Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: AMADEU ANTONIO PEREIRA NETO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMADEU ANTONIO PEREIRA NETO
DATA: 12/12/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Online/Remoto - Google Meet
TÍTULO: PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL E DEMANDAS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: ANÁLISE DOS CURRÍCULOS DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA NO NORDESTE BRASILEIRO
PALAVRAS-CHAVES: Psicologia escolar educacional; Gênero e sexualidade; Formação em psicologia.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Introdução. É fundamental a existência de profissionais psicólogas/os/es nos espaços educacionais, auxiliando na construção de práticas que levam a superação da exclusão da comunidade LGBTQIA+ nesse contexto. Porém, para que isso se concretize, é fundamental que se cuide da formação universitária, sendo necessário que essa educação inclua a obtenção de uma visão crítica das armadilhas teóricas que negam a historicidade aos significados e aos sujeitos. É importante a existência de formação com base em uma Psicologia Escolar Crítica, que desloque o olhar analítico de práticas individualizantes, e os volte para escola e o conjunto de relações institucionais, históricas, políticas e sociais (Patto, 2005, 1984, 1999; Firbida & Vasconcelos, 2019). Diante do que foi abordado, a presente pesquisa tem o intuito analisar a formação da/os/es Psicóloga/os/es na região Nordeste brasileira para uma atuação voltada para gênero e sexualidade em contextos educacionais. Analisando o Projeto Pedagógico de Curso (PPC) para os cursos de formação em psicologia nos Institutos de Ensino Superior (IES) públicos do Nordeste brasileiro. Pensando em como as teorias psicológicas de gênero e sexualidade estão sendo abordadas, de modo a refletir na maneira que elas vêm versando frente a este tema na atualidade, e nos diferentes modos de ser no atual contexto social e histórico. Fundamentação Teórica. É bastante corriqueiro o termo sexualidade e gênero serem confundidos nos debates da sociedade, embora existam grandes diferenças entre ambos. A sexualidade ou orientação sexual, é conceituada como a propriedade de desenvolver atração emocional, afetiva ou sexual por outra(s) pessoa(s) (Silva & Melo, 2017). A identidade de gênero é uma expressão produzida através de como a pessoa se reconhece ou se apresenta em relação ao seu gênero, e que pode condizer ou não ao seu corpo biológico (Jesus, 2012; Silva & Melo, 2017). Butler (2003), afirma que o gênero é construído culturalmente. Portanto, ao estudar gênero e sexualidade, é preciso compreender que ambos são produzidos socialmente, e que vão ser diretamente influenciados pelo contexto político, histórico e cultural. A escola se mostra como um dispositivo de muita importância para os aparelhos ideológicos do estado. Essa importância resulta do fato dela exercer sua ideologia a partir da ótica de uma classe dominante, transmitindo as morais, crenças, valores e civismo preestabelecidos pela sociedade (Patto, 1987). Em vista disso, percebe-se os grandes percalços que a/o/e profissional psicóloga/o/e tem de enfrentar nesses espaços. Nesse cenário torna-se crucial pensar politicamente o papel da/o/e psicóloga/o/e nos contextos educacionais, para que haja uma maior contribuição para o desenvolvimento de uma ciência e profissão implicada com as massas (Guzzo, 2008). Verifica-se que as instituições de ensino superior possuem um papel importante para a formação de profissionais críticos e aliados às questões advindas dos contextos sociais e profissionais. São ambientes que apresentam um grande potencial para a superação de teorias e técnicas que reproduzem as desigualdades de gênero e sexualidade (Assis, 2018). A representação do nordestino está ligada a masculinidade, à virilidade e valentia. Essas características advêm de uma sociedade heteropatriarcal somada com algumas características regionais adicionais, como os interesses das elites locais que estruturam a dominação econômica, político-cultural e o conservadorismo na região. A cultura heteropatriarcal que advém da formação social brasileira e, notadamente, da nordestina, apontam a realidade de violência que vive a população LGBTQIA+, negros e mulheres nessa região (Dantas, 2020). A representação do modelo típico de masculinidade é elaborada através da imagem do homem do campo e do sertão, fazendo com que os códigos de gênero sejam bem definidos e aprendidos como se fossem acontecimentos naturais (Albuquerque Junior, 2013). Segundo o estudo realizado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) no ano de 2021, através do mapeamento por estados, constata-se que a região nordeste lidera no número de homicídios por motivação de ódio a população LGBTQIA+. Na pesquisa, a região nordeste aparece com 106 mortes (35,33%). Com base nesses dados, compreende-se a necessidade da pauta e da luta LGBTQIA+, pois constata-se que essa é uma comunidade marginalizada e atacada através de violências físicas, morais e educacionais. Assim, com o intuito de formar profissionais mais capacitados para atuar frente às demandas da realidade brasileira, onde podemos citar as questões relacionadas à orientação sexual, gênero, raça, classe social e outras, as Diretrizes Curriculares Nacionais foram criadas em 2004 (Ribeiro & Soligo, 2020). A luz dessas diretrizes, encontram-se os Projetos Pedagógicos de Cursos/PPCs de cada IES. O PPC se conceitua como um documento que visa apresentar normas para os cursos de graduação, com informações sobre a estrutura e elementos reguladores internos. Logo, esse documento vai auxiliar na ampliação dos referenciais teóricos, políticos e culturais, pautando-se no ensino, pesquisa e extensão. Contribuindo na construção do perfil de sujeito/profissional que visa formar, dentro do contexto social para qual se destina a formação (Almeida, Morales, Grossi, Senna & Magalhães, 2019). Desse modo, se faz relevante explorar o PCC, pois é através dele que será possível observar quais as ênfases curriculares utilizadas pelo curso, como se dá a distribuição das disciplinas na grade curricular, e nas ementas de cada disciplina (Picasso & Tavares, 2019). Portanto, uma formação que englobe conteúdos sobre gênero e sexualidade, pode possibilitar as/o/e psicólogas/o/e compreender, contribuir e conhecer este tema nos mais diversos cenários de atuação, incluindo a escola. Objetivos. Analisar a formação da/o/e Psicóloga/o/e na região Nordeste brasileira para uma atuação voltada para gênero e sexualidade em contextos educacionais. Identificando os sentidos atribuídos sobre gênero e sexualidade nos Projetos Pedagógicos (PPC) dos cursos de formação em Psicologia em IES públicas do Nordeste brasileiro. Buscando caracterizar como os componentes curriculares (disciplinas e ementas) articulam e discutem a atuação da/o/e psicóloga/o/e frente á população LGBTQIA+. E por fim, verificando elementos teórico-práticos da psicologia escolar e educacional são expressos nos objetivos, matrizes e ênfases curriculares das IES públicas do Nordeste brasileiro. Método. É uma pesquisa qualitativa. Primeiramente será realizada uma pesquisa documental, entendendo que essa é a que melhor assiste os objetivos do estudo. E como perduram ao longo do tempo, tornam-se a mais significativa fonte de dados em qualquer pesquisa de natureza histórica. Podendo ser utilizada como meio para que o investigado adentre no campo de estudo buscando compreender o fenômeno a partir dos documentos (Gil, 2002; Kripka, Scheller & Bonotto, 2015). A pesquisa será realizada no Brasil. O corpus será composto pelos Projetos Pedagógicos de Cursos de psicologia das IES públicas do Nordeste brasileiro, as Diretrizes Curriculares Nacionais, e os planos de disciplinas que abordam a interface psicologia e educação, em cada um dos cursos investigados. Os documentos incluídos serão os aprovados pelos órgãos reguladores de ensino, como o Núcleo Docente Estruturante (NDE), o colegiado do curso, e a reitoria. Após localizar os cursos de psicologia existentes nas IES públicas do Nordeste do Brasil, irá ser realizado a busca pelos PPCs, que poderão estar acessíveis a partir das páginas eletrónicas de cada IES, ou por contato direto via e-mail institucional. Destarte, torna-se essencial ter um olhar crítico sobre os documentos, assim se atentando em analisar o contexto social no qual o documento foi elaborado, assim como as intenções do autor e do público destinado. Por conseguinte, se faz importante assegurar a qualidade da informação transmitida (Cellard, 2012). A presente pesquisa será realizada com documentos de domínio público, assim, será seguido a Resolução N° 510/2016 – CNS, na qual versa que pesquisas que se utilizem de informações de domínio público não precisam de registro no sistema CEP. Para a análise dos dados construídos na pesquisa documental, será construído um banco de dados, visando agrupar todas os elementos gerais e significativos de cada curso em psicologia da região Nordeste, visando identificar os perfis dos cursos, e realizar uma caracterização dos currículos, como os objetivos dos cursos, matriz e ênfases curriculares utilizadas por cada IES. Para auxiliar na análise, os PPCs serão submetidos ao software Iramuteq. Ele tem como finalidade a análise textual, que trabalha junto ao programa estatístico R e gera dados, a partir de textos e tabelas. Os resultados expressam a posição e a estrutura das palavras em um texto, ligações e outras características textuais, permitindo identificar indicadores e, por fim, verificar a estrutura e ambientes do texto a ser analisado. Assim, ele possibilita diferentes tipos de análises de dados textuais, das mais simples como a lexicografia básica, até análises multivariadas, como a classificação hierárquica descendente, que será a qual o corpus será submetido (Klamt e Santos, 2021; Camargo e Justo, 2013). Serão utilizados os pressupostos do materialismo histórico-dialético, da psicologia escolar crítica e dos estudos atualizados sobre gênero, sexualidade e escolarização para analisar os dados. Encaminhamentos para os Resultados: Até o presente momento, o trabalho encontra-se na fase de coleta de dados. No qual está sendo realizado a busca pelos Projetos Pedagógicos de Cursos de psicologia das IES do nordeste brasileiro. Atualmente foi realizado a coleta de Cinco PPCs. Estima-se que até o final do ano, todos os vinte quatro documentos já estejam prontos para a análise no software Iramuteq. Espera-se no final do estudo demonstrar a importância de uma formação que inclua os temas de gênero e sexualidade, possibilitando as/os/es psicólogas/os/es uma atuação frente a esse fenômeno nos espaços educacionais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1859186 - FAUSTON NEGREIROS
Externo à Instituição - ISABELLE PATRICIÁ FREITAS SOARES CHARIGLIONE - UnB
Interno - 1774313 - JOAO PAULO SALES MACEDO
Notícia cadastrada em: 30/11/2022 10:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 15/04/2024 03:29