Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCYNARA PONTES ROCHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCYNARA PONTES ROCHA
DATA: 16/09/2016
HORA: 09:00
LOCAL: TROPEN
TÍTULO:

DIVERSIDADE DE OOMICETOS (OOMYCOTA) E BALNEABILIDADE DA BARRAGEM DO BEZERRO, JOSÉ DE FREITAS, PIAU

 


PALAVRAS-CHAVES:

Água. Fungos. Barragem. Diversidade. José de Freitas.


PÁGINAS: 95
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Os oomicetos pertencem ao Reino Straminipila, são organismos fisiologicamente e morfologicamente semelhantes a fungos, microscópicos, heterotróficos. Possuem esporos biflagelados, necessitando de água para sua dispersão e reprodução. São cosmopolitas, e podem viver saprobiamente em detritos vegetais e animais, desempenhando importante papel na decomposição da matéria orgânica, e participando ativamente da ciclagem de nutrientes. Podem também ser encontrados como parasitas de algas, peixes, larvas de mosquitos, rotíferos, plantas, mamíferos e, inclusive do homem. Tem importância ecológica e econômica, pois além de as espécies sapróbias contribuírem com a ciclagem de nutrientes do meio, as espécies parasitas podem alterar diretamente o ciclo de vida de outros organismos. É de grande importância que se conheça a comunidade aquática, bem como a de organismos zoospóricos, com enfoque nas espécies de oomicetos com potencial patogênico. Visto que a identificação correta do agente patogênico é de evidente importância para que se possa prevenir a transmissão de doenças. Assim, diante da importância ecológica, econômica e social da Barragem do Bezerro, em José de Freitas, Piauí, o local revela-se como um importante ponto para ser estudado. Objetivou realizar o primeiro levantamento local da diversidade de oomicetos, e contribuir para a expansão do conhecimento da diversidade desses organismos. Por meio de coletas trimestrais no campo e Da técnica de iscagem múltipla descrita por Milanez (1989). Foram identificados oito táxons a partir amostras de água e solo. O filo Oomycota foi representado por seis famílias: Leptolegniaceae (Plectospira myriandra), Myzocytiopsidaceae (Myzocytiopsis zoophthora), Monoblepharidaceae (Monoblepharela taylori), Pythiaceae (Pythium ultimum var sporangiiferum, P. echinulatum), Pythiogetonaceae (Pythiogeton ramosum, P. dichotomum), Saprolegniaceae (Achlya flagellata e A. proliferoides). Os táxons identificados foram descritos, ilustrados e comentados. Alguns táxons possuem potencial patogênico relatados na literatura especializada, destacando os pertencentes ao gênero Pythium, Pythiogeton e Achlya que podem afetar outros organismos. Nota-se, portanto, a relevância de se conhecer os organismos presentes no local e propor meios adequadas da utilização das águas da barragem, visto que há organismos que podem causar patologias.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1291400 - DENIS BARROS DE CARVALHO
Interno - 1046342 - ELAINE APARECIDA DA SILVA
Presidente - 423426 - JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
Externo à Instituição - MARIA DE FÁTIMA DE OLIVEIRA PIRES - UESPI
Externo à Instituição - MITRA MOBIN - UNINOVAFAPI
Notícia cadastrada em: 05/08/2016 17:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb02.ufpi.br.instancia1 03/08/2020 11:24