• O sistema entrará em processo de atualização de funcionalidades às 22:30. Pedimos a todos que salvem seus trabalhos para que não haja transtornos.
    Agradecemos a compreensão, em 15 minutos o sistema estará de volta.
Notícias

Banca de DEFESA: GAIA RÊGO CAVALCANTE FORTES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GAIA RÊGO CAVALCANTE FORTES
DATA: 27/03/2013
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório do TROPEN
TÍTULO:

VALOR DA INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E AMBIENTAL NA REVISTA VEJA


PALAVRAS-CHAVES:

Jornalismo científico; Jornalismo ambiental; Análise de conteúdo; Revista Veja; Interdisciplinaridade.  


PÁGINAS: 221
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:


 

A pesquisa objetivou compreender os valores construídos na produção jornalística científica  e ambiental da revista Veja. Foram analisadas 31 edições desta revista de circulação nacional nos períodos de junho a dezembro de 2011, compreendendo as edições 2219 ao número 2249. O método de análise de conteúdo foi utilizado com aplicação quantitativa e qualitativa. Tal metodologia serviu para explicar com quais critérios editoriais a Veja produziu informações de relevância científica (com interface na produção de conhecimento ambiental) e ambiental num sentido que extravasa o campo científico. A metodologia de análise de conteúdo auxiliou no processo de inferência para obter-se uma descrição do conteúdo das mensagens e suas estratégias enunciativas. Os enfoques discursivos foram problematizados de modo a colocar em questão o contexto, a natureza social, científica, política, econômica, legal, histórica e ambiental das informações selecionadas nesta pesquisa. A análise das informações presentes tanto no gênero opinativo como informativo se adequaram a estilização de discursos da revista Veja. Problematizou-se os efeitos de sentidos dialogados entre redatores, editores, articulistas, fontes, leitores e anunciantes, ao construírem e descontruírem os valores significados nas informações selecionadas. Identificou-se que a produção de conhecimento científica e ambiental na revista Veja é assunto menor. O percentual das variáveis de pesquisa representou apenas 4,37% de uma amostra de 3253 informações produzidas pela revista de uma forma geral. O jornalismo ambiental foi quantitativamente mais expressivo com 151 observações. Os elementos discursivos do jornalismo científico somaram 38 observações com enfoque no conhecimento ambiental. O jornalismo científico em Veja construiu sentidos semeados numa perspectiva neoclássica. Neste caso, o desenvolvimento construído nos discursos perpassou por aparatos tecnológicos que por suposto garantiriam a sustentabilidade do capital natural em complementaridade ao capital construído, humano e social. A perspectiva sistêmica esteve inserida aos enfoques discursivos da revista no jornalismo ambiental. O debate entre os atores das questões ambientais, principalmente as fontes empresariais e especialistas, foi intercalado pela sociedade civil organizada, populações tradicionais, personalidade da vida pública e cidadãos comuns. Todavia, a revista construiu discursos ufanistas ao vangloriar-se da biodiversidade brasileira como justificativa para o silenciamento das externalidades ambientais nos sistemas produtivos. Os efeitos de sentidos gerados por ambos os discursos foram problematizados a partir de aportes teóricos interdisciplinares.

 

 

 

 

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FELICIANO JOSE BEZERRA FILHO - UESPI
Presidente - 905801 - GERSON ALBUQUERQUE DE ARAUJO NETO
Interno - 1167538 - JOSE MACHADO MOITA NETO
Notícia cadastrada em: 14/03/2013 09:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 20/10/2021 22:28