Notícias

Banca de DEFESA: GEICE MARIA PEREIRA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GEICE MARIA PEREIRA DOS SANTOS
DATA: 17/07/2023
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma virtual – google meet
TÍTULO: CORPOS, VOZES E MEMÓRIAS DE PESSOAS NEGRAS: OS MARCADORES DAS AFRICANIDADES NAS ENCRUZILHADAS DA PERIFERIA
PALAVRAS-CHAVES: Marcadores das Africanidades; Caminho dos Odus; Território Periférico; Memórias
PÁGINAS: 155
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Introdução: Nessa busca por autocompreensão e compreensão de nossos iguais, traçamos meios de chegar no espaço onde nos encontramos hoje. Usaremos nessa escrita em alguns momentos a primeira pessoa do singular e do plural, porque nos entendemos enquanto um povo. Algumas experiências foram individuais, mas a vivência e a construção foi coletiva. Nesse sentido, usaremos o nosso lugar de pesquisadoras para permitir que a voz de pessoas negras ecoe, e nos permitimos usar nossa forma de conhecimento, nossa matriz africana de produção de ciência e de filosofia da ancestralidade. Objetivos: Essa dissertação visou compreender as interlocuções entre as vivências marcadoras das africanidades de pessoas negras(os) de um bairro periférico da cidade de Parnaíba e da minha experiência de vida com minhas(meus) mais velhas(os), além de conhecer a história de vida de pessoas negras(os) do bairro; Levantar as memórias coletivas e ancestrais, saberes, fazeres e dizeres compartilhados por pessoas negras(os); Apreender o diálogo entre os Marcadores das Africanidades do povo negro no bairro periférico estudado e na minha família. Método: A pesquisa se baseou na estratégia metodológica dos caminhos percorridos com os Odus, construção Afrorreferenciada proposta por Eduardo Oliveira (Machado, 2019) e teve como ferramenta metodológica de análise a Escrevivência, proposta por Conceição Evaristo, levando ao que chamamos de Encruzilhadas do Enraizamento. Esse estudo foi realizado à medida que nos movimentamos no território e fomos identificando seus desdobramentos, circularidades e as transformações na comunidade, o que foge da lógica de modelos prontos a serem seguidos, sendo construído à medida que experienciávamos o território. A metodologia dos Odus apresenta uma sequência de 8 Caminhos dos Odus elaboradas por Oliveira (Machado, 2014) que são: Odu de Origem, Odu de Transição, Odu de Desconstrução, Odu de Transformação, Odu de Beleza, Odu de Natureza, Odu de Espaço e o Odu de Tempo. Cabe ressaltar que o projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisas Humanas da UFDPar/CMRV. Resultados: O caminhar pela comunidade permitiu a realização de três estudos, o primeiro nos lançamos na criação de três escrevivências, que entrelaçam as vivências das/os participantes do centro de referência da comunidade e da pesquisadora das entrevistas, o que possibilitou as encruzilhadas do enraizamento, pois havia uma interseção entre as nossas lutas, vivências e modos de resistências na periferia e o segundo estudo tratamos de realizar o protagonismo de dona Maria da Luz e seu José, através dos caminhos dos Odus, identificando os Marcadores das Africanidades em suas travessias de vida e o terceiro estudo, foi voltado a apresentação da proposta metodológica afrorreferenciada da Encruzilhada da Enraizamento. Discussão: A aplicação de métodos afrorreferenciados se mostraram efetivos no entendimento das vivências negras num território negro periféricos, pois, segundo Petit (2016) estes espaços contem marcas que nos conecta, com a nossa linhagem, as práticas de saúde, artísticas, práticas espirituais e religiosas e outros presentes no seio familiar e coletiva, além de permitir a liberdade de germinar novos métodos ao longo do caminho, como a encruzilhada do enraizamento. Consideramos que este estudo abre possibilidades para maiores aprofundamentos, a fim de sulear nossas narrativas, saberes e viveres, uma vez que a realização de estudos afrorreferenciados em territórios periféricos ainda são extremamente necessários, pois estudos que adentraram estes territórios ainda carregam as marcas e considerações do colonizador, branco e ocidental.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ADILBÊNIA FREIRE MACHADO - UFRRJ
Interno - 2231565 - ANTONIO VLADIMIR FELIX DA SILVA
Presidente - 1750399 - CARLA FERNANDA DE LIMA
Externo à Instituição - SANDRA HAYDÈE PETIT - UFC
Notícia cadastrada em: 11/07/2023 07:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 20/04/2024 14:39