Notícias

Banca de DEFESA: VANESSA FERNANDA DA SILVA SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA FERNANDA DA SILVA SOUSA
DATA: 16/03/2018
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório do TROPEN
TÍTULO: DIVERSIDADE TAXONÔMICA E FUNCIONAL DA VEGETAÇÃO LENHOSA DO JARDIM BOTÂNICO DE TERESINA E ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL
PALAVRAS-CHAVES: Estrutura da vegetação. Riqueza funcional. Interpretação ambiental.
PÁGINAS: 111
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A caracterização da estrutura da vegetação de um local e também a diversidade funcional de uma espécie ou comunidade de um determinado ambiente, constituem importantes estratégias de conservação ambiental, pois permitem uma maior compreensão sobre a estrutura, dinâmica, padrão e diversidade funcional existente dentro e entre as comunidades vegetais. Em unidades de conservação, além do conhecimento sobre a vegetação, a percepção dos visitantes em relação a estes espaços também constitui uma estratégia conservacionista eficiente, pois permitem compreender a interação do homem com o meio ambiente. Desse modo, o presente trabalho teve como objetivo caracterizar a estrutura da vegetação arbustivo-arbórea do Jardim Botânico de Teresina e também analisar os traços funcionais das espécies mais dominantes da área, buscando relacionar diversidade taxonômica e diversidade funcional. Objetivou-se também verificar a percepção ambiental dos professores que frequentam o Jardim Botânico de Teresina, elencando seus principais atrativos, aspectos negativos e sugestões de melhoria. Para a etapa de percepção realizou-se entrevistas semiestruturadas com os docentes. Para o levantamento florístico e fitossociologia, utilizou-se o método de parcelas. Já para o estudo da diversidade funcional realizou-se a análise de traços morfológicos, reprodutivos e vegetativos das espécies por meio de pesquisa bibliográfica. Os resultados demonstraram que a área é bastante diversa, tanto taxonomicamente quanto funcionalmente. O levantamento taxonômico registrou 2.107 indivíduos, distribuídos em 32 famílias, 57 gêneros. Destes, 63 (66,3%) foram determinados ao nível de espécie, 8 (8,3%) ao nível de gênero, 12 (12,6%) até o nível de família e 13 (13,6%) ainda não foram determinados botanicamente. Fabaceae e Myrtaceae foram as famílias mais representativas em número de espécies e de indivíduos e Parkia platycephala foi a espécie com maior Valor de Importância (VI). Funcionalmente a área se mostrou bastante diversa, apresentando uma riqueza funcional de 9,57 (Friq). A parcela dez a que teve a maior equitabilidade (Feve= 0,74), a parcela sete teve a maior divergência (Fdiv= 0,77). A parcela mais rica taxonomicamente (3) também foi a que apresentou a maior diversidade funcional (Rao=3.53). Traços como área foliar e densidade da madeira demonstraram que taxa de atividade fotossintética é alta entre as espécies e que as mesmas encontram-se bem adaptadas àquele ambiente. Já o estudo da percepção evidenciou que o JBotT é a primeira escolha dos visitantes se comparados a outros parques da cidade. A vegetação foi considerada o maior atrativo do parque pelos visitantes docentes. O apego e o senso de responsabilidade pelo parque são os sentimentos mais citados pelos visitantes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167347 - ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
Interno - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Interno - 1291400 - DENIS BARROS DE CARVALHO
Externo à Instituição - JOSÉ SIDINEY BARROS - UESPI
Externo à Instituição - MAURA REJANE DE ARAÚJO MENDES - UESPI
Notícia cadastrada em: 02/03/2018 11:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 27/01/2020 09:41