Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: TASSIO MARCILIO FRANCISCO GOMES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TASSIO MARCILIO FRANCISCO GOMES
DATA: 18/11/2016
HORA: 15:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO TROPEN
TÍTULO: USO TRADICIONAL DE PLANTAS MEDICINAIS EM COMUNIDADE RURAL DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE
PALAVRAS-CHAVES: Comunidade Rural, Plantas Medicinais, Uso Terapêutico, Etnobotânica
PÁGINAS: 44
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Ao longo da história da humanidade, sempre existiu uma estreita relação entre o homem e as plantas, considerando a sua sobrevivência, além delas terem sido decisivas na formação das populações no mundo. Nas comunidades tradicionais, assim como as comunidades rurais, existem um rol de plantas cultivadas ou naturais que fornecendo variados subprodutos que suprem as necessidades primárias destas populações, como por exemplo, o uso medicinal ou terapêutico. O grande número de estudos ligados ao uso das plantas medicinais, tornou a etnobotânica, ramo de estudo da etnobiologia, um campo largamente estudado, tanto pelo seu caráter holístico, interdisciplinar, como pela necessidade de compreender as nuances da inter-relação entre plantas e pessoas de culturas viventes. Essa pesquisa teve como objetivo levantar etnoespécies de uso terapêutico em uma comunidade rural do semiárido sul piauiense, avaliando a sua riqueza, a manipulação dos fitoterápicos, as indicações e a transmissão do conhecimento tradicional. Ela foi realizada na comunidade Bezerro Morto, município de São João da Canabrava, região ecotonal do semiárido sul piauiense, nordeste do Brasil. Pós aceite de participação e assinatura de Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 24 informantes-chaves, maiores de 18 anos e sendo o maior conhecedor do assunto no grupo familiar, em 41 excursões a área de pesquisa, e paralelamente, foi feita a turnê-guiada para coleta das plantas citadas, culminando na obtenção dos índices de Importância Relativa (IR), e do Valor de Uso (VU) com a distinção entre VUpotencial e VUatual. Identificou-se 25 espécies diferentes, possuindo 23 gêneros, pertencentes a 18 famílias botânicas, nas quais foram descritas 34 indicações terapêuticas. Com 10 citações a erva-cifreira (Lippia alba (Mill.) N. E. Br. Ex P. Wilson ) foi a espécie mais frequente nos relatos, assim como a família que mais se destacou foi a Lamiaceae. Dentre as partes utilizadas a folha foi a mais citada com 54,1%, já quanto a forma de uso, o chá (59,8%) é a mais utilizada. A espécie que atingiu o maior valo de IR foi o boldo (Plectranthus barbatus Andrews) com IR=2,11, sendo que o maior VUatual=0,71 foi da Lippia alba (Mill.) N. E. Br. Ex P. Wilson, já com o maior VUpotencial=0,08 foram a Aloe vera (L.) Burm. f. e Phyllanthus niruri L. As maiores indicações foram gripe (15) e má digestão (12), e os sistemas corporais mais tratados foram os sistemas digestório (24) e respiratório (18). A transmissão do conhecimento no grupo familiar não ocorre em 40,2% e está ocorrendo em 8,4%. Foi compreendido que a comunidade ainda se utiliza do conhecimento tradicional de utilização das plantas medicinais para fins terapêuticos, no entanto, os dados esclarecem que está havendo uma redução na diversidade de plantas e de usos terapêuticos, assim como o desinteresse dos jovens na perpetuação desse saber, gerando um alto risco deste se perder no tempo, além de impossibilitar de as gerações futuras conhecerem e ter disponível tal legado geracional.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423289 - JOAO BATISTA LOPES
Interno - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Externo à Instituição - FÁBIO JOSÉ VIEIRA - UESPI
Notícia cadastrada em: 31/10/2016 10:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 22/09/2020 07:46