Notícias

Banca de DEFESA: CARLA DLIJANNE FORTES SILVA MACÊDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARLA DLIJANNE FORTES SILVA MACÊDO
DATA: 29/05/2015
HORA: 08:00
LOCAL: TROPEN
TÍTULO:

 

ANÁLISE SOCIOECONÔMICA E AMBIENTAL DA CADEIA PRODUTIVA DO COCO BABAÇU (Orbignia phalerata, Mart.) EM ESPERANTINA - PI


PALAVRAS-CHAVES:

 

Cadeia Produtiva, Coco Babaçu, Extrativismo, Esperantina.


PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:


Historicamente, o babaçu desempenha um papel fundamental na economia do Estado do Piauí e na reprodução sociocultural das famílias que exploram o coco consorciado à pequena produção de alimentos e criação DE ANIMAIS. No espaço rural, é marcante a presença da atividade de extração do babaçu, tendo o município de Esperantina uma grande extensão de babaçual e uma tradicional exploração do recurso, cujos produtos e subprodutos caracterizam-se como principal fonte de renda e subsistência para muitas família. Nesse cenário, questionou-se se a atividade produtiva do babaçu está promovendo a melhoria das condições de vida da população, na exploração, em especial das mulheres quebradeiras de coco, contribuindo para o desenvolvimento da cadeia produtiva, um melhor aproveitamento integral do produto e a preservação dos babaçuais no município. Nessa perspectiva, analisou-se o desenvolvimento da cadeia produtiva do coco babaçu do município de Esperantina, especificamente a quantidade e o valor da produção de babaçu no período de 2004 a 2013, modelar essa cadeia; identificar a existência de organização no âmbito das quebradeiras de coco e as atuações que ocorrem a apontar as tecnologias disponíveis para a exploração e comercialização. Os procedimentos metodológicos utilizados na pesquisa estão baseados em Castro et al (1998), consistindo em análise diagnóstica e em revisão de literatura sendo desenvolvidas pesquisas de campo e levantamentos das áreas com potencial produtivo do babaçu, para verificar os pontos de exploração no município de Esperantina, seus agentes produtores e os subprodutos extraídos do fruto. Também se fizeram coleta e interpretação de dados secundários sobre a produção, a exemplo de seu valor, obtidos em consultas a sítios oficiais de informação sobre a Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS) do Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) e do Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (CEPRO). Conclui-se que em Esperantina o conhecimento das organizações como MIQCB, dos órgãos estaduais e de produtores e comercializadores especializados tornou a cidade mais competitiva na produção e comercialização do babaçu, destacando-se em nível  regional. Os principais produtos comercializados em Esperantina são óleo, azeite, sabão, artesanato e farelo/torta com grande participação do MIQCB na produção e comercialização dos produtos do babaçu, apesar de, na exploração, ocorrerem diversos gargalos, como a baixa produtividade da amêndoa entre as quebradeiras e a ausência  de políticas públicas que viabilizem melhoramentos na atividade.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423405 - JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
Interno - 423460 - MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
Externo à Instituição - VALDIRA DE CALDAS BRITO VIEIRA - CEFET/PI
Notícia cadastrada em: 21/05/2015 08:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 25/01/2020 10:31