Notícias

Banca de DEFESA: AMANNDA MENEZES DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMANNDA MENEZES DE OLIVEIRA
DATA: 14/08/2015
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO TROPEN
TÍTULO:

 

Análise da gestão de resíduos no setor privado da construção civil: estudo na cidade de Teresina, Piauí


PALAVRAS-CHAVES:

gerenciamento, ambiente urbano, entulho, impacto ambiental.


PÁGINAS: 93
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

 

O deslocamento populacional do campo para as cidades em um curto espaço de tempo, resultou em um dos mais preocupantes problemas atuais e ambientais, que é a geração de resíduos sólidos. A indústria da construção civil tem papel fundamental no desenvolvimento econômico e espacial das cidades, contudo, a ineficiência de alguns processos produtivos a fazem uma grande geradora de resíduos. A Resolução do CONAMA N° 307/02 alterada pela Resolução CONAMA N° 448/2012, dispõe sobre as diretrizes para a gestão de resíduos da construção civil, por motivos ambientais e econômicos, existe uma necessidade crescente de procedimentos para aproveitamento desses materiais, que são considerados potencialmente recicláveis. Na pesquisa foram abordados aspectos da gestão de resíduos da construção civil no setor privado em Teresina-PI, em que os objetivos foram caracterizar os resíduos de forma qualitativa, a fim de diagnosticar as classes mais presentes durante o processo construtivo, outro objetivo foi a quantificação dos resíduos Classe A gerados na cidade de Teresina. A metodologia utilizada baseou-se em visitas aos locais das obras, em um período de seis meses com frequência quinzenal, através de checklist previamente elaborado, foi possível obter dados relacionados à classificação dos resíduos gerados. Para a quantificação dos resíduos foram desenvolvidas duas etapas, na primeira foram levantadas informações acerca da coleta de resíduos Classe A, já a segunda etapa consistiu em estimar a quantidade dos resíduos coletados, tomou-se como referência o capacidade estimada da caçamba estacionária. As obras se encontravam em fases distintas do processo construtivo, o que foi permitido perceber a variabilidade de resíduos gerados nas obras entre si. Após toda coleta de dados e análise destes, constatou-se que os resíduos presentes nas obras tinham classes em comum, contudo, as obras não dispunham de equipamentos de coletas suficientes para uma efetiva segregação de resíduo na fonte, além de todo processo de gerenciamento funciona como medida corretiva e não preventiva. Após a conversão para uma única unidade de medida, e obtido o volume geral desses resíduos gerados por mês, foi realizada uma projeção, através de média aritmética, acerca do gerado anualmente e uma estimativa correspondente ao volume por habitante/ano, habitante/mês e habitante/dia. Por fim, o terceiro artigo analisou o entorno das áreas de disposição final de resíduos da construção no Município, considerando os aspectos ambientais e sociais, foi realizado levantamento com administração pública e empresas coletoras, identificação e mapeamento dos pontos de disposição, descrição e análise do entorno A falta de locais para disposição final pode ser considerada como um dos fatores para o surgimento de áreas de disposição irregulares, que ocorrem sem nenhum tipo de controle ou fiscalização. Com base nos resultados obtidos com a dissertação, conclui-se que, há ausência de iniciativa do Poder Público em oferecer condições para que a gestão de resíduos da construção civil ocorra de forma adequada, em contrapartida, percebe-se que no setor privado, as iniciativas que são tomadas voluntariamente acabam entrando no comodismo, e as empresas construtoras sem ter a obrigação de cumprir medidas básicas para que a gestão de resíduos, acabam mascarando as etapas de gerenciamento.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167538 - JOSE MACHADO MOITA NETO
Externo ao Programa - 423460 - MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
Presidente - 1354664 - WILZA GOMES REIS LOPES
Notícia cadastrada em: 10/08/2015 17:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 28/01/2020 07:37