Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GIOVANNA SANTOS DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GIOVANNA SANTOS DE SOUZA
DATA: 28/05/2019
HORA: 09:00
LOCAL: PRODEMA/UFPI
TÍTULO: Etnolimnologia da colônia Z-78 e caracterização limnológica do rio Água Doce
PALAVRAS-CHAVES: Delta do Parnaíba; Estuário; Pescadores artesanais
PÁGINAS: 57
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A riqueza biodiversa encontrada em regiões estuarinas tem sido atingida pelas relações que o
homem estabelece com o ambiente, podendo gerar impactos tanto na qualidade dos
ecossistemas quanto na forma de interação e uso dos recursos naturais. Assim, objetivou-se
com esse estudo avaliar as variáveis físicas, químicas e biológicas da água do rio Água Doce,
município de Água Doce do Maranhão e a relação do conhecimento da comunidade de
pescadores Z-78 com essas variáveis a fim de subsidiar futuros programas de monitoramento e
gestão ambiental da região. Foram determinados seis pontos e coletadas amostras em períodos
de preamar e baixamar para a coleta de variáveis físicas (temperatura, pH, salinidade, turbidez,
condutividade elétrica, oxigênio dissolvido e transparência), químicas (amônia, nitrito, nitrato,
fósforo total, fósforo solúvel reativo, sólidos totais e clorofila) e biológicas da água. Para
análise qualitativa da comunidade fitoplanctônica, as amostras foram identificadas em nível de
espécies utilizando literatura especializada epara a análise quantitativa foi realizada a contagem
e o cálculo da densidade e biovolume (mm³.L-¹). A média aritmética das variáveis ambientais
foi adotada como medida de tendência central e o desvio padrão como medida de dispersão
absoluta. Foi aplicada a análise de variância (p<0,05), correlação de Spearman e Análise de
Componentes Principais (ACP). Para análise etnolimnológica foram aplicados questionários
semiestruturados individualmente entre os pescadores associados à Colônia de Pescadores Z-
78 e residentes na sede do município de Água Doce do Maranhão, Maranhão. Em relação ao
ciclo sazonal ocorreram dois períodos distintos: o período seco (julho a dezembro de 2017) e o
período chuvoso (janeiro a junho de 2018). O rio Água Doce apresentou águas quentes (>28ºC),
transparência média de 0,70 m com zona eufótica extensa. A profundidade máximo foi de 5,5m
no P2 em agosto de 2018. A turbidez máxima ocorreu no P5, com 53,2 NTU, no mês de maio
de 2018 na baixamar. Os sólidos totais apresentaram valor máximo de 96.400 mg.L-1 em julho
no P6. A salinidade apresentou valor médio de 34,47 ‰. A condutividade elétrica apresentou
valor máximo de 61,07 mS.cm-¹ em janeiro no ponto 6 na maré alta, diminuindo conforme o
aumento das chuvas. O pH se manteve ácido (méd=4,28) na maior parte dos meses e pontos.
As águas se mostraram pouco oxigenadas (mázx=4,15) em janeiro no P4 na baixamar. A
amônia apresentou valor máximo de 1,49 μg.L-1 no P5 em setembro e o nitrito teve valor
máximo de 0,58 μg.L-1 em janeiro no P6, ambos na preamar. Já o fósforo total apresentou valor
máximo de 5,12 μg.L-1 no ponto 5 na maré baixa e o fósforo solúvel reativo teve valor máximo
de 5,37 μg.L-1 em maio no ponto 6 na maré alta em setembro. A clorofila teve valor médio de
7,79 mg.L-1. Portanto, foram registradas diferenças significativas maior parte das variáveis
entre os meses de coleta. A comunidade fitoplanctônica foi representada por 63 espécies
agrupados nas classes Bacillariophyceae (43), Chlorophyceae (quatro), Cyanophyceae (seis),
Dinophyceae (três), Mediophyceae (um) e Zygnematophyceae (cinco). Bacillariophyceae foi a
mais representativa em nível de riqueza específica representando 70% dos táxons e densidade
acima de 80% em todos os pontos. Entre as espécies mais representativas, se destacaram
Rhizosolenia sp com 21, 9% da densidade total, Cyclotella meneghiniana com 13,59% com
frequência maior nos meses secos, seguida das espécies Coscinodiscus sp com 10,9%, com 13, 59% e Cyclotella sp 5,72%. A aplicação dos questionários junto aos pescadores da colônia Z-78, encontra-se em andamento. Assim observou-se que a precipitação pluviométrica é o principal fator determinante na dinâmica do rio Água Doce.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 8423681 - GARDENE MARIA DE SOUSA
Presidente - 1221652 - IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
Interno - 423289 - JOAO BATISTA LOPES
Externo à Instituição - MICHELLE PINHEIRO VETORELLI - null
Interno - 1167785 - ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
Notícia cadastrada em: 10/05/2019 19:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 05/08/2020 15:43