Notícias

Banca de DEFESA: MARIANE CARDOSO CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIANE CARDOSO CARVALHO
DATA: 24/11/2023
HORA: 10:30
LOCAL: Online - Via Google Meet
TÍTULO: A PERCEÇÃO DO SUPORTE SOCIAL EM MULHERES QUE GESTARAM NA PANDEMIA DA COVID-19
PALAVRAS-CHAVES: Gestação; Suporte Social; Pandemia; COVID-19
PÁGINAS: 92
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A COVID-19 se revelou como o maior desafio enfrentado pela humanidade, desde o fim da Segunda Grande Guerra. Tendo em vista as alterações fisiológicas, tanto no sistema imunológico quanto respiratório, sofridas por mulheres no período gravídico, as gestantes foram incluídas no grupo de risco, frente ao perigo de contágio. Deste modo, a presente dissertação objetiva conhecer a percepção do suporte social das mulheres que gestaram na pandemia da COVID-19. Para tal finalidade, a dissertação foi dividida em dois estudos: O Estudo I trata-se de uma revisão de escopo da literatura, que se propôs a explorar o estado da arte , foi utilizado uma extensão do Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses para revisões de escopo (PRISMA-ScR). A busca nas bases de dados SciELO; Web of Science; MEDLINE; PsycNET; Scopus, resultou no rastreio de 1407 estudos, o qual 24 atenderam aos critérios pré-estabelecidos. Os dados obtidos revelaram que o suporte social funciona como estratégia na redução da solidão gestacional. Dessa forma, gestantes que receberam baixo apoio social em isolamento durante a pandemia apresentaram níveis mais altos de problemas relacionados a sofrimento psíquico. Para o Estudo II realizou-se uma pesquisa de campo que teve por objetivo conhecer a percepção do suporte social de mulheres que gestaram no período pandêmico da COVID-19 considerando-se o período mais crítico da pandemia. Como critério de inclusão, as participantes deveriam ter gestado entre abril/2020 a dezembro/2021, sendo excluídas da amostra mulheres que gestaram fora desse período. A pesquisa foi realizada na modalidade on-line, por meio de um link do Google Forms de forma não probabilística (por conveniência). A amostra contou com 224 mulheres com idade média de 30 anos (DP = 5,69), variando de 18 até 46 anos. Os Instrumentos utilizados foram três escalas (Escala de Percepção do Suporte Social (EPSS); Escala Medo da COVID-19 no Período Perinatal (EMC19-9); Escala de Depressão, Ansiedade e Estresse (DASS-21) e um questionário sócio demográfico. Os resultados das análises evidenciam que apesar das mulheres se perceberem recebendo o suporte social, as relações esperadas entre suporte social e medo da COVID-19 e entre este e os fatores da DASS-21, não apresentaram correlações estatisticamente significativas. Foram verificadas correlações estatisticamente significativas entre medo da COVID-19 e os fatores da DASS-21, a saber: depressão (r = 0,38, p < 0,01), ansiedade (r = 0,50, p < 0,01) e estresse (r = 0,48, p < 0,01). Também foi possível encontrar resultados que indicam que o medo da COVID-19, exerce poder preditivo para os sintomas de: depressão (β = 0,35, p < 0,000), ansiedade (β = 0,44, p < 0,000) e estresse (β = 0,44, p < 0,000). Desta forma, se considera que o medo da COVID-19 explica 14% de sintomas de depressão, 24% de sintomas de ansiedade e 23% de sintomas de estresse manifestados pelas mulheres que gestaram no período mais crítico da pandemia. Os achados na literatura revelam que suporte social atua como fator de proteção e que estes têm a finalidade de evitar que essas pessoas experimentem sintomas de adoecimento mental. O estudo empírico não demostrou haver correlações significativas entre o suporte social, mas sim entre o medo da COVID-19 e os fatores da DASS-21.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA KARLA SILVA SOARES - UFMS
Interno - 2441003 - RAQUEL PEREIRA BELO
Presidente - 1867530 - SANDRA ELISA DE ASSIS FREIRE
Notícia cadastrada em: 23/11/2023 14:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 16/04/2024 10:14