Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: KATRINE SILVA DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KATRINE SILVA DE CARVALHO
DATA: 13/12/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Online/Remoto - Google Meet
TÍTULO: EFEITOS DO MINDFULNESS NAS FUNÇÕES EXECUTIVAS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM DESENVOLVIMENTO TÍPICO
PALAVRAS-CHAVES: Funções Executivas; Terapia Cognitivo - Comportamental; Mindfulness.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Introdução: De acordo com Stallard (2021) a Terapia Cognitivo – Comportamental é um termo utilizado para descrever um grupo de intervenções psicoterapêuticas focadas na relação entre processos cognitivos, emocionais e comportamentais. De acordo com Wright et al. (2008), o pressuposto básico da Terapia Cognitivo - Comportamental é de que os pensamentos têm uma influência controladora sobre as emoções e comportamentos, da mesma forma, os comportamentos podem afetar profundamente os padrões de pensamento e emoções. O grupo de intervenções em Terapia Cognitivo-Comportamental evoluiu ao longo do tempo em três fases ou ondas, sendo a primeira onda a Terapia Comportamental, na qual era focada na relação entre comportamento e emoções; a segunda onda, a Terapia Cognitiva, esta expandiu a Terapia Comportamental, trazendo o foco nos significados e interpretações que são atribuídos aos eventos que ocorrem (Stallard, 2021); e a partir da década de 1990 surgem as TCCs pertencentes à terceira Onda que concentram-se em mudar a natureza de como as pessoas se relacionam com os pensamentos e emoções, em vez de tentar mudá-los (Stallard, 2021). As abordagens de terceira Onda são caracterizadas pelo uso integrado de técnicas de Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT), a Terapia Focada na Compaixão (CFT), a Terapia Comportamental Dialética (DBT) e a Terapia Cognitiva Baseada em Mindfulness (MBCT) (Custodio, 2017; Stallard, 2021; Sousa, 2020). O Mindfulness, que será utilizado como intervenção no presente estudo, se refere a um modo específico de prestar atenção intencionalmente, no momento presente e sem julgamento, ou seja, é perceber o que está acontecendo e escolher a forma de responder às experiências, em vez de ser impelido pelas reações de costume (Consenza, 2021; Neufeld et al., 2021; Stallard, 2021). A Terapia Cognitiva baseada em Mindfulness (MBCT) desenvolve habilidades de Mindfulness e compaixão como pilares centrais, além de utilizar estratégias da Terapia Cognitiva, ajudando os indivíduos a identificarem que situações desafiadoras do seu dia são gatilhos para a ativação de pensamentos, emoções e reações fisiológicas indesejáveis (Friary, 2018; Souza, 2020). Através das estratégias da MBCT, as crianças são convidadas a aceitar a si e tudo que surja na sua vida com mais abertura e gentileza, e olhar os seus pensamentos sem julga-los como verdade ou mentiras que precisam ser repelidas ou racionalizadas, assim abrem o caminho para que as mudanças possam acontecer de forma espontânea e natural (Friary, 2018). A prática de Mindfulness traz benefícios também para as crianças, uma vez que atende a uma grande necessidade de pais, filhos e escola ao encontrarem a calma física e mental diante de momentos desafiadores (Neufeld et al., 2021). Ao praticar o Mindfulness as crianças aprendem a responder ao mundo e aos seus próprios desejos com mais calma, com mais pausa, ajudando-as a sair do piloto automático, identificando melhor os seus impulsos e aprendendo a observar mais de perto as consequências de suas ações em si e nas pessoas à sua volta (Friary, 2018). Embora ainda haja muito a ser pesquisado, tem-se observado que a pratica do Mindfulness pode provocar maior espessura cortical às regiões relacionadas às funções executivas, atenção e memória (Friary, 2018; Souza, 2020). Diante disso, estudos (Mak et al., 2018; Santonastaso et al., 2020; Valero et al., 2021) sugerem que as intervenções baseadas em Mindfulness podem ser promissoras no desenvolvimento e aprimoramento das Funções Executivas de crianças com desenvolvimento típico ou atípico. Nesse contexto é importante salientar que, não existe uma definição unânime para as Funções Executivas, no entanto, de forma geral, podem ser entendidas com processos cognitivos que possibilitam o controle e a regulação do comportamento, objetivando alcançar fins específicos (Fonseca et al., 2020). Desta forma, os estudos sugerem, mesmo de maneira ainda preliminar que, as práticas baseadas em Mindfulness podem ser promissoras para o desenvolvimento e treinamento destas habilidades e o quanto antes forem ensinadas, melhor para o seu desenvolvimento (Friary, 2018). Diante dos aspectos teóricos descritos, surge o problema de pesquisa: A prática de Mindfulness melhora o desempenho das funções executivas de crianças e adolescentes? Para tentar responder a este problema a presente pesquisa é constituída de dois estudos. Estudo 1. Eficácia de Intervenções baseadas em Mindfulness sobre as Funções Executivas de Crianças e Adolescentes: Uma Revisão Sistemática. Objetivo: Realizar uma revisão sistemática sobre a eficácia da intervenção em Mindfulness nas Funções Executivas de crianças e adolescentes. Método: Trata-se de um estudo de revisão sistemática, buscando seguir as diretrizes da declaração Preferred Reporting Items for Systematic reviews and Meta-Analysiss (PRISMA), com métodos rígidos de seleção e análise dos dados. Esta revisão partirá da seguinte pergunta de pesquisa “Qual a eficácia de programas de intervenção em Mindfulness nas funções executivas de crianças e adolescentes?”. Amostra: Para fazer parte desta revisão, as pesquisas devem cumprir critérios de elegibilidade, são eles: (1) estudos empíricos (ensaio-clínico, randomizados); (2) estudos com crianças e adolescentes, com desenvolvimento típico; (5) que investiguem funções executivas; (6) utilizem o Mindfulness como intervenção; (7) artigos publicados na integra a partir de 2017 até o ano de 2022. Procedimento: As buscas serão realizadas nas bases de dados: Web of Science, PsycNet, Scopus, CINAHL e Medline, utilizando os seguintes descritores: Mindfulness; Executive functions; Interventions; Adolescent; children e Randomized controlled trials, tanto de forma isolada como cruzados na combinação de palavras com os operadores boleanos AND e OR. Análise dos dados: Contará com a avaliação de dois pesquisadores, de forma cega. A avaliação iniciará pelos títulos e resumos dos estudos. A leitura completa do texto também será realizada pelos mesmos pesquisadores, que selecionarão os artigos que se encaixem nos critérios de inclusão e realizarão a extração dos dados necessários para análise desses estudos. Estudo 2. Efeitos do Mindfulness nas Funções Executivas de Crianças e Adolescentes com desenvolvimento típico. Objetivo: Avaliar a eficácia de um programa de intervenção em Mindfulness sobre as Funções Executivas de crianças e adolescentes com desenvolvimento típico. Método: Trata-se de um estudo longitudinal, quantitativo, ensaio clínico, aleatório, duplo cego, placebo-controlado, de medidas repetidas, onde os participantes responderão a todos os instrumentos antes, após, e uma semana depois das intervenções (follow-up). Amostra: A amostra será não probabilística, com efeito, bola de neve. Espera-se contar com a participação de 52 crianças e adolescentes com desenvolvimento típico. Os critérios de Inclusão são: (1) ter idade entre 9 e 12 anos; (2) Ser autorizado pelo responsável para participar do estudo. Os critérios de exclusão são: (1) ser diagnosticado com algum transtorno psicológico; (2) Ser acompanhado por um Terapeuta Cognitivo-Comportamental; (3) praticar quaisquer tipos de meditação; (4) está tomando algum tipo de medicação. Instrumentos: Serão utilizados os seguintes instrumentos: (1) Entrevista de Triagem para verificar critérios de inclusão; (2) questionário sócio demográfico para coleta de informações sobre sexo, idade, escolaridade, classe social, atividades física, dentre outras; (3) Índice de Memória Operacional da Escala Wechsler de Inteligência para crianças – WISC-IV(Wechsler, 2013); Teste dos cinco dígitos–FDT (Malloy-Diniz, 2015): objetivo medir a velocidade de processamento, a atenção e as FE (controle inibitório e flexibilidade cognitiva); (4) Teste de classificação de cartas Wisconsi –WCST (Curtis, 2019): padrão ouro na avaliação das FE avalia o raciocínio abstrato e capacidade de resolução de problemas. Procedimentos: O projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPAR). Após a aprovação, será realizada divulgação e convite para participação na pesquisa, através de folders distribuídos em espaços públicos frequentados por crianças (por ex. praças, parques, shopping), e em redes sociais. Com os interessados que entrarem em contato será realizada triagem que será respondida pelos pais ou cuidadores. As crianças que cumprirem os critérios de inclusão assinarão o termo de assentimento livre e esclarecido e os pais o termo de consentimento livre e esclarecido, estes ainda responderão ao questionário sócio demográfico. Logo, será agendado dia e hora para realização da coleta de dados e intervenções. As crianças serão distribuídas aleatoriamente, através de software on line, entre os grupos controle (GC) e experimental (GE), após formados os grupos, será realizada, antes da intervenção, aplicação dos testes que avaliam FE (Fase 1). Os instrumentos serão aplicados por um psicólogo devidamente treinando em avaliação psicológica. Em seguida, será dado início as intervenções. Com o GE serão realizados treinamentos em Mindfulness seguindo o protocolo da MBCT adaptado por Vitor Friary (2018) para crianças e adolescentes, e com grupo GC realizado treinamento em Educação Emocional através da contação de histórias e atividades sobre emoções básicas, e o desenvolvimento destas. As intervenções serão aplicadas pela própria pesquisadora e terão duração de 4 semanas, acontecendo 2 vezes na semana com duração de 40 a 60 minutos, para os dois grupos. Análise de resultados: Os dados serão analisados por outro pesquisador com expertise em estatística e será utilizado o software SPSS 26. Serão realizadas análises de normalidade, e a partir desses resultados será escolhida a análise para comparação das médias alcançadas pelos grupos (GE e GC), antes e após as intervenções, nos testes utilizados para medir FE.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1398721 - ANA RAQUEL DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - CARLOS EDUARDO PIMENTEL - UFPB
Presidente - 1816247 - PALOMA CAVALCANTE BEZERRA DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 30/11/2022 12:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 18/04/2024 14:37