Notícias

Banca de DEFESA: LORENNA E SILVA MENDES BARRADAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORENNA E SILVA MENDES BARRADAS
DATA: 27/04/2023
HORA: 08:00
LOCAL: Sala Virtual - ZOOM
TÍTULO: OS RITUAIS DE DESPEDIDA POR LUTO NO CONTEXTO DA COVID- 19
PALAVRAS-CHAVES: covid-19, mortes, rituais, luto
PÁGINAS: 93
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Introdução: Com o advento da pandemia de Covid-19, os rituais de luto precisaram ser intensamente modificados, ocorrendo, em função das orientações sanitárias, com impedimentos e restrições. Objetivos: É com o intuito de se debruçar sobre essa temática que este trabalho tem como objetivo estudar sobre a temática dos rituais de luto sob interferência da pandemia de covid-19. Dessa forma, pretende explanar sobre o processo de ritualização de luto atravessado pelo advento da pandemia de Covid-19, analisar a produção científica realizada quanto ao tema no início da pandemia, bem como apresentar o modo como as pessoas experienciaram os rituais de luto pela morte de pessoa por Covid-19. Método: Como meio de alcançar esses objetivos, foram realizadas uma revisão de literatura, uma revisão sistemática e um estudo empírico, organizados em três capítulos, nesta sequência. Resultados: Conclui-se da revisão de literatura que a morte é um tabu que foi colocado em evidência pela Covid-19, à revelia da população mundial, mas que possibilitou olhá-la de frente e propor novas formas de encará-la. Já na revisão sistemática, discutiu-se sobre como o tema dos rituais de luto sob interferência da Covid-19 estava sendo estudado pelo mundo, com estudos analisados que se apresentaram em maior número com delineamento qualitativo/teórico e fazendo previsões, a partir da articulação teórica, de repercussões ruins quanto ao luto por morte de Covid-19. Por fim, o estudo empírico, apresentou a experiência dos familiares, a qual se deu com impedimentos e frustrações; de forma não satisfatória por ter sido diferente da tradicional, rápida e sem contato com o corpo do familiar morto; sem compartilhamento de dor emocional por meio do afeto entre familiares e amigos; com sentimentos intensificados pela não possibilidade de escolha em realizar os rituais; com mais informações sobre as limitações em relação aos rituais do que sobre suas alternativas; e uma forma de despedida que deixou muitos vazios, sendo a mais complexa, traumática e fora do normal para a situação de falecimento.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA KARLA SILVA SOARES - UFMS
Interno - 1774313 - JOAO PAULO SALES MACEDO
Presidente - 1867530 - SANDRA ELISA DE ASSIS FREIRE
Notícia cadastrada em: 25/04/2023 09:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 16/04/2024 10:08