Notícias

Banca de DEFESA: TONY CÉSAR DE SOUSA OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TONY CÉSAR DE SOUSA OLIVEIRA
DATA: 12/01/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório TROPEN
TÍTULO: DIVERSIDADE TAXONÔMICA, FUNCIONAL E USO DE ESPÉCIES VEGETAIS EM UMA ÁREA PRO-PRETÉRITA DE CERRADO RUPESTRE SOB INFLUÊNCIA DO CÂNION DO POTI, NORDESTE DO BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: Barragem, biodiversidade, impactos ambientais, potencial econômico, território.
PÁGINAS: 163
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

As pesquisas voltadas para a biodiversidade, têm analisado a diversidade
biológica em todos os níveis e processos, buscando entender os fatores que
levam a uma configuração, distribuição, quantificação e uso. No Brasil, um dos
maiores centros de biodiversidade é o cerrado, presente em quatro das cinco
regiões do país incluindo o Piauí, que apresenta uma rica diversidade. Uma das
tipologias de cerrado presente no Piauí é o rupestre setentrional de baixa altitude
do Nordeste. Parte dessa fitofisionomia, será afetada com a Construção da
Barragem de Castelo, pois uma vez construída, não será possível observar as
características originais dessa vegetação. Baseado nisso objetivou-se nesse
estudo, analisar e comparar a composição, riqueza, diversidade, estrutura,
funcionalidade ecológica e o uso de uma vegetação pro-pretérita de cerrado
rupestre de baixa altitude no município de Castelo do Piauí. A amostragem da
vegetação foi realizada através do Protocolo de Avaliação Fitossociológica
Mínima (PAFM). Os parâmetros fitossociológicos da estrutura da comunidade
foram obtidos através dos Softwares R e Mata Nativa, a comparação de
diversidade taxonômica foi realizada através da série de Hill e o uso das espécies
foi diagnosticado através de entrevistas com a comunidade local, sendo testado
posteriormente a hipótese de aparência ecológica. Também foi analisada a
percepção ambiental dos moradores em relação ao ambiente que será inundado,
sendo estes dados analisados através do software Iramuteque. Para analisar a
diversidade funcional, foram mensurados seis traços funcionais e aplicou-se o
teste t para verificar se houve diferença entre valores das características
funcionais entre ambientes. A diversidade de função entre as áreas foi calculada
utilizando os índices: riqueza funcional, equitabilidade funcional e divergência
funcional. A vegetação apresentou uma estrutura semelhante as outras áreas de
cerrado rupestre de baixa altitude, porém diferenciou-se das áreas de cerrado
rupestre de cotas altimétricas elevadas do Planalto Central. No levantamento
fitossociológico apresentou 32 espécies com 29 gêneros pertencentes à 15
famílias. A Qualea parvilflora, foi a espécie com maior densidade, dominância e
frequência. Em relação aos usos econômicos das espécies, 73.7% das espécies
encontradas no levantamento são uteis para a comunidade e a categoria
madeireira foi a de maior destaque. A hipótese da aparência ecológica
demonstrou uma relação negativa entre o uso e alguns parâmetros
fitossociológicos. Observou que dentre as áreas estudadas o turnover vem
atuando causando uma sobreposição de espécies. O estudo demonstrou ainda
que a área que será inundada é uma das mais rica em número de indivíduos, a
segunda mais rica taxonomicamente dentre os cerrados rupestres comparados,
e possui características funcionais particulares, possuindo a maior diversidade
funcional. Esse estudo demonstrou que essa fitofisionomia para o estado do
Piauí é bastante importante devido a sua fragilidade, diversidade e
funcionalidade, possuindo um grande número de espécies com potencial de uso
atual e futuro. Além disso, observou-se que os atores sociais possuem um
grande vínculo afetivo com essa comunidade, demonstrando um processo ativo
de territorialização.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167347 - ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
Interno - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Interno - 1291400 - DENIS BARROS DE CARVALHO
Externo à Instituição - JOSÉ SIDINEY BARROS - UESPI
Externo à Instituição - MARIA EDILEIDE ALENCAR OLIVEIRA - IFPI
Notícia cadastrada em: 01/12/2017 14:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb02.ufpi.br.timers 20/10/2021 04:56