro e maio de 2016, no assentamento Lisboa, localizado no município de São João do Piauí, região semiárida do estado. Nesse local foram identificados criadores de ovinos, com um rebanho estimado em 760 cabeças. A identificação das espécies forrageiras consumidas pelos ovinos ocorreu em levantamento etnobotânico realizado mediante entrevistas com aplicação de formulários semiestruturados e turnê guiada nos meses de outubro e novembro de 2015 adotando as figuras de informantes e informantes-chave. Depois de elaborada a lista de espécies forrageiras foi realizada coleta de material botânico para preparação de exsicatas. Para avaliar a  disponilidade e a composição química das forrageiras foram separadas duas áreas no assentamento, considerando que os ovinos permanecem na caatinga apenas no período chuvoso e a sua preferência por áreas aberta. Cada área correspondeu a um sítio de pastejo: sítio 1 com predominância de espécies herbáceas e o sítio 2 com predominância de espécies arbustivas. Em cada sítio foram marcados, três transectos paralelos com 190 m de comprimento, distantes entre si em 20 m. Em cada transecto, foram delimitadas dez unidades experimentais, cada uma com área de 100 m2, sendo amostradas, dessa forma, 30 unidades, totalizando uma área amostral de 6.000 m2.  Foram coletadas amostras das forrageiras em janeiro, fevereiro, março e abril, meses correspondentes ao período chuvoso. Foram selecionadas 18 fêmeas ovinas, animais pertencentes a um agricultor do assentamento, identificadas e avaliadas quanto ao escore corporal e variação de peso a cada 15 dias. De acordo com os informantes foi elaborada lista com  41 espécies forrageiras distribuídas em 34 gêneros, agrupadas em 14 famílias. O realizado nos dois sitios de pastejo identificou oito espécies citadas pelos informantes. No estrato herbáceo sete famílias foram identificadas, com a maioria das espécies pertencentes a  família Malvaceae, quanto as espécies arbustivas a Senna rizzini H. S., (besouro)  e o Croton sonderianus Müll. Arg (marmeleiro)  foram as predominantes.  A massa de forragem no estrato herbáceo ficou abaixo de 30 kg/ha em todos os meses avaliados, e no estrato arbustivo, a massa de forragem do besouro e marmeleiro variaram entre 20 e 100 kg/ha por mês. Os teores de proteína bruta das forrageiras foram elevados e sem variações dentre os meses de coleta, variando de 14 a 22%. Esses resultados estão associados à idade das plantas durante o período, apresentando-se tenras e com baixo teor de fibra. Os teores de NIDN foram superiores a 50% em 52% das forrageiras avaliadas e os  teores de NIDA, variando entre 22,08% (malva babenta) e 28,04% (marmeleiro) o que  indisponibiliza de 3,8 a 5,0% de N, considerando uma média de 18% de PB encontrada nas forrageiras. Quanto ao peso das ovelhas, o valor médio foi de 27 kg e o escore corporal entre 1,0 e 2,0. A pastagem nativa na caatinga tem elevada riqueza de espécies forrageiras e valor nutritivo para manejo alimentar de ovinos, porém a disponibilidade de fitomassa compromete o desempenho dos animais.

  • SERGIO VIANA MEDEIROS
  • IMPACTOS DA SECA NA ATIVIDADE APÍCOLA DE PEQUENOS APICULTORES NA REGIÃO SEMIÁRIDA DO NORDESTE: O CASO DE SIMPLÍCIO MENDES/PI

  • Orientador : DARCET COSTA SOUZA
  • Data: 23/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, a apicultura tem passado nos últimos anos por evolução quantitativa considerável no s últimos anos, evoluindo para um patamar de destaque no cenário mundial e neste contexto merece atenção especial a agricultura familiar, que desenvolve esta atividade de alta sustentabilidade econômica, financeira e ambiental. No entanto, para que se consiga a manutenção desta sustentabilidade se faz necessário a compreensão das ligações existentes entre as relações socioeconômicas e ambientais. No tocante à questão ambiental o agravamento das mudanças climáticas ocorridos nos últimos anos tem aumentado a intensidade e a duração dos períodos de seca, especialmente no semiárido nordestino, onde a apicultura assume importância ainda maior face à fragilidade do ecossistema e da dificuldade de implantação de atividade agropecuária com retorno financeiro suficiente à manutenção de uma vida digna. Este trabalho centra-se em um estudo de casos de cinco comunidades, em dois períodos (2011 e 2014), onde estão distribuídas em três municípios do semiárido do Piauí, sendo estes Simplício Mendes, Bela Vista do Piauí e Conceição do Canindé, situados na Mesorregião do Alto Médio Canindé, ao qual os apicultores estão ligados à Cooperativa Mista dos Apicultores da Microrregião de Simplício Mendes – COMAPI. Os resultados mostram a fragilidade e a dependência dos apicultores em relação as variações climáticas pela falta de manejo empregada na atividade, bem como a falta de estudos específicos em cada microrregião com concentração de apicultores para identificação das potencialidades e limitações de cada região.

  • CLAUDIA DA SILVA MAGALHÃES
  • Autohemoterapia: revisão e aplicação experimental em cães

  • Orientador : ANA MARIA QUESSADA
  • Data: 18/08/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A auto-hemoterapia (AHT) é uma técnica terapêutica que consiste na administração de sangue autólogo por via intramuscular e vem sendo aplicada em animais principalmente para aumentar a imunidade. Na medicina veterinária a AHT tem apresentado resultados promissores no tratamento de doenças como papilomatose bovina e canina, ectima contagioso em ovinos, mastocitoma, tumor venéreo transmissível, parvovirose em cães e orquiectomia em equinos. Tal técnica é empregada em pontos de acupuntura relacionados à imunidade, potencializando assim o efeito imune estimulante. Em orquiectomias de equinos a associação da AHT com o uso de acupontos visa intensificar o efeito imune estimulante que ambas as técnicas podem proporcionar no período pós-cirúrgico, contribuindo para controlar possíveis infecções pós-cirúrgicas e desonerar o procedimento. Em cães, a orquiectomia cirúrgica pode ser realizada eletivamente ou por razões patológicas. A orquiectomia eletiva faz parte da posse responsável de animais domésticos e é uma das cirurgias mais realizadas na prática clínica veterinária. Em mutirões de castração, conduta bastante realizada nos tempos atuais, a diminuição de custos é importante, sendo que a redução de medicamentos utilizados nas cirurgias de castração auxilia a diminuir os custos. Diante do exposto, foi realizada AHT em acupontos de cães submetidos à orquiectomia eletiva com o objetivo de eliminar a aplicação de antimicrobianos sistêmicos para prevenir infecções pós-operatórias. Foram utilizados, vinte cães, divididos em dois grupos que foram orquiectomizados por técnicas rotineiras. No primeiro grupo (controle) foi administrado antibiótico sistêmico no pré-operatório e no segundo grupo (AHT) foram feitas aplicações de auto-hemoterapia em acupontos sem administração de antibiótico sistêmico. Foram observadas intercorrências relacionadas ao procedimento cirúrgico dentre elas a ocorrência de infecções. Dentre os vinte cães usados na pesquisa, não houve ocorrência de infecção após a submissão dos animais ao procedimento cirúrgico, assim como não houve alterações hematológicas significativas entre os grupos e entre os momentos pré e pós operatório de ambos os grupos. Em relação à dor, os animais do grupo AHT apresentaram menor escore de dor no pós-operatório do que os cães do grupo controle. Concluiu-se que a autohemoterapia associada a acupuntura, pode fazer parte de um protocolo cirúrgico sem antibióticos em cirurgia eletiva de orquiectomia em animais hígidos contribuindo, ainda, para a analgesia no pós-operatório.

  • CIRO JOSÉ SOUSA DE CARVALHO
  • Tumor de mama em cadelas: epidemiologia, características clínicas e morfológicas


  • Orientador : ANA MARIA QUESSADA
  • Data: 17/08/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A palavra câncer é um nome geral dado a um conjunto de mais de 100 doenças, que têm em comum o crescimento desordenado de células, que tendem a invadir tecidos e órgãos vizinhos. Atualmente, o câncer é a principal causa de óbito de cães e gatos, sendo provável que a alta prevalência das doenças malignas nas espécies canina e felina esteja correlacionada à maior longevidade desses animais, além do crescente aumento populacional.  Muitos tutores desconhecem o fato de que animais podem ter câncer. Devido a isso foi aplicado um questionário para 100 tutores de cães que frequentam um hospital veterinário universitário. A análise dos questionários permitiu diagnosticar que a maioria dos tutores desconhece que cães pode apresentar câncer. Entre os que sabem, a maioria não sabe informar qual o tipo de câncer mais comum em cães. Concluiu-se que há muita desinformação entre os tutores sendo necessários mais investimentos na posse responsável de cães.  O tumor de mama é a neoplasia mais freqüente nas cadelas, sendo que cerca de 50% dos casos clínicos de neoplasias mamárias em cadelas aparecem em consulta, apresentando lesões múltiplas, não apenas devido à rapidez de progressão do tumor, mas também devido ao adiamento na apresentação dos animais à avaliação clínica do médico veterinário. O diagnóstico tardio tem sido associado a uma diminuição no tempo de sobrevivência do animal após excisão cirúrgica, mas o diagnóstico precoce das metástases permite uma abordagem terapêutica adequada, o que, por sua vez, resultará em aumento da expectativa de vida dos animais. As micrometástases no parênquima pulmonar, comum em neoplasias mamária malignas de cadelas, não identificadas no exame radiográfico convencional, possuem a capacidade de liberar células na cavidade torácica. Portanto, a análise citológica do líquido pleural possibilita identificar células neoplásicas precocemente. Foi avaliada a citologia de líquido torácico obtido por toracocentese no diagnóstico de células metastáticas em tumores de mama malignos de cadelas. Foram utilizadas 30 cadelas atendidas no Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí. Tais cadelas, portadoras de neoplasia mamária maligna, foram examinadas clinicamente e foram realizados exames laboratoriais e radiográficos. Foi colhido líquido pleural de todos os animais obtido por meio de toracocentese. A faixa etária destas cadelas variou de seis a 14 anos. Em relação à raça, 60% são cadelas sem raça definida e 90% não são castradas. Observou-se que não ocorreram tumores menores do que três cm e os tumores maiores de cinco cm. de diâmetro representaram 60%. A maioria dos tumores foi maligno tanto no citológico quanto no histopatológico. No eritrograma as principais alterações encontradas nas cadelas foi diminuição do número de hemácias, hemoglobina baixa, volume globular médio baixo, concentração de hemoglobina globular média baixa, tamanhos das hemácias diminuído, trombocitopenia e hematócrito baixo. Com os líquidos obtidos por toracocentese foram realizados esfregaços, sendo que não foram observadas presença de células de metástase em liquido torácico.

  • DANIELA CRISTINA PEREIRA LIMA
  • Uso de glutamina e zinco em dietas para frangos de corte 

  • Orientador : AGUSTINHO VALENTE DE FIGUEIREDO
  • Data: 28/07/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Resumo

    Objetivou-se avaliar o efeito da adição de L-glutamina e zinco sobre desempenho de frangos de corte nos períodos de 1 a 7 e de 1 a 21 dias de idade, peso dos órgãos digestivos e coração aos 21 dias de idade, composição e deposição de nutrientes na carcaça e viabilidade econômica das rações no período de 1 a 21 dias de idade, bioquímica plasmática, histomorfometria da bolsa cloacal, pesos absolutos e relativos dos órgãos linfoides e morfometria intestinal do duodeno, jejuno e íleo aos 21 dias de idade, e os coeficientes de digestibilidade dos nutrientes e balanço de nitrogênio no período de 9 a 15 dias de idade. Foram utilizados 630 pintos da linhagem Ross, distribuídas em delineamento inteiramente casualizados, em esquema 2 (1 e 2% de L-glutamina) x 3 (0,90, e 120 mg de zinco/kg de ração), com sete tratamentos e cinco repetições, com 18 aves cada. Para o ensaio experimental de metabolismo, foram selecionados 140 frangos machos e fêmeas da linhagem Ross, por peso, e alojados em gaiolas metabólicas. O delineamento experimental foi o mesmo utilizado no ensaio de desempenho.A suplementação combinada de L-glutamina e zinco não influenciou o desempenho, pesos absolutos e relativos dos órgãos digestivos e coração e rendimento de carcaça, peito, coxa e sobrecoxa, composição química e deposição de nutrientes na carcaça. A suplementação isolada de zinco influenciou de forma linear decrescente os pesos relativos do fígado, coração, moela e pâncreas e rendimento de gordura abdominal, e linear crescente o rendimento de peito. O nível de 1% de L-glutamina ocasionou efeito quadrático para o nível de zinco para asa+coxinha. A margem bruta e a rentabilidade média dos tratamentos testados foram inferiores ao controle. A suplementação de 1% L-glutamina combinada com zinco proporcionou aumento das proteínas totais, no entanto, quando associado com 2% deste aminoácido ocorreu redução tanto das proteínas totais como das globulinas. Não houve interação entre os nutrientes estudados para histomorfometria da bolsa cloacal, dos pesos absolutos e relativos dos órgãos linfoides e a morfometria intestinal do duodeno, jejuno e do íleo em frangos de corte aos 21 dias de idade.A associação entre a L-glutamina e o zinco independente dos níveis pesquisados ocasionou aumento das áreas total e medular da bolsa cloacal. O nível de 2% de L-glutamina sem a adição de zinco na dieta proporcionou os maiores valores para proteínas totais. Não houve efeito da combinação de L-glutamina e zinco sobre o coeficiente de digestibilidade da matéria seca. Nos níveis 1 e 2% de L-glutamina, o zinco, influenciou de forma  linear crescente e quadrática, respectivamente, o coeficiente de digestibilidade do extrato etéreo, e todos os tratamentos testados apresentaram maiores valores quando comparados com o controle. O tratamento com 2% de L-glutamina combinado com 120 mg de zinco/kg de ração apresentou maior excreção de nitrogênio, menor coeficiente de digestibilidade da proteína e menor eficiência de utilização do nitrogênio. A suplementação de 1% de L-glutamina associado com 120mg de zinco/kg de ração e de 2% de L-glutamina combinado com 42,71mg de zinco/kg  de ração proporcionam maior digestibilidade do extrato etéreo. Portanto, recomenda-se que mais pesquisas sejam desenvolvidas em condições de estresse térmico e em diferentes fases de criação com a adição da combinação de L-glutamina e zinco em dietas de frangos de corte. 

  • FABRICIO COELHO BARBOSA
  • Produção de calor em frangos de corte alimentados com níveis de energia incrementados com glicerina ou óleo de soja

     

  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 12/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo foi avaliar o desempenho e a produção de calor de frangos de corte submetidos a dietas com diferentes níveis de energia metabolizável incrementados com ingredientes de baixo incremento calórico (glicerina ou óleo de soja). Quatro experimentos foram realizados utilizando 640 aves de corte, machos, da linhagem Cobb, em todas as fases de criação (160 aves em cada fase). Foi utilizado o esquema fatorial 2 x 4 (duas fontes de incremento energético x quatro níveis de energia metabolizável), sendo oito tratamentos com quatro repetições de cinco aves cada. Os quatro níveis de energia para cada fase foram estabelecidos através da inclusão da glicerina ou do óleo de soja, em intervalos de 75 kcal/kg de energia metabolizável da dieta, sendo o primeiro nível com 75 kcal abaixo da exigência, o segundo corresponde à exigência para cada fase (2.925, 2.980, 3.050 e 3.100 kcal/kg para as fases 1 a 7, 8 a 21, 22 a 33 e 34 a 42 dias, respectivamente), o terceiro e o quarto nível com 75 kcal e 150 kcal, respectivamente, acima do valor da exigência da ave para a fase avaliada.  Água e ração foram fornecidos a vontade. Avaliou-se peso médio (PM) consumo de ração (CR), ganho de peso (GP), conversão alimentar (CA), ingestão de energia metabolizável (IEM), energia retida (ER) e a produção de calor (PC) em cada fase. Utilizou-se a técnica do abate comparativo (calorimetria animal) e ensaio com coleta de excretas para avaliar o a produção de calor das aves. Na fase pré-inicial houve efeito linear decrescente na conversão alimentar (CA) com o aumento dos níveis de energia e foi observado efeito da fonte sobre a ingestão de energia metabolizável, sendo menor para aves que ingeriram dietas com glicerina. Na fase inicial não houve efeito da fonte para as variáveis de desempenho, porém para IEM e PC foram observados menores valores quando utilizou-se glicerina como fonte de incremento energético. O ganho de peso e conversão alimentar aumentaram a medida que aumentou o nível de energia, independente da fonte, na fase inicial. Houve efeito quadrático da produção de calor com a inclusão de óleo e linear com inclusão de glicerina na fase inicial. Na fase de 21 a 33 e de 34 a 42 dias de idade não foi observado efeito da fonte e nem regressão linear e quadrática significativa. A Inclusão de glicerina ou óleo de soja pode ser utilizada como ingredientes energéticos sem prejuízos ao desempenho produtivo dos frangos de corte. A utilização de 3075 e 3130kcal/kg na fase pré-inicial e inicial, respectivamente, melhora a conversão alimentar. Somente na fase inicial de criação, a produção de calor foi significativamente menor com a inclusão de glicerina em relação ao óleo de soja

  • MARCOS DANIEL DE SOUSA FERREIRA
  • Avaliação da toxicidade sistêmica e reprodutiva do fruto de Buchenavia sp em roedores

     

  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 30/06/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Atualmente, são conhecidas 131 espécies de plantas tóxicas para animais de produção no Brasil em 79 gêneros, sendo que na região Nordeste são conhecidas pelo menos 42. Algumas espécies do gênero Buchenavia são apontadas como tóxicas por produtores da Região Norte do Piauí, provocando aborto em ruminantes, mas ainda sem comprovação científica. Considerando a necessidade de investigar este aspecto, este trabalho teve por objetivo geral: investigar os possíveis efeitos adversos induzidos pelo extrato etanólico formulado a partir  do fruto de Buchenavia sp , nos diferentes esquemas de dosificação, sobre o sistema reprodutivo de ratas, observando a influência sobre a prenhez,  e ciclo estral, toxicidade reprodutiva em ratos , bem como, estudo de toxicidade aguda e crônica, e ensaio de letalidade com Artemia salina. Realizaram-se ainda análises fitoquímicas do extrato etanólico e suas frações.  Após cada experimento, os animais foram submetidos a punção intracardiaca para coleta de sangue, para avaliação bioquímica dos parâmetros séricos: fosfatase alcalina, transaminase glutâmica oxaloacética (TGO), transaminase glutâmica pirúvica (TGP), uréia, creatinina, triglicérides e glicose. Os animais foram eutanasiados por excesso da associação anestésica de ketamina e xilazina para remoção e pesagem dos órgãos: ovários, fígado, baço, rins, coração, pulmão e adrenais, para calculo da massa relativa e analise histopatológica. Os resultados foram submetidos a Analise de variância (ANOVA). As diferenças foram avaliadas pelo Teste de Tukey. Os resultados do estudo fitoquímico mostraram a presença de grande quantidade de substâncias. O valor da CL50 foi de 37,29 µg/mL no ensaio de letalidade com Artemia salina. Concluímos que o extrato etanólico do fruto de Buchenavia sp. afeta o ciclo estral e o sistema reprodutor de ratas gestantes, causando diminuição do número de fetos, placentas e pontos de implantação. O referido extrato afeta o sistema reprodutor de ratos machos em virtude da observação da redução da massa de testículos (EEtOH-fB 500mg/kg) e epidídimos (EEtOH-fB 250, 500 e 1000mg/kg) em grupos tratados, que pode levar a redução da fertilidade e atividade contraceptiva.

  • LIDIANY VIANA PIRES
  • HEMOPARASITAS EM GATOS DOMESTICOS (Felis catus) E ASSOCIAÇÃO COM O VÍRUS DA LEUCEMIA FELINA E VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA FELINA EM TERESINA, PIAUÍ.

  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 30/06/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Doenças felinas transmitidas por vetores (FVBD) têm surgido nos últimos anos, mostrando uma geográfica mais ampla distribuição e aumento da prevalência global. Além da sua importância veterinária, gatos domésticos desempenhar um papel central no ciclo de transmissão de alguns agentes. Objetivo deste trabalho foi determinar a ocorrência de hemoparasitose em gatos domésticos (Felis catus) e sua associação com o Vírus da Leucemia Felina e Vírus da Imunodeficiência Felina em Teresina, Piauí. A pesquisa foi desenvolvida no Hospital Veterinário Universitário da Universidade Federal do Piauí. Dos 150 animais, jovens e adultos, sem distinção de raça ou sexo, foram colhidas amostras de sangue para avaliação hematológica, analise bioquímica, e para extração de DNA e sorologia para FIV e FeLV.  Hemoparasitas como: Mycoplasma haemofelis, Anaplasma platys, Leishmania sp, Ehrlichia canis, Babesia sp e Babesia vogeli foram pesquisadas em amostras de DNA de gatos domésticos por meio da Reação em Cadeia da Polimerase (PCR). Dos 150 animais amostrados, 55(36,6%) foram positivos para Micoplasma haemofelis, 13 (8,6%) foram para Leishmania sp e Anaplasma platys, quatro (2,66%) para Ehrlichia canis, cinco (3,33%) para Babesia sp., e um (0,66%) para Babesia vogeli. A ocorrência de infecção por FIV e FeLV que foi confirmadas por ELISA, em 20 (13,3%)  e 9 (6,0%) gatos domésticos respectivamente. Apenas uma das associações foi estatisticamente significativa, mostrando que na nossa amostra a proporção de animais afetados com M. haemofelis é maior em animais infectados por FIV. Das hemoparasitoses estudadas observou-se associação apenas entre FIV e Micoplasma haemofelis. A pesquisa determinou a presença de, Mycoplasma haemofelis, Anaplasma platys, Leishmanis sp, Ehrlichia canis, Babesia sp e Babesia vogeli em gatos pela primeira vez no Estado do Piauí, bem como a ocorrência de FIV e FeLV, alertando para a maior atenção por parte do médicos veterinários e população de um modo geral a respeito da doenças transmitidas por vetores e das retroviroses em gatos. Outra constatação foi à associação entre a presença de Mycoplasma haemofelis e FIV.

  • PRISCILLA NIELY COSTA DE SA
  • Efeito antioxidante da melatonina sobre a viabilidade de espermatozoides criopreservados de ovinos Santa Inês

  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 11/05/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos a maior demanda pelo consumo da carne ovina, aliada à baixa oferta nacional, vem estimulando o desenvolvimento e fortalecimento da ovinocultura brasileira. As biotécnicas aplicadas à reprodução vêm sendo empregadas com bastante êxito pelos criadores, em destaque a criopreservação, método mais utilizado para essa finalidade, entretanto como obstáculo, esta causa danos à estrutura espermática, aumentando a produção das espécies reativas de oxigênio (ROS). Nesse contexto, a melatonina destaca-se como potencial quelante de radicais livres atuando no aumento da viabilidade espermática. Este estudo buscou avaliar diferentes concentrações de melatonina adicionadas ao meio diluidor do sêmen através do teste de termorresistência, e por meio do uso de sondas fluorescentes, a integridade acrossomal, mitocondrial e a membrana plasmática. Foram realizadas sete coletas de sêmen de seis ovinos da raça Santa Inês por meio do método de vagina artificial, auxiliada por uma fêmea em estro natural ou induzido, utilizada como manequim. As amostras de sêmen de cada ejaculado forma reunidas em foram de pool, de acordo com os grupos experimentais: (G1) controle, (G2) 10 mM e (G3) 1 pM de melatonina acrescentados ao diluidor. Utilizou-se uma concentração espermática de 100 milhões de espermatozoides por palheta de 0,25mL, em um total 10 palhetas por tratamento/coleta. Em seguida, foram submetidas à congelação por meio de um sistema automatizado (TK 3000®), sendo então distribuídas em raques e armazenadas em botijão criobiológico. Os parâmetros analisados pós descongelação foram: teste de termoresistência (TTR) e da integridade de membrana plasmática e mitocondrial, além da integridade do acrossoma nos tempos 0, 60, 120 e 180 minutos utilizando substancias marcadoras fluorescentes (sondas). Para análise estatística utilizou-se o Teste de Tukey a 0,05% de significância por comparação de médias. Os resultados demonstraram que não houve diferença significativa entre os grupos quanto a integridade acrossomal e mitocondrial. Quanto ao TTR houve diferença entre os grupos, onde 1pM apresentou valores de motilidade superior ao 10mM e foi equivalente ao controle. Com relação à integridade da membrana plasmática houve diferença significativa entre o controle e nos grupos com adição de melatonina, nos tempos 60, 120 e 180 minutos. Conclui-se que a adição de melatonina no diluidor melhorou a integridade da membrana plasmática de ovinos, reduzindo os danos causados pela criopreservação.Nos últimos anos a maior demanda pelo consumo da carne ovina, aliada à baixa oferta nacional, vem estimulando o desenvolvimento e fortalecimento da ovinocultura brasileira. As biotécnicas aplicadas à reprodução vêm sendo empregadas com bastante êxito pelos criadores, em destaque a criopreservação, método mais utilizado para essa finalidade, entretanto como obstáculo, esta causa danos à estrutura espermática, aumentando a produção das espécies reativas de oxigênio (ROS). Nesse contexto, a melatonina destaca-se como potencial quelante de radicais livres atuando no aumento da viabilidade espermática. Este estudo buscou avaliar diferentes concentrações de melatonina adicionadas ao meio diluidor do sêmen através do teste de termorresistência, e por meio do uso de sondas fluorescentes, a integridade acrossomal, mitocondrial e a membrana plasmática. Foram realizadas sete coletas de sêmen de seis ovinos da raça Santa Inês por meio do método de vagina artificial, auxiliada por uma fêmea em estro natural ou induzido, utilizada como manequim. As amostras de sêmen de cada ejaculado forma reunidas em foram de pool, de acordo com os grupos experimentais: (G1) controle, (G2) 10 mM e (G3) 1 pM de melatonina acrescentados ao diluidor. Utilizou-se uma concentração espermática de 100 milhões de espermatozoides por palheta de 0,25mL, em um total 10 palhetas por tratamento/coleta. Em seguida, foram submetidas à congelação por meio de um sistema automatizado (TK 3000®), sendo então distribuídas em raques e armazenadas em botijão criobiológico. Os parâmetros analisados pós descongelação foram: teste de termoresistência (TTR) e da integridade de membrana plasmática e mitocondrial, além da integridade do acrossoma nos tempos 0, 60, 120 e 180 minutos utilizando substancias marcadoras fluorescentes (sondas). Para análise estatística utilizou-se o Teste de Tukey a 0,05% de significância por comparação de médias. Os resultados demonstraram que não houve diferença significativa entre os grupos quanto a integridade acrossomal e mitocondrial. Quanto ao TTR houve diferença entre os grupos, onde 1pM apresentou valores de motilidade superior ao 10mM e foi equivalente ao controle. Com relação à integridade da membrana plasmática houve diferença significativa entre o controle e nos grupos com adição de melatonina, nos tempos 60, 120 e 180 minutos. Conclui-se que a adição de melatonina no diluidor melhorou a integridade da membrana plasmática de ovinos, reduzindo os danos causados pela criopreservação.

  • SILUANA BENVINDO FERREIRA
  • Diagnóstico e fatores de risco associados à Brucella spp, Leptospira spp  e Neospora caninum em bovinos
  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 29/04/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As doenças infecciosas que afetam a reprodução são responsáveis por diminuição nos índices produtivos e reprodutivos dos rebanhos, por ocasionarem repetição do cio, redução das taxas de ovulação, fertilização, sobrevivência embrionária, sobrevivência fetal e sobrevivência perinatal. Para minimizar os danos causados pelos micro-organismos é necessário conhecer sua distribuição e comportamento. Apesar dos inúmeros estudos já realizados no Brasil, no Piauí são escassos ou inexistem pesquisas sobre a ocorrência e distribuição de enfermidades infecciosas de bovinos e em particular aquelas que interferem com a produtividade dos rebanhos e eficiência reprodutiva. Tendo em vista a importância da bovinocultura para a microrregião e as perdas econômicas geradas por estas doenças, o objetivo deste trabalho foi determinar a presença de Brucella abortus, Leptospira spp. e Neospora caninum e possíveis fatores de risco associados a presença destes agentes em rebanhos bovinos da microrregião de Floriano, PI. O trabalho foi realizado em doze municípios. Foram analisadas 414 amostras de soro de bovinos e 17 de soro de cães (Neospora caninum). Em cada propriedade foi aplicado um questionário epidemiológico, a fim de obter informações epidemiológicas e práticas de manejo empregadas. Para o diagnóstico sorológico da brucelose bovina foi utilizado o teste do Antígeno Acidificado Tamponado (AAT) como prova de triagem e os soros que reagiram positivamente ao referido teste foram submetidos à prova confirmatória do 2-mercaptoetanol (2-ME). Já para a pesquisa de anticorpos anti-Leptospira foi realizada a técnica de Soroaglutinação Microscópica (SAM), utilizando 23 sorovares. O teste de Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI) foi utilizado para a pesquisa de anticorpos anti- Neospora caninum, considerando ponte de corte de 1:100. Os antígenos foram produzidos utilizando taquizoítos da cepa NcBA de N.caninum. Das 414 amostras examinadas, apenas 2/414 (0,48%) apresentaram anticorpos anti-B. abortus, ao teste do AAT, porém, nenhuma reagiu ao teste confirmatório de 2-ME. A pesquisa de anticorpos Anti-Leptospira, revelou que 100% das propriedades possui pelo menos um animal sororeagente, com 143 positivos (SAM>1:100), resultando em uma prevalência de 34,54% por animal sendo 95,1% fêmeas (136) e 4,9% machos (07) e apresentando 25,87% (37) de coaglutinações. Observou-se a presença de dezenove sorovares dos 23 testados, destacando-se o Icteriohaemorragiae (42,48%) como o de maior prevalência, seguido pelo sorovar Hardjo (31,2%). Foi observada a presença de anticorpos anti- N. caninum, detectados pela RIFI em 8,45% (35/414) dos bovinos, com títulos sorológicos variando de 1:100 a 1:6400, todavia, não foram observados cães positivos. Sob as condições em que este estudo foi realizado, conclui-se que a brucelose bovina apresenta baixo índice de prevalência na região, destacando-se como doenças infecciosas da reprodução amplamente difundidas na área de estudo a leptospirose e a neosporose.

     

  • MARIA LILIANE XIMENDES AZEVEDO
  • Micobiota e presença de aflatoxinas em alpiste utilizado para pássaros domésticos

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 29/04/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O alpiste (Phalaris canariensis L.) é uma gramínea rica em proteínas, com aplicação na alimentação animal principalmente de pássaros granívoros É imprescindível, para garantir a qualidade e sua conservação, que os grãos sejam transportados e armazenados em locais secos e ventilados e, sobretudo, com baixos teores de umidade, do contrário, o desenvolvimento de micro-organismos pode causar fermentações indesejáveis e contaminações por toxinas, que inviabilizam a utilização do produto para consumo humano e animal. Dos micro-organismos que se propagam aos produtos agrícolas, os fungos são os mais tolerantes a baixas disponibilidades de água e são, consequentemente, importantes causas de deterioração. A atividade de água (Aw) dos gêneros alimentícios tem grande influência na micobiota final desses, portanto, o controle sobre o desenvolvimento fúngico durante a estocagem dos produtos é alcançado principalmente pela baixa Aw do produto final. Assim, os fungos têm sido responsáveis por perdas econômicas de relevância pelo aspecto de fitopatogenicidade, o que representa uma série de prejuízos para agricultura em todo o mundo. O impacto causado pela ação direta ou indireta de fungos na agropecuária abrange redução na produtividade pela debilidade imunológica, reações alergênicas, e aos efeitos: teratogênicos, carcinogênicos e mutagênicos. Pelo exposto, objetivou-se analisar a micobiota de alpiste comercializado em casas de rações em Crateús, CE e em Teresina, PI, sua ação toxicológica e suscetibilidade fitopatogênica. Foram coletadas 40 amostras de alpiste comercializados em casas de rações em Crateús, CE e em Teresina, PI, com aproximadamente 500 gramas cada e encaminhadas ao Laboratório NUEPPA/UFPI para contagem, isolamento e identificação fungica, potencial toxicológico das sementes, atividade de água e fitopatogenia. O alpiste era exposto em embalagens originais de fabricação, em cima de madeiras ou em balcão e os consumidores tinham livre acesso aos produtos, esses eram comercializados a granel e podiam ser manipulados pelos mesmos. A contagem fungica nas amostras de Crateús, CE variou de 2,24 ± 0,30 a 3,50 ± 0,93 e em Teresina, PI de 1,43 ± 1,00 a 2,92 ± 0,57 e Aw variando de 0,34 a 0,50 e de 0,45 a 0,50 respectivamente, onde não houve diferença significativa nas amostras analisadas, sendo o alpiste comercializado em casa de rações de ambas cidades, considerados apitos ao consumo animal, pois não existem limites estabelecidos para contagem de fungos para esta semente. No entanto, vale destacar a presença dos gêneros fúngicos encontrados, sugerindo maior atenção no armazenamento e conservação. Pode-se observar que as amostras das duas cidades presentaram contaminação pelos gêneros Aspergillus, Claudosporium, Eurotium, Fusarium, Mucor e Penicillium. As condições de manipulação das amostras podem ter influenciado na contaminação, portanto, deve-se ter cuidado no armazenamento e a manipulação desses produtos, assim com medidas higiênicas devem ser implantadas para a redução do número e maior segurança dos consumidores. Vale ressaltar que embora a contagem possa ser considerada baixa, foi observado um número significativo de diferentes gêneros presente nas amostras o que requer uma maior atenção no seu armazenamento, contribuindo para uma melhor conservação do produto.

  • FRANCISCO ARTHUR ARRE
  • Estrutura de dados para descrever a curva de crescimento de cabras Anglonubianas

  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 29/04/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Com o objetivo de determinar a influência da estrutura de dados longitudinais peso-idade sobre ajustes da curva de crescimento e identificar o melhor modelo não linear para descrever o padrão de crescimento de fêmeas caprina da raça Anglonubiana, utilizou-se o método de Gauss-Newton modificado para ajustar os modelos Brody, Gompertz, Logístico e Von Bertallanfy, a dados de peso - idade de fêmea coletados do nascimento até 60 meses de idade, em 104 cabras. O Banco de dados foi editado em 10 arquivos, cada um correspondendo a pesagens nas faixas de idade: do nascimento até 6, 12, 18, 24, 30, 36, 42, 48, 54 e 60 meses. Em cada arquivo os parâmetros a, b e k, o Quadrado Médio do Resíduo (QMR), Desvio Médio Absoluto dos resíduos (DMA) e Coeficiente de determinação (R2) foram estimados com os quatro modelos individualmente e submetidos a análise de variância em esquema fatorial 4x10 (modelos e estrutura dos dados), com 104 repetições. O critério para identificar a idade mínima de pesagem com melhor ajuste da curva foi a significância das médias dos parâmetros a, b e k estimados nos 10 arquivos (teste SNK) e, para identificar o modelo mais adequado, baseou-se nas médias das estatísticas QMR, DMA e R2. Não ocorreu interação dos fatores. As médias do parâmetro b diferiram entre si (P<0,05) nos arquivos até 24 meses, enquanto as médias de a e k diferiram até 30 meses, mostrando, portanto, influências da estrutura dos dados sobre a curva estimada, independente do modelo ajustado e que pesagens até a idade mínima de 30 meses mostra-se adequada para estudo de crescimento de fêmeas. Nas pesagens após 42 meses constatou-se redução da influencia da heterogeneidade de variância (QMR, DMA e R2 não diferiram mais (P>0,05)). A ordem de melhor ajuste dos modelos aos dados, confirmada pelas médias do QMR, DMA e R2 foi: Logístico, Brody, Bertalanffy e Gompertz, Utilizando-se a melhor idade da pesagem (até 30 meses) e os dois modelos com melhor ajuste, Logístico e Brody, estimou-se e analisou-se os parâmetros a, b e k, a correlação entre a e k, os gráficos com as médias do peso observado e do estimado, bem como o ganho de peso absoluto, estimado a partir da derivada segunda dos modelos. Os valores de a e k estimados nessa idade foram, respectivamente: modelo Logístico, 26,21 e 0,0196; Brody, 33,14 e 0,0055. O maior peso assintótico estimado se aproximou do peso observado nessa idade (34,1 kg), logo influência sazonal no peso corporal foi detectada mais pelo modelo Logístico; Os parâmetros a e k se correlacionaram negativamente (Brody = - 0,66 e Logístico = – 0,81), significando que o animal mais precoce tem menor probabilidade de atingir maior peso adulto. A taxa de ganho de peso diário cresceu até 120 dias de idade, com valor em torno de 100 g/dia e os dois modelos foram equivalentes em relação as curvas dos pesos observado e o estimado, com as curvas se sobrepondo em todo o período avaliado. Os resultados dão consistência a afirmação que a melhoria no manejo nutricional na desmama é necessária para evitar comprometimento do desenvolvimento dos animais na fase de pós-desmama, principalmente em fêmeas, pois o peso adequado à primeira cobertura pode ser um importante critério de seleção para reposição no rebanho.

  • AÍLA ALVES ROCHA VIEIRA
  •  

     

     

    Isolamento e caracterização de linhagens de células-tronco mesenquimais obtidas a partir da polpa dentária imatura de cães

  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 31/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • Estudos com células-tronco de tecidos adultos e pós-natais vêm sendo realizados como alternativa, para as terapias com células-tronco embrionárias. A polpa de dente representa uma fonte para obtenção de células-tronco mesenquimais (CTM), que vêm demonstrando um tipo promissor, pelo seu grande potencial de diferenciação e características inócuas. Dessa forma, esta pesquisa teve por objetivo isolar, expandir, diferenciar e caracterizar as células-tronco mesenquimais da polpa de dente imatura de cães (CTMPD-ic). Para tanto, foram utilizados três dentes decíduos, dos quais foram obtidas as polpas dentárias. Este tecido foi dissociado mecanicamente e cultivado em meio DMEM-F12 suplementado com 1% de ATB, com troca a cada três dias. A partir do crescimento das células originadas dos explantes cultivados das polpas dentárias foram realizadas, curva de crescimento celular, UFC, diferenciação celular e citometria de fluxo. Foi observado na curva de crescimento, em duplicata, durante dez dias, progressiva e intensa proliferação celular, com a presença das fases LAG, LOG e PLATEAU. Quanto à unidade formadora de colônias (UFC) em cultura primária com 20 dias, obteve-se um total de 27 colônias. As células mesenquimais da polpa dentária induzidas in vitro à diferenciação osteogênica, adipogênica e condrogênica, evidenciaram osteoblastos, gordura e condrócitos, respectivamente. Na citometria de fluxo, as CTMPD-ic apresentaram expressão dos marcadores CD90 e CD105 e ausência de marcação em CD14 e CD45. Desta forma, pôde-se constatar que as células oriundas da polpa de dente imatura canina apresentam potencial de diferenciação celular e características imunofenotípicas inerentes às células-tronco mesenquimais, sem o entrave de obtenção por procedimentos cirúrgicos, e com grande crescimento celular exponencial em curto período de tempo. As CTMPD-ic representam uma fonte nova para utilização em cães, onde a medicina regenerativa avança a passos largos, apresentando como diferencial em relação às CTM de outras fontes, o seu crescimento celular e seu potencial de diferenciação. Ademais, possibilita a formação de um banco de CTM-ic para futuras terapias celulares e alo-enxertos em cães.

  • RANIEL LUSTOSA DE MOURA
  • CONSÓRCIO DE CAPIM-ANDROPOGON COM ESTILOSANTES CAMPO GRANDE E CALOPOGÔNIO: ESTRUTURA, VALOR NUTRITIVO E DESEMPENHO DE CAPRINOS E OVINOS

     

  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 30/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se neste trabalho avaliar pastagens de capim-andropógon em monocultivo, capim-andropógon consorciado com estilosantes Campo Grande e com calopogônio quanto à estrutura do pasto, valor nutritivo, qualidade da dieta, comportamento de pastejo, consumo e desempenho de caprinos e ovinos. Os tratamentos consistiram de três modelos de cultivo do capim-andropógon (Andropogon gayanus Kunt): monocultivo; consórcios com colopogônio (Colopogonio mucunóides) e estilosantes Campo Grande (Stylosanthes capitata + S. macrocephala). O delineamento adotado foi em blocos ao acaso, com três tratamentos arranjados em um esquema de parcelas subdivididas no tempo com dois ciclos de pastejo. As pastagens foram manejadas com caprinos no primeiro ano e ovinos no segundo ano, sob lotação rotacionada, o período de pastejo foi de quatro dias de ocupação e 28 dias de descanso. E obteve-se diferença (p<0,05) na massa de forragem, proporção da leguminosa com aproximadamente 60% nas pastagens consorciadas e razão F/H. Tanto a massa de forragem quanto a altura foram menores no segundo ciclo, a queda na massa de forragem foi cerca de 60%. Maiores teores de PB, NDT e DIVMS e DIVMO foram observados nos pastos consorciados. A digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) foi maior (p<0,05) para o estilosantes Campo Grande em relação ao capim-andropógon e ao calopogônio. Houve efeito (p<0,05) em relação ao tratamento e ciclo para o comportamento de pastejo, ruminação, freqüência de gramínea e freqüência de leguminosa, não tendo efeito para ócio, deslocamento e taxa de bocados. O consumo de forragem pelos caprinos foi maior nas pastagens consorciadas, contudo não houve diferença (p>0,05) quanto ao ganho de peso médio diário. Os resultados no segundo experimento com ovinos, apenas observou-se diferença entre os tratamentos para a variável F/C (p<0,05) com menor valor na monocultura. A participação das leguminosas nas pastagens consorciadas superou as gramíneas com valores de 60%. As leguminosas nos sistemas consorciados apresentaram maior (p<0,05) teor de proteína bruta (PB) e menores teores de FDN, FDA e hemicelulose (p<0,05) que o capim-andropógon cultivado em monocultivo e consorciado. Observou-se para o estilosantes maiores valores de NDT (p<0,05) em relação aos demais sistemas. A frequência de pastejo de gramínea foi maior (p<0,05) no sistema consorciado com calopogônio, enquanto a frequência de pastejo na leguminosa foi maior (p<0,05) no consórcio com estilosantes. E entre os ciclos o segundo verificou-se maior frequência de gramínea e o primeiro maior frequência de leguminosa. A razão carbono:nitrogênio com menores valores nas leguminosas, diferem (p<0,05) do capim-andropógon em monocultivo e em consórcio. Maior consumo de forragem (p<0,05) foi registrado nas pastagens consorciadas, em relação ao ganho médio diário, os maiores (p<0,05) valores foram obtidos no consórcio com estilosantes.  Pastagens de capim-andropógon consorciadas com estilosantes e calopogônio apresentaram melhores resultados na massa de forragem, qualidade e consumo de forragem quando comparado ao monocultivo para caprinos e ovinos. 

  • ADRIANE CAMILA BATISTA DE SOUSA
  • Avaliação deterrente do Líquido da Castanha do Caju – LCC sobre fêmeas da Lutzomyia longipalpis

  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 29/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • O uso de inseticidas químicos no controle de vetores não vem tendo resultados satisfatórios uma vez que, o mesmo tem efeito residual curto e os mosquitos vêm adquirindo resistênciaquímica frente aos mesmos, assim,a busca por novos compostos, tendo como base extratos vegetais vêm ganhando destaque nas pesquisas. O presente estudo objetivou avaliar a açãodeterrente do Liquido da Castanha do Caju – LCC, frente ao Lutzomyialongipalpis - adulto. O Líquido da Castanha do Caju - LCC foi extraído a partir da própria castanha e em seguida realizados testes com mosquitos silvestres e criados em laboratório nas concentrações de: 10 mg/ml, 25 mg/ml e 75 mg/ml. Estasconcentrações de LCC foram borrifadas em diferenteshamsters previamente anestesiados e em seguida, os mesmos, colocados em gaiolas contendo fêmeas de Lutzomyialongipalpis para a realização do repasto sanguíneo, durante 60 min. Logo após, as fêmeas foram aspiradas para potes de plásticos e levadas ao freezer, objetivando a estagnação de sua atividade metabólica a fim de que as mesmas pudessem ser montadas em lâminas e seu intestino observadoao microscópio, confirmando a realização do repasto sanguíneo. Para a análise dos dados, foi realizada análise de variância seguida pelo teste SNK, utilizando o programa S.A.S aceitando probabilidade de erro de 5%. Os resultados indicaram um efeito deterrentenas fêmeas criadas em laboratório com o tratamento de 75 mg/ml, não houve diferença significativa com as fêmeas provenientes do campo, da mesma forma que, ao avaliar o efeito de dose- dependência houve uma diferença significativa somente na maior concentração (75 mg/ml) com as fêmeas criadas em laboratório. Dessa forma, esses resultados sugerem que o extrato de LCC apresentou ação deterrentesobre as fêmeas de Lutzomyialongipalpiscriadas em laboratório,e que este estudo serve como base para outros, os quais, poderá focar em concentrações superiores a do presente trabalho ou nas fases de desenvolvimento da fêmea de Lutzomyia longipalpis.

  • SIMONE MOUSINHO FREIRE
  • CARACTERIZAÇÃO DA FAUNA HELMINTOLÓGICA EM Chelonoidis carbonarius (SPIX, 1824)  e Chelonoidis denticulatus (LINNAEUS, 1766).

  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 16/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O parasitismo em jabutis é uma área ainda pouco estudada no Brasil e no mundo. As informações a respeito de seus parasitos tornam-se importantes tanto para aqueles animais criados em cativeiro como de ambiente selvagem, pois os parasitos podem ser deletérios para as populações silvestres. Objetivou-se com este trabalho, identificar a helmintofauna de jabutis (Chelonoidis carbonarius SPIX, 1824 e Chelonoidis denticulatus LINNAEUS, 1766) mantidos em cativeiro no Parque Zoobotânico de Teresina PI, bem como relatar lesões histopatológicas intestinais associadas a este parasitismo. Foram elaborados dois artigos a serem enviados para publicação: o primeiro relata a primeira ocorrência de Chapiniella diazi no Brasil e descreve a morfologia do parasito baseado em microscopia de luz e microscopia eletrônica de varredura e ainda sequenciamento genético e o segundo descreve as lesões histopatológicas encontradas nos intestinos dos jabutis parasitados. Para a realização do ensaio, 142 jabutis  de cativeiro fizeram parte do estudo.  Foram realizadas as seguintes análises: teste de Hoffmann, Willis Mollay modificado e OPG. Os 12 jabutis mais parasitados pelo exame de fezes e o jabuti de ambiente selvagem, foram eutanasiados para coleta dos parasitos. Os helmintos foram identificados por microscopia de luz e microscopia eletrônica de varredura. Após a necropsia, fragmentos de tecido dos intestinos foram coletados e conservados em formol tamponado (pH=7,4) para exame histopatológico. Os helmintos encontrados nos jabutis foram Atractis sp e Chapinielladiazi, contudo a morfologia de Atractis sp será relatado em outro trabalho.  As lesões histopatológicas observadas no intestino delgado foram hiperemia difusa, hiperplasia difusa de células caliciformes, edema da submucosa, inflamatório linfocítico na submucosa e áreas focais de hemorragia. No intestino grosso observamoshiperemia que variou de discreta a intensa e enterite transmuralgranulomatosa focalmente extensa e intensa.

  • ANANGELA RAVENA DA SILVA LEAL
  • HELMINTOFAUNA DE  JABUTIS CHELONOIDIS  DENTICULATUS (LINNAEUS, 1766) E CHELONOIDIS  CARBONARIUS (SPIX, 1824) MANTIDOS EM CATIVEIRO NA CIDADE DE TERESINA/PIAUÍ, BRASIL

  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 16/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na América do Sul há 3 espécies de jabutis pertencentes ao gênero ChelonoidisChelonoidis chilenis (Gray, 1870), Chelonoidis carbonarius (Spix, 1824) e Chelonoidis denticulatus (Linnaeus, 1766)sendo as duas últimas espécies ocorrem distribuídas no Brasil. Trabalhos sobre a fauna parasitária desses animais ainda possuem pouca ocorrência. O objetivo desse estudo foi  analisar a helmintofauna em jabutis mantidos em cativeiro na cidade de Teresina-Piauí, Brasil. Os 12 animais mais parasitados foram selecionados para necropsia. Os helmintos presentes no trato gastro-intestinal foram recuperados e identificados por microscopia de luz, microscopia eletrônica de varredura e chaves de identificação. Foi identificado um parasito do gênero Atractis sp. parasitando C. denticulatus e C. carbonarius.  Sua morfologia e estruturas foram descritas a partir das técnicas precitadas. É de grande importância a realização de trabalhos para pesquisa da biodiversidade parasitária desses animais, afim de se conhecer seu  modo de vida e assim promover intervenções nos seus hospedeiros.

  • SUSAN EMANUELLY PINHEIRO AMORIM
  • DESEMPENHO E COMPORTAMENTO DE CAPRINOS EM PASTAGEM DE CAPIM-TANZÂNIA COM ACESSO RESTRITO A BANCO DE PROTEÍNA 

  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 10/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  Neste trabalho o objetivo foi  avaliar o comportamento de pastejo e o desempenho de caprinos Anglonubianos em pastagem de capim- Tanzânia associado a leucena, manejada como banco de proteína. Os tratamentos consistiram em três sistemas de alimentação: pastagem de capim-Tanzânia (CT); capim-Tanzânia e banco de proteína de leucena no período da manhã (CTBPM); e capim-Tanzânia e banco de proteína de leucena no período da tarde (CTBPT). Adotou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, com três tratamentos e seis repetições (animais).  O tempo de pastejo variou entre 5 e 8 horas, maiores valores foram registrados para os animais que permaneceram na pastagem de capim-Tanzânia (P<0,05). Para os animais que tiveram acesso ao banco de proteína ocorreu uma redução de cerca de 2,7 horas no tempo de pastejo. Para taxa de bocados não houve diferença estatística (P>0,05) no pastejo ao capim-Tanzânia, mantendo-se constante durante todo o dia, com 26,63 bocados por minuto, em média. No banco de proteína a taxa de bocado diferiu entre os horários de pastejo (P<0,05) reduzindo no período da tarde, com 11,68 bocados por minuto. A recusa de pastejo na leucena e, a ausência de outros alimentos no banco de proteína resulta na busca por outro alimento, o que é observado no maior tempo dispendido em deslocamento pelos animais, independentemente do turno de acesso adotado, contudo, mantém-se um desempenho animal satisfatório, não havendo diferença no ganho de peso médio diário entre os sistemas de monocultura de capim-Tanzânia e capim-Tanzânia com acesso à banco de proteína de leucena.

  • YELSONN SANTOS SILVA
  • EFICIÊNCIA DA RESSINCRONIZAÇÃO DE CIO EM VACAS PLURÍPARAS DA RAÇA NELORE

  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 08/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pecuária de corte nacional ainda apresenta baixos índices produtivos por continuar sendo conduzida como uma atividade extrativista ou que demanda baixo uso de insumos e biotecnologias. Essa realidade deve ser modificada com a introdução de tecnologias capazes de elevar a produtividade, aumentando a eficiência produtiva dos rebanhos. Um ponto importante a ser melhorado são os índices reprodutivos, como taxa de fertilidade, intervalo entre partos e idade ao primeiro parto, sem deixar de lado a eficiência econômica.  A inseminação artificial em tempo fixo (IATF) tem sido determinante para se chegar a bons resultados reprodutivos e, dada a possibilidade de ressincronização do cio, a técnica está cada vez mais ganhando espaço. No presente trabalho objetivou-se avaliar a eficiência da utilização do protocolo de ressincronização do cio sobre a taxa de prenhez de vacas Nelore, pluríparas, como estratégia para diminuir o período de estação de monta e intervalo entre partos. Foram utilizadas 693 vacas, pluríparas, com pelo menos 45 dias pós-parto e escore de condição corporal de 3,0 a 3,5 (escala de 1 a 5). As fêmeas foram submetidas ao protocolo de sincronização de estro, onde: no D0 foi colocado dispositivo intravaginal contendo 1,9g de P4 e aplicados, via IM, 2mg de benzoato de estradiol; no D9 foi retirada o dispositivo de P4, aplicados, via IM, 12,5mg de dinoprost, 0,6mg de cipionato de estradiol e 300UI de Gonadotrofina Coriônica equina; e no D11, realizadas as inseminações, 48 a 54 horas após a retirada do dispositivo. Todos os animais passaram pelo mesmo protocolo de sincronização de cio, havendo a divisão dos grupos apenas no protocolo de ressincronização do mesmo. Foram formados dois grupos experimentais: G1 (n=446), ressincronizado após o diagnóstico de gestação, 30 dias depois da inseminação; e G2 (n=227), ressincronizado antes do diagnóstico de gestação, 23 dias após a inseminação, quando então foram avaliados os corpos lúteo. Neste último tratamento (G2), todas as matrizes receberam implante de progesterona e 1mg de Benzoato de Estradiol e, 7 dias depois foi feito o diagnóstico de gestação, quando foram retirados os dispositivos das diagnosticadas como prenhes e as negativas ao exame receberam a aplicação de prostaglandina, 48 horas após foi retirado o implante de progesterona, aplicado o cipionato de estradiol e o eCG e, 48 horas após, foram submetidas à inseminação.  O diagnóstico de gestação na ressincronização foi realizado por ultrassonografia entre 30 e 35 dias após as inseminações. As taxas de gestação foram avaliadas pelo teste do qui-quadrado (c2), ao nível de 1 % de significância e os valores médios de diâmetro de corpo lúteo, analisados pelo teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade. Na primeira sincronização não houve diferença significativa entre as taxas de prenhez, ficando dentro do esperado nos dois grupos (G1=49,14% e G2=55,50%), quanto à ressincronização não houve diferença significativa também ficando dentro do esperado (G1=49,77% e G2=45,0%), refletindo um índice de concepção acumulado de 73,17% e 75,33%, respectivamente.  Muito embora não havendo diferença na taxa de prenhez, houve uma diminuição de 7 dias no intervalo entre inseminações. Quanto ao diâmetro dos corpos lúteo os animais que apresentaram CL≤ 15mm (média = 12,65 ± 2,11) demonstraram taxa de prenhez de 41,66% enquanto os que apresentaram CL > 15mm (média = 18,52±2,3) resultaram em 78,12%, demonstrando ser, essa característica, um parâmetro para predizer a prenhez. Referente ao custo da prenhez, houve um aumento no protocolo testado (G2) em relação ao protocole controle (G1), que foram respectivamente de R$ 39,28, de R$ 36,47. Com base nos dados obtidos, conclui-se que o protocolo de ressincronização favorece o aumento do número de prenhezes por IATF em um curto período da Estação de Monta.

     

  • DAPHINNE CARDOSO NAGIB DO NASCIMENTO
  • Desempenho, Descrição do Crescimento e Produção de Calor de Frangos de Corte de Três Linhagens Comerciais

  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 08/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Foram realizados dois experimentos, sendo um para avaliar as características produtivas e descrever o crescimento corporal e das partes e outro para estimar a produção de calor de frangos de corte de ambos os sexos das linhagens Cobb 500, Ross 308 e Hubbard Flex. No primeiro experimento foram utilizados 2160 aves distribuídas em DIC, em esquema fatorial 3 x 2  (linhagem e sexo) com seis repetições de 60 aves cada. Semanalmente as aves foram pesadas, sendo retirada uma amostra com peso próximo ao peso médio de cada parcela (± 5%) para o abate. Estas foram mantidas em jejum alimentar por 24 horas, pesadas, abatidas, depenadas, evisceradas e realizados os cortes de peito, coxas e sobrecoxas. Foram ajustadas para cada linhagem, em cada sexo, curvas de crescimento, obtidas por meio do modelo de GOMPERTZ, do peso em jejum (PJ), peso do peito, coxas e sobrecoxas. Foram avaliados o consumo de ração, ganho de peso, peso vivo e conversão alimentar nos períodos de 1 a 7, 1 a 21, 1 a 28, 1 a 42 e 1a 49 dias, sendo aos 42 e 49 dias avaliados o peso de carcaça e rendimento de carcaça e cortes. Para o PJ, independente do sexo, a linhagem Hubbard apresentou o maior Pm e t*. Para a maioria dos cortes o parâmetro Pm foi comum entre as linhagens, sendo a linhagem Hubbard mais precoce por apresentar maior  b em relação as aves Ross e Cobb. Em relação as características produtivas, a linhagem Hubbard Flex destacou-se na maioria das variáveis de desempenho e as linhagens Ross 308 e Cobb 500 destacaram-se no rendimento de cortes nobres. No segundo experimento para estimar a produção de calor (PC) nos períodos de 07 a 14, 21 a 28, 35 a 42 e 42 a 49 dias de idade, foram utilizados 1200 aves, ambos os sexos, distribuídos em DIC, em esquema fatorial 3 x 2  (linhagem e sexo) com cinco repetições de 40 aves cada no primeiro dia de idade.  A PC foi obtida pelo método do abate comparativo. Não foram observado efeito de linhagem em nenhuma das variáveis avaliadas. Em relação ao sexos os machos foram superiores no período de 10 a 14 e 24 a 28 dias de idade, não havendo diferenças na PC nos períodos com idades avançadas. Apenas uma equação (PC = -335,93 + 57,077 ID - 0,9014 ID2 ) foi necessária para descrever a PC em função da idade das três diferentes linhagens de ambos os sexos, sendo a máxima PC atingida com 33,7 dias.

     

  • ÂNGELA PIAUILINO CAMPOS
  • Soroepidemiologia da leptospirose em animais de produção e caracterização da lesão renal em caprinos.

  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 07/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A leptospirose é uma enfermidade causada por bactérias estando distribuída mundialmente, particularmente prevalente nas Américas e endêmica na América Latina. Tem sido considerada uma das principais responsáveis pelo impacto econômico negativo na pecuária nacional e mundial, por causar problemas reprodutivos, como abortamentos, infertilidade, repetições de cio, ocorrência de natimortos e retenção placentária, resultando em baixa produtividade. Além disso, assume papel relevante na saúde pública por ser zoonose de risco ocupacional. Este trabalho teve como objetivo determinar a soroprevalência de leptospirose em bovinos, ovinos e caprinos de criações consorciadas em propriedades rurais da Microrregião de Teresina, Piauí, identificar os sorovares predominantes nessa região e os fatores de risco associados à soroprevalência, bem como caracterizar as lesões renais em caprinos naturalmente infectados. Para o estudo de prevalência foram obtidas amostras de soro de 336 ovinos, 292 caprinos e 253 bovinos de 33 propriedades rurais de criação consorciada da Microrregião de Teresina, Piauí, selecionadas a partir do cadastro na Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Piauí. Para o estudo das alterações renais foram obtidas amostras de soro e fragmentos de tecido renal de 100 caprinos abatidos em matadouro municipal de Teresina, Piauí. O diagnóstico de leptospirose foi realizado pela técnica de soroaglutinação microscópica. Rins de 12 caprinos sorologicamente positivos e nove controles negativos foram incluídos na casuística da análise das lesões renais e apoptose. Para isso, lâminas de tecido renal foram confeccionadas e coradas com hematoxilina-eosina, ácido periódico de Schiff, tricrômico de Masson e ácido periódico prata metanamine. A detecção de apoptose renal foi realizada pelo método de TUNEL. As lesões renais foram classificadas semi-quantitativamente atribuindo-se escores conforme a intensidade das lesões e as células em apoptose foram quantificadas para determinação do índice apoptótico. A prevalência de infecção em bovinos, ovinos e caprinos correspondeu a 50,51%, 40,48% e 34,59% respectivamente. Todos os rebanhos foram focos de infecção, sendo o sorovar Hardjo-Wolffi o mais frequente em bovinos e o Icterohaemorrhagiae em caprinos e ovinos. Os modelos finais de regressão logística determinaram a exploração de corte (OR = 4,94), rebanho bovino acima de 35 animais (OR = 4,03), alimentação a pasto (OR = 6,37), açude e/ou riacho como fonte de água da propriedade (OR = 2,14) e não ter assistência veterinária (OR = 2,89) como fatores de risco para a infecção de bovinos. Para ovinos, a criação intensiva (OR = 5,33), instalações do tipo ripado suspenso (OR = 2,22), ter mais de 20 ovelhas em reprodução na propriedade (OR = 1,89) e não realizar a vermifugação dos animais (OR = 3,49) foram os fatores de risco, enquanto que, para caprinos, os fatores de risco identificados foram rebanho ovino acima de 52 animais (OR = 1,85) e não possuir assistência veterinária (OR = 1,82). Dos soros de caprinos provenientes de matadouros, 29% reagiram para um ou mais sorovares de Leptospira spp. Na análise histopatológica, a nefrite intersticial foi a lesão mais evidente, sendo observada no rim de todos os caprinos soropositivos e caracterizada pela presença de infiltrado inflamatório mononuclear de distribuição focal e localização periglomerular, perivascular, peritubular e subcapsular com intensidade variando de mínima a moderadamente severa. A nefrite intersticial foi mais significativa em rins de caprinos positivos e localizada principalmente na região cortical. Outras alterações renais verificadas foram dilatação e atrofia tubular, degeneração pigmentar das células epiteliais, cilindros hialinos, fibrose intersticial e congestão com intensidades que variaram de mínima a severa. As alterações verificadas nos caprinos soronegativos foram de intensidade mínima a média. Células em apoptose foram observadas em todos os animais, tanto pela marcação de TUNEL como pela coloração de HE, mas não houve diferença estatística no índice apoptóticos entre os grupos nas diferentes regiões analisadas (cortical, medular e glomerular) por nenhuma das técnicas empregadas. Foi verificada correlação positiva entre a presença de nefrite intersticial e o índice apoptótico em rins de caprinos naturalmente infectados por Leptospira spp. Conclui-se que a infecção é endêmica e está disseminada em rebanhos consorciados da Microrregião de Teresina. A principal lesão renal é a nefrite intersticial e estudos adicionais utilizando outros marcadores de apoptose, em modelos animais ou em caprinos livres de patógenos são necessários para esclarecer melhor a patogenia da lesão renal na leptospirose em caprinos.

     

     

     

  • DANIEL BIAGIOTTI
  • ASSOCIAÇÃO E SELEÇÃO GENOMICA AMPLA EM OVINOS SANTA INES PARA CARACTERISTICAS RELACIONADAS A RESISTÊNCIA A ENDOPARASITAS

  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 07/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Estudos de assocociação e seleção genômica ampla no melhoramento genético de ovinos vêm sendo executados com o objetivo de promover melhorias na produção e seleção de animais. O objetivo com esta pesquisa foi identificar marcadores SNPs associados a fenótipos de resistência à parasitose em ovinos Santa Inês, para posteriormente realizar levantamento de genes relacionados às características nos diversos cromossomos, além de encontrar o melhor modelo de seleção genômica e aplicá-lo. Foram utilizados dados de 271 ovinos criados nos estados do Piauí e Maranhão com registro na Associação Brasileira de Criadores de Ovinos. A genotipagem foi realizada com o SNP Chip Ovine da Illumina, de modo que após aplicação de critérios de qualidade, foram utilizados 44.580 SNPs para as análises genômicas. A análise de associação genômica ampla foi realizada pelo método de regressão corrigido para efeitos aleatórios poligênicos e após encontrar marcadores significativos foi realizada busca no NCBI para verificar a existência de genes descritos relacionados com a característica associada. Com os resultados da GWAS verificou-se que os cromossomos 8 e 12 apresentaram marcadores significativos para a característica presença de ovos de Strongylus e nos cromossomos 2 e 6 marcadores significativos para OPG. Verificou-se também, no cromossomo 2, marcador associado a característica escore da condição corporal e no cromossomo 21 marcadores associados a característica presença de pelo arrepiado. No que refere-se a seleção genômica foram testados cinco modelos bayesianos para estimação dos efeitos dos marcadores para as características relacionadas a resistência à parasitose: Modelo Bayesian Ride Regression (BRR) através de regressão aleatória, Bayes A, Bayes B, Bayes C e Bayesian Least Absolut Shrinkage and Selection Operator (BLASSO). Para definição do melhor modelo foi analisada a acurácia do valor genético genômico.  Os métodos Bayesianos testados proporcionaram maior acurácia de predição quando comparados a predição obtida pelo método tradicional utilizando a matriz de parentesco calcualdo pela relação média de parentesco. O modelo BRR foi escolhido como melhor modelo por possuir menos parâmetros a serem estimados e proporcionar acurácia de predição dos valores genômicos semelhante aos demais modelos estudados.

  • RAIZZA EVELINE ESCÓRCIO PINHEIRO
  • POTENCIAL DE APLICAÇÃO DE LEVEDURAS COMO ADSORVENTE DE AFLATOXINA B1 E PROBIÓTICOS EM PISCICULTURA

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 03/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A utilização de leveduras na agricultura tem um grande potencial em reduzir o dano econômico causado por fungos toxigênicos, podendo atuar como agentes de biocontrole e ainda, na redução da contaminação de matérias-primas por micotoxinas. Neste sentido, a busca por compostos naturais, que possam exercem tais funções é importante para o desenvolvimento tecnológico, econômico e para a sanidade em aquicultura. Deste modo objetivou-se isolar e identificar leveduras presentes nos intestinos de tambatinga cultivados em tanques comerciais de piscicultura e da ração dos ambientes de cultivo no capítulo I; verificar in vitro o potencial probiótico e adsorvente de aflatoxina B1 por cepas de Saccharomyces cerevisiae isoladas em diferentes ambientes no capítulo II e avaliar os efeitos da adição de Saccharomyces cerevisiae em rações contaminadas com aflatoxina B1 sobre o desempenho e sanidade de alevinos de tambaqui no capítulo III. No capítulo I, a identificação molecular das leveduras da ração e intestino de tambatingas foi realizada pela reação de PCR e amplificação por NL1/NL4 e sequenciamento das regiões D1/D2 da subunidade maior do gene do rRNA. Foram identificadas 16 leveduras da espécie Candida nivariensis no intestino dos peixes. Para as amostras de ração, obteve-se um maior número de espécies: Hyphopichia burtonii (23,08%), Lodderomyces elongisporus (15,39%) e Trichosporon asahii (15,39%), Candida nivariensis (7,69%), Candida orthopsilosis (7,69%), Candida parapsilosis (7,69%), Rhodotorula minuta (7,69), Sterigmatomyces elviae (7,69), Cryptococcus liquefaciens (7,69). No capítulo II, as cepas de S. cerevisiae A8L2, RC1 e RC3 foram submetidas aos seguintes testes in vitro para avaliação de seu potencial probiótico: inibição homóloga, autoagregação, coagregação, atividade antibacteriana, tolerância às condições gastrointestinais e adsorção de AFB1. Constatou-se que as três cepas testadas possuem potencial probiótico e adsorvente de AFB1. Em testes in vitro a estirpe A8L2 é mais eficiente que as demais por ter melhor capacidade de adsorção de AFB1,apresentar atividade antibacteriana e ser viável em condições simuladas do trato gastrointestinais de tambaqui. No capítulo III estão sendo analisados os parâmetros zootécnicos e de sanidade de alevinos de tambaqui submetidos a diferentes tratamentos com adição de S. cerevisiae e AFB1 nas rações.

  • FRANCELINO NEIVA RODRIGUES
  • Genética da resistência a verminose em ovinos Santa Inês

  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 02/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • A seleção de ovinos geneticamente resistentes a verminose é uma aposta promissora no controle da verminose e produção de alimentos mais saudáveis. Assim, objetivou-se com esta pesquisa identificar ovinos geneticamente resistentes e estimar parâmetros genéticos associados a esta característica. Os animais foram classificados em três categorias utilizando o método de agrupamento não hierárquico multivariado K-means, a partir dos dados de contagem de ovos por grama (OPG), hematócrito, Escore da condição corporal (ECC) e Famacha® coletados no rebanho Santa Inês da Embrapa Meio-Norte no período de agosto de 2012 a julho de 2015. Após o agrupamento foi realizado análise de variância e teste de médias para verificar a existência de diferenças entre os grupos estudados. Houve diferenças significativa entre os grupos. O grupo que apresentou menor OPG, maior hematócrito, maior escore corporal e menor Famacha foi classificado como resistente, pois esses resultados diferiram significativamente (P<0,05) do grupo que apresentou valores opostos, o qual foi classificado como grupo sensível. O terceiro grupo foi classificado como intermediário, pois apresentou características de ambos grupos formados. Desta maneira, a característica resistência a verminose foi estabelecida com três níveis: resistentes, intermediários e sensíveis, sendo sendo que os animais classificados como resistentes representou a maior parte dos animais estudados, 50,7%, versus 13,4% para os sensíveis. A análise genética da característica resistência foi realizada utilizando inferência Bayesiana, por meio do Amostrador de Gibbs. A herbabilidade para a característica resistência foi alta, 0,43, superior as herdabilidades estimadas para as características OPG, hematócrito, ECC e Famacha que foram consideradas baixa, iguais, respectivamente, a 0,05, 0,08, 0,12 e 0,15. Esse resultado mostra que haverá melhores ganhos se a seleção for realizada a partir da característica resistência proposta nesta pesquisa, do que por meio das demais características estudadas isoladamente. A análise de agrupamento multivariada por meio do OPG, hematócrito, escore da condição corporal, e Famacha, proporcionou classificar os animais quanto a resistência a verminose, e essa característica apresentou alta herdabilidade, o que permite ganhos genéticos com o emprego da seleção fenotípica.

  • ELINE CHAVES DE ABREU ALMENDRA
  • INFLUENCIA DA TERMORREGULAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE COLÔNIAS DE Melipona compressipes fasciculata.

  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 02/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O Estado do Piauí está localizado na região Meio-Norte do país, é uma área econtonal, e o seu formato alongado, possibilita em seu território a presença de uma grande diversidade de espécies de abelhas. Das espécies de meliponídeos criadas, a tiúba, (M. fasciculata) é uma das preferidas dos criadores da região, devido a sua rusticidade, boa desenvoltura as condições climáticas e ao potencial de produção das suas colmeias. Objetivou-se com esse estudo avaliar as condições climáticas e sua influencia no desenvolvimento com relação ao peso de colônias de Melipona compressipes fasciculata. O experimento foi desenvolvido no Meliponário localizado na zona rural do município de Teresina-PI, na comunidade de Todos os Santos. Foram utilizadas dez colônias de tiúba nidificadas em cortiços advindos de áreas de supressão. Os cortiços foram abertos e os ninhos foram divididos e transferidos para colmeias do modelo INPA, totalizando vinte colônias. As colmeias racionais foram pesadas inicialmente visando a obtenção do peso da caixa vazia, após a transferência dos ninhos, as colmeias foram novamente pesadas. Desta forma, tivemos o peso inicial da colônia. Depois da transferência, as colmeias permaneceram por dois meses em processo de estabilização, visando a reorganização natural das abelhas em suas colônias. Este procedimento se faz necessário para que haja a menor perda de colônias, mesmo assim, ainda perdemos duas famílias, ficando para a análise dezoito colônias. Na área do meliponário foi instalado uma estação meteorológica (data logger), que serviu para coletar os dados com relação a temperatura externa, umidade externa, precipitação pluviométrica, velocidade do vento, ponto de orvalho e sensação térmica. Os dados eram coletados a cada hora e armazenados. As colmeias foram pesadas utilizando-se balança eletrônica, as cinco horas da manhã, uma vez por semana, durante doze semanas. Os dados eram anotados e colocados em planilha eletrônica. O desenvolvimento das colmeias foi avaliado obtendo-se uma co- relação entre o peso das mesmas e aos aspectos climáticos. Onde foi observado que o fator que mais influenciou no aumento do peso foi a precipitação pluviométrica. E os outros fatores influenciaram de forma negativa na elevação do peso das colônias.

  • KITAWANN TAYRONE DE SOUSA NUNES CARDOSO
  • Frequência de hemoparasitas em pombos (Columba livia domestica) na região central de Teresina-PI

  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 01/03/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os gêneros Haemoproteus, Plasmodium e Leucocytozoon, pertencem à ordem Apicomplexa. Entre as principais espécies de aves infectadas por estes parasitas estão os pombos domésticos Columba livia. O objetivo desse trabalho foi investigar a presença de parasitos causadores de malária aviária, através de técnicas moleculares e parasitológicas em pombos do centro de Teresina Piauí. As coletas foram realizadas em praças Públicas. As análises foram desenvolvidas no Laboratório de Sanidade Animal (LASAN/CCA) e Laboratório de Biologia Molecular (CCN) ambos da Universidade Federal do Piauí . Foram utilizadas 54 aves, e verificou-se a presença de hemoparasitos, ectoparasitos e as condições físicas. Obteve se através da microscopia óptica Taxa de Positividade para malária aviária de 83,33% (45/54), com baixa intensidade parasitária. Os estudos moleculares apontaram a presença de Haemoproteus e/ou Plasmodium em 98,1% (53/54) das amostras para as técnicas citada por (FALLON et al., 2003) e (HELGREN et al., 2004), não observando nenhuma amostra positiva para Leucocytozoon. O diagnóstico parasitológico apresentou melhores resultados quando combinados com técnicas moleculares.

  • CRISTIANE EVANGELISTA LIMA
  • Potencial probiótico de bactérias ácido-láticas isoladas de ração de peixe

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 26/02/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A prevenção e o controle de enfermidades na aquicultura têm levado ao aumento substancial no uso de medicamentos veterinários. No entanto, o uso de antibióticos tem sido questionado devido à resistência as bactérias patogênicas, além de tal prática ser preocupante à saúde pública uma vez que o antibiótico residual pode permanecer no produto final. Para substituir o uso de drogas antimicrobianas, a indústria da aquicultura tem investido na utilização de probióticos. O objetivo desse estudo foi isolar bactérias ácido-láticas (BAL) de ração de peixes e avaliar seu potencial probiótico. Foram analisadas 36 amostras de rações de peixes fornecidas por criadores de peixes da zona rural de Teresina, PI. Avaliou-se a capacidade de inibição a patógenos (Salmonella spp., S. aureus, Pseudomonas aeruginosa, E.coli) in vitro pelo testes de auto-agregação e co-agregação, além do teste de antagonismo. Foram isoladas 67 cepas bacterianas, e após realização de metabólicas, 6 cepas foram identificadas como BAL, dividas entre os gêneros Enterococcus, Lactobacillus e Pediococcus.  Avaliadas nos testes de agregação e co-agregação, as BAL mostraram-se com baixo potencial inibitório frente Salmonella spp., S. aureus, Pseudomonas aeruginosa, E.coli, enquanto no teste de antagonismo, as BAL mostram-se com potencial inibitório apenas para Pseudomonas aeruginosa. Após análise dos resultados, concluiu-se as que BAL isoladas em ração para peixes possuem potencial probiótico apenas no teste de antagonismo para Pseudomonas aeruginosa.

  • GUSTAVO CARDOSO DA SILVA NEVES


  • CÉLULAS TRONCO DA GELÉIA DE WHARTON DO CORDÃO UMBILICAL DE CAPRINOS (Capra hircus): PROTOCOLOS DE ISOLAMENTO E CARACTERIZAÇÃO

  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 26/02/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O desenvolvimento de processos biotecnológicos para aplicações terapêuticas de células tronco engloba princípios de engenharia tecidual e terapia celular. A geleia de Wharton é uma substância gelatinosa composta por ácido hialurônico e sulfato de condroitina que protege os vasos umbilicais. Esta pesquisa teve por objetivo isolar e caracterizar as células tronco mesenquimais da geleia de Wharton de caprinos. Para tanto, foram utilizados cordões umbilicais coletados em abatedouros localizados no município de Teresina, PI, Brasil. Os mesmos foram lavados em solução salino fosfato tamponante composta por 10% de aminoácidos, por três vezes. Em seguida, as amostras foram fragmentadas, centrifugadas a 20°C/1100rpm por 10 minutos e colocadas em placas de seis poços em ambiente de cultura celular (5%CO2/37°C/95% umidade). O meio de cultivo foi trocado a cada três dias, conforme necessidade da cultura celular até que as células atingissem 70% de confluência para uma nova replicação. As células foram caracterizadas quanto a formação de UFC-F, cinética celular, expressão de marcadores celulares e potencial de diferenciação nas linhagens adipogênica, condrogênica e osteogênica. As células exibiram morfologia fibroblastoide com formação de colônias e capacidade de autorenovação, sempre mantendo seu estado indiferenciado até a oitava passagem celular. A cinética celular caracterizou as fases LAG, LOG e PLATEAU. As células mesenquimais da geleia de Wharton caprina responderam in vitro a diferenciação celular para as linhagens osteogênica, adipogênica e condrogênica, evidenciando osteoblastos, gordura em cultura e condrócitos, respectivamente. A citometria de fluxo se mostrou como segue: CD14 (negativo), CD45 (negativo), CD90 (positivo) e CD105(positivo), demonstrando alta especificidade e comprometimento das células tronco isoladas com linhagens de células tronco mesenquimais. Dessa forma, esses resultados permitem sugerir a presença de uma população de células tronco com características mesenquimais na geleia de Wharton caprina.   

     

     

  • EMANUELA RIBEIRO MOURA
  • AVALIAÇÃO DA TOXICIDADE REPRODUTIVA E SISTÊMICA DO LÁTEX DE  Himathanthus sucuuba (Spruce) Woodson EM ROEDORES.

  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 24/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Himathanthus sucuuba é utilizada pela população para o tratamento de diversas enfermidades e seus compostos ativos exibiram propriedades biológicas tais como atividades anti-inflamatória, analgésica, atividade leishmanicida e antitumoral. Nesse contexto, objetivou-se investigar os possíveis efeitos sobre o sistema reprodutivo e outros sistemas orgânicos de roedores induzidos pela administração oral do látex diluído de H. sucuuba (LdHs) nas doses de 25, 50 e 100 mg/kgO LsHs foi coletado na região rural de Timon-Ma. Foram utilizadas ratas Wistar nos protocolos de ciclo estral, toxicidade sistêmica e toxicidade gestacional e camundongos fêmeas para o protocolo gestacional com avaliação da progênie.  Foi utilizada ANOVA seguida pelo teste de Dunett (p < 0,05). Os resultados demostraram que houve uma diminuição no consumo diário de ração no grupo tratado com a dose 100 mg/kg e um aumento no consumo diário de água no grupo 50 mg/kg além de interferir negativamente no desenvolvimento ponderal das ratas tratadas com 100 mg/kg. No entanto, não alterou os parâmetros bioquímicos (ureia, creatinina e fosfatase alcalina) nem os pesos absolutos e relativos dos órgãos (fígado, rim, baço, útero, ovário, coração, pulmão e adrenais). Na análise histológica dos tecidos analisados não houve diferença significativa em relação ao controle. O número de folículos ovarianos e corpo lúteos foram contabilizados e o grupo tratado com a dose 100 mg/kg de LsHs diferiu estatisticamente, em relação ao grupo controle, quanto ao número de folículos primários. Foi observado uma diminuição no número de ciclos estrais e um aumento na duração média do ciclo estral no grupo tratado com 100 mg/kg de LdHs, porém nenhuma das doses afetaram a frequência relativa das fases do ciclo estral.  As ratas gestantes que receberam o tratamento nas doses 25 e 50 mg/kg de LdHs no período pós implantação não manifestaram diferença significativa em relação ao grupo controle nos parâmetros gestacionais analisados nem no desenvolvimento ponderal. Nenhuma das doses de LdHs interferiu negativamente nos parâmetros reprodutivos maternos de camundongos fêmeas nem na verificação dos pontos de ossificação e malformações na prole, exceto para o parâmetro índice placentário em que houve um aumento significativo na dose 100 mg/kg de LdHs quando comparado com o grupo controle. Portanto, o LdHs promoveu uma baixa toxicidade sistêmica e reprodutiva nas doses testadas além de demostrar que as doses 25 e 50 mg/kg foram as mais seguras.

  • VIVIANY DE SOUSA RODRIGUES
  • PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS EM MEIO SUPLEMENTADO COM CAPTOPRIL

  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 22/02/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A maturação oocitária é um processo fundamental na produção in vitro de embriões visto que as etapas seguintes do processo de são dependentes da maturação completa dos oócitos. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da suplementação do meio de maturação com captopril, e suas consequências na maturação, fecundação e desenvolvimento embrionário in vitro bovino. Foram utilizados 326 ovários bovinos proveniente de um abatedouro do município de Teresina-PI. Foram recuperados 1101 CCOs e classificados em graus I e II, de acordo com a qualidade morfológica, e distribuído em quatro grupos experimentais: G1 (n=112) controle; G2 (n=322) 20µM de captopril; G3 (n=367) 40µM de captopril; e G4 (n=300) 80µM de captopril. Posteriormente submetidos ao processo de maturação in vitro (MIV) por 24 horas em micro gotas sob óleo de silicone a 38,5ºC, em 5% de CO2. Os CCOs maturados foram fertilizados in vitro, utilizado sêmen criopreservado proveniente de um touro da raça Curraleiro Pé-Duro de mesma coleta, selecionados através de gradientes de Percoll (45, 90 %) e co-incubados em temperatura de 38,5ºC por 20 horas, em 5% de CO2. Após a fertilização, 676 presumíveis zigotos foram cultivados e mantidos em estufa à temperatura de 38,5ºC, em 5% de CO2, durante 7 dias. No quinto dia de cultivo foi realizado o feeding (troca de 50% do meio). A avaliação da taxa de clivagem foi observada 48 horas após a fertilização e a formação de blastocisto 168 horas após. O total de embriões viáveis foi de 12; 39; 32 e 31, respectivamente para os grupos experimentais G1, G2, G3 e G4. Para avaliação da taxa de maturação foram avaliados 470 CCOs e classificados de graus I e II, de acordo com a qualidade morfológica, e distribuído em quatro grupos experimentais: G1 (n=56) controle; G2 (n=152) 20µM de captopril; G3 (n=126) 40µM de captopril; e G4 (n=136) 80µM de captopril e posteriormente submetidos ao processo de maturação in vitro (MIV) por 24 horas a 38,5ºC, em 5% de CO2. Após 24 horas de maturação os oócitos foram desnudados com hialuronidase 0,2% em tampão fosfato salino (PBS) com auxílio de um vortex por 4 minutos. Os oócitos que possuíam o 1°corpúsculo polar foram considerados em fase de MII (maturados). As taxas de maturação, clivagem e desenvolvimento embrionário foram comparados pelo teste do χ2, para P<0,05.

  • MARINNA NÉRICA DO NASCIMENTO E SILVA
  • Parâmetros fisiológicos e bioquímicos indicadores de estresse térmico em ovinos em ambiente tropical

  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 19/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • O desempenho produtivo animal depende da interação do patrimônio genético do indivíduo com os fatores do meio ambiente onde ele vive. Os parâmetros sanguíneos e hormonais são utilizados como indicadores homeostáticos, cujas modificações drásticas em seus valores podem causar desequilíbrios orgânicos, que representam a baixa eficiência de adaptação fisiológica. Portanto, com este trabalho, objetiva-se avaliar possíveis modificações hematológicas, bioquímicas e hormonais de ovinos das raças Dorper, Santa Inês e seus mestiços associadas ao estresse hipertérmico em clima tropical. Essa pesquisa será composta por dois experimentos, em ambos será feita a caracterização do ambiente térmico. As coletas serão realizadas em junho/julho de 2015 (ameno e seco), outubro/novembro de 2015 (quente e seco) e fevereiro/ março de 2016 (ameno e úmido). A caracterização do ambiente será feita com a determinação da temperatura ambiente (TA), umidade relativa (UR) e velocidade do vento (VV) e temperatura de globo negro (TGN). A partir da TA, UR e TGN serão calculados os índices: ITU – índice de temperatura e umidade, e ITGU – índice de temperatura de globo e umidade e o Índice de Conforto Térmico (ICT). O experimento 1  será realizado no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí. Serão utilizados 12 ovinos sendo 6 da raça Dorper e 6 da raça Santa Inês, machos de mesma faixa etária e submetido às mesmas condições de manejo. Serão realizadas duas coletas de sangue, (7-8h e 14-15h) para dosagem de cortisol, triiodotironina (T3) e tiroxina (T4) duas vezes em cada período considerado neste experimento A dosagem do cortisol, T3 e T4 será realizada no setor especializado do Laboratório de Fisiologia e Farmacologia do CCA, pelo método de Radio Imuno-ensaio em fase sólida Nos mesmos horários de coleta de sangue serão avaliados parâmetros fisiológicos, freqüência respiratória (FR) e temperatura retal (TR), dos animais, que serão relacionados ao ambiente térmico.  O experimento 2 será realizado Na fazenda Malhada Vermelha localizada no município de Lagoa Alegre - PI. Serão utilizadas 21 ovelhas prenhes, aproximadamente no terço médio gestacional, sendo 7 da raça Dorper, 7 da raça Santa Inês e 7 mestiças Dorper x Santa Inês, todas em condições clínicas satisfatórias e submetidas às mesmas condições de manejo. Durante este experimento, serão mensurados os parâmetros fisiológicos, frequencia respiratória (FR) e temperatura retal (TR), em dois horários do dia (7-8 e 13-14) quatro vezes em cada período climático considerado neste experimento. Serão realizadas coletas de sangue para análise hematológica, bioquímica sérica e hormonal nos animais, quatro vezes em cada período climático (junho/julho de 2015, outubro/novembro de 2015 e fevereiro/março de 2016). O sangue para o hemograma será obtido através da venopunção da jugular, coletando-se 5 ml de sangue em tubos de ensaio contendo anticoagulante EDTA. O sangue para análise bioquímica e hormonal será coletado em cada animal, através de punção da veia jugular, retirando uma amostra de 5 ml de sangue, utilizando o sistema a vácuo, em tubos sem anticoagulante contendo ativador de coágulo. Com relação a bioquímica sérica serão dosados  glicose (mg/dl), colesterol (mg/dl), triglicerídeos (mg/dl), uréia (mg/dl), creatinina (mg/dl), aspartato aminotrasferase (U/l), alanina aminotransferase (U/l), proteínas totais (g/dl), albumina (g/dl) e calculado a globulina (g/dl). Com o mesmo soro colhido para análise bioquímica, serão dosados Tiroxina (T4 total) e triiodotironina (T3) pelo método ELISA, no Laboratório de Ciências Fisiológicas da UFPÌ. Os dados obtidos serão analisados através do Programa de Estatístico SAS (1997) e as médias comparadas pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Serão feitas também estudos de correlação e regressão dos parâmetros fisiológicos com os hematológicos e bioquímicos e hormonais através do programa estatístico SAS (1997).

     

  • JOSÉ HUMBERTO SANTOS FILHO
  • Identificação e potencial probióticos de bactérias ácido láticas isoladas em tanques de piscicultura

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 18/02/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Um dos problemas enfrentados na piscicultura no Brasil são as doenças que acometem aos peixes em criatórios, e devido a esse fato tem-se utilizado probióticos como alternativas preventivas ao aparecimento de doenças. Esta pesquisa objetivou verificar o potencial probiótico de cepas de bactérias ácido láticas (BAL) provenientes de ambientes de piscicultura. Analisou-se o total de 197 cepas isoladas de 36 substratos e águas de tanques de piscicultura de regiões da zona rural de Teresina, PI. Avaliou-se a capacidade de inibição aos patógenos Salmonella spp., Escherichia coli, Streptococcus equi, Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa in vitro pelos testes: autoagregação e co-agregação, produção de compostos antagônicos e resistência a antibióticos. A partir de provas bioquímicas e fisiológicas foram identificados 19 cepas de BAL, divididas entre os gêneros Lactococcus, Lactobacillus, Leuconostoc e Enterococcus, sendo este último em maior quantidade. Avaliadas nos testes de agregação e co-agregação as BAL mostraram-se com baixo potencial inibitório, porém quanto aos testes de susceptibilidade antimicrobiana todas as cepas mostraram-se sensíveis aos principais antibióticos administrados. Após analise dos resultados concluiu-se que as cepas BAL isoladas não possuem potencial probióticos satisfatórios por apresentar baixa inibição a Salmonella spp., Escherichia coli, Streptococcus equi, Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa.

  • LAECIO DA SILVA MOURA
  • Ultrassonografia Articular de Caprinos Acometidos pelo Vírus da Artrite

    Encefalite Caprina 

  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 15/02/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Em caprinos, a forma mais importante da artrite encefalite caprina, é a artrítica, geralmente observada em animais com mais de oito meses de idade. Diferentemente em ovinos, artrites apresentam menor incidência, acometendo animais de dois a três anos. As alterações clínicas afetam frequentemente as articulações carpianas, sendo observado aumento na consistência e tamanho das articulações. Este trabalho teve por objetivo padronizar a técnica de acesso ultrassonográfico articular em animais acometidos pelo vírus da artrite encefalite caprina (CAEV), de maneira que esta possa ser uma ferramenta complementar de apoio ao diagnóstico e ao manejo dos animais.

  • GERSON TAVARES PESSOA
  • Ultrassonografia abdominal em modo-B e doppler de cutias (Dasyprocta prymnolopha, Wagler 1831) e catetos (Tayassu tajacu Linnaeus, 1758) contidos quimicamente

  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 15/02/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A falta de conhecimento de aspectos biológicos e reprodutivos de alguns animais silvestres podem de certa forma acarretar o fracasso do manejo reprodutivo de uma determinada espécie em questão. A ultrassonografia é ferramenta de grande valia no dia-dia da clinica, laboratórios e a campo, mais seu uso ainda é parcialmente limitado em animais silvestres, em decorrência principalmente do pouco conhecimento da topografia e anatomia ultrassonográfica de seus órgãos. Este método de diagnóstico por imagem é de suma importância, por fornecer informações em tempo real sobre a arquitetura e características ultrassonográficas dos órgãos, identificando as condições fisiológicas dos tecidos bem como condições patológicas, quando realizado de forma dinâmica. Este trabalho teve como objetivo padronizar a técnica de ultrassonografia abdomjnal em modo B e doppler para sugerir valores de referência morfológicos e de velocidades de fluxo vascular em catetos e cutias. O abdome de 15 catetos e 15 cutias foi avaliado por ultrassonografia. Foi então caracterizado o padrão de ecogenicidade e ecotextura para a parede da vesícula urinparia, rins, baço, parede de estômago, pancreas, adrenais, figado e alças intestinais. As  velocidade de pico sistólico e diastólico de vasos abdominais, tais como a aorta foram mensurados e seus valores mostraram-se semelhantes aos observados para espécies doméssticas como o cão e o gato, e guardaram relaçoes de proximidade como o padrão vascular em humanos, tanto em catetos, quanto em cutias. Os fluxos renais e hepáticos foram mensurados considerndo ângulos de insonação menores que 20 graus, sendo determinadas suas velocidades de fluxo e índices de resistência vascular e pulsatilidade. A avaliação ultrassonográfica avançada nas espécies silvestres (catetos e cutias) permitiram descrever pela primeira vez os valores ultrassonográficos e hemodinâmicos de referência para estas espécies, agregando informações valiosas para a conservação desses animais, especilamente em cativeiro.

2015
Descrição
  • DEYSE NAIRA MASCARENHAS COSTA
  • Ação dos antioxidantes BHT e extrato de Mufumbo (Combretum leprosum) na criopreservação de sêmen equino

  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 10/11/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito da adição dos antioxidantes Butil hidroxi-tolueno (BHT) e extrato etanólico da casca do caule do Cumbretum leprosum (mufumbo) ao diluidor Botu-Crio® para congelação de sêmen equino. Foram utilizados quatro reprodutores da raça Quarto de Milha, com fertilidade comprovada por meio de histórico reprodutivo e exame andrológico, sendo os ejaculados obtidos pelo método de vagina artificial. Foram realizadas quatro colheitas por animal, totalizando 16 ejaculados. Os ejaculados foram avaliados segundo os critérios estabelecidos pelo Colégio Brasileiro de Reprodução Animal - CBRA e, em seguida, submetidos à diluição em BotuCrio® acrescido de antioxidante de acordo com os grupos experimentais, previamente estabelecidos: Experimento I: T1= Botu crio (controle); T2 = Botucrio+ extrato 30 mg; T3 = Botucrio+ extrato 60mg; T4 = Botucrio+ extrato 120 mg) e Experimento  II  T1=  Botucrio (controle); T2 = Botucrio + BHT 0,5 mM; T3 = Botucrio+ BHT 1,0 mM; T4 = Botucrio + BHT 2,0mM), obedecendo à concentração de 100 x 106 espermatozóides∕ ml. As amostras de sêmen foram acondicionadas em palhetas (0,5 ml), submetidas à curva de congelamento convencional, não automatizada. A curva utilizada seguiu o protocolo estabelecido por KNEIBEL (1993). Em seguida, as amostras foram armazenadas em botijão criobiológico (-196º C). Após duas semanas de armazenamento, as amostras foram descongeladas para avaliação da qualidade espermática segundo os parâmetros: motilidade e cinemática utilizando o sistema de Análise Computadorizado (CASA), membrana espermática e potencial de membrana mitocondrial usando a técnica de sondas fluorescentes, integridade de membrana pelo teste hiposmótico (HOST) e avaliação de motilidade e vigor pelo Teste de Termoressistência. As análises estatísticas foram realizadas utilizando-se o software estatístico SPSS (StatisticalPackageof Social and Science ) versão 20.0, obedecendo a um delineamento em blocos ao acaso, utilizando-se o teste da ANOVA para verificar a existências (ou não) de diferenças estatisticamente significativa dos tratamentos (concentrações) e posteriormente a realização do teste SNK (Student-Newman-Keuls), de comparação das médias a 5% de probabilidade de erro,para verificar quais tratamentos apresentavam diferença entre si. Adição de extrato etanólico de Combretum leprosum ao meio diluidor para a congelação de sêmen equino, na concentração de 120 mg promoveu a proteção das células espermáticas contra os danos oxidativos por um período de tempo maior quando comparado aos demais tratamentos.  A adição de butil hidroxi-tolueno (BHT), nas concentrações de 0,5 mM, 1,0 mM e 2,0 mM, preservou integridade e viabilidade dos espermatozoides criopreservados de garanhões. Há uma influencia notória das características seminais dos animais na ação do antioxidante.

     

     

  • POLLYANA OLIVEIRA DA SILVA
  • Tolerância fenotípica de fêmeas da raça Anglonubiana naturalmente infectadas por nematóides gastrintestinais

  • Orientador : JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
  • Data: 06/11/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na pesquisa utilizou-se, do Banco de dados informações de 45 fêmeas da raça Anglonubiana, mensuradas na gestação, lactação, periparto, na cabra vazia no período de seca e no chuvoso do ano, 2009 a 2015. Abordou-se a sensibilidade a essa infecção com o OPG como característica única. Ordenou-se as cabras em cada estágio fisiológico e calculou-se correlações de Pearson e de Spearman com o OPG tratado como características distintas em cada um. Reordenou-se pela soma dos ranks (Índice de Mulamba; Mock, 1978) e formou-se três grupos com 15 cabras. Submeteu-se os grupos a analise em parcela subdivida. Abordou-se tolerância ao parasita por análise multivariada. Os dois primeiros componentes principais em cada estágio fisiológico foram estimados com OPG mais cinco caracteristicas e utilizados para criar a característica “distancia no gráfico de cada cabra a uma testemunha ideal”. Com essa nova característica repetiu-se as análises feitas com o Log10(OPG +1). Constatou que o índice de rank com o OPG separa as cabras em grupos com perfil de resistência e de sensibilidade a infecção por endoparasitas, enquanto a análise por componentes principais com medidas reeidas, detecta expressão de tolerância a essa infecção. Na abordagem que avaliou-se a influência da infecção na taxa de gestação em estação de monta em 2012 e a importância da ordem que cada cabra pare dentro da estação, observou-se que o contraste fêmeas que “gestaram” vs “não gestaram” não diferiu estatisticamente (P>0,05). Em relação ao manejo reprodutivo, fêmeas com idade mais avançada tendem a parir nas primeiras semanas e crias que tendem apresentar melhor desenvolvimento ponderal.

  • LUCILENE DOS SANTOS SILVA
  • Imunopatologia da nefropatia em cães naturalmente infectados com Ehrlichia canis e co-infectados com E. canis  e  Leishmania  (Leishmania)  infantum  

  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 03/11/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A co-infecção entre Ehrlichia canis e Leishmania (Leishmania) infantum é comum em cães domésticos. Ambas afetam órgãos do sistema fagocítico mononuclear e podem levar ao comprometimento renal. A patologia renal na erliquiose monocítica canina (EMC) é pouco explorada, o que nos levou primeiramente a caracterizar as lesões histopatológicas nos rins de cães afetados pela E. canis. Posteriormente, estendemos nosso estudo para uma avaliação comparativa da resposta imunológica na lesão renal de cães com EMC, infectados com L. (L.) infantum e co-infectados. Para tanto, foram utilizados 12 cães infectados com L. (L.) infantum, 12 cães infectados com E. canis, 15 cães co-infectados com L. (L) infantum e E. canis e 6 cães sadios. Após avaliação clínica e confirmação do diagnóstico, os animais foram eutanasiados e fragmentos de rins foram obtidos para exame histopatológico (Hematoxilina-Eosina (H-E), Tricrômio de Masson, PAS, PAMS e Vermelho Congo), e para detecção de células CD4 e CD8, bem como de imunoglobulinas IgG, IgM e IgA por imunoistoquímica. Na análise histopatológica de rins de cães com EMC, as lesões foram observadas no glomérulo e na região túbulo-intersticial em 100% dos casos. A lesão glomerular era do tipo proliferativa mesangial em 83,33%, e membrano-proliferativa em 16,67% dos cães infectados com E. canis. A extensão dos glomérulos afetados variou entre focal, multifocal e difusa em intensidade média a moderada, em alguns casos havia depósito proteico no espaço de Bowman, bem como espessamento da cápsula de Bowman e da membrana basal dos capilares glomerulares. Nefrite intersticial estava presente na região cortical e cortico-medular em todos os cães infectados, com infiltrado inflamatório em intensidade mínima a moderadamente severa constituído por linfócitos, macrófagos e plasmócitos, localizado no interstício e nas regiões periglomerular e perivascular. Fibrose intersticial foi observada em 33,33% dos casos em intensidade mínima a moderadamente severa. Outros achados foram pielite ou pielonefrite na região medular, degeneração, necrose, atrofia, dilatação e presença de cilindros hialinos, particularmente, nos túbulos da região cortical. Vale acrescentar, que não foi observada amiloidose em nenhum dos cães com EMC. Na análise comparativa entre os cães com E. canis, cães com L. (L.) infantum e os co-infectados, as alterações histopatológicas nos rins de cães com EMC eram menos intensas em relação aos demais grupos de animais infectados. Nestes, a lesão glomerular predominante também foi do tipo proliferativa mesangial, sendo que se destacou em intensidade mais severa no grupo dos co-infectados. Da mesma forma, a fibrose e a nefrite intersticial estavam presentes em grau mais severo nos cães co-infectados. Na análise morfométrica do infiltrado inflamatório, o predomínio de plasmócitos e linfócitos foi significante nos cães infectados com E. canis em relação aos cães com leishmaniose visceral (LV). Nestes últimos, a contagem de macrófagos/histiócitos foi maior nos cães com LV em relação aos demais grupos. Na análise imunoistoquímica, as células T CD4+ e CD8+ estavam presentes nos glomérulos e no infiltrado inflamatório intersticial em todos os cães infectados, sendo que em maior número nos grupos dos cães com EMC em relação aos cães com LV. As imunoglobulinas IgG, IgM e IgA apresentaram um padrão de imunomarcação na região cortical, com destaque nos capilares glomerulares, bem como na região medular nos túbulos renais e no interstício. A deposição de IgG, IgM e IgA foi significante nos cães com LV tanto na região glomerular quanto medular quando comparados aos cães infectados com E. canis. Em conclusão, a glomerulonefrite proliferativa mesangial é a principal lesão renal em cães com EMC e as células T CD4+ parecem ter um papel na sua patogênese, semelhante aos cães com LV. O aumento de células T CD8+ bem como IgM e IgG parecem contribuir para a injuria renal na EMC. O padrão de lesão renal observada nos animais co-infectados sugere que a infecção por L. (L.) infantum seja a principal responsável pelo comprometimento renal mais severo nos casos de co-infecção.

  • LEOPOLDINA ALMEIDA GOMES
  • Efeito da somatrotopina bovina recombinante (rbST) nas características seminais de ovinos Santa Inês

  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 15/09/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A somatotropina bovina recombinante (rbST) é um hormônio que age sobre o metabolismo animal e na qualidade seminal, aumentando a proliferação celular a nível testicular e consequentemente maior produção espermática, com reflexos no desenvolvimento reprodutivo do macho. Diante da escassez de dados minuciosos sobre o mecanismo de ação deste hormônio nos ovinos, o presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito do bST na qualidade espermática do sêmen criopreservado de carneiros Santa Inês. Utilizando 18 animais, com idade entre 22 a 36 meses, divididos em três grupos: controle (TI/n=6) recebendo solução fisiológica NaCl 0,9% e os tratamentos (TII/n=6) 100mg/bST e o (TIII/n=6) 125mg/bST (BOOSTIN® Intervet Schering Plough), via SC a cada 14 dias (D0, 14, 28, 42, 56, 70) realizando a biometria escrototesticular (PE, consistência, volume, comprimento e largura testiculares) e coletas de sêmen, por vagina artificial, avaliados quanto ao volume, motilidade (0-100%), vigor (0-5), turbilhonamento (0-5), morfologia e concentração espermática (CBRA, 2013). As amostras de sêmen diluídas em Tris-Gema, envasadas em palhetas de 0,25mL, congeladas (TK3000) e armazenadas em botijões criogênicos a (-196°C). Após descongelação (37°C/30 segundos) foram avaliadas quanto à cinética espermática pelo TTR e CASA e quanto à ultraestrutura foi realizado o teste FLUOR para avaliação da integridade do acrossomo (sonda fluorescente FITC-PNA), membrana plasmática (associação de Diacetato de Carboxifluoresceína e Iodeto de Propídio) e potencial mitocondrial (sonda JC-1). O delineamento experimental foi o DIC, utilizando o MIXED do SAS. As médias estimadas por quadrados mínimos das variáveis estudadas, comparadas pelo teste t e de Tukey-Kramer em níveis de 5% de probabilidade. Não houve diferenças significativas entre os grupos, na pré-congelação, quanto às características seminais nem melhoria quanto à biometria escrototesticular, apresentando níveis adequados ao padrões da espécie. Entretanto, verificou-se que a concentração espermática apresentou melhores resultados nos dias D0, 28 e 70 para o TII, e com destaque no D70 para o TIII quando comparado aos outros grupos. No sêmen pós-criopreservação verificou-se que não houve diferenças significativas (p>0,05) pelo CASA quanto aos parâmetros MT, MP, VCL,VSL, VAP, LIN, STR, WOB, ALH, BCF entre os grupos analisados. Observou-se que a MT no D14, 56 e 70 foi maior que 60% apresentando dentro dos índices de normalidade para a espécie ovina diante dos outros parâmetros analisados. No TTR a MP dos grupos no tempo 0, 60, 120 e 180 do sêmen descongelado a 37°C, não demonstrou diferença significativa. O vigor foi inferior no TI quando comparado ao TII e TIII aos 60 e 120 minutos. Porém, TIII apresentou resultados melhores, aos 120 minutos (p<0,05). O uso de 100 e 125mg de bST não apresentou melhorias nas características seminais pós-criopreservação. Entretanto, a aplicação de 125mg de bST na pré-congelação apresentou aumento da concentração espermática do sêmen de carneiros Santa Inês.

  • CALIANDRA BONA NASCIMENTO
  • Leucose Enzootica Bovina em Curraleiro Pé Duro: ocorrência e sequenciamento do gene env

  • Orientador : MARIA DO CARMO DE SOUZA BATISTA
  • Data: 04/09/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Leucose Enzoótica dos Bovinos (LEB) é uma enfermidade infectocontagiosa, caracterizada pelo desenvolvimento de linfossarcomas em sua evolução, invariavelmente resultando na morte do animal sendo considerada uma enfermidade de grande potencial de infecciosidade, especialmente entre bovinos produtores de leite. Levando-se em consideração a resistência parasitológica do gado Curraleiro Pé-Duro (CPD) e a presença de inúmeras doenças nos rebanhos bovinos brasileiros, objetivou-se determinar a presença do vírus da LEB em bovinos CPD. Foram colhidas amostras de sangue de 200 animais e realizado a PCR. Foram obtidas 14 (7,3%) amostras amplificadas com vírus da LEB. Verificou-se um maior índice de positividade em bovinos acima de 12 meses (p<0,05). As fêmeas (7,3%) obtiveram a mesma prevalência que os machos (7,7%) (p<0,01). Dentre as amostras amplificadas, apenas 2 (1%) animais positivos mostraram leucocitose, e não apresentam quaisquer sintoma da doença, o que indicar algum tipo de resistência.  

  • JOSE BISPO DE SOUSA NETO
  • Síndrome de ansiedade de separação animal na população canina de Teresina- PI

  • Orientador : ANA MARIA QUESSADA
  • Data: 28/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • A Síndrome de Ansiedade de Separação Animal (SASA) no cão é uma alteração comportamental bastante comum na atualidade, decorrente do novo estilo de vida e de modificações sociais. Os sinais, que compõem a síndrome, são: vocalização excessiva, destruição de objetos, micção e defecação fora do lugar determinado. Também pode incluir vômitos e depressão, além de comportamentos compulsivos. Este estudo objetivou identificar animais portadores da síndrome e seus sinais e avaliar o conhecimento dos tutores sobre os distúrbios comportamentais nos animais. A pesquisa foi realizada por meio de questionários, sendo que, de 131 questionários, detectou-se 43,51% (57) de animais positivos para SASA. Os principais sinais observados foram vocalização excessiva com 66,66% (38/57); comportamento destrutivo 57,89% (33/57) e sinais de depressão na ausência do tutor com 35,08% (20/57). 85,97% (49/57) dos tutores de animais positivos para SASA afirmaram nunca terem procurado veterinário para tratar problemas comportamentais e 29,82% (17/57) dos tutores de animais positivos para SASA possuíam conhecimento sobre a existência da síndrome. Concluiu-se que a SASA é comum em cães entre a clientela avaliada. Devido ao desconhecimento dos tutores sobre distúrbios comportamentais sugere-se que os médicos veterinários abordem o assunto com mais frequência, inclusive enfatizando suas consequências e a necessidade de tratamento.

  • WELLSON ANDRADE DE OLIVEIRA
  • DETECÇÃO DE LESÃO RENAL EM CÃES POR MEIO DA DOSAGEM DA ENZIMA GAMA-GLUTAMILTRANSFERASE NA URINA

  • Data: 28/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os rins são órgãos responsáveis pela homeostase orgânica e, ao mesmo tempo são susceptíveis às lesões provocadas por agentes tóxicos ou isquêmicos. Como os exames utilizados na rotina, para avaliação das funções renais, são considerados marcadores tardios, a introdução de biomarcadores mais sensíveis que a ureia e creatinina pode favorecer o diagnóstico de lesão renal. Objetivou-se avaliar a eficiência da enzima Gama-Glutamiltransferase urinária e da relação Gama-Glutamiltransferase urinária/Creatinina urinária (GGTu/Cu) para detecção da lesão renal precoce em cães, frente à dosagem sérica de ureia e creatinina. Foram utilizados dois grupos: um com lesão renal (23 animais) e outro sem lesão renal (27 animais), ambos com níveis séricos de ureia e creatinina normais, dos quais foram coletados sangue, urina e tecido renal. A lesão renal foi confirmada por exame histopatológico do rim. Os valores da GGT urinária e da relação (GGTu/Cu) dos animais com lesão renal variaram de 98,3 – 678,6 (181,9 ± 147,7) e 0,23 – 4,29 (1,21 ± 0,98), e dos animais sem lesão renal variaram de 11,0 – 90,1 (57,2 ± 19,0) e 0,07 – 1,39 (0,41 ± 0,28), respectivamente. Houve diferença significativa entre os grupos tanto para a GGT urinária quanto para a relação (GGTu/Cu). Os achados evidenciaram que tanto a GGT urinária quanto a relação (GGTu/Cu) foram eficientes para a detecção de lesão renal precoce em cães.


  • DAYANNE ANUNCIACAO SILVA DANTAS LIMA
  • Cetamina transdérmica em cães

  • Orientador : ANA MARIA QUESSADA
  • Data: 27/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Em virtude das consequências perniciosas do estresse, recomenda-se a administração de analgésicos a todos os animais submetidos a procedimentos cirúrgicos para o alívio da dor pós-operatória. Objetivou-se avaliar o potencial analgésico da cetamina S+ via transdérmica em doses subanestésicas, em cadelas submetidas à ovariohisterectomia eletiva, bem como a ocorrência de efeitos adversos nesses animais. O experimento in vivo foi realizado no Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas, Bom Jesus. Foram utilizadas 18 cadelas adultas e divididas em três grupos (GCT3 – cetamina S+ 3 mg/kg;GCT5 – cetamina S+ 5 mg/kg; GCMT – meloxicam e tramadol). Foram avaliados parâmetros fisiológicos, metabólicos, eletrocardiográficos e avaliação comportamental com a utilização da Escala de Dor de Glasgow modificada. Todos estes parâmetros foram aferidos em momentos pré determinados. Foi realizado resgate analgésico em dois animais do GCMT e, como efeito adverso, foi observado vômito e sedação moderada no GCT5. Não houve diferenças significativas entre os grupos avaliados, utilizando-se a escala de dor de Glasgow modificada. Conclui-se que a cetamina S+ foi efetiva no controle da dor em procedimentos cirúrgicos de ovariohisterectomia em cadelas pela via transdérmica, sem promover alterações clinicamente importantes nos parâmetros fisiológicos, metabólicos, eletrocardiográficos e comportamentais desses animais.

     

  • FRANCISCO DAS CHAGAS ARAUJO SOUSA
  • Avaliação por Doppler ultrassonografia de vasos maternos-fetais e organogênese gestacional  de cutias hígidas (Dasyprocta prymnolopha, Wagler 1831) mantidas em cativeiro

  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 19/08/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A técnica de Doppler ultrassonografia consolidou-se como uma ferramenta útil e não-invasiva utilizada na rotina clínica de avaliação da gestação em humanos. Tal técnica mostrou-se capaz de identificar diversas, diversas condições fisiopatológicas, desde a primeira fase da gestação, pelo estudo do fluxo sanguíneo na circulação útero-placentária e feto-placentária. o objetivo principal do trabalho atual será avaliar as características hemodinâmicas dos vasos útero-placentários arteriais, para o cordão umbilical, aorta e veia cava caudal de fetos para estabelecer sua referência normal intervalos de velocidade de pico sistólico (VPS), velocidade diastólica final (VDF), índice de pulsatilidade (IP) e índice de resistência (IR), em cutias durante a gestação. Foi realizada a ultrassonografia gestacional de cutia (Dasyprocta prymnolopha, Wagler 1831) utlizando-se as modalidades doppler colorido e espectral para avaliação da atividade fetal, relação materno-fetal (cordão-umbilical). Nossos achados evidenciaram o desenvolvimento progressivo da vascularização placentaaria e de subplacenta, com fluxos inicialmente com picos sistólicos, mas de posterior evolução para picos diastólicos vasculares. A colaboração da placenta e subplacenta na manutenção da gestação mostrou-se evidente, uma vez verificada a angiogenese intensa desses orgãos. Aliado a isso, a organogênese fetal demonstrou a presença de fluxos vasculares ns orgãos alvo inspecionados tais como figado, baço e rim, demonstrando aporte sanguíneo já com sua estrutura fundamental completamente desenvolvida e semelhante ao do indivíduo adulto. Os achados evidenciados constituem-se ferramentas de grande valor na monitoração da espécie estudada, gerabdo subsídios de manejo reprodutivo e gestacional para as cutias. 

  • FRANCISCO DAS CHAGAS CARDOSO FILHO
  • MONITORAMENTO DE FUNGOS TOXIGÊNICOS EM DERIVADOS DE MILHO (Zea mays L.) E ARROZ (Oryza sativa L.) E AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DA PRODUÇÃO DE MICOTOXINAS POR ISOLADOS

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 14/08/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  
    O consumo de cereais faz parte da cultura alimentar brasileira. O armazenamento de grãos em
    condições inadequadas favorece o crescimento de
    micro-organismos. A pesquisa foi realizada
    para determinar a presença de coliformes,
    Salmonella, Bacillus cereus, fungos e contaminação
     por micotoxinas em 40 produtos
    a base de arroz, identificar a presença de fungos do gênero
    Fusarium
    e avaliar quanto à contaminação por fumonisina em um produto a base de milho,
    destinados ao consumo humano. Foram utilizadas 30 amostras de farinha de milho a partir de seis
    diferentes marcas vendidas em supermercados. A coleta foi realizada entre janeiro e março de 2011.
    A avaliação micológica foi realizada imediatamente, e em seguida foram armazenadas a – 4 ºC,
    alíquotas, para posteriormente serem feitas as análises de micotoxinas. Em relação às normas
    microbiológicas os resultados estavam dentro do padrão estabelecido. Várias espécies de
    fungos, especialmente
    Aspergillus flavus e Penicillium citrinum, foram isolados, mas as cepas
    não foram capazes de produzir aflatoxinas e citrinina, respectivamente. Foram isoladas 34
    isolados de Fusarium Verticilloides dos derivados de milho. Esses isolados possuem
    capacidade de produzirem fumonisinas B1, B2 e B3, com valores que variaram de 48,2 µg/g
    para 1190,1 µg/g de fumonisina B1, 6,7 µg/g para 311,5 µg/g de fumonisina B2 e 23 µg/g para
    667 µg/g de Fumonisina B3. As concentrações de fumonisinas por isolados variaram de
    84,3 µg/g a 2168,6 µg/g. Todas as amostras analisadas apresentaram fumonisinas, com valores
     que variaram de 0,10 µg/g a 2,13 µg/g. As amostras de derivados de arroz tinham condições
     higiênico-sanitárias satisfatórias, e livre de micotoxinas
    e que em relação ao derivado de milho
    pode-se concluir que a
    população esta exposta a diferentes níveis de fumonisinas.
  • ANDRESSA REGO DA ROCHA
  • Roedor silvestre como fonte de células-tronco: caracterização e multipotencialidade de células mesenquimais  estromais e adiposas de cutias (Dasyprocta prymnolopha)

  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 07/08/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A utilização da terapia celular representa uma alternativa para o tratamento de diversas doenças degenerativas e crônicas sem resposta aos tratamentos convencionais ou com efeitos limitados aos mesmos. As células-tronco somáticas exibem relevante potencial clonogênico, fácil interação com biomateriais e capacidade de originar tecidos mesodermais e não mesodermais, sem implicações éticas e com mínimos riscos ao paciente. Considerando a busca constante por modelos biológicos que mimetizem a fisiologia e as doenças que acometem humanos, a introdução de novos modelos animais é promissora para a pesquisa médica aplicada. Dentre as qualidades que se destacam em um modelo animal, são relevantes o fácil manejo, alta prolificidade, longevidade e resistência a múltiplos procedimentos. As cutias (Dasyprocta sp.) são animais rústicos, que além dessas características, possuem maior porte que os roedores utilizados em laboratório, e têm sido estudados em seus aspectos morfofisiológicos e como modelo experimental em ensaio pré-clínico. Este estudo teve como objetivo caracterizar células-tronco mesenquimais (CTM) da medula óssea e do tecido adiposo de cutias, visando a utilização de células multipotentes deste roedor silvestre em futuras terapias celulares e pesquisas na área da medicina regenerativa.Foram utilizados nove animais criados no Núcleo de Estudos e Preservação de Animais Silvestres (NEPAS) da Universidade Federal do Piauí – UFPI.As cutias foram anestesiadas para coleta da medula óssea do fêmur e do tecido adiposo subcutâneo da região cervical dorsal. O isolamento das células-tronco mesenquimais da medula óssea (CTMMO) e do tecido adiposo (CTMTA) foi realizadoem cultura celular a partir da fração mononuclear obtida pela separação por gradiente de densidade com Ficoll-Paque, e de fragmentos teciduais resultantes da dissociação física e química com colagenase, respectivamente. Após a expansão dos dois tipos celulares, foram realizados procedimentos de estudo in vitro: Ensaio de Unidade Formadora de Colônia Fibroblastóide; curva de crescimento celular; diferenciação nas linhagens adipogênica, osteogênica e condrogênica; imunofenotipagem pela análise da expressão dos marcadores CD45 e CD90 por citometria de fluxo, acrescido o CD14 para CTMMO; e marcação com nanocristais por diferentes passagens do cultivo. Os resultados demonstraram que as CTM das duas fontes são plástico aderentes, apresentam morfologia fibroblastóide e organizam-se em colônias mesmo quando uma baixa densidade celular inicial é semeada. Foram observadas três fases na curva de crescimento de CTMMO e CTMTA, relacionadas à fase de adaptação, proliferação exponencial e estabilidade da cinética celular.  Quando induzidas à diferenciação adipogênica, osteogênica e condrogênica, demonstraram características morfológicas especializadas de cada linhagem celular, alterações semelhantes foram visualizadas em CTMMO que foram criopreservadas quando induzidas à diferenciação adipogênica e osteogênica. A análise imunofenotípica revelou que CTMMO e CTMTA não expressaram marcação de células hematopoéticas e que expressam o CD90 em diferentes níveis. Além disso, estas células incorporam nanocristais fluorescentes e podem ser identificadas através desta marcação por várias gerações celulares. Portanto, as células-tronco mesenquimais destes dois sítios apresentam elevada auto renovação, com as CTMTA apresentando maior atividade proliferativa. A capacidade para diferenciação em três linhagens diferentes confirma a multipotencialidade destas células, que expressam marcação comum às células-tronco mesenquimais obtidas de outras fontes e animais. Ademais, a possibilidade de conservação por criopreservação e identificação por nanocristais fluorescentes favorecem sua futura aplicação em terapia celular. 

  • LÍLIA RAQUEL FÉ DA SILVA
  • Manutenção e estabilidade do inóculo ruminal cultivado in vitro a partir do conteúdo ruminal de ovinos para avaliação de alimentos usando a técnica de produção de gases

  • Orientador : VANIA RODRIGUES VASCONCELOS
  • Data: 17/07/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com esse estudo avaliar a manutenção e a estabilidade do inóculo cultivado no laboratório (inóculo amplificado in vitro) em três tempos de incubação (24, 48 e 72 horas) e o seu efeito sobre à fermentação ruminal, degradabilidade, produção de metano (CH4) e contagem de bactérias e protozoários utilizando-se um sistema semiautomático de produção de gás (GP) por 24h. Utilizou-se como doadores de inóculo ruminal quatro ovinos adultos Santa Inês providos de cânulas ruminais adaptados para uma dieta constituída de 40% de feno de tifton e 60% de concentrado. Como substrato para o preparo do inóculo amplificado in vitro e para a produção de gases foi utilizado dietas formuladas com vagens de faveira (Parkia platycephala Benth) em substituição ao grão de milho com 0, 25, 50, 75 e 100%. O inóculo amplificado in vitro foi preparado com 300 mL da fração ruminal dos ovinos fistulados + 600 mL de solução nutritiva com adição de CO2 e colocado na incubadora in vitro a 39 °C por 72 horas. Após o preparo do inóculo adaptado in vitro realizou-se ensaio de produção de gases por 24 h. Avaliou-se a degradabilidade e as características de fermentação ruminal (produção de gás (PG) produção de metano (CH4), N-NH3, ácidos graxos (AGCC), e contagem de bactérias e protozoários) nos ensaio de produção de gases. Utilizou-se o delineamento em blocos completos ao acaso (animais) utilizando modelos mistos, sendo os tratamentos (dietas) considerados efeito fixos e o resíduo (inóculo) efeito aleatório, adotando-se o procedimento MIXED do SAS. Quando significativas, as médias dos tratamentos foram comparadas pela diferença mínima significativa de Fisher , adotando-se o procedimento LSMEANS do SAS, ao nível de probabilidade P ≤ 0.05. A amplificação dos inóculos sofreu efeito na população de microrganismos. O pH dos inóculos amplificados diferiram  no tempo de incubação com melhor resultado para o inóculo 24 horas. Para a concentração de AGCC, houve maior produção de acetado no tempo de 72h. Considerando os três tempos de incubação (24, 48 e 72 horas) o acetato, propionato e o butirato tiveram um aumento a partir das 48 horas de incubação. Para a produção de gás, as dietas contendo 75 e 100% de vagem de faveira apresentaram maior PG (mL/g MS). A produção de CH4 (mL por g MS) foi maior para as dietas 25, 75 e 100%. A dieta 25 e 50% resultaram em maiores valores para o fator de partição, porém não houve efeito para a MOVD entre as dietas. O uso dos inóculos amplificados e o in vivo influenciaram na produção de gás com o inóculo in vivo apresentando os melhores valores para a produção de gás e a produção de CH4, porém com o valor inferior do fator de partição comparado aos dos inóculos amplificados 25 e 75. Não houve diferença entre as dietas para os parâmetros de fermentação ruminal, exceto o pH que teve o menor resultado para dieta 100%. O inóculo amplificado apesar de apresentar algumas características fermentativas ele não proporciona a mesma eficiência de fermentação pela técnica de produção de gases , comparado ao inóculo de líquido de rúmen.

  • GEORGIA BRENDA BARROS ALVES
  • Moléculas patogênicas na nefropatia da Leishmaniose Visceral Canina

  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 30/06/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As nefropatias associadas à Leishmaniose Visceral (LV) são muito frequentes. Os cães apresentam lesões semelhantes a humanos, por isso têm sido considerados bons modelos para o estudo da patogenia das nefropatias na LV. Em cães infectados, a lesão glomerular leva a insuficiência renal, a principal causa de morte em Leishmaniose Visceral Canina (LVC). A deposição de imunocomplexos tem sido incriminada como o único mecanismo envolvido. O estudo de marcadores de lesão glomerular é de singular importância para melhor compreender a patogênese das glomerulopatias na LVC. Objetivou-se com este trabalho, estudar os possíveis marcadores de lesão glomerular em cães naturalmente infectados por Leishmania (Leishmania) infantum chagasi. Foram elaborados dois artigos a serem enviados para publicação: uma revisão de literatura, e um ensaio envolvendo marcadores de lesão glomerular em LVC. A literatura foi revisada em artigos publicados nos últimos 14 anos sobre o tema. Para a realização do ensaio, treze cães sintomáticos fizeram parte do estudo. Após a necrópsia, fragmentos de tecido renal foram coletados e conservados em formol tamponado (pH=7,4) para exame histopatológico e imunoistoquímico, e em RNA-holder para biologia molecular. Foram realizadas as seguintes análises: análise de ureia e creatinina no soro; histopatologia (H-E, Masson, PAS e PAMS); imunoistoquímica (antígeno de Leishmania sp., imunoglobulinas IgG, IgM, IgA e Colágeno tipo IV); e Real Time-PCR para análise da expressão de Colágeno tipo IV, MCP-1 e PDGF-B. Os cães infectados apresentaram valores de ureia e creatinina significativamente maiores em relação ao grupo controle. A celularidade glomerular, imunomarcação de IgA na região periglomerular e marcação de Colágeno tipo IV glomerular foram significativamente maiores em animais infectados em relação aos cães controles. O número de células T CD4+ parece ser maior em glomérulos de cães infectados em relação aos controles. A técnica de PCR em Tempo Real mostrou uma significativa expressão de mRNA de Colágeno tipo IV, MCP-1 e PDGF-B em região cortical de cães naturalmente infectados por Leishmania (Leishmania) infantum chagasi. Conclui-se que em cães naturalmente infectados há participação de outros mecanismos nas glomerulopatias. Células T CD4+, deposição de Colágeno tipo IV, MCP-1 e PDGF-B parecem participar dos mecanismos de lesão glomerular em cães naturalmente infectados.

  • JAMYLLA MIRCK GUERRA DE OLIVEIRA
  • Efeitos do extrato etanólico das folhas de Myracrodruon urundeuva Allem. sobre parâmetros comportamentais de camundongos e ciclo estral de ratas Wistar


  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 16/06/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Resumo: Com o crescimento demográfico e conseqüente redução do poder aquisitivo de grande parcela da população mundial, métodos alternativos e complementares de saúde se fazem cada vez mais necessários. A fitoterapia, abrangendo o uso popular e empírico de plantas medicinais no combate e prevenção de doenças, deve ser aliada a estudos científicos que comprovem a eficácia e segurança desses compostos. No Brasil, a ampla biodiversidade vegetal da região nordeste favorece o uso e estudo de plantas com potenciais terapêuticos. A Myracrodruon urundeuva Allem. (aroeira do sertão) é uma espécie pertencente à família Anacardiaceae, própria das matas secas das encostas e da caatinga, comum no semiárido, desde o Piauí até Minas Gerais. Seu uso é diverso e disseminado por todo o País, sendo indispensáveis estudos de suas potencialidades e riscos. Nesse intuito, o presente trabalho teve como objetivo desenvolver ensaios de propriedades ansiolíticas in vivo em modelos experimentais de atividade locomotora (teste campo do aberto) e ansiedade (labirinto em cruz elevado e teste do claro-escuro) do extrato etanólico das folhas de Myracrodruon urundeuva (EEMU) em camundongos, bem como seus efeitos no ciclo estral e toxicidade subaguda de ratas Wistar. Na avaliação comportamental, os camundongos receberam EEMU via oral (v.o.) nas doses de 100, 200 e 400 mg/kg, o grupo controle negativo recebeu salina (10 mL/kg v.o.) e ao grupo controle positivo foi administrado diazepam (2mg/kg) (i.p., padrão ansiolítico). No protocolo de toxicidade subaguda foram utilizadas 35 ratas Wistar, divididas em 5 grupos (n=7), tratadas com diferentes doses do EEMU (125, 250, 500 e 1000 mg/kg) e água destilada (controle) por um período de 28 dias. Nesse período foram realizadas mensurações do consumo de água e ração e avaliação comportamental. Esses animais foram avaliados diariamente quanto a fase do ciclo estral, por meio de esfregaço vaginal a fresco, sendo avaliado a frequência de cada fase bem como o intervalo inter-estro. As ratas foram anestesiadas para a coleta de sangue e, em seguida, eutanasiadas para coleta e avaliação dos órgãos internos. Na avaliação comportamental, o tratamento com EEMU diminuíu o número de cruzamentos e de rearings no teste do campo aberto, e aumentou o tempo de permanência no braço aberto e no compartimento claro nos testes de labirinto em cruz elevado e claro-escuro, respectivamente. Quanto ao protocolo de toxicidade subaguda, não foram observadas alterações comportamentais significativas, tampouco alterações no ganho de peso e consumo de água e ração dos animais. Não houve diferença estatística entre os grupos quanto a frequência das fases do ciclo estral, duração do estro e intervalo interestro, o que demonstra ausência de toxicidade do extrato nos parâmetros reprodutivos avaliados. Assim, os resultados obtidos neste estudo indicam potencial ansiolítico do EEMU e não apontam alterações tóxicas significativas, sistêmicas ou sobre o ciclo estral, de ratas Wistar tratadas com o extrato, nas doses avaliadas, por um período de 28 dias. Todavia mais estudos devem ser realizados a fim de melhor elucidar a eficácia e segurança desse extrato.

    Palavras - chave: Aroeira; ansiedade; estro; toxicidade; reprodução; fitoterápico.

     

     

  • GISLLYANA MEDEIROS AZEVEDO
  • VETERBRAL HEART SCALE (VHS) E ÍNDICE CARDIOTORÁCICO (ICT): EXISTE RELAÇÃO COM A FRAÇÃO E EJEÇÃO E DE ENCURTAMENTO EM CÃES POODLE COM FUNÇÃO CARDÍACA PRESERVADA? 

  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 08/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • A cardiologia Veterinária difunde-se a cada dia em busca de métodos diagnósticos para a identificação precoce de enfermidades cardíacas em animais de companhia. Buscamos estudar 40 cães hígidos da raça poodle (20 machos e 20 fêmeas) para a avaliação do VHS e do ICT, comparando-os aos valores da fração de ejeção (FE) e encurtamento (FS) mensurados pela ecocardiografia. A média do VHS e ICT nos machos foi de 9,83±0,85v e 0,48±0,05, respectivamente. As fêmeas demonstraram valores de 9,65±0,65v e 0,50±0,03, respectivamente (p>0,05).  A média do VHS e ICT, considerando machos e fêmeas foi de 9,72±0,73v e 0,48±0,04, respectivamente. O VHS e peso mostraram correlação positiva (r=0,96), assim como o ICT e o peso (r=0,94). O VHS e a idade mostraram correlação elevada (r=0,96) e de igual modo ICT e a idade (r=0,93).  O VHS e o ICT demostraram alta correlação (r=0,96).  A FE e FS evidenciaram valores médios de 67,68±8,28% (57-78) e 39,74±2,75% (35-44), respectivamente. Os valores de VHS, comparados ao FE e FS verificaram correlação positiva (r=0,95 e r=0,96), respectivamente. O ICT em relação a FE e FS demonstrou correlação positiva (r=0,93 e (r=0,97), nesta ordem. A alta correlação encontrada entre o VHS e o ICT sugeriu precisão clínica semelhante entre os dois métodos. A correlação elevada tanto do VHS, quanto do ICT com a FE e FS, sugere que os valores destas duas variáveis podem auxiliar na estimativa da fração de ejeção e encurtamento para a raça estudada.

     

  • PEDRO EDUARDO BITENCOURT GOMES
  • ZINCO E VITAMINA E EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE EM ESTRESSE POR CALOR CÍCLICO NA FASE 22 A 42 DIAS DE IDADE

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 08/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o uso do zinco e da vitamina E em dietas para frangos de corte, no período de 22 a 42 dias de idade, sobre o desempenho, rendimento de carcaça, parâmetros bioquímicos e peso dos órgãos linfoides e os metabolicamente ativos. Foram alojadas 720 aves com 22 dias de idade, distribuídas em delineamento em blocos ao acaso, em função da disposição dos galpões, em esquema fatorial 2x3, sendo dois níveis de zinco, na forma orgânica (0,0 e 120 mg/kg) associados a três níveis de vitamina E, na forma de acetato de DL-α-tocoferol (0,0; 300 e 600 mg/kg). No período de 22 a 33 dias, a suplementação com 600mg/kg de vitamina E proporciona melhor ganho de peso, índice de eficiência produtiva e conversão alimentar, sem interferir no consumo de ração e na viabilidade criatória, enquanto para o período de 22 a 42 dias, o nível de 312,5 mg de vitamina E/kg propicia melhor viabilidade criatória, sem interferir no rendimento de carcaça e dos principais cortes. Entre os parâmetros bioquímicos avaliados e os linfoides e metabolicamente ativos, apenas a concentração de colesterol e o peso do coração são influenciados pelos níveis de vitamina E. O nível suplementar de 120 mg zinco/kg, dentre todos os parâmetros estudados influencia na redução dos níveis de glicose.

  • MAURILIO SOUZA DOS SANTOS
  • Caracteristicas da pastagem e desempenho de ovinos em sistema silvipastoril formado por cajueiro, capim-massai e estilosantes

  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 13/04/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este estudo avaliar características da pastagem, comportamento ingestivo, consumo e o valor nutritivo da dieta de cordeiros em diferentes modelos de cultivo: monocultivo de capim-massai, sistemas silvipastoris: cajueiro e capim-massai e, cajueiro, capim-massai e estilosantes Campo Grande. Também se avaliou a produtividade de castanha. As pastagens foram manejadas com ovinos sob lotação rotacionada, o período de pastejo foi três dias e o de descanso, vinte e sete dias. Os tratamentos foram distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado, em esquema de parcela subdivida no tempo com três ciclos de pastejo. A massa de forragem e as características estruturais do pasto foram estimadas em quatro piquetes de pastejo em cada ciclo pela coleta de amostras de forragem a 20 cm do solo, e o valor nutritivo pela coleta de amostras simulando o pastejo dos animais para determinação do teor de PB, NDT e DIVMS e DIVMO. Para avaliação do desempenho, forram realizadas pesagens dos animais a cada 15 dias, após jejum prévio de 12 horas. O comportamento ingestivo dos cordeiros foi avaliado no segundo dia de pastejo, nos mesmos piquetes onde se avaliou a massa de forragem. Para avaliação da produção de forragem, características estruturais e do valor nutritivo da pastagem foram utilizadas quatro repetições e para avaliação do comportamento ingestivo e consumo de forragem, seis repetições (animais-testes). As médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5%. A produção de castanha de caju foi 1052 kg/ha. A massa de forragem total e a dos componentes morfológicos pastejados preferencialmente pelos animais  não diferiu entre os sistemas, entretanto a massa de lâminas foliares foi maior no monocultivo. A estrutura da pastagem também foi influenciada pelo sistema com o monocultivo, neste o capim tinha menor altura e maior densidade. Quanto ao valor nutritivo, o teor de PB foi superior nas pastagens  sombreadas, ao passo que a DIVMS e DIVMO não diferiu entre estas e a cultivada a pleno sol. O estilosantes apresentou maior teor de PB do que o capim em todos os sistemas de cultivo. Apesar de permitir maior taxa de lotação, a utilização do monocultivo resultou em menor ganho de peso individual e por área comparativamente aos sistemas silvipastoris; os animais mantidos nestes sistemas passam mais tempo em atividade de pastejo do que os animais mantidos na monocultura, em função de características estruturais da pastagem e pelo conforto térmico proporcionado pelos cajueiros, uma vez que a diferença entre os sistemas fica mais evidente nos horários mais quentes do dia. O consumo de forragem foi maior no silvipastoril com pastagem consorciada  em relação a monocultura. O emprego de sistemas silvipastoril com cajueiro promove modificações estruturais no pasto que afetam o comportamento ingestivo, e por favorecer o conforto térmico animal estimula a ingestão de forragem. O sistema de produção integrada, associando ovinos, capim e cajueiro é uma alternativa viável tecnicamente para otimização do uso da terra, pois não acarreta prejuízos a produção de castanha e da pastagem, além de melhor o valor nutritivo da forragem e o desempenho animal em comparação com o monocultivo. 

  • YANEZ ANDRE GOMES SANTANA
  • Efeito de enzimas fibrolíticas sobre a degradação ruminal in situ e in vitro de alimentos fibrosos

     

  • Orientador : VANIA RODRIGUES VASCONCELOS
  • Data: 13/04/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se investigar o efeito da xilanase e β-glucanase sobre a degradação in situ de seis alimentos fibrosos.

  • LIGIA CALINA ROCHA PIRES FERREIRA
  • BACTERIOLOGIA E HISTOPATOLOGIA EM TILAPIAS DO NILO (Oreochromis niloticus) CULTIVADAS EM ÁGUA DE REÚSO

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 24/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se verificar a interferência do ambiente de cultivo na qualidade bacteriológica do filé de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) cultivadas com 20% de água de reúso de esgoto doméstico tratado. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal/UFPI, sob n° 063/14. Para o experimento foram coletados 54 peixes, submetidos aos tratamentos sem utilização de reúso de água (T1) e com 20% de água do reúso de esgoto doméstico tratado alimentados com ração comercial, em quantidade de 7,5% da biomassa (T2) e 5,0% da biomassa (T3). Foi avaliada a qualidade bacteriológica a água de cultivo e do filé do pescado com base nos parâmetros bacteriológicos para classe 2 (Brasil, 2005b) e para pescado (Brasil, 2001). A análise estatística das amostras foi expressa com média±desvio padrão, transformados em números logarítmicos de base 10 (log10(x+1)) e a análise de variância pelo método não paramétrico de Kruskall-Wallis, a 5% de probabilidade, comparados pelo teste de Tukey, também a 5%, utilizando o pacote estatístico Sigma Statfor Windows, versão 3.5. Com base nos resultados obtidos, os três tratamentos apresentaram coliformes e E. coli na água de cultivo em quantidades que atendem as exigências para classe 2, sendo os  valores de E. coli maiores nos tratamentos II e III que receberam 20% água de reúso de esgoto tratado. As amostras de filé de peixes nos três tratamentos apresentaram níveis de contaminação para Staphylococcus coagulase positiva, Salmonella spp, coliformes totais e Escherichia coli. dentro dos padrões estabelecidos pela legislação brasileira (Brasil, 2001). O maior valor numérico de bactérias heterotróficas observado nas amostras de filé foi 4,39 UFC/g em log 10 em todos os tratamentos e a contagem independentemente do tipo de tratamento utilizado. Ao final temos que tilápias cultivadas em ambientes que utilizem até 20% de água de reúso mantêm qualidade bacteriológica satisfatória para consumo humano.

  • HÉBELYS IBIAPINA DA TRINDADE
  •   Luehea divaricata Martius& Zucarini: Estudo farmacológico da sua atividade antinocicepiva em modelo de nocicepção química e térmica.

  • Orientador : MARIA DO CARMO DE SOUZA BATISTA
  • Data: 24/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Luehea divaricata Martius & Zucarini é uma planta usada na medicina popular brasileira com finalidades diversas, sobretuto anti-inflamatória, antianêmica e diurética. Considerando-se os seus usos etnofarmacológicos, realizou-se este estudo com o objetivo de conhecer os constituintes químicos e a toxicidade aguda e subcrônica do extrato etanólico formulado a partir das cascas do caule de L. divariacata (EtOH-Ld), bem como a atividade antinociceptiva das frações acetato (AcOEt) e aquosa do EtOH-Ld, de modo a possibilitar informações sobre os seus possíveis mecanismos de ação. Na verificação da toxicidade aguda, dois grupos de camundongos, cada um com seis animais, foram tratados com EtOH-Ld, nas dosagens de 300 e 2000 mg/kg, respectivamente. E na toxicidade subcrônica, quatro grupos com seis ratos cada um, foram tratados com o veículo e com o EtOH-Ld nas dosagens de 100, 500 e 1000 mg/kg. Para avaliar a atividade antinociceptiva das frações AcOEt e aquosa realizaram-se os seguintes testes: formalina e placa quente, utilizando camundongos Swiss machos, divididos em seis grupos de seis animais, que foram tratados com ambas as frações, nas dosagens de 100 e 200 mg/Kg, por via oral. Para verificar a participação dos sistemas serotoninérgico, colinérgico muscarínico e dopaminérgico, o que permite inferência sobre o mecanismo de ação, utilizou-se o teste de formalina. Os resultados foram submetidos a análise estatística pelo teste T. O estudo fitoquímico evidenciou, nas frações AcOEt e aquosa, a presença de taninos, antocianidinas, antocianinas, fenóis, leucoantocianidinas, saponinas, triterpenos e alcaloides. Em relação à toxicidade aguda, os animais não expressaram alterações comportamentais em nenhum grupo e, na avaliação da toxicidade subcrônica, não foram vistas alterações dignas de nota no fígado, baço e rins, bem como, não foram evidenciadas diferenças entre os grupos tratados e não tratados no perfil bioquímico (p<0,05). O EtOH-Ld, nas diferentes doses estudadas, apresentou atividade antinociceptiva nas frações acetato e aquosa, sendo mais significativa (p>0,05) a fração aquosa na dosagem 200 mg/kg, nos testes de formalina e placa quente. A fração aquosa (200 mg/kg) do EtOH-Ld, mostrou melhor resposta pela via colinérgica muscarínica. Assim, pode-se concluir que o EtOH-Ld não apresenta toxicidade e que a fração aquosa, na dosagem de 200 mg/kg, possui melhor efeito analgésico.

  • FRANCISCO MARQUES CARDOZO JÚNIOR
  • Atributos biológicos e compartimentos de carbono do solo em diferentes pastagens

  • Orientador : ROMERO FRANCISCO VIEIRA CARNEIRO
  • Data: 23/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de diferentes sistemas de produção animal a pasto sobre a biomassa microbiana, atividade enzimática, diversidade funcional, comunidade de fungos micorrízicos arbusculares e compartimentos da matéria orgânica do solo. O estudo foi realizado na região Meio-Norte do Brasil. Estudaram-se quatro sistemas em monocultivo com gramíneas forrageiras (Andropogon-ANDRO, Brachiaria-BRIZA, Panicum-TAN, Cynodon-CYN), um sistema silvipastoril (SILV) e uma mata nativa de referência (MN). A amostragem do solo foi realizada em março (período chuvoso) e setembro (período seco). Em cada área experimental (300m²) foram amostrados doze pontos  independentes (equidistantes  de 5 m) na profundidade de 0-20 cm. A maior decomposição de aminoácidos e carboidratos foi encontrada no solo das áreas MN e SILV. Os menores resultados (P<0.05) para fosfatase ácida foram detectados em ANDRO e BRIZA. Na estação seca, todos os monocultivos com gramíneas agiram como fonte de C- CO2 para a atmosfera. Foram caracterizadas 8 famílias, 11gêneros e 19 espécies do filo Glomeromycota. Os sistemas com a integração do Andropogon gayanus Kunth cv Planaltina e espécies arbórea-arbustivas proporcionaram maior biomassa e diversidade metabólica do solo. No sistema silvipastoril verificou-se maior acúmulo de carbono orgânico, tornando-o um importante dreno de CO2 da atmosfera. Espécies pertencentes aos gêneros Acaulospora, Glomus e Racocetra predominaram na maioria dos sistemas de produção animal à pasto, para as duas estações, indicando adaptação  às condições edafoclimáticas da região Meio-Norte do Nordeste brasileiro.

  • JULIANA DE ABREU COSTA
  • Aproveitamento do soro de leite e massa do pedúnculo do caju na elaboração de doce

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 20/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se desenvolver doce com soro de leite acrescido da massa do pedúnculo do caju, e caracterizá-la quanto aos atributos sensoriais, físico-químicos e microbiológicos, avaliando sua vida de prateleira durante o armazenamento por seis meses em condições de refrigeração. Foram desenvolvidas quatro formulações do doce com os diferentes percentuais de massa de caju e de soro de leite, mas com igual percentual de açúcar em todas as formulações.As formulações foram submetidas à cocção em tacho aberto de aço inoxidável sem camisa de vapor. Os doces foram envasados em recipientes de vidros transparentes, identificados e armazenados em geladeira a temperatura de 8ºC até o momento de sua utilização. Constatou-se alta aceitabilidade das formulações F1 (0%) e F2 (10%) com índices superiores à 70% para todos os atributos sensoriais investigados, a intenção de compra de 74,00% e 79,40%, respectivamente, o que indica alto potencial para industrialização e comércio do produto. Não foi verificado contagem significativa dos micro-organismos pesquisados (bolores e leveduras, coliformes totais e termotolerantes e bactérias mesófilas). A associação de soro de leite e massa do pedúnculo do caju na elaboração de doce mostrou-se viável na formulação com 10% de massa, apresentando-se como uma opção de fonte de renda para pequenos produtores do Nordeste brasileiro.

  • SUZANA COIMBRA DE MOURA LUSTOSA E SILVA
  • Efeito da adição de enzimas fibrolíticas sobre a degradação e características de fermentação do subproduto industrial do coco verde

  • Orientador : VANIA RODRIGUES VASCONCELOS
  • Data: 17/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o efeito da adição de duas enzimas fibrolíticas sobre a fermentação do subproduto industrial do coco verde. Foram usadas duas enzimas comerciais; o Dyadic Cellulase PLUS (Celulase) e Dyadic xylanase PLUS (Xilanase), provenientes da fermentação do fungo Trichoderma longibrachiatum. As atividades de endoglucanase (EC 3.2.1.4.) e exoglucanase (EC 3.2.1.91) e xilanase (EC 3.2.1.8.) foram mensuradas a pH 6,5 e temperatura de 39°C. O subproduto industrial do coco foi submetido a cinco tratamentos: SSTE – Substrato sem tratamento enzimático (controle); STC – Substrato tratado com celulase; STX – Substrato tratado com xilanase e STCX – Substrato tratado com celulase e xilanase em proporção de 1:1. As doses utilizadas foram as recomendadas pelo fabricante, de 7,5 e 0,46 unidades de enzima de celulase e xilanase, respectivamente, para 500 mg de MS. As amostras foram pré-incubadas com as enzimas 16 horas antes do ensaio de produção de gases. Após este período, procedeu-se ao ensaio in vitro utilizando-se inóculo ruminal de quatro ovinos. O período de incubação foi de 24h. O volume de gases foi calculado a parti da equação: V = 7.365 × p (n = 500; r2 = 0.99), onde: V é o volume de gás produzido (mL) e p é a pressão (psi) medida.  Foram determinados os teores de de MS, MO, MM, PB, FDN, FDA e lignina nas amostras do substrato e de MS, MO e FDN no resíduo obtido após incubação. No fluido obtido após incubação foram determinados os percentuais de metano e de N-NH3 e medido o pH. Os dados foram analisados em delineamento em blocos completos ao acaso utilizando modelos mistos, sendo o tratamento considerado como efeito fixo e inóculo como efeito aleatório. Utilizou-se o procedimento MIXED do SAS. As médias entre tratamentos foram comparadas usando a diferença mínima significativa de Fisher, com significância declarada a P ≤ 0.05. A adição de enzimas fibrolíticas exógenas sobre o subproduto do coco verde não afetou a produção de gases. Nenhum efeito (P>0,05) de tratamento foi verificado sobre a degradação in vitro da MS, MO e FDN. Quando observado os produtos da fermentação ruminal, o percentual de metano (CH4%) e os teores de CH4 (mL/gMOD) apresentaram diferença (P<0,05). Nenhum dos tratamentos enzimáticos tiveram efeito (P>0,05) sobre o pH, assim como sobre as concentrações de amônia no fluido de incubação. O uso de enzimas fibrolíticas geralmente resulta numa melhoria na qualidade de alimentos volumosos, entretanto, é necessário identificar a dose a ser utilizada no tratamento de materiais com elevados teores de fibra e pobre em proteina.

  • ICARO OLIVEIRA TORRES DE SOUZA
  • Inseminação artificial em tempo fixo (IATF) associada á detecção do estro e avaliação do diâmetro folicular em vacas Nelore

  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 06/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •                                                RESUMO

     

     

    Nos últimos anos biotécnicas reprodutivas têm sido utilizadas no sentido de melhorar a eficiência reprodutiva dos rebanhos. Nesse particular, a inseminação artificial em tempo fixo (IATF) se destaca como a mais eficiente dentre as tecnologias bem estabelecidas na produção e reprodução animal.  O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência da inseminação artificial em tempo fixo (IATF) associada à detecção do estro e presença de folículo dominante (FD) prévios à inseminação, em vacas da raça Nelore. As atividades de campo foram realizadas na Fazenda Abelha, Município de Codó-MA, quando foram selecionadas 918 vacas da raça Nelore, multíparas, com no mínimo 60 dias de paridas, com escore corporal 3,0 a 3,5 (escala de 1-5) e condição reprodutiva favorável, estabelecida por avaliação clínico-ginecológica. Todas as vacas foram mantidas a pasto, recebendo mineralização específica para o período da estação de monta (dezembro/2013 a março/2014). Os estros foram sincronizados utilizando protocolo clássico para IATF: D0-colocação intravaginal do CIDR e aplicação IM de 2mL de BE; D9- retirada do CIDR e aplicação IM de 2,5mL de PGF2α, 0,3mL de ECP e 300UI de Folligon (eCG) e marcação na garupa com tinta fluorescente, impregnada em um bastão apropriado para esse fim; no D11- realização da mensuração por ultrassonografia do maior folículo, este qualificado como grande (G = maior que 10 mm), médio (M = 6 a 10mm e pequeno (P = menor que 10mm) e inseminação. Associado a esse protocolo coletas de amostras de sangue foram realizadas no D0, D9 e D11, centrifugadas e o plasma obtido estocado em tubos criogênicos, a -20°C, para posterior determinação das concentrações de progesterona. Foram constituídos dois grupos experimentais: G1 (n= 428) - sem detecção do estro e sem medição do maior folículo (grupo controle = rotina da fazenda) e G2 (n = 490) - com detecção do estro e medição do maior folículo (grupo desafio),  O Diagnóstico de Gestação foi realizado aos 30 dias após as inseminações, via transretal, utilizando um aparelho modelo ALOKA SSD 500, munido de um transdutor de 5 MHz. Os índices gestacionais foram, respectivamente, de 41,10% e 45,70% para os dois grupos experimentais. Os Os dados das gestações foram avaliados pelo teste do qui-quadrado ao nível de 0,05% significância.  Não houve diferença estatística entre os dois grupos estudados.

     


     

     

  • LUIZ ANTONIO SILVA FIGUEIREDO FILHO
  • Modelos Bayesianos para estimação de parâmetros genéticos de características de carcaça e tamanho corporal em caprinos

  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 06/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O conhecimento dos componentes de (co)variância e parâmetros genéticos para características de interesse é essencial na implantação de programas de melhoramento animal de caprinos de corte. Dentre as metodologias estatísticas utilizadas para a estimação destas informações, tem-se a estatística Bayesiana, que permite análise tanto de dados contínuos quanto descontínuos por meio de modelos linear e de limiar. Diante disso, objetivou-se com esta pesquisa estimar componentes de (co)variância e parâmetros genéticos através de análises Bayesianas para características de carcaça obtidas por ultrassom e de tamanho corporal, em caprinos da raça Anglonubiana. Para tanto, foi utilizado banco de dados composto de informações genealógicas, de carcaça obtidas por ultrassom e de tamanho corporal de caprinos da raça Anglonubiana para estimar os componentes de (co) variância e parâmetros genéticos para área de olho de lombo, profundidade de olho de lombo, comprimento de olho de lombo, espessura da gordura esternal, marmoreio, altura da garupa, circunferência torácica, profundidade torácica, perímetro da perna, escore da condição corporal e peso corporal, por modelo animal em análises uni e bicaracterística, com auxílio dos aplicativos GIBBS1F90 e THRGIBBS1F90, considerando os efeitos genético aditivo direto de animal, erro aleatório associado a cada observação e os efeitos sistêmicos de grupo de contemporâneos, ano de coleta, idade e categoria animal. Segundo os critérios de convergência, o tamanho da Amostragem de Gibbs utilizado nas análises foi adequado e os valores amostrais a posteriori são estimativas válidas da distribuição a posteriori dos parâmetros. As estimativas de herdabilidades das características foram de baixa a moderada magnitude, entretanto com maiores valores nas análises bicaracterística. O peso corporal não se apresentou como um bom indicador de musculosidade, não sendo indicado como critério de seleção indireta para a melhoria da carcaça em caprinos da raça Anglonubiana. Já o perímetro da perna e a circunferência torácica podem ser medidas corporais importantes apresentaram correlações genéticas moderadas com as características de carcaça. O modelo animal de limiar foi o que proporcionou melhor ajuste aos dados categóricos, sendo o mais recomendado para as inferências dos parâmetros, pois apresenta maior habilidade para detecção da variabilidade genética em comparação aos modelos lineares. Na análise sob o modelo linear, ocorreu superestimações das estimativas da herdabilidade para marmoreio e escore da condição corporal, o pode provocar estimações errôneas dos valores genéticos dos animais. Portanto, conclui-se que as características de carcaça apresentam estimativas de herdabilidade que possibilitam a sua inclusão como critério seleção em programas de melhoramento animal de caprinos de corte.


  • PAULO ALEX BEZERRA SALES
  •  

    AVALIAÇÃO TOXICOLÓGICA E ESTUDO DAS ATIVIDADES ANTI-INFLAMATÓRIA E ANTIOXIDANTE DO EXTRATO ETANÓLICO DAS VAGENS DA Samanea tubulosa (Benth).


  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 03/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  

    S

    Uma das grandes preocupações da realização de estudos em plantas com grande potencial para alimentação animal, além daquelas usadas como fitoterápicos, se deve ao pouco conhecimento de seus efeitos sobre o organismo. Dentre essas, a Samanea tubulosa é popularmente utilizada na alimentação animal e em tratamentos de infecções de pele e infestações parasitárias com poucas evidências científicas quanto a seu uso. Com isso objetivou-se avaliar a toxicidade do extrato da Samanea tubulosa in vitro e in vivo, com ênfase na função reprodutiva. Concomitantemente, foram investigadas as atividades anti-inflamatórias e antioxidantes. O estudo de toxicidade aguda foi realizado conforme as orientações da OCDE 425. Observações como alterações de pele, agressividade, mortalidade e piloereção foram feitas sistematicamente após administração da dose nos animais. Testes de MTT e hemólise foram realizados nas concentrações de 6,25 a 800 µg/ml. Para toxicidade reprodutiva foram utilizados ratos (Wistar), machos e fêmeas (180-250g), formando cinco grupos gestantes (n=7): 1- Veículo (10mL/kg), 2- Hidroalcoólica, 3- Hexânica, 4- Acetato de Etila e 5-Aquosa, todos com dose de 240mg/kg. Os fetos foram separados para a análise esquelética passando por soluções, sendo então eviscerados, desidratados e colocados em Alizarina Red para coloração.  No que tange a atividade anti-inflamatória, foi usado a carragenina para induzir edema de pata e peritonite e em seguida foram feitas avaliações histológica, contagem total e diferencial de células inflamatórias e atividade da mieloperoxidase. Além disso, para avaliar a atividade antioxidante, foram realizados ensaios sequestradores de radicais hidroxila, NO e TBARS. Os resultados da toxicidade aguda demonstraram que não houve diferença significativa (p>0,05) no peso dos órgãos entre o grupo controle e os tratamentos após 14 dias. Testes de citotoxidade não exibiram tais efeitos. Os índices de fertilidade e nascimento e a variável de peso ao nascer foram significativamente diferentes entre as frações quando comparadas ao controle. Frações do extrato provocaram um aumento na incidência de alterações esqueléticas e o aparecimento de malformações. O extrato etanólico da Samanea tubulosa (EEST) 25, 50 e 100 mg/kg mostrou-se eficaz na redução do edema chegando a 95.70% de inibição, provocando diminuição significativa na contagem total e diferencial de leucócitos. Todos os testes mostraram um bom potencial antioxidante, diminuindo todos os valores. As frações estudadas das vagens da S. tubulosa apresentam toxicidade na dose de 240mg/kg sobre a gestação de ratas Wistar, provocando redução pronunciada do peso dos fetos, diminuição do índice de fertilidade nas frações hidroalcoólica, aquosa e acetato de tila e diminuição do índice de gestação na fração hexânica, havendo retardo do desenvolvimento do feto e presença de malformações nas esternébras. Portanto, o EEST possui significativos efeitos antioxidantes e antinflamatórios, não produz toxicidade aguda por via oral nas doses estudadas e não tem efeitos significativos no estudo da citotoxicidade em macrófagos e eritrócitos, porém demonstra toxicidade gestacional.  Conclui-se a vagem de S. tubulosa contém princípios ativos muito importantes do ponto de vista farmacológico, porém com contra indicação na gestação. Esses princípios deverão ser isolados e melhor estudados no seu potencial farmacológico e toxicológico.

  • NATANAEL PEREIRA DA SILVA SANTOS
  • Contribuição Genética Ótima para Seleção de Acasalamentos em ovinos Santa Inês utilizando Evolução Diferencial

  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 03/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O controle das etapas do processo reprodutivo mostra-se importante para a eficiência da cadeia produtiva da ovinocultura, principalmente quando desenvolvidas simultaneamente. Isso significa que em vez de se considerar a seleção dos animais como um primeiro passo, e decidir sobre a alocação de companheiro como uma segunda etapa, ambas as atividades devem ser acomodados na Seleção de Acasalamentos. Diante disso, os objetivos desta pesquisa foram avaliar a aplicação da Contribuição Genética Ótima e investigar os efeitos da otimização da Seleção de Acasalamentos com diferentes componentes da função objetivo, como estratégia de ganho genético, em ovinos Santa Inês. Um algoritmo de Evolução Diferencial foi implementado sobre o modelo darwiniano da evolução pela seleção natural, neste caso a seleção da solução ótima. As análises de otimização foram realizadas com auxílio dos programas DEforOC e DEforMS, para definições da contribuição ótima e seleção de acasalamentos, respectivamente. A teoria da contribuição ótima possibilitou estabelecer uma função objetivo otimizada, que exerce controle sobre a evolução da coancestria ao mesmo tempo que indica o conjunto ideal de intensidade de uso dos machos. Esta função pode ser adotada para reduzir a endogamia nas gerações futuras, mas com pequena redução do progresso genético. Com o uso da seleção de acasalamentos otimizados preocupou-se com a determinação da melhor estratégia de seleção de acasalamentos, comparando a diferentes situações ideais individualmente. A solução ótima foi usada no sentido global. Foi constatada a eficiência do uso dos métodos de seleção para garantir ganho genético com controle da consanguinidade em rebanhos de seleção de ovinos. Os resultados obtidos comprovaram a eficácia do método para otimizar as estratégias de ganhos genéticos. Este estudo demonstra claramente o papel importante que os programas de seleção de acasalamentos podem desempenhar em programas de melhoramento animal, bem como no manejo genético do rebanho.

  • RICARDO ABÍLIO BEZERRA E SILVA
  • Perfil zoosanitário da caprinocultura e ovinocultura e investigação sorológica das Lentiviroses de Pequenos Ruminantes nas Microrregiões Homogêneas de Floriano, Picos e do Alto Médio Canindé, Estado do Piauí.

     

  • Orientador : MARIA DO CARMO DE SOUZA BATISTA
  • Data: 27/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Com o objetivo de caracterizar o perfil zoosanitário da ovinocaprinocultura e realizar uma investigação sorológica das Lentiviroses de Pequenos Ruminantes (LVPR) em caprinos e ovinos nas Microrregiões do Alto Médio Canindé, Picos e Floriano, foram investigadas 110 propriedades ovicaprinícolas e analisadas 1280 e 1340 amostras de soro sanguíneo caprino e ovino, respectivamente, utilizando-se o teste de imunodifusão em gel de agarose – IDGA para detecção de anticorpos anti-Lentivirus de Pequenos Ruminantes (LV). O estudo mostrou que o sistema de criação extensivo é adotado em 70,9 % dos criatórios e a principal finalidade é a produção de carne. A maioria dos rebanhos não possui aprisco, esterqueira e pedilúvio; apenas 24,5% dos criadores adotam a quarentena como procedimento de incorporação ao rebanho. Em 71,8% das propriedades não existe identificação individual dos animais e em 88,2% não se realiza qualquer anotação referente ao rebanho. A limpeza diária das instalações é realizada por apenas 1,8% produtores.  A vacinação é adotada em 49,1% dos rebanhos, sendo a desverminação a prática sanitária mais difundida entre os produtores (96,4%). As doenças mais relatadas são a linfadenite caseosa, as miíases e verminoses. Quanto ao manejo alimentar, menos de 50% dos criadores fornece alimentação concentrada ao rebanho. Práticas de manejo reprodutivo e de biotecnologias reprodutivas não são utilizadas pelos criadores e a monta natural não controlada é o método predominante (88,2%). Quanto ao inquérito sorológico, nenhum dos soros analisados reagiu positivamente, constatando-se uma soroprevalência nula. Diante dos resultados dessa pesquisa, conclui-se que, a ovinocultura e a caprinocultura nas microrregiões do Alto Médio Canindé, Floriano e Picos são praticadas quase exclusivamente de forma extensiva, com baixo investimento tecnológico, com produção voltada principalmente para a produção de carne, apresentando deficiências quanto à utilização de práticas de manejo sanitário e nutricional, o que acaba impossibilitando a prevenção e o controle de doenças, principalmente as de origem infecciosas e parasitárias; e que ainda ocorrem áreas livres das LVPR no Estado do Piauí, existindo, assim, a necessidade da efetivação de medidas preventivas nessas microrregiões, principalmente no momento em que se verifica a importação de animais para melhoramento genético. 

  • ELÍS ROSÉLIA DUTRA FREITAS SIQUEIRA SILVA
  • Avaliação epidemiológica e de fatores de risco na leptospirose canina no município de Teresina (PI).

  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 27/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A leptospirose é uma doença importante causada por vários sorovares de Leptospira spp. No cão, a leptospirose constitui um problema de saúde pública, pois os animais podem tornar-se carreadores assintomáticos assumindo a condição de reservatório e também representa um elo na transmissão da doença devido ao seu estreito contato com os seres humanos.  Objetivou-se com esse estudo avaliar a ocorrência de infecção por leptospiras em cães na capital Teresina (PI) e determinar a distribuição espacial, bem como identificar os fatores de risco associados à infecção. O cálculo amostral foi realizado utilizando a amostragem casual ou aleatória simples, obtendo a amostra de 558 cães no qual foram submetidas à prova de Soroaglutinação Microscópica (SAM). A escolha da unidade de análise da região ocorreu em três etapas: a escolha de 20% dos bairros por zona, escolha aleatória das quadras e sorteio do cão na residência. A localização geográfica foi obtida por meio do posicionamento global por satélite (GPS – GlobalPositioning System, Garmin, Fabricante) e para confecção do mapeamento geográfico foi utilizado o software ArcGIS 10.0 (Environmental Systems Research Institute, Redlands, CA, USA). Um questionário semi-estruturado foi aplicado para os donos de cães com o intuito de coletar dados referentes a características sócio-econômicas e demográficas bem como os fatores ambientais. A prevalência de infecção por leptospiras foi obtida e descrita em porcentagem e o estudo de associação entre os resultados dos questionários e dos exames sorológicos foi realizada uma análise univariada, utilizando o Teste de Qui-quadrado de Pearsonou o teste exato de Fischer. A soroprevalêcia foi de 13,80% (77/558), no qual o sorovar mais frequente foi o Icterohaemorrhagiae com 49,2% (33/77). Quanto as variáveis, existiu uma associação entre o resultado dos animais positivos quanto ao gênero (P=0,039), à moradia (P=0,000), ao recolhimento da vasilha de alimento(P=0,004), ao tipo de esgotamento sanitário(P=0,036), presença de esgoto a céu aberto(P=0,036) e acúmulo de entulho no domicílio(P=0,009), sendo assim, os cães  machos, de acesso à rua, que não ter vasilha recolhida durante a noite, vivendo em ambiente sem rede de esgoto, com presença de esgoto a céu aberto e com acúmulo de entulho no domicílio estão mais propensos  a infecção por leptospiras. O maior número de casos se concentrou na zona leste/sudeste, sendo os bairros Pedra Mole e Gurupi, com 33% (7/21), os de maiores risco de infecção. Ainda foi observado o maior número de casos no período chuvoso (janeiro a maio) com 87,12% (64/77) dos casos que possui precipitações pluviométricas entre 308,6mm e 124,3mm, já no período não chuvoso (junho a dezembro) que possui precipitações pluviométricas entre 37,8mm e 1,0 mm com apenas 12,88% (13/77) dos casos. Conclui-se com este estudo citar quais os fatores de risco demográficos e ambientais que favorecem a provável infecção dos cães na cidade, bem como visualizar a sua distribuição através da confecção de mapas geográficos.

  • ANTONIA LEIDIANA MOREIRA
  • VALOR NUTRITIVO DE DIETAS CONTENDO FENO DE PINDOBA DE BABAÇU AMONIZADO PARA CAPRINOS EM MANTENÇA

  • Orientador : ARNAUD AZEVEDO ALVES
  • Data: 27/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Avaliou-se a inclusão do feno de pindoba de babaçu amonizado com 4% de ureia  em substituição ao feno de capim-colonião em dietas para caprinos em mantença, quanto ao consumo, digestibilidade in vivo e balanço energético e de compostos nitrogenados. Foram utilizados 20 caprinos machos, não castrados, da raça Anglonubiana, em delineamento experimental em blocos ao acaso com 4 tratamentos, representados pelas dietas (0, 33, 66 e 100% de feno de pindoba amonizado com 4% de ureia) e cinco repetições (animais). Para avaliação do pH e nitrogênio amoniacal (N-NH3) no líquido ruminal e ureia no soro sanguíneo as parcelas foram subdivididas nos tempos 0 (antes do alimentação); 2,5 e 5,0 h, após a primeira refeição. Foram coletadas amostras das rações, sobras, fezes e urina para determinação dos parâmetros de valor nutritivo. O consumo de MS e nutrientes foi influenciado (P<0,05) à medida que se incluiu o feno de pindoba nas dietas, exceto para o consumo de EE com média 18,53±4,04 g/dia.  Os coeficientes de digestibilidade da MS, MO, PB, FDN, FDA, NDT e CNF reduziram linearmente com a inclusão do feno de pindoba na dieta. Houve influência (P<0,05) do feno de pindoba para nitrogênio ingerido, excretado nas fezes e urina e retido, bem como para as relações do N excretado e balanço de nitrogênio. O pH e o N-NH3 mostraram-se adequados à fermentação no rúmen e a ureia no sangue manteve-se no intervalo fisiológico para caprinos. A inclusão de feno de pindoba de babaçu amonizado com 4% de ureia diminui o CMS e nutrientes, contudo atende as exigências de animais em mantença.

  • RAISSA PAULA ARAÚJO ALVES
  • ARTRITE ENCEFALITE CAPRINA: COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DIAGNÓSTICAS E ESTUDO DAS TRANSMISSÕES HORIZONTAL E VERTICAL ENTRE ANIMAIS SORONEGATIVOS

  • Orientador : MARIA DO CARMO DE SOUZA BATISTA
  • Data: 27/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Artrite Encefalite Caprina (CAE) é uma doença mutisistêmica e infecciosa causada por um retrovírus do gênero Lentivírus que infecta caprinos e ovinos. Este estudo dividiu-se em duas etapas: no primeiro objetivou-se comparar os resultados obtidos com a técnicas de Reação em Cadeia de Polimerase nested (PCR nested) e Western Blot (WB), para detecção da CAE cabritos recém nascidos, visando avaliar a concordância entre as duas provas; e no segundo capítulo, objetivou-se avaliar a transmissão horizontal da CAE no período de aleitamento após desmama, a partir da presença ou ausência de animais positivos no grupo. Na primeira eapa, colheram-se amostras de sangue de 101 cabritos, a zero hora, momento seguinte após o parto. Os animais utilizados como progenitores eram sabidamente negativos para CAE. Com o material coletado, foi realizado testes de PCR nested e WB. O segundo estudo consistiu na formação de dois grupos, onde no grupo 1 os animais foram mantidos juntos independente dos resultados dos testes, já no grupo 2 os animais foram isolados a zero hora, sendo sacrificados os animais positivos em pelo menos um dos testes, agrupando-se então os animais negativos. Amostras de sangue dos animais dos dois grupos foram colhidas em três momentos: a zero hora, com dois meses e com nove meses. As técnicas de PCR nested e WB foram realizadas. O primeiro estudo revelou 92 animais negativos nos dois testes, 7 positivos no teste de PCR nested e 2 positivos no WB. Nenhum animal se apresentou positivo para os dois testes. Para comparação entre as técnicas utilizadas, foi aplicado o teste Qui-quadrado a 95% de confiança. A concordância entre as provas foi feita pela estatística Kappa e como os valores ficaram abaixo de zero pode-se concluir que existe uma discordância entre os testes. O valor de p obtido foi p = 1,0328. A soma da especificidade com a sensibilidade foi 92,929% (92,929% + 0%). Os resultados do segundo experimento mostraram que, no grupo 1, o percentual de positividade foi de 4% a zero hora no teste de WB, reduzindo-se ao longo do tempo (2% aos 60 dias e 0% aos 9 meses de idade). No teste de PCR a maior taxa foi observada aos 60 dias de vida (13%) e na última análise a taxa reduziu-se a zero. O teste de WB não detectou positividade para o grupo 2 ao longo do experimento. Já o teste de PCR teve índices de 8% a zero hora e 0% aos 9 meses de idade.Com os resultados do primeiro estudo, conclui-se que os dois testes devem ser utilizados em conjunto para um diagnóstico mais preciso, pois o uso de um só pode causar falhas no controle da doença. Já para o segundo estudo, conclui-se que a transmissão da CAE é passível de ocorrência a partir da presença de animais infectados no grupo, no período de aleitamento e provavelmente no período pós desmama.

  • JULLIET TEIXEIRA DE OLIVEIRA SANTOS
  • Identificação molecular das leveduras do intestino de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus)

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 26/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A produção de tilápia tem se destacado: pela facilidade de adaptação aos ambientes, pelo crescimento rápido e pelo sabor agradável da carne. Porém com desenvolvimento da piscicultura, a sanidade dos peixes deve ser controlada para aumentar o desempenho produtivo. Portanto, a nutrição é fundamental manter o equilíbrio da biota intestinal e consequentemente a saúde dos peixes. Deste modo, é importante conhecer as leveduras que compõe o microbioma gastroentérico dos organismos aquáticos para que esses micro-organismos e os componentes da sua parede celular possam ser utilizados posteriormente para difundir benefícios de saúde para peixes. De um modo geral, as leveduras têm sido utilizadas para: preparo de bebidas na indústria alimentar, produzir biomassa e obter substâncias diferentes com ação probiótica. Elas são organismos modelo nas técnicas de manipulação genética, pesquisa molecular e biológica. Pelo exposto, nesse trabalho objetivou-se isolar e identificar as leveduras do intestino de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) para tanto, foram adquiridas 20 tilápias (Oreochromis niloticus) com peso médio de 700 g, obtidas em dois ambientes produtivos do município de Piripiri, PI: Os intestinos foram divididos em três partes iguais das quais foram seccionados proporcionalmente fragmentos de 10 cm de cada parte, totalizando 60 amostras. A identificação molecular foi realizada pela reação de PCR e amplificação por NL1/NL4 e sequenciamento das regiões D1/D2 da subunidade maior do gene do rRNA. Foram caracterizados geneticamente nove isolados pertecentes às espécies Candida glabrata (5), Pseudozyma sp. Lulo P1 (1) e Ustilago cynodontis (3) isoladas nas amostras do intestino de tilápias do Nilo. As leveduras Pseudozyma sp. Lulo P1, U. cynodontis e C. glabrata possuem potencial para produção de substâncias biossurfactantes entretanto, a C. glabrata embora seja considerada como saprófita pode ser agente de enfermidades gastroentéricas em vertebrados.

  • LEOPOLDO FABRÍCIO MARÇAL DO NASCIMENTO
  • ACOMPANHAMENTO CLÍNICO E LABORATORIAL EM CÃES NATURALMENTE INFECTADOS POR Leishmania Infantum Chagasi, SUBMETIDOS À TERAPIA COM ALOPURINOL E HALOACETAMIDO

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 26/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral canina (LVC) é uma zoonose com aspectos clínicos e laboratoriais variáveis sendo reconhecidamente mais resistente ao tratamento que a leishmaniose no homem. A ausência de cura parasitológica e a ocorrência de resistência parasitária aos tratamentos disponíveis indicam a necessidade do desenvolvimento de alternativas terapêuticas para que se possa atingir a cura clínica e garantir a eliminação por completo da infecção nos cães bloqueando, assim, o ciclo de infecção para humanos e não causar danos a saúde do animal. O objetivo deste estudo foi realizar ensaios clínicos com o Haloacetamido em cães de área endêmica com acompanhamento mensalmente durante cinco meses, avaliando-os clinica e laboratorialmente. Os animais positivos para LVC foram divididos em dois grupos: GRUPO A (n=8) que receberam comprimidos de Alopurinol na dose de 20mg/Kg, uma vez ao dia e GRUPO B (n=8) que receberam cápsulas de Haloacetamido na dose de 10mg/Kg, uma vez ao dia, durante 90 dias. Quando avaliados as interações entre os grupos tratados o escore clínico dos cães submetidos aos tratamentos diferiram de modo significativo apenas no D15, onde animais do grupo A tiveram uma redução bem acentuada dos escores clínicos, enquanto os animais do grupo B mantiveram seus escores com pouca variação. A observação dos parâmetros leucocitários revelou uma diferença de modo significativo nos leucócitos totais durante todo o período da administração das drogas. Na avaliação da interação entre os grupos dos parâmetros hematológicos e plaquetas foram encontradas diferenças de modo significativo apenas no Volume Globular Médio (VGM) e na Concentração de Hemoglobina Globular Média (CHGM) nos D15, D30, D45, D75 e D90 e no D30, respectivamente. Os os demais itens avaliados não apresentaram diferença estatistica e nem diferiram quando comparados à média dos grupos com os valores de referência. A interação entre os grupos na avaliação dos parâmetros bioquímicos mostrou alterações de modo significativo na Alanima Aminotransferase (ALT), Proteínas Totais e Globulinas. No ALT ocorreu diferença de modo significativo no D0, nas Proteínas Totais no D15 e D75 e nas Globulinas no D0, D15, D60 e D75. Avaliando os diferentes tempos de tratamento dentro dos grupos o perfil do Escore Clínico mostrou diferenças de modo significativo apenas no grupo A, ao relacionar o tempo D15 com os tempos D75, D90 e D150 e os tempos D75 e D90 quando comparados ao D0. Os resultados mostram que o tratamento com o Haloacetamido não foi capaz de induzir uma melhora clínica e que os aspectos laboratoriais são muito variaveis, nescessitando de estudos complementares.

  • JOILSON FERREIRA BATISTA
  • Detecção, isolamento de Linfantum chagasi no trato urinário e sua relação com a bioquímica sérica de cães com infecção natural

  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 26/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral canina (LVC) é uma doença de difícil

    diagnóstico, devido à diversidade da sintomatologia clínica apresentada e pela

    dificuldade em obter uma prova diagnóstica que reúna alta sensibilidade e

    especificidade. Além disso, os processos patológicos e imunológicos na LVC

    são complexos e muitos pontos ainda precisam ser esclarecidos. Objetivou-se

    com esse estudo diagnosticar a LVC através da pesquisa de Leishmania em

    sedimento urinário e relacionar com os parâmetros bioquímicos, histopatológico

    e PCR de tecido renal e bexiga, em cães. Na realização desse experimento

    foram utilizados 90 cães, nos quais se realizaram avaliação física, testes

    sorológicos e parasitológicos para diagnóstico de LVC e NestedPCR para

    diagnóstico de Erlichia canis. Após o diagnóstico de LVC e exclusão dos

    positivos para E. canis, os cães foram submetidos a estudos bioquímicos

    utilizando amostra de soro sanguíneo e histopatológicos e PCR de tecido renal

    e bexiga. A comparação entre os grupos foi realizada através da análise de

    variância seguida pelo teste de Duncan e testes não paramétricos de Kruskal-

    Wallis e Exato de Fisher, com probabilidade de erro de 5%. Em 5,6% (5/90)

    dos animais estudados detectaram-se Leishmania sp. na cultura de sedimento

    urinário e, em 56,7% 51/90 observou-se presença de Leishmania sp. em pelo

    menos um dos órgãos pesquisados (medula, linfonodo, fígado, baço e pele).

    Nos parâmetros bioquímicos, os valores de albumina dos animais com

    presença de Leishmania na urina (média 1,21 g/dL) foi estatisticamente inferior

    a dos cães infectados e negativos na urina (média 2,22 g/dL). Alteração

    significativa também foi observada na relação albumina:globulina entre os três

    grupos, sendo inferior nos cães positivo na urina e superior no grupo controle.

    Estatisticamente, a presença do parasito na urina não teve nenhuma relação

    com a insuficiência renal observada pelo aumento de ureia e creatinina séricas

    (p>0,05). A presença de Leishmania em bexiga, observada através de imprint

    corado com Giemsa em um dos cães positivo na urina, reforça a hipótese de o

    parasito chegar à urina através de lesões na bexiga e, apesar dos cães com

    presença de Leishmania em sedimento urinário apresentarem alterações

    histopatológicas aparentemente mais graves, não foi observada diferença

    significativa (p>0,05) entre a PCR e histopatologia de rim e bexiga nos grupos

    estudados. Conclui-se que é possível diagnosticar a LVC através da cultura de

    sedimento urinário, porém com baixíssima eficiência e a presença de

    Leishmania na urina, de alguns cães infectados, pode ser em decorrência da

    baixa concentração de albumina.

  • KELLEN MATUZZY SILVA DE MELO
  • Prospecção de novas proteínas para o diagnóstico de Leishmaniose Visceral Canina”

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 26/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A precisão dos testes diagnósticos para Leishmaniose Visceral Canina (LVC) é essencial para um controle eficiente desta enfermidade, porém o grande espectro de apresentações clínica que o cão pode apresentar dificulta o diagnóstico, principalmente os cães que não apresentam sinais sugestivos e são classificados como assintomáticos. No presente estudo foi avaliada a capacidade de proteínas recombinantes especificas de Leishmania infantum chagasi em aumentar a sensibilidade e especificidade dos testes diagnósticos para a enfermidade, baseado no teste sorológico ELISA. Métodos: Foram incluídos 177 animais provenientes de áreas endêmicas para LV na cidade de Teresina, Piauí, que foram examinados aleatoriamente em levantamentos epidemiológicos para LVC, utilizando os métodos sorológicos de TR DPP® e ELISA. Como teste padrão para a doença foram realizados exames diretos para detecção de formas do parasito e realizado avaliação clínica para determinação do escore de cada animal de acordo com ficha de avaliação. Na fase inicial do estudo Screening foi utilizado 38 soros de animais positivos para LVC (19- sintomático /19- assintomático) e 10 soros positivos para E. canis diagnosticado segundo Nested PCR como controle. Estes soros foram testados utilizando-se diferentes proteínas recombinantes H2A, KMP11, HSP70, HSP83, H3, P2A, P2B e LILAP. As proteínas que apresentaram melhor resultado de sensibilidade e especificidade avaliados a partir da curva ROC-AUC, foram escolhidas e testados com os demais soros da população (90- positivos /39- negativos).A comparação entre os grupos foi realizado utilizando o teste T com comparação de médias, que posteriormente aos subgrupos foi aplicado o Teste de Kruskal Wallis e de Dunn’s com múltiplas comparações de média adquiridas a partir da densidade ótica-OD dos soros de cada grupo, utilizando um nível de significância de p<0,05 e IC- 95%. Resultados: As proteínas KMP11, HSP70 e HSP83 foram as que apresentaram melhores resultados de sensibilidade e especificidade quando testadas com os soros pertencentes ao screening utilizando soros de animais naturalmente infectados com Leishmania infantum chagasi com diferentes apresentações clinicas (n=38) e soros de cães infectados com E.canis (N=10). Estas proteínas foram testadas aos demais soros da população (N=129), onde foi observado elevado nível de acurácia do teste observados a partir da curva ROC-AUC, que posteriormente demonstraram diferença estatística (p<0,05). Conclusões: As proteínas escolhidas foram eficientes na detecção de soros de animais positivos para LVC apresentando diferentes sintomatologias clínica e distinção destes entre os animais negativos para a enfermidade, minimizando os falsos resultados.

     

     

  • VICTOR AUGUSTO ARAUJO BARBOSA
  • Sobrevivência de Escherichia coli em queijo do tipo coalho fabricado a partir de leite contaminado experimentalmente após refrigeração

  • Orientador : MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
  • Data: 26/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Queijo de coalho, uma comida típica brasileira, é produzido a partir de leite cru ou pasteurizado na Região Nordeste por mais de 150 anos. Por se tratar de um produto artesanal, o queijo de coalho é preparado seguindo tradições regionais e familiares. Em algumas localidades, o leite é obtido sob condições higiênico-sanitárias deficientes sem levar em conta as boas práticas de fabricação (BPF) e por isso, apresenta elevado número de micro-organismos como a Escherichia coli. Dessa forma este trabalho objetivou verificar a sobrevivência de Escherichia coli em queijo do tipo coalho fabricado a partir de leite contaminado experimentalmente após armazenamento por 21 dias sob refrigeração. Conforme o tratamento proposto, em cada litro de leite pasteurizado utilizado para preparar o queijo tipo coalho foi inoculado 1,0 mL com concentrações 103; 106 e 109 de Escherichia coli ATCC 25922. Após inoculação conforme os tratamentos procedeu-se o processo de fabricação do queijo tipo coalho. Após o fabrico, foi realizado a aferição do pH, da ativiade de água, porcentagem de umidade, teor de cloreto de sódio e unidade formadoras de colônia por grama da amostra (UFC/g) nos tempos zero, sete, 14 e 21 dias. Após armazenamento dos queijos do tipo coalho fabricados a partir de leite contaminado experimentalmente por 21 dias sob refrigeração observou-se que os valores de pH variaram conforme a concentração de E. coli presentes na amostra. Embora todas as concentrações tenham sido preparadas no mesmo momento, sob as mesmas condições de processamento e armazenamento as amostras de queijo coalho apresentaram valores de umidade significativamente diferentes (P<0,05), sendo os tratamentos 6,00 e 9,00 UFC/g os que apresentararm os maiores percentuais. O teor de sódio nas peças de queijo oscilou entre 2,13 % a 3,19 % e foi semelhante em todas as concentrações de E. coli utilizadas para os tratamentos. Houve redução de três ciclos de log de E. coli nos queijos armazenados quando comparados a concentração inicial adicionada ao leite. Desta forma, o queijo preparado com leite que tenha baixas contagens de Escherichia coli pode ser utilizado para preparo de queijos tipo coalho artesanal que seja cozido e preparado em ambiente produtivo controlado pelas BPFs que tenha a análise de pontos críticos de controle (APPCC) implantadas.

  • RENATA PATRÍCIA SOUSA
  • Morfogênese do sistema respiratório de emas (Rhea americana) em estágios embrionário e fetal 

  • Orientador : MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
  • Data: 26/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A ema (Rhea americana), ave silvestre de grande porte, nativa da América Sul, representa importante espécie que vem se destacando na pecuária nacional e internacional. O conhecimento dos aspectos morfológicos dos órgãos e estruturas do sistema respiratório das aves é de fundamental importância, e apresenta um vasto campo para pesquisa, uma vez que, seus componentes são frequentemente afetados por patógenos que muitas vezes ocasionam a perda de todo plantel, em uma criação.  O objetivo desta pesquisa foi estudar morfologicamente, o sistema respiratório de emas durante o desenvolvimento embrionário-fetal, caracterizando os aspectos histológicos.  Foram utilizados 10 animais em desenvolvimento, embriões e fetos, os quais foram eutanasiados e fixados, e em seguida, dissecados e coletados fragmentos do sistema respiratório: cavidade nasal, laringe, traquéia, siringe, brônquios e pulmão. Os fragmentos foram processados e corados com hematoxilina-eosina (HE).  Foram observadas alterações na organização celular durante o desenvolvimento com característica funcional de cada órgão. A cavidade nasal apresentou nas primeiras fases de desenvolvimento epitélio estratificado cúbico tornando-se pavimentoso queratinizado em fetos de 30 dias (FE30). A laringe exibiu epitélio respiratório pseudoestratificado ciliado com células caliciformes em fetos de 27 dias (FE27) e FE30. A traqueia em fetos de 15 dias (FE15) mostrou organização celular característica do início da histogênese da cartilagem hialina. Na siringe a túnica mucosa de fetos de 18 dias (FE18) e de 21 dias (FE21) é formada por epitélio estratificado ciliado na região bronquial e estratificado cúbico na região traqueal. Os brônquios principais apresentavam epitélio estratificado cíliado com células caliciformes na região siringeal. No pulmão, o estágio Parabronquial de desenvolvimento foi caracterizado pela presença de vasos sanguíneos próximos ao epitélio parabrônquico, além de numerosos parabrônquios de FE15 a FE21. Os aspectos histológicos observados durante o desenvolvimento dos órgãos que formam o sistema respiratório da ema são semelhantes aos de outras aves considerando os diferentes períodos de incubação. Este estudo possibilitou a obtenção de dados, inexistentes na literatura, importantes, para identificação de um padrão ontogenético do sistema respiratório de emas, o que fornecerá subsídios à produção e exploração zootécnica desta espécie. No entanto, mais estudos são necessários para avaliar os fatores genéticos e moleculares envolvidos na morfogênese deste sistema em emas. 

  • MARCELO RICHELLY ALVES DE OLIVEIRA
  • AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO DE BOVINOS DA RAÇA TABAPUÃ DE ESTADOS NORDESTINOS DO BRASIL UTILIZANDO MODELOS DE REGRESSÃO ALEATÓRIA

  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 26/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O melhoramento genético animal é essencial para incrementar a produção de carnes no Brasil. Dentre diversas metodologias de avaliação genética, a utilização de modelos de regressão aleatória (MRA) na avaliação da curva de crescimento, é eficiente por eliminar a necessidade de pré-ajustes e a possibilidade de utilização de todas as informações de pesagens do animal. Tem-se por objetivo comparar diferentes modelos de regressão aleatória e buscar o modelo mais adequado para descrever mudanças nos parâmetros de avaliação do crescimento de bovinos Tabapuã criados no Nordeste brasileiro. Os modelos continham os efeitos fixos de grupo de contemporâneo e a covariável idade da vaca ao parto e como efeitos aleatórios, os efeitos genéticos aditivos (direto e materno) e os efeitos ambientais permanentes, (direto e materno). As estimativas de variância genética aditiva direta e das herdabilidades aumentaram em função da idade. As estimativas de correlações genéticas entre as características foram positivas e de magnitudes moderada a alta. A correlação fenotípica entre o peso ao nascimento teve baixa correlação com as demais características.O modelo de regressão aleatória M4532-5 apresentou o melhor ajuste. Resposta à seleção para obtenção de animais mais pesados será eficiente quando realizada em qualquer idade dentro do período avaliado.

  • WANDERSON FIARES DE CARVALHO
  • Comportamento e composição botânica da dieta de caprinos e sistema silvipastoril 

  • Orientador : MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
  • Data: 26/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  O objetivo neste estudo foi avaliar o desempenho e o comportamento de caprinos suplementados com alimento energético em sistema silvipastoril. O experimento foi realizado de outubro de 2013 a fevereiro de 2014, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí. A área experimental foi formada pela Leucena (Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit.) consorciada com gramíneas: cultivadas e nativas. Foi adotado o delineamento estatístico inteiramente casualizado com quatro tratamentos e cinco repetições. O grupo controle foi alimentado apenas na pastagem e os demais grupos suplementados com milho moído a 0,5; 1,0 e 1,5% do PV. Foram utilizados 20 cabritos da raça Anglonubiana, distribuídos aleatoriamente nos quatro tratamentos. Foram avaliados o desempenho, o comportamento e a contaminação por verminoses gastrintestinais. Os níveis de suplementação reduziram o tempo de  pastejo, aumentaram o de  ruminação e o de ócio,   e não influenciaram o tempo de deslocamento e as taxas de bocados. A suplementação reduziu o tempo de pastejo das gramíneas, mas não influenciou o da leucena. O ganho médio diário foi maior nos animais que receberam suplementação, contudo não houve efeito desta sobre os níveis de contaminação por verminoses.  Em sistema silvipastoril formado por leucena e gramíneas os caprinos preferem as gramíneas. A suplementação energética melhora o desempenho e modifica comportamento de caprinos em pastejo.  

  • MARINA REBECA SOARES CARNEIRO DE SOUSA
  • EFEITO DA Senna spectabilis SOBRE O SISTEMA REPRODUTOS DE RATOS

  • Orientador : AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
  • Data: 25/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Em regimes extensivos de criações na região Nordeste, os animais herbívoros utilizam todos os tipos de alimentação disponíveis, especialmente as gramíneas e leguminosas. A utilização de plantas nativas da região constitui uma alternativa importante de recurso forrageiro para alimentação animal durante o período seco (SILVA & ALENCAR, 2010). Entretanto as ocorrências de intoxicações por plantas em animais de produção no Brasil são conhecidas desde que os pioneiros portugueses introduziram as primeiras cabeças de gado em pastagens naturais da região (CORREA & MEDEIROS, 2001). A família Leguminosae é uma das maiores e das mais importantes no reino vegetal com grande distribuição geográfica. No gênero Samanea, tem-se estudo do nosso grupo de pesquisas sobre toxicidade do extrato hidroalcoólico de Samanea tubulosa (bordão-de-velho) na gestação de ratas Wistar. Assim como a Samanea tubulosa, a Senna spectabilis é também uma leguminosa (Fabaceae) de grande presença em vegetações nativas da Região Nordeste e de alto consumo pelos animais, por possuírem vagens comestíveis e sabor doce. Verifica-se na avaliação das características organolépticas, cor, odor e aspecto muito semelhantes às da S.Tubulosa. Neste contexto, devido a frequente presença de Senna spectabilis em solos da Sub-Região Meio-norte, e dada à grande semelhança organoléptica com que possui toxicidade gestacional já demonstrada tornou-se necessário a continuação dos estudos. Foram realizados vários protocolos experimentais tais como estudo da dose letal a qual foi superior a 2000 mg/Kg de peso corporal, o que permitiu que fossem usadas as doses de 250, 500 e 1000 mg/Kg de peso corporal na avaliação da toxicidade gestacional, onde foi observado diminuição do tamanho da ninhada e do peso dos fetos. Avaliou-se também a toxicidade para larvas de Artemia salina, na qual houve número significativo de mortes em todas as concentrações testados (1000, 100, 10, 0,1 e 0,01 µg/mL). Nos testes de atividade androgênica, antiandrogênica e toxicidade sistêmica não foram observadas alterações em nenhum dos parâmetros. Na mensuração dos parâmetros hematimétricos, leucocitários e bioquímicos, também não foram observadas alterações, assim como nos testes de comportamento sexual e efeito pró-erétil e no teste de campo aberto não foram observadas quaisquer alterações em relação aos respectivos controles. Conclui-se que a S. tubulosa apresenta toxicidade gestacional e não a presenta atividade sobre a função reprodutiva no macho.

  • TATIANA SARAIVA TORRES
  • Modelos Bayesianos para avaliação genética da resistência a endoparasitas em Caprinos

  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 25/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este trabalho avaliar o impacto de diferentes distribuições associadas as características ligadas à resistência genética a endoparasitas, utilizando a Inferência Bayesiana, avaliar o impacto das distribuições adotadas na estimação dos parâmetros genéticos e predizer os valores genéticos para características associadas a resistência genética a endoparasitas As características utilizadas para associar a resistência dos animais ao endoparasitismo foram ovos por grama de fezes, coloração da mucosa medida pelo método FAMACHA©, volume globular, escore de condição corporal e peso corporal. As distribuições adotadas para OPG foram a normal e Poisson, para as demais características foi utilizada distribuição normal. Para a característica OPG avaliou-se, também, transformação logarítmica, ajustando distribuição normal, sendo duas transformações com logaritmo natural e duas na base dez, como segue:  (OPG + 1);  (OPG + 100);  (OPG +1) e  (OPG +10). As características foram analisadas através do Modelo Linear Misto, quando considerada a distribuição Normal da característica, e modelo Linear Generalizado Misto quando considerado a distribuição de Poisson. A escolha do melhor modelo bem como a distribuição foi realizada com base no critério de informação da Deviance (DIC) e no quadrado médio do resíduo (QMR). Para OPG a distribuição que melhor se ajustou aos dados foi a Poisson, devido os dados não obedeceram a condição de normalidade. Para a característica coloração da mucosa ocular (FAMACHA©) e escore de condição corporal a distribuição que melhor se ajustou aos dados foi a normal. Ao analisar as estimativas de herdabilidade para a característica OPG nota-se valores da estimativa moderada quando analisada a distribuição de Poisson (0,21), na distribuição normal a herdabilidade foi baixa (0,05) e as transformadas variaram entre 0,34 e 0,53. Para as demais características que seguem distribuição normal a herdabilidade variou entre 0,11 a 0,60. Foram preditos os valores genéticos para as características associadas a resistência genética a endoparasitas e avaliado o ranqueamento dos animais com base nos valores genéticos preditos para OPG, FAMACHA e peso. As correlações em sua maioria positivas e de baixa magnitude, indicando pouca relação genética entre as características. As correlações de ordem entre OPG e as demais características indicaram que os animais com melhores valores genéticos para OPG não foram os melhores animais para as demais características, indicando que a seleção para animais resistentes a endoparasitas não pode ser realizado com base no peso e escores dos animais, pois levaria a resultados insatisfatórios. O uso das características OPG, VG e FAMACHA© podem ser utilizadas para a seleção de forma direta, mostrando ser uma alternativa viável para identificar os indivíduos resistentes as infecções por endoparasitas gastrintestinais.

  • LUANNA SOARES DE MELO EVANGELISTA
  • Características clínicas, laboratoriais e reprodutivas de cães naturalmente infectados por Leishmania sp

  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 23/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este trabalho avaliar as características clínicas, laboratoriais, seminais e testiculares de cães Sem Raça Definida (SRD) positivos para leishmaniose visceral canina (LVC). Os animais foram obtidos por meio da Gerência de Controle de Zoonoses (GEZOON) de Teresina, Piauí, e levados para os canis do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí (UFPI), onde permaneceram durante o período de fevereiro a abril de 2014. Foram coletadas amostras de sangue e de sêmen de 12 cães, machos, sendo 06 positivos (GI) e 06 negativos (GII) para a LVC. Os resultados demonstraram que os animais com a doença apresentaram como sintomatologia clínica: linfoadenomegalia (100%), seguido de onicogrifose (50%), lesões de pele e emagrecimento (33,3%), observados durante o período experimental. A anemia normocítica normocrômica (83,3%), trombocitopenia e monocitopenia (33,3%) foram os achados hematológicos mais frequentes nos animais doentes. As análises bioquímicas revelaram alteração renal em dois dos animais positivos, já que houve aumento nos índices de ureia (88,5 e 63,4mg/dl), embora os índices de creatinina tenham se mantido dentro da normalidade entre os animais estudados. Quanto às características seminais foram avaliados parâmetros macroscópicos e microscópicos a fresco, refrigerado e congelado, havendo diferença significativa nos parâmetros de motilidade e vigor avaliados no sêmen fresco e refrigerado, porém no sêmen descongelado não houve diferença estatística nesses parâmetros, quando avaliados por meio do teste de termorresistência (TTR) e análise computadorizada do sêmen (CASA). De acordo com as análises de ultraestruturas espermáticas foram observadas diferenças estatísticas quanto à membrana plasmática, membrana acrossomal e potencial mitocondrial das células espermáticas dos grupos experimentais. A testosterona se manteve dentro dos índices de normalidade nos animais estudados, não diferindo estatisticamente entre os grupos. Todas as amostras de sêmen dos animais foram negativas para LVC por meio da técnica de reação em cadeia pela polimerase (PCR) e por meio da histopatologia dos testículos. Deste estudo, foi possível observar alterações seminais e lesões testiculares em todos os animais do experimento, não havendo relação direta entre a presença de Leishmania sp. e a intensidade de danos encontrados no sistema reprodutivo destes cães.

  • ANAEMILIA DAS NEVES DINIZ
  • AVALIAÇÃO ECOCARDIOGRÁFICA E ELETROCARDIOGRÁFICA DE CUTIAS (DASYPROCTA PRYMNOLOPHA, WAGLER 1831) 

  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 13/02/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Por ser um animal com potencial zootécnico considerável a Cutia (Dasyprocta Prymnolopha, Wagler 1831) vem tendo sua população diminuída o que acarreta um maior interesse no conhecimento da sua biologia na tentativa de aprimoramento do manejo em cativeiro, bem como em conservação da espécie. Apesar de não ser muito comum a eletrocardiografia computadorizada é uma técnica de baixo custo, facilmente executável e extremamente útil para o diagnóstico de doenças cardiovasculares em medicina veterinária. A maioria das espécies silvestres tem comportamento mais arisco e precisam estar sob a condição de contenção química ou mesmo de anestesia geral para realização de procedimentos médicos, científicos ou mesmo de manejo. Dentre os protocolos de contensão química mais utilizados está a associação da Cetamina com a Xilazina e Cetamina com Midazolan. O presente estudo teve como objetivo definir padrões eletrocardiográficos para cutias (Dasyprocta Prymnolopha, Wagler 1831) submetidas a diferentes protocolos anestésicos a fim de obter dados que ajudem na monitorização desses animais durante procedimentos que necessitem da  utilização desses fármacos como forma de contenção. Foram utilizados  para cada protocolo 18 animais (9 machos e 9 fêmeas)adultos com média de dois anos de idade e peso variando entre 1,5 a 2,0 Kg  da espécie (Dasyprocta prymnolopha, Wagler 1831), todos clinicamente sadios, oriundos do Núcleo de estudos e preservação de animais silvestres (NEPAS) da Universidade Federal do Piauí do município de Teresina, PI. No primeiro protocolo os valores com diferença significativa entre machos e fêmeas os valores de duração em milissegundos do complexo QRS (fêmeas 58,28 ± 17,72 e machos 47,31 ± 7,65); Duração em milissegundos do intervalo PR (fêmeas 85,91 ± 21,68 e machos 77,73 ± 13,07) e duração do intervalo QT (fêmas231,82 ± 33,81  e machos 220,37 ± 20,66). Já na associação de Cetamina e Xilazina houve diferença significativa na duração em milissegundos houve diferença significativa na duração da onda P e intervalo QT quando comparados machos e fêmeas e na altura da onda P em mV.

2014
Descrição
  • SANDRA REGINA GOMES DA SILVA
  • ZINCO ORGÂNICO PARA FRANGOS DE CORTE DE 1 A 42 DIAS ESTRESSADOS POR CALOR CÍCLICO

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 11/12/2014
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o efeito da suplementação da dieta com zinco orgânico sobre o desempenho de frangos de corte na fase pré-inicial, inicial, crescimento e terminação, rendimento de carcaça, peso relativo de órgãos linfoides, digestivos e coração, bem como o percentual de córtex bursal das aves ao final das fases inicial e final, percentual de córtex tímico, parâmetros bioquímico sérico e análise química da carcaça na fase de terminação. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado com quatro tratamentos e cinco repetições. Os tratamentos consistiram na suplementação com zinco orgânico nos níveis: 30, 60, 90 mg/kg, mais um tratamento controle para todos os ensaios. Na fase pré-inicial, os tratamentos influenciaram de forma quadrática o consumo de ração, o ganho de peso e a viabilidade criatória, em que os maiores valores foram obtidos respectivamente, nos níveis suplementares de 58,33; 50,0 e 45,45 mg de zinco orgânico/kg de ração. No período de 1 a 21 dias, os níveis de zinco orgânico suplementares não influenciaram o consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar, índice de eficiência produtiva e viabilidade da criação. No entanto, influenciaram de forma quadrática o rendimento de carcaça e o peso relativo do pâncreas, propiciando maiores valores nos níveis de 47,33 e 75 mg/kg, respectivamente. O peso relativo do coração foi influenciado de forma linear positiva pelos tratamentos.  Nas fases de crescimento e engorda, os tratamentos influenciaram de forma linear e positiva o consumo de ração, proteína bruta e extrato etéreo na carcaça, peso relativo da moela, concentração das proteínas totais e o percentual do córtex tímico. Os tratamentos têm efeito positivo sobre o desempenho dos animais na fase pré-inicial, no entanto não melhoram o desempenho nas demais fase analisadas, embora a resposta imune em todas as fases estudadas seja melhorada.

  • ANTONIO DE SOUSA JUNIOR
  • Utilização do captopril e da angiotensina II na produção in vitro de embriões bovinos

  • Orientador : JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
  • Data: 28/10/2014
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O captopril é um inibidor da enzima conversora da angiotensina (ECA), que impede a angiotensina I (Ang. I) de ser convertida em angiotensina II (Ang. II). A Ang. II é capaz de reverter o efeito inibitório das células foliculares sobre a maturação nuclear de oócitos bovinos in vitro e melhora a maturação citoplasmática do oócito. Possivelmente a Ang. II atue nas células foliculares desencadeando uma reação em cascata que leva a ativação de outros fatores que irão atuar no oócito, permitindo assim o reinício da meiose. Entretanto esse mecanismo intrafolicular não é bem compreendido. Objetivou-se com pesquisa avaliar o efeito do captopril na maturação in vitro (MIV) dos complexos cumulus-oócito (CCOs), bem como na produção in vitro de embriões bovinos. No primeiro experimento foram utilizados CCOs de fêmeas bovinas provenientes de abatedouros do município de Teresina-PI. Dos CCOs capturados 1627 foram classificados de graus I e II, de acordo com a qualidade morfológica, e submetidos ao processo de MIV, distribuídos em quatro grupos experimentais: G1 (n=264) – controle; G2 (n=460) - 5µM de captopril; G3 (n=444) - 10µM de captopril; e G4 (n=459) 15µM de captopril. E incubados por 22 horas em estufa com atmosfera de 5% de CO2. Após 22 horas, os CCOs, foram avaliados para a determinação da taxa de maturação. As taxas de maturação foram: G1 - controle 60,39% (120/212),; G2 - 5µM de captopril 61,38 % (240/396); G3 - 10µM de captopril 65,06% (174/329) e G4 -15µM de captopril 63,48% (207/355). Os resultados demonstram que não houve diferença estatística significativa (P>0,05) entre os tratamentos. No segundo experimento CCOs maturados em meios contendo 0; 5, 10 e 15µM de captopril. Posteriormente, os CCOs maturados foram fertilizados in vitro e co-incubados em temperatura de 38,5ºC por 20 horas, em 5% de CO2. Após a fertilização in vitro (FIV), 472  presumíveis zigotos foram cultivados em meio  e mantidos em estufa à temperatura de 38,5ºC, em 5% de CO2, durante 7 dias. No quinto dia de cultivo foi realizado o feeding (troca de 50% do meio). A avaliação da taxa de clivagem foi observada 48 horas após a fertilização e a formação de blastocisto 168 horas após. No segundo experimento a taxa de clivagem foi de G1 - 61,84% (47/76); G2 - 71,00% (71/100); G3 - 68,87% (73/106); e no G4 - 56,90% (66/116). O total de embriões viáveis foi de 37; 48; 53 e 62, respectivamente para os grupos experimentais G1, G2 , G3 e G4. A taxa de maturação, clivagem e desenvolvimento embrionário foram comparados pelo teste do χ2, para P<0,05. A suplementação de captopril no meio de maturação não melhorou a extrusão do primeiro corpúsculo polar, a taxa de clivagem, bem como, a quantidade e a qualidade de embriões viáveis.

  • GERLAN VIEIRA DE SOUSA
  • BABESIOSE E ANAPLASMOSE BOVINA NA MICRORREGIÃO DE TERESINA, PIAUÍ

  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 16/10/2014
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O complexo de enfermidades conhecido no Brasil como Tristeza Parasitária Bovina (TPB) é provocado por dois agentes distintos que causam a babesiose e anaplasmose, porém os sinais clínicos e epidemiologias se confundem. No Brasil, a babesiose bovina é causada pelos hemoprotozoários Babesia. bovis e Babesia bigemina e a anaplasmose pela rickéttsia intra-eritrocitária Anaplasma marginale. Essas doenças ocorrem em regiões de clima tropical e subtropical, sendo seu principal vetor o carrapato Rhipicephalus microplus e causa sérios prejuízos econômicos. A TPB ocorre na maioria dos estados brasileiros e esta pesquisa tem como objetivo conhecer aspectos epidemiológicos da babesiose e anaplasmose no rebanho da microrregião de Teresina-PI. Foram utilizados 345 bovinos com idade acima de nove meses sem distinção de sexo ou raça, número determinado a partir do modelo matemático desenvolvido pelo Centro Panamericano de Zoonoses (1979). Para o cálculo, o valor utilizado como prevalência esperada foi de 52,5% para Babesia bovis, obtido a partir de um experimento realizado por (SOUSA, 2011) na região norte do estado. Em todos os animais foram colhidos amostras de sangue dos animais para realização de Reação em Cadeia de Polimerase (PCR). Para as reações de PCR, Nested–PCR utilizou-se primers descritos por Linhares e Figueroa.

  • HERMÍNIO JOSÉ DA ROCHA NETO
  • ÍNDICE CARDIOTORÁCICO E VHS PARA A PADRONIZAÇÃO DO TAMANHO CARDÍACO DE MACACO PREGO (Cebus apella) EM IMAGENS RADIOGRÁFICAS COMPUTADORIZADAS.

  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 19/09/2014
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os macacos-prego vivem em florestas neotropicais distribuídos por toda a América, como a floresta Amazônica, assim como em áreas do cerrado e da caatinga. No Brasil, ocorre da região norte à região sul, ocupando uma grande variedade de ambientes, sendo um dos primatas do Novo Mundo com a maior área de ocorrência. A flexibilidade, o oportunismo e a habilidade são características chaves deste primata que contribuem para o seu sucesso na ocupação e exploração de vários tipos de florestas tropicais. O ritmo urbano imprimido pela modernidade tem afastado esses animais de seu habitat, aumentado a sua predação pela caça ou mesmo morte em áreas urbanas. Assim, cada vez mais aumentada a presença desses animais nos centros de atendimento de silvestres. Deste modo, esta pesquisa teve como fundamento investigar métodos de avaliação cárdiaca nesta espécie, de maneira a gerar subsídios clínicos e cirúrgicos que auxiliem em sua conservação. Foram utilizados 10 macacos-prego higidos submetidos a exames radiográficos torácicos. As imagens obtidas foram analisadas utilizando-se os métodos VHS e índice cardiotorácio para padronização dos valores de normalidade para a espécie. O VHS médio para machos foi de 9,34 ± 0,32, enquanto que para fêmea de 9,16 ± 0,34. O Índice Cardiotorácico (ICT) apresentou valores médios de 0,51±0,03 para os machos e de 0,52±0,02 para as fêmeas, não havendo diferença entre sexos tanto para o VHS quanto para o ICT.O estudo das correlações entre o VHS em ambos os decúbitos e o ICT demonstrou correlações positivas, respectivamente em ambos os decúbitos, assumindo o ICT como variável dependente. Por meio das técnicas radiográficas aplicadas foi possível estabelecer os padrões de normalidade para o ICT em comparação ao VHS, assim como demonstrar a existência de correlação entre os dois métodos. OS valores obtidos serão úteis para prever alterações do tamanho da silhueta cardíaca na espécie, auxiliando em seu manejo e conservação.

  • LUCIANO SANTOS DA FONSECA
  • Erliquiose e Anaplasmose canina e humana em Teresina, Piauí

  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 15/09/2014
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A erliquiose é uma enfermidade que tem merecido destaque no cenário mundial devido ao seu potencial zoonótico em áreas onde a presença de carrapatos é considerada uma das principais enfermidades infecciosas nos cães. A Ehrlichia canis é a principal responsável pela infecção nestes animais sendo denominada Erliquiose Monocítica Canina e o principal vetor é o carrapato Rhipicephalus sanguineus. Esta infecção encontra-se globalmente distribuída e ocorre em vários países do mundo e no Brasil é considerada endêmica nas áreas urbanas nas regiões nordeste, sudeste, sul e centro-oeste. No presente trabalho foram coletados sangue total de 270 cães na área urbana e 400 cães na zona rural de Teresina, Piauí totalizando 670 animais. Em todos eles foram realizados hemograma completo, confecção de esfregaço sanguíneo para exame parasitológico direto e extração do DNA para Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR) para identificação do DNA do parasito de E. canis, Ehrlichia sp e A. phagocytophilum. As alterações hematológicas mais comuns nos animais positivos da zona urbana foram a anemia não regenerativa severa compreendo 48,57% e 65%% na zona rural. A plaquetometria revelou uma significante trombocitopenia tanto em animais da animais da zona urbana como na zona rural, 67,14% e 90%, respectivamente. O exame direto do esfregaço mostrou-se com baixa sensibilidade e especificidade em todos os animais com positividade de 2,5% e 2,7% na área urbana e rural, respectivamente. Os parasitos visualizados às microscopia foram Leishmania sp., Babesia sp., Anaplasma platys e Hepatozoon sp., no entanto, nenhuma mórula de Ehrlichia foi encontrada. Na PCR obteve-se 49,7% de positividade para E. canis na zona rural e 25,9% na área urbana. Já para A. phagocytiphilum todas as amostras apresentaram-se negativa tantos para o animais da área urbana como rural. Estes resultados reafirmam a endemia da doença e despertam a necessidade de maiores avaliações epidemiológicas nas infecções erliquiais em cães e principalmente em humanos, que poderão servir de maior importância para a Saúde Pública nos próximos anos.