Notícias

Banca de DEFESA: AMANDA REJALMA MORAES ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMANDA REJALMA MORAES ANDRADE
DATA: 18/03/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Tropen
TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES EM RELAÇÃO À PERTURBAÇÃO AMBIENTAL NO AÇUDE GRANDE DO MUNICÍPIO DE CAMPO MAIOR/PI
PALAVRAS-CHAVES: Percepção Ambiental. Manancial Superficial. Educação Ambiental.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

 

O termo Percepção Ambiental pode ser definido como a compreensão do ambiente pelo homem, ou seja, o entendimento do meio em que está inserido. O estudo aprofundado desse tema torna-se fundamental para o entendimento das interrelações entre o homem e o ambiente em que vive, suas expectativas, satisfações e insatisfações, valores e condutas, como cada indivíduo percebe, reage e responde frente às ações sobre os sistemas ecológicos. Assim, o trabalho em questão teve como objetivo verificar a percepção que os moradores e comerciantes de Campo Maior - Piauí possuem em relação à perturbação ambiental sofrida pelo Açude Grande, localizado na zona urbana do município. Para tanto, realizou-se uma pesquisa descritiva de caráter qualitativo, em que os indivíduos que residem ou possuem comércio no entorno do açude foram submetidos à entrevistas guiadas por um formulário previamente estruturado. Na análise das entrevistas, observou-se que a maioria dos moradores consegue perceber a existência de impactos negativos gerados pela população local no manancial. No entanto, mesmo percebendo os impactos sofridos pela manancial, esses indivíduos não se vêm como agentes participantes no processo de perturbação, pois não identificam as ações realizadas por eles como sendo não ecológicas, e atribuem essa responsabilidade à outra parcela da população e aos governantes. Portanto, cabe aos gestores públicos, inicialmente, analisar a qualidade da água do açude, investigar como a comunidade relaciona-se com o meio ambiente, identificar os obstáculos existentes, para, assim, traçar um diagnóstico sócio-ambiental que possa fornecer subsídios para a criação de políticas públicas, ações e projetos de gestão ambiental e educação sanitária para a população deste município. população na execução desses projetos. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1291400 - DENIS BARROS DE CARVALHO
Interno - 1776339 - FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
Interno - 423426 - JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
Externo à Instituição - ADRIANA SARAIVA DOS REIS - UNINOVAFAPI
Externo à Instituição - MARIA GARDÊNIA SOUSA BATISTA - UESPI
Notícia cadastrada em: 15/03/2019 16:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 25/01/2020 11:44