Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LILIAN DE CASTRO MORAES PINTO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LILIAN DE CASTRO MORAES PINTO
DATA: 27/10/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do TROPEN
TÍTULO: CANA DE AÇÚCAR E A PRODUÇÃO SUCROALCOOLEIRA NO PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Ecoeficiência. ISO 14045:2014. ACV. Sustentabilidade. Etanol.
PÁGINAS: 163
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

 

A procura por fontes alternativas de energia para substituir o uso de combustíveis fósseis evidenciou o etanol, biocombustível utilizado pelo Brasil desde 1975. Entretanto, a sustentabilidade da produção é questionada, devido aos impactos causados pelo cultivo da cana de açúcar. O incentivo governamental para o crescimento do setor sucroenergético e a expansão do cultivo para regiões não exploradas do Nordeste despertaram para o estudo dos impactos ambiental e econômico dessa atividade no Piauí. Esta investigação questionou como se processa a ecoeficiência na produção sucroalcooleira piauiense, encerrando a hipótese de que a produção de açúcar e de álcool, por consumir grande quantidade de água e energia, emitir gases de efeito estufa e gerar efluentes e resíduos sólidos, é causadora de danos ambientais. Nesse sentido, objetivou-se analisar os elementos e indicadores de ecoeficiência na produção sucroalcooleira do Piauí e, especificamente, contextualizar historicamente o cultivo de cana de açúcar no Brasil e neste estado, circunstanciando a produção de álcool e açúcar, analisar indicadores de ecoeficiência de valor e de influência ambiental para os processos de produção de açúcar e álcool e avaliar qualitativamente a produção sucroalcooleira no Piauí, que conta com uma única usina sucroalcooleira, tomando como referência o ano de 2015.  Como suporte teórico/metodológico deste estudo, de natureza qualiquantitativa, empregou-se a norma ABNT NBR ISO 14045:2014, que envolveu Avaliação do Ciclo de Vida e o método Environmental Fingerprint, desenvolvido pela BASF. Sendo assim, o inventário do ciclo de vida, embasado na demanda energética, nas emissões associadas à cadeia produtiva de etanol e de açúcar no Piauí, no consumo de água e no uso do solo, revelou que o uso de reciclagem da água no interior da planta industrial da COMVAP diminuiu a demanda hídrica do processo, contribuindo para a sustentabilidade. Quanto ao consumo de energia fóssil, o rendimento energético líquido foi positivo e a eficiência energética foi superior ao valor internacionalmente reconhecido, indicando que a atividade da Usina é benéfica para o meio ambiente. Outrossim, destaca-se que o uso do solo foi menor comparativamente a outras matérias-primas para produção de um litro de etanol e, quanto às emissões atmosféricas, observou-se que a maior parte ocorreu durante a queima da palha, adotada antes da colheita, tornando a substituição da colheita manual pela mecanizada uma alternativa viável para tornar o processo produtivo da COMVAP sustentável.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1553560 - FRANCISCO DE ALCANTARA NETO
Interno - 423405 - JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
Presidente - 423460 - MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
Notícia cadastrada em: 09/10/2016 17:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 22/10/2021 16:02