Notícias

Banca de DEFESA: FRANCISCO DAS CHAGAS VIEIRA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO DAS CHAGAS VIEIRA SANTOS
DATA: 06/03/2017
HORA: 10:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO TROPEN
TÍTULO: IMPACTOS AMBIENTAIS DO COMPLEXO EÓLICO DELTA DO PARNAÍBA SOBRE A AVIFAUNA E OS SABERES ETNOORNITOLÓGICOS NA COMUNIDADE LABINO, PIAUÍ, BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: aves, parques eólicos, distribuição, etnoornitologia, comunidade Labino.
PÁGINAS: 114
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A implantação de uma usina eólica pode gerar de forma direta e indireta, impactos sobre a fauna, em especial sobre as aves. No entanto, esse tipo de impacto é um dos temas ambientais menos estudados. O objetivo geral foi levantar as espécies de aves que ocorrem na área do complexo Eólico Delta do Parnaíba, e registrar os saberes etnoornitológicos e ambientais na comunidade Labino, município de Ilha Grande/PI, área no entorno do complexo eólico. A área amostral é composta pela área diretamente afetada pelo empreendimento (ADA), distribuída nos Municípios de Parnaíba e Ilha Grande, ambos localizados no extremo norte do Estado do Piauí. O levantamento foi quali-quantitativo, e a área de estudo teve sua extensão dividida em quatro transectos lineares de 2,5 Km, aproveitando trilhas pré-existentes. Buscou-se o aproveitamento das áreas na procura de espécies de aves consideradas menos conspícuas. Foram utilizados binóculos (10X50) e um gravador com microfone direcional. Aliado a isso, foram coletados dados por meio de entrevistas semiestruturadas com residentes locais. A amostra consistiu de 150 pessoas, 76 (51%) do sexo masculino e 74 (49%) do sexo feminino) com idades entre 18 e 87 anos. Antes da execução, o trabalho foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE 48477215.2.0000.5669). Espécies reportadas pelos entrevistados foram identificadas a nível específico, utilizando guia de campo e a lista de aves brasileiras do Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. A riqueza de espécies estimada para o complexo eólico foi de aproximadamente 218 espécies, segundo o estimador Jackknife de Primeira Ordem (Jack1), ao passo que a riqueza observada foi de 186, demonstrando que aproximadamente 55% das espécies presentes na área foram registradas empregando as técnicas descritas para este estudo, ou seja, apenas 15% das espécies de aves ainda não foi registrado pelos métodos aplicados. A maioria das espécies registrada é residente, insetívora, apresenta baixa sensibilidade a alterações ambientais e não são associadas a ambientes florestais. Segundo entrevistados, na área de estudo ocorrem 97 espécies de aves pertencentes a 21 ordens e 40 famílias. Homens conhecem mais espécies da avifauna local do que as mulheres. Um percentual bastante representativo (n=68;45%) dos entrevistados reportou o consumo de aves nativas. Aramides cajaneus, Columbina squammata e Zenaida auriculata foram as espécies mais importantes, caçadas para fins de alimento. Um total de 48 espécies foram percebidas como tendo suas populações reduzidas nos últimos anos, principalmente Aramides cajaneus, Cacicus cela, Icterus jamacaii, Mimus gilvus, Turdus rufiventris entre outras. A retirada da vegetação foi a atividade realizada pelo complexo eólico que ofereceu maior impacto para as aves da região (n=111;74%). Os resultados indicam um baixo impacto causado pelo empreendimento na área de estudo, considerando a riqueza de aves registrada, e poderão fornecer estratégias que permitam a conservação biológica e cultural da avifauna regional.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1653145 - ANDERSON GUZZI
Interno - 1291400 - DENIS BARROS DE CARVALHO
Externo à Instituição - GUILHERME RAMOS DA SILVA - UESPI
Interno - 2217228 - WEDSON DE MEDEIROS SILVA SOUTO
Notícia cadastrada em: 13/01/2017 16:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 13/07/2020 15:42