Notícias

Banca de DEFESA: RAIMUNDO NONATO DE SOUSA BARROS NETO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAIMUNDO NONATO DE SOUSA BARROS NETO
DATA: 30/01/2023
HORA: 15:00
LOCAL: Online/Remoto - Google Meet
TÍTULO: Autoconceito e representações sociais do suicídio entre membro da Comunidade LGBTQIA+ brasileiros e chilenos
PALAVRAS-CHAVES: Representações Sociais; Comunidade LGBTQIA+; Suicídio; Autoconceito.
PÁGINAS: 152
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Além de sofrer com estressores do cotidiano, comuns a maior parte das pessoas, a população LGBTQIA+ sofre ainda com estressores adicionais, específicos dessa comunidade, como a discriminação social. Esse cenário acarreta em diversas implicação negativas para esse grupo, incluindo a desenvolvimento de um autoconceito empobrecido e risco aumentado de suicídio. A presente dissertação teve como objetivo principal apreender o autoconceito e as representações sociais acerca do suicídio entre membros da comunidade LGBTQIA+ brasileiros e chilenos. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório, com uso de dados transversais e contou com a participação de 140 pessoas LGBTQIA+ (120 brasileiro e 20 chilenos). O Estudo 1, teve por objetivo identificar as representações sociais de pessoas brasileiras não heteronormativas acerca da comunidade LGBTQIA+. Foi possível identificar que os elementos do núcleo central das representações sociais acerca da comunidade LGBTQIA+ se referem ao preconceito e discriminação amplamente vivenciados por esse grupo. Por outro lado, outras categorias evidenciam aspectos positivos da comunidade LGBTQIA+, representada como uma comunidade diversa, alegre e forte. No Estudo 2, Objetivou-se identificar os elementos constituintes do autoconceito e a estrutura representacional de brasileiros acerca de suas vivências LGBTQIA+. Foi possível identificar que no núcleo central e o sistema periférico das representações sociais dos participantes predominaram categorias associadas a características e sentimentos que podem ser compreendidos como positivos, o que sugere um autoconceito saudável. O Estudo 3, objetivou identificar e comparar as representações sociais do suicídio entre membros da comunidade LGBTQIA+ brasileiros e chilenos. Ao comparar os discursos relativos aos grupos que compõem o estudo, nota-se alguns pontos de convergência entre suas RS. Quanto ao ato do suicídio, os participantes o definiram como a ação de tirar a própria vida ou como desistir de viver. Além disso, associaram o pensamento suicida à saúde mental, a dor e sofrimento psíquico e a fuga de uma realidade marcada por problemas. Ambos os grupos concordaram que a população LGBTQIA+ está mais propensa a tentar o suicídio, e que esse cenário está associado a presença de fatores de risco específicos dessa comunidade, como a discriminação social e a não aceitação familiar. O Estudo 4, corresponde a elaboração, com base nos discursos dos participantes dos estudos e na pesquisa em materiais de divulgação científica, de uma cartilha bilíngue (português e espanhol) direcionada para a prevenção do suicídio entre pessoas LGBTQIA+.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1551072 - LUDGLEYDSON FERNANDES DE ARAUJO
Externo à Instituição - MARCELO XAVIER DE OLIVEIRA - UFAC
Interno - 2441003 - RAQUEL PEREIRA BELO
Notícia cadastrada em: 20/01/2023 06:29
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 15/04/2024 01:58