Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MONICA DE ARAUJO DAMASCENO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MONICA DE ARAUJO DAMASCENO
DATA: 28/08/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Online (Google Meet)
TÍTULO: Movimento Estudantil como Resistência no enfrentamento de adversidades no processo de escolarização
PALAVRAS-CHAVES: Movimento estudantil; resistência; educação.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

O processo de escolarização se configura como etapa importante para construção dos sujeitos,
sendo assim importante que as relações existentes dentro das instituições de ensino atuem de
maneira dinâmica cooperativa e coletiva priorizando a criticidade e a autonomia dos indivíduos.
Entretanto, o cenário da educação brasileira tem sido de desmonte e de precarização dificultando a
desenvoltura dos saberes, do processo de ensino-aprendizagem e do bem-estar dos estudantes. O
movimento estudantil e as suas entidades podem se configurar como via de resistência diante dessas
precarizações, atuando no desenvolvimento sócio político dos estudantes e sendo via de expressão,
dentro das escolas, das questões latentes e difusas da sociedade, assim a resistência histórica das
entidades estudantis e a sua disposição para lutar formam uma frente de múltiplas potencialidades
atuante no processo de transformação social. Em razão disso surge o questionamento desse
trabalho, que busca compreender: de que maneiras a resistência estudantil emerge durante a
trajetória educacional e auxilia no enfrentamento das adversidades enfrentadas durante o processo
de escolarização? No desejo de responder esse questionamento, o presente trabalho objetiva
analisar a emergência da resistência estudantil no enfrentamento de adversidades durante a
trajetória educacional. Além de identificar quais as demandas da escola trazidas pelos estudantes
durante a trajetória educacional, levantar as adversidades enfrentadas pelo movimento estudantil
no cotidiano das instituições de ensino e verificar as estratégias e os aspectos protetivos existentes
na escola, a partir dos relatos dos estudantes. O presente projeto foi aprovado no Comitê de Ética
em Pesquisa - CEP da Universidade Federal do Piauí, conforme número do parecer: 4.077.485.
Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo e quanto aos seus objetivos, enquadra-se como uma
pesquisa descritiva. Estima-se a participação de 60 pessoas maiores de 18 anos (sendo eles 30 do
sexo feminino e 30 do sexo masculino) que participam ou participaram de movimentos estudantis
em algum período da sua trajetória estudantil. A coleta de dados se dará via questionário eletrônico
elaborado pela ferramenta “formulário” da plataforma Google Docs, que será enviado aos
participantes de maneira eletrônica. Os participantes serão esclarecidos acerca dos cuidados da
pesquisa, do sigilo com relação aos dados e participarão mediante concorde com o Termo de
Consentimento Livre e Esclarecido. O questionário contará com um conjunto de perguntas sobre
aspectos sociodemográficos, para caracterização da amostra, sendo elas, sexo, idade, qual entidade
estudantil fez/faz parte, por/há quanto tempo, bem como questões que versem sobre o objeto de
estudo: as demandas da instituição de ensino, as dificuldades enfrentadas pela entidade estudantil,
os aspectos protetivos e as estratégias existentes na instituição de ensino e quais as vias de
expressão da resistência estudantil dentro da instituição. Os dados serão analisados por meio de
dois Softwares de tratamento e análise de dados. O software IBM SPSS Statistics 21 fará a análise
estatística descritiva de frequência dos dados sociodemográficos dos participantes e para a análise
dos dados advindos das perguntas de pesquisa, será utilizado o software IRAMUTEQ - Interface
de R Pour Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires que analisará os corpus
textuais referentes às perguntas direcionadas aos estudantes que participarão da pesquisa. Nas
análises, será realizado o método de Classificação Hierárquica Descendente (CHD), que indica as
classes lexicais em que foram divididos os discursos e os dados serão analisados posteriormente à
luz da psicologia escolar crítica. Espera-se que os resultados da pesquisa proporcionem reflexões
acerca da importância das entidades estudantis, do engajamento político e da participação ativa dos
estudantes para um ensino democrático. Que as instituições de ensino possam pensar em estratégias
de facilitar as expressões das entidades estudantis e de trabalharem juntas para uma educação de
qualidade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BRENO DE OLIVEIRA FERREIRA - UFAM
Presidente - 1859186 - FAUSTON NEGREIROS
Interno - 2441003 - RAQUEL PEREIRA BELO
Notícia cadastrada em: 06/08/2020 16:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 25/10/2020 02:32